SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 191
Baixar para ler offline
LAÉRCIO VASCONCELOS



 RESOLVENDO
PROBLEMAS NO
     SEU

 MICRO
       Rio de Janeiro

           2007
ÍNDICE
Capítulo 1: Fundamentos de hardware
Conhecer para consertar................................................................................................................. 1
O interior do micro........................................................................................................................... 1
Conecte corretamente.....................................................................................................................           3
   Cuidado com a eletricidade estática............................................................................................                  3
   Placas mãe AT e ATX..................................................................................................................            4
   Ligação da fonte na placa mãe ATX............................................................................................                    4
   Ligações da fonte nas unidades de disco....................................................................................                      5
   Instalação de módulos de memória.............................................................................................                    5
   Encaixando o processador no soquete........................................................................................                      6
   Conectores das interfaces...........................................................................................................             6
   Montagem das unidades de disco................................................................................................                   7
   Conectando cabos Flat................................................................................................................            7
   Conexões do painel frontal do gabinete.......................................................................................                    8
   Encaixe das placas de expansão.................................................................................................                  9
   Mais sobre placas mãe................................................................................................................            9
Processadores e seus soquetes..................................................................................................... 9
Clock interno, clock externo e cache........................................................................................... 11
   Barramento do sistema.............................................................................................................. 11
   FSB da placa mãe..................................................................................................................... 12
Programas que identificam o processador.................................................................................. 13
   O programa EVEREST.............................................................................................................. 13
   O programa HWINFO32............................................................................................................ 14
Processadores Intel.......................................................................................................................        14
   Pentium 4...................................................................................................................................   15
   Pentium D e Pentium Extreme Edition.......................................................................................                     16
   Core 2 Duo, Core 2 Extreme, Core 2 Quad...............................................................................                         16
Processadores AMD...................................................................................................................... 17
   Compatibilidade de soquetes..................................................................................................... 19
   Informações atualizadas sobre processadores AMD................................................................. 19
Slots da placa mãe......................................................................................................................... 19
    Slots PCI Express (PCI-E)......................................................................................................... 21
Chipset............................................................................................................................................ 21
Gabinetes e fontes de alimentação............................................................................................... 22
   Fonte de alimentação................................................................................................................. 23
   Conectores da fonte de alimentação.......................................................................................... 23


Capítulo 2: Instalando e configurando o Windows
Instalação do Windows XP............................................................................................................              25
    Seqüência de boot.....................................................................................................................        25
    O programa de instalação do Windows XP................................................................................                        25
    Disco rígido não reconhecido.....................................................................................................             26
    Partição única............................................................................................................................    26
    Dividindo o disco rígido..............................................................................................................        26
    Instalação em um disco rígido usado.........................................................................................                  28
    O computador reinicia................................................................................................................         28
    Etapas finais da instalação........................................................................................................           30
Disco rígido não reconhecido....................................................................................................... 30
Usando o “disquete F6”................................................................................................................. 31
Windows 98/ME.............................................................................................................................. 32
   FDISK e FORMAT..................................................................................................................... 32
   Iniciando a instalação................................................................................................................. 33
Problemas depois da instalação do Windows............................................................................. 35
As versões do Windows................................................................................................................ 36
O gerenciador de dispositivos...................................................................................................... 36
Drivers das placas..........................................................................................................................   36
    Comece pelos drivers do chipset!..............................................................................................             37
    Instalando os drivers do chipset.................................................................................................          37
    Drivers de chipsets de placas antigas........................................................................................              37
    Quando instalar o driver do chipset?..........................................................................................             38
    Drivers de dispositivos onboard.................................................................................................           38
    Atenção para a versão do Windows...........................................................................................                38
    Ativando o ícone Meu Computador............................................................................................                39
    Formatação do drive D...............................................................................................................       39
Os métodos de instalação de drivers........................................................................................... 39
   Programa de instalação............................................................................................................. 40
   Instalação manual...................................................................................................................... 40
Configurando a placa de vídeo..................................................................................................... 42
Windows Update............................................................................................................................ 44
Declarando o monitor.................................................................................................................... 45
Algumas configurações no Windows Vista.................................................................................                        46
   Área de trabalho........................................................................................................................    46
   Gerenciador de dispositivos.......................................................................................................          47
   Painel de controle......................................................................................................................    48


Capítulo 3: Memória, HD e vídeo
Módulos de memória..................................................................................................................... 49
   Cuidado com a eletricidade estática.......................................................................................... 50
   Exercício sobre memórias.......................................................................................................... 50
Memórias SDRAM.......................................................................................................................... 50
Memórias DDR................................................................................................................................ 51
Memórias DDR2.............................................................................................................................. 51
Dual Channel.................................................................................................................................. 52
Expansão da memória................................................................................................................... 52
   CMOS Memory Size Mismatch.................................................................................................. 53
Exemplo: Pentium 4, Socket 478, 64 bits..................................................................................... 53
   Exemplificando a instalação de memórias................................................................................. 55
CAS Latency................................................................................................................................... 55
Erros na instalação de memórias................................................................................................. 56
    Mau contato............................................................................................................................... 56
    Memórias danificadas................................................................................................................ 56
O micro precisa de mais memória?.............................................................................................. 57
Discos rígidos IDE e SATA............................................................................................................ 57
   Velocidades de discos IDE........................................................................................................ 58
   Velocidades de discos SATA..................................................................................................... 60
Manutenção e instalação de disco rígido..................................................................................... 61
   1) Retirar o disco antigo defeituoso e instalar um novo.............................................................. 61
   2) Adicionar um novo disco mantendo o antigo......................................................................... 61
Gerenciamento de disco (Windows 2000/XP/Vista)..................................................................... 61
   Criando novas partições............................................................................................................ 62
   Alterando as letras das unidades de disco................................................................................. 63
Para ter mais de 4 unidades lógicas.......................................................................................... 64
Melhorando o desempenho do disco rígido................................................................................ 64
   Ultra DMA.................................................................................................................................. 64
Placas de vídeo.............................................................................................................................. 66
   Placa de vídeo PCI Express x16................................................................................................ 67
   Memória de vídeo...................................................................................................................... 67
Instalando uma nova placa de vídeo............................................................................................                    67
    Trocando a placa de vídeo.........................................................................................................            67
    Desativando o vídeo onboard....................................................................................................               67
    Instalando os drivers da nova placa de vídeo............................................................................                      68
    Usando um programa de instalação do fabricante.....................................................................                           69
    O que melhora com a instalação de uma nova placa de vídeo..................................................                                   69
Ajustes no monitor......................................................................................................................... 69
   Perda de sincronismo do monitor no Windows XP.................................................................... 69
Defeitos comuns em vídeo............................................................................................................ 71


Capítulo 4: Jumpers e Setup
Jumpers e microchaves................................................................................................................ 73
   As placas são diferentes............................................................................................................ 74
Jumpers importantes em manutenção......................................................................................... 74
Clock externo do processador......................................................................................................                75
   Exemplo de configuração de clock externo por jumpers............................................................                               75
   Um método fácil para configurar o clock externo.......................................................................                         76
   Exemplo: Clock externo na placa Asus TUV4X com Socket 370...............................................                                       77
Clock interno do processador....................................................................................................... 78
Jumpers relacionados com a bateria CR-2032............................................................................ 78
   Clear CMOS............................................................................................................................... 78
Velocidade das memórias............................................................................................................. 79
   Memórias SDRAM..................................................................................................................... 80
   Memórias DDR e DDR2............................................................................................................. 81
Jumpers de dispositivos IDE........................................................................................................               82
   Jumpers de unidades de CD/DVD.............................................................................................                     82
   Jumpers de discos rígidos IDE...................................................................................................               83
   Slave Present.............................................................................................................................     84
   Cable Select...............................................................................................................................    86
CMOS Setup básico.......................................................................................................................          86
  BIOS, CMOS e CMOS Setup.....................................................................................................                    86
  Ativando o CMOS Setup............................................................................................................               86
  Usando o Setup.........................................................................................................................         87
Refinando o Setup..........................................................................................................................       89
    Interfaces onboard sem uso.......................................................................................................             90
    Desativando o vídeo onboard....................................................................................................               90
    USB no Setup............................................................................................................................      90
    Velocidade do processador........................................................................................................             91
    Velocidade das memórias..........................................................................................................             91
    Chip configuration......................................................................................................................      91
    Hardware monitor......................................................................................................................        92


Capítulo 5: Multimídia e Internet
Conectores de som........................................................................................................................ 93
Digitalização de sons..................................................................................................................... 94
MIXER.............................................................................................................................................. 95
Instalação de drivers...................................................................................................................... 95
Testando a placa de som............................................................................................................... 96
   O Mixer do Windows.................................................................................................................. 98
Declarando os alto-falantes........................................................................................................... 99
Gravação de CD e DVD................................................................................................................ 100
   Nero......................................................................................................................................... 101
Apagando uma mídia de CD-RW ou DVD-RW............................................................................ 103
Buffer underrun............................................................................................................................ 104
   Identificando gravadores com buffer underrun protection........................................................ 104
   Evitando o buffer underrun....................................................................................................... 105
Região do DVD............................................................................................................................. 106
   Aumentando o desempenho das unidades de CD e DVD....................................................... 106
Modems e Internet........................................................................................................................ 107
Conexão na linha telefônica........................................................................................................ 107
Instalando um modem PnP......................................................................................................... 108
    Usando drivers nativos do Windows........................................................................................ 108
    Usando drivers do fabricante................................................................................................... 109
Configurações no Gerenciador de Dispositivos........................................................................ 110
Configurações no Painel de Controle......................................................................................... 112
Configuração para a Internet....................................................................................................... 114
   Conexão Dial-Up no Windows XP............................................................................................ 114
   Configuração do correio eletrônico.......................................................................................... 116


Capítulo 6: Manutenção preventiva
Cuidados gerais...........................................................................................................................      117
   Falta de energia elétrica...........................................................................................................         117
   A fragilidade do disco rígido.....................................................................................................           118
   Liga-desliga..............................................................................................................................   118
   Umidade, poeira e fumaça.......................................................................................................              119
   Desligamento repentino...........................................................................................................            119
   O botão RESET.......................................................................................................................         121
   Se o micro travar......................................................................................................................      121
   Retire as capas........................................................................................................................      121
   Ligando e desligando corretamente.........................................................................................                   121
   Vírus e similares......................................................................................................................      122
   Conectando e desconectando corretamente............................................................................                          122
   Conexão na linha telefônica.....................................................................................................             122
   Falsos filtros de linha...............................................................................................................       123
Cuidados com os drives de disquetes....................................................................................... 123
Protegendo o computador da poeira.......................................................................................... 124
Protegendo o computador da umidade...................................................................................... 124
Cuidados com o monitor............................................................................................................. 126


Capítulo 7: Manutenção corretiva
O que pode ser consertado......................................................................................................... 127
Usando um multímetro digital.....................................................................................................               127
   Medindo a bateria da placa mãe..............................................................................................                 128
   Trocando a bateria da placa mãe.............................................................................................                 129
   Medindo a rede elétrica............................................................................................................          130
   Medindo uma fonte de alimentação ATX.................................................................................                        131
   Medindo uma fonte de alimentação ATX com carga................................................................                               133
   Medo de choque......................................................................................................................         133
Limpeza geral de poeira............................................................................................................... 133
Limpeza de contatos.................................................................................................................... 135
Clear CMOS.................................................................................................................................. 137
   Método alternativo para fazer o Clear CMOS.......................................................................... 137
Micro liga mas fica com tela preta sem sons.............................................................................                             137
   Verifique o monitor...................................................................................................................            138
   Fonte de alimentação...............................................................................................................               138
   Verifique a placa de vídeo........................................................................................................                138
   Verifique as placas de expansão.............................................................................................                      138
   Verifique as memórias.............................................................................................................                139
   Teste a bateria do CMOS........................................................................................................                   139
   Faça um Clear CMOS..............................................................................................................                  139
   Verifique os jumpers da placa mãe..........................................................................................                       139
Micro liga mas fica com tela preta com beeps........................................................................... 139
Micro que trava aleatoriamente...................................................................................................                    139
   Mau contato.............................................................................................................................          140
   Aquecimento............................................................................................................................           140
   Problemas na fonte de alimentação.........................................................................................                        140
   Instabilidades na rede elétrica..................................................................................................                 140
   Problemas na memória............................................................................................................                  140
   Arquivos corrompidos..............................................................................................................                141
Limpeza de unidades de CD/DVD............................................................................................... 142


Capítulo 8: Softwares que ajudam na manutenção
Restauração do sistema.............................................................................................................. 143
Reinstalando tudo em 10 minutos.............................................................................................. 145
R-Drive Image............................................................................................................................... 148
   Restauração de imagem.......................................................................................................... 150
   Para o arquivo de imagem não ficar gigante............................................................................ 151
É importante particionar o disco................................................................................................. 152
Relocando “Meus documentos” e e-mails................................................................................. 152
Check-up de hardware.................................................................................................................                154
   Programas de diagnóstico não fazem milagre.........................................................................                               154
   POST.......................................................................................................................................       155
   Para testar a memória..............................................................................................................               155
Tufftest..........................................................................................................................................   155
    Testes de certificação..............................................................................................................             156
    Teste de memória....................................................................................................................             157
    Testes no disco rígido..............................................................................................................             157
Memtest......................................................................................................................................... 160
Reinstalando drivers.................................................................................................................... 160
Verificação de erros no disco..................................................................................................... 162
Limpeza de disco......................................................................................................................... 163
Desfragmentação......................................................................................................................... 164


Capítulo 9: Resolvendo problemas de aquecimento
Efeitos da temperatura sobre o computador.............................................................................                               165
    A temperatura do processador.................................................................................................                    165
    A temperatura do interior do micro...........................................................................................                    166
    Melhorando a eficiência do cooler do processador..................................................................                               166
Melhorando a ventilação do gabinete......................................................................................... 166
Para não atrapalhar o fluxo de ar no interior do micro............................................................. 167
Ar condicionado........................................................................................................................... 169
O cooler do processador............................................................................................................. 170
Monitor de hardware....................................................................................................................   171
   Monitor de hardware no CMOS Setup.....................................................................................                 171
   Monitor de hardware no Windows............................................................................................             172
   Voltagens da fonte de alimentação..........................................................................................            173
   Rotações dos coolers...............................................................................................................    173
   Temperatura máxima do processador.....................................................................................                 173
   Temperatura do sistema..........................................................................................................       174


Capítulo 10: Dicas sobre defeitos
     Teclado troca caracteres.......................................................................................................... 175
     “Keyboard Error” durante o boot.............................................................................................. 175
     HDD Controller Failure............................................................................................................. 175
     Imagem sem sincronismo, desde que o micro é ligado............................................................ 176
     Imagem sem sincronismo no Windows.................................................................................... 176
     CMOS Memory Size Mismatch................................................................................................ 177
     CMOS Checksum Error – Defaults Loaded.............................................................................. 177
     Disco rígido reconhecido com capacidade inferior................................................................... 177
     Contagem de memória incompleta.......................................................................................... 178
     Micro reseta sozinho................................................................................................................ 178
     Travamento na finalização do Windows................................................................................... 179
     Windows trava na inicialização................................................................................................ 179
     Cancelando corretamente uma listagem.................................................................................. 180
     Proteção contra vírus que destroem o BIOS............................................................................ 181
     Micro liga momentaneamente.................................................................................................. 181
     Configurações de botões de energia....................................................................................... 181
     Disquete não grava.................................................................................................................. 181
     Processador reduz clock devido ao aquecimento.................................................................... 181
     Cabo flat IDE invertido............................................................................................................. 182
     Erro nos jumpers do disco rígido.............................................................................................. 182
     Cabo flat com mais de 45 cm................................................................................................... 182
     Temporização da memória pelo SPD...................................................................................... 182
     Driver AGP miniport................................................................................................................. 182
     Quando não é possível desabilitar o vídeo onboard................................................................ 183
     Imagem estreita no monitor..................................................................................................... 183
     Jogos que requerem OpenGL.................................................................................................. 183
     Imagem serrilhada................................................................................................................... 183
     Declare o monitor..................................................................................................................... 183
     Som e vídeo com pausas......................................................................................................... 184
     Jumpers errados...................................................................................................................... 184
     Jumper da bateria.................................................................................................................... 184
     HD SATA-II com velocidade de SATA-I................................................................................... 184
     Vídeo com 256 cores............................................................................................................... 184
Capítulo                              1
Fundamentos de
hardware
Conhecer para consertar
Alguns defeitos do computador são de solução extremamente simples. Por exemplo, se
o conector de alimentação da placa mãe estiver frouxo, o computador não ligará.
Bastará abrir o computador, retirar este conector e conectá-lo novamente, com firmeza,
e o computador passará a funcionar normalmente. Um bom técnico resolveria o
problema em poucos minutos. Uma loja de manutenção que não seja direcionada pela
ética poderá inventar um defeito mais complexo e cobrar caro pelo serviço. Você
poderá querer fazer o conserto por conta própria para economizar, ou para escapar de
lojas pouco confiáveis, ou por não conhecer um bom técnico de confiança.

Não se iluda, nem todos os defeitos são de simples solução. Mas se você estiver
disposto a dedicar seu tempo no estudo das pouco mais de 180 páginas desse livro,
poderá com certeza solucionar pelo menos a metade dos defeitos do seu computador.

O interior do micro
Se você retirar a tampa metálica do gabinete do seu micro e deitá-lo sobre uma mesa
vai provavelmente ver algo como mostrado na figura 1. Não toque nas peças por
enquanto, apenas olhe. Ou melhor ainda, faça isso somente depois que terminar de ler
esse capítulo. Ao tocar peças com as mãos sem os devidos cuidados, você pode
danificá-las com eletricidade estática. Mais adiante ensinaremos as precauções a serem
tomadas para não danificar as peças. Outro ponto importante é desligar o computador
da tomada antes de abri-lo.

