1 
Poder Legislativo do Município de Pacaraima 
RELATÓRIO FINAL 
Julho de 2014 
DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO TURÍSTIC...
2 
Copyright © 2014 by Bruno Dantas Muniz de Brito Todos os direitos reservados. Está autorizada a reprodução total ou par...
3 
Liberta-te daqueles que querem pensar por ti e pensa! Immanuel Kant
4 
Poder Legislativo do Município de Pacaraima 
PAULO CEZAR PEREIRA CAMILO 
Presidente da Câmara de Pacaraima 
FICHA TÉCNI...
5 
LISTA DE QUADROS 
QUADRO 1 – 
Pontos fortes identificados..............…........................................... 
20...
6 
SUMÁRIO 
Introdução................................................................................................... ...
7 
INTRODUÇÃO
8 
Na medida em que a sociedade se democratiza e se conscientiza de seus problemas e desafios surgidos por força do cresci...
9 
Apesar dessa grande importância da intervenção do Estado no turismo, é válido destacar que a simples ampliação da deman...
10 
Considerando estas linhas gerais, a realização do I WORKSHOP PACARAIMA TURÍSTICA teve por missão consolidar esse cenár...
11 
que o destino é capaz de captar turísticas deste o vizinho estado do Amazonas até parte de muitas cidades venezuelanas...
12 
 Formatar roteiros turísticos capazes de dinamizar a economia local e envolver toda sociedade em sua estruturação; 
...
13 
A proposta de construção metodológica deste documento contemplou duas etapas: A análise S.W.O.T. do destino (diagnósti...
14 
maneira individual nos grupos receberam Prioridade 03. Essas escalas de representatividade conduziram à construção das...
15 
O MUNICÍPIO DE PACARAIMA
16 
De acordo com dados obtidos junto a Freitas (1998 e 2001), o município de Pacaraima (situado na região fronteiriça con...
17 
encontram-se registrados, fazem menção à necessidade de leis, regulamentos e infraestruturas diferencias por parte do ...
18 
DIAGNÓSTICO TURÍSTICO
19 
Com o objetivo de focar estrategicamente uma síntese dos cenários encontrados no destino turístico Pacaraima atualment...
20 
PONTOS FORTES 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Aconchego 
Artesanato ...
21 
PRIORIDADE 01 
Artesanato; Meio ambiente; Cultura; Eventos; Cidade fronteiriça; Clima; Sítios arqueológicos. 
PRIORIDA...
22 
PONTOS FRACOS 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Abastecimento de combu...
23 
Já no que se refere aos pontos fracos que foram citados no quadro, é importante salientar que o planejamento estratégi...
24 
6º. Faz-se necessária uma ampla ação voltada ao fortalecimento e valorização da atividade turística como parte intríns...
25 
OPORTUNIDADES 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Agência emissiva/recep...
26 
trabalho, de geração de riquezas e de dinamicidade da economia local. A escala de prioridades está consolidada da segu...
27 
receber os visitantes, estruturar os produtos, serviços e a sensibilização turística fazem parte do contexto que deve ...
28 
16º. Já consoante aos roteiros turísticos, faz-se necessário promover uma ampla inventariação da oferta visando um mel...
29 
AMEAÇAS 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Alcoolismo 
Ausência de capa...
30 
PRIORIDADE 02 
Falta de oportunidades para os jovens; Falta de investimento no setor; Desarticulação institucional com...
31 
visitantes (faz-se necessário conhecer a razão desses acontecimentos, bem como formas de mitigar essa ideologia). Isso...
32 
 Estruturação de programas, políticas e parcerias que visem a promoção da qualificação profissional dos atores direta...
33 
 Inventariação da oferta turística de Pacaraima bem com a formatação e aplicação permanente de pesquisas com o intuit...
Quadro 05 – Matriz de diagnóstico S.W.O.T. 
Fonte: Elaboração própria, 2014. 
PRIORIDADE 01 
PRIORIDADE 02 
PRIORIDADE 03 ...
35 
MATRIZ DE POSICIONAMENTO DO DESTINO
36 
Caracterizar a dimensão em que se encontra o destino turístico é de uma relevância imprescindível para qualquer intere...
37 
Já no segundo gráfico conclui-se que a atividade bem planejada e estruturada conduz a um modelo de turismo menos impac...
38 
d. Transporte/Acessibilidade: Consiste na oferta de serviços de transporte que viabilizam a chegada e partida dos flux...
39 
essencial para seu planejamento e estruturação. Em grande parte cabem às decisões políticas, no cenário local, o orden...
40 
INFRAESTRUTURA MUNICIPAL 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Aterro sani...
41 
2º. Fazem-se necessárias ações voltadas a atuação dos transportes no âmbito municipal e internacional, dada a relevânc...
42 
SUPERESTRUTURA 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Análise dos impactos ...
43 
como elemento de referência para a construção de novas dinâmicas de desenvolvimento do município e da região turística...
44 
COOPERAÇÃO REGIONAL 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Certificação de ...
45 
se planeja para o turismo em Pacaraima. A certificação consiste ainda numa forma de fazer com que tanto os empresários...
46 
TRANSPORTE/ACESSIBILIDADE 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Identifica...
47 
tanto nos aspectos que se fazem necessários na zona urbana de Pacaraima quanto nas comunidades indígenas tradicionais;...
48 
PROMOÇÃO DO DESTINO 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Cartões postais ...
49 
PRIORIDADES 
Estruturação e manutenção do centro de informações turísticas; Desenvolver um projeto de educação turísti...
50 
QUALIDADE E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Ar...
51 
sociedade, objetivando preservar a natureza e seu potencial de aproveitamento para uma atividade tão sustentável e que...
52 
ASPECTOS SOCIAIS 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Conserva e/ou desid...
53 
20º. É imprescindível a promoção de cursos que possam ampliar a matriz econômica e produtiva de Pacaraima, sobretudo a...
54 
DESENVOLVIMENTO SOCIOECONOMICO 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Aprov...
55 
25º. Promover diversas ações voltadas a estruturação do turismo de eventos em Pacaraima, com o intuito de dinamizar su...
56 
PROMOÇÃO ÉTNICA E CULTURAL 
SALA 01 
09 participantes 
SALA 02 
12 participantes 
SALA 03 
10 participantes 
Apoio ao ...
57 
28º. A promoção de um calendário de eventos envolvendo as comunidades indígenas deve ser um aspecto da maior relevânci...
Quadro 15 – Matriz de planejamento estratégico do destino 
Fonte: Elaboração própria, 2014. 
PRIORIDADES 
Infraestrutura m...
59 
DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO
60 
O conjunto de diretrizes propostas em tela sugerem um planejamento estruturado, sustentável e pensado a partir das pot...
61 
 DIRETRIZ: ORDENAMENTO 
a) Promover ações de ordenamento voltadas a atuação dos transportes no âmbito municipal e int...
62 
 DIRETRIZ: COOPERAÇÃO 
a) Promoção de parcerias entre as instituições públicas e a iniciativa privada para o progress...
63 
 DIRETRIZ: ENVOLVIMENTO DAS COMUNIDADES 
a) Construção e manutenção de espaços de lazer que promovam o fortalecimento...
64 
 DIRETRIZ: SUPERESTRUTURA 
a) Construir e atuar diretamente numa política de estruturação, captação, dinamização e pr...
65 
 DIRETRIZ: FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL 
a) Delegação de funções, estratégias e projetos a fundação de turismo, respo...
66 
A condução das presentes diretrizes deve subsidiar a formação de projetos e programas de desenvolvimento turístico em ...
67 
CONSIDERAÇÕES FINAIS
68 
Um dos aspectos responsáveis pelo fortalecimento da atividade turística refere-se ao fato deste ser percebido como um ...
69 
a muito alavancou diversas regiões pelo globo e construiu um cenário de crescimento econômico, social, cultural e polí...
70 
A promoção do tema para este ano não poderia ser mais oportuna frente ao lançamento destas diretrizes, pois centra sob...
71 
REFERÊNCIAS
72 
ANDRADE, José Vicente. Turismo. São Paulo: Ática, 1997. 
BARRETTO, M. Planejamento e organização de turismo. Campinas:...
Pacaraima turística - diretrizes para o desenvolvimento turístico na Amazônia setentrional
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pacaraima turística - diretrizes para o desenvolvimento turístico na Amazônia setentrional

1.026 visualizações

Publicada em

Documento final resultante do seminário de elaboração das diretrizes para o desenvolvimento do município de Pacaraima, situado no norte do Estado de Roraima, na Amazônia setentrional.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.026
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pacaraima turística - diretrizes para o desenvolvimento turístico na Amazônia setentrional

  1. 1. 1 Poder Legislativo do Município de Pacaraima RELATÓRIO FINAL Julho de 2014 DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DE PACARAIMA - RR
  2. 2. 2 Copyright © 2014 by Bruno Dantas Muniz de Brito Todos os direitos reservados. Está autorizada a reprodução total ou parcial deste trabalho, desde que seja informada a fonte (autor, título, instituição e ano) exclusivamente para fins acadêmicos e científicos. Universidade Estadual de Roraima – UERR Coordenação do Sistema de Bibliotecas Multiteca Central Rua Sete de Setembro, 231 – Bloco F Bairro Canarinho CEP:69.306-530 Boa Vista – RR Telefone: (95) 2121.0946 E-mail: biblioteca@uerr.edu.br Ficha elaborada por fonte da Universidade Estadual de Roraima B862d B862t Brito, Bruno Dantas Muniz de. Diretrizes para o desenvolvimento turístico de Pacaraima – Roraima. / Bruno Dantas Muniz de Brito. Boa Vista / RR: Universidade Estadual de Roraima, 2014. 73 f. ; il. color; 30 cm. 1. Desenvolvimento local. 2. Diretrizes. 3. Turismo em Pacaraima – Roraima. I. Universidade Estadual de Roraima. II. Título. CDD.: 338 Ficha catalográfica elaborada pela Bibliotecária Kethllen Gomes Barroso – CRB-11/760 - Am
  3. 3. 3 Liberta-te daqueles que querem pensar por ti e pensa! Immanuel Kant
  4. 4. 4 Poder Legislativo do Município de Pacaraima PAULO CEZAR PEREIRA CAMILO Presidente da Câmara de Pacaraima FICHA TÉCNICA: CONSULTOR RESPONSÁVEL: Turº BRUNO DANTAS MUNIZ DE BRITO Mestre em Desenvolvimento Regional (+55) 95 8116 7553 / 9114 7553 brunodibrito@hotmail.com COLABORADORES: Turº PAULO ROBERTO TEIXEIRA Turª ROSIJANE EVANGELISTA
  5. 5. 5 LISTA DE QUADROS QUADRO 1 – Pontos fortes identificados..............…........................................... 20 QUADRO 2 – QUADRO 3 – QUADRO 4 – QUADRO 5 – QUADRO 6 – QUADRO 7 – QUADRO 8 – QUADRO 9 – QUADRO 10 – QUADRO 11 – QUADRO 12 – QUADRO 13 – QUADRO 14 – QUADRO 15 – QUADRO 16 – Pontos fracos identificados........................................................... Oportunidades identificadas.......................................................... Ameaças identificadas.................................................................. Matriz de diagnóstico S.W.O.T...................................................... Caracterização da infraestrutura municipal em Pacaraima........... Caracterização da superestrutura em Pacaraima......................... Caracterização da cooperação regional em Pacaraima............... Caracterização dos transportes e da acessibilidade..................... Caracterização da promoção do destino Pacaraima.................... Caracterização da qualidade e preservação ambiental................ Caracterização dos aspectos sociais em Pacaraima.................... Caracterização do desenvolvimento socioeconômico.................. Caracterização da promoção étnica e cultural de Pacaraima....... Matriz de planejamento estratégico do destino............................. Ficha de acompanhamento de projetos........................................ 22 25 29 34 40 42 44 46 48 50 52 54 56 58 66
  6. 6. 6 SUMÁRIO Introdução................................................................................................... 08 1. O município de Pacaraima................................................................... 15 2. Diagnóstico Turístico............................................................................ 18 3. Matriz de posicionamento do destino................................................... 35 4. Diretrizes para o desenvolvimento turístico.......................................... 58 5. Considerações finais............................................................................ 66 Referências................................................................................................. 70 Anexos........................................................................................................ 73
  7. 7. 7 INTRODUÇÃO
  8. 8. 8 Na medida em que a sociedade se democratiza e se conscientiza de seus problemas e desafios surgidos por força do crescimento, diversidade e desenvolvimento econômico cabe as políticas públicas articularem-se com outras políticas (privadas e institucionais) e buscarem a promoção e direcionamento de atividades de mercado e de cidadania compatíveis com o avanço promovido pela articulação governamental, empresarial e social. É nessa tônica que o turismo se insere, por se tratar de uma vertente reconhecidamente interdisciplinar, de atuação e de configuração próprias. Neste ínterim, as políticas públicas possuem um nível de articulação cada vez mais intenso, sistêmico e dinâmico. A intervenção possui uma característica importante, já que as políticas direcionadas ao planejamento e desenvolvimento do turismo devem estar coesas com outras políticas, que podem ser ligadas diretamente ao turismo, ou a ele relacionadas, como transporte, meio ambiente, saneamento básico, saúde, educação, segurança, fomento de atividades produtivas, cultura e economia, entre outras. O nível de complexidade, sob esta égide, é enorme e inter-relacionado com outros setores, marcadamente caracterizados pela ótica economicista e mercadológica. Assim, o surgimento de novas oportunidades de desenvolvimento nos municípios brasileiros vem proporcionando um olhar diferenciado sobre diversos paradigmas possíveis. Entre eles a atividade turística ganha grande dimensão por diversos aspectos: envolvimento com dezenas de setores econômicos vigentes, fortalecendo a matriz produtiva local; aproveitamento do potencial ambiental para uso sustentável; ampliação das experiências entre grupos sociais distintos; valorização da cultura, dos costumes e dos saberes entre os povos. Esses aspectos (e tantos outros, associados) podem vir a tornar-se peça de atuação social, econômica, cultural e ambiental de extrema importância para os municípios, garantindo o aproveitamento das especificidades locais e projetando a construção de uma sociedade mais forte e capaz de buscar seu próprio desenvolvimento através das matrizes hábeis de serem construídas pela atividade turística.
