Tipos e formatos de imagens

2.872 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.872
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tipos e formatos de imagens

  1. 1. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia Caracterização de vários tipos e formatos de imagens Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  2. 2. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Temáticas a abordar: - Tipos - Formatos de ficheiros e extensões - Resolução - Cores -Sistemas de normalização e reprodução da cor - Imagens para internet Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  3. 3. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Temáticas a abordar: - Tipos − Imagens vectoriais (revisão de 1.5) − Imagens matriciais/mapas de bits − Diferenças (revisão de 1.5) Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  4. 4. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Temáticas a abordar: - Formatos de ficheiros e extensões − Psd − Art − Eps − Tiff − Jpeg − Gif − Png… Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  5. 5. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Temáticas a abordar: - Resolução − Pixels − mm − cm Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  6. 6. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Temáticas a abordar: - Cores − Síntese aditiva − Síntese subtractiva Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  7. 7. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Temáticas a abordar: - Sistemas de normalização e reprodução da cor − Quadricromia − RGB (monitor) − Pantone Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  8. 8. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Temáticas a abordar: Imagens para internet − Formatos − Slices/Recortes − Cores − Padrões Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  9. 9. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia Tipos de Imagens
  10. 10. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Nesta sessão vamos abordar os seguintes pontos: − Imagens vectoriais (revisão de 1.5) − Imagens matriciais/mapas de bits − Diferenças (revisão de 1.5)
  11. 11. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que são imagens vectoriais? Em computação gráfica, imagem vetorial é um tipo de imagem gerada a partir de descrições geométricas de formas, diferente das imagens chamadas mapa de bits, que são geradas a partir de pontos minúsculos diferenciados por suas cores. Uma imagem vetorial normalmente é composta por curvas, elipses, polígonos, texto, entre outros elementos, isto é, utilizam vetores matemáticos para sua descrição. Em um trecho de desenho sólido, de uma cor apenas, um programa vetorial apenas repete o padrão, não tendo que armazenar dados para cada pixel.
  12. 12. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que são imagens vectoriais? As Curvas de Bézier são usadas para a manipulação dos pontos de um desenho. Cada linha descrita em um desenho vetorial possui nós, e cada nó possui alças para manipular o segmento de reta ligado a ele.
  13. 13. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que são imagens vectoriais? Por serem baseados em vetores, esses gráficos geralmente são mais leves (ocupam menos espaço em mídias de armazenamento) e não perdem qualidade ao serem ampliados, já que as funções matemáticas adequam-se facilmente à escala, o que não ocorre com gráficos raster que utilizazam métodos de interpolação na tentativa de preservar a qualidade. Outra vantagem do desenho vetorial é a possibilidade de isolar objetos e zonas, tratando-as independentemente.
  14. 14. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Vantagens e desvantagens das imagens vectoriais? V. Possibilidade de isolar objectos V. Objectos independentes V. Não há perda de qualidade e informação da imagem V. Imagens mais leves D. Recurso a um software de vectorização D. Perda de tempo na elaboração da imagem D. Utilização de cores sólidas limitativa
  15. 15. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Onde e como devemos utilizar imagens vectorias? As imagens vectoriais são normalmente utilizadas: Para impressão de cartazes, panfletos, flyers, cartões de visita. Para criar logótipos e símbolos que podem fazer variar os seus tamanhos. Em modelizações 3D, uma vez que são representações matemáticas.
  16. 16. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Formatos de imagens vectorias? SVG - Padrão para gráficos vectoriais recomendado pela W3C CDR - Formato proprietário da Corel AI - Formato Adobe Illustrator EPS - Encapsulated PostScript WMF- Windows Meta File
  17. 17. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que são imagens de mapa de bits? Imagens raster (ou bitmap, que significa mapa de bits em inglês) são imagens que contém a descrição de cada pixel, em oposição aos gráficos vectoriais. O tratamento de imagens deste tipo requer ferramentas especializadas, geralmente utilizadas em fotografia, pois envolvem cálculos muito complexos, como interpolação, álgebra matricial, etc. Um bitmap pode ser monocromático, em escala de cinza ou colorido. Normalmente os pixels são formados no padrão RGB, do inglês Red, Green, Blue, que utiliza três números inteiros para representar as cores vermelho, verde e azul ou RGBA, quando o formato possui transparecia (sendo A o nível de alfa de cada pixel).
