SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Introdução ao
EXISTENCIALISMO
Bruno Carrasco
O que significa existir?
O existencialismo tem como intuito compreender a
existência humana, com questões do tipo:
>O que é existir?
>Quais as condições que envolvem o existir humano?
A palavra existir vem do latim exsistĕre, que significa
ser, estar, nascer, manifestar-se, aparecer, emergir.
Expressa a ideia de se colocar no mundo, expressar seu
modo de ser e assumir aquilo que se é.
ex-isto www.ex-isto.com
Refletir sobre a existência...
A reflexão sobre a existência gera questionamentos
desde a Grécia Antiga, porém se desenvolveram mais
intensamente durante os séculos XIX e XX, tendo como
representantes os filósofos Soren Kierkegaard, Arthur
Schopenhauer, Friedrich Nietzsche, Merleau-Ponty,
Jean-Paul Sartre, Martin Heidegger, e os escritores
Dostoiévsky, Tolstói, Oscar Wilde, Hermann Hesse,
Fernando Pessoa, entre outros.
ex-isto www.ex-isto.com
Questiona e contraria concepções filosóficas
que estão fortemente enraizadas em nossa cultura
ocidental, entre elas o racionalismo, que
supervaloriza a razão em detrimento da emoção e
a metafísica, que foca seu estudo em conceitos
abstratos sobre o que é captado pelos sentidos,
classificando, categorizando e generalizando.
O existencialismo...
ex-isto www.ex-isto.com
Existencialismo X Racionalismo
O racionalismo se inicia com a “Teoria das Ideias” de
Platão, onde ele compreende que existem dois mundos:
o mundo sensível, que é onde vivemos e sentimos, e o
mundo ideal, que é onde estão as essências e as
verdades das coisas, que somente temos acesso
somente meio da razão.
A razão, segundo Platão, é o meio para se alcançar
a verdade, para chegar até as ideias verdadeiras, que
estão fora do mundo sensível. O racionalismo acredita
que os sentidos são falsos e o único meio para se
alcançar as verdades é a razão.
O filósofo dinamarquês Soren
Kierkegaard (1813-1855) percebeu
que a existência humana é muito
mais complexa que teorias e
abstrações sobre ela, acreditando
ser impossível um sistema
racional explicar e dar conta da
totalidade do ser humano.
“Quando você me rotula, você me nega.” (Kierkegaard)
Segundo ele, o ser humano é muito mais do que
qualquer teoria, e não há como classificar uma pessoa em
sistemas explicativos, pois eles acabam a reduzir sua
descrição. Classificar é rotular, isso desconsidera a
singularidade de cada ser.
O significado da existência
não está em teorias
ou abstrações sobre ela,
mas na própria existência.
ex-isto www.ex-isto.com
O existencialismo é um conjunto de reflexões
filosóficas e literárias sobre a existência humana,
em seu aspecto concreto e singular.
SINGULAR
(Peculiaridades)
CONCRETO
(Sem abstrações)
ex-isto www.ex-isto.com
Seus principais valores são:
RESPEITO ÀS
DIFERENÇAS
LIBERDADE
DE ESCOLHER
RECONHECER
AS EMOÇÕES
O existencialismo não pretende compreender
o ser humano de modo a classificar a pessoa,
procurando o que há de igual entre umas e
outras, mas entender cada ser em sua
singularidade, valorizando suas diferenças.
“A existência precede a essência”
(Jean-Paul Sartre)
Não existe uma essência que define o ser humano,
como ele vai ser. Cada pessoa desenvolve sua essência
a partir de sua existência, por meio de suas escolhas e
experiências de vida.
Somos livres para nos inventar, não há nada anterior à
nossa existência que vá definir o que seremos.
Diferenças entre os seres e as coisas
As coisas são feitas para um fim, elas possuem
uma essência, ou seja, um celular é fabricado
pensando em qual será sua função.
Já o ser humano não, ele surge no mundo e
escolhe o que vai fazer de sua vida por meio de
suas experiências. Não há como saber o que cada
pessoa irá se tornar antes dela existir.
ex-isto www.ex-isto.com
Estamos sempre em transformação
Nós não somos algo pronto, estático, estamos
em constante transformação. Somos seres
relacionais, estamos nos relacionando com outras
pessoas, objetos e espaços a todo momento.