  9. 9. 9 Apesar dessa grande importância da intervenção do Estado no turismo, é válido destacar que a simples ampliação da demanda turística (por meio de campanhas de marketing pagas para aumentar o fluxo turístico, por exemplo) não garante a distribuição de renda e nem a diminuição das desigualdades sociais. Isso se explica pela concentração da riqueza que existe no Brasil, que por si só já limita a participação de parcelas mais pobres da população no mercado turístico, sejam como consumidoras, sejam como trabalhadoras. O turismo tem trazido tantos benefícios econômicos e sociais aos destinos que é difícil encontrar um país no mundo que não queira atrair turistas. Não basta apenas “desejar” trazer novos visitantes, mas sim estabelecer diretrizes, programas, metas e estratégias para que os turistas venham ao destino em questão. Atualmente muitos destinos turísticos têm procurado trabalhar estrategicamente esse escopo. Considerando essa realidade, o município de Pacaraima (Roraima), situado no extremo norte do Brasil, precisa buscar seu alicerce seguro e suas bases conceituais próprias para empreender essa jornada. Também faz-se mister considerar que a construção desse processo só é possível mediante o debate, o compartilhamento de experiências, impressões, práticas e a mensuração dos reais interesses almejados pelos seus atores direta e indiretamente envolvidos, sujeitos ativos e comprometidos com o fomento às práticas exitosas de trabalho aliadas a sua qualidade de vida. Nesse sentido, a convergência desses elementos em Pacaraima, bem como sua efetiva concretização, resulta na promoção de um cenário que possa objetivar a aproximação entre esses distintos públicos envolvidos no âmbito socioeconômico municipal, de modo a traçar as linhas gerais desse panorama, construindo por meio de um processo democrático, participativo e dinâmico, permitindo o empoderamento desses atores e garantindo-lhes o pleno exercício da participação democrática.
  10. 10. 10 Considerando estas linhas gerais, a realização do I WORKSHOP PACARAIMA TURÍSTICA teve por missão consolidar esse cenário, consoante a uma perspectiva de desenvolvimento turístico real e sustentável. O evento consistiu numa forma inovadora de convocar o público pacaraimense a participar do processo de construção do desenvolvimento turístico regional de forma democrática e participativa. Foi disposto de forma a atender aos diversos vieses de discussão e debate acerca dos rumos que deveriam ser conduzidos pela população, empresários e gestores públicos frente aos desafios do turismo no extremo norte do Brasil. O contexto epistemológico adotado utilizou-se das bases metodológicas propostas por Boaventura (2004), Marconi e Lakatos (2001), Sampieri, Collado e Lucio (2006) e Santos (2004). De forma prática, cada aspecto metodológico analisado nestas obras subsidiou a modelagem de uma referência e proposição técnico-científica frente a construção dessas matrizes. A partir desta proposta, construíram-se as bases necessárias ao fomento do turismo sustentável, de modo a garantir a reflexão sobre as ações emergenciais que precisam ser trabalhadas com mais atenção por todos, bem como as oportunidades econômicas potenciais que podem surgir, fruto da iniciativa empreendedora do povo de Pacaraima. Entre as questões que justificam a iniciativa empreendida por este documento estão: A cidade serve de rota para a entrada na Venezuela, promovendo um estilo de viagem caracterizado tanto como excursionismo (voltado para compras na cidade venezuelana de Santa Elena de Uairén) quanto como rota de passagem para os destinos turísticos do litoral venezuelano, de modo que essa relação não gera maiores oportunidades socioeconômicas e turísticas para Pacaraima, apesar do potencial turístico existente. Considerando o potencial de atratividade turística regional de Pacaraima, frente aos diversos públicos atuais e potenciais, podemos constatar
  11. 11. 11 que o destino é capaz de captar turísticas deste o vizinho estado do Amazonas até parte de muitas cidades venezuelanas. Este dado revela que existe um grande mercado a ser trabalhado e que pode viabilizar o desenvolvimento turístico regional. Também é perceptível que muitos desses visitantes potenciais não aproveitam melhor o destino por falta de estruturação do seu produto. Mapa 01 – Raio de atratividade turística estadual do Município de Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014. Dispostas estas informações, a formulação de diretrizes para o desenvolvimento do turismo de Pacaraima deve contemplar os seguintes objetivos:  Estruturar linhas diretivas capazes de viabilizar a formatação de produtos e serviços voltados ao aproveitamento do potencial turístico local;  Viabilizar a implantação de políticas públicas capazes de ordenar a atividade turística, bem como seu desenvolvimento sustentável e amplo para toda sociedade;
  12. 12. 12  Formatar roteiros turísticos capazes de dinamizar a economia local e envolver toda sociedade em sua estruturação;  Qualificar mão de obra local nos diversos segmentos que atuam direta e indiretamente com a atividade turística;  Viabilizar o aproveitamento e ordenamento dos segmentos turísticos potenciais de Pacaraima, a exemplo do turismo étnico, cultural, gastronômico, de eventos e ecoturismo. Objetivando esses cenários desejados, as linhas traçadas neste documento foram construídas através de dois procedimentos metodológicos empregados, os quais oportunizaram o debate, a reflexão, a construção, analise e o devido registro de cenários de desenvolvimento projetados para as diversas áreas da atividade turística no município de Pacaraima. Foram tomados como princípios balizadores do processo os seguintes contextos: PARTICIPAÇÃO; DEMOCRACIA; SUSTENTABILIDADE; RESPEITO, e; EFICIÊNCIA. A Participação demandou interação e apoio da sociedade, que foi convidada para protagonizar as discussões. Já o princípio da Democracia consistiu na proposição livre de temas e o debate aberto sobre os aspectos ora apresentados, buscando obter o consenso dos grupos envolvidos. A Sustentabilidade permeou, de maneira transversal, todo trabalho, despertando a responsabilidade pela preservação de todo patrimônio (material, imaterial e ambiental) por meio de sua utilização racional. Já o Respeito é uma prática inerente ao contexto da atenção quanto as diferenças, aos pontos de vista divergentes e a aceitação dos mesmos por todos. Por fim, a Eficiência conduz ao trabalho produtivo e capaz de produzir resultados satisfatórios que busquem convergir os interesses e anseios de toda sociedade, tendo no turismo mais uma perspectiva de desenvolvimento.
  13. 13. 13 A proposta de construção metodológica deste documento contemplou duas etapas: A análise S.W.O.T. do destino (diagnóstico) e, após esta, a construção da Matriz de Posicionamento do Destino (prognóstico), de forma a materializar as ações de reflexão do cenário vigente e projeção (com base neste último) da plataforma de desenvolvimento do turismo para o município. Figura 01 – Proposição metodológica para a construção das diretrizes Fonte: Elaboração própria, 2014. A construção deste trabalho foi conduzida por meio da formação de grupos focais, perfazendo um total de 03 grupos, mobilizados em torno das linhas temáticas relacionadas com as etapas supracitadas. A análise dos dados se deu por meio de escalas de representatividade. Em cada tema abordado foi feita uma constatação dos pontos que apareceram e que foram debatidos pelos três grupos. O tema que aparecesse nos três grupos receberia Prioridade 01; já o tema que aparecesse em apenas dois grupos receberia Prioridade 02; por fim, os demais temas que apareceram de S.W.O.T. MATRIZ DE POSICIONAMENTO DO DESTINO ASPECTOS DE RELEVÂNCIA NO PLANEJAMENTO DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DE PACARAIMA
  14. 14. 14 maneira individual nos grupos receberam Prioridade 03. Essas escalas de representatividade conduziram à construção das diretrizes e podem auxiliar as propostas de desenvolvimento turístico em Pacaraima.
  15. 15. 15 O MUNICÍPIO DE PACARAIMA
  16. 16. 16 De acordo com dados obtidos junto a Freitas (1998 e 2001), o município de Pacaraima (situado na região fronteiriça conhecida pelo marco BV-8) está a 215 km de distância da capital Boa Vista e dispõe de um território de 8.028.463 km², localizado na porção setentrional do estado de Roraima. Limita-se ao norte com a República Bolivariana da Venezuela (junto a cidade gêmea venezuelana chamada Santa Elena do Uairén, no Estado de Bolívar), ao sul com os municípios de Boa Vista e Amajari (com este último ainda a oeste) e a leste com os municípios de Normandia e Uiramutã. A população total, segundo dados do censo (IBGE, 2010), é de 10.433 habitantes, sendo 4.514 residentes na cidade. A principal atividade econômica da cidade consiste no comércio e na administração pública municipal. Magalhães (1986) afirma que o termo pacaraima, de origem indígena, significa “cesto”. No entanto, nem sempre este foi o nome dado à localidade, que era conhecida como paracaima, que na língua indígena significa “rios”, “matas” e “serras”. A mudança foi empreendida por conta de mera adequação fonética adotada para fins de registro oficial, já que a própria palavra Pacaraima está presente no hino do estado de Roraima. Já no que se refere ao contexto do turismo local, Fernandes e Senhoras (In: VERAS E SENHORAS, 2012) constatam que Pacaraima vem servindo apenas como mero coadjuvante no cenário turístico local, tendo grandes desafios frente ao seu desenvolvimento turístico, a exemplo da oferta turística (rede hoteleira, serviços e produtos de apoio ao turista) e do acesso aos principais atrativos da região (entre eles o Monte Roraima) que só podem ser feitos adentrando o território venezuelano. Alguns projetos promovidos pelo Ministério do Turismo (MTUR) já foram desenvolvidos no município, a exemplo do FRONTUR – Turismo de Fronteira 2004-2010 (anexo A), o qual estabeleceu ações prioritárias para o desenvolvimento turístico local, tendo como pano de fundo o cenário de cidade fronteiriça. Os principais aspectos que foram debatidos na ocasião, e
  17. 17. 17 encontram-se registrados, fazem menção à necessidade de leis, regulamentos e infraestruturas diferencias por parte do setor público e privado. Também foram destacados aspectos que se referem a saúde, tráfico de menores e exploração sexual de crianças e adolescentes por turistas. Outro importante aspecto que deve ser considerado se refere às questões relativas ao uso do espaço turístico situado em área indígena que, até o presente momento, não encontram amparo legal e, por conta disso, dificultam qualquer tipo de mediação sobre a utilização do mesmo, ao ponto de se geram conflitos inerentes à perspectiva de aproveitamento daquela região pelo turismo. A ausência de dados ou levantamentos capazes de mensurar a movimentação econômica na região não desmerece seu potencial perceptível, de modo que Pacaraima por si só é capaz de consolidar importantes segmentos turísticos para a região, a exemplo do turismo cultural (por meio do etnoturismo), turismo histórico, ecoturismo, turismo gastronômico e turismo de aventura. É a partir deste potencial fronteiriço que o destino Pacaraima precisa contemplar maiores perspectivas de desenvolvimento turístico, de forma a promover o ordenamento da atividade e a consolidação de oportunidades que fortaleçam a economia local e o desenvolvimento sustentável do seu turismo.
