Gestão do Conhecimento

560 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Gestão do Conhecimento

  1. 1. Criando a cultura do Conhecimento
  2. 2. Facilitador Bruno Braga Especialista em Gerenciamento de Projetos pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, certificado profissional em gerenciamento de projetos - PMP, pelo PMI. Filiado ao PMI internacional e voluntário da vice presidência de filiações do PMI-RJ. Com anos de experiência em diferentes segmentos como Tecnologia da Informação, Telecomunicações, Aviação Civil (logística) e Instituições Sindicais, em empresas como EMBRATEL S/A, IBGE, Marinha do Brasil, VARIGLOG, PMI-RJ e Sistema Fecomércio-RJ. Atualmente dirige o escritório de projetos estratégicos para o sistema Fecomércio-RJ, SESC-RJ e SENAC-RJ.
  3. 3. Se perguntarmos a um grupo de executivos sênior se eles consideram importante a Gestão do Conhecimento como um dos caminhos para o sucesso de suas organizações, muitos deles responderão que SIM!!! Uma resposta conveniente, dado a presença cada vez mais frequente do assunto nas esferas de gerenciamento.
  4. 4. A Gestão do Conhecimento está tornando-se crucial, e reconhecer isso é um fato. Mas o que fazer para tratar a questão? E como fazê-la? Para consolidarmos nosso entendimento, segue uma pesquisa apresentada pela McKinsey em 2000 e realizada entre 1995 e 1998 sobre o assunto.
  5. 5. A base para a pesquisa: 40 organizações na Europa, Japão e Estados Unidos A pesquisa da McKinsey <ul><li>As empresas, quase em sua maioria, acreditam que, para se trabalhar a </li></ul><ul><li>Gestão do Conhecimento, é necessária a implementação de um sofisticado </li></ul><ul><li>sistema de tecnologia da informação! </li></ul><ul><li>Somente algumas poucas empresas entendem que a verdadeira Gestão do </li></ul><ul><li>conhecimento requer: </li></ul><ul><li>O desenvolvimento de meios que tornem seus empregados cientes do funcionamento </li></ul><ul><li>da organização; </li></ul><ul><li>Ultrapassar os limites da infra-estrutura para abordar quase todos os aspectos </li></ul><ul><li>do negócio; </li></ul>A unanimidade
  6. 6. <ul><li>A McKinsey baseou-se em dois pilares para detalhamento da pesquisa: </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de Produtos e Geração de Valor </li></ul><ul><li>Realização da Gestão do Conhecimento </li></ul><ul><li>Estes dois tópicos são os que mais contribuem para a geração de </li></ul><ul><li>valor nas organizações. </li></ul>
  7. 7. Através de indicadores financeiros e de performance criteriosamente selecionados, categorizou-se as empresas da pesquisa em dois grupos distintos: As 15 com mais sucesso e as 15 com menos sucesso. Medição: De 1995 a 1998   As 15 + As 15 - Tempo de Produção Caiu em média 11% Caiu em média 1,6% Tempo de Desenvolvimento Caiu em média 4,6% Caiu em média 0,7% Conclusões Construiram um ambiente corporativo promovendo o desejo por conhecimento entre seus empregados. Certificaram-se de sua aplicação contínua,distribuição e criação. Não se detiveram a questão da Gestão do conhecimento
  8. 8. Mas afinal, o que é Gestão do Conhecimento? <ul><li>A gestão do conhecimento tem como objetivos: </li></ul><ul><li>Tornar acessíveis grandes quantidades de informação corporativa, compartilhando as </li></ul><ul><li>melhores práticas e tecnologias; </li></ul><ul><li>Permitir a identificação e mapeamento dos ativos de conhecimento e informações </li></ul><ul><li>ligados a qualquer organização, seja ela com ou sem fins lucrativos </li></ul><ul><li>(Memória Organizacional); </li></ul><ul><li>Apoiar a geração de novos conhecimentos, propiciando o estabelecimento de </li></ul><ul><li>vantagens competitivas. </li></ul><ul><li>Dar vida aos dados tornando-os utilizáveis e úteis, transformando-os em informação </li></ul><ul><li>essencial ao nosso desenvolvimento pessoal e comunitário. </li></ul><ul><li>Organiza e acrescenta lógica aos dados de forma a torná-los compreensíveis. </li></ul>
