SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
CENTRO DE
TRABALHOS ESPÍRITA
ANA LUZ
A Providência Divina
1804-1869
SubsídiosSubsídios
A providência é a solicitude de Deus
para com as suas criaturas (1).
É a suprema sabedoria com que o
Criador conduz todas as coisas...,
...é o cuidado constante,
...o zelo ininterrupto, [...],
...é o espírito superior,
...é o anjo velando sobre o infortúnio, é
o consolador invisível, [...]
...é farol aceso no meio da noite, para a
salvação dos que erram sobre o mar
tempestuoso da vida.
A Providência é, ainda, principalmente,
o amor divino derramando-se a flux sobre
suas criaturas (8).
Deus [...] está em toda parte, tudo vê e
tudo preside, mesmo às menores coisas:
É nisto que consiste sua ação
providencial.
Como pode Deus, tão grande, tão
poderoso, tão superior a tudo, imiscuir-se
(envolver-se) em pormenores ínfimos,
preocupar-se com os menores atos e os
menores pensamentos de cada indivíduo?
Esta a interrogação que a si mesmo
dirige o incrédulo, concluindo por dizer
que, admitida a existência de Deus, só se
pode admitir, quanto à sua ação, que ela
se exerça sobre as leis gerais do
Universo;
Que este funcione de toda a
eternidade em virtude dessas leis, às
quais toda criatura se acha submetida na
esfera de suas atividades, sem que haja
mister a intervenção incessante da
Providência (2).
Achamo-nos então, constantemente,
em presença da Divindade;
Nenhuma das nossas ações lhe
podemos subtrair ao olhar;
O nosso pensamento está em
contato ininterrupto com o seu
pensamento, havendo, pois, razão para
dizer-se que Deus vê os mais profundos
refolhos do nosso coração.
Estamos nele, como ele está em
nós, segundo a palavra do Cristo.
Para estender a sua solicitude a
todas as criaturas, não precisa Deus
lançar o olhar do Alto da imensidade.
As nossas preces, para que ele as
ouça, não precisam transpor o espaço,
nem ser ditas com voz retumbante, pois
que, estando de contínuo ao nosso lado,
os nossos pensamentos repercutem nele.
Os nossos pensamentos são como
os sons de um sino, que fazem vibrar
todas as moléculas do ar ambiente (3).
Nada obsta (impede) a que se admita,
para o principio da soberana inteligência,
um centro de ação, um foco principal a
irradiar incessantemente, inundando o
Universo com seus eflúvios, como o Sol
com a sua luz.
Mas onde esse foco?
É o que ninguém pode dizer.
Provavelmente, não se acha fixado em
determinado ponto, como não o está a sua
ação, sendo também provável que percorra
constantemente as regiões do espaço sem
fim.
Se simples Espíritos têm o dom da
ubiquidade (onipresença – faculdade de
estar ao mesmo em todos os lugares), em
Deus há de ser sem limites essa faculdade.
Enchendo Deus o Universo, poder-se-
ia ainda admitir, a título de hipótese, que
esse foco não precisa transportar-se, por
se formar em todas as partes onde a
soberana vontade julga conveniente que
ele se produza, donde o poder dizer-se
que está em toda parte e em parte
nenhuma (4).
A ação providencial de Deus pode ser
percebida nas seguintes palavras de
Emmanuel:
Se acreditas que o hálito das entidades
angélicas bafeja (beneficia) exclusivamente
os cultivadores da virtude, medita na
Providência Divina que honra o Sol, na
grandeza do Espaço, mas induzindo-o a
sustentar os seres que ainda jazem colados
à crosta do Planeta, inclusive os últimos
vermes que rastejam no chão.
Contempla os quadros que te
circundam, em todas as direções, e
conhecerás o Amor Infinito buscando
suprimir, em silêncio, as situações
deprimentes da natureza (9).
Qual a visão de Emmanuel sobre a
ação providencial de Deus?
Pode ser percebida nas várias
situações do cotidiano de nossas vidas,
tanto no domínio da natureza como no
campo do pensamento humano.
Vejamos então:
● É “o Amor Infinito, buscando suprimir as situações
deprimentes da natureza.”
● É “o Amor Infinito, buscando suprimir as situações