  18. 18. 18 DIAGNÓSTICO TURÍSTICO
  19. 19. 19 Com o objetivo de focar estrategicamente uma síntese dos cenários encontrados no destino turístico Pacaraima atualmente (voltado para a análise de mercado e análise competitiva), elaborou-se a matriz S.W.O.T. sintetizando os pontos fortes (strenghts), pontos fracos (weaknesses), oportunidades (opportunities) e ameaças (threats). Por meio desta metodologia consolidam-se aspectos relevantes do destino, tais como: cliente, mercado, ambiente competitivo, riscos nos empreendimentos, meio ambiente, legislação, competências internas e capacitação dos públicos envolvidos com a atividade turística. Através dos elementos identificados por esta ferramenta de diagnóstico foi possível se projetar as seguintes metas:  Estabelecer metas de melhoria ou aperfeiçoamento dos itens que tenham sido considerados prioritários e de baixo desempenho;  Estabelecer metas relacionadas à forma de atuação no que diz respeito ao aproveitamento de oportunidades;  Estabelecer quais as ações que serão importantes para evitar os efeitos de eventuais ameaças. Estas metas serão a base do planejamento de atividades da destinação, considerando um período temporal de 10 anos. Os pontos em questão podem ser observados na sequência:
  20. 20. 20 PONTOS FORTES SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Aconchego Artesanato Cachoeiras Cidade fronteiriça Clima Comércio Cultura Diversidade de comida Fauna (entorno) Festas temáticas Flora Hospital Hotéis Localização (BR 174) Paisagem Pássaros Produção orgânica Qualidade de vida Segurança Sítios arqueológicos Transporte Trilhas Vegetação Yamix Arte e artesanato local Articulação para criação do Conselho Municipal de Turismo Atrativos naturais Boa estrada (BR 174) Clima Combustível mais barato Comércio da fronteira Comunidades indígenas Diversidade cultural Diversidade de atrativos turísticos Espaço de recepção turística Espaço para o turista e o artesanato Eventos culturais locais Fronteira Natureza Possibilidade de variedade de tipos de Turismo (ecoturismo, etnoturismo, rapel, treeking, rafting, turismo arqueológico, de observação de aves, etc...) Presença de Instituições formadoras de mão de obra qualificada Profissionais locais Roteiro Integrado do Ministério do Turismo Sítios arqueológicos Artesanato e gastronomia indígena/nativa Biodiversidade rica (fauna – cavalos selvagens, e flora) Cidade fronteiriça Clima agradável Cultura Eventos locais Geologia Geomorfologia Paisagem natural Pessoas com conhecimento (ervas medicinais, animais locais, agricultura orgânica) Sítios arqueológicos União dos dois países na iniciativa privada Quadro 01 – Pontos fortes identificados Fonte: Pesquisa direta, 2014 Considerando os pontos fortes que foram citados no quadro temos um elevado número de ações que demandarão atenção frente ao planejamento estratégico do turismo em Pacaraima. A escala de prioridades está disposta da seguinte forma:
  21. 21. 21 PRIORIDADE 01 Artesanato; Meio ambiente; Cultura; Eventos; Cidade fronteiriça; Clima; Sítios arqueológicos. PRIORIDADE 02 Comércio; Diversidade de atrativos turísticos; Espaços voltados ao aproveitamento turístico; Hospitalidade; Centros formadores de mão-de-obra local; Comunidades indígenas. PRIORIDADE 03 Boa estrada (BR 174); Articulação junto ao Conselho Municipal de Turismo; Hospital; Hotel; Segurança; Transporte; Produção orgânica; União dos países na iniciativa privada. Com base nos dados obtidos constata-se: 1º. Faz-se importante construir ações que contemplem o âmbito cultural do município (artesanato, cultura, eventos e sítios arqueológicos), de forma a permitir um amplo crescimento do segmento turístico e seu aproveitamento sustentável; 2º. Em igual medida é imprescindível a criação e consolidação de políticas que visem a proteção do meio ambiente, garantindo sustentabilidade e utilização racional tanto pelo turismo quanto pelas demais atividades econômicas que se utilizam da natureza; 3º. O fato de ser uma cidade fronteiriça também precisa ser melhor trabalhado, sobretudo por proporcionar públicos potenciais de ambas as partes, permitindo que as ações fortaleçam o turismo local, estadual e internacional; 4º. Os demais aspectos prioritários devem ser trabalhados de maneira plural junto a diversos órgãos (tanto locais quanto estaduais) fortalecendo as responsabilidades institucionais e o papel de cada setor que o representa.
  22. 22. 22 PONTOS FRACOS SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Abastecimento de combustível (posto) Animais nas ruas Atendimento Ausência de consolidação do papel das comunidades tradicionais (FUNAI e igreja católica) frente ao desenvolvimento turístico Ausência de parcerias/união Câmbio Comunicação Conhecimento sobre o turismo Desconhecimento da história da cidade Divulgação turística Educação ambiental Energia elétrica nas comunidades Esgoto Espaços públicos de lazer Eventos (calendário, planejamento) Falta de legislação turística Falta de organização na entrada da cidade (borracheiros) Feira livre da serra Fiscalização Iluminação pública Imagem da cidade Infraestrutura turística Limpeza pública Monumentos históricos Queimadas Receptividade Saneamento Sinalização Visão empresarial no aproveitamento do potencial turístico local Ausência de casa de câmbio e regulação oficial Ausência do conselho municipal de turismo Ausência ou pouco apoio aos artistas e artesões locais Combustível e comércio da fronteira Conselhos que não atuam Estradas vicinais em péssimo estado Exploração do turista Falta de espaços de lazer Falta de jornal local, tv e rádio Falta de museus Falta de qualificação dos prestadores de serviços turísticos Falta do inventario dos produtos e atrativos turísticos FUNAI Infraestrutura básica e turística Legalização fundiária da sede de Pacaraima Meios de transporte na sede do município e para as comunidades Não funcionamento do centro de informações turísticas Não inserção do artesanato local no contexto comercial Politica local Precariedade dos serviços de telefonia e internet Problemas ambientais (esgoto, coleta seletiva, limpeza urbana) Problemas de escassez de água Problemas nos serviços de saúde Problemas sociais (drogas, prostituição, insegurança) Questões de lixo Acesso de veículos entre fronteiras (burocracia, documentos que mudam) Autorizações para acesso em áreas indígenas Câmbio muito variável (o que acaba tornando difícil investir e planejar o turismo) Domínio de idiomas Falta companheirismo no turismo Falta da cultura do turismo Falta de comunicação confiável (telefonia, internet) Falta limpeza na cidade (infraestrutura básica) Falta mão de obra qualificada Falta visão de cadeia produtiva do turismo (comércio em geral e setor de serviços) Mal atendimento dos visitantes na fronteira da Venezuela Modal aéreo (alto custo, conexões mal planejadas) Pouca vontade política no turismo Poucos roteiros formatados Receita federal do Brasil (desconfiança com grupos de turistas/vistos como contrabandistas) Sinalização e informação turística Quadro 02 – Pontos fracos identificados Fonte: Pesquisa direta, 2014
  23. 23. 23 Já no que se refere aos pontos fracos que foram citados no quadro, é importante salientar que o planejamento estratégico do turismo em Pacaraima precisa se voltar para ações que busquem priorizar o desenvolvimento e a sustentabilidade turística, o que envolve um amplo campo de outras áreas. A escala de prioridades está disposta da seguinte forma: PRIORIDADE 01 Câmbio; Abastecimento de combustível; Qualificação da mão-de-obra local; Parcerias; Comunicação; Conhecimento sobre o turismo; Infraestrutura básica e turística; Apoio político; Turismo nas comunidades tradicionais; Visão empresarial; Espaços de lazer; Apoio e promoção ao artesanato local. PRIORIDADE 02 Mobilidade e fiscalização entre as fronteiras; Carência de políticas públicas voltadas para o turismo; Atendimento no comércio; Cultura do turismo; Equipamentos comunitários e turísticos; Estruturação do centro de informações turísticas; Fornecimento de energia elétricas nas comunidades. PRIORIDADE 03 Educação ambiental; Paisagismo e urbanismo; Autorização para acesso em áreas indígenas, Transporte do município para as comunidades tradicionais; Pavimentação de estradas e vicinais; Inventariação dos produtos, serviços e atrativos turísticos; Domínio de idiomas; Poucos roteiros turísticos; Feira livre; Modal aéreo de alto custo; Animais nas ruas. Com base nos dados obtidos observa-se um grande número de aspectos que ultrapassam a alçada municipal, chegando até a aspectos de cunho internacional. Tendo em vista essa especificada, constata-se que: 5º. É de fundamental importância a estruturação de ações voltadas à qualificação dos atores direta e indiretamente envolvidos com a atividade turística;
  24. 24. 24 6º. Faz-se necessária uma ampla ação voltada ao fortalecimento e valorização da atividade turística como parte intrínseca e singular em Pacaraima, de modo que todos possam ter uma opinião sobre a atividade e possam formar base de discussão e estruturação permanente visando o desenvolvimento local; 7º. É imprescindível o apoio tanto das instituições públicas quanto da iniciativa privada para o progresso e fortalecimento do turismo. Sem parcerias formalizadas e visão sistêmica da atividade o enfraquecimento de ambos dificulta o acesso a novas perspectivas de desenvolvimento turístico; 8º. O fortalecimento do turismo inicia-se com a valorização da qualidade de vida e da cultura de sua população. Por isso os espaços de lazer e o fortalecimento de atividades produtivas, a exemplo do artesanato, são itens essenciais na busca pela identidade turística. 9º. Diversas ações tidas como prioritárias envolvem um amplo número de parcerias e parceiros, considerando que o turismo pode ser definido também como uma ampla teia de mobilização de atores, com interesses diversos, voltados ao desenvolvimento local. Tendo em vista isso, muitos dos aspectos apresentados nas demais prioridades devem ser trabalhados de maneira plural e democrática com o maior número de parcerias possíveis. 10º. Muitas dessas prioridades demonstram, com clareza, que se faz necessário um órgão, entidade ou setor que atue exclusivamente na convergência de ações e na promoção de políticas voltadas ao segmento turístico em Pacaraima.