Cada pessoa se constrói por meio das relações
que estabelece com as outras, não como um ajuste
nem como uma fatalidade, mas como uma inter
relação.
ex-isto www.ex-isto.com
Contradições e conflitos
O fato de estarmos em relação implica,
inevitavelmente, em lidar com contradições e
conflitos.
Experimentamos diversas contradições
diariamente, entre elas ser quem eu sou e tentar
ser quem desejo ser, ser quem desejo ser e
conviver com pessoas que não querem que eu seja
como desejo ser. Estamos sempre entre o que já
fomos e o que desejamos ser.
Escolhas e consequências
Somos responsáveis pelas escolhas que
fazemos e estamos no mundo para nos inventar.
Somos resultado e criadores de nossos modos de
ser. Quando fazemos escolhas deixamos para trás
algumas possibilidades, mas também encontramos
e criamos outras.
Não estamos no mundo para nos ajustar a ele,
podemos escolher o que valorizamos em nossa
existência.
Escolhas e possibilidades
Cada escolha que fazemos nos leva a um
caminho e nos gera novas possibilidades de ser, de
nos relacionar com os outros e com o mundo.
Não há como saber a consequência de cada
escolha antes de fazê-la. Existir é arriscado e
inseguro. Nosso futuro é incerto, e por mais que a
gente se previna, não há como saber como será.
ex-isto www.ex-isto.com
Escolhas e angústia
Escolher a todo instante é angustiante, pois
cada escolha que fizermos vai refletir no que
vamos nos tornar. Estamos a todo momento nos
construindo e nos reconstruindo, buscando
realizar nossos desejos onde estamos inseridos.
Por mais que nossas escolhas não estejam tão
claras para nós mesmos, por mais que seja algo
que outra pessoa nos sugeriu ou induziu a fazer, a
escolha de fazer é sempre nossa.
Existencialismo
O existencialismo é uma filosofia de ação, que
coloca cada pessoa como responsável por se fazer
a si mesma.
Além disso, reflete sobre os temas existenciais,
entre eles: a liberdade, as incertezas, a angústia, a
finitude, a morte, a solidão, o sentido da vida, os
limites, a transcendência, entre outros.
ex-isto www.ex-isto.com
Características do existencialismo
Liberdade de ser
A luta constante do indivíduo
para ser ele mesmo e se
inserir no mundo com outras
pessoas diferentes dele.
Responsabilidade
Cada pessoa é responsável
pelas escolhas que faz, que
levam ela a outra situação,
podendo novamente escolher.
Existir humano
O existir humano é diferente
do existir das coisas, as
coisas existem para nos servir
e os seres servem a si
mesmos.
Ser relacional
Somos um ser em relação
com outros seres, isso implica
inevitavelmente em
contradições constantes.
Projeto de ser
Vivemos constantemente em
busca de realizar os planos
que estabelecemos para nós
mesmos, buscas existenciais.
Transcendência
Podemos sempre transformar
a nossa existência e ir além
do que somos, nos tornando
um outro novo e diferente.
ex-isto www.ex-isto.com
Por Bruno Carrasco
Psicoterapeuta existencial e professor.
Graduado em Psicologia, licenciado em
Filosofia e Pedagogia, pós-graduado em
Ensino de Filosofia e Psicologia Existencial
Humanista e Fenomenológica, possui
especialização em Psicoterapia
Fenomenológico-Existencial, formação em
Arteterapia, Educação Popular e Educação
Participativa.
Ex-isto
Ex-isto é um projeto dedicado ao estudo e
pesquisa sobre o existencialismo e suas
relações com a psicologia, filosofia,
psicoterapia, fenomenologia, literatura e artes,
iniciado no final de 2016.
www.ex-isto.com
www.fb.com/existocom
www.youtube.com/existo
Alguns direitos reservados
Você tem o direito de copiar, adaptar, traduzir
e criar obras derivadas, desde que dê crédito ao
autor e não utilize para fins comerciais.
Licença Creative Commons: Atribuição Não
Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional.
Template por SlidesCarnivalex-isto, 2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Existencialismo de Jean paul sarte
Existencialismo de Jean paul sarteExistencialismo de Jean paul sarte
Existencialismo de Jean paul sarte
 