deprimentes da natureza.”
● É “o Infinito Amor, buscando extinguir as condições
inferiores da Humanidade.”
● É “o Infinito Amor, buscando extinguir as condições
inferiores da Humanidade.”
 No domínio da Natureza? No domínio da Natureza?
 No campo do Pensamento? No campo do Pensamento?
Fontes
alimenta
m a terra
seca
Cachoeir
as
cobrem
abismos
Flores
valorizam
espinheirais
Astros
clareiam o
Céu
noturno
Almas
generosas
socorrendo
a
necessidade
Médicos a
sanearem
doenças
Almas generosas
socorrendo a
Necessidade (9)
Qst. 963 - Deus se ocupaDeus se ocupa
pessoalmente de cada homem? Não é Elepessoalmente de cada homem? Não é Ele
muito grande e nós pequenos demais paramuito grande e nós pequenos demais para
que cada indivíduo em particular tenhaque cada indivíduo em particular tenha
alguma importância a seus olhos?alguma importância a seus olhos?
Deus se ocupa de todas os seres queDeus se ocupa de todas os seres que
criou, por menores que sejam; nada écriou, por menores que sejam; nada é
demasiado pequeno para a sua bondadedemasiado pequeno para a sua bondade (6)
Qst. 964 – Deus tem a necessidade de se ocupar
de cada um dos nossos atos para nos recompensar ou
nos punir? A maioria desses atos não são para ele
insignificantes?
- Deus tem as suas leis que regulam todas as vossas
ações.
Se as violardes, a culpa é vossa (7)
Devemos, entretanto, considerar que, a despeito
da ação providencial de Deus para com todas as
criaturas, estamos vinculados aos resultados do nosso
livre-arbítrio.
Dessa forma, todas [...] as nossas ações são
submetidas às leis de Deus;
Não há nenhuma delas, por mais que
insignificante nos pareça, que não possa ser uma
violação dessas leis.
Se sofremos as consequências dessa
violação não nos devemos queixar senão de nós
mesmos, que nos fazemos assim artífices
(causadores – construtores) de nossa felicidade ou
de nossa infelicidade futura (7).
Fica claro, portanto, que a Providência
Divina se manifesta duplamente:
Sob a forma de misericórdia e de justiça,
porque a [...] compaixão, filha do amor, desejará
estender sempre o braço que salva, mas a justiça,
filha da Lei, não prescinde da ação que retifica.
Haverá recursos da misericórdia para as
situações mais deploráveis.
Entretanto, a ordem legal do Universo
cumprir-se-á, invariavelmente.
Em virtude, pois, da realidade, é justo que
cada filho de Deus assuma responsabilidades e
tome resoluções por si mesmo (10).
As provações da vida representam, assim,
os cuidados de Deus para com todos os seus
filhos, oferecendo-lhes benditas oportunidades de
progresso espiritual, como nos esclarece o
benfeitor Emmanuel:
Em todas as provas que te assaltem os dias,
considera a quota das bênçãos que te rodeiam, e,
escorando-te na fé e na paciência, reconhecerás
que a Divina Providência está agindo contigo e por
teu intermédio, sustentando-te, em meio dos
problemas que te marcam a estrada, para doar-
lhes a solução. (Slide 11).
Diante desses problemas insondáveis, cumpre
que a nossa razão se humilhe.
Deus existe: disso não poderemos duvidar.
É infinitamente justo e bom: essa a sua
essência.
A tudo se estende a sua solicitude:
compreendemo-lo.
Só o nosso bem, portanto, pode ele querer,
donde se segue que devemos confiar nele: é o
essencial.
Quanto ao mais, esperemos que nos tenhamos
tornado dignos de o compreender. (5).
FelicidadeFelicidade
InfelicidadeInfelicidade
Provimento
[Misericórdia]
Provimento
[Misericórdia]
Leis Divinas
[Justiça]
Leis Divinas
[Justiça]
Ação da Providência Divina para o
homem
As provações da vida representam, assim, cuidados de Deus para com
todos os seus filhos, oferecendo-lhes benditas oportunidades de
progresso espiritual.
O Ser Humano
[Livre-arbítrio]
Livre-Livre-ArbítrioArbítrio
O SER HUMANO
ESCOLHA DO CAMINHO
Provação: Situação de sofrimento e
infortúnio: Prova, aperto, risco; perigo.
1919
Não acumuleis tesouros sobre na Terra,Não acumuleis tesouros sobre na Terra,