  18. 18. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que são imagens de mapa de bits? A cada ponto da imagem exibida na tela ou papel corresponde um pixel desta grade, de forma que a maioria das imagens requer um número muito grande de pixels para ser representada completamente. Por exemplo, uma imagem comum de 800 pixels de largura por 600 de altura necessita de 3 bytes para representar cada pixel (um para cada cor primária RGB) e mais 54 bytes de cabeçalho. Isso totaliza 1.440.054 bytes.
  19. 19. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que são imagens de mapa de bits?   Embora a representação de imagens na  memória RAM seja feita geralmente em  bitmaps, quando se fala em um grande  número de imagens armazenadas em  discos magnéticos e transmissão de  dados via redes surge a necessidade de  compressão desses arquivos, para reduzir  o espaço ocupado e o tempo de  transmissão.
  20. 20. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Vantagens e desvantagens das imagens de mapa de bits? V. Qualquer imagem pode ser gravada em mapa de bits.  V. Possui recursos de fácil manipulação e tratamento (efeitos especiais).  V. Versatilidade D. As imagens em bitmap de alta resolução geram arquivos de tamanho muito grande.  D. O tamanho da imagem, quando alterado, pode perder resolução e qualidade.  D. Para a manipulação e o tratamento é necessário conhecimento mínimo de computação  gráfica.   
  21. 21. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Onde e como devemos utilizar imagens de mapa de bits? As imagens de mapa de bits são frequentemente utilizadas em todos os dispositivos  electrónicos São utilizadas nas páginas de internet As fotografias digitais têm o formato de mapa de bits   Vectorial Mapa de Bits
  22. 22. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Formatos de imagens de mapa de bits? GIF  PNG  JPG   
  23. 23. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Extras   Software: Vectorial: software de edição vectorial p.e. Illustrator, http://inkscape.org/ Mapa de bits: software de edição vectorial p.e. Photoshop, Paint Video Tutorial: http://www.youtube.com/watch?v=Bos5TQXOzr4  
  24. 24. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Exercício1:  Num conjunto de imagens saber distinguir quais as imagens que foram elaboras  vectorialmente e as que foram elaboradas em mapa de bits. Ver imagens   Exercício2: Para uma determinada tarefa/função qual a imagem que devo utilizar (vectorial ou mapa  de bits). Ver anexo Exercício3: Elabore uma imagem vectorial e uma imagem em mapa de bits. Imagem vectorial:  Imagem mapa de bits: Paint  
  25. 25. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia Formatos de ficheiros e extensões
  26. 26. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Nesta sessão vamos abordar os seguintes pontos: − O que são extensões de imagens − Tipos de extensão de imagens − Extensões mais utilizadas
  27. 27. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que são as extensões das imagens? A noção de extensão do nome de um ficheiro criada pelos sistemas operativos DOS  (incluindo o Windows), para diferenciar os vários ficheiros externamente ao seu  conteúdo. Consiste em apenas alguns caracteres (3 ou 4,atualmente) no final do nome,  precedidos por um ponto.  