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul SartreFilosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
Filosofia contemporânea - Jean Paul Sartre
 
Psicologia Fenomenológico-Existencial
Psicologia Fenomenológico-ExistencialPsicologia Fenomenológico-Existencial
Psicologia Fenomenológico-Existencial
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Kierkegaard e o existencialismo
Kierkegaard e o existencialismoKierkegaard e o existencialismo
Kierkegaard e o existencialismo
 
Aristóteles
AristótelesAristóteles
Aristóteles
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade FilosóficaSlides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre A Liberdade Filosófica
 
Direitos e cidadania
Direitos e cidadaniaDireitos e cidadania
Direitos e cidadania
 
Heidegger
HeideggerHeidegger
Heidegger
 
Filosofia e felicidade slide
Filosofia e felicidade slideFilosofia e felicidade slide
Filosofia e felicidade slide
 
fenomenologia husserl
fenomenologia husserlfenomenologia husserl
fenomenologia husserl
 
Baruch de Espinosa
Baruch de EspinosaBaruch de Espinosa
Baruch de Espinosa
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
 
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o ExistencialismoJean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
 
Natureza e Cultura
Natureza e CulturaNatureza e Cultura
Natureza e Cultura
 
Foucault - o poder e o sujeito
Foucault - o poder e o sujeitoFoucault - o poder e o sujeito
Foucault - o poder e o sujeito
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide
 
Slide fenomenologia
Slide fenomenologiaSlide fenomenologia
Slide fenomenologia
 

Semelhante a Introdução ao Existencialismo

O que tem relação com o Existencialismo
O que tem relação com o ExistencialismoO que tem relação com o Existencialismo
O que tem relação com o ExistencialismoBruno Carrasco
 
Entendimento de ser humano segundo o existencialismo
Entendimento de ser humano segundo o existencialismoEntendimento de ser humano segundo o existencialismo
Entendimento de ser humano segundo o existencialismoBruno Carrasco
 
Sartre - principais conceitos
Sartre - principais conceitosSartre - principais conceitos
Sartre - principais conceitosBruno Carrasco
 
Liberdade, angústia e autenticidade
Liberdade, angústia e autenticidadeLiberdade, angústia e autenticidade
Liberdade, angústia e autenticidadeBruno Carrasco
 
Sentido da existência humana
Sentido da existência humanaSentido da existência humana
Sentido da existência humanamluisavalente
 
O que não é Existencialismo
O que não é ExistencialismoO que não é Existencialismo
O que não é ExistencialismoBruno Carrasco
 
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno CarrascoFundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno CarrascoBruno Carrasco
 
Psicoterapia Fenomenológico Existencial
Psicoterapia Fenomenológico ExistencialPsicoterapia Fenomenológico Existencial
Psicoterapia Fenomenológico ExistencialBruno Carrasco
 
37041549 a-liberdade-segundo-jean-paul-sartre
37041549 a-liberdade-segundo-jean-paul-sartre37041549 a-liberdade-segundo-jean-paul-sartre
37041549 a-liberdade-segundo-jean-paul-sartreAdriano Machado
 
Gabriel Marcel e o existencialismo
Gabriel Marcel e o existencialismoGabriel Marcel e o existencialismo
Gabriel Marcel e o existencialismoBruno Carrasco
 
Autopoiésis no contexto sócio educacional
Autopoiésis no contexto sócio educacionalAutopoiésis no contexto sócio educacional
Autopoiésis no contexto sócio educacionalMarcia Moreira
 
O conhecimento slides
O conhecimento   slidesO conhecimento   slides
O conhecimento slidesUFMS
 
A construção social da deficiência tiago moita
A construção social da deficiência   tiago moitaA construção social da deficiência   tiago moita
A construção social da deficiência tiago moitaLívia Neiva
 
Aulas EspecíFicas Filosofia 2 Fase Aula 05 E 06 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Filosofia 2 Fase Aula 05 E 06 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Filosofia 2 Fase Aula 05 E 06 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Filosofia 2 Fase Aula 05 E 06 2007 Revisadoelisamello
 