A figura 1 mostra algumas peças do computador que você precisa conhecer para fazer
sua manutenção. A grande caixa metálica onde ficam montados todos os componentes
é chamada gabinete, mas também é conhecida popularmente (e erradamente) como
CPU.
2                                         RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO




Figura 1
O interior do um típico micro moderno.

1) Placa mãe – É a grande placa de circuito que ocupa quase toda a extensão do
gabinete. Nela são localizados circuitos importantes, como o processador e a memória.

2) Fonte de alimentação – É a caixa metálica na qual existem circuitos que recebem a
energia da rede elétrica (110 ou 220 volts) e a convertem em tensões contínuas que
permitem o funcionamento de todas as peças do computador.

3) Cabos da fonte de alimentação – Da fonte partem cabos formados por vários fios
coloridos para alimentar a placa mãe e as unidades de disco do computador.

4) Cooler do gabinete – É um ventilador instalado na parte traseira do gabinete que
expulsa o ar quente do seu interior. Nem todos os micros têm esse ventilador, mas seu
uso é altamente recomendável nos micros modernos, pois produzem muito
aquecimento. Sem esse cooler instalado o computador pode funcionar mal.

5) Unidade de CD/DVD – Os micros possuem uma ou mais unidades de CD e/ou
DVD. Antigamente eram comuns os drives de CD-ROM e os gravadores de CDs. Hoje
são comuns os leitores e gravadores de DVDs, que podem ler ou gravar em mídias de
CD ou DVD.
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                3
6) Drive de disquetes – Apesar dos disquetes serem obsoletos devido à sua baixa
capacidade (1.44 MB), a maioria dos micros modernos possuem uma unidade de
disquetes.

7) Disco rígido – Também chamado de “HD” (Hard Disk), o disco rígido armazena
dados e programas.

8) Cabos flat – Existem vários cabos desse tipo que ligam a placa mãe às unidades de
disco (disco rígido, drive de disquetes, unidades de CD/DVD).

9) Placas de expansão – Várias placas adicionais são encaixadas na placa mãe. As mais
comuns são as placas de vídeo, som, rede e modem. A maioria dos micros simples
modernos não usam placas de expansão, pois têm todos esses circuitos integrados na
placa mãe. Daí vêm termos como “vídeo onboard”, “som onboard”, etc.

10) Processador – É o componente mais importante do computador, responsável pela
execução dos programas. Existem diversos processadores, como Pentium 4, Core 2
Duo, Athlon 64, etc. Processadores modernos esquentam muito, por isso precisam
operar acoplados a um dissipador metálico de calor e a um ventilador (cooler).

11) Memória – Sobre a placa mãe são encaixadas uma ou mais placas chamadas de
“módulos de memória”. Cada módulo possui por sua vez, vários chips de memória.

Para entender hardware é preciso não apenas conhecer todas essas peças, mas também
suas características e como devem ser encaixadas umas nas outras. Entender o
funcionamento de um computador ajuda muito a compreender as causas dos defeitos,
facilitando a sua solução.

Praticamente todos os assuntos desse capítulo podem ser complementados ou
aprofundados com os artigos e cursos gratuitos disponíveis em www.laercio.com.br.

Conecte corretamente
Seu micro já está montado, e você só quer consertá-lo. Talvez torça para não precisar
abri-lo e fazer consertos físicos. Uma notícia boa é que grande parte dos problemas em
micros podem ser solucionados por software. Se realmente você precisar abrir o
computador e desconectar cabos e placas (para fazer uma limpeza ou trocar uma peça,
por exemplo), basta montar tudo novamente, exatamente da forma como estava antes.
Basta você ter boa memória e provavelmente conseguirá montar novamente o micro.
Mas para facilitar o seu trabalho, vamos agora destacar alguns pontos importantes,
aumentando a sua chance de sucesso.

Cuidado com a eletricidade estática
Se não tomarmos cuidado, poderemos danificar placas e chips com o simples toque de
nossas mãos, devido à nossa eletricidade estática. Antes de manusear as peças, toque as
duas mãos em uma janela metálica, não pintada. Se não for possível, toque a fonte de
alimentação do computador (isso precisa ser feito com o cabo de alimentação
4                                               RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
conectado na rede elétrica, porém com o computador desligado). Repita esta descarga
a cada 15 minutos.

Segure as placas pelas suas bordas laterais. A figura 2 mostra a forma correta e a forma
errada de segurar uma placa. Nunca toque nos circuitos. Módulos de memória e
processadores devem ser segurados pelas laterais, sem tocar nos seus contatos metálicos.

                                                               Figura 2
                                                               Forma certa e errada de segurar
                                                               uma placa.




Defeito: A eletricidade estática realmente estraga componentes eletrônicos. A queima pode ser
           imediata, ou poderá se manifestar dias, semanas ou até meses depois. Quando uma peça
           de computador para de funcionar repentinamente, pode ter sido causada a queima parcial
           por eletricidade estática.


Placas mãe AT e ATX
Até a metade dos anos 90, todas as placas mãe eram do “padrão AT”. A partir de
então entraram no mercado as placas “padrão ATX”, mais comuns hoje em dia. As
placas de praticamente todos os micros produzidos a partir do ano 2000 são dos tipos
ATX ou mini-ATX, que é uma versão reduzida do formato ATX, com largura menor.
Este livro trata exclusivamente de placas, fontes e gabinetes no padrão ATX, mas você
encontrará no nosso site informações complementares sobre micros antigos no padrão
AT.

                                                                                 Figura 3
                                                                                 Placas mãe AT
                                                                                 e ATX.




Ligação da fonte na placa mãe ATX
Na figura 4 vemos a conexão da fonte de alimentação ATX, em uma placa mãe ATX.
Devido à diferença entre os formatos dos pinos, é impossível fazer esta conexão de
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                                   5
forma invertida. Note na figura 4 que para soltar o conector é preciso pressionar a trava
indicada no ponto “C”. As fontes ATX modernas possuem um segundo conector, de 4
pinos, com dois fios amarelos e dois fios pretos. Este conector fornece energia para o
processador, e também só encaixa em uma posição.

                                                                  Figura 4
                                                                  Conectando uma fonte de
                                                                  alimentação em uma placa mãe
                                                                  ATX.
                                                                  A) Trava no conector da fonte
                                                                  B) Trava no conector da placa
                                                                  mãe
                                                                  C) Para desencaixar os
                                                                  conectores, é preciso pressionar a
                                                                  trava no ponto indicado.

Ligações da fonte nas unidades de disco
A fonte de alimentação também é ligada nas unidades de disco. Existem conectores
com diferentes formatos. O mostrado na figura 5 é o mais comum, e serve para
alimentar discos rígidos e unidades de CD e DVD. Esse conector só encaixa na posição
correta. Ainda assim, encaixe-o com muita atenção, pois existem casos de pessoas
distraídas que conseguiram ligá-lo ao contrário.

Na figura 6 vemos o detalhe da ligação da fonte de alimentação em um drive de
disquetes de 3½”. Preste muita atenção nesta conexão, pois se você tentar encaixá-lo
“de cabeça para baixo”, ou então deslocado para o lado, a conexão será feita de
maneira inadvertida, e quando você ligar o computador o drive queimará.




Figura 5                                 Figura 6
Conector da fonte usado para alimentar   Orientação correta da ligação do conector para drives de
o disco rígido e as unidades de CD/DVD   disquetes de 3½”. Se o esse conector for ligado de forma
(padrão IDE).                            invertida ou deslocada, o drive de disquetes queimará.

Instalação de módulos de memória
Para encaixar um módulo de memória, comece afastando as duas alças laterais do
soquete. Posicione o módulo sobre o soquete e force-o para baixo com cuidado (figura
7). Preste atenção, pois o módulo tem cortes que devem coincidir com saliências
existentes no soquete. Quando o encaixe é feito, duas pequenas alças plásticas
6                                                RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
existentes no soquete são encaixadas em duas fendas nas laterais do módulo. Para
retirá-lo basta forçar as alças laterais e o módulo levantará. Segure o módulo de
memória pelas bordas laterais para não danificá-lo com eletricidade estática.

                                                                Figura 7
                                                                Instalando um módulo de memória
                                                                em seu respectivo soquete.




Defeito: Verifique se o módulo de memória ficou bem encaixado. As alças laterais deverão estar bem
            encaixadas no módulo. Se o módulo estiver mal encaixado, o computador não funcionará.
            Ficará com a tela preta ao ser ligado (sem imagem), emitindo beeps pelo alto-falante.


Encaixando o processador no soquete
Você não precisará retirar um processador do seu soquete, a menos que tenha que
substituir um defeituoso. Devemos evitar tocar nas “perninhas” do processador, caso
contrário poderemos danificá-lo com eletricidade estática. Inicialmente levantamos a
alavanca. Colocamos o processador no seu soquete, observando a sua orientação
correta. Podemos agora abaixar a alavanca e travá-la (figura 8).




Figura 8
Instalando um processador em um soquete ZIF.

OBS: Além disso é preciso saber instalar e retirar o cooler do processador. Se isso não for feito
com cuidado, o processador poderá ser danificado.

Conectores das interfaces
As interfaces que servem para conectar discos rígidos e unidades de CD e DVD são
chamadas de interfaces IDE (figura 9). Em geral as placas mãe possuem duas interfaces
IDE, chamadas de primária e secundária. Em cada uma delas podemos ligar até dois
dispositivos IDE, através de um cabo flat IDE.
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                             7
OBS: Nunca puxe um cabo quando quiser desconectá-lo. Puxe pelo conector.

                                                        Figura 9
                                                        Conectores das interfaces IDE.




Montagem das unidades de disco
Na maioria dos gabinetes o drive de disquetes e as unidades de CD/DVD são
introduzidos pela parte frontal, e a seguir aparafusados pelos seus furos laterais. No caso
do drive de disquetes, é recomendável puxar para fora o cabo flat e o cabo de
alimentação, fazer as conexões no drive fora do gabinete, e finalmente introduzi-lo no
gabinete, já com os cabos conectados. O disco rígido (figura 10) é introduzido pela
parte interna do gabinete e aparafusado pelas laterais. Para fixar o disco rígido, o drive
de disquete e as unidades de CD/DVD, devemos utilizar dois parafusos de cada lado.

                                                                               Figura 10
                                                                               Montando o disco
                                                                               rígido no gabinete.




OBS: Não deixe a carcaça metálica do disco rígido encostando no drive de disquetes, pois isso
dificulta a dissipação do seu calor. O ideal é deixar uma baia livre acima e uma baia livre abaixo
do disco rígido.

Conectando cabos Flat
Os cabos flat são usados para ligar vários dispositivos às suas interfaces. Os principais
desses dispositivos são o disco rígido, as unidades de CD/DVD e o drive de disquetes.
Existe uma regra simples para fazer qualquer conexão de cabos flat:

O fio vermelho do cabo flat deve ser encaixado no pino 1 do conector
8                                                RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
A figura 11 mostra a conexão de um cabo flat em um drive de disquetes de 3½”. O fio
vermelho deve ser alinhado com os pinos 1 e 2, que é o lado oposto ao dos pinos 33 e
34. Esses números são normalmente indicados junto ao conector no drive.

                                                         Figura 11
                                                         Ligando o cabo flat em um drive de
                                                         disquetes de 3½” (ver indicação do pino 2).




Defeito: Se o cabo flat do drive de disquetes for ligado de forma invertida, este não queimará, mas
             obviamente não funcionará. O LED da parte frontal do drive de disquetes ficará
             permanentemente aceso assim que o computador for ligado, caracterizando a ligação
             invertida. Basta desligar o computador e corrigir a ligação do cabo flat.

As conexões do disco rígido e do drive das unidades de CD/DVD são similares. O fio
vermelho deve corresponder ao pino 1 do conector, que normalmente é aquele
localizado próximo ao conector de alimentação.

Conexões do painel frontal do gabinete
Faça a conexão do RESET e do PC SPEAKER na placa mãe. Nos modelos ATX, ligue
também o conector Power Switch. Ligue também as demais conexões, como Power
LED e IDE LED. Use as instruções encontradas no manual da placa mãe. Essas
conexões variam de disposição de uma placa mãe para outra.




Figura 12                                          Figura 13
Ligações para o Painel frontal do gabinete.       Encaixando uma placa de expansão em um slot.
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                                9
Encaixe das placas de expansão
Para retirar uma placa de expansão, remova primeiro o seu parafuso de fixação ao
gabinete. Puxe a placa com cuidado, fazendo movimentos alternados, até que saia por
completo. Tome cuidado, pois placas de vídeo em geral possuem uma trava para fixá-
las ao slot. Solte a trava antes de retirar a placa de vídeo. Para instalar novamente a
placa, encaixe no slot (figura 13) e prenda-a ao gabinete com o parafuso apropriado.

Defeito:    Uma placa encaixada em um slot poderá não funcionar caso esteja mal encaixada, ou caso
            exista mau contato no slot da placa mãe ou na própria placa de expansão.


Mais sobre placas mãe
Esse livro apresenta os conceitos de hardware suficientes para um usuário comum
resolver boa parte dos problemas comuns de um computador. Portanto é orientado a
problemas e suas soluções. Para obter mais informações detalhadas sobre placas mãe,
recomendamos o artigo Tutorial sobre placa mãe, em www.laercio.com.br.

Processadores e seus soquetes
O processador é o componente mais importante de um micro. Os dois principais
fabricantes são Intel e AMD. Este livro abordará com prioridade os processadores mais
novos, como Pentium 4, Athlon XP e superiores. Apresentamos a seguir uma tabela
com os processadores lançados nos últimos anos por ambos os fabricantes.
Restringiremos nossa discussão aos processadores lançados depois do ano 2000. Você
encontrará informações sobre modelos mais antigos em www.laercio.com.br.

Processadores Intel
Modelo                 Aplicação
Core 2 Duo, Core 2     Os mais novos processadores Intel, com dois e quatro núcleos.
Quad, Core 2 Extreme
Pentium D e            Foram os primeiros processadores duais da Intel. Dentro de cada um deles
Pentium Extreme        existem dois núcleos de Pentium 4, encapsulados em um único chip.
Edition
Celeron-D              Esta é uma versão simplificada do Pentium 4.
Celeron                Antes do lançamento do Celeron-D, esta era a opção da Intel para micros de
                       baixo custo. É também um derivado do Pentium 4.
Pentium 4              Este é o principal processador Intel comercializado entre 2000 e 2006. Ainda em
                       2007 continua à venda, mas a tendência é desaparecer, sendo substituído pelo
                       Core 2 Duo e processadores mais avançados.

Processadores AMD
Modelo          Aplicação
Athlon 64 X2    Processador mais avançado da AMD em 2007, com 2 núcleos. Futuramente dará lugar
                ao Athlon 64 X4, que terá quatro núcleos.
Sempron         Este é o mais simples processador produzido pela AMD entre 2005 e 2007, e bastante
                comum em micros populares. Foi produzido a partir do final de 2004, inicialmente
                usando o Socket A (idêntico ao Athlon XP). No final de 2005 era produzido apenas com
                o formato para Socket 754. As novas versões usam o Socket AM2.
10                                                 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
Processadores AMD (cont.)
Modelo           Aplicação
                 Existem vários modelos de processadores Athlon 64. Atualmente são destinados a
Athlon 64        micros de médio custo.

Athlon XP        Este processador foi bastante popular entre 2001 e 2004. Seu soquete era chamado de
                 “Socket A”, ou “Socket 462”. No final de 2004 passou a ser fabricado com o nome
                 Sempron, com pequenas modificações.
Duron            Também usado em placas mãe para Socket A, o Duron era um Athlon simplificado, da
                 mesma forma como o Celeron é um Pentium 4 simplificado.




Figura 14                                           Figura 15
Pentium 4 para LGA 775.                             Socket LGA 775.

O processador é encaixado em um conector da placa mãe chamado soquete. Cada
processador requer um soquete específico. A figura 14 mostra um processador Pentium
4 e a figura 15 mostra o chamado Soquete LGA 775, usado pela maioria dos
processadores modernos produzidos pela Intel.

Levando em conta apenas os processadores para microcomputadores desktop (estamos
excluindo os notebooks e os servidores de redes), e deixando de lado também os
soquetes para processadores que não foram muito popularizados, os soquetes usados
nos últimos anos foram:

Soquete            Fabricante   Processadores
Socket 478         Intel        Pentium 4, Celeron, Celeron-D
Socket LGA 775     Intel        Pentium 4, Pentium D, Pentium Extreme Edition, Celeron-D, Core 2
                                Duo, Core 2 Quad, Core 2 Extreme
Socket A ou 462    AMD          Athlon, Athlon XP, Duron, Sempron
Socket 754         AMD          Sempron, Athlon 64
Socket 939         AMD          Athlon 64, Athlon 64 FX, Athlon 64 X2
Socket AM2         AMD          Athlon 64, Athlon 64 FX, Athlon 64 X2, Sempron

Os mais modernos soquetes são o Socket LGA 775 (Intel) e o Socket AM2 (AMD).
Entretanto os demais soquetes da tabela acima são comuns mesmo em micros de
fabricação relativamente recente. Note que um mesmo soquete pode permitir a
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                            11
instalação de processadores diferentes, assim como um determinado processador pode
ser fabricado com formatos para diferentes soquetes. Por exemplo, o Pentium 4 foi
fabricado nas versões para Socket 478 e Socket LGA 775. O Sempron foi fabricado
com formatos para Socket A, Socket 754 e Socket AM2.

Em manutenção é importante saber qual é o soquete do processador. Por exemplo, se
um processador queimar, é preciso retirá-lo do soquete para comprar um novo com
formato compatível.

Clock interno, clock externo e cache
O FSB ou System Bus (barramento de sistema) é o conjunto de pinos do processador
que faz a comunicação com a memória e outras partes da placa mãe. A velocidade do
FSB é chamada CLOCK EXTERNO. Todo processador tem duas velocidades:

Clock interno: Velocidade de execução de programas
Clock externo: Velocidade de acesso à memória e outras partes do computador.