  28. 28. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Tipos de extensões de ficheiros de imagem? De seguida temos uma lista de extensões exclusivas aos ficheiros de imagem: 
  29. 29. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  30. 30. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  31. 31. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  32. 32. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  33. 33. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  34. 34. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Extensões de imagens vectoriais? SVG - Padrão para gráficos vectoriais recomendado pela W3C CDR - Formato proprietário da Corel AI - Formato Adobe Illustrator EPS - Encapsulated PostScript WMF- Windows Meta File  
  35. 35. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Extensões de imagens em mapa de bits? Jpeg – Imagem em Bitmap Gif - Imagem em Bitmap com suporte de transparência Png - Imagem em Bitmap com suporte de transparência (evolução do Gif)  
  36. 36. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Extensões mais utilizadas e a sua definição? PSD - PSD é um método criado pela Adobe Systems Incorporated especialmente para  imagens do produto Adobe Photoshop. Ele grava diferentes camadas de imagens com  máscaras, espaço de cores, perfil ICC, transparencia, texto, canais alfa, focos de cor,  clipping path e configurações de duplo tom. É aberto por poucos programas além do  próprio Photoshop. É raster, ou seja, armazena a descrição de cada pixel. EPS - Desenvolvido pela Adobe, o PostScript é uma linguagem de descrição de páginas. Ao  invés de definir píxeis, o PostScript é composto por um conjunto de comandos que são  interpretados por um dispositivo de saída (impressoras, por exemplo). Ele pode ser usado  para armazenar gráficos (i.e., vetores), imagens raster (bitmap) ou ambos. Por não conter  uma representação direta de píxeis, um arquivo EPS não pode ser lido por programas de  manipulação de imagens (embora possa ser lido por programas de editoração), mas  apenas criado por eles para gerar saídas. O PostScript é capaz de manipular texto e  desenhos de maneira eficiente e com qualidade superior ao bitmap, mas não é capaz de  armazenar imagens fotográficas, de modo que elas devem ser representadas como  bitmaps.
  37. 37. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Extensões mais utilizadas e a sua definição? TIFF - O TIFF (acrónimo para Tagged Image File Format) é um formato de arquivo raster (popularmente chamado de bitmap, no Brasil) para imagens digitais criado pela Aldus para uso no processo de impressão PostScript, que agora é controlado pela Adobe. Transformou-se no formato padrão dos arquivos gráficos (32-bits) com elevada definição de cores. GIF - é um formato de imagem de mapa de bits muito usado na world wide web, quer para imagens fixas, quer para animações.
  38. 38. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Extensões mais utilizadas e a sua definição? PNG - formato de dados utilizado para imagens, que surgiu em 1996 como substituto para o formato GIF, devido ao facto de este último incluir algoritmos patenteados. Esse formato livre é recomendado pela W3C, suporta canal alfa, tem uma maior gama de profundidade de cores, alta compressão (regulável), além de outras características. Além disso, o formato PNG permite comprimir as imagens sem perda de qualidade e retirar o fundo de imagens com o uso do canal alfa. O canal alfa, diferentemente da transparência do GIF, é capaz de definir o nível de opacidade de cada pixel, adequando-se a qualquer fundo de um site ou apresentação, sem serrilhamento, algo que não se consegue com os outros formatos populares. Por isso é um formato válido para imagens que precisam manter 100% da qualidade para reuso. Pode ser usado na maioria dos programas de edição de imagens como o Adobe Fireworks (proprietário) e o GIMP (livre).
  39. 39. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Extensões mais utilizadas e a sua definição? JPG - PEG (ou JPG) é um método comumente usado para comprimir imagens fotográficas. O grau de redução pode ser ajustado, o que permite a você escolher o tamanho de armazenamento e seu compromisso com a qualidade da imagem. Geralmente se obtém uma compressão com pouco perceptível perda na qualidade da imagem. Além de ser um método de compressão, é frequentemente considerado como um formato de arquivo. JPEG / Exif é o formato de imagem mais comum usado por câmeras digitais e outros dispositivos de captura de imagem, juntamente de JPEG / JFIF, que também é um outro formato para o armazenamento e transmissão de imagens na World Wide Web. JPEG / JFIF é o formato usado para armazenar fotos e transmiti-las através da Internet. Geralmente desconsideram-se os formatos e dizemos simplesmente JPEG.
  40. 40. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Extras: Sem extras
  41. 41. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Exercício1 Num conjunto de imagens saber caracterizar a extensão dos ficheiros. Exercício2 Para cada exemplo indique a extensão mais aproriada. Exercício1 Caracterize cada um dos seguintes tipos de extensões.
