SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
1
 Mateus 7:15-23: “Cuidado com os falsos profetas!
Eles chegam disfarçados de ovelhas, mas por
dentro são lobos selvagens. Vocês os conhecerão
pelo que eles fazem. Os espinheiros não dão uvas,
e os pés de urtiga não dão figos.Assim, toda árvore
boa dá frutas boas, e a árvore que não presta dá
frutas ruins. A árvore boa não pode dar frutas ruins,
e a árvore que não presta não pode dar frutas boas.
Toda árvore que não dá frutas boas é cortada e
jogada no fogo. Portanto, vocês conhecerão os
falsos profetas pelas coisas que eles fazem.
2
 Não é toda pessoa que me chama de “Senhor,
Senhor” que entrará no Reino do Céu, mas
somente quem faz a vontade do meu Pai, que está
no céu.Quando aquele dia chegar, muitas pessoas
vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu
nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu
nome expulsamos demônios e fizemos muitos
milagres!” Então eu direi claramente a essas
pessoas: “Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de
mim, vocês que só fazem o mal!” (NTLH).
3
 Paulo Romeiro (1995, p. 93), chega a dizer que: “Milagre
não é diploma de bom comportamento e nem prova da
aprovação de Deus quanto ao ministério de alguém”. Em
I João 4:1 o apóstolo alerta a Igreja do Senhor a fazer
algo que não foi feito por parte daqueles que aderiram à
Teologia da Prosperidade, vejamos o que diz o texto
sagrado: “Amados, não deis crédito a qualquer espírito;
antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque
muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora.” Deus
deu além da capacidade de provar os espíritos a todos os
seus filhos, um dom especial para alguns, de discernir
espíritos (I Co 12:10), embora essas pessoas sejam vistas
como descrentes e pouco espirituais, sobretudo nos
corredores carismáticos, discernir os espíritos é da
vontade de Deus que concede os dons de forma
soberana e graciosa.
4
 Devemos notar que o termo “espíritos” contido
em I João 4:1 se refere a falsos ensinamentos. O
Dom mencionado em I Coríntios capítulo 12 de
“discernimento de espíritos” não se limita a dizer
se uma pessoa está ou não endemoninhada. A
amplitude de tal dom, de acordo com todo o
contexto do Novo Testamento, chega ao ponto
da pessoa que possui o dom de discernir os
espíritos saber se os ensinamentos vêm de Deus
ou se trata de uma heresia. Este dom tem sido
pouco usado na maioria das Igrejas brasileiras
porque tem sido mal compreendido.
5
ORIGEM DA TEOLOGIA DA
PROSPERIDADE
6
 O desejo de se igualar a Deus é antigo, tem raízes
no Paraíso do Éden, quando a serpente prometeu
à mulher que ela e seu marido seriam iguais a
Deus ao comerem do fruto que Deus proibira (Gn
3:1-6). Desde então o homem vem nutrindo o
desejo pecaminoso de ser igual a Deus, ou no
mínimo, de ser um pequeno deus.
7
 Em tempos mais recentes, por volta do começo
do século XIX, surgiu um homem chamado
Essek William Kenyon, a quem os especialistas,
como Romeiro, por exemplo, denominam de Pai
da confissão positiva (outro nome da Teologia
da Prosperidade). Romeiro (1998, p.8) diz:
“quando se investiga o desenvolvimento
histórico do movimento,
chega-se à conclusão de que o
verdadeiro pai da confissão
positiva é Essek William Kenyon.”
8
 O homem que veio a ser o pai da chamada confissão
positiva, ou Teologia da Prosperidade, nasceu no ano
de 1867, em Nova York, Estados Unidos e morreu em
1948. Quando tinha 19 anos de idade pregou seu
primeiro sermão numa igreja Metodista. Começou
cedo como pregador, e iria mais adiante querendo o
aperfeiçoamento no estudo das Sagradas Escrituras.
Matriculou-se numa escola para aprender a
hermenêutica do professor Charles Emerson.
9
 Emerson, foi um homem religiosamente
inseguro, passou por diversos tipos de
religião. Emerson mudou diversas vezes de
opinião tendo no seu currículo crenças das
mais bizarras no que diz repeito à Bíblia
Sagrada, como por exemplo, foi
universalista, unitariano, trancendentalista,
e terminou na seita conhecida por Ciência
Cristã, que explica que toda causa e efeito
são mentais, não físicos (ROMEIRO, 2005).
10
 Kenyon chegou a ser escritor, pregador
Batista, Metodista, Pentecostal, e itinerante
sem vínculos denominacionais, radialista de
sucesso no final dos anos 30 e começo dos 40
iniciou-se nos ensinos das “seitas metafísicas”
(MARIANO, 1999, p. 90).
11
 O Pai da Teologia da Prosperidade enfatizava
seus ensinos na cura divina e confisão
positiva, ato de ordenar verbalmente às
coisas, às vezes até mesmo a coisas que ainda
não existem, e essas ordens têm de ser
obedecidas, segundo dizem, para se cumprir
o que está escrito na Bíblia em Marcos 11: 23-
24.
12
 Os ensinos sobre a prosperidade financeira
exagerada e fora dos parâmetros bíblicos, de
que todos os crentes independente da
situação econômica do país onde viva e da
sua própria história de vida devem
enriquecer, advêm do televangelista norte-
americano Oral Roberts. Roberts começou a
crer assim quando inicou na televisão e
passou por apertos financeiros para pagar
seus próprios programas que iam ao ar.
13
 Pouco antes de sua morte em 1948, Kenyon
passou às mãos de sua filha Ruth a
incumbência de propagar seus ensinamentos.
Pouco tempo depois surge Kenneth E. Hagin
como o maior propagador das ideias de
Kenyon até o presente momento. Sua
influência foi sofrida por meios dos escritos
publicados pela filha de Kenyon, certamente
seus escritos não exerceram influência
apenas em Hagin, pois, hoje em dia, no Brasil
tais ensinos têm formado parte da teologia
de muita gente, como veremos mais a frente.
14
 Kenneth Erwin Hagin nasceu no estado do Texas, no
mesmo país de seu antecessor Kenyon, no dia 20 de
agosto de 1917. Logo que nasceu foi desenganado
pelos médicos por sofrer de problemas cardíacos. Tudo
ficou pior quando, por motivos que desconhecemos,
seu pai abandonou a família quando este tinha seis
anos de idade. Com a saída de seu pai de casa, Hagin
ainda criança passou a ter forte inclinação para o
suicídio.
15
 Aos nove anos foi morar com a avó. Prestes a
completar 16 anos sofreu uma piora em sua saúde, o
que o obrigou a viver por uns tempos numa cama
sem poder andar. Mas, duas coisas bastante
significativas e que geram polêmica ainda hoje,
estavam para acontecer com o adolescente que
seria o maior propagador da teologia da
prosperidade do século passado. A primeira coisa a
acontecer foram suas visitas, como ele mesmo dizia,
ao inferno por três vezes que o levou a se converter
ao Senhor Jesus. A segunda coisa marcante nessa
fase da vida do, então jovem, Hagin foi sua
miraculosa cura.
16
 Ele conta que orou e “confessou”, baseado em
Marcos 11:23-24, que estaria curado de suas
enfermidades, isso aconteceu no dia 1º de janeiro de
1934, alguns meses depois, na segunda semana de
agosto do mesmo ano, ele finalmente se recuperou,