Exemplo: Pentium 4 de 2,8 GHz
   • Clock interno: 2,8 GHz
   • Clock externo: 800 MHz

Defeito:    Um dos erros mais comuns na configuração de hardware de um micro é o uso do clock
            externo errado. O resultado é que o clock interno também ficará errado, e o processador
            poderá na melhor das hipóteses ficar mais lento, e na pior das hipóteses travar ou até
            mesmo queimar. Os ensinamentos desse capítulo permitirão que você configure
            corretamente qualquer processador.

A cache é uma pequena quantidade de memória muito veloz, existente dentro do
processador, que serve para acelerar o desempenho da memória externa. A cache é
dividida em duas seções: primária (L1, ou de nível 1) e secundária (L2, ou de nível 2).

Barramento do sistema
É o mesmo que SYSTEM BUS ou FRONT SIDE BUS (FSB). Existem processadores
com FSBs de diversas velocidades. Os fabricantes periodicamente lançam novos
modelos de processadores com FSBs mais rápidos. Exemplos:

    •      Pentium III: 100 MHz, 133 MHz
    •      Celeron, Celeron-D: 400 MHz, 533 MHz
    •      Athlon XP: 266 MHz, 333 MHz, 400 MHz
    •      Pentium 4: 400 MHz, 533 MHz, 800 MHz
    •      Core 2 Duo: 800 MHz, 1066 MHz, 1333 MHz

Em manutenção é preciso conhecer esses valores, pois é preciso configurá-los
corretamente através de jumpers ou do CMOS Setup (capítulo 4). Se for configurado
com um valor mais baixo que o correto, o computador ficará mais lento. Se for
12                                          RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
configurado um valor mais alto, o processador poderá queimar. Então preste muita
atenção no item seguinte, “FSB da placa mãe”.

FSB da placa mãe
O FSB é a ligação entre pinos do processador e pinos de circuitos da placa mãe
(chipset). Para comprar corretamente uma placa mãe é preciso saber a velocidade do
FSB desta placa. Para instalar corretamente um processador, é preciso configurar a
velocidade do FSB da placa mãe igual à do FSB do processador. É claro que além
disso, o processador deve ter um formato apropriado para o soquete existente na placa
mãe. Quanto às velocidades, a regra a ser seguida é a seguinte:

      A velocidade do FSB da placa mãe deve ser igual ou
               superior à do FSB do processador.

Alguns exemplos para Pentium 4:

a) Placas para Pentium 4, FSB de 533 MHz (modelos antigos)
         Aceitam Pentium 4 com FSB de 533 ou 400 MHz

b) Placas para Pentium 4 com FSB de 800 MHz:
         Aceitam Pentium 4 com FSB de 800, 533 ou 400 MHz

c) Placas para Pentium 4 (Socket LGA 775) com FSB de 1066 MHz
         Aceitam processadores Intel para Socket 775, com 533, 800 e 1066 MHz.

Alguns exemplos para Athlon XP e Sempron (Socket A):

a) Placas com Socket A, FSB de 333 MHz:
         Aceitam Athlon XP com FSB de 333 ou 266 MHz, além do Sempron

c) Placas com Socket A, FSB de 400 MHz:
         Aceitam Athlon XP com FSB de 400, 333 ou 266 MHz, e Sempron

A velocidade do FSB de uma placa mãe está normalmente indicada na sua caixa. Em
caso de dúvida, você também pode consultar o manual da placa. Esta informação está
normalmente nas primeiras páginas do manual. Já o FSB do processador está
normalmente indicado na sua caixa ou no próprio chip.

Defeito: Nunca toque nos pinos metálicos do processador, pois você poderá danificá-lo com
          eletricidade estática.

A maioria dos processadores modernos têm seus clocks interno e externo configurados
de forma automática. Podemos citar como exemplo os processadores da família Athlon
64 e Pentium 4. Entretanto nos modelos antigos, a configuração de clocks era feita
manualmente pelo CMOS Setup ou por jumpers na placa mãe (capítulo 4).
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                  13

Programas que identificam o processador
Recomendamos o uso de dois programas muito úteis que nos dão inúmeras
informações sobre o processador, a placa mãe e todos os dispositivos de hardware do
computador. São eles o EVEREST e o HWINFO32.

O programa EVEREST
Instale o programa Everest, encontrado em www.lavalys.com. Depois de instalar e
executar o programa, clique em Placa mãe e em Processador. O resultado é mostrado
na figura 16. Note que existem muitas informações úteis. Entre elas observe o tipo de
soquete (939), a potência elétrica dissipada pelo processador (89 a 110 watts), e vários
outros itens importantes. As informações serão mais valiosas à medida em que você
conhecer mais sobre hardware ao longo deste livro.

                                                                      Figura 16
                                                                      Informações do
                                                                      programa Everest.




                                                                      Figura 17
                                                                      O programa
                                                                      HWINFO32.
14                                            RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
O programa HWINFO32
O programa HWINFO32 é obtido em www.hwinfo.com. Cuidado pois existem duas
versões: uma para MS-DOS, usada a partir de um disquete (HWINFO) e uma versão
que opera sob o Windows (HWINFO32). Ao executar o programa, clique em Central
Processor no menu à esquerda. Clique então no processador indicado (no exemplo da
figura 17, Athlon 64 X2 4800+). No painel à direita serão apresentadas diversas
informações. Veja por exemplo o clock interno do processador, o soquete, informações
sobre a cache, etc. Juntamente com o Everest, usaremos ao longo desse livro o
HWINFO32 para apresentar informações sobre os tópicos de hardware ensinados.

Processadores Intel
A Intel é o maior fabricante mundial de processadores. Nos últimos anos foram
lançados vários processadores, com diferentes tipos de soquetes e velocidades. A tabela
abaixo apresenta um pequeno resumo:

 Processador      Anos        Soquetes             Clock interno     Clock externo
 Pentium II       1997-1998   Slot 1               233 a 500 MHz     66, 100 MHz
 Pentium III      1999-2001   Slot 1, Socket 370   450 a 1400 MHz    100, 133 MHz
 Celeron          1999-2001   Socket 370           233 a 1300 MHz    66, 100 MHz
 Pentium 4        2000-2007   423, 478, LGA775     1.3 a 3.8 GHz     400, 533, 800 MHz
 Celeron          2001-2004   Socket 478           1.7 a 2.8 GHz     400 MHz
 Celeron D        2003-2007   478, LGA775          2.13 a 3.6 GHz    533 MHz
 Pentium D        2005-2007   LGA775               2.66 a 3.6 GHz    533, 800 MHz
 Pentium EE       2005-2007   LGA775               3.2 a 3.73 GHz    800, 1066 MHz
 Core 2 Duo       2006-       LGA775               1.8 a 3.0 GHz     800, 1066, 1333 MHz
 Core 2 Extreme   2006-       LGA775               2.66 a 3.0 GHz    1066, 1333 MHz
 Core 2 Quad      2006-       LGA775               2.40 a 2.66 GHz   1066 MHz

Computadores com Pentium II, Pentium III e Celeron (primeira geração) já sumiram
do mercado há muitos anos. O Pentium 4 surgiu em 2000 e ainda em 2007 podíamos
encontrá-lo à venda, bem como suas versões simplificadas, o Celeron (2ª geração) e o
Celeron-D (3ª geração). A nomenclatura de “gerações” não é oficial, estamos utilizando
apenas para lembrar que muitos processadores diferentes têm sido fabricados com o
nome “Celeron” e suas variantes. Em linhas gerais, os Celerons mais recentes são
versões simplificadas do Pentium 4, com cache L2 menor e FSB de menor velocidade.

Os cinco últimos processadores da tabela são multicore, ou seja, dois processadores
dentro de um único chip. Os primeiros foram o Pentium D e o Pentium Extreme
Edition. Cada um deles equivale a dois processadores Pentium 4 dentro de um só chip.
Já os processadores denominados “Core” são uma nova geração, de maior
desempenho. O Core 2 Duo é um processador dual. O Core 2 Quad é um processador
de quatro núcleos. O Core 2 Extreme é fabricado em versões de 2 ou 4 núcleos.

Você encontrará informações atualizadas sobre processadores Intel no link:
http://processorfinder.intel.com

A tabela apresentada pode ser muito útil na solução de problemas. Digamos por
exemplo que o seu processador é um Celeron-D. A tabela mostra que essa família de
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                       15
processadores opera com clock externo de 533 MHz. Se sua placa mãe estiver
configurada com FSB para 400 MHz, o seu processador terá a velocidade reduzida.
Será preciso ajustar o FSB da placa mãe para que fique igual ao do processador. Isso é
feito através de jumpers e do CMOS Setup.

Um outro exemplo: suponha que você tenha comprado um computador com o
processador Pentium 4 de 3.2 GHz. Suponha que ao medir a sua velocidade com o
programa HWINFO32 ou com o EVEREST, esta seja indicada como 2.4 GHz, ao invés
de 3.2 GHz (esse é um defeito muito comum). O motivo da redução de velocidade é
um erro na configuração do FSB da placa mãe. Provavelmente a placa está configurada
com 533 MHz, quando o correto seria 800 MHz. Fazendo o ajuste no CMOS Setup ou
nos jumpers da placa mãe, a velocidade do processador ficará com seu valor correto.

                                                            Figura 18
                                                            Pentium 4 para Socket 478.




Pentium 4
A figura 18 mostra a parte superior e inferior de um processador Pentium 4 para Socket
478. A tabela de processadores que apresentamos mostra que outros processadores
Intel também usaram esse formato, como o Celeron e o Celeron-D. A figura 19 mostra
o Socket 478. Como este soquete é relativamente frágil, o cooler do processador não
fica preso nele. Ao invés disso, o cooler é preso em um suporte plástico que fica em
torno do soquete. O soquete tem uma alavanca lateral para travar e remover o
processador.

                                          Figura 19
                                          Socket 478, com o suporte plástico para fixação do
                                          cooler do processador ao seu redor.
16                                         RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
O Socket LGA 775, usado pelos processadores Intel mais recentes, já foi apresentado
nas figura 14 e 15. Os processadores que usam esse formato não tem pinos, e sim,
contatos metálicos lisos (figura 20). Os pinos ficam localizados no soquete. Este
processador só encaixa no soquete na posição correta, graças ao seus chanfros laterais
(figura 20). Nunca toque nos pinos do Socket LGA 775, o que iria danificá-los.

                                                    Figura 20
                                                    Processadores Intel modernos não têm
                                                    pinos, apenas contatos planos. Os pinos
                                                    ficam no soquete.




Pentium D e Pentium Extreme Edition
O Pentium D e o Pentium Extreme Edition foram os primeiros processadores duais
fabricados pela Intel. São formados por dois núcleos de Pentium 4, dentro de um
mesmo chip. O Pentium D é portanto equivalente a uma dupla de processadores. O
Pentium Extreme Edition é formado por dois núcleos de Pentium 4 HT (Hyper-
Threading). É “visto” como quatro processadores, mas na verdade são dois
processadores HT de alto desempenho. Todos os modelos de Pentium D e Pentium
Extreme Edition usam o Socket LGA 775, porém existem diferenças quanto ao clock
externo (533, 800 ou 1066 MHz) e ao tamanho da cache L2 (1 MB, 2 MB ou 4 MB).

                                      Figura 21
                                      Core 2 Duo.




Core 2 Duo, Core 2 Extreme, Core 2 Quad
Internamente esses processadores têm uma arquitetura completamente diferente da
usada pelo Pentium 4, porém executam as mesmas instruções e usam o mesmo formato
que as versões mais novas do Pentium 4, sendo portanto instalados em placas para
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                         17
Socket LGA 775. É preciso entretanto checar se a placa mãe suporta esses
processadores, não basta que exista compatibilidade de soquete.

OBS: Inúmeras informações também podem ser obtidas em http://processorfinder.intel.com, no
caso de processadores Intel. Use os programas EVEREST ou HWINFO32 para descobrir mais
informações sobre o seu processador.

Processadores AMD
A AMD é o segundo fabricante mundial de processadores. No Brasil, sua participação
no mercado é bastante significativa, chegando a rivalizar com a Intel, e em certos
segmentos ultrapassando a líder mundial. A tabela abaixo mostra os processadores
AMD produzidos nos últimos anos.

 Processador       Anos            Soquetes             Clock interno    Clock externo
 K6                1997-1998       Socket 7             200 a 333 MHz    66 MHz
 K6-2, K6-III      1998-2000       Super 7              300 a 550 MHz    66, 95, 100 MHz
 Ahtlon            1999-2002       Slot A, Socket A     500 a 1400 MHz   200, 266 MHz
 Ahtlon XP         2001-2004       Socket A             1.4 a 2.2 GHz    266, 333, 400 MHz
 Duron             2001-2005       Socket A             550 a 1800 MHz   200, 266 MHz
 Sempron           2005-           Socket A, 754, AM2   1.5 a 2.2 GHz    333, 400, 667 MHz
 Athlon 64         2003-           754, 939, AM2        1.8 a 2.6 GHz    400, 800 MHz
 Athlon 64 FX      2003-           939, 940, AM2        2.2 a 3.0 GHz    400, 800 MHz
 Athlon 64 X2      2005-           939, AM2             1.9 a 3.0 GHz    400, 800 MHz

É difícil descrever em uma tabela informações sobre mais de 10 anos de produção de
processadores. Por isso vamos apresentar os detalhes aos poucos. Processadores da
família K6 não serão abordados nesse livro, mas você encontrará detalhes na área de
artigos de www.laercio.com.br. Processadores da família Athlon foram produzidos
durante vários anos. Os primeiros tinham um formato de cartucho, chamado Slot A,
que também não serão abordados nesse livro. Logo depois a AMD adotou o Socket A,
utilizados pelos processadores Athlon, Athlon XP, Duron e pelas primeiras versões do
Sempron.




Figura 22
Processador Athlon e o Socket A.
18                                                  RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
O Duron é na verdade um processador Athlon, porém com cache L2 menor (apenas 64
kB, contra 256 kB ou 512 kB do Athlon ou Athlon XP), e com clock externo de apenas
200 ou 266 MHz (o Athlon XP tem modelos de até 400 MHz de clock externo). As
primeiras versões do Sempron, que usavam o Socket A, eram na verdade
processadores Athlon XP, mas com nomenclatura e numeração diferentes. Você
encontrará uma tabela com os processadores que usam Socket A em:
http://www.laercio.com.br/downloads/pdf/athlon.pdf.

Ao longo dos anos, o Socket A aumentou de velocidade. As primeiras placas mãe com
este soquete operavam com FSB de 200 MHz. Depois foram lançadas placas mãe e
processadores para Socket A com FSB de 266, 333 e finalmente 400 MHz.

Defeito:    É muito comum encontrar computadores com o Sempron, Athlon XP e outros processadores
            para Socket A, operando com clock interno (externo) abaixo do correto. É preciso descobrir o
            clock externo correto do processador e configurá-lo corretamente no CMOS Setup.

Vários soquetes diferentes têm sido utilizados pelos processadores da família Athlon 64.
O primeiro deles foi o Socket 940, que foi muito pouco utilizado. Seu uso foi restrito a
servidores. Os soquetes mais populares para esses processadores foram o Socket 754, o
Socket 939 e mais recentemente o Socket AM2.




Figura 23
Soquetes 754, 939 e AM2.

A diferença mais importante entre os soquetes AMD é o tipo de memória suportada.
Processadores para Socket AM2 operam com memórias DDR2 de 128 bits (dois canais
de 64 bits). Processadores Athlon 64, Athlon 64 FX e Athlon 64 X2 com Socket AM2
operam com memórias DDR2/400, DDR2/533, DDR2/667 e DDR2/800. Os novos
processadores Sempron para Socket AM2 suportam memórias até DDR2/667. Já os
soquetes mais antigos (754 e 939) operam no máximo com memórias DDR400, e com
um ou dois canais de memória, respectivamente.

Soquete         Número de bits        Memória
754             64                    DDR
939             128                   DDR
AM2             128                   DDR2
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                  19
                                       Figura 24
                                       Processador Athlon 64.




Processadores da família Athlon 64 são muito parecidos entre si. Todos têm sua face
superior com o aspecto mostrado na figura 24. As diferenças físicas ficam por conta dos
pinos da sua parte inferior, já que a disposição dos pinos dos soquetes são diferentes, de
acordo com o tipo de soquete (figura 23).

Compatibilidade de soquetes
Quase não existem restrições de compatibilidade entre processadores da família Athlon
64 e seus soquetes. Em outras palavras:

a) Uma placa mãe com Socket 754 suportará qualquer processador para Socket 754
(Athlon 64 e Sempron).

b) Uma placa mãe com Socket 939 suportará qualquer processador Athlon 64 ou
Athlon 64 FX com Socket 939. Dependendo da placa, suportará também o Athlon 64
X2 para Socket 939.

c) Uma placa mãe com Socket AM2 suportará qualquer processador para Socket AM2:
Sempron, Athlon 64, Athlon 64 FX, Athlon 64 X2.

Informações atualizadas sobre processadores AMD
Você encontrará informações atualizadas sobre os processadores produzidos pela AMD
no seguinte link, que fica no próprio site deste fabricante: www.amdcompare.com.

Slots da placa mãe
Muitos micros, sobretudo os mais baratos, usam placas mãe com “tudo onboard”.
Ainda assim as placas mãe permitem que sejam instaladas novas placas com melhor
desempenho. Por exemplo, se o vídeo onboard não for satisfatório para determinados
jogos com gráficos muito sofisticados, podemos instalar uma placa de vídeo no
computador. Outro exemplo: se a interface de rede onboard queimar, podemos instalar
uma placa de rede avulsa. Novas placas podem ser instaladas no computador graças à
presença de conectores chamados slots. Placas mais simples e compactas (mini ATX e
micro ATX) normalmente possuem três ou quatro slots. Placas full ATX, que são
maiores, têm até 7 slots.
20                                         RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
                                                                  Figura 25
                                                                  Uma placa mãe e seus
                                                                  slots.