onde a traça e a ferrugem corroem, e onde osonde a traça e a ferrugem corroem, e onde os
ladrões escavam e roubam.ladrões escavam e roubam.
1919
Não acumuleis tesouros sobre na Terra,Não acumuleis tesouros sobre na Terra,
onde a traça e a ferrugem corroem, e onde osonde a traça e a ferrugem corroem, e onde os
ladrões escavam e roubam.ladrões escavam e roubam.
2020
Mas ajuntai tesouros no céu, onde a traça nemMas ajuntai tesouros no céu, onde a traça nem
ferrugem consomem, e onde ladrões nãoferrugem consomem, e onde ladrões não
escavam, nem roubam.escavam, nem roubam.
2020
Mas ajuntai tesouros no céu, onde a traça nemMas ajuntai tesouros no céu, onde a traça nem
ferrugem consomem, e onde ladrões nãoferrugem consomem, e onde ladrões não
escavam, nem roubam.escavam, nem roubam.
Recomendações sábias de Jesus
Mateus
Cap. 6:
VV. 19-20
21
Porque, onde está o teu tesouro,...
...aí estará também o teu coração[...].
21
Porque, onde está o teu tesouro,...
...aí estará também o teu coração[...].
Recomendações sábias de Jesus...Recomendações sábias de Jesus...
Mateus
Cap. 6:
V. 21
☞ Os bens materiais são
transitoriamente concedidos por Deus aos
homens para serem utilizados em proveito
de seu próprio crescimento espiritual e
não acompanharão o Espírito quando da
sua partida para o mundo espiritual.
☞ Os bens materiais são
transitoriamente concedidos por Deus aos
homens para serem utilizados em proveito
de seu próprio crescimento espiritual e
não acompanharão o Espírito quando da
sua partida para o mundo espiritual.
Convém não esquecer que:
☞ Como se realiza a ação
providencial de Deus para com as suas
criaturas?
☞ Como se realiza a ação
providencial de Deus para com as suas
criaturas?
Aplicando suas Leis e cuidandoAplicando suas Leis e cuidando
para que todas os seres da criaçãopara que todas os seres da criação
tenham o suficiente para o seutenham o suficiente para o seu
desenvolvimento nas condiçõesdesenvolvimento nas condições
evolutivas em que se encontram.evolutivas em que se encontram.
Ação
Providencial
de Deus
para com as
suas
criaturas
Ação providencial de Deus para
com as suas criaturas
Cada dia é uma lição, que deve ser lida no
livro da vida, em seguida analisada e assimilada
para ser bem aproveitada como aprendizado;
Não devendo, assim, “nos inquietar com o dia
de amanhã, pois o dia de hoje é o que merece
destaque e atenção, por ser o momento de
estudar a lição que nos foi reservada.
O amanhã pertence a Deus e às
consequências dos nossos atos.
Basta a cada dia o seu mal!
ReferênciaReferência
BibliográficBibliográfic
aa
1. KARDEC, Allan. O Gênese. Tradução de J.
Herculano Pires. 23ª ed. São Paulo: LAKE, 2010. Capítulo II
DEUS - Item: A Providência – Questão 20 - Pág. 58.
2. ______. Questão 20 - Págs. 58-59.
3. ______. Questão 24 – Pág. 60.
4. ______. Questão 29 - Pág. 62.
5. ______. Questão 30 - Pág. 62.
6. ______. O livro dos Espíritos. Tradução de
J. Herculano Pires. 68ª ed. São Paulo: LAKE,
2009. Livro Quarto – Esperanças e Consolações –
Capítulo II Pena e Gozos Futuros – Item:
Intervenção de Deus nas Penas e Recompensas -
Questão 963 – Pág. 321.
7. _____. Questão 964 e Comentário - Págs. 321-322.
8. DENIS, Léon. Depois da Morte. Tradução de João
Lourenço de Souza – 25ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 –
Cap. 40 (Livre-Arbítrio e Providência) - Pág. 243.
9. XAVIER, Francisco Cândido. Justiça Divina. Pelo
Espírito Emmanuel – 11ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2006 –
Item: Divino Amparo - Pág. 97-98.
10.____. Obreiros da Vida Eterna. - Pelo Espírito
André Luiz - 31ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2006 – Cap. 9
(Louvor e Gratidão) - Pág. 172.
11.____. Rumo Certo. - Pelo Espírito
Emmanuel - 9ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2006 –
Cap. 3 (Provas e Bênçãos) - Pág. 22.
Roteiro 4   a providência divina