e, para a surpresa de todos, voltou inexplicavelmente
a andar.
17
 Continuando com a história [controversa] de
Kenneth E. Hagin, vemos que, durante os anos
de 1934-1937 Hagin pastoreou uma Igreja Batista
na cidade onde morava. No ano de 1937 recebeu
o batismo no Espírito Santo, falou em línguas e
se tornou um ministro das Assembleias de Deus
no Estado do Texas onde pastoreou algumas
igrejas desta denominação até 1949. Nessa
mesma época, Hagin se associou com
pregadores pentecostais independentes,
também pregadores da cura divina, nomes como
William Marion Branham (que era unitariano),
Oral Roberts e T. L. Osborn.
18
 Em 1963, ele fundou a Associação Evangelística
Kenneth Hagin. Em 1966 Hagin recebeu
inúmeros convites para pregar e realizar
seminários, no mesmo ano começou a pregar no
rádio. Em 1976 foi ao ar seu primeiro programa
de televisão. Em 1974 seu filho Kenneth Hagin
Junior fundou o Centro de Treinamento Bíblico
Rhema, justamente para ensinar a Teologia da
Confissão Positiva, o que logrou muito êxito,
pois, diversos alunos, das mais diferentes partes
dos Estados Unidos começaram a se matricular
a fim de receber e propagar pelo mundo tal
doutrina.
19
 Até hoje, o centro de treinamento Rhema já
formou mais de 23 mil alunos. O programa de
rádio da mesma Escola é atualmente transmitido
por mais de 250 estações na América do Norte.
Kenneth Hagin e seu filho já produziram cerca de
150 livros e livretos com ensinamentos da
Teologia da Prosperidade que, ao todo tiveram
uma tiragem de aproximadamente 65 milhões de
cópias em todo o mundo (ROMEIRO, 2005, p.
96).
20
O QUE ENSINA
 Para Ricardo Mariano (1999, p. 44) “a Teologia
da Prosperidade, [é uma] doutrina que, grosso
modo, defende que o crente está destinado a ser
próspero, saudável e feliz neste mundo”.
21
 Para Paulo Romeiro (1998, p. 7):
Ensinos pouco ortodoxos caracterizam a confissão
positiva, conhecida também como “evangelho da
saúde e da prosperidade”, “palavra da fé” ou ainda
como “movimento da fé”. Seus líderes apregoam
que os humanos possuem a natureza divina, que
consultar médicos ou tomar remédios é pouco
recomendável para o cristão, que
Jesus foi milionário e que a
soberania de Deus é limitada pela
vontade humana.
22
 O maior divulgador do movimento da fé no
século passado, Kenneth E. Hagin chegou a
dizer: “Deus quer que seus filhos usem a
melhor roupa. Ele quer que eles dirijam os
melhores carros e quer que tenham o melhor
de tudo [...] simplesmente exija o que você
precisa” (HAGIN, p. 43) Noutra ocasião ele
também disse: “Você é tão encarnação de
Deus quanto Jesus Cristo o foi: cada homem
que nasceu de Deus é uma encarnação de
Deus tanto quanto o foi Jesus de Nazaré”
(HAGIN, dezembro 1980 apud ROMEIRO
1998, p. 43).
23
24
 R. R. Soares, ou simplesmente “O
Missionário”, como é popularmente
conhecido nos corredores da IIGD (Igreja
Internacional da Graça de Deus), alega que os
filhos de Deus devem exigir seus direitos, que
seriam riquezas e saúde. Ele também não crê
na soberania de Deus, pelo menos no que diz
respeito à oração, que segundo ele mostra
em um de seus livros, está mais para patrão
de Deus do que servo.
25
 Ele diz:
Usar a frase “se for da tua vontade” em oração
pode parecer espiritual, e demonstrar atitude
piedosa de quem é submisso à vontade do
Senhor, mas, além de não adiantar nada,
destrói a própria oração (SOARES, 2004 p.11).
26
 A bíblia condena seu ensinamento mostrando
justamente o contrário, que devemos orar
pedindo sempre a vontade de Deus. Mateus
6:10 diz “[...] faça-se a tua vontade, assim na
terra como no céu”. Jesus orou assim em
Mateus 26:39 “[...] não seja como eu quero, e
sim como tu queres”.
 Se o próprio Jesus orou pedindo a vontade de
Deus e ensinou que devemos orar assim, por
que oraríamos diferente disso?
27
 Eles ensinam que nós somos pequenos
deuses.
 Vejamos o que Hagin nos diz sobre o assunto:
“Se eu permanecer em Deus e junto D’Ele,
meus direitos estarão claramente
assegurados. Ninguém poderá oferecer-me
nada melhor. Nem o próprio Senhor Jesus
tem uma posição diante de Deus do que você
e eu temos.” (HAGIN, 1980, p. 74).
28
29
30
 Na mensagem intitulada “Quando Deus Escolhe
Alguém” Marco Feliciano, alegando ter ouvido
Deus falar, diz o seguinte:
Ele manda te dizer que aqueles que te olharam
de cima para baixo terão que te olhar com um
binóculo e de baixo para cima de tão alto que o
Senhor vai te colocar. Porque Deus colocará asas
em sua vida e ministério. [...] Você será grande
para a honra e glória do Senhor. Aquele que
entende que essa palavra é pra ele, pelo amor de
Deus, comece a dar glória.
Parece ou não com a teologia da música “Tem
Sabor de Mel?”
31
Na mensagem “O Vinho do
Inferno” ele diz:
32
33
A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE
NO BRASIL
 “Eu sei que, depois da minha partida, entre vós
penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o
rebanho” (At 20:29).
 Na década de 1970 a teologia da prosperidade
pede espaço e começa a ter força em solo
brasileiro
(MARIANO, 1999, p. 156).
34
 A Teologia da Prosperidade não é uma
denominação e sim um movimento, presente
em diversas denominações.
 As denominações que adotam tal teologia
integralmente são chamadas de igrejas
neopentecostais.
35
 De acordo com Paulo Romeiro (2005, p. 49):
Ainda que um grupo possa apresentar uma ou
mais práticas de uma denominação, elas não
são suficientes para classificá-lo como tal.
Assim, o neopentecostalismo não pode ser
considerado denominação, mas movimento. E
tal afirmação é corroborada por vários
estudiosos.
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
DIGA O NOME DE UMA IGREJA
QUE PROFESSA A TEOLOGIA DA
PROSPERIDADE
53
CONCLUSÃO
 Enquanto os teólogos da prosperidade
ensinam que quem mais der mais terá, o
senhor Jesus disse que “é melhor dar do que
receber” (At 20:35). Não para ter mais na
terra, mas, no céu.
 Precisamos ofertar toda nossa vida a Deus.
54
55
 Concordamos com Augustus Nicodemus
Lopes (2001, p. 145) quando ele disse:
Esta é uma característica de todo falso
mestre. Ele sempre tem uma interpretação
distorcida da Escritura. Os falsos mestres,
conquanto possam expressar verdades da
Escritura em seu ensinamento, costumam se
desviar em algum ponto básico, como na
doutrina de Deus, de Cristo, do Espírito
Santo, da Criação, do pecado ou da redenção.
56
REFERÊNCIAS
 LOPES, Augustus Nicodemus. O que você precisa
saber sobre batalha espiritual. 3. Ed. São Paulo:
Cultura Cristã, 2001.
 MARIANO, Ricardo. Neo pentecostais: sociologia do
novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola,
1999.
 ROMEIRO, Paulo. Decepcionados com a graça:
esperanças e frustrações no Brasil neopentecostal. São
Paulo: Mundo Cristão, 2005.
 ______. Super crentes: o evangelho segundo Kenneth
Hagin, Valnice Milhomens e os profetas da
prosperidade. 7 ed. São Paulo: Mundo Cristão, 1998.
 www.brunocesarnt.wix.com/teologia 57