Os tipos mais comuns de slots são o PCI e o AGP. A placa da figura 25 possui três slots
PCI e um slot AGP. Os slots PCI são usados para placas de som, rede, modem, etc. Os
slots PCI são usados exclusivamente para placas de vídeo.

                                                          Figura 26
                                                          Exemplos de placas PCI.




                                                    Figura 27
                                                    Uma placa de vídeo AGP.
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                21
Slots PCI Express (PCI-E)
O PCI Express é a nova geração de slots que está substituindo aos poucos os antigos
slots PCI e AGP. Existem slots PCI Express de vários tamanhos. O PCI Express x16
destina-se a substituir o AGP. A maioria das placas de vídeo produzidas atualmente são
do tipo PCI Express x16.




Figura 28                                    Figura 29
Slot PCI Express x16.                       Placa de vídeo PCI Express x16.

Além do tipo x16, encontramos ainda slots PCI Express mais simples, como x1, x4 e
x8. Destinam-se a placas de expansão de alta velocidade, como controladoras de disco,
interfaces de rede de alta velocidade, etc. Entretanto, não são tão comuns quanto placas
de vídeo no padrão x16. Praticamente todas as placas mãe produzidas a partir de 2006
possuem slots PCI Express x16, para a instalação de placa de vídeo do mesmo tipo.




Figura 30                                    Figura 31
Slots PCI Express x1.                       Placa de rede padrão PCI Express x1.

Chipset
O chipset é uma importante dupla de chips existentes na placa mãe. São chamados de
Ponte Norte e Ponte Sul. A Ponte Norte faz a ligação entre o processador, a memória e
o slot AGP / PCI Express x16. Também possui os circuitos de vídeo onboard (é claro,
quando a placa mãe tem vídeo onboard). A Ponte Sul controla os slots PCI e possui no
seu interior as interfaces de disco, interfaces USB, e na maioria dos casos, possui
também as interfaces de som onboard e rede onboard.
22                                         RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
                                             Figura 32
                                             Uma placa mãe, dando destaque ao chipset:

                                             (N): Ponte Norte
                                             (S): Ponte Sul




Gabinetes e fontes de alimentação
O gabinete é a caixa metálica que abriga as peças do micro. A primeira característica
que chama a atenção é o seu tamanho. Existem gabinetes chamados mini-torre (mini
tower), com pouco mais de 35 cm de altura. Em micros de baixo custo, normalmente
os fabricantes usam esse tipo de gabinete, pois são um pouco mais baratos que
gabinetes maiores. Esses gabinetes são adequados para uso em computadores mais
simples. Em micros mais avançados são normalmente usados gabinetes midi-torre,
também chamados de “gabinetes de quatro baias”, mostrados na figura 33. Tem pouco
mais de 45 cm de altura.

                                                                 Figura 33
                                                                 Gabinetes midi-torre.




Gabinetes como os da figura 33, por serem maiores, oferecem melhor circulação do ar
no seu interior. Isso é importante para melhorar a sua refrigeração interna.
Computadores avançados normalmente possuem diversos componentes que geram
muito calor, tais como o processador, o chipset, a placa de vídeo 3D, os gravadores de
CD ou DVD, e disco rígido de alto desempenho.

Já os micros de menor custo usam processadores mais simples, que geram menos calor,
usam vídeo onboard e apenas um disco rígido de moderado desempenho. Por gerarem
menos calor, é aceitável que usem gabinetes mini-torre. Sua refrigeração menos
eficiente que a dos gabinetes maiores não comprometerá o funcionamento do
computador.
Capítulo 1 – Fundamentos de hardware                                                            23
Os gabinetes são normalmente vendidos junto com a fonte de alimentação. A fonte já é
fixada ao gabinete, e possui diversas conexões para alimentar a placa mãe e as
unidades de disco.

Defeito:    Problemas de aquecimento podem ocorrer em micros muito avançados que estejam usando
            um gabinete muito compacto. Uma solução para o problema é trocar o gabinete por outro
            maior, equipado com ventiladores auxiliares (dianteiro e traseiro).


Fonte de alimentação
A fonte de alimentação recebe tensão da rede elétrica, em corrente alternada, 110 ou
220 volts, e gera as tensões contínuas que o computador precisa para seus chips. São
tensões como 3.3 volts, 5 volts e +12 volts. Uma característica das fontes de alimentação
é a sua potência, medida em Watts. São comuns no mercado fontes de 350 até 600
watts. De um modo geral, fontes de maior potência funcionam melhor, pois são menos
sensíveis a variações causadas por interferências e flutuações na rede elétrica.

Quando um computador é muito equipado, é recomendável usar uma fonte de maior
potência. Nesses casos é comum usar fontes de 450 a 600 watts. Nos PCs mais
modestos, fontes de 300 ou 350 watts são comuns e suficientes. Ainda assim, quando o
micro trava aleatoriamente, um dos motivos pode ser a insuficiência de potência da
fonte. Instalar uma fonte de alimentação de maior potência pode ser a solução.

Conectores da fonte de alimentação
A fonte de alimentação recebe energia da rede elétrica e a transforma em corrente
contínua com baixa voltagem, para alimentar todas as peças internas do computador.
Para isso, a fonte de alimentação possui diversos conectores. Normalmente, dois desses
conectores são ligados na placa mãe. Outros são ligados nas unidades de disco.




Figura 34                                         Figura 35
Fonte de alimentação.                             Os cabos internos da fonte de alimentação que são
                                                  ligados nas unidades de disco.

A figura 34 mostra uma fonte de alimentação. Possui vários cabos internos para enviar
corrente elétrica para as peças do computador. Na figura 35 vemos os cabos da fonte
24                                               RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
que enviam corrente para as unidades de disco (drive de disquetes, disco rígido,
unidades de CD/DVD).

Defeito: Se um conector de alimentação for ligado de forma errada em uma placa mãe ou unidade de
           disco (invertido ou deslocado, por exemplo), a placa ou unidade de disco queimará. Várias
           outras peças do computador também queimarão. Por isso preste muita atenção ao fazer
           essas conexões.

As primeiras fontes ATX, comuns desde as placas de Pentium II até modelos recentes,
tinham um conector ATX de 20 pinos, mostrado na figura 36. As placas mãe atuais
(2002 em diante) possuem um segundo conector de alimentação, com 4 pinos. A figura
36 mostra tanto o conector ATX de 20 pinos quanto o de 4 pinos (12 volts), encontrado
nas fontes atuais. Todas as placas mãe atuais usam esses dois conectores. Fontes e
placas mãe ATX ainda mais novas já substituíram o tradicional conector ATX de 20
pinos por uma nova versão de 24 pinos.

                                                                   Figura 36
                                                                   Conectores da fonte que
                                                                   alimentam a placa mãe.




                                                                                                   
Capítulo                              2
Instalando e
configurando o Windows
Instalação do Windows XP
Sistemas operacionais modernos são de instalação muito simples. Mostraremos agora a
instalação do Windows XP, que é muito parecida com a do Windows 2000. A
instalação do Windows Vista, por incrível que pareça, é mais fácil ainda. Para instalar
esses sistemas realizamos um boot com o CD ou DVD de instalação.

Você pode obter informações detalhadas sobre todos os assuntos desse capítulo, na
área de ARTIGOS do nosso site: www.laercio.com.br.

Seqüência de boot
Para realizar boot com CD ou DVD é preciso alterar a seqüência de boot no Advanced
BIOS Setup (capítulo 4). O comando exato varia de acordo com o Setup utilizado.
Podemos escolher qualquer opção que tenha a unidade de CD/DVD antes do drive C
na seqüência. Por exemplo:

1st boot device: CD-ROM
2nd boot device: Hard Disk

O programa de instalação do Windows XP
Estando gravadas as alterações no Setup, bastará colocar o CD ou DVD de instalação
do Windows. O boot será feito pela unidade de CD/DVD. O programa de instalação
agora estará carregado. Pressione ENTER para continuar. Quando for apresentado na
tela um contrato de licença, pressione a tecla F8. Finalmente será apresentada uma tela
indicando o disco rígido como “Espaço não particionado” – é o que ocorre com um
disco rígido “vazio”. No nosso caso (figura 1) temos um disco rígido de 38.194 MB
(aproximadamente 40 GB).
26                                          RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
                                                                  Figura 1
                                                                  Disco rígido novo é
                                                                  indicado como “Espaço
                                                                  não particionado”.




Disco rígido não reconhecido
Quando usamos um disco rígido SATA, é possível que o programa de instalação do
Windows não “reconheça” esse disco. Ao invés de ser apresentada uma tela como a da
figura 1, é apresentada uma mensagem de erro informando que não foi detectado disco
rígido no sistema. Nesse caso leia a seção “Disco rígido não reconhecido”, mais adiante
nesse capítulo.

Partição única
Se quiser que o disco rígido inteiro seja usado como um drive C: (partição única), basta
pressionar ENTER na tela da figura 1. A tela seguinte (figura 2) perguntará como
desejamos fazer a formatação. São apresentadas quatro opções. Recomendamos que
seja usada a opção NTFS NORMAL, que é aquela já selecionada por padrão.

                                                                  Figura 2
                                                                  É recomendada a
                                                                  formatação normal com
                                                                  NTFS.




A formatação do disco rígido será realizada. A operação demora alguns minutos. Logo
após a formatação, o programa de instalação copiará os arquivos do CD-ROM para a
pasta C:WINDOWS do disco rígido. Terminadas a formatação e a cópia de arquivos,
o programa de instalação irá reiniciar o computador.

Dividindo o disco rígido
Digamos que você não queira usar o disco rígido inteiro como drive C, e sim, dividi-lo
em dois ou mais drives lógicos. Dividir o disco rígido traz várias vantagens, como
Capítulo 2 – Instalando e configurando o Windows                                              27
facilitar operações de backup e de recuperação de dados. Para particionar o disco,
pressione C para criar uma partição na tela da figura 1. A tela seguinte (figura 3)
perguntará o tamanho desta partição, que será o drive C. No nosso exemplo usaremos
o tamanho 20000 (cerca de 20 GB). Digite o tamanho desejado, seguido de ENTER.

                                                                      Figura 3
                                                                      Digite o tamanho
                                                                      desejado para o drive
                                                                      C, medido em
                                                                      megabytes (MB).




O programa de instalação voltará para a tela anterior (figura 4), indicando que agora o
disco rígido tem um drive C com 20003 MB (aproximadamente 20 GB), e ainda mais
18191 MB de espaço não particionado. Use agora a seta para baixo para selecionar o
espaço não particionado e pressione C para criar mais uma partição.

                                                                      Figura 4
                                                                      Criado drive C com
                                                                      cerca de 20 GB.




A tela seguinte perguntará o tamanho da segunda partição. Se quiser usar todo o
espaço restante no disco, pressione apenas ENTER, o tamanho restante já está
preenchido. Nosso disco ficou então dividido em duas unidades: C=20003 MB e
E=18183 MB. O programa de instalação deixa um pequeno espaço sem uso no final do
disco, pode ser de 2 MB, 4 MB ou 8 MB, dependendo do tamanho total do disco.

OBS: O programa de instalação particiona o disco rígido, mas irá formatar apenas o drive C. Os
demais drives lógicos deverão ser formatados pelo usuário, depois que terminar a instalação do
Windows, como mostraremos mais adiante nesse capítulo.

OBS: Note na figura 5 que as partições foram chamadas de C e E. Se você quiser mudar para C
e D, delete ambas as partições (use o comando “D”) e crie-as novamente. Sendo criadas pela
segunda vez, passarão a utilizar as letras C e D.
28                                        RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO
                                                                Figura 5
                                                                Disco rígido ficou
                                                                dividido em dois.




Instalação em um disco rígido usado
Quando começamos a instalação do Windows XP em um disco que já possui uma
versão anterior do Windows, o procedimento é um pouco diferente. Ao invés de ir
diretamente para a tela da figura 1, o programa de instalação apresenta a tela
perguntando se queremos fazer uma instalação nova ou recuperar a instalação
existente. É preciso teclar ESC para fazer uma nova instalação do Windows, ignorando
a instalação antiga. A outra opção é a instalação “por cima” da antiga, que preserva
dados e programas, e eventualmente pode ser usada para recuperar arquivos de sistema
corrompidos. Ou seja, antes de apagar tudo e instalar o Windows “zerado”, vale a pena
tentar uma instalação “por cima” para consertar arquivos do sistema.

Após particionar o disco da forma que achar mais conveniente, selecione o drive C
para fazer a instalação. Escolha a opção de formatação com NTFS (figura 2). O
programa de instalação formatará o drive C e prosseguirá com a instalação.

                                                         Figura 6
                                                         Configuração de idioma e
                                                         teclado.




O computador reinicia
Depois da formatação e cópia dos arquivos, o computador será reiniciado. A instalação
prosseguirá de forma automática durante alguns minutos. Finalmente será mostrado o
Capítulo 2 – Instalando e configurando o Windows                                        29
quadro da figura 6 (configuração do teclado). O Windows XP em português já vem
configurado para o idioma português e layout de teclado definido como ABNT (aquele
que tem a tecla Ç). Se o seu teclado é ABNT, basta clicar em Avançar.

Se o seu teclado for do tipo “Estados Unidos Internacional” (aquele que não tem a tecla
Ç), então clique em Detalhes. Será apresentado um quadro onde devemos escolher o
idioma Português-Brasil e o layout como Estados Unidos Internacional. Clique no
teclado ABNT e a seguir no botão Remover. O quadro seguinte perguntará o nome do
usuário e da empresa (figura 7). Digite então essas informações. Recomendamos que
você não deixe o nome da empresa em branco. Digite por exemplo CASA, se estiver
configurando um micro doméstico.

                                                           Figura 7
                                                           Nome do usuário e empresa.




No quadro seguinte, digite a chave do produto, impressa em uma etiqueta existente na
embalagem original do Windows XP. Não perca esta embalagem, pois você precisará
digitar esta chave sempre que for instalar o Windows.

A seguir será perguntado o nome do computador, informação necessária para o
funcionamento do computador em rede. Você pode deixar o nome que o próprio
Windows já configura, ou então digitar outro nome de seu agrado. Não é permitido
usar espaços em branco no nome do computador. Caso esteja instalando o Windows
XP Professional, será também perguntada a senha do administrador. Pode deixar em
branco, mas se preencher esta senha, anote-a em um local seguro.

Caso o computador possua uma placa fax/modem, o programa de instalação pedirá
que seja digitado o código de área da cidade. Também configuramos aqui o tipo de
discagem, que normalmente é por TOM, exceto em centrais telefônicas muito antigas.

Na tela seguinte são perguntadas a data e a hora. Podemos corrigi-las aqui, caso estejam
erradas. Indicamos também o fuso horário e o ajuste automático do horário de verão.
Se o computador possuir uma placa de rede, e esta placa for “reconhecida” durante a
instalação do Windows, será apresentado um quadro onde devemos escolher
Configurações de rede típicas.
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -
Resolvendo problemas no seu micro   2007 - laercio vasconcelos -

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Hardware fundamental
Hardware fundamentalHardware fundamental
Hardware fundamentalPessoal
 
Componentes gráficos do computador
Componentes gráficos do computadorComponentes gráficos do computador
Componentes gráficos do computadorKaren Carvalho
 
CapíTulo 2 Hardware
CapíTulo 2   HardwareCapíTulo 2   Hardware
CapíTulo 2 Hardwareguest45c85f
 
Reparação de placa mãe – curso completo
Reparação de placa mãe – curso completoReparação de placa mãe – curso completo
Reparação de placa mãe – curso completodicavirtual
 
Apostila Curso Montagem E Manutenção De Micros
Apostila Curso Montagem E Manutenção De MicrosApostila Curso Montagem E Manutenção De Micros
Apostila Curso Montagem E Manutenção De MicrosInge Christmann
 
Tipos de Placa-Mãe
Tipos de Placa-MãeTipos de Placa-Mãe
Tipos de Placa-MãeAirin A.
 