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
Graça Maciel
 

Mais procurados (20)

Fluído Cósmico (Universal)
Fluído Cósmico (Universal)Fluído Cósmico (Universal)
Fluído Cósmico (Universal)
 
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritualCapitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
Capitulo III Retorno da vida corporea a vida espiritual
 
Atributos da divindade
Atributos da divindadeAtributos da divindade
Atributos da divindade
 
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espíritoEsde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nós
 
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deusEsde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
 
Palestra Espírita - Sede perfeitos
Palestra Espírita - Sede perfeitosPalestra Espírita - Sede perfeitos
Palestra Espírita - Sede perfeitos
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e ExpiaçõesEvangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
Evangeliza - Terra - Planeta de Provas e Expiações
 
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismoCei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
Cei 100303-i-cap.7-as penas futuras segundo o espiritismo
 
2.7.5 Idiotismo e loucura
2.7.5   Idiotismo e loucura2.7.5   Idiotismo e loucura
2.7.5 Idiotismo e loucura
 
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
 
Fluido Cósmico Universal
Fluido Cósmico UniversalFluido Cósmico Universal
Fluido Cósmico Universal
 
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMOMEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
MEDIUNIDADE E ESPIRITISMO
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VIIBem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
Bem aventurados os pobres de espirito - Cap VII
 
Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
 
Reforma intima sem martírio!
Reforma intima sem martírio! Reforma intima sem martírio!
Reforma intima sem martírio!
 
Relações de além tumulo
Relações de além tumuloRelações de além tumulo
Relações de além tumulo
 

Semelhante a Roteiro 4 a providência divina

Módulo III - Aula IV - Mansão Espírita
Módulo III - Aula IV - Mansão EspíritaMódulo III - Aula IV - Mansão Espírita
Módulo III - Aula IV - Mansão Espírita
brunoquadros
 
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. PanteísmoCapitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Marta Gomes
 
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]gutoFund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Guto Ovsky
 

Semelhante a Roteiro 4 a providência divina (20)

providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptxAULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
 
Módulo III - Aula IV - Mansão Espírita
Módulo III - Aula IV - Mansão EspíritaMódulo III - Aula IV - Mansão Espírita
Módulo III - Aula IV - Mansão Espírita
 
Fund I Mód III Rot 4
Fund I Mód III  Rot 4Fund I Mód III  Rot 4
Fund I Mód III Rot 4
 
Aconselhamento
AconselhamentoAconselhamento
Aconselhamento
 
Aconselhamento
AconselhamentoAconselhamento
Aconselhamento
 
021c - Quanto aos microscópicos sois negros dos Demônios e aos modos de defen...
021c - Quanto aos microscópicos sois negros dos Demônios e aos modos de defen...021c - Quanto aos microscópicos sois negros dos Demônios e aos modos de defen...
021c - Quanto aos microscópicos sois negros dos Demônios e aos modos de defen...
 
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. PanteísmoCapitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
 
LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1LE 872 ESE cap13_item1
LE 872 ESE cap13_item1
 
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]gutoFund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
 
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
Seminário - 52º Encontro de Evangelhização de Espíritos (Julho 2015) - Sac...
 
Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?Depois da morte - para onde vamos?
Depois da morte - para onde vamos?
 
Deus
DeusDeus
Deus
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015
 
Cura interior a luz da palavra.
Cura interior a luz da palavra.Cura interior a luz da palavra.
Cura interior a luz da palavra.
 