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIADoutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIARoberto Trindade
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaGcom digital factory
 
Aula 1 - Apologética e suas Metodologias
Aula 1 - Apologética e suas MetodologiasAula 1 - Apologética e suas Metodologias
Aula 1 - Apologética e suas MetodologiasGustavo Zimmermann
 
Lição 8 - Jesus, o Deus de Amor
Lição 8 - Jesus, o Deus de AmorLição 8 - Jesus, o Deus de Amor
Lição 8 - Jesus, o Deus de AmorÉder Tomé
 
Lição 10 - As manifestações do Espírito Santo
Lição 10 - As manifestações do Espírito SantoLição 10 - As manifestações do Espírito Santo
Lição 10 - As manifestações do Espírito SantoÉder Tomé
 
Introdução à Teologia Sistemática
Introdução à Teologia SistemáticaIntrodução à Teologia Sistemática
Introdução à Teologia SistemáticaEdson Melo
 
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIHistória da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIAndre Nascimento
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse ifaculdadeteologica
 
Ibadep a familia crista
Ibadep   a familia cristaIbadep   a familia crista
Ibadep a familia cristaRicardo819
 
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIALBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIANatalino das Neves Neves
 

Mais procurados (20)

Lição 10ª Dons espirituais
Lição 10ª Dons espirituaisLição 10ª Dons espirituais
Lição 10ª Dons espirituais
 
Depravação Total
Depravação TotalDepravação Total
Depravação Total
 
Dispensações
DispensaçõesDispensações
Dispensações
 
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIADoutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
 
Nenhuma nova organização
Nenhuma  nova organizaçãoNenhuma  nova organização
Nenhuma nova organização
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - Cristologia
 
Introdução ao estudo da teologia
Introdução ao estudo da teologiaIntrodução ao estudo da teologia
Introdução ao estudo da teologia
 
Aula 1 - Apologética e suas Metodologias
Aula 1 - Apologética e suas MetodologiasAula 1 - Apologética e suas Metodologias
Aula 1 - Apologética e suas Metodologias
 
Lição 8 - Jesus, o Deus de Amor
Lição 8 - Jesus, o Deus de AmorLição 8 - Jesus, o Deus de Amor
Lição 8 - Jesus, o Deus de Amor
 
Hamartiologia
HamartiologiaHamartiologia
Hamartiologia
 
Lição 10 - As manifestações do Espírito Santo
Lição 10 - As manifestações do Espírito SantoLição 10 - As manifestações do Espírito Santo
Lição 10 - As manifestações do Espírito Santo
 
33
3333
33
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Introdução à Teologia Sistemática
Introdução à Teologia SistemáticaIntrodução à Teologia Sistemática
Introdução à Teologia Sistemática
 