Manutenção de Micro- Aula 01
Manutenção de Micro- Aula 01Manutenção de Micro- Aula 01
Manutenção de Micro- Aula 01Roney Sousa
 
Aula - Placa mae e Perifericos
Aula - Placa mae e PerifericosAula - Placa mae e Perifericos
Aula - Placa mae e PerifericosPessoal
 
Tarjetas y ranuras de expansión
Tarjetas y ranuras de expansiónTarjetas y ranuras de expansión
Tarjetas y ranuras de expansiónianst
 
Curso notebook
Curso notebookCurso notebook
Curso notebooksilviosl
 
Avaria Comuns nos Computadores
Avaria Comuns nos ComputadoresAvaria Comuns nos Computadores
Avaria Comuns nos ComputadoresPedro Sousa
 
Os defeitos mais comuns no pc doméstico
Os defeitos mais comuns no pc domésticoOs defeitos mais comuns no pc doméstico
Os defeitos mais comuns no pc domésticoMarcos Macedo
 
Apostila de montagem e manutenção de computadores emi mario gurgel
Apostila de montagem e manutenção de computadores emi mario gurgelApostila de montagem e manutenção de computadores emi mario gurgel
Apostila de montagem e manutenção de computadores emi mario gurgelPablo Mariano
 

Destaque (20)

O computador
O computadorO computador
O computador
 
Hardware fundamental
Hardware fundamentalHardware fundamental
Hardware fundamental
 
312584 placas-mae
312584 placas-mae312584 placas-mae
312584 placas-mae
 
Componentes gráficos do computador
Componentes gráficos do computadorComponentes gráficos do computador
Componentes gráficos do computador
 
3 placa mãe
3 placa mãe3 placa mãe
3 placa mãe
 
CapíTulo 2 Hardware
CapíTulo 2   HardwareCapíTulo 2   Hardware
CapíTulo 2 Hardware
 
Placa mãe
Placa mãePlaca mãe
Placa mãe
 
Reparação de placa mãe – curso completo
Reparação de placa mãe – curso completoReparação de placa mãe – curso completo
Reparação de placa mãe – curso completo
 
Apostila Curso Montagem E Manutenção De Micros
Apostila Curso Montagem E Manutenção De MicrosApostila Curso Montagem E Manutenção De Micros
Apostila Curso Montagem E Manutenção De Micros
 
Tipos de Placa-Mãe
Tipos de Placa-MãeTipos de Placa-Mãe
Tipos de Placa-Mãe
 
Manutenção de Micro- Aula 01
Manutenção de Micro- Aula 01Manutenção de Micro- Aula 01
Manutenção de Micro- Aula 01
 
Placas mãe
Placas mãePlacas mãe
Placas mãe
 
Aula - Placa mae e Perifericos
Aula - Placa mae e PerifericosAula - Placa mae e Perifericos
Aula - Placa mae e Perifericos
 
Hardware
HardwareHardware
Hardware
 
Tarjetas y ranuras de expansión
Tarjetas y ranuras de expansiónTarjetas y ranuras de expansión
Tarjetas y ranuras de expansión
 
Curso notebook
Curso notebookCurso notebook
Curso notebook
 
Avaria Comuns nos Computadores
Avaria Comuns nos ComputadoresAvaria Comuns nos Computadores
Avaria Comuns nos Computadores
 
Os defeitos mais comuns no pc doméstico
Os defeitos mais comuns no pc domésticoOs defeitos mais comuns no pc doméstico
Os defeitos mais comuns no pc doméstico
 
Apostila de montagem e manutenção de computadores emi mario gurgel
Apostila de montagem e manutenção de computadores emi mario gurgelApostila de montagem e manutenção de computadores emi mario gurgel
Apostila de montagem e manutenção de computadores emi mario gurgel
 
Slide placa mãe
Slide placa mãeSlide placa mãe
Slide placa mãe
 

Semelhante a Resolvendo problemas no seu micro 2007 - laercio vasconcelos -

Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8Habro Group
 
Apostila fundamentos de hardware gelber x freitas
Apostila   fundamentos de hardware  gelber x freitasApostila   fundamentos de hardware  gelber x freitas
Apostila fundamentos de hardware gelber x freitasGelber Freitas
 
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTEManual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTEHabro Group
 
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8Habro Group
 
Ft1802 m português
Ft1802 m  portuguêsFt1802 m  português
Ft1802 m portuguêsFmoreira4
 
Ft1802 m português
Ft1802 m  portuguêsFt1802 m  português
Ft1802 m portuguêsrambo03
 
Ft1802 m português
Ft1802 m  portuguêsFt1802 m  português
Ft1802 m portuguêsrambo03
 
Manual Intelbras Impacta 1402.pdf
Manual Intelbras Impacta 1402.pdfManual Intelbras Impacta 1402.pdf
Manual Intelbras Impacta 1402.pdfGuilhermeDias277531
 
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 6i6
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 6i6Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 6i6
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 6i6Habro Group
 
ZD420 - Manual Para Usuário da Impressora
ZD420 - Manual Para Usuário da ImpressoraZD420 - Manual Para Usuário da Impressora
ZD420 - Manual Para Usuário da ImpressoraUseZ
 
Ft 2800 m português
Ft 2800 m portuguêsFt 2800 m português
Ft 2800 m portuguêsFmoreira4
 
ZD410 - Manual de Utilização da Impressora
ZD410 - Manual de Utilização da ImpressoraZD410 - Manual de Utilização da Impressora
ZD410 - Manual de Utilização da ImpressoraUseZ
 

Semelhante a Resolvendo problemas no seu micro 2007 - laercio vasconcelos - (20)

Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
 
Apostila fundamentos de hardware gelber x freitas
Apostila   fundamentos de hardware  gelber x freitasApostila   fundamentos de hardware  gelber x freitas
Apostila fundamentos de hardware gelber x freitas
 
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTEManual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
 
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 18i8
 
Installdebian
InstalldebianInstalldebian
Installdebian
 
Ft1802 m português
Ft1802 m  portuguêsFt1802 m  português
Ft1802 m português
 
Ft1802 m português
Ft1802 m  portuguêsFt1802 m  português
Ft1802 m português
 
Ft1802 m português
Ft1802 m  portuguêsFt1802 m  português
Ft1802 m português
 
Manual Intelbras Impacta 1402.pdf
Manual Intelbras Impacta 1402.pdfManual Intelbras Impacta 1402.pdf
Manual Intelbras Impacta 1402.pdf
 
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdfMIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
 
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 6i6
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 6i6Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 6i6
Manual da Interface de Áudio FOCUSRITE Scarlett 6i6
 
manual pc43
manual pc43manual pc43
manual pc43
 
ZD420 - Manual Para Usuário da Impressora
ZD420 - Manual Para Usuário da ImpressoraZD420 - Manual Para Usuário da Impressora
ZD420 - Manual Para Usuário da Impressora
 
Acw2 q adminhb-por
Acw2 q adminhb-porAcw2 q adminhb-por
Acw2 q adminhb-por
 
Ft 2800 m português
Ft 2800 m portuguêsFt 2800 m português
Ft 2800 m português
 
Guia xerox workcentre_3550
Guia xerox workcentre_3550Guia xerox workcentre_3550
Guia xerox workcentre_3550
 
Focalinux iniciante
Focalinux inicianteFocalinux iniciante
Focalinux iniciante
 
Manual do usuário
Manual do usuárioManual do usuário
Manual do usuário
 
Material LINUX
Material LINUXMaterial LINUX
Material LINUX
 
ZD410 - Manual de Utilização da Impressora
ZD410 - Manual de Utilização da ImpressoraZD410 - Manual de Utilização da Impressora
ZD410 - Manual de Utilização da Impressora
 