Semelhante a Introdução ao Existencialismo (20)

O que tem relação com o Existencialismo
O que tem relação com o ExistencialismoO que tem relação com o Existencialismo
O que tem relação com o Existencialismo
 
Entendimento de ser humano segundo o existencialismo
Entendimento de ser humano segundo o existencialismoEntendimento de ser humano segundo o existencialismo
Entendimento de ser humano segundo o existencialismo
 
Sartre - principais conceitos
Sartre - principais conceitosSartre - principais conceitos
Sartre - principais conceitos
 
Liberdade, angústia e autenticidade
Liberdade, angústia e autenticidadeLiberdade, angústia e autenticidade
Liberdade, angústia e autenticidade
 
Sentido da existência humana
Sentido da existência humanaSentido da existência humana
Sentido da existência humana
 
100 DICAS ENEM PARTE 07
100 DICAS ENEM PARTE 07100 DICAS ENEM PARTE 07
100 DICAS ENEM PARTE 07
 
O que não é Existencialismo
O que não é ExistencialismoO que não é Existencialismo
O que não é Existencialismo
 
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno CarrascoFundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
Fundamentos da Psicoterapia Fenomenológico Existencial - Bruno Carrasco
 
Psicoterapia Fenomenológico Existencial
Psicoterapia Fenomenológico ExistencialPsicoterapia Fenomenológico Existencial
Psicoterapia Fenomenológico Existencial
 
37041549 a-liberdade-segundo-jean-paul-sartre
37041549 a-liberdade-segundo-jean-paul-sartre37041549 a-liberdade-segundo-jean-paul-sartre
37041549 a-liberdade-segundo-jean-paul-sartre
 
Gabriel Marcel e o existencialismo
Gabriel Marcel e o existencialismoGabriel Marcel e o existencialismo
Gabriel Marcel e o existencialismo
 
Biblioterapia_Módulo 2
Biblioterapia_Módulo 2Biblioterapia_Módulo 2
Biblioterapia_Módulo 2
 
Filosofia e realidade2.pptx
Filosofia e realidade2.pptxFilosofia e realidade2.pptx
Filosofia e realidade2.pptx
 
Sociologia é
Sociologia éSociologia é
Sociologia é
 
Autopoiésis no contexto sócio educacional
Autopoiésis no contexto sócio educacionalAutopoiésis no contexto sócio educacional
Autopoiésis no contexto sócio educacional
 
O conhecimento slides
O conhecimento   slidesO conhecimento   slides
O conhecimento slides
 
CDM Filosofia e História
CDM Filosofia e HistóriaCDM Filosofia e História
CDM Filosofia e História
 
Liberdade
LiberdadeLiberdade
Liberdade
 
A construção social da deficiência tiago moita
A construção social da deficiência   tiago moitaA construção social da deficiência   tiago moita
A construção social da deficiência tiago moita
 
Aulas EspecíFicas Filosofia 2 Fase Aula 05 E 06 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Filosofia 2 Fase Aula 05 E 06 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Filosofia 2 Fase Aula 05 E 06 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Filosofia 2 Fase Aula 05 E 06 2007 Revisado
 

Mais de Bruno Carrasco

Revista ex-isto - no. 1
Revista ex-isto - no. 1Revista ex-isto - no. 1
Revista ex-isto - no. 1Bruno Carrasco
 
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoO uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoBruno Carrasco
 
Alienação na Escola - Bruno Carrasco
Alienação na Escola - Bruno CarrascoAlienação na Escola - Bruno Carrasco
Alienação na Escola - Bruno CarrascoBruno Carrasco
 
Nietzsche - alguns conceitos
Nietzsche - alguns conceitosNietzsche - alguns conceitos
Nietzsche - alguns conceitosBruno Carrasco
 
Filosofias no Helenismo
Filosofias no HelenismoFilosofias no Helenismo
Filosofias no HelenismoBruno Carrasco
 
Sócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesSócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesBruno Carrasco
 
Pré-Socráticos - Os Primeiros Filósofos
Pré-Socráticos - Os Primeiros FilósofosPré-Socráticos - Os Primeiros Filósofos
Pré-Socráticos - Os Primeiros FilósofosBruno Carrasco
 