  25. 25. 25 OPORTUNIDADES SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Agência emissiva/receptiva Apoiar as tradições indígenas Apoiar e promover a gastronomia indígena Aproveitamento de frutas desperdiçadas Aproveitamento e apresentação da cultura do cupuaçu pelo turismo Áreas para pousadas Capacitação para reciclagem Circuito arqueológico Circuito das cachoeiras da serra Cursos de qualificação para o aproveitamento do potencial local Degustação de produtos regionais Estruturar e profissionalizar o centro de informações turísticas Feira da abacaba Formação de condutores locais Fortalecer o festival de jogos comunitários Informação turística Local para sediar eventos Normatizar e regulamentar os abatedouros Observatório da paisagem no Sorocaima II Parque municipal voltado à preservação ambiental Produtos agrícolas desidratados Promoção de eventos Transporte local voltado ao aproveitamento do potencial turístico (estruturar) Trilhas e observação de pássaros Acesso e proximidade dos mercados emissores (Boa Vista, Venezuela e Amazonas) Corredor de passagem Deslocamento do ponto extremo do Brasil para o Caburaí Fortalecimento das instituições formadoras Fronteira tríplice Gran Sabana Localização estratégica do município Monte Roraima Novela (divulgação da nova novela da globo) Proximidade do mar do Caribe Rota 174 Sistema Nacional de Turismo Autenticidade da cultura indígena Excursionistas de Boa Vista fomentam os negócios de 1 dia Localização geográfica no eixo da América do Sul Retomada da Rota 171 Manaus - Caracas Turista internacional interessado na observação de aves Turistas (da Venezuela, Manaus, Boa Vista) percorrem grandes distâncias sem problemas e gastam muito dinheiro Quadro 03 – Oportunidades identificadas Fonte: Pesquisa direta, 2014 Com relação as oportunidades que foram citados no quadro, vale afirmar que as mesmas devem primar pelo grau de importância para o planejamento estratégico do turismo em Pacaraima por conta da geração de novas frentes produtivas de trabalho e de sustentabilidade turística, permitindo que a comunidade possa se apropriar e dinamizar o volume de postos produtivos de
  26. 26. 26 trabalho, de geração de riquezas e de dinamicidade da economia local. A escala de prioridades está consolidada da seguinte forma: PRIORIDADE 01 Cultura indígena; Localização e acesso com proximidade dos mercados emissores (Boa Vista, Venezuela e Amazonas); Ampliar programas de qualificação profissional (língua estrangeira, atendimento ao público e condutores locais); Informação turística; Promoção de eventos; Estruturação e promoção de roteiros turísticos (eventos, observação de aves, cachoeiras, etnoturismo, entre outros). PRIORIDADE 02 Parque municipal voltado à preservação ambiental; Monte Roraima; Retomada da Rota 171 Manaus – Caracas; Transporte local voltado ao aproveitamento do potencial turístico (estruturar). PRIORIDADE 03 Observatório da paisagem no Sorocaima II; Deslocamento do ponto extremo do Brasil para o Caburaí; Áreas para pousadas; Circuito arqueológico; Aproveitamento do potencial das culturas agrícolas e degustação de produtos regionais, além da instalação de técnicas para desidratação e comercialização de frutas regionais; Promoção turística a partir da Gran Sabana; Fomentar a instalação de agências emissivas e receptivas. De acordo com os dados analisados fica claro que existem diversas oportunidades de desenvolvimento de pequenos negócios e empreendimentos capazes de serem fomentados pela população. É importante considerar que há necessidade de um maior trabalho junto à consolidação da cultura empreendedora junto a sociedade. Com base nisso, admite-se que: 11º. O trabalho de valorização e fortalecimento da cultura indígena deve ser um dos pilares do desenvolvimento turístico de Pacaraima. Identificar o potencial das comunidades, apresentar os propósitos do desenvolvimento com base no turismo, preparar as comunidades para
  27. 27. 27 receber os visitantes, estruturar os produtos, serviços e a sensibilização turística fazem parte do contexto que deve ser permanentemente almejado pelos atores responsáveis pela gestão do turismo local; 12º. A localização de Pacaraima é um ponto fundamental na busca pelo seu desenvolvimento, tanto por ser um ponto de passagem quanto pelo seu contexto fronteiriço. Tendo em vistas essas características, é de fundamental relevância a construção de ações e estratégias que contemplem desde os excursionistas até os turistas de fim de semana; 13º. Outra questão de abrangência local consiste na qualificação profissional. Os aspectos que se referem ao atendimento ao público e a abertura de novas frentes produtivas relacionadas direta e indiretamente ao turismo veem na qualificação uma demanda premente e indispensável. 14º. O fortalecimento da informação turística é um aspecto que se apresenta como de maior relevância para o desenvolvimento do produto turístico, tanto em nível local quanto no que se refere à promoção do destino. Ações voltadas à estruturação da informação turística devem ser tomadas com a maior brevidade nestes dois âmbitos. 15º. A promoção de eventos para Pacaraima consiste numa vocação do turismo local. Diante disso, ações de relevo devem ser implementadas na localidade visando o fortalecimento nesta que é uma grande oportunidade para o desenvolvimento do turismo. Evidente que o setor de eventos devem ser pensado de forma complementar a todo potencial turístico local, já que o evento é uma ação temporal, planejada para um período específico e que demanda um maior volume de recursos e ativos para sua execução.
  28. 28. 28 16º. Já consoante aos roteiros turísticos, faz-se necessário promover uma ampla inventariação da oferta visando um melhor planejamento e estruturação do seu potencial local; 17º. No que se refere as demais prioridades, é imprescindível a atuação da fundação voltada para o turismo, com o intuito de tratar exclusivamente dos aspectos relativos as necessidades e especificidades que foram contempladas, visando o desenvolvimento e fortalecimento das demais áreas que se prestam a consolidação do produto turístico local.
  29. 29. 29 AMEAÇAS SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Alcoolismo Ausência de capacidade de carga no patrimônio ambiental Ausência de cooperação regional Ausência de oportunidades para os mais jovens Drogas/tráfico Educação sem tempo integral Exclusão social de famílias no lixão Mudança de temperamento nas comunidades Poluição das nascentes Preços abusivos Prostituição infantil Recolhimento do lixo nas comunidades Alto custo de acesso ao estado de Roraima Ausência de agências e operadoras na cidade (receptivo) Ausência de produtos formatados Desarticulação com potenciais parceiros Desarticulação do município com Santa Elena de Uairén Desarticulação institucional com o Órgão de turismo estadual e com o Ministério do Turismo Falta de investimento no setor Falta de qualificação continuada para o trade turístico Incêndios provocados Não regularização da área urbana do município Politicas indigenistas Pouca ou ausente promoção de Pacaraima como destino turístico Dependência do Brasil com relação à Venezuela (energia, gasolina, gás etc.) Desmatamentos FUNAI – turismo em áreas indígenas (formular legislação para visitas) Instabilidade do câmbio e do governo venezuelano Lixo nos atrativos Queimadas Quadro 04 – Ameaças identificadas Fonte: Pesquisa direta, 2014 A partir da análise dos elementos que se referem as ameaças ao desenvolvimento turístico de Pacaraima, temos a seguinte escala de prioridades: PRIORIDADE 01 Cooperação regional (tanto no âmbito municipal quanto regional); Instabilidade social (Mudança de temperamento nas comunidades); Queimadas; Limpeza pública.
  30. 30. 30 PRIORIDADE 02 Falta de oportunidades para os jovens; Falta de investimento no setor; Desarticulação institucional com o Órgão de turismo estadual e com o Ministério do Turismo. PRIORIDADE 03 Dependência do Brasil com relação à Venezuela (energia, gasolina, gás etc.); Ausência de produtos formatados; Educação sem tempo integral; Exclusão social de famílias no lixão; Pouca ou ausente promoção de Pacaraima como destino turístico; Prostituição infantil; Alcoolismo; FUNAI – turismo em áreas indígenas (formular legislação para visitas); Falta de qualificação continuada para o trade turístico; Drogas/tráfico; Não regularização da área urbana do município; Alto custo de acesso ao estado de Roraima; Ausência de agências e operadoras na cidade (receptivo); Ausência de capacidade de carga no patrimônio ambiental; Poluição das nascentes; Preços abusivos. Considerando os aspectos analisados em tela, observa-se que existem diversos fatores limitantes ao desenvolvimento turístico em Pacaraima que se encontram subdivididos em diversas responsabilidades e envolvendo um numeroso leque de atores sociais. Os aspectos relevantes vão desde as competências envolvidas com os gestores públicos municipais Com base nisso constata-se que: 18º. O estabelecimento de parcerias nas ações regionais, voltadas ao desenvolvimento do turismo, é de extrema relevância para a sustentabilidade em Pacaraima. A construção de acordos bilaterais entre os municípios da região, focados no turismo, e entre os próprios empresários e demais envolvidos com o turismo no município fortalecem as perspectivas de uma rede de parcerias em nível local; 19º. As comunidades precisam receber atenção especial no que tange a atuação junto ao turismo, por conta das instabilidades na recepção dos
  31. 31. 31 visitantes (faz-se necessário conhecer a razão desses acontecimentos, bem como formas de mitigar essa ideologia). Isso deve ser demonstrado através de programas de sensibilização e de qualificação. Deve ser apresentada, ainda, a proposição de que o turismo não pode ser a única ou exclusiva atividade a ser trabalhada pelos mesmos, mas, em algo que possa vir a acrescentar ao cotidiano sem prejudicar as demais ocupações produtivas dessas comunidades. 20º. As questões que se referem as queimadas e a limpeza pública devem ser tratadas diretamente com as entidades municipais e estaduais responsáveis diretas por esses setores. 21º. As demais prioridades precisam ser tratadas em campos e aspectos distintos, tendo em vista a multiplicidade e amplitude das dimensões encontradas. Com base nas constatações apresentadas até este ponto (obtidas por meio do diagnóstico empreendido), chegamos às seguintes conclusões, com relação as necessidades prioritárias para o desenvolvimento do turismo em Pacaraima:  Formalização de uma ampla política cultural que contemple as especificidades do setor frente ao potencial turístico deste em Pacaraima;  Formalização de uma política ambiental que possa assegurar o bem estar público, a qualidade de vida, a proteção e assistência à saúde permanentemente;  Construção de ações e estratégias que dinamizem a economia local a partir do cenário fronteiriço peculiar a Pacaraima;
  32. 32. 32  Estruturação de programas, políticas e parcerias que visem a promoção da qualificação profissional dos atores direta e indiretamente envolvidos com o turismo;  Promoção de ações voltadas à disseminação, fortalecimento e valorização da atividade turística como parte intrínseca e singular do cotidiano para o desenvolvimento do turismo em Pacaraima;  Promoção de parcerias entre as instituições públicas e a iniciativa privada para o progresso e fortalecimento do turismo local;  Construção e manutenção de espaços de lazer que promovam o fortalecimento de atividades produtivas, a exemplo do artesanato e da gastronomia, enquanto itens essenciais na busca pela identidade turística;  Delegação de funções, estratégias e projetos a fundação de turismo, responsável exclusivamente pela condução das políticas e ações voltadas ao desenvolvimento do turismo em Pacaraima;  Promover estratégias que contemplem o papel da localização do município como condição essencial para captação de públicos, eventos e realizações diferenciadas, com o intuito de ampliar o leque de possibilidades de seu produto turístico;  Promoção de ações voltadas exclusivamente para os aspectos concernentes à informação turística (tanto em âmbito local, atendendo ao fluxo turístico, quanto na sua promoção nacional e internacional);  Construir e atuar diretamente numa política de estruturação, captação, dinamização e promoção de eventos, com o intuito de fortalecer o papel de Pacaraima frente ao turismo de eventos local;
  33. 33. 33  Inventariação da oferta turística de Pacaraima bem com a formatação e aplicação permanente de pesquisas com o intuito de identificar os diversos públicos que visitam a destinação;  Formatação de roteiros turísticos integrados envolvendo todos os produtos turísticos do município e suas comunidades tradicionais, atuando de forma sustentável e permitindo que os ganhos com isso possam ser amplamente socializados entre todos os envolvidos de forma justa e democrática. Diante destes princípios balizadores para o fomento do turismo em Pacaraima é possível verificar que é notória a viabilidade de projetos e ações voltadas ao desenvolvimento do turismo local. Para tanto se fazem necessárias ainda maiores detalhamentos em setores específicos que demandam especial atenção e que serão tratados a seguir.
  34. 34. Quadro 05 – Matriz de diagnóstico S.W.O.T. Fonte: Elaboração própria, 2014. PRIORIDADE 01 PRIORIDADE 02 PRIORIDADE 03 PONTOS FORTES Artesanato; Meio ambiente; Cultura; Eventos; Cidade fronteiriça; Clima; Sítios arqueológicos. Comércio; Diversidade de atrativos turísticos; Espaços voltados ao aproveitamento turístico; Hospitalidade; Centros formadores de mão- de-obra local; Comunidades indígenas. Boa estrada (BR 174); Articulação junto ao Conselho Municipal de Turismo; Hospital; Hotel; Segurança; Transporte; Produção orgânica; União dos países na iniciativa privada. OPORTUNIDADES Cultura indígena; Localização e acesso com proximidade dos mercados emissores (Boa Vista, Venezuela e Amazonas); Ampliar programas de qualificação profissional (língua estrangeira, atendimento ao público e condutores locais); Informação turística; Promoção de eventos; Estruturação e promoção de roteiros turísticos (eventos, observação de aves, cachoeiras, etnoturismo, entre outros). Parque municipal voltado à preservação ambiental; Monte Roraima; Retomada da Rota 171 Manaus – Caracas; Transporte local voltado ao aproveitamento do potencial turístico (estruturar). Observatório da paisagem no Sorocaima II; Deslocamento do ponto extremo do Brasil para o Caburaí; Áreas para pousadas; Circuito arqueológico; Aproveitamento do potencial das culturas agrícolas e degustação de produtos regionais, além da instalação de técnicas para desidratação e comercialização de frutas regionais; Promoção turística a partir da Gran Sabana; Fomentar a instalação de agências emissivas e receptivas. PONTOS FRACOS Câmbio; Abastecimento de combustível; Qualificação da mão-de-obra local; Parcerias; Comunicação; Conhecimento sobre o turismo; Infraestrutura básica e turística; Apoio político; Turismo nas comunidades tradicionais; Visão empresarial; Espaços de lazer; Apoio e promoção ao artesanato local. Mobilidade e fiscalização entre as fronteiras; Carência de políticas públicas voltadas para o turismo; Atendimento no comércio; Cultura do turismo; Equipamentos comunitários e turísticos; Estruturação do centro de informações turísticas; Fornecimento de energia elétricas nas comunidades. Educação ambiental; Paisagismo e urbanismo; Autorização para acesso em áreas indígenas, Transporte do município para as comunidades tradicionais; Pavimentação de estradas e vicinais; Inventariação dos produtos, serviços e atrativos turísticos; Domínio de idiomas; Poucos roteiros turísticos; Feira livre; Modal aéreo de alto custo; Animais nas ruas. AMEAÇAS Cooperação regional (tanto no âmbito municipal quanto regional); Instabilidade social (Mudança de temperamento nas comunidades); Queimadas; Limpeza pública. Falta de oportunidades para os jovens; Falta de investimento no setor; Desarticulação institucional com o Órgão de turismo estadual e com o Ministério do Turismo. Dependência do Brasil com relação à Venezuela (energia, gasolina, gás etc.); Ausência de produtos formatados; Educação sem tempo integral; Exclusão social de famílias no lixão; Pouca ou ausente promoção de Pacaraima como destino turístico; Prostituição infantil; Alcoolismo; FUNAI – turismo em áreas indígenas (formular legislação para visitas); Falta de qualificação continuada para o trade turístico; Drogas/tráfico; Não regularização da área urbana do município; Alto custo de acesso ao estado de Roraima; Ausência de agências e operadoras na cidade (receptivo); Ausência de capacidade de carga no patrimônio ambiental; Poluição das nascentes; Preços abusivos.