Resolvendo problemas no seu micro 2007 - laercio vasconcelos -

  • 1. LAÉRCIO VASCONCELOS RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO Rio de Janeiro 2007
  • 2. ÍNDICE Capítulo 1: Fundamentos de hardware Conhecer para consertar................................................................................................................. 1 O interior do micro........................................................................................................................... 1 Conecte corretamente..................................................................................................................... 3 Cuidado com a eletricidade estática............................................................................................ 3 Placas mãe AT e ATX.................................................................................................................. 4 Ligação da fonte na placa mãe ATX............................................................................................ 4 Ligações da fonte nas unidades de disco.................................................................................... 5 Instalação de módulos de memória............................................................................................. 5 Encaixando o processador no soquete........................................................................................ 6 Conectores das interfaces........................................................................................................... 6 Montagem das unidades de disco................................................................................................ 7 Conectando cabos Flat................................................................................................................ 7 Conexões do painel frontal do gabinete....................................................................................... 8 Encaixe das placas de expansão................................................................................................. 9 Mais sobre placas mãe................................................................................................................ 9 Processadores e seus soquetes..................................................................................................... 9 Clock interno, clock externo e cache........................................................................................... 11 Barramento do sistema.............................................................................................................. 11 FSB da placa mãe..................................................................................................................... 12 Programas que identificam o processador.................................................................................. 13 O programa EVEREST.............................................................................................................. 13 O programa HWINFO32............................................................................................................ 14 Processadores Intel....................................................................................................................... 14 Pentium 4................................................................................................................................... 15 Pentium D e Pentium Extreme Edition....................................................................................... 16 Core 2 Duo, Core 2 Extreme, Core 2 Quad............................................................................... 16 Processadores AMD...................................................................................................................... 17 Compatibilidade de soquetes..................................................................................................... 19 Informações atualizadas sobre processadores AMD................................................................. 19 Slots da placa mãe......................................................................................................................... 19 Slots PCI Express (PCI-E)......................................................................................................... 21 Chipset............................................................................................................................................ 21 Gabinetes e fontes de alimentação............................................................................................... 22 Fonte de alimentação................................................................................................................. 23 Conectores da fonte de alimentação.......................................................................................... 23 Capítulo 2: Instalando e configurando o Windows Instalação do Windows XP............................................................................................................ 25 Seqüência de boot..................................................................................................................... 25 O programa de instalação do Windows XP................................................................................ 25 Disco rígido não reconhecido..................................................................................................... 26 Partição única............................................................................................................................ 26 Dividindo o disco rígido.............................................................................................................. 26 Instalação em um disco rígido usado......................................................................................... 28 O computador reinicia................................................................................................................ 28 Etapas finais da instalação........................................................................................................ 30 Disco rígido não reconhecido....................................................................................................... 30 Usando o “disquete F6”................................................................................................................. 31
  • 3. Windows 98/ME.............................................................................................................................. 32 FDISK e FORMAT..................................................................................................................... 32 Iniciando a instalação................................................................................................................. 33 Problemas depois da instalação do Windows............................................................................. 35 As versões do Windows................................................................................................................ 36 O gerenciador de dispositivos...................................................................................................... 36 Drivers das placas.......................................................................................................................... 36 Comece pelos drivers do chipset!.............................................................................................. 37 Instalando os drivers do chipset................................................................................................. 37 Drivers de chipsets de placas antigas........................................................................................ 37 Quando instalar o driver do chipset?.......................................................................................... 38 Drivers de dispositivos onboard................................................................................................. 38 Atenção para a versão do Windows........................................................................................... 38 Ativando o ícone Meu Computador............................................................................................ 39 Formatação do drive D............................................................................................................... 39 Os métodos de instalação de drivers........................................................................................... 39 Programa de instalação............................................................................................................. 40 Instalação manual...................................................................................................................... 40 Configurando a placa de vídeo..................................................................................................... 42 Windows Update............................................................................................................................ 44 Declarando o monitor.................................................................................................................... 45 Algumas configurações no Windows Vista................................................................................. 46 Área de trabalho........................................................................................................................ 46 Gerenciador de dispositivos....................................................................................................... 47 Painel de controle...................................................................................................................... 48 Capítulo 3: Memória, HD e vídeo Módulos de memória..................................................................................................................... 49 Cuidado com a eletricidade estática.......................................................................................... 50 Exercício sobre memórias.......................................................................................................... 50 Memórias SDRAM.......................................................................................................................... 50 Memórias DDR................................................................................................................................ 51 Memórias DDR2.............................................................................................................................. 51 Dual Channel.................................................................................................................................. 52 Expansão da memória................................................................................................................... 52 CMOS Memory Size Mismatch.................................................................................................. 53 Exemplo: Pentium 4, Socket 478, 64 bits..................................................................................... 53 Exemplificando a instalação de memórias................................................................................. 55 CAS Latency................................................................................................................................... 55 Erros na instalação de memórias................................................................................................. 56 Mau contato............................................................................................................................... 56 Memórias danificadas................................................................................................................ 56 O micro precisa de mais memória?.............................................................................................. 57 Discos rígidos IDE e SATA............................................................................................................ 57 Velocidades de discos IDE........................................................................................................ 58 Velocidades de discos SATA..................................................................................................... 60 Manutenção e instalação de disco rígido..................................................................................... 61 1) Retirar o disco antigo defeituoso e instalar um novo.............................................................. 61 2) Adicionar um novo disco mantendo o antigo......................................................................... 61 Gerenciamento de disco (Windows 2000/XP/Vista)..................................................................... 61 Criando novas partições............................................................................................................ 62 Alterando as letras das unidades de disco................................................................................. 63
  • 4. Para ter mais de 4 unidades lógicas.......................................................................................... 64 Melhorando o desempenho do disco rígido................................................................................ 64 Ultra DMA.................................................................................................................................. 64 Placas de vídeo.............................................................................................................................. 66 Placa de vídeo PCI Express x16................................................................................................ 67 Memória de vídeo...................................................................................................................... 67 Instalando uma nova placa de vídeo............................................................................................ 67 Trocando a placa de vídeo......................................................................................................... 67 Desativando o vídeo onboard.................................................................................................... 67 Instalando os drivers da nova placa de vídeo............................................................................ 68 Usando um programa de instalação do fabricante..................................................................... 69 O que melhora com a instalação de uma nova placa de vídeo.................................................. 69 Ajustes no monitor......................................................................................................................... 69 Perda de sincronismo do monitor no Windows XP.................................................................... 69 Defeitos comuns em vídeo............................................................................................................ 71 Capítulo 4: Jumpers e Setup Jumpers e microchaves................................................................................................................ 73 As placas são diferentes............................................................................................................ 74 Jumpers importantes em manutenção......................................................................................... 74 Clock externo do processador...................................................................................................... 75 Exemplo de configuração de clock externo por jumpers............................................................ 75 Um método fácil para configurar o clock externo....................................................................... 76 Exemplo: Clock externo na placa Asus TUV4X com Socket 370............................................... 77 Clock interno do processador....................................................................................................... 78 Jumpers relacionados com a bateria CR-2032............................................................................ 78 Clear CMOS............................................................................................................................... 78 Velocidade das memórias............................................................................................................. 79 Memórias SDRAM..................................................................................................................... 80 Memórias DDR e DDR2............................................................................................................. 81 Jumpers de dispositivos IDE........................................................................................................ 82 Jumpers de unidades de CD/DVD............................................................................................. 82 Jumpers de discos rígidos IDE................................................................................................... 83 Slave Present............................................................................................................................. 84 Cable Select............................................................................................................................... 86 CMOS Setup básico....................................................................................................................... 86 BIOS, CMOS e CMOS Setup..................................................................................................... 86 Ativando o CMOS Setup............................................................................................................ 86 Usando o Setup......................................................................................................................... 87 Refinando o Setup.......................................................................................................................... 89 Interfaces onboard sem uso....................................................................................................... 90 Desativando o vídeo onboard.................................................................................................... 90 USB no Setup............................................................................................................................ 90 Velocidade do processador........................................................................................................ 91 Velocidade das memórias.......................................................................................................... 91 Chip configuration...................................................................................................................... 91 Hardware monitor...................................................................................................................... 92 Capítulo 5: Multimídia e Internet Conectores de som........................................................................................................................ 93 Digitalização de sons..................................................................................................................... 94 MIXER.............................................................................................................................................. 95
  • 5. Instalação de drivers...................................................................................................................... 95 Testando a placa de som............................................................................................................... 96 O Mixer do Windows.................................................................................................................. 98 Declarando os alto-falantes........................................................................................................... 99 Gravação de CD e DVD................................................................................................................ 100 Nero......................................................................................................................................... 101 Apagando uma mídia de CD-RW ou DVD-RW............................................................................ 103 Buffer underrun............................................................................................................................ 104 Identificando gravadores com buffer underrun protection........................................................ 104 Evitando o buffer underrun....................................................................................................... 105 Região do DVD............................................................................................................................. 106 Aumentando o desempenho das unidades de CD e DVD....................................................... 106 Modems e Internet........................................................................................................................ 107 Conexão na linha telefônica........................................................................................................ 107 Instalando um modem PnP......................................................................................................... 108 Usando drivers nativos do Windows........................................................................................ 108 Usando drivers do fabricante................................................................................................... 109 Configurações no Gerenciador de Dispositivos........................................................................ 110 Configurações no Painel de Controle......................................................................................... 112 Configuração para a Internet....................................................................................................... 114 Conexão Dial-Up no Windows XP............................................................................................ 114 Configuração do correio eletrônico.......................................................................................... 116 Capítulo 6: Manutenção preventiva Cuidados gerais........................................................................................................................... 117 Falta de energia elétrica........................................................................................................... 117 A fragilidade do disco rígido..................................................................................................... 118 Liga-desliga.............................................................................................................................. 118 Umidade, poeira e fumaça....................................................................................................... 119 Desligamento repentino........................................................................................................... 119 O botão RESET....................................................................................................................... 121 Se o micro travar...................................................................................................................... 121 Retire as capas........................................................................................................................ 121 Ligando e desligando corretamente......................................................................................... 121 Vírus e similares...................................................................................................................... 122 Conectando e desconectando corretamente............................................................................ 122 Conexão na linha telefônica..................................................................................................... 122 Falsos filtros de linha............................................................................................................... 123 Cuidados com os drives de disquetes....................................................................................... 123 Protegendo o computador da poeira.......................................................................................... 124 Protegendo o computador da umidade...................................................................................... 124 Cuidados com o monitor............................................................................................................. 126 Capítulo 7: Manutenção corretiva O que pode ser consertado......................................................................................................... 127 Usando um multímetro digital..................................................................................................... 127 Medindo a bateria da placa mãe.............................................................................................. 128 Trocando a bateria da placa mãe............................................................................................. 129 Medindo a rede elétrica............................................................................................................ 130 Medindo uma fonte de alimentação ATX................................................................................. 131 Medindo uma fonte de alimentação ATX com carga................................................................ 133 Medo de choque...................................................................................................................... 133