  42. 42. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia Resolução de imagem
  43. 43. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Nesta sessão vamos abordar os seguintes pontos: − O que é a resolução de uma imagem − Resolução em pixeis − Resolução em DPIs
  44. 44. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que é a resolução de uma imagem? A Resolução de imagem descreve o nível de detalhe que uma imagem comporta. O termo aplica-se igualmente a imagens digitais, imagens em filme e outros tipos de imagem. Resoluções mais altas significam mais detalhes na imagem. Exitem dois parâmetros importantes quanto à resolução de uma imagem: - Pixeis - DPIs Vamos estudá-los de seguida…
  45. 45. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Resolução em pixeis? O termo resolução é frequentemente utilizado como uma contagem de pixels em imagens digitais, ainda que os padrões norte-americanos, japoneses e internacionais especifiquem que isso não deve ser utilizado, pelo menos no campo das câmaras digitais. Uma imagem de X pixels de altura por Y pixels de largura pode ter qualquer resolução inferior a Y linhas de altura da imagem ou X linhas de TV. Mas, quando a contagem de pixels é referenciada como resolução, a convenção é descrever a resolução em pixels como o conjunto de dois números positivos inteiros, em que o primeiro número é a quantidade de colunas (largura) de pixels e o segundo é número de linhas (altura) de pixels; algo como 640 X 480, por exemplo. Outra convenção popular é citar a resolução como a quantidade total de pixels na imagem, tipicamente informada como o número de megapixels, os quais podem ser calculados multiplicando-se as colunas de pixels pelas linhas de pixels e dividindo-se o resultado por um milhão. Outras convenções incluem descrever pixels por unidade de comprimento ou pixels por unidade de área, tais como pixels por polegada ou por polegada quadrada. Nenhuma dessas resoluções em pixels são resoluções de verdade, mas elas são amplamente citadas como tal; servem como limite superior em resolução de imagem.
  46. 46. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Resolução em pixeis? Abaixo está uma ilustração de como a mesma imagem pode aparecer em diferentes resoluções de pixels, se os pixels forem pobremente renderizados como quadrados. Normalmente, uma reconstrução suave da imagem a partir dos pixels seria preferencial, mas para efeito didático, os quadrados ilustram melhor a situação
  47. 47. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Resolução em DPIs? DPI é uma medida de resolução da imagem de uma impressora ou de um monitor. Essa sigla significa Dots per Inch e que no português quer dizer Pontos por Polegada. Normalmente a maioria das câmeras digitais capturam as imagens em 72 dpi porque esta é uma resolução que, num monitor, apresenta-se de modo aceitável, mas se imprimirmos a foto assim, no papel ficará simplesmente terrível, como uma série de quadradinhos de cores aglomerados lado a lado. Assim, antes de imprimir, se a câmera salva as imagens em 72 dpi, teremos que abrir a foto num programa editor de imagem e mudar a resolução, passando a resolução de 72 dpi para 300 dpi, se quisermos realmente ver impressa uma foto com qualidade e tamanho aceitáveis. Concluímos assim que as resoluções com valores 72, 85 e 92 dpi podem ser consideradas baixas e são mais usadas em imagens que serão exibidas em monitores, e as resoluções que possuem os valores de 150, 200 e 300 dpi são consideradas altas, conseqüentemente mais usadas em empresas gráficas para realizações de impressos.