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIHistória da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
Ibadep a familia crista
Ibadep   a familia cristaIbadep   a familia crista
Ibadep a familia crista
 
Dons espirituais
Dons espirituaisDons espirituais
Dons espirituais
 
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIALBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
 

Destaque

36 Os Pregadores do Movimento da Fé (Neopentecostalismo) (Parte 3 Benny H...
36   Os Pregadores do Movimento da Fé (Neopentecostalismo) (Parte 3   Benny H...36   Os Pregadores do Movimento da Fé (Neopentecostalismo) (Parte 3   Benny H...
36 Os Pregadores do Movimento da Fé (Neopentecostalismo) (Parte 3 Benny H...Robson Tavares Fernandes
 
Lição 4 - A prosperidade em o Novo Testamento
Lição 4 - A prosperidade em o Novo TestamentoLição 4 - A prosperidade em o Novo Testamento
Lição 4 - A prosperidade em o Novo TestamentoAilton da Silva
 
Reforma protestante slide
Reforma protestante slideReforma protestante slide
Reforma protestante slideEduardo Gomes
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 7 Escolha recomeçar após qualquer fracass...
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 7   Escolha recomeçar após qualquer fracass...Uma vida vitoriosa e bem sucedida 7   Escolha recomeçar após qualquer fracass...
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 7 Escolha recomeçar após qualquer fracass...IBGileade 2012
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 10 Tente outra vez, ainda não é hora de p...
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 10   Tente outra vez, ainda não é hora de p...Uma vida vitoriosa e bem sucedida 10   Tente outra vez, ainda não é hora de p...
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 10 Tente outra vez, ainda não é hora de p...IBGileade 2012
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 3 Vença as desilusões
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 3   Vença as desilusõesUma vida vitoriosa e bem sucedida 3   Vença as desilusões
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 3 Vença as desilusõesIBGileade 2012
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 1 Expanda sua visão
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 1  Expanda sua visãoUma vida vitoriosa e bem sucedida 1  Expanda sua visão
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 1 Expanda sua visãoIBGileade 2012
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 2 Aumente seu nível de expectativa
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 2   Aumente seu nível de expectativaUma vida vitoriosa e bem sucedida 2   Aumente seu nível de expectativa
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 2 Aumente seu nível de expectativaIBGileade 2012
 
Saber dar e receber +
Saber dar e receber +Saber dar e receber +
Saber dar e receber +siaromjo
 
Carta de oraçao julho agosto 2015
Carta de oraçao julho agosto 2015Carta de oraçao julho agosto 2015
Carta de oraçao julho agosto 2015Maraecio
 

Destaque (20)

Teologia da prosperidade
Teologia da prosperidadeTeologia da prosperidade
Teologia da prosperidade
 
36 Os Pregadores do Movimento da Fé (Neopentecostalismo) (Parte 3 Benny H...
36   Os Pregadores do Movimento da Fé (Neopentecostalismo) (Parte 3   Benny H...36   Os Pregadores do Movimento da Fé (Neopentecostalismo) (Parte 3   Benny H...
36 Os Pregadores do Movimento da Fé (Neopentecostalismo) (Parte 3 Benny H...
 
Teologia gay
Teologia gayTeologia gay
Teologia gay
 
A corrida da vida cristã
A corrida da vida cristãA corrida da vida cristã
A corrida da vida cristã
 
A formação da bíblia
A formação da bíbliaA formação da bíblia
A formação da bíblia
 
Lição 4 - A prosperidade em o Novo Testamento
Lição 4 - A prosperidade em o Novo TestamentoLição 4 - A prosperidade em o Novo Testamento
Lição 4 - A prosperidade em o Novo Testamento
 
Reforma protestante slide
Reforma protestante slideReforma protestante slide
Reforma protestante slide
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 7 Escolha recomeçar após qualquer fracass...
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 7   Escolha recomeçar após qualquer fracass...Uma vida vitoriosa e bem sucedida 7   Escolha recomeçar após qualquer fracass...
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 7 Escolha recomeçar após qualquer fracass...
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 10 Tente outra vez, ainda não é hora de p...
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 10   Tente outra vez, ainda não é hora de p...Uma vida vitoriosa e bem sucedida 10   Tente outra vez, ainda não é hora de p...
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 10 Tente outra vez, ainda não é hora de p...
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 3 Vença as desilusões
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 3   Vença as desilusõesUma vida vitoriosa e bem sucedida 3   Vença as desilusões
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 3 Vença as desilusões
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 1 Expanda sua visão
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 1  Expanda sua visãoUma vida vitoriosa e bem sucedida 1  Expanda sua visão
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 1 Expanda sua visão
 
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 2 Aumente seu nível de expectativa
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 2   Aumente seu nível de expectativaUma vida vitoriosa e bem sucedida 2   Aumente seu nível de expectativa
Uma vida vitoriosa e bem sucedida 2 Aumente seu nível de expectativa
 
Vida vitoriosa
Vida vitoriosaVida vitoriosa
Vida vitoriosa
 
Saber dar e receber +
Saber dar e receber +Saber dar e receber +
Saber dar e receber +
 
Carta de oraçao julho agosto 2015
Carta de oraçao julho agosto 2015Carta de oraçao julho agosto 2015
Carta de oraçao julho agosto 2015
 
Missões e as redes sociais
Missões e as redes sociaisMissões e as redes sociais
Missões e as redes sociais
 
3ª palestra: Nossa comunhão mútua à luz da Trindade
3ª palestra: Nossa comunhão mútua à luz da Trindade3ª palestra: Nossa comunhão mútua à luz da Trindade
3ª palestra: Nossa comunhão mútua à luz da Trindade
 
1ª palestra a comunhão na trindade
1ª palestra  a comunhão na trindade1ª palestra  a comunhão na trindade
1ª palestra a comunhão na trindade
 
2ª palestra: Nossa comunhão com a Trindade
2ª palestra: Nossa comunhão com a Trindade2ª palestra: Nossa comunhão com a Trindade
2ª palestra: Nossa comunhão com a Trindade
 