  • 6. Limpeza geral de poeira............................................................................................................... 133 Limpeza de contatos.................................................................................................................... 135 Clear CMOS.................................................................................................................................. 137 Método alternativo para fazer o Clear CMOS.......................................................................... 137 Micro liga mas fica com tela preta sem sons............................................................................. 137 Verifique o monitor................................................................................................................... 138 Fonte de alimentação............................................................................................................... 138 Verifique a placa de vídeo........................................................................................................ 138 Verifique as placas de expansão............................................................................................. 138 Verifique as memórias............................................................................................................. 139 Teste a bateria do CMOS........................................................................................................ 139 Faça um Clear CMOS.............................................................................................................. 139 Verifique os jumpers da placa mãe.......................................................................................... 139 Micro liga mas fica com tela preta com beeps........................................................................... 139 Micro que trava aleatoriamente................................................................................................... 139 Mau contato............................................................................................................................. 140 Aquecimento............................................................................................................................ 140 Problemas na fonte de alimentação......................................................................................... 140 Instabilidades na rede elétrica.................................................................................................. 140 Problemas na memória............................................................................................................ 140 Arquivos corrompidos.............................................................................................................. 141 Limpeza de unidades de CD/DVD............................................................................................... 142 Capítulo 8: Softwares que ajudam na manutenção Restauração do sistema.............................................................................................................. 143 Reinstalando tudo em 10 minutos.............................................................................................. 145 R-Drive Image............................................................................................................................... 148 Restauração de imagem.......................................................................................................... 150 Para o arquivo de imagem não ficar gigante............................................................................ 151 É importante particionar o disco................................................................................................. 152 Relocando “Meus documentos” e e-mails................................................................................. 152 Check-up de hardware................................................................................................................. 154 Programas de diagnóstico não fazem milagre......................................................................... 154 POST....................................................................................................................................... 155 Para testar a memória.............................................................................................................. 155 Tufftest.......................................................................................................................................... 155 Testes de certificação.............................................................................................................. 156 Teste de memória.................................................................................................................... 157 Testes no disco rígido.............................................................................................................. 157 Memtest......................................................................................................................................... 160 Reinstalando drivers.................................................................................................................... 160 Verificação de erros no disco..................................................................................................... 162 Limpeza de disco......................................................................................................................... 163 Desfragmentação......................................................................................................................... 164 Capítulo 9: Resolvendo problemas de aquecimento Efeitos da temperatura sobre o computador............................................................................. 165 A temperatura do processador................................................................................................. 165 A temperatura do interior do micro........................................................................................... 166 Melhorando a eficiência do cooler do processador.................................................................. 166 Melhorando a ventilação do gabinete......................................................................................... 166
  • 7. Para não atrapalhar o fluxo de ar no interior do micro............................................................. 167 Ar condicionado........................................................................................................................... 169 O cooler do processador............................................................................................................. 170 Monitor de hardware.................................................................................................................... 171 Monitor de hardware no CMOS Setup..................................................................................... 171 Monitor de hardware no Windows............................................................................................ 172 Voltagens da fonte de alimentação.......................................................................................... 173 Rotações dos coolers............................................................................................................... 173 Temperatura máxima do processador..................................................................................... 173 Temperatura do sistema.......................................................................................................... 174 Capítulo 10: Dicas sobre defeitos Teclado troca caracteres.......................................................................................................... 175 “Keyboard Error” durante o boot.............................................................................................. 175 HDD Controller Failure............................................................................................................. 175 Imagem sem sincronismo, desde que o micro é ligado............................................................ 176 Imagem sem sincronismo no Windows.................................................................................... 176 CMOS Memory Size Mismatch................................................................................................ 177 CMOS Checksum Error – Defaults Loaded.............................................................................. 177 Disco rígido reconhecido com capacidade inferior................................................................... 177 Contagem de memória incompleta.......................................................................................... 178 Micro reseta sozinho................................................................................................................ 178 Travamento na finalização do Windows................................................................................... 179 Windows trava na inicialização................................................................................................ 179 Cancelando corretamente uma listagem.................................................................................. 180 Proteção contra vírus que destroem o BIOS............................................................................ 181 Micro liga momentaneamente.................................................................................................. 181 Configurações de botões de energia....................................................................................... 181 Disquete não grava.................................................................................................................. 181 Processador reduz clock devido ao aquecimento.................................................................... 181 Cabo flat IDE invertido............................................................................................................. 182 Erro nos jumpers do disco rígido.............................................................................................. 182 Cabo flat com mais de 45 cm................................................................................................... 182 Temporização da memória pelo SPD...................................................................................... 182 Driver AGP miniport................................................................................................................. 182 Quando não é possível desabilitar o vídeo onboard................................................................ 183 Imagem estreita no monitor..................................................................................................... 183 Jogos que requerem OpenGL.................................................................................................. 183 Imagem serrilhada................................................................................................................... 183 Declare o monitor..................................................................................................................... 183 Som e vídeo com pausas......................................................................................................... 184 Jumpers errados...................................................................................................................... 184 Jumper da bateria.................................................................................................................... 184 HD SATA-II com velocidade de SATA-I................................................................................... 184 Vídeo com 256 cores............................................................................................................... 184
  • 8. Capítulo 1 Fundamentos de hardware Conhecer para consertar Alguns defeitos do computador são de solução extremamente simples. Por exemplo, se o conector de alimentação da placa mãe estiver frouxo, o computador não ligará. Bastará abrir o computador, retirar este conector e conectá-lo novamente, com firmeza, e o computador passará a funcionar normalmente. Um bom técnico resolveria o problema em poucos minutos. Uma loja de manutenção que não seja direcionada pela ética poderá inventar um defeito mais complexo e cobrar caro pelo serviço. Você poderá querer fazer o conserto por conta própria para economizar, ou para escapar de lojas pouco confiáveis, ou por não conhecer um bom técnico de confiança. Não se iluda, nem todos os defeitos são de simples solução. Mas se você estiver disposto a dedicar seu tempo no estudo das pouco mais de 180 páginas desse livro, poderá com certeza solucionar pelo menos a metade dos defeitos do seu computador. O interior do micro Se você retirar a tampa metálica do gabinete do seu micro e deitá-lo sobre uma mesa vai provavelmente ver algo como mostrado na figura 1. Não toque nas peças por enquanto, apenas olhe. Ou melhor ainda, faça isso somente depois que terminar de ler esse capítulo. Ao tocar peças com as mãos sem os devidos cuidados, você pode danificá-las com eletricidade estática. Mais adiante ensinaremos as precauções a serem tomadas para não danificar as peças. Outro ponto importante é desligar o computador da tomada antes de abri-lo. A figura 1 mostra algumas peças do computador que você precisa conhecer para fazer sua manutenção. A grande caixa metálica onde ficam montados todos os componentes é chamada gabinete, mas também é conhecida popularmente (e erradamente) como CPU.
  • 9. 2 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO Figura 1 O interior do um típico micro moderno. 1) Placa mãe – É a grande placa de circuito que ocupa quase toda a extensão do gabinete. Nela são localizados circuitos importantes, como o processador e a memória. 2) Fonte de alimentação – É a caixa metálica na qual existem circuitos que recebem a energia da rede elétrica (110 ou 220 volts) e a convertem em tensões contínuas que permitem o funcionamento de todas as peças do computador. 3) Cabos da fonte de alimentação – Da fonte partem cabos formados por vários fios coloridos para alimentar a placa mãe e as unidades de disco do computador. 4) Cooler do gabinete – É um ventilador instalado na parte traseira do gabinete que expulsa o ar quente do seu interior. Nem todos os micros têm esse ventilador, mas seu uso é altamente recomendável nos micros modernos, pois produzem muito aquecimento. Sem esse cooler instalado o computador pode funcionar mal. 5) Unidade de CD/DVD – Os micros possuem uma ou mais unidades de CD e/ou DVD. Antigamente eram comuns os drives de CD-ROM e os gravadores de CDs. Hoje são comuns os leitores e gravadores de DVDs, que podem ler ou gravar em mídias de CD ou DVD.
  • 10. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 3 6) Drive de disquetes – Apesar dos disquetes serem obsoletos devido à sua baixa capacidade (1.44 MB), a maioria dos micros modernos possuem uma unidade de disquetes. 7) Disco rígido – Também chamado de “HD” (Hard Disk), o disco rígido armazena dados e programas. 8) Cabos flat – Existem vários cabos desse tipo que ligam a placa mãe às unidades de disco (disco rígido, drive de disquetes, unidades de CD/DVD). 9) Placas de expansão – Várias placas adicionais são encaixadas na placa mãe. As mais comuns são as placas de vídeo, som, rede e modem. A maioria dos micros simples modernos não usam placas de expansão, pois têm todos esses circuitos integrados na placa mãe. Daí vêm termos como “vídeo onboard”, “som onboard”, etc. 10) Processador – É o componente mais importante do computador, responsável pela execução dos programas. Existem diversos processadores, como Pentium 4, Core 2 Duo, Athlon 64, etc. Processadores modernos esquentam muito, por isso precisam operar acoplados a um dissipador metálico de calor e a um ventilador (cooler). 11) Memória – Sobre a placa mãe são encaixadas uma ou mais placas chamadas de “módulos de memória”. Cada módulo possui por sua vez, vários chips de memória. Para entender hardware é preciso não apenas conhecer todas essas peças, mas também suas características e como devem ser encaixadas umas nas outras. Entender o funcionamento de um computador ajuda muito a compreender as causas dos defeitos, facilitando a sua solução. Praticamente todos os assuntos desse capítulo podem ser complementados ou aprofundados com os artigos e cursos gratuitos disponíveis em www.laercio.com.br. Conecte corretamente Seu micro já está montado, e você só quer consertá-lo. Talvez torça para não precisar abri-lo e fazer consertos físicos. Uma notícia boa é que grande parte dos problemas em micros podem ser solucionados por software. Se realmente você precisar abrir o computador e desconectar cabos e placas (para fazer uma limpeza ou trocar uma peça, por exemplo), basta montar tudo novamente, exatamente da forma como estava antes. Basta você ter boa memória e provavelmente conseguirá montar novamente o micro. Mas para facilitar o seu trabalho, vamos agora destacar alguns pontos importantes, aumentando a sua chance de sucesso. Cuidado com a eletricidade estática Se não tomarmos cuidado, poderemos danificar placas e chips com o simples toque de nossas mãos, devido à nossa eletricidade estática. Antes de manusear as peças, toque as duas mãos em uma janela metálica, não pintada. Se não for possível, toque a fonte de alimentação do computador (isso precisa ser feito com o cabo de alimentação
  • 11. 4 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO conectado na rede elétrica, porém com o computador desligado). Repita esta descarga a cada 15 minutos. Segure as placas pelas suas bordas laterais. A figura 2 mostra a forma correta e a forma errada de segurar uma placa. Nunca toque nos circuitos. Módulos de memória e processadores devem ser segurados pelas laterais, sem tocar nos seus contatos metálicos. Figura 2 Forma certa e errada de segurar uma placa. Defeito: A eletricidade estática realmente estraga componentes eletrônicos. A queima pode ser imediata, ou poderá se manifestar dias, semanas ou até meses depois. Quando uma peça de computador para de funcionar repentinamente, pode ter sido causada a queima parcial por eletricidade estática. Placas mãe AT e ATX Até a metade dos anos 90, todas as placas mãe eram do “padrão AT”. A partir de então entraram no mercado as placas “padrão ATX”, mais comuns hoje em dia. As placas de praticamente todos os micros produzidos a partir do ano 2000 são dos tipos ATX ou mini-ATX, que é uma versão reduzida do formato ATX, com largura menor. Este livro trata exclusivamente de placas, fontes e gabinetes no padrão ATX, mas você encontrará no nosso site informações complementares sobre micros antigos no padrão AT. Figura 3 Placas mãe AT e ATX. Ligação da fonte na placa mãe ATX Na figura 4 vemos a conexão da fonte de alimentação ATX, em uma placa mãe ATX. Devido à diferença entre os formatos dos pinos, é impossível fazer esta conexão de
  • 12. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 5 forma invertida. Note na figura 4 que para soltar o conector é preciso pressionar a trava indicada no ponto “C”. As fontes ATX modernas possuem um segundo conector, de 4 pinos, com dois fios amarelos e dois fios pretos. Este conector fornece energia para o processador, e também só encaixa em uma posição. Figura 4 Conectando uma fonte de alimentação em uma placa mãe ATX. A) Trava no conector da fonte B) Trava no conector da placa mãe C) Para desencaixar os conectores, é preciso pressionar a trava no ponto indicado. Ligações da fonte nas unidades de disco A fonte de alimentação também é ligada nas unidades de disco. Existem conectores com diferentes formatos. O mostrado na figura 5 é o mais comum, e serve para alimentar discos rígidos e unidades de CD e DVD. Esse conector só encaixa na posição correta. Ainda assim, encaixe-o com muita atenção, pois existem casos de pessoas distraídas que conseguiram ligá-lo ao contrário. Na figura 6 vemos o detalhe da ligação da fonte de alimentação em um drive de disquetes de 3½”. Preste muita atenção nesta conexão, pois se você tentar encaixá-lo “de cabeça para baixo”, ou então deslocado para o lado, a conexão será feita de maneira inadvertida, e quando você ligar o computador o drive queimará. Figura 5 Figura 6 Conector da fonte usado para alimentar Orientação correta da ligação do conector para drives de o disco rígido e as unidades de CD/DVD disquetes de 3½”. Se o esse conector for ligado de forma (padrão IDE). invertida ou deslocada, o drive de disquetes queimará. Instalação de módulos de memória Para encaixar um módulo de memória, comece afastando as duas alças laterais do soquete. Posicione o módulo sobre o soquete e force-o para baixo com cuidado (figura 7). Preste atenção, pois o módulo tem cortes que devem coincidir com saliências existentes no soquete. Quando o encaixe é feito, duas pequenas alças plásticas
  • 13. 6 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO existentes no soquete são encaixadas em duas fendas nas laterais do módulo. Para retirá-lo basta forçar as alças laterais e o módulo levantará. Segure o módulo de memória pelas bordas laterais para não danificá-lo com eletricidade estática. Figura 7 Instalando um módulo de memória em seu respectivo soquete. Defeito: Verifique se o módulo de memória ficou bem encaixado. As alças laterais deverão estar bem encaixadas no módulo. Se o módulo estiver mal encaixado, o computador não funcionará. Ficará com a tela preta ao ser ligado (sem imagem), emitindo beeps pelo alto-falante. Encaixando o processador no soquete Você não precisará retirar um processador do seu soquete, a menos que tenha que substituir um defeituoso. Devemos evitar tocar nas “perninhas” do processador, caso contrário poderemos danificá-lo com eletricidade estática. Inicialmente levantamos a alavanca. Colocamos o processador no seu soquete, observando a sua orientação correta. Podemos agora abaixar a alavanca e travá-la (figura 8). Figura 8 Instalando um processador em um soquete ZIF. OBS: Além disso é preciso saber instalar e retirar o cooler do processador. Se isso não for feito com cuidado, o processador poderá ser danificado. Conectores das interfaces As interfaces que servem para conectar discos rígidos e unidades de CD e DVD são chamadas de interfaces IDE (figura 9). Em geral as placas mãe possuem duas interfaces IDE, chamadas de primária e secundária. Em cada uma delas podemos ligar até dois dispositivos IDE, através de um cabo flat IDE.
  • 14. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 7 OBS: Nunca puxe um cabo quando quiser desconectá-lo. Puxe pelo conector. Figura 9 Conectores das interfaces IDE. Montagem das unidades de disco Na maioria dos gabinetes o drive de disquetes e as unidades de CD/DVD são introduzidos pela parte frontal, e a seguir aparafusados pelos seus furos laterais. No caso do drive de disquetes, é recomendável puxar para fora o cabo flat e o cabo de alimentação, fazer as conexões no drive fora do gabinete, e finalmente introduzi-lo no gabinete, já com os cabos conectados. O disco rígido (figura 10) é introduzido pela parte interna do gabinete e aparafusado pelas laterais. Para fixar o disco rígido, o drive de disquete e as unidades de CD/DVD, devemos utilizar dois parafusos de cada lado. Figura 10 Montando o disco rígido no gabinete. OBS: Não deixe a carcaça metálica do disco rígido encostando no drive de disquetes, pois isso dificulta a dissipação do seu calor. O ideal é deixar uma baia livre acima e uma baia livre abaixo do disco rígido. Conectando cabos Flat Os cabos flat são usados para ligar vários dispositivos às suas interfaces. Os principais desses dispositivos são o disco rígido, as unidades de CD/DVD e o drive de disquetes. Existe uma regra simples para fazer qualquer conexão de cabos flat: O fio vermelho do cabo flat deve ser encaixado no pino 1 do conector
  • 15. 8 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO A figura 11 mostra a conexão de um cabo flat em um drive de disquetes de 3½”. O fio vermelho deve ser alinhado com os pinos 1 e 2, que é o lado oposto ao dos pinos 33 e 34. Esses números são normalmente indicados junto ao conector no drive. Figura 11 Ligando o cabo flat em um drive de disquetes de 3½” (ver indicação do pino 2). Defeito: Se o cabo flat do drive de disquetes for ligado de forma invertida, este não queimará, mas obviamente não funcionará. O LED da parte frontal do drive de disquetes ficará permanentemente aceso assim que o computador for ligado, caracterizando a ligação invertida. Basta desligar o computador e corrigir a ligação do cabo flat. As conexões do disco rígido e do drive das unidades de CD/DVD são similares. O fio vermelho deve corresponder ao pino 1 do conector, que normalmente é aquele localizado próximo ao conector de alimentação. Conexões do painel frontal do gabinete Faça a conexão do RESET e do PC SPEAKER na placa mãe. Nos modelos ATX, ligue também o conector Power Switch. Ligue também as demais conexões, como Power LED e IDE LED. Use as instruções encontradas no manual da placa mãe. Essas conexões variam de disposição de uma placa mãe para outra. Figura 12 Figura 13 Ligações para o Painel frontal do gabinete. Encaixando uma placa de expansão em um slot.
  • 16. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 9 Encaixe das placas de expansão Para retirar uma placa de expansão, remova primeiro o seu parafuso de fixação ao gabinete. Puxe a placa com cuidado, fazendo movimentos alternados, até que saia por completo. Tome cuidado, pois placas de vídeo em geral possuem uma trava para fixá- las ao slot. Solte a trava antes de retirar a placa de vídeo. Para instalar novamente a placa, encaixe no slot (figura 13) e prenda-a ao gabinete com o parafuso apropriado. Defeito: Uma placa encaixada em um slot poderá não funcionar caso esteja mal encaixada, ou caso exista mau contato no slot da placa mãe ou na própria placa de expansão. Mais sobre placas mãe Esse livro apresenta os conceitos de hardware suficientes para um usuário comum resolver boa parte dos problemas comuns de um computador. Portanto é orientado a problemas e suas soluções. Para obter mais informações detalhadas sobre placas mãe, recomendamos o artigo Tutorial sobre placa mãe, em www.laercio.com.br. Processadores e seus soquetes O processador é o componente mais importante de um micro. Os dois principais fabricantes são Intel e AMD. Este livro abordará com prioridade os processadores mais novos, como Pentium 4, Athlon XP e superiores. Apresentamos a seguir uma tabela com os processadores lançados nos últimos anos por ambos os fabricantes. Restringiremos nossa discussão aos processadores lançados depois do ano 2000. Você encontrará informações sobre modelos mais antigos em www.laercio.com.br. Processadores Intel Modelo Aplicação Core 2 Duo, Core 2 Os mais novos processadores Intel, com dois e quatro núcleos. Quad, Core 2 Extreme Pentium D e Foram os primeiros processadores duais da Intel. Dentro de cada um deles Pentium Extreme existem dois núcleos de Pentium 4, encapsulados em um único chip. Edition Celeron-D Esta é uma versão simplificada do Pentium 4. Celeron Antes do lançamento do Celeron-D, esta era a opção da Intel para micros de baixo custo. É também um derivado do Pentium 4. Pentium 4 Este é o principal processador Intel comercializado entre 2000 e 2006. Ainda em 2007 continua à venda, mas a tendência é desaparecer, sendo substituído pelo Core 2 Duo e processadores mais avançados. Processadores AMD Modelo Aplicação Athlon 64 X2 Processador mais avançado da AMD em 2007, com 2 núcleos. Futuramente dará lugar ao Athlon 64 X4, que terá quatro núcleos. Sempron Este é o mais simples processador produzido pela AMD entre 2005 e 2007, e bastante comum em micros populares. Foi produzido a partir do final de 2004, inicialmente usando o Socket A (idêntico ao Athlon XP). No final de 2005 era produzido apenas com o formato para Socket 754. As novas versões usam o Socket AM2.
  • 17. 10 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO Processadores AMD (cont.) Modelo Aplicação Existem vários modelos de processadores Athlon 64. Atualmente são destinados a Athlon 64 micros de médio custo. Athlon XP Este processador foi bastante popular entre 2001 e 2004. Seu soquete era chamado de “Socket A”, ou “Socket 462”. No final de 2004 passou a ser fabricado com o nome Sempron, com pequenas modificações. Duron Também usado em placas mãe para Socket A, o Duron era um Athlon simplificado, da mesma forma como o Celeron é um Pentium 4 simplificado. Figura 14 Figura 15 Pentium 4 para LGA 775. Socket LGA 775. O processador é encaixado em um conector da placa mãe chamado soquete. Cada processador requer um soquete específico. A figura 14 mostra um processador Pentium 4 e a figura 15 mostra o chamado Soquete LGA 775, usado pela maioria dos processadores modernos produzidos pela Intel. Levando em conta apenas os processadores para microcomputadores desktop (estamos excluindo os notebooks e os servidores de redes), e deixando de lado também os soquetes para processadores que não foram muito popularizados, os soquetes usados nos últimos anos foram: Soquete Fabricante Processadores Socket 478 Intel Pentium 4, Celeron, Celeron-D Socket LGA 775 Intel Pentium 4, Pentium D, Pentium Extreme Edition, Celeron-D, Core 2 Duo, Core 2 Quad, Core 2 Extreme Socket A ou 462 AMD Athlon, Athlon XP, Duron, Sempron Socket 754 AMD Sempron, Athlon 64 Socket 939 AMD Athlon 64, Athlon 64 FX, Athlon 64 X2 Socket AM2 AMD Athlon 64, Athlon 64 FX, Athlon 64 X2, Sempron Os mais modernos soquetes são o Socket LGA 775 (Intel) e o Socket AM2 (AMD). Entretanto os demais soquetes da tabela acima são comuns mesmo em micros de fabricação relativamente recente. Note que um mesmo soquete pode permitir a
  • 18. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 11 instalação de processadores diferentes, assim como um determinado processador pode ser fabricado com formatos para diferentes soquetes. Por exemplo, o Pentium 4 foi fabricado nas versões para Socket 478 e Socket LGA 775. O Sempron foi fabricado com formatos para Socket A, Socket 754 e Socket AM2. Em manutenção é importante saber qual é o soquete do processador. Por exemplo, se um processador queimar, é preciso retirá-lo do soquete para comprar um novo com formato compatível. Clock interno, clock externo e cache O FSB ou System Bus (barramento de sistema) é o conjunto de pinos do processador que faz a comunicação com a memória e outras partes da placa mãe. A velocidade do FSB é chamada CLOCK EXTERNO. Todo processador tem duas velocidades: Clock interno: Velocidade de execução de programas Clock externo: Velocidade de acesso à memória e outras partes do computador. Exemplo: Pentium 4 de 2,8 GHz • Clock interno: 2,8 GHz • Clock externo: 800 MHz Defeito: Um dos erros mais comuns na configuração de hardware de um micro é o uso do clock externo errado. O resultado é que o clock interno também ficará errado, e o processador poderá na melhor das hipóteses ficar mais lento, e na pior das hipóteses travar ou até mesmo queimar. Os ensinamentos desse capítulo permitirão que você configure corretamente qualquer processador. A cache é uma pequena quantidade de memória muito veloz, existente dentro do processador, que serve para acelerar o desempenho da memória externa. A cache é dividida em duas seções: primária (L1, ou de nível 1) e secundária (L2, ou de nível 2). Barramento do sistema É o mesmo que SYSTEM BUS ou FRONT SIDE BUS (FSB). Existem processadores com FSBs de diversas velocidades. Os fabricantes periodicamente lançam novos modelos de processadores com FSBs mais rápidos. Exemplos: • Pentium III: 100 MHz, 133 MHz • Celeron, Celeron-D: 400 MHz, 533 MHz • Athlon XP: 266 MHz, 333 MHz, 400 MHz • Pentium 4: 400 MHz, 533 MHz, 800 MHz • Core 2 Duo: 800 MHz, 1066 MHz, 1333 MHz Em manutenção é preciso conhecer esses valores, pois é preciso configurá-los corretamente através de jumpers ou do CMOS Setup (capítulo 4). Se for configurado com um valor mais baixo que o correto, o computador ficará mais lento. Se for