  48. 48. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Resolução em DPIs? Uma resolução bastante comum para impressão de arquivos em offset, e suficiente para 95% dos trabalhos de alta qualidade, é 254 dpi. Para saber que tamanho em centímetros imprimirá um arquivo nesta resolução, basta dividir o número de pixel por 100. Por exemplo, nessa resolução uma imagem de 1800 x 1200 pixels imprime um arquivo de 18 por 12 cm. Para cada sistema de impressão existe uma resolução ideal. Resoluções acimas dela resultarão arquivos maiores sem ganhos de qualidade, menores resultarão em perda de definição de detalhes e pixelização (jaggies). A tabela abaixo apresenta resoluções comuns para cada sistema de impressão. Impressoras jato de tinta 300 dpi - 72 dpi (ecrã) Impressoras jato de tinta 600 dpi - 200 dpi Impressão offset 60 l/cm - 254 dpi Impressão offset 54 l/cm - 232 dpi Impressão offset 40 l/cm -175 dpi
  49. 49. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Exercício1 Elabore as seguintes imagens: 1 - Bitmap, 1024x800 para ecrã. 2 - Bitmap, 800x200 para ecrã. 3 - Bitmap, 1000x500 para imprimir Exercício2 No conjunto das seguintes 8 imagens determine qual a resolução de cada uma delas em Pixeis e DPIs. Download das imagens em: http://dl.dropbox.com/u/2637062/Imagens_S3.zip
  50. 50. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia Cores
  51. 51. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Nesta sessão vamos abordar os seguintes pontos: − Sintese Aditiva − Sintese Subtrativa
  52. 52. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Compreensão das cores? Entender como as cores são criadas e como elas se relacionam uma com a outra permite trabalhar de maneira mais eficiente no Photoshop. Em vez de obter um efeito por acaso, você produzirá resultados consistentes graças ao entendimento dos conceitos básicos das cores.
  53. 53. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Cores primárias Aditivas? As cores primárias aditivas são as três cores de luz (vermelho, verde e azul), que produzem todas as cores no espectro visível quando adicionadas em combinações diferentes. A adição de partes iguais de luz vermelha, azul e verde produz a cor branca. A ausência completa da luz vermelha, azul e verde resulta na cor preta. Os monitores de computador são dispositivos que usam as cores primárias para criar cores.
  54. 54. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Cores primárias Aditivas? Cores aditivas (RGB) R.(Red) Vermelho G.(Green) Verde B.(Blue) Azul
  55. 55. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Modo de Cores RGB (síntese aditiva)? O modo de cores RGB do Photoshop utiliza o modelo RGB, atribuindo um valor de intensidade a cada pixel. Em imagens de 8 bits por canal, os valores de intensidade variam de 0 (preto) a 255 (branco) para cada um dos componentes de cores RGB (vermelho, verde, azul) em uma imagem colorida. Por exemplo, o vermelho-claro pode conter um valor R de 246, um valor G de 20 e um valor B de 50. Quando os valores dos três componentes são iguais, o resultado é um tom de cinza neutro. Quando o valor de todos os componentes é 255, o resultado é um branco puro e, quando o valor é 0, o resultado é um preto puro. As imagens RGB utilizam três cores, ou canais, para reproduzir cores na tela. Nas imagens de 8 bits por canal, os três canais são convertidos em 24 (8 bits x 3 canais) bits de informações de cores por pixel. Com imagens de 24 bits, os três canais podem reproduzir até 16,7 milhões de cores por pixel. Com imagens de 48 bits (16 bits por canal) e de 96 bits (32 bits por canal), é possível reproduzir ainda mais cores por pixel. Além de ser o modo padrão para novas imagens do Photoshop, o modelo RGB é usado por monitores de computador para exibir cores. Isso significa que, ao trabalhar em modos de cores diferentes do RGB, como o CMYK, o Photoshop interpola a imagem CMYK para RGB para exibição na tela. Embora o RGB seja um modelo de cores padrão, o intervalo exato de cores representadas pode variar, dependendo do aplicativo ou dispositivo de exibição. O modo de Cores RGB no Photoshop varia de acordo com a configuração da área de trabalho especificada na caixa de diálogo Configurações de Cores.
  56. 56. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Cores primárias Subtrativas? As cores primárias subtrativas são pigmentos que criam um espectro de cores, quando são combinadas de maneiras diferentes. Ao contrário dos monitores, as impressoras usam cores primárias subtrativas (pigmentos ciano, magenta, amarelo e preto) para produzir cores pela mistura dessas cores. O termo "subtrativo" é usado porque as cores primárias são puras até serem misturadas, resultando em cores que são versões menos puras das cores primárias. Por exemplo, o laranja é criado por meio da mistura subtrativa de magenta e amarelo.