Bibliografia
BibliografiaBibliografia
Bibliografia
 

Semelhante a Os ensinos controversos da Teologia da Prosperidade

O evangelho prostituído aula 01
O evangelho prostituído   aula 01O evangelho prostituído   aula 01
O evangelho prostituído aula 01Alípio Vallim
 
Teol.prosperidade
Teol.prosperidadeTeol.prosperidade
Teol.prosperidadegoiano
 
Encerramento do 1º Trimestre de 2012
Encerramento do 1º Trimestre de 2012Encerramento do 1º Trimestre de 2012
Encerramento do 1º Trimestre de 2012Ebd Brasil
 
Lição 13 - Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade - 1ª Parte
Lição 13 - Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade - 1ª ParteLição 13 - Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade - 1ª Parte
Lição 13 - Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade - 1ª ParteEbd Brasil
 
Entrevistas com gordon lindsay e ern baxter
Entrevistas com gordon lindsay e ern baxterEntrevistas com gordon lindsay e ern baxter
Entrevistas com gordon lindsay e ern baxterPaulo Bezerra
 
HERESIAS-NO-MEIO-EVANGÉLICO-Pr.-Vagner (1).pdf
HERESIAS-NO-MEIO-EVANGÉLICO-Pr.-Vagner (1).pdfHERESIAS-NO-MEIO-EVANGÉLICO-Pr.-Vagner (1).pdf
HERESIAS-NO-MEIO-EVANGÉLICO-Pr.-Vagner (1).pdfTiago Silva
 
Lição 8 - A evangelização dos grupos religiosos
Lição 8 - A evangelização dos grupos religiososLição 8 - A evangelização dos grupos religiosos
Lição 8 - A evangelização dos grupos religiososI.A.D.F.J - SAMAMABAIA SUL
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxMarta Gomes
 
Teologia da Prosperidade (O Falso Evangelho)
Teologia da Prosperidade (O Falso Evangelho) Teologia da Prosperidade (O Falso Evangelho)
Teologia da Prosperidade (O Falso Evangelho) Carlos Silva
 
1210-2seitas@1-1_slides.pdf
1210-2seitas@1-1_slides.pdf1210-2seitas@1-1_slides.pdf
1210-2seitas@1-1_slides.pdfssuser232d33
 
Resumo Seitas e heresias.docx
Resumo Seitas e heresias.docxResumo Seitas e heresias.docx
Resumo Seitas e heresias.docxJosMriodasilva1
 
Espiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelhoEspiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelhoJoão Eduardo
 
Religiões seitas & heresias pdf-pronta
Religiões seitas & heresias   pdf-prontaReligiões seitas & heresias   pdf-pronta
Religiões seitas & heresias pdf-prontaAbdias Barreto
 
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.Vanderlei Dos Santos
 
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.Vanderlei Dos Santos
 
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOSNatalino das Neves Neves
 
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososLição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososAndrew Guimarães
 
13 o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
13   o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula13   o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
13 o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aulaPIB Penha
 

Semelhante a Os ensinos controversos da Teologia da Prosperidade (20)

STNB-SMR-M3A
STNB-SMR-M3ASTNB-SMR-M3A
STNB-SMR-M3A
 
O evangelho prostituído aula 01
O evangelho prostituído   aula 01O evangelho prostituído   aula 01
O evangelho prostituído aula 01
 
Teol.prosperidade
Teol.prosperidadeTeol.prosperidade
Teol.prosperidade
 
Encerramento do 1º Trimestre de 2012
Encerramento do 1º Trimestre de 2012Encerramento do 1º Trimestre de 2012
Encerramento do 1º Trimestre de 2012
 
Seitas, heresias e modismos
Seitas, heresias e modismosSeitas, heresias e modismos
Seitas, heresias e modismos
 
Lição 13 - Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade - 1ª Parte
Lição 13 - Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade - 1ª ParteLição 13 - Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade - 1ª Parte
Lição 13 - Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade - 1ª Parte
 
Entrevistas com gordon lindsay e ern baxter
Entrevistas com gordon lindsay e ern baxterEntrevistas com gordon lindsay e ern baxter
Entrevistas com gordon lindsay e ern baxter
 
HERESIAS-NO-MEIO-EVANGÉLICO-Pr.-Vagner (1).pdf
HERESIAS-NO-MEIO-EVANGÉLICO-Pr.-Vagner (1).pdfHERESIAS-NO-MEIO-EVANGÉLICO-Pr.-Vagner (1).pdf
HERESIAS-NO-MEIO-EVANGÉLICO-Pr.-Vagner (1).pdf
 
Lição 8 - A evangelização dos grupos religiosos
Lição 8 - A evangelização dos grupos religiososLição 8 - A evangelização dos grupos religiosos
Lição 8 - A evangelização dos grupos religiosos
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
 
Teologia da Prosperidade (O Falso Evangelho)
Teologia da Prosperidade (O Falso Evangelho) Teologia da Prosperidade (O Falso Evangelho)
Teologia da Prosperidade (O Falso Evangelho)
 
1210-2seitas@1-1_slides.pdf
1210-2seitas@1-1_slides.pdf1210-2seitas@1-1_slides.pdf
1210-2seitas@1-1_slides.pdf
 
Resumo Seitas e heresias.docx
Resumo Seitas e heresias.docxResumo Seitas e heresias.docx
Resumo Seitas e heresias.docx
 
Espiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelhoEspiritismo x evangelho
Espiritismo x evangelho
 
Religiões seitas & heresias pdf-pronta
Religiões seitas & heresias   pdf-prontaReligiões seitas & heresias   pdf-pronta
Religiões seitas & heresias pdf-pronta
 
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
 
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
Seicho noe-lê,a seita oriental popular no brazil.
 