  • 19. 12 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO configurado um valor mais alto, o processador poderá queimar. Então preste muita atenção no item seguinte, “FSB da placa mãe”. FSB da placa mãe O FSB é a ligação entre pinos do processador e pinos de circuitos da placa mãe (chipset). Para comprar corretamente uma placa mãe é preciso saber a velocidade do FSB desta placa. Para instalar corretamente um processador, é preciso configurar a velocidade do FSB da placa mãe igual à do FSB do processador. É claro que além disso, o processador deve ter um formato apropriado para o soquete existente na placa mãe. Quanto às velocidades, a regra a ser seguida é a seguinte: A velocidade do FSB da placa mãe deve ser igual ou superior à do FSB do processador. Alguns exemplos para Pentium 4: a) Placas para Pentium 4, FSB de 533 MHz (modelos antigos) Aceitam Pentium 4 com FSB de 533 ou 400 MHz b) Placas para Pentium 4 com FSB de 800 MHz: Aceitam Pentium 4 com FSB de 800, 533 ou 400 MHz c) Placas para Pentium 4 (Socket LGA 775) com FSB de 1066 MHz Aceitam processadores Intel para Socket 775, com 533, 800 e 1066 MHz. Alguns exemplos para Athlon XP e Sempron (Socket A): a) Placas com Socket A, FSB de 333 MHz: Aceitam Athlon XP com FSB de 333 ou 266 MHz, além do Sempron c) Placas com Socket A, FSB de 400 MHz: Aceitam Athlon XP com FSB de 400, 333 ou 266 MHz, e Sempron A velocidade do FSB de uma placa mãe está normalmente indicada na sua caixa. Em caso de dúvida, você também pode consultar o manual da placa. Esta informação está normalmente nas primeiras páginas do manual. Já o FSB do processador está normalmente indicado na sua caixa ou no próprio chip. Defeito: Nunca toque nos pinos metálicos do processador, pois você poderá danificá-lo com eletricidade estática. A maioria dos processadores modernos têm seus clocks interno e externo configurados de forma automática. Podemos citar como exemplo os processadores da família Athlon 64 e Pentium 4. Entretanto nos modelos antigos, a configuração de clocks era feita manualmente pelo CMOS Setup ou por jumpers na placa mãe (capítulo 4).
  • 20. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 13 Programas que identificam o processador Recomendamos o uso de dois programas muito úteis que nos dão inúmeras informações sobre o processador, a placa mãe e todos os dispositivos de hardware do computador. São eles o EVEREST e o HWINFO32. O programa EVEREST Instale o programa Everest, encontrado em www.lavalys.com. Depois de instalar e executar o programa, clique em Placa mãe e em Processador. O resultado é mostrado na figura 16. Note que existem muitas informações úteis. Entre elas observe o tipo de soquete (939), a potência elétrica dissipada pelo processador (89 a 110 watts), e vários outros itens importantes. As informações serão mais valiosas à medida em que você conhecer mais sobre hardware ao longo deste livro. Figura 16 Informações do programa Everest. Figura 17 O programa HWINFO32.
  • 21. 14 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO O programa HWINFO32 O programa HWINFO32 é obtido em www.hwinfo.com. Cuidado pois existem duas versões: uma para MS-DOS, usada a partir de um disquete (HWINFO) e uma versão que opera sob o Windows (HWINFO32). Ao executar o programa, clique em Central Processor no menu à esquerda. Clique então no processador indicado (no exemplo da figura 17, Athlon 64 X2 4800+). No painel à direita serão apresentadas diversas informações. Veja por exemplo o clock interno do processador, o soquete, informações sobre a cache, etc. Juntamente com o Everest, usaremos ao longo desse livro o HWINFO32 para apresentar informações sobre os tópicos de hardware ensinados. Processadores Intel A Intel é o maior fabricante mundial de processadores. Nos últimos anos foram lançados vários processadores, com diferentes tipos de soquetes e velocidades. A tabela abaixo apresenta um pequeno resumo: Processador Anos Soquetes Clock interno Clock externo Pentium II 1997-1998 Slot 1 233 a 500 MHz 66, 100 MHz Pentium III 1999-2001 Slot 1, Socket 370 450 a 1400 MHz 100, 133 MHz Celeron 1999-2001 Socket 370 233 a 1300 MHz 66, 100 MHz Pentium 4 2000-2007 423, 478, LGA775 1.3 a 3.8 GHz 400, 533, 800 MHz Celeron 2001-2004 Socket 478 1.7 a 2.8 GHz 400 MHz Celeron D 2003-2007 478, LGA775 2.13 a 3.6 GHz 533 MHz Pentium D 2005-2007 LGA775 2.66 a 3.6 GHz 533, 800 MHz Pentium EE 2005-2007 LGA775 3.2 a 3.73 GHz 800, 1066 MHz Core 2 Duo 2006- LGA775 1.8 a 3.0 GHz 800, 1066, 1333 MHz Core 2 Extreme 2006- LGA775 2.66 a 3.0 GHz 1066, 1333 MHz Core 2 Quad 2006- LGA775 2.40 a 2.66 GHz 1066 MHz Computadores com Pentium II, Pentium III e Celeron (primeira geração) já sumiram do mercado há muitos anos. O Pentium 4 surgiu em 2000 e ainda em 2007 podíamos encontrá-lo à venda, bem como suas versões simplificadas, o Celeron (2ª geração) e o Celeron-D (3ª geração). A nomenclatura de “gerações” não é oficial, estamos utilizando apenas para lembrar que muitos processadores diferentes têm sido fabricados com o nome “Celeron” e suas variantes. Em linhas gerais, os Celerons mais recentes são versões simplificadas do Pentium 4, com cache L2 menor e FSB de menor velocidade. Os cinco últimos processadores da tabela são multicore, ou seja, dois processadores dentro de um único chip. Os primeiros foram o Pentium D e o Pentium Extreme Edition. Cada um deles equivale a dois processadores Pentium 4 dentro de um só chip. Já os processadores denominados “Core” são uma nova geração, de maior desempenho. O Core 2 Duo é um processador dual. O Core 2 Quad é um processador de quatro núcleos. O Core 2 Extreme é fabricado em versões de 2 ou 4 núcleos. Você encontrará informações atualizadas sobre processadores Intel no link: http://processorfinder.intel.com A tabela apresentada pode ser muito útil na solução de problemas. Digamos por exemplo que o seu processador é um Celeron-D. A tabela mostra que essa família de
  • 22. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 15 processadores opera com clock externo de 533 MHz. Se sua placa mãe estiver configurada com FSB para 400 MHz, o seu processador terá a velocidade reduzida. Será preciso ajustar o FSB da placa mãe para que fique igual ao do processador. Isso é feito através de jumpers e do CMOS Setup. Um outro exemplo: suponha que você tenha comprado um computador com o processador Pentium 4 de 3.2 GHz. Suponha que ao medir a sua velocidade com o programa HWINFO32 ou com o EVEREST, esta seja indicada como 2.4 GHz, ao invés de 3.2 GHz (esse é um defeito muito comum). O motivo da redução de velocidade é um erro na configuração do FSB da placa mãe. Provavelmente a placa está configurada com 533 MHz, quando o correto seria 800 MHz. Fazendo o ajuste no CMOS Setup ou nos jumpers da placa mãe, a velocidade do processador ficará com seu valor correto. Figura 18 Pentium 4 para Socket 478. Pentium 4 A figura 18 mostra a parte superior e inferior de um processador Pentium 4 para Socket 478. A tabela de processadores que apresentamos mostra que outros processadores Intel também usaram esse formato, como o Celeron e o Celeron-D. A figura 19 mostra o Socket 478. Como este soquete é relativamente frágil, o cooler do processador não fica preso nele. Ao invés disso, o cooler é preso em um suporte plástico que fica em torno do soquete. O soquete tem uma alavanca lateral para travar e remover o processador. Figura 19 Socket 478, com o suporte plástico para fixação do cooler do processador ao seu redor.
  • 23. 16 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO O Socket LGA 775, usado pelos processadores Intel mais recentes, já foi apresentado nas figura 14 e 15. Os processadores que usam esse formato não tem pinos, e sim, contatos metálicos lisos (figura 20). Os pinos ficam localizados no soquete. Este processador só encaixa no soquete na posição correta, graças ao seus chanfros laterais (figura 20). Nunca toque nos pinos do Socket LGA 775, o que iria danificá-los. Figura 20 Processadores Intel modernos não têm pinos, apenas contatos planos. Os pinos ficam no soquete. Pentium D e Pentium Extreme Edition O Pentium D e o Pentium Extreme Edition foram os primeiros processadores duais fabricados pela Intel. São formados por dois núcleos de Pentium 4, dentro de um mesmo chip. O Pentium D é portanto equivalente a uma dupla de processadores. O Pentium Extreme Edition é formado por dois núcleos de Pentium 4 HT (Hyper- Threading). É “visto” como quatro processadores, mas na verdade são dois processadores HT de alto desempenho. Todos os modelos de Pentium D e Pentium Extreme Edition usam o Socket LGA 775, porém existem diferenças quanto ao clock externo (533, 800 ou 1066 MHz) e ao tamanho da cache L2 (1 MB, 2 MB ou 4 MB). Figura 21 Core 2 Duo. Core 2 Duo, Core 2 Extreme, Core 2 Quad Internamente esses processadores têm uma arquitetura completamente diferente da usada pelo Pentium 4, porém executam as mesmas instruções e usam o mesmo formato que as versões mais novas do Pentium 4, sendo portanto instalados em placas para
  • 24. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 17 Socket LGA 775. É preciso entretanto checar se a placa mãe suporta esses processadores, não basta que exista compatibilidade de soquete. OBS: Inúmeras informações também podem ser obtidas em http://processorfinder.intel.com, no caso de processadores Intel. Use os programas EVEREST ou HWINFO32 para descobrir mais informações sobre o seu processador. Processadores AMD A AMD é o segundo fabricante mundial de processadores. No Brasil, sua participação no mercado é bastante significativa, chegando a rivalizar com a Intel, e em certos segmentos ultrapassando a líder mundial. A tabela abaixo mostra os processadores AMD produzidos nos últimos anos. Processador Anos Soquetes Clock interno Clock externo K6 1997-1998 Socket 7 200 a 333 MHz 66 MHz K6-2, K6-III 1998-2000 Super 7 300 a 550 MHz 66, 95, 100 MHz Ahtlon 1999-2002 Slot A, Socket A 500 a 1400 MHz 200, 266 MHz Ahtlon XP 2001-2004 Socket A 1.4 a 2.2 GHz 266, 333, 400 MHz Duron 2001-2005 Socket A 550 a 1800 MHz 200, 266 MHz Sempron 2005- Socket A, 754, AM2 1.5 a 2.2 GHz 333, 400, 667 MHz Athlon 64 2003- 754, 939, AM2 1.8 a 2.6 GHz 400, 800 MHz Athlon 64 FX 2003- 939, 940, AM2 2.2 a 3.0 GHz 400, 800 MHz Athlon 64 X2 2005- 939, AM2 1.9 a 3.0 GHz 400, 800 MHz É difícil descrever em uma tabela informações sobre mais de 10 anos de produção de processadores. Por isso vamos apresentar os detalhes aos poucos. Processadores da família K6 não serão abordados nesse livro, mas você encontrará detalhes na área de artigos de www.laercio.com.br. Processadores da família Athlon foram produzidos durante vários anos. Os primeiros tinham um formato de cartucho, chamado Slot A, que também não serão abordados nesse livro. Logo depois a AMD adotou o Socket A, utilizados pelos processadores Athlon, Athlon XP, Duron e pelas primeiras versões do Sempron. Figura 22 Processador Athlon e o Socket A.
  • 25. 18 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO O Duron é na verdade um processador Athlon, porém com cache L2 menor (apenas 64 kB, contra 256 kB ou 512 kB do Athlon ou Athlon XP), e com clock externo de apenas 200 ou 266 MHz (o Athlon XP tem modelos de até 400 MHz de clock externo). As primeiras versões do Sempron, que usavam o Socket A, eram na verdade processadores Athlon XP, mas com nomenclatura e numeração diferentes. Você encontrará uma tabela com os processadores que usam Socket A em: http://www.laercio.com.br/downloads/pdf/athlon.pdf. Ao longo dos anos, o Socket A aumentou de velocidade. As primeiras placas mãe com este soquete operavam com FSB de 200 MHz. Depois foram lançadas placas mãe e processadores para Socket A com FSB de 266, 333 e finalmente 400 MHz. Defeito: É muito comum encontrar computadores com o Sempron, Athlon XP e outros processadores para Socket A, operando com clock interno (externo) abaixo do correto. É preciso descobrir o clock externo correto do processador e configurá-lo corretamente no CMOS Setup. Vários soquetes diferentes têm sido utilizados pelos processadores da família Athlon 64. O primeiro deles foi o Socket 940, que foi muito pouco utilizado. Seu uso foi restrito a servidores. Os soquetes mais populares para esses processadores foram o Socket 754, o Socket 939 e mais recentemente o Socket AM2. Figura 23 Soquetes 754, 939 e AM2. A diferença mais importante entre os soquetes AMD é o tipo de memória suportada. Processadores para Socket AM2 operam com memórias DDR2 de 128 bits (dois canais de 64 bits). Processadores Athlon 64, Athlon 64 FX e Athlon 64 X2 com Socket AM2 operam com memórias DDR2/400, DDR2/533, DDR2/667 e DDR2/800. Os novos processadores Sempron para Socket AM2 suportam memórias até DDR2/667. Já os soquetes mais antigos (754 e 939) operam no máximo com memórias DDR400, e com um ou dois canais de memória, respectivamente. Soquete Número de bits Memória 754 64 DDR 939 128 DDR AM2 128 DDR2
  • 26. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 19 Figura 24 Processador Athlon 64. Processadores da família Athlon 64 são muito parecidos entre si. Todos têm sua face superior com o aspecto mostrado na figura 24. As diferenças físicas ficam por conta dos pinos da sua parte inferior, já que a disposição dos pinos dos soquetes são diferentes, de acordo com o tipo de soquete (figura 23). Compatibilidade de soquetes Quase não existem restrições de compatibilidade entre processadores da família Athlon 64 e seus soquetes. Em outras palavras: a) Uma placa mãe com Socket 754 suportará qualquer processador para Socket 754 (Athlon 64 e Sempron). b) Uma placa mãe com Socket 939 suportará qualquer processador Athlon 64 ou Athlon 64 FX com Socket 939. Dependendo da placa, suportará também o Athlon 64 X2 para Socket 939. c) Uma placa mãe com Socket AM2 suportará qualquer processador para Socket AM2: Sempron, Athlon 64, Athlon 64 FX, Athlon 64 X2. Informações atualizadas sobre processadores AMD Você encontrará informações atualizadas sobre os processadores produzidos pela AMD no seguinte link, que fica no próprio site deste fabricante: www.amdcompare.com. Slots da placa mãe Muitos micros, sobretudo os mais baratos, usam placas mãe com “tudo onboard”. Ainda assim as placas mãe permitem que sejam instaladas novas placas com melhor desempenho. Por exemplo, se o vídeo onboard não for satisfatório para determinados jogos com gráficos muito sofisticados, podemos instalar uma placa de vídeo no computador. Outro exemplo: se a interface de rede onboard queimar, podemos instalar uma placa de rede avulsa. Novas placas podem ser instaladas no computador graças à presença de conectores chamados slots. Placas mais simples e compactas (mini ATX e micro ATX) normalmente possuem três ou quatro slots. Placas full ATX, que são maiores, têm até 7 slots.
  • 27. 20 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO Figura 25 Uma placa mãe e seus slots. Os tipos mais comuns de slots são o PCI e o AGP. A placa da figura 25 possui três slots PCI e um slot AGP. Os slots PCI são usados para placas de som, rede, modem, etc. Os slots PCI são usados exclusivamente para placas de vídeo. Figura 26 Exemplos de placas PCI. Figura 27 Uma placa de vídeo AGP.
  • 28. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 21 Slots PCI Express (PCI-E) O PCI Express é a nova geração de slots que está substituindo aos poucos os antigos slots PCI e AGP. Existem slots PCI Express de vários tamanhos. O PCI Express x16 destina-se a substituir o AGP. A maioria das placas de vídeo produzidas atualmente são do tipo PCI Express x16. Figura 28 Figura 29 Slot PCI Express x16. Placa de vídeo PCI Express x16. Além do tipo x16, encontramos ainda slots PCI Express mais simples, como x1, x4 e x8. Destinam-se a placas de expansão de alta velocidade, como controladoras de disco, interfaces de rede de alta velocidade, etc. Entretanto, não são tão comuns quanto placas de vídeo no padrão x16. Praticamente todas as placas mãe produzidas a partir de 2006 possuem slots PCI Express x16, para a instalação de placa de vídeo do mesmo tipo. Figura 30 Figura 31 Slots PCI Express x1. Placa de rede padrão PCI Express x1. Chipset O chipset é uma importante dupla de chips existentes na placa mãe. São chamados de Ponte Norte e Ponte Sul. A Ponte Norte faz a ligação entre o processador, a memória e o slot AGP / PCI Express x16. Também possui os circuitos de vídeo onboard (é claro, quando a placa mãe tem vídeo onboard). A Ponte Sul controla os slots PCI e possui no seu interior as interfaces de disco, interfaces USB, e na maioria dos casos, possui também as interfaces de som onboard e rede onboard.
  • 29. 22 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO Figura 32 Uma placa mãe, dando destaque ao chipset: (N): Ponte Norte (S): Ponte Sul Gabinetes e fontes de alimentação O gabinete é a caixa metálica que abriga as peças do micro. A primeira característica que chama a atenção é o seu tamanho. Existem gabinetes chamados mini-torre (mini tower), com pouco mais de 35 cm de altura. Em micros de baixo custo, normalmente os fabricantes usam esse tipo de gabinete, pois são um pouco mais baratos que gabinetes maiores. Esses gabinetes são adequados para uso em computadores mais simples. Em micros mais avançados são normalmente usados gabinetes midi-torre, também chamados de “gabinetes de quatro baias”, mostrados na figura 33. Tem pouco mais de 45 cm de altura. Figura 33 Gabinetes midi-torre. Gabinetes como os da figura 33, por serem maiores, oferecem melhor circulação do ar no seu interior. Isso é importante para melhorar a sua refrigeração interna. Computadores avançados normalmente possuem diversos componentes que geram muito calor, tais como o processador, o chipset, a placa de vídeo 3D, os gravadores de CD ou DVD, e disco rígido de alto desempenho. Já os micros de menor custo usam processadores mais simples, que geram menos calor, usam vídeo onboard e apenas um disco rígido de moderado desempenho. Por gerarem menos calor, é aceitável que usem gabinetes mini-torre. Sua refrigeração menos eficiente que a dos gabinetes maiores não comprometerá o funcionamento do computador.
  • 30. Capítulo 1 – Fundamentos de hardware 23 Os gabinetes são normalmente vendidos junto com a fonte de alimentação. A fonte já é fixada ao gabinete, e possui diversas conexões para alimentar a placa mãe e as unidades de disco. Defeito: Problemas de aquecimento podem ocorrer em micros muito avançados que estejam usando um gabinete muito compacto. Uma solução para o problema é trocar o gabinete por outro maior, equipado com ventiladores auxiliares (dianteiro e traseiro). Fonte de alimentação A fonte de alimentação recebe tensão da rede elétrica, em corrente alternada, 110 ou 220 volts, e gera as tensões contínuas que o computador precisa para seus chips. São tensões como 3.3 volts, 5 volts e +12 volts. Uma característica das fontes de alimentação é a sua potência, medida em Watts. São comuns no mercado fontes de 350 até 600 watts. De um modo geral, fontes de maior potência funcionam melhor, pois são menos sensíveis a variações causadas por interferências e flutuações na rede elétrica. Quando um computador é muito equipado, é recomendável usar uma fonte de maior potência. Nesses casos é comum usar fontes de 450 a 600 watts. Nos PCs mais modestos, fontes de 300 ou 350 watts são comuns e suficientes. Ainda assim, quando o micro trava aleatoriamente, um dos motivos pode ser a insuficiência de potência da fonte. Instalar uma fonte de alimentação de maior potência pode ser a solução. Conectores da fonte de alimentação A fonte de alimentação recebe energia da rede elétrica e a transforma em corrente contínua com baixa voltagem, para alimentar todas as peças internas do computador. Para isso, a fonte de alimentação possui diversos conectores. Normalmente, dois desses conectores são ligados na placa mãe. Outros são ligados nas unidades de disco. Figura 34 Figura 35 Fonte de alimentação. Os cabos internos da fonte de alimentação que são ligados nas unidades de disco. A figura 34 mostra uma fonte de alimentação. Possui vários cabos internos para enviar corrente elétrica para as peças do computador. Na figura 35 vemos os cabos da fonte
  • 31. 24 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO que enviam corrente para as unidades de disco (drive de disquetes, disco rígido, unidades de CD/DVD). Defeito: Se um conector de alimentação for ligado de forma errada em uma placa mãe ou unidade de disco (invertido ou deslocado, por exemplo), a placa ou unidade de disco queimará. Várias outras peças do computador também queimarão. Por isso preste muita atenção ao fazer essas conexões. As primeiras fontes ATX, comuns desde as placas de Pentium II até modelos recentes, tinham um conector ATX de 20 pinos, mostrado na figura 36. As placas mãe atuais (2002 em diante) possuem um segundo conector de alimentação, com 4 pinos. A figura 36 mostra tanto o conector ATX de 20 pinos quanto o de 4 pinos (12 volts), encontrado nas fontes atuais. Todas as placas mãe atuais usam esses dois conectores. Fontes e placas mãe ATX ainda mais novas já substituíram o tradicional conector ATX de 20 pinos por uma nova versão de 24 pinos. Figura 36 Conectores da fonte que alimentam a placa mãe. 
  • 32. Capítulo 2 Instalando e configurando o Windows Instalação do Windows XP Sistemas operacionais modernos são de instalação muito simples. Mostraremos agora a instalação do Windows XP, que é muito parecida com a do Windows 2000. A instalação do Windows Vista, por incrível que pareça, é mais fácil ainda. Para instalar esses sistemas realizamos um boot com o CD ou DVD de instalação. Você pode obter informações detalhadas sobre todos os assuntos desse capítulo, na área de ARTIGOS do nosso site: www.laercio.com.br. Seqüência de boot Para realizar boot com CD ou DVD é preciso alterar a seqüência de boot no Advanced BIOS Setup (capítulo 4). O comando exato varia de acordo com o Setup utilizado. Podemos escolher qualquer opção que tenha a unidade de CD/DVD antes do drive C na seqüência. Por exemplo: 1st boot device: CD-ROM 2nd boot device: Hard Disk O programa de instalação do Windows XP Estando gravadas as alterações no Setup, bastará colocar o CD ou DVD de instalação do Windows. O boot será feito pela unidade de CD/DVD. O programa de instalação agora estará carregado. Pressione ENTER para continuar. Quando for apresentado na tela um contrato de licença, pressione a tecla F8. Finalmente será apresentada uma tela indicando o disco rígido como “Espaço não particionado” – é o que ocorre com um disco rígido “vazio”. No nosso caso (figura 1) temos um disco rígido de 38.194 MB (aproximadamente 40 GB).
  • 33. 26 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO Figura 1 Disco rígido novo é indicado como “Espaço não particionado”. Disco rígido não reconhecido Quando usamos um disco rígido SATA, é possível que o programa de instalação do Windows não “reconheça” esse disco. Ao invés de ser apresentada uma tela como a da figura 1, é apresentada uma mensagem de erro informando que não foi detectado disco rígido no sistema. Nesse caso leia a seção “Disco rígido não reconhecido”, mais adiante nesse capítulo. Partição única Se quiser que o disco rígido inteiro seja usado como um drive C: (partição única), basta pressionar ENTER na tela da figura 1. A tela seguinte (figura 2) perguntará como desejamos fazer a formatação. São apresentadas quatro opções. Recomendamos que seja usada a opção NTFS NORMAL, que é aquela já selecionada por padrão. Figura 2 É recomendada a formatação normal com NTFS. A formatação do disco rígido será realizada. A operação demora alguns minutos. Logo após a formatação, o programa de instalação copiará os arquivos do CD-ROM para a pasta C:WINDOWS do disco rígido. Terminadas a formatação e a cópia de arquivos, o programa de instalação irá reiniciar o computador. Dividindo o disco rígido Digamos que você não queira usar o disco rígido inteiro como drive C, e sim, dividi-lo em dois ou mais drives lógicos. Dividir o disco rígido traz várias vantagens, como
  • 34. Capítulo 2 – Instalando e configurando o Windows 27 facilitar operações de backup e de recuperação de dados. Para particionar o disco, pressione C para criar uma partição na tela da figura 1. A tela seguinte (figura 3) perguntará o tamanho desta partição, que será o drive C. No nosso exemplo usaremos o tamanho 20000 (cerca de 20 GB). Digite o tamanho desejado, seguido de ENTER. Figura 3 Digite o tamanho desejado para o drive C, medido em megabytes (MB). O programa de instalação voltará para a tela anterior (figura 4), indicando que agora o disco rígido tem um drive C com 20003 MB (aproximadamente 20 GB), e ainda mais 18191 MB de espaço não particionado. Use agora a seta para baixo para selecionar o espaço não particionado e pressione C para criar mais uma partição. Figura 4 Criado drive C com cerca de 20 GB. A tela seguinte perguntará o tamanho da segunda partição. Se quiser usar todo o espaço restante no disco, pressione apenas ENTER, o tamanho restante já está preenchido. Nosso disco ficou então dividido em duas unidades: C=20003 MB e E=18183 MB. O programa de instalação deixa um pequeno espaço sem uso no final do disco, pode ser de 2 MB, 4 MB ou 8 MB, dependendo do tamanho total do disco. OBS: O programa de instalação particiona o disco rígido, mas irá formatar apenas o drive C. Os demais drives lógicos deverão ser formatados pelo usuário, depois que terminar a instalação do Windows, como mostraremos mais adiante nesse capítulo. OBS: Note na figura 5 que as partições foram chamadas de C e E. Se você quiser mudar para C e D, delete ambas as partições (use o comando “D”) e crie-as novamente. Sendo criadas pela segunda vez, passarão a utilizar as letras C e D.
  • 35. 28 RESOLVENDO PROBLEMAS NO SEU MICRO Figura 5 Disco rígido ficou dividido em dois. Instalação em um disco rígido usado Quando começamos a instalação do Windows XP em um disco que já possui uma versão anterior do Windows, o procedimento é um pouco diferente. Ao invés de ir diretamente para a tela da figura 1, o programa de instalação apresenta a tela perguntando se queremos fazer uma instalação nova ou recuperar a instalação existente. É preciso teclar ESC para fazer uma nova instalação do Windows, ignorando a instalação antiga. A outra opção é a instalação “por cima” da antiga, que preserva dados e programas, e eventualmente pode ser usada para recuperar arquivos de sistema corrompidos. Ou seja, antes de apagar tudo e instalar o Windows “zerado”, vale a pena tentar uma instalação “por cima” para consertar arquivos do sistema. Após particionar o disco da forma que achar mais conveniente, selecione o drive C para fazer a instalação. Escolha a opção de formatação com NTFS (figura 2). O programa de instalação formatará o drive C e prosseguirá com a instalação. Figura 6 Configuração de idioma e teclado. O computador reinicia Depois da formatação e cópia dos arquivos, o computador será reiniciado. A instalação prosseguirá de forma automática durante alguns minutos. Finalmente será mostrado o
  • 36. Capítulo 2 – Instalando e configurando o Windows 29 quadro da figura 6 (configuração do teclado). O Windows XP em português já vem configurado para o idioma português e layout de teclado definido como ABNT (aquele que tem a tecla Ç). Se o seu teclado é ABNT, basta clicar em Avançar. Se o seu teclado for do tipo “Estados Unidos Internacional” (aquele que não tem a tecla Ç), então clique em Detalhes. Será apresentado um quadro onde devemos escolher o idioma Português-Brasil e o layout como Estados Unidos Internacional. Clique no teclado ABNT e a seguir no botão Remover. O quadro seguinte perguntará o nome do usuário e da empresa (figura 7). Digite então essas informações. Recomendamos que você não deixe o nome da empresa em branco. Digite por exemplo CASA, se estiver configurando um micro doméstico. Figura 7 Nome do usuário e empresa. No quadro seguinte, digite a chave do produto, impressa em uma etiqueta existente na embalagem original do Windows XP. Não perca esta embalagem, pois você precisará digitar esta chave sempre que for instalar o Windows. A seguir será perguntado o nome do computador, informação necessária para o funcionamento do computador em rede. Você pode deixar o nome que o próprio Windows já configura, ou então digitar outro nome de seu agrado. Não é permitido usar espaços em branco no nome do computador. Caso esteja instalando o Windows XP Professional, será também perguntada a senha do administrador. Pode deixar em branco, mas se preencher esta senha, anote-a em um local seguro. Caso o computador possua uma placa fax/modem, o programa de instalação pedirá que seja digitado o código de área da cidade. Também configuramos aqui o tipo de discagem, que normalmente é por TOM, exceto em centrais telefônicas muito antigas. Na tela seguinte são perguntadas a data e a hora. Podemos corrigi-las aqui, caso estejam erradas. Indicamos também o fuso horário e o ajuste automático do horário de verão. Se o computador possuir uma placa de rede, e esta placa for “reconhecida” durante a instalação do Windows, será apresentado um quadro onde devemos escolher Configurações de rede típicas.