Foucault e a História da Loucura
Foucault e a História da LoucuraFoucault e a História da Loucura
Foucault e a História da LoucuraBruno Carrasco
 
Heráclito - o filósofo do devir
Heráclito - o filósofo do devirHeráclito - o filósofo do devir
Heráclito - o filósofo do devirBruno Carrasco
 
Adolescência e desafios
Adolescência e desafiosAdolescência e desafios
Adolescência e desafiosBruno Carrasco
 
Sugestões para o estudo da psicologia
Sugestões para o estudo da psicologiaSugestões para o estudo da psicologia
Sugestões para o estudo da psicologiaBruno Carrasco
 
Arteterapia, uma breve introdução
Arteterapia, uma breve introduçãoArteterapia, uma breve introdução
Arteterapia, uma breve introduçãoBruno Carrasco
 
Nietzsche e o existencialismo
Nietzsche e o existencialismoNietzsche e o existencialismo
Nietzsche e o existencialismoBruno Carrasco
 
Psicologia, uma (nova) introdução
Psicologia, uma (nova) introduçãoPsicologia, uma (nova) introdução
Psicologia, uma (nova) introduçãoBruno Carrasco
 
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreireBruno Carrasco
 
Fenomenologia - uma breve introdução
Fenomenologia - uma breve introduçãoFenomenologia - uma breve introdução
Fenomenologia - uma breve introduçãoBruno Carrasco
 
Dicas para a saúde emocional
Dicas para a saúde emocionalDicas para a saúde emocional
Dicas para a saúde emocionalBruno Carrasco
 
Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?Bruno Carrasco
 
Autoconhecimento e realização pessoal
Autoconhecimento e realização pessoalAutoconhecimento e realização pessoal
Autoconhecimento e realização pessoalBruno Carrasco
 

Mais de Bruno Carrasco (20)

Revista ex-isto - no. 1
Revista ex-isto - no. 1Revista ex-isto - no. 1
Revista ex-isto - no. 1
 
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno CarrascoO uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
O uso do conceito de cultura como exercício de poder - Bruno Carrasco
 
Alienação na Escola - Bruno Carrasco
Alienação na Escola - Bruno CarrascoAlienação na Escola - Bruno Carrasco
Alienação na Escola - Bruno Carrasco
 
Nietzsche - alguns conceitos
Nietzsche - alguns conceitosNietzsche - alguns conceitos
Nietzsche - alguns conceitos
 
Filosofias no Helenismo
Filosofias no HelenismoFilosofias no Helenismo
Filosofias no Helenismo
 
Sócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesSócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e Aristóteles
 
Filósofos Sofistas
Filósofos SofistasFilósofos Sofistas
Filósofos Sofistas
 
Pré-Socráticos - Os Primeiros Filósofos
Pré-Socráticos - Os Primeiros FilósofosPré-Socráticos - Os Primeiros Filósofos
Pré-Socráticos - Os Primeiros Filósofos
 
Foucault e a História da Loucura
Foucault e a História da LoucuraFoucault e a História da Loucura
Foucault e a História da Loucura
 
Heráclito - o filósofo do devir
Heráclito - o filósofo do devirHeráclito - o filósofo do devir
Heráclito - o filósofo do devir
 
Adolescência e desafios
Adolescência e desafiosAdolescência e desafios
Adolescência e desafios
 
Sugestões para o estudo da psicologia
Sugestões para o estudo da psicologiaSugestões para o estudo da psicologia
Sugestões para o estudo da psicologia
 
Arteterapia, uma breve introdução
Arteterapia, uma breve introduçãoArteterapia, uma breve introdução
Arteterapia, uma breve introdução
 
Nietzsche e o existencialismo
Nietzsche e o existencialismoNietzsche e o existencialismo
Nietzsche e o existencialismo
 
Psicologia, uma (nova) introdução
Psicologia, uma (nova) introduçãoPsicologia, uma (nova) introdução
Psicologia, uma (nova) introdução
 
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
 
Fenomenologia - uma breve introdução
Fenomenologia - uma breve introduçãoFenomenologia - uma breve introdução
Fenomenologia - uma breve introdução
 
Dicas para a saúde emocional
Dicas para a saúde emocionalDicas para a saúde emocional
Dicas para a saúde emocional
 
Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?
 