  35. 35. 35 MATRIZ DE POSICIONAMENTO DO DESTINO
  36. 36. 36 Caracterizar a dimensão em que se encontra o destino turístico é de uma relevância imprescindível para qualquer interessado no planejamento desta atividade. Como bem salienta Barreto (1998), Boullón (2002), Beni (2006) e Dias (2008) a estruturação da destinação deve ser viabilizada de forma a proporcionar o bem estar da população em primeiro lugar e, consequentemente, dos visitantes que empreendem suas viagens até determinada destinação. Figura 02 – Níveis de estruturação do turismo regional Fonte: Elaboração própria, 2014. Observa-se na figura 02 que há uma latente diferenciação entre ambos níveis de estruturação do turismo. No primeiro, percebe-se que a ausência de um planejamento estruturante (amparado única e exclusivamente por ações pontuais e emergenciais) não contempla um promoção sustentável da atividade. Também demonstra que muitos destinos não atuam no planejamento turístico de forma permanente e focado na sustentabilidade. A ideia resume-se em, apenas, buscar promover o turismo com ações pontuais, tratadas de forma a sanar problemas iminentes e destituídos de uma reflexão a longo prazo. F Nível de estruturação do turismo regional sem planejamento (F – fluxo / T – tempo) Nível de estruturação do turismo regional com planejamento (F – fluxo / T – tempo) T F T
  37. 37. 37 Já no segundo gráfico conclui-se que a atividade bem planejada e estruturada conduz a um modelo de turismo menos impactante e mais sustentável, voltado para o crescimento da atividade e com vistas à sustentabilidade socioeconômica, cultural e ambiental, fortalecida por meio de roteiros turísticos que podem ser utilizados frequentemente, de modo que a curva ascendente traduz os anseios da sociedade em perceber um crescimento resiliente do turismo. Além disso, a sinuosidade da curva demonstra que um leque de produtos atuando no cenário turístico regional permite um crescimento sustentável, na medida em que diversos públicos podem se utilizar de diversos produtos sem impactar dramaticamente a capacidade de absorção dessa destinação. Também permite que outras frentes produtivas (tanto do setor privado quanto do poder público) possam consolidar permanente ação de expansão de suas atividades. Nesse sentido, os aspectos relacionados à infraestrutura municipal, superestrutura – produtos, serviços e qualidade do atendimento turístico, cooperação regional, transporte/acessibilidade, promoção do destino, qualidade e preservação ambiental, aspectos sociais, desenvolvimento socioeconômico e promoção étnica e cultural focada no turismo de base local devem ser trabalhados de forma a proporcionar a qualidade de vida e o bem estar almejados por toda população e seus visitantes. Esses aspectos definem-se da seguinte forma: a. Infraestrutura municipal: Consiste em todos os serviços de responsabilidade da administração pública municipal e que tem reflexo direto ou indireto junto ao turismo; b. Superestrutura – produtos, serviços e qualidade no atendimento turístico: Consiste em todos os elementos presente no município e que se voltam diretamente para a atividade turística; c. Cooperação Regional: Consiste nas iniciativas que envolvem vários segmentos da atividade turística na localidade e que são compartilhadas pela iniciativa privada, poder público e terceiro setor;
  38. 38. 38 d. Transporte/Acessibilidade: Consiste na oferta de serviços de transporte que viabilizam a chegada e partida dos fluxos turísticos, bem como sua locomoção na localidade, além das condições de acessibilidade nas empresas, pontos turísticos, órgãos públicos e demais localidades do município; e. Promoção do destino: Consiste nas principais estratégias de promoção do destino voltadas para seu público-alvo (nesta parte é importante definir em cada câmara temática qual será esse público); f. Qualidade e Preservação Ambiental: Consiste na identificação dos fatores ambientais (fornecimento de água tratada, tratamento de efluentes, saneamento básico, aterros sanitários, ocupação irregular do solo) que garantem a sustentabilidade do turismo, bem como as ações capazes de garantir a preservação ambiental dos espaços que se voltarão para a prática do ecoturismo; g. Aspectos sociais: Consiste nas ações de combate ao desemprego, aos índices de pobreza em comunidades carentes e na inclusão de pessoas em situação de vulnerabilidade social e que podem ser incluídas pelo turismo; h. Desenvolvimento socioeconômico: Consiste na identificação, classificação e fortalecimento das principais atividades produtivas do município que precisam ser potencializadas, bem como naquelas que tem potencial mas que precisam de maior apoio (seja ele estrutural, social, político ou financeiro); i. Promoção étnica e cultural focada no turismo de base local: Consiste na identificação das potencialidades étnicas e culturais que podem ser aglutinadas, trabalhadas e voltadas à promoção do turismo de base local, presente nas comunidades tradicionais existentes no entorno do município. Outro aspecto da maior relevância se refere ao que propõem Gastal e Moesch (2007), Hall (2001), Petrocchi (1998), Ruschmann (1997) e Molina (2001) ao afirmarem que a importância das políticas públicas para o desenvolvimento do turismo é condição
  39. 39. 39 essencial para seu planejamento e estruturação. Em grande parte cabem às decisões políticas, no cenário local, o ordenamento e a gestão do turismo local. O poder público tem como dever pátrio a promoção do bem estar social, da ordem pública e da promoção da cidadania e do desenvolvimento de seu povo. Consoante a essa ideologia Cooper (2002), Netto e Trigo (2009) e Andrade (1997) aponta que o escopo ideal ao desenvolvimento do turismo é aquele que permite a ampla participação de todas as camadas sociais, que expõem e apresentam suas ansiedades, receios e expectativas, buscando no turismo uma proposta de desenvolvimento galgada na pluralidade de opiniões, na discordância e na convergência de ações a partir de pontos em comum a todos, que possam atender e buscar a promoção permanente do turismo sustentável, em todos os ângulos e aglutinando o máximo de demandas. É nesse contexto que se constroem cidades turísticas sustentáveis, como afirmam Oliveira (2002) e Silva (2004), ao proporem ações que precisam ser pensadas para o turismo em todas as áreas, setores e envolvendo o maior número possível de protagonistas no processo de soerguimento do turismo de base local e sustentável. Deste ponto em diante as constatações assumem a relevância de um contexto com apenas um campo prioritária, de forma que o mesmo possa contemplar disposições que atuem diretamente na promoção do cenário turístico sustentável, atendendo ainda a uma escala de meio e longo prazo. Por meio desses esclarecimentos, o trabalho agora assume um viés propositivo, tendo amparo no diagnóstico obtido anteriormente, a partir da especificações que foram apresentadas.
  40. 40. 40 INFRAESTRUTURA MUNICIPAL SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Aterro sanitário Equipe gestora de projetos Estação de tratamento de esgotos Fiscalização do código de posturas Fiscalização e ordenamento dos transportes municipais Plano diretor municipal Plano municipal de educação Projetos de saneamento básico Sinalização geral e turística Criar centro de convenções no município ou espaço cultural que abrigue feira e eventos Criar coleta seletiva para a sede do município e construir aterro sanitário Criar espaços de lazer e urbanização para comunidade, para realização de eventos e uso turístico Distribuição e organização de lixeiras Entrada da cidade – cumprir o papel de fiscalização das áreas de APP ou do DAER Guias Instrumentos legais de apoio ao turismo Melhorar a urbanização municipal (limpeza, embelezamento) Melhorar o terminal rodoviário Olhar o turismo com uma melhor visão Organização e fiscalização dos pontos de táxi – terminal único Pavimentar as vias (ruas com muitos buracos) Saneamento básico Saúde pública Quadro 06 – Caracterização da infraestrutura municipal em Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 Por meio dos contextos relacionados à infraestrutura municipal, captados junto aos grupos, tem-se as seguintes prioridades: PRIORIDADES Aterro sanitário; Estação de tratamento de esgoto; Urbanização municipal; Ordenamento e fiscalização dos transportes municipais; Coleta seletiva; Sinalização geral e turística; Pavimentação de ruas. Considerando os aspectos analisados constata-se que: 1º. Ações estruturantes e de foro da institucional devem ser apresentadas como prioritárias junto à Administração Pública Municipal;
  41. 41. 41 2º. Fazem-se necessárias ações voltadas a atuação dos transportes no âmbito municipal e internacional, dada a relevância do setor para o desenvolvimento do turismo local; 3º. A sinalização geral e turística consiste numa perspectiva de relevo para o desenvolvimento de trilhas, roteiros, atrativos, produtos e serviços turísticos de forma ampla e irrestrita.
  42. 42. 42 SUPERESTRUTURA SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Análise dos impactos ambientais por empreendimentos turísticos Diversificar a gastronomia local Estimular a promoção de cursos de manipulação de alimentos Inventariação turística de Pacaraima Participação ativa das comunidades indígenas no turismo Qualificar mão de obra nos restaurantes Roteiro integrado (Pacaraima, Amajari e Uiramutã) Construir plano municipal de desenvolvimento do turismo com metas e compromisso para tornar Pacaraima um destino consolidado no estado de Roraima, no Brasil e no Mundo Estruturar e concretizar políticas públicas no âmbito local para o desenvolvimento do turismo como atividade Estruturar pequenos roteiros nas proximidades da sede do município que possam ser realizados em um dia (envolvendo rapel, cachoeiras e trilhas) Fortalecimento e implantação de ações da política nacional de turismo Realizar inventario da oferta turística de Pacaraima Revitalização da casa do turista (Centro turístico de Pacaraima) Cadastro de guias locais e formação de novos guias em parceria com a prefeitura Cursos de capacitação contínuos (para garçons, hotelaria, eventos) Dependência do posto de gasolina (vans do Brasil) Melhorar a estrutura hoteleira (limpeza e atendimento) Para abastecer se perde muito tempo Quadro 07 – Caracterização da superestrutura em Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 Já no contexto que se relaciona à superestrutura municipal, captados junto aos grupos, tem-se as seguintes prioridades: PRIORIDADES Inventariação da oferta turística municipal; Qualificação da mão-de-obra em diversos segmentos; Estruturação de roteiros integrados junto a diversos municípios limítrofes. Considerando os aspectos analisados em tela, constata-se que: 4º. A inventariação da oferta turística é uma ação necessária e de fundamental relevância frente ao planejamento integrado e sustentável do turismo. Serve ainda
  43. 43. 43 como elemento de referência para a construção de novas dinâmicas de desenvolvimento do município e da região turística como um todo; 5º. Faz-se necessário um amplo investimento e parcerias envolvendo instituições de ensino e de referência em formação técnica e superior (como SENAC e UERR) visando a qualificação de mão-de-obra em diversos segmentos envolvidos direta e indiretamente com o turismo; 6º. A roteirização turística é uma ação de fundamental relevância para o destino Pacaraima, tendo em vista o amplo rol de possibilidades que envolvem as comunidades indígenas, os atrativos naturais e a capacidade de envolvimento de diversos públicos junto ao produto turístico municipal. Nesse sentido, a roteirização empreendida pelo MTUR (anexo C) é de fundamental relevância na formatação de roteiros turísticos integrados e sustentáveis, os quais tem capacidade de envolver tanto o município em questão como também os municípios de Uiramutã, Amajari e Santa Elena de Uairén.