Palestra max umbral 22 nov 21 2021.pptx1
Palestra max   umbral  22 nov 21  2021.pptx1Palestra max   umbral  22 nov 21  2021.pptx1
Palestra max umbral 22 nov 21 2021.pptx1
 
Providência Divina
Providência DivinaProvidência Divina
Providência Divina
 
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8 Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
 
A prece
A preceA prece
A prece
 
Evangeliza - Fora da caridade não há salvação
Evangeliza - Fora da caridade não há salvaçãoEvangeliza - Fora da caridade não há salvação
Evangeliza - Fora da caridade não há salvação
 

Mais de Bruno Cechinel Filho

Mais de Bruno Cechinel Filho (20)

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
 

Último (7)

Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 

Roteiro 4 a providência divina

  • 1. CENTRO DE TRABALHOS ESPÍRITA ANA LUZ A Providência Divina
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 7. A providência é a solicitude de Deus para com as suas criaturas (1). É a suprema sabedoria com que o Criador conduz todas as coisas..., ...é o cuidado constante, ...o zelo ininterrupto, [...], ...é o espírito superior, ...é o anjo velando sobre o infortúnio, é o consolador invisível, [...] ...é farol aceso no meio da noite, para a salvação dos que erram sobre o mar tempestuoso da vida.
  • 8. A Providência é, ainda, principalmente, o amor divino derramando-se a flux sobre suas criaturas (8). Deus [...] está em toda parte, tudo vê e tudo preside, mesmo às menores coisas: É nisto que consiste sua ação providencial. Como pode Deus, tão grande, tão poderoso, tão superior a tudo, imiscuir-se (envolver-se) em pormenores ínfimos, preocupar-se com os menores atos e os menores pensamentos de cada indivíduo?
  • 9. Esta a interrogação que a si mesmo dirige o incrédulo, concluindo por dizer que, admitida a existência de Deus, só se pode admitir, quanto à sua ação, que ela se exerça sobre as leis gerais do Universo; Que este funcione de toda a eternidade em virtude dessas leis, às quais toda criatura se acha submetida na esfera de suas atividades, sem que haja mister a intervenção incessante da Providência (2).
  • 10. Achamo-nos então, constantemente, em presença da Divindade; Nenhuma das nossas ações lhe podemos subtrair ao olhar; O nosso pensamento está em contato ininterrupto com o seu pensamento, havendo, pois, razão para dizer-se que Deus vê os mais profundos refolhos do nosso coração. Estamos nele, como ele está em nós, segundo a palavra do Cristo.
  • 11. Para estender a sua solicitude a todas as criaturas, não precisa Deus lançar o olhar do Alto da imensidade. As nossas preces, para que ele as ouça, não precisam transpor o espaço, nem ser ditas com voz retumbante, pois que, estando de contínuo ao nosso lado, os nossos pensamentos repercutem nele. Os nossos pensamentos são como os sons de um sino, que fazem vibrar todas as moléculas do ar ambiente (3).
  • 12. Nada obsta (impede) a que se admita, para o principio da soberana inteligência, um centro de ação, um foco principal a irradiar incessantemente, inundando o Universo com seus eflúvios, como o Sol com a sua luz. Mas onde esse foco? É o que ninguém pode dizer. Provavelmente, não se acha fixado em determinado ponto, como não o está a sua ação, sendo também provável que percorra constantemente as regiões do espaço sem fim.
  • 13. Se simples Espíritos têm o dom da ubiquidade (onipresença – faculdade de estar ao mesmo em todos os lugares), em Deus há de ser sem limites essa faculdade. Enchendo Deus o Universo, poder-se- ia ainda admitir, a título de hipótese, que esse foco não precisa transportar-se, por se formar em todas as partes onde a soberana vontade julga conveniente que ele se produza, donde o poder dizer-se que está em toda parte e em parte nenhuma (4).
  • 14. A ação providencial de Deus pode ser percebida nas seguintes palavras de Emmanuel: Se acreditas que o hálito das entidades angélicas bafeja (beneficia) exclusivamente os cultivadores da virtude, medita na Providência Divina que honra o Sol, na grandeza do Espaço, mas induzindo-o a sustentar os seres que ainda jazem colados à crosta do Planeta, inclusive os últimos vermes que rastejam no chão.