Autoconhecimento e realização pessoal
Autoconhecimento e realização pessoalAutoconhecimento e realização pessoal
Autoconhecimento e realização pessoal
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 

Último (20)

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 

Introdução ao Existencialismo

  • 2. O que significa existir? O existencialismo tem como intuito compreender a existência humana, com questões do tipo: >O que é existir? >Quais as condições que envolvem o existir humano? A palavra existir vem do latim exsistĕre, que significa ser, estar, nascer, manifestar-se, aparecer, emergir. Expressa a ideia de se colocar no mundo, expressar seu modo de ser e assumir aquilo que se é. ex-isto www.ex-isto.com
  • 3. Refletir sobre a existência... A reflexão sobre a existência gera questionamentos desde a Grécia Antiga, porém se desenvolveram mais intensamente durante os séculos XIX e XX, tendo como representantes os filósofos Soren Kierkegaard, Arthur Schopenhauer, Friedrich Nietzsche, Merleau-Ponty, Jean-Paul Sartre, Martin Heidegger, e os escritores Dostoiévsky, Tolstói, Oscar Wilde, Hermann Hesse, Fernando Pessoa, entre outros. ex-isto www.ex-isto.com
  • 4. Questiona e contraria concepções filosóficas que estão fortemente enraizadas em nossa cultura ocidental, entre elas o racionalismo, que supervaloriza a razão em detrimento da emoção e a metafísica, que foca seu estudo em conceitos abstratos sobre o que é captado pelos sentidos, classificando, categorizando e generalizando. O existencialismo... ex-isto www.ex-isto.com
  • 5. Existencialismo X Racionalismo O racionalismo se inicia com a “Teoria das Ideias” de Platão, onde ele compreende que existem dois mundos: o mundo sensível, que é onde vivemos e sentimos, e o mundo ideal, que é onde estão as essências e as verdades das coisas, que somente temos acesso somente meio da razão. A razão, segundo Platão, é o meio para se alcançar a verdade, para chegar até as ideias verdadeiras, que estão fora do mundo sensível. O racionalismo acredita que os sentidos são falsos e o único meio para se alcançar as verdades é a razão.
  • 6. O filósofo dinamarquês Soren Kierkegaard (1813-1855) percebeu que a existência humana é muito mais complexa que teorias e abstrações sobre ela, acreditando ser impossível um sistema racional explicar e dar conta da totalidade do ser humano. “Quando você me rotula, você me nega.” (Kierkegaard) Segundo ele, o ser humano é muito mais do que qualquer teoria, e não há como classificar uma pessoa em sistemas explicativos, pois eles acabam a reduzir sua descrição. Classificar é rotular, isso desconsidera a singularidade de cada ser.
  • 7. O significado da existência não está em teorias ou abstrações sobre ela, mas na própria existência. ex-isto www.ex-isto.com
  • 8. O existencialismo é um conjunto de reflexões filosóficas e literárias sobre a existência humana, em seu aspecto concreto e singular. SINGULAR (Peculiaridades) CONCRETO (Sem abstrações) ex-isto www.ex-isto.com
  • 9. Seus principais valores são: RESPEITO ÀS DIFERENÇAS LIBERDADE DE ESCOLHER RECONHECER AS EMOÇÕES O existencialismo não pretende compreender o ser humano de modo a classificar a pessoa, procurando o que há de igual entre umas e outras, mas entender cada ser em sua singularidade, valorizando suas diferenças.
  • 10. “A existência precede a essência” (Jean-Paul Sartre) Não existe uma essência que define o ser humano, como ele vai ser. Cada pessoa desenvolve sua essência a partir de sua existência, por meio de suas escolhas e experiências de vida. Somos livres para nos inventar, não há nada anterior à nossa existência que vá definir o que seremos.
  • 11. Diferenças entre os seres e as coisas As coisas são feitas para um fim, elas possuem uma essência, ou seja, um celular é fabricado pensando em qual será sua função. Já o ser humano não, ele surge no mundo e escolhe o que vai fazer de sua vida por meio de suas experiências. Não há como saber o que cada pessoa irá se tornar antes dela existir. ex-isto www.ex-isto.com