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
 
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos ReligiososLição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
Lição 7 (Adultos) - A Evangelização de Grupos Religiosos
 
13 o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
13   o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula13   o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
13 o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
 

Mais de Bruno Cesar Santos de Sousa

O que pode acontecer a um cristão que despreza o estudo bíblico
O que pode acontecer a um cristão que  despreza o estudo bíblicoO que pode acontecer a um cristão que  despreza o estudo bíblico
O que pode acontecer a um cristão que despreza o estudo bíblicoBruno Cesar Santos de Sousa
 
As traduções bíblicas e o significado do texto 5
As traduções bíblicas e o significado do texto 5As traduções bíblicas e o significado do texto 5
As traduções bíblicas e o significado do texto 5Bruno Cesar Santos de Sousa
 

Mais de Bruno Cesar Santos de Sousa (20)

Como estudar a bíblia
Como estudar a bíbliaComo estudar a bíblia
Como estudar a bíblia
 
O que pode acontecer a um cristão que despreza o estudo bíblico
O que pode acontecer a um cristão que  despreza o estudo bíblicoO que pode acontecer a um cristão que  despreza o estudo bíblico
O que pode acontecer a um cristão que despreza o estudo bíblico
 
A importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igrejaA importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igreja
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
Hinduísmo
HinduísmoHinduísmo
Hinduísmo
 
Hare krishna
Hare krishnaHare krishna
Hare krishna
 
Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
 
Novo testamento 2 2016.1 tarde e noite
Novo testamento 2   2016.1 tarde e noiteNovo testamento 2   2016.1 tarde e noite
Novo testamento 2 2016.1 tarde e noite
 
Novo testamento 1 noite 2016.1
Novo testamento 1   noite 2016.1Novo testamento 1   noite 2016.1
Novo testamento 1 noite 2016.1
 
Budismo
BudismoBudismo
Budismo
 
Homilética I Itaporanga
Homilética I ItaporangaHomilética I Itaporanga
Homilética I Itaporanga
 
O cânon do novo testamento
O cânon do novo testamentoO cânon do novo testamento
O cânon do novo testamento
 
Principais Tipos de Sermão
Principais Tipos de SermãoPrincipais Tipos de Sermão
Principais Tipos de Sermão
 
A hermenêutica nos séculos xix e xx
A hermenêutica nos séculos xix e xx A hermenêutica nos séculos xix e xx
A hermenêutica nos séculos xix e xx
 
A hermenêutica na reforma protestante 9
A hermenêutica na reforma protestante 9A hermenêutica na reforma protestante 9
A hermenêutica na reforma protestante 9
 
A hermenêutica na idade média 8
A hermenêutica na idade média 8A hermenêutica na idade média 8
A hermenêutica na idade média 8
 
Hermenêutica na igreja primitiva 7
Hermenêutica na igreja primitiva 7Hermenêutica na igreja primitiva 7
Hermenêutica na igreja primitiva 7
 
O papel do espírito santo no livro de Atos
O papel do espírito santo no livro de AtosO papel do espírito santo no livro de Atos
O papel do espírito santo no livro de Atos
 
A hermenêutica entre os judeus 6
A hermenêutica entre os judeus 6A hermenêutica entre os judeus 6
A hermenêutica entre os judeus 6
 
As traduções bíblicas e o significado do texto 5
As traduções bíblicas e o significado do texto 5As traduções bíblicas e o significado do texto 5
As traduções bíblicas e o significado do texto 5
 

Último

Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Os ensinos controversos da Teologia da Prosperidade