  44. 44. 44 COOPERAÇÃO REGIONAL SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Certificação de qualidade nos serviços Cursos de idiomas Cursos de qualificação dos transportes municipais Legislação turística municipal Promoção de feira livre diariamente Promover ações de capacitação para empreendimentos turísticos Articular uma parceria para desenvolver ações de prevenção e segurança com as guardas florestal, fronteiriça e militar Criar programa continuado de capacitação e qualificação dos prestadores de serviços turísticos, de transportes, receptivos e guias Desenvolver articulação Desenvolver parceria com cooperativas de transporte para sensibilizar motoristas da necessidade de bem atender usuários e visitantes Sensibilização e oficinas de turismo para a sede municipal e as comunidades indígenas Acordos de cooperação entre o receptivo e os fornecedores locais (farmácias, restaurantes, etc.) Cursos de idiomas (espanhol para brasileiros e português para venezuelanos) Eventos de integração (culturais/seminários) Iniciativa privada Maior articulação do poder público municipal Reduzir a burocracia entre os países (veículos) Quadro 08 – Caracterização da cooperação regional em Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 Já em relação à cooperação regional, a partir dos dados obtidos, tem-se as seguintes prioridades: PRIORIDADES Fortalecimento e disseminação de cursos de qualificação que possuam certificação reconhecida; Cursos de idiomas; Oficinas de turismo junto às comunidades tradicionais; Ações de criação, fortalecimento e ampliação do grau de articulação horizontal e vertical nas empresas locais; Criação e estruturação de cooperativas locais. Considerando os aspectos analisados em tela, constata-se que: 7º. Faz-se necessário empreender na promoção de cursos para a comunidade, visando ampliar sua qualificação e promovendo sustentabilidade frente ao cenário futuro que
  45. 45. 45 se planeja para o turismo em Pacaraima. A certificação consiste ainda numa forma de fazer com que tanto os empresários possam contratar pessoal devidamente habilitado para exercer suas funções quanto para que as próprias pessoas vejam nisso uma grande oportunidade de crescer e se especializar no segmento turístico; 8º. As comunidades indígenas são ricas em cultura, valores e seu papel no turismo enriquece e exalta a experiência de qualquer visitante, sobretudo pelo contato com as culturas nativas e originais deste país. Tendo em vista esse importante aspecto da valorização do potencial turístico local, é imprescindível que a fundação de turismo de Pacaraima atue diretamente naquelas interessadas em desenvolver uma perspectiva de turismo étnico de modo a diversificar, dinamizar e enriquecer o turismo regional; 9º. As ações voltadas a articulação regional, com vistas à cooperação, devem atender em todos os aspectos ao desenvolvimento turístico. Nesse sentido, a promoção de parcerias em nível horizontal (junto a empresas do mesmo setor, como é o caso do segmento hoteleiro) e vertical (junto a empresas de setores distintos, como ocorre entre os setores de hotelaria, alimentos e bebidas e transporte) devem primar pelo permanente fortalecimento das relações econômicas, sociais e empresarias entre todos os atores envolvidos.
  46. 46. 46 TRANSPORTE/ACESSIBILIDADE SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Identificação de pontos que demandam a promoção da acessibilidade Informação turística voltada à acessibilidade Legislação específica voltada à acessibilidade Promoção de ações voltadas à acessibilidade dos empreendimentos turísticos Criar disque denúncia e cobrar atenção e fiscalização dos órgãos reguladores sobre os serviços prestados aos usuários (transporte) Falta de sinalização turística Promover capacitação turística para os taxistas Realizar manutenção permanente nas rodovias Quadro 09 – Caracterização dos transportes e acessibilidade em Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 No que tange aos transportes e acessibilidade os dados obtidos demonstram as seguintes prioridades: PRIORIDADES Cursos específicos voltados para o setor de transporte local e intermunicipal; Elaboração do plano de acessibilidade municipal; Fiscalização dos serviços de transporte local, intermunicipal e internacional; Pavimentação e manutenção das vias de acesso do município. Considerando os aspectos analisados em tela, constata-se que: 10º. A qualificação profissional novamente desponta como um item essencial na promoção do desenvolvimento turístico em Pacaraima. Nesse sentido, ações de educação turística visando o segmento dos transportes vem a somar e fortalecer o contexto de que a educação fortalece e construí um cenário turístico mais rico e próspero; 11º. Ações voltadas à elaboração e implementação de um plano de acessibilidade municipal fazem-se necessárias, na atualidade, como ponto pacífico de aceitação em qualquer planejamento urbano das cidades. A inclusão social é uma realidade que perfaz qualquer cenário turístico tradicional e sua aplicação deve ser pensada
  47. 47. 47 tanto nos aspectos que se fazem necessários na zona urbana de Pacaraima quanto nas comunidades indígenas tradicionais; 12º. A criação de instrumentos de controle e fiscalização é ponto relevante para o desenvolvimento das demais ações pensadas para o desenvolvimento do setor de transporte no turismo; 13º. A manutenção de ruas, avenidas, vicinais e demais logradouros públicos é papel fundamental do setor público e ponto de convergência entre os interesses tanto da sociedade de Pacaraima quanto dos próprios visitantes.
  48. 48. 48 PROMOÇÃO DO DESTINO SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Cartões postais Educação turística nas escolas municipais e estaduais (UERR) Envio de releases para mídia especializada Estruturação do centro de informações turísticas Formalização de convites para emissoras e programas de tv em rede local, regional e nacional Guia turístico (impresso, digital e on-line) Itens de recordação temáticos (souvenir) Mapas temáticos Portal na vias de entrada do município e da cidade Portal na web Resgate e apresentação do histórico das comunidades indígenas Construir mapa turístico do município Criar jornal turístico trimestral para divulgar informações do turismo de Pacaraima para circulação em Boa Vista, Amazonas (Manaus) e no estado venezuelano de Bolívar Criar programa Informativo e usar espaço para divulgação na rádio comunitária local que está sendo criada no município Desenvolver e consolidar parcerias com operadores e agencias do Estado de Bolívar e de Santa Elena de Uairén para promoção dos atrativos locais Determinar uma agenda de participação em eventos de turismo e afins (buscar parcerias com órgão de turismo do estado de Roraima) Realizar campanha de marketing para valorização do patrimônio e do turismo entre a população de Pacaraima Organizar o centro de informações turísticas Organizar o destino Pacaraima antes da promoção Quadro 10 – Caracterização da promoção do destino Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 Já em relação a promoção turística do destino Pacaraima nos mercados emissores (atuais e potenciais) faz-se relevante considerar que trata-se de um campo que demanda amplas e detalhadas parcerias, tanto em nível estadual quanto federal e até internacional. Consoante a este grau de parceria, os dados obtidos demonstram as seguintes prioridades:
  49. 49. 49 PRIORIDADES Estruturação e manutenção do centro de informações turísticas; Desenvolver um projeto de educação turística nas escolas de Pacaraima; Formatar um guia turístico (impresso e digital) do destino, bem como um mapa temático; Desenvolver estratégias de promoção turística local e regional. Considerando os aspectos analisados em tela, constata-se que: 14º. O centro de informações turísticas é um dos principais equipamentos voltados a apresentação do destino e de sua hospitalidade. Frente a sua importância, deve ser estruturado de forma a melhor atender os visitantes além de apresentar informações permanentemente atualizados sobre os principais acontecimentos turísticos, culturais, sociais e promocionais que se realizam no município; 15º. A proposta de um projeto de educação turística nas escolas de Pacaraima deve ser desenvolvida junto a docentes, discentes e todos aqueles que fazem do ambiente escolar um centro especializado em educação. Nesse sentido, importantes parcerias com centros especializados de referência (como a UERR, IFRR e o SENAC) em turismo devem ser buscadas, objetivando a promoção dessa iniciativa; 16º. A promoção turística passa, necessariamente, pela informação sobre o potencial do destino turístico. Nesse sentido, a criação de guias turísticos impressos, digital e virtual são ações da maior relevância, no que se refere à promoção do destino turístico Pacaraima; 17º. Diversas ações de promoção, desenvolvimento e disseminação do turismo em Pacaraima precisam ser empreendidas por diversos atores, interessados em igual medida pelo desenvolvimento regional. Considerando isso, a fundação municipal de turismo deve atuar no sentido de estabelecer o calendário anual de eventos na cidade, além de cuidar da promoção de outras atividades envolvidas e possíveis de serem realizadas nas comunidades indígenas tradicionais.
  50. 50. 50 QUALIDADE E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Arborização da cidade Campanhas de sensibilização Combate as queimadas Confecção e produção de campanhas educativas bem como a distribuição de cartilhas nas escolas sobre o tema Cooperativa de reciclagem Plantio de novas culturas Promoção de cursos visando a adoção de técnicas agrícolas mais modernas Revitalização e preservação ambiental das fontes e nascentes hídricas Sensibilização nas comunidades Buscar mecanismos de mobilização da população para pressionar gestores locais sobre solução para a problemática da questão fundiária da sede municipal Revitalização e ampliação do horto florestal Fiscalização de construções irregulares Fiscalização de desmatamentos Lixeiras e informações nos pontos turísticos Sensibilização das agências com relação ao lixo Quadro 11 – Caracterização da qualidade e preservação ambiental em Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 Nesta etapa a qualidade e preservação ambiental ressaltam os seguintes dados, relativos as suas prioridades, que são: PRIORIDADES Arborização dos espaços públicos; Campanhas permanentes envolvendo a questão ambiental do lixo, tanto na sede quanto nas comunidades; Fiscalização de áreas desmatadas; Promoção de mecanismos e ações que permitam a regulamentação fundiária de terras. Considerando os aspectos analisados em tela, constata-se que: 18º. As ações voltadas à preservação ambiental (tais como as campanhas de coleta seletiva do lixo, arborização da zona urbana, combate as queimadas, preservação das nascentes e fiscalização e combate aos desmatamentos) devem envolver diversas secretarias de governo, escolas, associações, universidades e toda
  51. 51. 51 sociedade, objetivando preservar a natureza e seu potencial de aproveitamento para uma atividade tão sustentável e que valoriza o meio ambiente como o turismo; 19º. A regulamentação fundiária é um item relevante na questão ambiental e que, por seu turno, torna-se também relevante para o desenvolvimento das atuais e futuras ações e empreendimentos voltados ao desenvolvimento turístico.
  52. 52. 52 ASPECTOS SOCIAIS SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Conserva e/ou desidratação de frutas Criação e fortalecimento de cooperativas locais (artesanato, agricultura, corte e costura) Fortalecimento de cursos da UERR voltados, prioritariamente, para o fortalecimento da matriz econômica local (comércio exterior, turismo, pedagogia, etc.) Melhor estruturação da secretaria de agricultura do município e do estado Promoção de ações voltadas para o lazer na comunidade Viabilizar a comercialização do artesanato local Desenvolver projetos de arte, artesanato, paisagismo e capacitação em turismo (formação de monitores, capacitação para eventos, informações turísticas) para adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social Estimular a formação de guias locais (principalmente comunidades indígenas) Turismo nas escolas (sensibilização e conhecimento) Quadro 12 – Caracterização dos aspectos sociais em Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 A caracterização dos aspectos sociais, obtidos a partir dos dados, sustentam as seguintes prioridades: PRIORIDADES Promoção e fortalecimento de cursos voltados para o potencial econômico local; Desenvolver projetos em várias linhas produtivas; Promover ações visando o fortalecimento do artesanato local; Promover ações que fortaleçam o turismo nas comunidades indígenas através da promoção de cursos, capacitação de condutores locais e demais ações relevantes para cada comunidade, de maneira específica. Considerando os aspectos analisados em tela, constata-se que:
  53. 53. 53 20º. É imprescindível a promoção de cursos que possam ampliar a matriz econômica e produtiva de Pacaraima, sobretudo aqueles que atuam diretamente na assistência deste potencial econômico; 21º. Faz-se necessário também desenvolver projetos que fortaleçam e dinamizem a produção do artesanato local; 22º. Apresenta-se como um aspecto de extrema relevância a promoção de ações que possam priorizar a inclusão de pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social, permitindo que esses cidadãos possam participar do processo de desenvolvimento do turismo local; 23º. Priorizar ações que se voltem à promoção do lazer, da cultura, da cidadania e da qualidade de vida junto a todos os munícipes interessados em participar do processo de fortalecimento do sentimento de sociedade e de bem estar como um diferencial para Pacaraima; 24º. Cabe à fundação de turismo de Pacaraima atuar diretamente na assistência de cursos, programas e ações voltadas à potencialização das vocações existentes nas comunidades indígenas que se prontificarem a desenvolver projetos sustentáveis e voltados para o aproveitamento turístico.