  • 15. Contempla os quadros que te circundam, em todas as direções, e conhecerás o Amor Infinito buscando suprimir, em silêncio, as situações deprimentes da natureza (9). Qual a visão de Emmanuel sobre a ação providencial de Deus? Pode ser percebida nas várias situações do cotidiano de nossas vidas, tanto no domínio da natureza como no campo do pensamento humano. Vejamos então:
  • 16. ● É “o Amor Infinito, buscando suprimir as situações deprimentes da natureza.” ● É “o Amor Infinito, buscando suprimir as situações deprimentes da natureza.” ● É “o Infinito Amor, buscando extinguir as condições inferiores da Humanidade.” ● É “o Infinito Amor, buscando extinguir as condições inferiores da Humanidade.”  No domínio da Natureza? No domínio da Natureza?  No campo do Pensamento? No campo do Pensamento?
  • 17.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 25. Qst. 963 - Deus se ocupaDeus se ocupa pessoalmente de cada homem? Não é Elepessoalmente de cada homem? Não é Ele muito grande e nós pequenos demais paramuito grande e nós pequenos demais para que cada indivíduo em particular tenhaque cada indivíduo em particular tenha alguma importância a seus olhos?alguma importância a seus olhos? Deus se ocupa de todas os seres queDeus se ocupa de todas os seres que criou, por menores que sejam; nada écriou, por menores que sejam; nada é demasiado pequeno para a sua bondadedemasiado pequeno para a sua bondade (6)
  • 26. Qst. 964 – Deus tem a necessidade de se ocupar de cada um dos nossos atos para nos recompensar ou nos punir? A maioria desses atos não são para ele insignificantes? - Deus tem as suas leis que regulam todas as vossas ações. Se as violardes, a culpa é vossa (7) Devemos, entretanto, considerar que, a despeito da ação providencial de Deus para com todas as criaturas, estamos vinculados aos resultados do nosso livre-arbítrio. Dessa forma, todas [...] as nossas ações são submetidas às leis de Deus;
  • 27. Não há nenhuma delas, por mais que insignificante nos pareça, que não possa ser uma violação dessas leis. Se sofremos as consequências dessa violação não nos devemos queixar senão de nós mesmos, que nos fazemos assim artífices (causadores – construtores) de nossa felicidade ou de nossa infelicidade futura (7). Fica claro, portanto, que a Providência Divina se manifesta duplamente:
  • 28. Sob a forma de misericórdia e de justiça, porque a [...] compaixão, filha do amor, desejará estender sempre o braço que salva, mas a justiça, filha da Lei, não prescinde da ação que retifica. Haverá recursos da misericórdia para as situações mais deploráveis. Entretanto, a ordem legal do Universo cumprir-se-á, invariavelmente. Em virtude, pois, da realidade, é justo que cada filho de Deus assuma responsabilidades e tome resoluções por si mesmo (10).
  • 29. As provações da vida representam, assim, os cuidados de Deus para com todos os seus filhos, oferecendo-lhes benditas oportunidades de progresso espiritual, como nos esclarece o benfeitor Emmanuel: Em todas as provas que te assaltem os dias, considera a quota das bênçãos que te rodeiam, e, escorando-te na fé e na paciência, reconhecerás que a Divina Providência está agindo contigo e por teu intermédio, sustentando-te, em meio dos problemas que te marcam a estrada, para doar- lhes a solução. (Slide 11).
  • 30. Diante desses problemas insondáveis, cumpre que a nossa razão se humilhe. Deus existe: disso não poderemos duvidar. É infinitamente justo e bom: essa a sua essência. A tudo se estende a sua solicitude: compreendemo-lo. Só o nosso bem, portanto, pode ele querer, donde se segue que devemos confiar nele: é o essencial. Quanto ao mais, esperemos que nos tenhamos tornado dignos de o compreender. (5).
  • 31. FelicidadeFelicidade InfelicidadeInfelicidade Provimento [Misericórdia] Provimento [Misericórdia] Leis Divinas [Justiça] Leis Divinas [Justiça] Ação da Providência Divina para o homem As provações da vida representam, assim, cuidados de Deus para com todos os seus filhos, oferecendo-lhes benditas oportunidades de progresso espiritual. O Ser Humano [Livre-arbítrio]