  • 1. 1
  • 2.  Mateus 7:15-23: “Cuidado com os falsos profetas! Eles chegam disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos selvagens. Vocês os conhecerão pelo que eles fazem. Os espinheiros não dão uvas, e os pés de urtiga não dão figos.Assim, toda árvore boa dá frutas boas, e a árvore que não presta dá frutas ruins. A árvore boa não pode dar frutas ruins, e a árvore que não presta não pode dar frutas boas. Toda árvore que não dá frutas boas é cortada e jogada no fogo. Portanto, vocês conhecerão os falsos profetas pelas coisas que eles fazem. 2
  • 3.  Não é toda pessoa que me chama de “Senhor, Senhor” que entrará no Reino do Céu, mas somente quem faz a vontade do meu Pai, que está no céu.Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!” Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!” (NTLH). 3
  • 4.  Paulo Romeiro (1995, p. 93), chega a dizer que: “Milagre não é diploma de bom comportamento e nem prova da aprovação de Deus quanto ao ministério de alguém”. Em I João 4:1 o apóstolo alerta a Igreja do Senhor a fazer algo que não foi feito por parte daqueles que aderiram à Teologia da Prosperidade, vejamos o que diz o texto sagrado: “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora.” Deus deu além da capacidade de provar os espíritos a todos os seus filhos, um dom especial para alguns, de discernir espíritos (I Co 12:10), embora essas pessoas sejam vistas como descrentes e pouco espirituais, sobretudo nos corredores carismáticos, discernir os espíritos é da vontade de Deus que concede os dons de forma soberana e graciosa. 4
  • 5.  Devemos notar que o termo “espíritos” contido em I João 4:1 se refere a falsos ensinamentos. O Dom mencionado em I Coríntios capítulo 12 de “discernimento de espíritos” não se limita a dizer se uma pessoa está ou não endemoninhada. A amplitude de tal dom, de acordo com todo o contexto do Novo Testamento, chega ao ponto da pessoa que possui o dom de discernir os espíritos saber se os ensinamentos vêm de Deus ou se trata de uma heresia. Este dom tem sido pouco usado na maioria das Igrejas brasileiras porque tem sido mal compreendido. 5
  • 6. ORIGEM DA TEOLOGIA DA PROSPERIDADE 6
  • 7.  O desejo de se igualar a Deus é antigo, tem raízes no Paraíso do Éden, quando a serpente prometeu à mulher que ela e seu marido seriam iguais a Deus ao comerem do fruto que Deus proibira (Gn 3:1-6). Desde então o homem vem nutrindo o desejo pecaminoso de ser igual a Deus, ou no mínimo, de ser um pequeno deus. 7
  • 8.  Em tempos mais recentes, por volta do começo do século XIX, surgiu um homem chamado Essek William Kenyon, a quem os especialistas, como Romeiro, por exemplo, denominam de Pai da confissão positiva (outro nome da Teologia da Prosperidade). Romeiro (1998, p.8) diz: “quando se investiga o desenvolvimento histórico do movimento, chega-se à conclusão de que o verdadeiro pai da confissão positiva é Essek William Kenyon.” 8
  • 9.  O homem que veio a ser o pai da chamada confissão positiva, ou Teologia da Prosperidade, nasceu no ano de 1867, em Nova York, Estados Unidos e morreu em 1948. Quando tinha 19 anos de idade pregou seu primeiro sermão numa igreja Metodista. Começou cedo como pregador, e iria mais adiante querendo o aperfeiçoamento no estudo das Sagradas Escrituras. Matriculou-se numa escola para aprender a hermenêutica do professor Charles Emerson. 9
  • 10.  Emerson, foi um homem religiosamente inseguro, passou por diversos tipos de religião. Emerson mudou diversas vezes de opinião tendo no seu currículo crenças das mais bizarras no que diz repeito à Bíblia Sagrada, como por exemplo, foi universalista, unitariano, trancendentalista, e terminou na seita conhecida por Ciência Cristã, que explica que toda causa e efeito são mentais, não físicos (ROMEIRO, 2005). 10
  • 11.  Kenyon chegou a ser escritor, pregador Batista, Metodista, Pentecostal, e itinerante sem vínculos denominacionais, radialista de sucesso no final dos anos 30 e começo dos 40 iniciou-se nos ensinos das “seitas metafísicas” (MARIANO, 1999, p. 90). 11
  • 12.  O Pai da Teologia da Prosperidade enfatizava seus ensinos na cura divina e confisão positiva, ato de ordenar verbalmente às coisas, às vezes até mesmo a coisas que ainda não existem, e essas ordens têm de ser obedecidas, segundo dizem, para se cumprir o que está escrito na Bíblia em Marcos 11: 23- 24. 12
  • 13.  Os ensinos sobre a prosperidade financeira exagerada e fora dos parâmetros bíblicos, de que todos os crentes independente da situação econômica do país onde viva e da sua própria história de vida devem enriquecer, advêm do televangelista norte- americano Oral Roberts. Roberts começou a crer assim quando inicou na televisão e passou por apertos financeiros para pagar seus próprios programas que iam ao ar. 13
  • 14.  Pouco antes de sua morte em 1948, Kenyon passou às mãos de sua filha Ruth a incumbência de propagar seus ensinamentos. Pouco tempo depois surge Kenneth E. Hagin como o maior propagador das ideias de Kenyon até o presente momento. Sua influência foi sofrida por meios dos escritos publicados pela filha de Kenyon, certamente seus escritos não exerceram influência apenas em Hagin, pois, hoje em dia, no Brasil tais ensinos têm formado parte da teologia de muita gente, como veremos mais a frente. 14
  • 15.  Kenneth Erwin Hagin nasceu no estado do Texas, no mesmo país de seu antecessor Kenyon, no dia 20 de agosto de 1917. Logo que nasceu foi desenganado pelos médicos por sofrer de problemas cardíacos. Tudo ficou pior quando, por motivos que desconhecemos, seu pai abandonou a família quando este tinha seis anos de idade. Com a saída de seu pai de casa, Hagin ainda criança passou a ter forte inclinação para o suicídio. 15
  • 16.  Aos nove anos foi morar com a avó. Prestes a completar 16 anos sofreu uma piora em sua saúde, o que o obrigou a viver por uns tempos numa cama sem poder andar. Mas, duas coisas bastante significativas e que geram polêmica ainda hoje, estavam para acontecer com o adolescente que seria o maior propagador da teologia da prosperidade do século passado. A primeira coisa a acontecer foram suas visitas, como ele mesmo dizia, ao inferno por três vezes que o levou a se converter ao Senhor Jesus. A segunda coisa marcante nessa fase da vida do, então jovem, Hagin foi sua miraculosa cura. 16
  • 17.  Ele conta que orou e “confessou”, baseado em Marcos 11:23-24, que estaria curado de suas enfermidades, isso aconteceu no dia 1º de janeiro de 1934, alguns meses depois, na segunda semana de agosto do mesmo ano, ele finalmente se recuperou, e, para a surpresa de todos, voltou inexplicavelmente a andar. 17