  54. 54. 54 DESENVOLVIMENTO SOCIOECONOMICO SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Aproveitamento da piscicultura e do lazer em balneários Aproveitamento da produção e beneficiamento do cupuaçu Aproveitamento e fortalecimento da cadeia produtiva da pimenta Busca de incentivos voltados a aquisição de equipamentos geradores de energia alternativa nas comunidades (energia solar) Criar e promover o calendário de eventos municipal Diversificação da agricultura com o plantio de novas culturas (frutas) Energia limpa usando as corredeiras/eólica Eventos desportivos em corredeiras Promoção da feira agrícola diária Trilhas estruturadas Buscar parceria para realizar feira internacional do turismo e cultura da fronteira, envolvendo os três países e trocando experiência sobre a cultura, o turismo, os atrativos e as estratégias de desenvolvimento Construir e desenvolver um calendário de eventos Desenvolver programa de incentivo e valorização da culinária e dos pequenos restaurantes do município Buscar eventos que possam integrar as duas cidades Fomentar o segmento de eventos no município Quadro 13 – Caracterização do desenvolvimento socioeconômico em Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 Em relação ao contexto do desenvolvimento socioeconômico, os dados demonstram as seguintes prioridades: PRIORIDADES Criar, promover, estimular e apoiar o turismo de eventos no município, bem como em sua cidade gêmea; Fortalecimento das cadeias produtivas locais, a exemplo do cupuaçu, pimenta e das frutas desidratadas. Considerando os aspectos analisados em tela, constata-se que:
  55. 55. 55 25º. Promover diversas ações voltadas a estruturação do turismo de eventos em Pacaraima, com o intuito de dinamizar sua economia e potencializar atividades produtivas e que podem ser desenvolvidas por pequenos empreendedores locais; 26º. Identificar e desenvolver os valores e práticas da culinária local, fortalecendo os pequenos empreendimentos e promovendo maior qualificação e melhor atendimento à população e aos visitantes; 27º. As culturas agrícolas potenciais também devem ser estimuladas, promovendo tanto a diversificação do plantio local quanto o aproveitamento da mesma na promoção de roteiros turísticos rurais, capazes de agregar cada vez mais valor ao produto turístico local e fortalecer as matrizes produtivas associadas a agricultura em Pacaraima.
  56. 56. 56 PROMOÇÃO ÉTNICA E CULTURAL SALA 01 09 participantes SALA 02 12 participantes SALA 03 10 participantes Apoio ao Yamix Apoio as festas tradicionais nas comunidades Catalogação/levantamento dos grupos étnicos presentes no município Criação de grupos que trabalhem a cultura local Criação de livros com contos/lendas locais Promoção de eventos envolvendo música, dança, arte e gastronomia local Promoção de um calendário de eventos (festival da canção, festival Walsan, festival de cinema – cine fronteira, festival de artes plásticas – Pacaraima em tela, corrida de mountain bike do Suapi, jogos escolares indígenas, feira indígena da economia solidária, empreendetur – feira de empreendimentos turísticos voltados para a comunidade) Criação de um museu para a cidade Criar campanha para envolver população na construção de um slogan turístico para Pacaraima Desenvolver projeto de fomento e articulação das artes e do artesanato, bem como das manifestações culturais valorizando a identidade local Identificar o potencial de cada comunidade Auxiliar na organização local Não interferir na cultura Aproximar os laços de convivência Quadro 14 – Caracterização da promoção étnica e cultural em Pacaraima Fonte: Pesquisa direta, 2014 No que se refere à promoção étnica e cultural os dados informam que devem ser observadas as seguintes prioridades: PRIORIDADES Promoção de um calendário de eventos local e que possa contemplar também as comunidades indígenas; Desenvolver projetos que fortaleçam sem impactar negativamente a cultural local; Mapeamento de grupos étnicos e suas características; Apoio a eventos e festas tradicionais. Considerando os aspectos analisados em tela, constata-se que:
  57. 57. 57 28º. A promoção de um calendário de eventos envolvendo as comunidades indígenas deve ser um aspecto da maior relevância que também precisa ser tratado e inserido no cenário turístico de Pacaraima. O mesmo devem contemplar a divulgação em todos os tipos de mídia e suas informações precisam estar permanentemente acessíveis junto a agências, operadoras e demais atores envolvidos com a promoção do turismo do extremo norte do Brasil; 29º. A formatação de produtos e serviços turísticos precisa sempre respeitar a cultura, os costumes e as tradições locais. Diante disso, a confecção do mapeamento cultural desses grupos se faz de extrema importância para a preservação da cultura e o estabelecimento de limites que não permitem o impacto iminente e direto na cultura desses povos; 30º. O apoio e o fomento a iniciativas e práticas voltadas ao fortalecimento da cultura devem constar sempre na agenda da fundação de turismo de Pacaraima, estimulando a formação de novos produtos e fortalecendo e consolidando aqueles já existentes.
  58. 58. Quadro 15 – Matriz de planejamento estratégico do destino Fonte: Elaboração própria, 2014. PRIORIDADES Infraestrutura municipal Aterro sanitário; Estação de tratamento de esgoto; Urbanização municipal; Ordenamento e fiscalização dos transportes municipais; Coleta seletiva; Sinalização geral e turística; Pavimentação de ruas. Superestrutura Inventariação da oferta turística municipal; Qualificação da mão-de-obra em diversos segmentos; Estruturação de roteiros integrados junto a diversos municípios limítrofes. Cooperação Regional Fortalecimento e disseminação de cursos de qualificação que possuam certificação reconhecida; Cursos de idiomas; Oficinas de turismo junto às comunidades tradicionais; Ações de criação, fortalecimento e ampliação do grau de articulação horizontal e vertical nas empresas locais; Criação e estruturação de cooperativas locais. Transporte/Acessibilidade Cursos específicos voltados para o setor de transporte local e intermunicipal; Elaboração do plano de acessibilidade municipal; Fiscalização dos serviços de transporte local, intermunicipal e internacional; Pavimentação e manutenção das vias de acesso do município. Promoção do destino Estruturação e manutenção do centro de informações turísticas; Desenvolver um projeto de educação turística nas escolas de Pacaraima; Formatar um guia turístico (impresso e digital) do destino, bem como um mapa temático; Desenvolver estratégias de promoção turística local e regional. Qualidade e Preservação Ambiental Arborização dos espaços públicos; Campanhas permanentes envolvendo a questão ambiental do lixo, tanto na sede quanto nas comunidades; Fiscalização de áreas desmatadas; Promoção de mecanismos e ações que permitam a regulamentação fundiária de terras. Aspectos sociais Promoção e fortalecimento de cursos voltados para o potencial econômico local; Desenvolver projetos em várias linhas produtivas; Promover ações visando o fortalecimento do artesanato local; Promover ações que fortaleçam o turismo nas comunidades indígenas através da promoção de cursos, capacitação de condutores locais e demais ações relevantes para cada comunidade, de maneira específica. Desenvolvimento socioeconômico Criar, promover, estimular e apoiar o turismo de eventos no município, bem como em sua cidade gêmea; Fortalecimento das cadeias produtivas locais, a exemplo do cupuaçu, pimenta e das frutas desidratadas. Promoção étnica e cultural Promoção de um calendário de eventos local e que possa contemplar também as comunidades indígenas; Desenvolver projetos que fortaleçam sem impactar negativamente a cultural local; Mapeamento de grupos étnicos e suas características; Apoio a eventos e festas tradicionais.
  59. 59. 59 DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO
  60. 60. 60 O conjunto de diretrizes propostas em tela sugerem um planejamento estruturado, sustentável e pensado a partir das potencialidades e percepções encontradas pelos atores envolvidos com o desenvolvimento da atividade turística no município de Pacaraima. As diretrizes para o desenvolvimento sustentável do turismo em Pacaraima são:  DIRETRIZ: PLANEJAMENTO a) Construir uma ampla política de planejamento com vistas ao desenvolvimento turístico em Pacaraima (inventariação turística, diagnóstico e prognóstico, matriz de potencialidades, formatação de roteiros, formatação de produtos e serviços, estruturação de trilhas, mensuração da capacidade de carga dos atrativos, plano de manejo ambiental de áreas naturais frágeis, etc.); b) Contemplar características e especificidades dos setores cultural, de qualificação profissional, ambiental, de bem estar e cidadania em todo território de Pacaraima; c) Construir estratégias que possibilitem a dinamicidade da economia local voltadas para o aproveitamento da localização fronteiriça da cidade; d) Inventariação da oferta turística de Pacaraima bem com a formatação e aplicação permanente de pesquisas com o intuito de identificar os diversos públicos que visitam a destinação; e) Promover a realização da roteirização turística como ação de fundamental relevância para o destino Pacaraima, tendo em vista o amplo rol de possibilidades que envolvem as comunidades indígenas, os atrativos naturais e a capacidade de envolvimento de diversos públicos junto ao produto turístico municipal; f) Formatar produtos e serviços turísticos que respeitem a cultura, os costumes e as tradições locais.
  61. 61. 61  DIRETRIZ: ORDENAMENTO a) Promover ações de ordenamento voltadas a atuação dos transportes no âmbito municipal e internacional, dada a relevância do setor para o desenvolvimento do turismo local; b) Realizar a inventariação da oferta turística como ação necessária e de fundamental relevância frente ao planejamento integrado e sustentável do turismo; c) Promover ações voltadas à regulamentação fundiária de Pacaraima, objetivando as perspectivas de futuro para o desenvolvimento de empreendimentos voltados ao setor turístico.  DIRETRIZ: QUALIFICAÇÃO a) Realizar investimento e parcerias envolvendo instituições de ensino e de referência em formação técnica e superior (como SENAC e UERR) visando a qualificação de mão-de-obra em diversos segmentos envolvidos direta e indiretamente com o turismo; b) Empreender ações que se voltem para a promoção de cursos para a comunidade, visando ampliar sua qualificação e promovendo sustentabilidade frente ao cenário futuro que se planeja para o turismo em Pacaraima; c) Promover ações voltadas a educação turística visando o segmento dos transportes, fortalecendo o contexto da qualificação e construindo um cenário turístico mais sustentável e próspero; d) Promover ações voltadas a educação turística nas escolas de Pacaraima, junto a docentes, discentes e todos aqueles que fazem do ambiente escolar um centro especializado em educação; e) Promover cursos capazes de ampliar a matriz econômica e produtiva de Pacaraima, sobretudo aqueles que atuam diretamente na assistência deste potencial econômico;
  62. 62. 62  DIRETRIZ: COOPERAÇÃO a) Promoção de parcerias entre as instituições públicas e a iniciativa privada para o progresso e fortalecimento do turismo local; b) Promover parcerias em nível horizontal e vertical, primando pelo permanente fortalecimento das relações econômicas, sociais e empresarias entre todos os atores envolvidos; c) Identificar e desenvolver os valores e práticas da culinária local, fortalecendo os pequenos empreendimentos e promovendo maior qualificação e melhor atendimento à população e aos visitantes; d) Fortalecer as culturas agrícolas existente e potenciais, promovendo tanto a diversificação do plantio local quanto o aproveitamento da mesma na promoção de roteiros turísticos rurais, capazes de agregar cada vez mais valor ao produto turístico local e fortalecer as matrizes produtivas associadas a agricultura em Pacaraima.  DIRETRIZ: SENSIBILIZAÇÃO a) Promoção de ações voltadas à disseminação, fortalecimento e valorização da atividade turística como parte intrínseca e singular do cotidiano para o desenvolvimento do turismo em Pacaraima; b) Realização de ações voltadas à sensibilização das comunidades indígenas e seu importante papel quanto ao turismo, objetivando enriquecer e exaltar a experiência do visitante, sobretudo pelo contato com as culturas tradicionais.