  57. 57. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Cores primárias Subtrativas? Cores subtrativas (CMYK) C. Ciano M. Magenta Y. Amarelo K.Preto
  58. 58. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Disco de cores? Caso você ainda não esteja familiarizado com o ajuste dos componentes de cor, tenha em mãos um diagrama do disco de cores padrão ao trabalhar com equilíbrio de cores. É possível utilizar o disco de cores para prever como a alteração em um componente de cor afeta as outras cores e como as alterações são convertidas entre modelos de cores RGB e CMYK. Disco de cores R. Vermelho Y. Amarelo G. Verde C. Ciano B. Azul M. Magenta
  59. 59. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Modo de Cores CMYK (síntese subtrativa)? No modo CMYK, um valor de porcentagem é atribuído a cada pixel para cada uma das tintas de processo. Pequenas porcentagens de cores de tintas de processo são atribuídas às cores mais claras (realce), enquanto porcentagens mais altas são atribuídas às cores mais escuras (sombra). Por exemplo, um vermelho-claro pode conter 2% de ciano, 93% de magenta, 90% de amarelo e 0% de preto. Em imagens CMYK, o branco puro é gerado quando todos os quatro componentes possuem valores de 0%. Use o modo CMYK ao preparar uma imagem para ser impressa com as cores de processo. A conversão de imagem RGB em CMYK cria uma separação de cores. Se você começar com uma imagem RGB, convém editar primeiramente em RGB e, em seguida, converter em CMYK no final do processo. No modo RGB, é possível utilizar os comandos de Configuração de Prova para simular os efeitos de uma conversão em CMYK sem alterar os dados da imagem real. Também é possível usar o modo CMYK para trabalhar diretamente com imagens CMYK digitalizadas ou importadas de sistemas avançados. Embora o CMYK seja um modelo de cores padrão, o intervalo exato de cores representadas pode variar, dependendo da impressora e das condições de impressão. O modo de Cores CMYK no Photoshop varia de acordo com a configuração da área de trabalho especificada na caixa de diálogo Configurações de Cores.
  60. 60. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Disco de cores? Por exemplo, é possível diminuir a intensidade de qualquer cor em uma imagem aumentando a intensidade de seu oposto no disco de cores e vice-versa. As cores que estão em posições opostas entre si no disco de cores padrão são conhecidas como cores complementares. Da mesma forma, é possível aumentar e diminuir uma cor ajustando as duas cores adjacentes no disco ou até mesmo ajustando as duas cores adjacentes à cor oposta. Numa imagem CMYK, é possível reduzir a cor magenta reduzindo a quantidade dessa cor ou aumentando o seu complemento, a cor verde (a cor no lado oposto ao magenta no disco de cores). Em uma imagem RGB, pode-se reduzir a cor magenta removendo vermelho e azul ou adicionando verde. Todos esses ajustes resultam em um equilíbrio de cores geral com menos magenta.
  61. 61. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Exercício1 Defina resumidamente cores aditivas e cores substrativas?
  62. 62. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia Sistemas de normalização e reprodução da cor
  63. 63. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com Nesta sessão vamos abordar os seguintes pontos: − Quadricromia − RGB (monitor) − Pantone
  64. 64. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que é a quadricromia? O termo Quadricromia refere-se comumente ao processo de impressão que emprega o sistema CMYK para reproduzir uma gama variada de cores a partir de quatro cores básicas. Um impresso em quatro cores reproduz todo um espectro de cores a partir da decomposição de todas elas nas três cores primárias subtrativas mais o preto, ou seja, o ciano (C), magenta (M), amarelo (Y) e preto (K), daí o termo CMYK ou policromia. O tom específico e as características físicas de cada um dos pigmentos é tecnicamente definido, de modo que possam ser combinados e sobrepostos para reproduzir em cores realistas, fotos, desenhos em cores e gradientes cromáticos. Teoricamente falando, os pigmentos ciano, magenta e amarelo seriam suficientes para produzir toda a gama cromática esperada. Na prática, porém, por peculiaridades químicas e físicas dos pigmentos, o preto deve ser agregado ao sistema para que a mistura das outras três produza um tom preto puro ou para que a tinta não sature o suporte de impressão nos tons mais escuros.