  • 18.  Continuando com a história [controversa] de Kenneth E. Hagin, vemos que, durante os anos de 1934-1937 Hagin pastoreou uma Igreja Batista na cidade onde morava. No ano de 1937 recebeu o batismo no Espírito Santo, falou em línguas e se tornou um ministro das Assembleias de Deus no Estado do Texas onde pastoreou algumas igrejas desta denominação até 1949. Nessa mesma época, Hagin se associou com pregadores pentecostais independentes, também pregadores da cura divina, nomes como William Marion Branham (que era unitariano), Oral Roberts e T. L. Osborn. 18
  • 19.  Em 1963, ele fundou a Associação Evangelística Kenneth Hagin. Em 1966 Hagin recebeu inúmeros convites para pregar e realizar seminários, no mesmo ano começou a pregar no rádio. Em 1976 foi ao ar seu primeiro programa de televisão. Em 1974 seu filho Kenneth Hagin Junior fundou o Centro de Treinamento Bíblico Rhema, justamente para ensinar a Teologia da Confissão Positiva, o que logrou muito êxito, pois, diversos alunos, das mais diferentes partes dos Estados Unidos começaram a se matricular a fim de receber e propagar pelo mundo tal doutrina. 19
  • 20.  Até hoje, o centro de treinamento Rhema já formou mais de 23 mil alunos. O programa de rádio da mesma Escola é atualmente transmitido por mais de 250 estações na América do Norte. Kenneth Hagin e seu filho já produziram cerca de 150 livros e livretos com ensinamentos da Teologia da Prosperidade que, ao todo tiveram uma tiragem de aproximadamente 65 milhões de cópias em todo o mundo (ROMEIRO, 2005, p. 96). 20
  • 21. O QUE ENSINA  Para Ricardo Mariano (1999, p. 44) “a Teologia da Prosperidade, [é uma] doutrina que, grosso modo, defende que o crente está destinado a ser próspero, saudável e feliz neste mundo”. 21
  • 22.  Para Paulo Romeiro (1998, p. 7): Ensinos pouco ortodoxos caracterizam a confissão positiva, conhecida também como “evangelho da saúde e da prosperidade”, “palavra da fé” ou ainda como “movimento da fé”. Seus líderes apregoam que os humanos possuem a natureza divina, que consultar médicos ou tomar remédios é pouco recomendável para o cristão, que Jesus foi milionário e que a soberania de Deus é limitada pela vontade humana. 22
  • 23.  O maior divulgador do movimento da fé no século passado, Kenneth E. Hagin chegou a dizer: “Deus quer que seus filhos usem a melhor roupa. Ele quer que eles dirijam os melhores carros e quer que tenham o melhor de tudo [...] simplesmente exija o que você precisa” (HAGIN, p. 43) Noutra ocasião ele também disse: “Você é tão encarnação de Deus quanto Jesus Cristo o foi: cada homem que nasceu de Deus é uma encarnação de Deus tanto quanto o foi Jesus de Nazaré” (HAGIN, dezembro 1980 apud ROMEIRO 1998, p. 43). 23
  • 24. 24
  • 25.  R. R. Soares, ou simplesmente “O Missionário”, como é popularmente conhecido nos corredores da IIGD (Igreja Internacional da Graça de Deus), alega que os filhos de Deus devem exigir seus direitos, que seriam riquezas e saúde. Ele também não crê na soberania de Deus, pelo menos no que diz respeito à oração, que segundo ele mostra em um de seus livros, está mais para patrão de Deus do que servo. 25
  • 26.  Ele diz: Usar a frase “se for da tua vontade” em oração pode parecer espiritual, e demonstrar atitude piedosa de quem é submisso à vontade do Senhor, mas, além de não adiantar nada, destrói a própria oração (SOARES, 2004 p.11). 26
  • 27.  A bíblia condena seu ensinamento mostrando justamente o contrário, que devemos orar pedindo sempre a vontade de Deus. Mateus 6:10 diz “[...] faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu”. Jesus orou assim em Mateus 26:39 “[...] não seja como eu quero, e sim como tu queres”.  Se o próprio Jesus orou pedindo a vontade de Deus e ensinou que devemos orar assim, por que oraríamos diferente disso? 27
  • 28.  Eles ensinam que nós somos pequenos deuses.  Vejamos o que Hagin nos diz sobre o assunto: “Se eu permanecer em Deus e junto D’Ele, meus direitos estarão claramente assegurados. Ninguém poderá oferecer-me nada melhor. Nem o próprio Senhor Jesus tem uma posição diante de Deus do que você e eu temos.” (HAGIN, 1980, p. 74). 28
  • 29. 29
  • 30. 30
  • 31.  Na mensagem intitulada “Quando Deus Escolhe Alguém” Marco Feliciano, alegando ter ouvido Deus falar, diz o seguinte: Ele manda te dizer que aqueles que te olharam de cima para baixo terão que te olhar com um binóculo e de baixo para cima de tão alto que o Senhor vai te colocar. Porque Deus colocará asas em sua vida e ministério. [...] Você será grande para a honra e glória do Senhor. Aquele que entende que essa palavra é pra ele, pelo amor de Deus, comece a dar glória. Parece ou não com a teologia da música “Tem Sabor de Mel?” 31
  • 32. Na mensagem “O Vinho do Inferno” ele diz: 32
  • 33. 33
  • 34. A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE NO BRASIL  “Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho” (At 20:29).  Na década de 1970 a teologia da prosperidade pede espaço e começa a ter força em solo brasileiro (MARIANO, 1999, p. 156). 34
  • 35.  A Teologia da Prosperidade não é uma denominação e sim um movimento, presente em diversas denominações.  As denominações que adotam tal teologia integralmente são chamadas de igrejas neopentecostais. 35
  • 36.  De acordo com Paulo Romeiro (2005, p. 49): Ainda que um grupo possa apresentar uma ou mais práticas de uma denominação, elas não são suficientes para classificá-lo como tal. Assim, o neopentecostalismo não pode ser considerado denominação, mas movimento. E tal afirmação é corroborada por vários estudiosos. 36
  • 37. 37
  • 38. 38
  • 39. 39
  • 40. 40
  • 41. 41
  • 42. 42
  • 43. 43
  • 44. 44
  • 45. 45
  • 46. 46
  • 47. 47
  • 48. 48
  • 49. 49
  • 50. 50
  • 51. 51
  • 52. 52
  • 53. DIGA O NOME DE UMA IGREJA QUE PROFESSA A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE 53
  • 54. CONCLUSÃO  Enquanto os teólogos da prosperidade ensinam que quem mais der mais terá, o senhor Jesus disse que “é melhor dar do que receber” (At 20:35). Não para ter mais na terra, mas, no céu.  Precisamos ofertar toda nossa vida a Deus. 54
  • 55. 55
  • 56.  Concordamos com Augustus Nicodemus Lopes (2001, p. 145) quando ele disse: Esta é uma característica de todo falso mestre. Ele sempre tem uma interpretação distorcida da Escritura. Os falsos mestres, conquanto possam expressar verdades da Escritura em seu ensinamento, costumam se desviar em algum ponto básico, como na doutrina de Deus, de Cristo, do Espírito Santo, da Criação, do pecado ou da redenção. 56
  • 57. REFERÊNCIAS  LOPES, Augustus Nicodemus. O que você precisa saber sobre batalha espiritual. 3. Ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2001.  MARIANO, Ricardo. Neo pentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1999.  ROMEIRO, Paulo. Decepcionados com a graça: esperanças e frustrações no Brasil neopentecostal. São Paulo: Mundo Cristão, 2005.  ______. Super crentes: o evangelho segundo Kenneth Hagin, Valnice Milhomens e os profetas da prosperidade. 7 ed. São Paulo: Mundo Cristão, 1998.  www.brunocesarnt.wix.com/teologia 57