  63. 63. 63  DIRETRIZ: ENVOLVIMENTO DAS COMUNIDADES a) Construção e manutenção de espaços de lazer que promovam o fortalecimento de atividades produtivas, a exemplo do artesanato e da gastronomia, enquanto itens essenciais na busca pela identidade turística; b) Desenvolver projetos que fortaleçam e dinamizem a produção do artesanato local; c) Priorizar a inclusão de pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social, permitindo que esses cidadãos possam participar do processo de desenvolvimento do turismo local; d) Priorizar ações que se voltem à promoção do lazer, da cultura, da cidadania e da qualidade de vida junto a todos os munícipes interessados em participar do processo de fortalecimento do sentimento de sociedade e de bem estar como um diferencial para Pacaraima.  DIRETRIZ: INFRAESTRUTURA a) Elencar o caracterizar o montante de ações que devem ser desempenhas pela Administração Pública Municipal visando a organização permanente do município de Pacaraima (pavimentação, controle de zoonoses, iluminação e paisagismo urbano); b) Empreender ações voltadas à elaboração e implementação de um plano de acessibilidade municipal, viabilizando a inclusão social enquanto ponto singular a qualquer cenário turístico tradicional tanto na zona urbana quanto nas comunidades indígenas de Pacaraima; c) Criação de instrumentos de controle e fiscalização frente ao desenvolvimento do setor de transporte; d) Promover a manutenção de ruas, avenidas, vicinais e demais logradouros públicos;
  64. 64. 64  DIRETRIZ: SUPERESTRUTURA a) Construir e atuar diretamente numa política de estruturação, captação, dinamização e promoção de eventos, com o intuito de fortalecer o papel de Pacaraima frente ao turismo de eventos local; b) Formatação de roteiros turísticos integrados envolvendo todos os produtos turísticos do município e suas comunidades tradicionais, atuando de forma sustentável e permitindo que os ganhos com isso possam ser amplamente socializados entre todos os envolvidos de forma justa e democrática; c) Implantar projeto de sinalização geral e turística voltada para o desenvolvimento de trilhas, roteiros, atrativos, produtos e serviços turísticos de forma ampla e irrestrita;  DIRETRIZ: PROMOÇÃO TURÍSTICA a) Promover estratégias que contemplem o papel da localização do município como condição essencial para captação de públicos, eventos e realizações diferenciadas, com o intuito de ampliar o leque de possibilidades de seu produto turístico; b) Viabilizar, manter e fortalecer o funcionamento do centro de informações turísticas enquanto um importante equipamento voltado a apresentação do destino e de sua hospitalidade; c) Produzir e distribuir guias turísticos (tanto impressos quanto em formato digital e virtual) voltados para a promoção do destino turístico Pacaraima; d) Promover diversas ações voltadas a estruturação do turismo de eventos em Pacaraima, com o intuito de dinamizar sua economia e potencializar atividades produtivas e que podem ser desenvolvidas por pequenos empreendedores locais;
  65. 65. 65  DIRETRIZ: FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL a) Delegação de funções, estratégias e projetos a fundação de turismo, responsável exclusivamente pela condução das políticas e ações voltadas ao desenvolvimento do turismo em Pacaraima; b) Promoção de ações voltadas exclusivamente para os aspectos concernentes à informação turística (tanto em âmbito local, atendendo ao fluxo turístico, quanto na sua promoção nacional e internacional); c) Criação de instrumentos que valorizem o potencial turístico local e que permitam que a fundação de turismo de Pacaraima atue diretamente naquelas interessadas em desenvolver uma perspectiva de turismo sustentável de modo a diversificar, dinamizar e enriquecer o turismo regional; d) Formatar o calendário anual de eventos na cidade, além de cuidar da promoção de outras atividades envolvidas e possíveis de serem realizadas nas comunidades indígenas tradicionais; e) Promover ações voltadas à preservação ambiental (tais como as campanhas de coleta seletiva do lixo, arborização da zona urbana, combate as queimadas, preservação das nascentes e fiscalização e combate aos desmatamentos) envolvendo diversas secretarias de governo, escolas, associações, universidades e toda sociedade; f) A fundação de turismo de Pacaraima deve atuar diretamente na assistência de cursos, programas e ações voltadas à potencialização das vocações existentes nas comunidades indígenas que se prontificarem a desenvolver projetos sustentáveis e voltados para o aproveitamento turístico; g) Confeccionar um mapeamento cultural dos grupos indígenas visando a preservação da cultura e o estabelecimento de limites que não permitem o impacto iminente e direto na cultura desses povos; h) Apoiar e fomentar iniciativas e práticas voltadas ao fortalecimento da cultura local devem constar sempre na agenda da fundação de turismo de Pacaraima, estimulando a formação de novos produtos e fortalecendo e consolidando aqueles já existentes.
  66. 66. 66 A condução das presentes diretrizes deve subsidiar a formação de projetos e programas de desenvolvimento turístico em Pacaraima, tendo como referência o documento formatado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. A referida norma, intitulada Gestão da qualidade: Diretrizes para a qualidade no gerenciamento de Projetos – NBR ISO 10006, garante uma maior qualidade na elaboração dos projetos (anexo B). Programa: Refere-se à linha programática Data de Registro: Refere-se à data de início Projeto: Refere-se ao título do projeto que será executado Responsável Técnico: Refere-se ao técnico do órgão que será nomeado para executar o projeto Escopo Estratégico: Refere-se a um breve relato sobre a que se destina o projeto Público-alvo: Refere-se aos que receberam direta ou indiretamente as ações Objetivo Geral: Refere-se ao objetivo que será contemplado pelo projeto Ações: Refere-se as ações a serem executadas Metas: Refere-se às metas a serem alcançadas em cada ação Agenda: Refere-se ao registro de todos os acontecimentos ocorridos por conta da execução do projeto Parceiros: Refere-se a todos os parceiros envolvidos com o projeto Recursos Investidos: Refere-se ao registro de todos os recursos que foram empregados, bem com a fonte do recurso Notícias relacionadas: Refere-se a todas as notícias e repercussões geradas na mídia Quadro 16 – Ficha de acompanhamento de projetos Fonte: Elaboração própria, 2014. A partir deste modelo de ficha de projeto é possível identificar, de maneira breve, quais as principais ações que envolvem o planejamento e que precisam ser definidas prioritariamente para a execução das ações no segmento turístico.
  67. 67. 67 CONSIDERAÇÕES FINAIS
  68. 68. 68 Um dos aspectos responsáveis pelo fortalecimento da atividade turística refere-se ao fato deste ser percebido como um importante agente promotor de desenvolvimento local. O campo das viagens desponta pelo forte contexto econômico que o envolve, sendo tratado como um dos mais importantes geradores de emprego e renda da atualidade, fazendo desta a principal bandeira de promoção do turismo. Muitos outros aspectos deveriam também serem tratados com a mesma atenção, a exemplo da cultural, do meio ambiente e da própria sociedade. O turismo constitui-se numa atividade extremamente dinâmica e complexa. Por conta disso é que deve ser trabalhada tendo em vista atender aos anseios e expectativas de toda sociedade, oportunizando a construção de cenários socioeconômicos, culturais e ambientais sustentáveis e democráticos. A mudança no paradigma do desenvolvimento regional se assenta na retórica e na iniciativa das instituições, as quais atuam no sentido de buscar maior robustez na formatação de contextos que engendrem o maior número possível de atores sociais e empresas, isto em seus diversos contextos. Com base nos modelos de desenvolvimento contemporâneo observa- se que os mesmos assentam- se naqueles de outrora, sugerindo o que Oliveira1 classifica como o processo de homogeneização pelo qual as instituições primam e insistem em manter. É importante considerar a diversidade dos espaços no território, o que por sua vez se coaduna com a lógica plural nas ações e conotações em diferentes esferas pelas quais o desenvolvimento pode ser pensado. Os desafios encontrados pelos pensadores do desenvolvimento vislumbram-se em desnaturalizar e crer num modelo de promoção regional que 1 OLIVEIRA, F. (1993) Elegia para uma re(li)gião: Sudene, Nordeste. Planejamento e conflito de classes. Rio de Janeiro: Paz e Terra.
  69. 69. 69 a muito alavancou diversas regiões pelo globo e construiu um cenário de crescimento econômico, social, cultural e político, os quais não foram idênticos em outras realidades territoriais. A construção de vetores do desenvolvimento, por sua vez, criam espaços e territórios recortados que acabam por se tornar verdadeiras ilhas de prosperidade. A concentração das riquezas não expande seu escopo, o que por sua vez promove o surgimento das zonas de inércia do desenvolvimento. Assim é que tais regiões acabam por estarem condicionadas ao propósito das forças das instituições, que entre áreas de grande adensamento exploratório criam um manto de prosperidade que não abraça todo recorte local. Outro relevante aspecto que merece ser abordado pelos gestores públicos, empresários e demais membros da sociedade civil de Pacaraima é que o ano de 2014 a Organização Mundial do Turismo – OMT vai celebrar no Dia Mundial do Turismo, em 27 de setembro, a campanha TURISMO E DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO. Figura 03 – Logo da campanha da OMT para o Dia Mundial do Turismo 2014 Fonte: http://wtd.unwto.org, acesso em 10 de junho de 2014.
  70. 70. 70 A promoção do tema para este ano não poderia ser mais oportuna frente ao lançamento destas diretrizes, pois centra sobre a capacidade do turismo a perspectiva de capacitar as pessoas e proporcionar-lhes as competências para atingir mudanças nas comunidades locais. Uma sociedade forte somente consegue galgar seus objetivos quando é investida pelo seu poder pátrio, balizada pelos princípios da democracia, do respeito, da responsabilidade social e do comprometimento para o desenvolvimento do turismo local. Nesse intuito é que o município de Pacaraima, no extremo norte do Estado de Roraima, precisa promover as condições propicias e que possam se voltar ao desenvolvimento sistêmico, tendo no turismo uma perspectiva plural e possível que venha a somar no seu desenvolvimento. Essa nuance viabiliza o desenvolvimento da atividade turística para toda comunidade e propicia a construção de bases firmes para o empoderamento da sociedade frente ao turismo sustentável.
  71. 71. 71 REFERÊNCIAS
  72. 72. 72 ANDRADE, José Vicente. Turismo. São Paulo: Ática, 1997. BARRETTO, M. Planejamento e organização de turismo. Campinas: Papirus, 1998. BOAVENTURA, E. Metodologia da Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2004. BOULLÓN, Roberto C. Planejamento do Espaço Turístico. Bauru, Edusc, 2002. BENI, Mário C. Política e Planejamento de Turismo no Brasil. S.P.: Aleph, 2006. COOPER, Cris et al. Turismo: Princípios e práticas. 2 ed. S.P.: Bookman, 2002. DIAS, Reinaldo. Planejamento do Turismo. São Paulo: Atlas, 2008. FERNANDES, Rodrigo Baldin; SENHORAS, Elói Martins. Notas sobre a geografia do turismo em Pacaraima. In: VERAS, Antônio T. Rezende; SENHORAS, Eloi Martins (orgs.). Pacaraima: Um olhar geográfico. Boa Vista: Editora da UFRR, 2011. FREITAS, Aimberê. Estudos sociais – Roraima (Geografia e História). São Paulo, SP: Corprint, 1998. _______________. Geografia e história de Roraima. Boa Vista: DLM, 2001. GASTAL, Susana; MOESCH, Marutschka. Turismo, Políticas Públicas e Cidadania. São Paulo: Aleph, 2007. HALL, C. Michael. Planejamento Turístico. São Paulo: Contexto, 2001. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Resultados Preliminares do Universo do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. MAGALHÃES, Dorval. Roraima: Informações históricas. 4 ed. São Paulo, SP: Projefilm, 1986. MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Metodologia do Trabalho Científico. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2001. MOLINA, Sérgio. Turismo: Planejamento integral. Bauru, SP: EDUSC, 2001. NETTO, Alexandre; TRIGO, Luiz. Cenários do Turismo Brasileiro. São Paulo: Aleph, 2009. OLIVEIRA, Antônio P. Turismo e desenvolvimento. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2002. PETROCCHI, Mario. Turismo, planejamento e gestão. São Paulo: Futura, 1998. RUSCHMANN, Doris. Turismo e Planejamento Sustentável. Campinas: Papirus, 1997. SAMPIERI, Roberto Hernández, COLLADO, Carlos Fernández; LUCIO, Pilar Baptista. Metodologia de Pesquisa. 3 ed. São Paulo: McGrawHill, 2006. SANTOS, Antonio Raimundo dos. Metodologia científica: a construção do conhecimento. 6 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004. SILVA, Maria G. L. Cidades Turísticas. São Paulo: Aleph, 2004.

×