  • 12. Estamos sempre em transformação Nós não somos algo pronto, estático, estamos em constante transformação. Somos seres relacionais, estamos nos relacionando com outras pessoas, objetos e espaços a todo momento. Cada pessoa se constrói por meio das relações que estabelece com as outras, não como um ajuste nem como uma fatalidade, mas como uma inter relação. ex-isto www.ex-isto.com
  • 13. Contradições e conflitos O fato de estarmos em relação implica, inevitavelmente, em lidar com contradições e conflitos. Experimentamos diversas contradições diariamente, entre elas ser quem eu sou e tentar ser quem desejo ser, ser quem desejo ser e conviver com pessoas que não querem que eu seja como desejo ser. Estamos sempre entre o que já fomos e o que desejamos ser.
  • 14. Escolhas e consequências Somos responsáveis pelas escolhas que fazemos e estamos no mundo para nos inventar. Somos resultado e criadores de nossos modos de ser. Quando fazemos escolhas deixamos para trás algumas possibilidades, mas também encontramos e criamos outras. Não estamos no mundo para nos ajustar a ele, podemos escolher o que valorizamos em nossa existência.
  • 15. Escolhas e possibilidades Cada escolha que fazemos nos leva a um caminho e nos gera novas possibilidades de ser, de nos relacionar com os outros e com o mundo. Não há como saber a consequência de cada escolha antes de fazê-la. Existir é arriscado e inseguro. Nosso futuro é incerto, e por mais que a gente se previna, não há como saber como será. ex-isto www.ex-isto.com
  • 16. Escolhas e angústia Escolher a todo instante é angustiante, pois cada escolha que fizermos vai refletir no que vamos nos tornar. Estamos a todo momento nos construindo e nos reconstruindo, buscando realizar nossos desejos onde estamos inseridos. Por mais que nossas escolhas não estejam tão claras para nós mesmos, por mais que seja algo que outra pessoa nos sugeriu ou induziu a fazer, a escolha de fazer é sempre nossa.
  • 17. Existencialismo O existencialismo é uma filosofia de ação, que coloca cada pessoa como responsável por se fazer a si mesma. Além disso, reflete sobre os temas existenciais, entre eles: a liberdade, as incertezas, a angústia, a finitude, a morte, a solidão, o sentido da vida, os limites, a transcendência, entre outros. ex-isto www.ex-isto.com
  • 18. Características do existencialismo Liberdade de ser A luta constante do indivíduo para ser ele mesmo e se inserir no mundo com outras pessoas diferentes dele. Responsabilidade Cada pessoa é responsável pelas escolhas que faz, que levam ela a outra situação, podendo novamente escolher. Existir humano O existir humano é diferente do existir das coisas, as coisas existem para nos servir e os seres servem a si mesmos. Ser relacional Somos um ser em relação com outros seres, isso implica inevitavelmente em contradições constantes. Projeto de ser Vivemos constantemente em busca de realizar os planos que estabelecemos para nós mesmos, buscas existenciais. Transcendência Podemos sempre transformar a nossa existência e ir além do que somos, nos tornando um outro novo e diferente. ex-isto www.ex-isto.com
  • 19. Por Bruno Carrasco Psicoterapeuta existencial e professor. Graduado em Psicologia, licenciado em Filosofia e Pedagogia, pós-graduado em Ensino de Filosofia e Psicologia Existencial Humanista e Fenomenológica, possui especialização em Psicoterapia Fenomenológico-Existencial, formação em Arteterapia, Educação Popular e Educação Participativa.
  • 20. Ex-isto Ex-isto é um projeto dedicado ao estudo e pesquisa sobre o existencialismo e suas relações com a psicologia, filosofia, psicoterapia, fenomenologia, literatura e artes, iniciado no final de 2016. www.ex-isto.com www.fb.com/existocom www.youtube.com/existo
  • 21. Alguns direitos reservados Você tem o direito de copiar, adaptar, traduzir e criar obras derivadas, desde que dê crédito ao autor e não utilize para fins comerciais. Licença Creative Commons: Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional. Template por SlidesCarnivalex-isto, 2016