  65. 65. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com O que é a quadricromia? Uma imagem e sua respectiva decomposição em quadricromia.
  66. 66. O que é o sistema de cores RGB? O modelo de cores RGB é um modelo aditivo no qual o vermelho, o verde e o azul (usados em modelos aditivos de luzes) são combinados de várias maneiras para reproduzir outras cores. O nome do modelo e a abreviação RGB vêm das três cores primárias: vermelho, verde e azul (Red, Green e Blue, em inglês), e só foi possível devido ao desenvolvimento tecnológico de tubos de raios catódicos – com os quais foi possível fazer o display de cores ao invés de uma fosforescência monocromática (incluindo a escala de cinza), como no filme preto e branco e nas imagens de televisão antigas. Estas três cores não devem ser confundidas com os pigmentos primários Ciano, Magenta e Amarelo, conhecidos no mundo das artes como “cores primárias”, já que se combinam baseadas na reflexão e absorção de fótons visto que o RGB depende da emissão de fótons de um componente excitado a um estado de energia mais elevado (fonte emissora, por exemplo, o tubo de raios catódicos). INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  67. 67. O que é o sistema de cores RGB? O modelo de cores RGB, por si só, não define o que significa “vermelho”, “verde” ou “azul” (espectroscopicamente), e então os resultados de misturá-los não são tão exatos (e sim relativos, na média da percepção do olho humano). O termo RGBA é também usado, significando Red, Green, Blue e Alfa. Este não é um modelo de cores diferente, e sim uma representação – uma vez que o Alpha é usado para indicar transparência. Em modelos de representação de cores de satélite, por exemplo, o Alpha pode representar o efeito de turbidez ocasionado pela atmosfera - deixando as cores com padrões mais opacos do que seria a realidade. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  68. 68. O que é o Pantone? Pantone Inc., a multi-milionária empresa está sediada em New Jersey, e é conhecida pelo seu sistemas de cor, utilizado na indústria gráfica. A Pantone foi fundada em 1962 por Lawrence Herbert, que foi diretor da companhia. Inicialmente, Pantone era uma pequena empresa que fabricava cartões de cores para companhias de cosméticos. Rapidamente, Herbert adquiriu a Pantone e desenvolveu o primeiro sistema de cores em 1963. Entre os primeiros produtos estavam os Guias Pantone, que consistiam num grande número de pequenos e finos cartões (aproximadamente com 5 cm), impressos num dos lados com uma série de cores relacionadas e então unidos num pequeno livro. Por exemplo, uma determinada página poderia conter certo número de amarelos variando em luminância desde claro a escuro. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  69. 69. O que é o Pantone? Edições anuais dos Guias Pantone são editadas visto que as tintas utilizadas em cada edição com o tempo degradam-se. Em teoria, a ideia do sistema Pantone é escolher as cores desejadas dos guias e então utilizar os números para especificar de que forma é que se vai imprimir o output. Por exemplo, podemos pedir à empresa que imprima o trabalho utilizando a cor Pantone 655 e a empresa terá instruções sobre como produzir a cor 655 no seu equipamento. Desta forma, o produto final será exactamente o pretendido. Recomenda-se que os Guias Pantone sejam substituídos anualmente. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com
  70. 70. INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Centro de Formação Profissional de Rio Meão Fim da apresentação: Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia | Caracterização de vários tipos e formatos de imagens | Formador: Bruno Ferreira | 25h | brunosaferreir@hotmail.com

×