  9. 9. Em uma definição resumida pode-se dizer que “Gestão do Conhecimento é um processo sistemático, articulado e intencional, apoiado na geração, codificação, disseminação e apropriação de conhecimentos, com o propósito de atingir a excelência organizacional”.
  10. 10. Criando o desejo pelo conhecimento… o paradoxo. A pesquisa da McKinsey dividiu o grupo de 40 empresas pesquisadas em dois grupos: As 15 + e as 15 - quanto ao uso / aplicação da Gestão do Conhecimento. Nas 15 -, a abordagem ao assunto é de cima para baixo, “empurrando” o Conhecimento para onde é necessário. Nas 15 +, estabelecem-se meios que promovem o desenvolvimento do conhecimento pelo desejo de seus empregados em superar suas próprias metas.
  11. 11. Utilizando a Gestão do Conhecimento Deve-se iniciar a partir da vontade da organização em utilizar e difundir a gestão do conhecimento como ferramenta de criação e distribuição do conhecimento. A estruturação se dá através de três pilares: Aplicação, Distribuição e Criação
  12. 12. Aplicação A aplicação do conhecimento já está disponível, dado as organizações conterem um acervo vasto de informações, ainda que sub-utilizadas. Além disso, se a organização falhar na sua aplicação, os impactos serão mínimos. Parte do problema da aplicação da gestão do conhecimento se dá pelo conceito de que a “informação” é um fato, enquanto o “conhecimento” - que se consolida através dos relacionamentos e ligações - é subjetivo. Um exemplo claro da maneira a qual as empresas podem aplicar a gestão do conhecimento é a busca por inovações. A aplicação foca em usar o conhecimento para obtenção de resultados imediatos.
  13. 13. Distribuição Técnicas que beneficiam a aplicação, frequentemente beneficiam a distribuição, dado que os dois pilares estão intrinsecamente ligados. A distribuição posiciona o conhecimento onde ele poderá ser melhor utilizado. A utilização de bases de dados em sistemas informatizados agilizam a distribuição das informações mas não são determinantes para o seu sucesso. Capturam conhecimento Tácito através de…
  14. 14. Criação De todas as tarefas envolvidas na gestão do conhecimento, a criação é a mais delicada, pois a criatividade deve ser estimulada e não ordenada! Para manter o seu diferencial, as empresas precisam de novos conhecimentos. Escrever seus processos de trabalho de forma clara e legível, bem como desenvolver novos produtos e serviços, é o melhor caminho para tal. O novo conhecimento é o material necessário para a inovação. E o meio para isso são as pessoas.
  15. 15. O Capital Humano nas Organizações A economia da sociedade globalizada e interdependente traz mudanças radicais em termos do surgimento de uma nova sociedade. A sociedade da Era da Informação , que coloca o conhecimento como o ativo de produção mais importante do Terceiro Milênio. Companhias que começam a agir cedo na identificação e na medição dos fatores importantes de capital humano, e no ajuste fino da estratégia de capital humano podem delinear vantagens competitivas significativas e duradouras – às vezes, em questão de meses.
  16. 16. Conclusões A maior distinção entre as 15 + e as 15 – pode ser descrita como o esforço para fazer Melhor, Mais Barato e Mais Rápido. Com a dinâmica da economia, a chave para se tornar melhor, mais rápido e fazer mais barato é fazer com que a organização envide esforços em conhecimento, que passou a ser o carro-chefe nas organizações de hoje.
  17. 17. Obrigado! Bruno Braga [email_address] www.linkedin.com/in/brunobastosbraga

×