  • 32. Livre-Livre-ArbítrioArbítrio O SER HUMANO ESCOLHA DO CAMINHO Provação: Situação de sofrimento e infortúnio: Prova, aperto, risco; perigo.
  • 33. 1919 Não acumuleis tesouros sobre na Terra,Não acumuleis tesouros sobre na Terra, onde a traça e a ferrugem corroem, e onde osonde a traça e a ferrugem corroem, e onde os ladrões escavam e roubam.ladrões escavam e roubam. 1919 Não acumuleis tesouros sobre na Terra,Não acumuleis tesouros sobre na Terra, onde a traça e a ferrugem corroem, e onde osonde a traça e a ferrugem corroem, e onde os ladrões escavam e roubam.ladrões escavam e roubam. 2020 Mas ajuntai tesouros no céu, onde a traça nemMas ajuntai tesouros no céu, onde a traça nem ferrugem consomem, e onde ladrões nãoferrugem consomem, e onde ladrões não escavam, nem roubam.escavam, nem roubam. 2020 Mas ajuntai tesouros no céu, onde a traça nemMas ajuntai tesouros no céu, onde a traça nem ferrugem consomem, e onde ladrões nãoferrugem consomem, e onde ladrões não escavam, nem roubam.escavam, nem roubam. Recomendações sábias de Jesus Mateus Cap. 6: VV. 19-20
  • 34. 21 Porque, onde está o teu tesouro,... ...aí estará também o teu coração[...]. 21 Porque, onde está o teu tesouro,... ...aí estará também o teu coração[...]. Recomendações sábias de Jesus...Recomendações sábias de Jesus... Mateus Cap. 6: V. 21
  • 35. ☞ Os bens materiais são transitoriamente concedidos por Deus aos homens para serem utilizados em proveito de seu próprio crescimento espiritual e não acompanharão o Espírito quando da sua partida para o mundo espiritual. ☞ Os bens materiais são transitoriamente concedidos por Deus aos homens para serem utilizados em proveito de seu próprio crescimento espiritual e não acompanharão o Espírito quando da sua partida para o mundo espiritual. Convém não esquecer que:
  • 36. ☞ Como se realiza a ação providencial de Deus para com as suas criaturas? ☞ Como se realiza a ação providencial de Deus para com as suas criaturas? Aplicando suas Leis e cuidandoAplicando suas Leis e cuidando para que todas os seres da criaçãopara que todas os seres da criação tenham o suficiente para o seutenham o suficiente para o seu desenvolvimento nas condiçõesdesenvolvimento nas condições evolutivas em que se encontram.evolutivas em que se encontram.
  • 38. Ação providencial de Deus para com as suas criaturas
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42. Cada dia é uma lição, que deve ser lida no livro da vida, em seguida analisada e assimilada para ser bem aproveitada como aprendizado; Não devendo, assim, “nos inquietar com o dia de amanhã, pois o dia de hoje é o que merece destaque e atenção, por ser o momento de estudar a lição que nos foi reservada. O amanhã pertence a Deus e às consequências dos nossos atos. Basta a cada dia o seu mal!
  • 43.
  • 45. 1. KARDEC, Allan. O Gênese. Tradução de J. Herculano Pires. 23ª ed. São Paulo: LAKE, 2010. Capítulo II DEUS - Item: A Providência – Questão 20 - Pág. 58. 2. ______. Questão 20 - Págs. 58-59. 3. ______. Questão 24 – Pág. 60. 4. ______. Questão 29 - Pág. 62. 5. ______. Questão 30 - Pág. 62. 6. ______. O livro dos Espíritos. Tradução de J. Herculano Pires. 68ª ed. São Paulo: LAKE, 2009. Livro Quarto – Esperanças e Consolações – Capítulo II Pena e Gozos Futuros – Item: Intervenção de Deus nas Penas e Recompensas - Questão 963 – Pág. 321.
  • 46. 7. _____. Questão 964 e Comentário - Págs. 321-322. 8. DENIS, Léon. Depois da Morte. Tradução de João Lourenço de Souza – 25ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 – Cap. 40 (Livre-Arbítrio e Providência) - Pág. 243. 9. XAVIER, Francisco Cândido. Justiça Divina. Pelo Espírito Emmanuel – 11ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2006 – Item: Divino Amparo - Pág. 97-98. 10.____. Obreiros da Vida Eterna. - Pelo Espírito André Luiz - 31ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2006 – Cap. 9 (Louvor e Gratidão) - Pág. 172. 11.____. Rumo Certo. - Pelo Espírito Emmanuel - 9ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2006 – Cap. 3 (Provas e Bênçãos) - Pág. 22.