Acontece agora 387

93 visualizações

Publicada em

Jornal Acontece Agora edição 387 como diversas matérias sobre a cidade de São Paulo

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
93
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acontece agora 387

  1. 1. DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 201516 esportes BRASILEIRÃO / PALMEIRAS X FLAMENGO Macarronada garantidaPalmeiras ganha a primeira partida às 11h no Campeonato Brasileiro e faz a festa da torcida no Allianz Parque, contra o Flamengo. O jogo, repleto de emoções, teve uma virada para cada lado e seis gols marcados Lucas Bettine lucas.bettine@diariosp.com.br A torcida do Palmeiras quase teveumaindigestão,mascon- seguiu comer a macarronada dedomingobemtranquila,de- poisdemaisumapartidaàs11h. Ontem, em um jogo com uma viradaparacadalado,oVerdão venceuoFlamengo,noAllianz Parque,por4a2. O árbitro Igor Benevenuto deve tercomidoatalmacarro- nadaantesmesmodeabolaro- lar e ficou com a visão afetada. Logo aos três minutos, Andrei Girotto derrubou Pará na área, maselemandouojogoseguir. Semternadaavercomisso,o famintoPalmeirasaproveitoua ajuda. Poucos minutos depois, Jackson subiu de cabeça, após escanteio,paraabriroplacar. Comoquemacorda,olhapa- ra o despertador e volta a dor- mir, o Palmeiras apertou o bo- tão “soneca” e apagou. Só o Flamengoquisjogar. Prass teve de fazer milagre em cabeçada de Guerrero e o peruano,apósfalhahorrívelde Jackson, quase foi derrubado pelogoleiro.Senãotivesseexa- geradona queda,talvez oárbi- trotivessemarcadoopênalti. LOUCURA TOTAL/ O segundo tempo da partida foi um dos mais malucos do Campeonato Brasileiro. Parecia aquele al- moçocomassobrasdetodosos pratosfeitosduranteasemana. EdersonentrounoFlae,com duas falhas da defesa palmei- rense,virouapartidaem11mi- nutos. Isso sem contar bola de Sheik no travessão e o cheiri- nhodegoleadarubro-negra. Foiaí,passandodomeio-dia, que o Verdão acordou. Cleiton Xavier,umminutoapósentrar, tocou de cabeça. A bola bateu emSamireentrou. Um jogador puxou o outro. Alecsandro,queestavaparaser substituído por Cristaldo, fez o pivô para Dudu virar. Logo de- pois, foi a vez de o atacante se embolarcomazagaeabolaso- brar para o centroavante mar- caroprimeiropeloVerdão. Depois de duas derrotas em jogosàs11h,peloBrasileirão,fi- nalmente, o Palmeiras venceu no horário e garantiu a macar- ronadaparaostorcedores. Palmeiras 4-3-3 Fernando Prass; Lucas n (Lucas Taylor n), Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto; Arouca, Andrei Girotto e Robinho (Cleiton Xavier); Dudu, Alecsandro (Kelvin) e Rafael Marques T: Marcelo Oliveira Flamengo 4-4-2 César; Pará, César Martins, Samir (Marcelo) e Jorge n; Márcio Araújo, Jonas n (Ederson), Éverton e Alan Patrick; Emerson e Guerrero T: Cristóvão Borges BRASILEIRÃO > 1o - TURNO — 19a - RODADA Onde: Allianz Parque, em São Paulo Juiz: Igor Junio Benevenuto (MG) Gols:Jacksonaos5do1o - tempo;Edersonaos 5 e aos 11, Samir (contra) aos 12, Dudu aos 20 e Alecsandro aos 25 do 2o - Renda e público: R$ 2.908.585 / 37.739 4-2 GuerreroreclamadepênaltiePrasssedefende n Os flamenguistas deixaram o campo irritados com a arbitra- gem. Além de um pênalti não marcado em Pará, o time carioca reclamou bastante de um lance polêmico envolvendo Fernando Prass e Guerrero. O peruano, aliás, foi o mais insatisfeito. “Espero que o Flamengo faça alguma reclamação contra a CBF ou a comissão de árbitros. Não estão marcando nada em mim. Ele (árbitro) disse que, para ele, não foi pênalti”, chiou o camisa 9 do Flamengo. No lance, Guerrero aproveitou um vacilo de Jackson e se livrou de Prass, que deu um carrinho, mas não o acertou. Ainda assim, logo depois, o peruano se jogou. “Na imagem congelada, parece (pênalti), mas não tem o mínimo de contato. Não chego nem a raspar no Guerrero. Coloquei a perna no meio das pernas dele, ele deu um tapa e resolveu cair. Não teve contato físico”, disse o goleiro alviverde. Um dos destaques do Palmei- ras no ano, Prass se defendeu nesse lance, mas não poupou críticas à equipe em relação aos gols sofridos contra o Flamengo. Principalmente o segundo. “O primeiro ainda foi uma joga- da trabalhada, mas o segundo, não. É um lance de bola aérea que nós treinamos muito. Temos um time alto e isso complicou o jogo. Acabamos conseguindo virar, mas complicou”, reclamou. “Era um lance de marcação indi- vidual. Esse tipo de erro não po- de acontecer”, completou o téc- nico alviverde, Marcelo Oliveira. AleFrata/Codigo19/Ag.OGlobo EU TÔ AQUI! Alecsandro comemora com Dudu depois de marcar o quarto gol do Palmeiras na vitória da manhã de ontem sobre o Flamengo, em casa. Ele foi decisivo na partida RUMOCERTO “A vitória foi fundamental para reencontrarmos o caminho. Apesar das derrotas, sempre tivemos um caminho definido” _ Zé Roberto Lateral do Palmeiras DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 2015 17 Opinião Lucas Bettine, repórter do DIÁRIO Vitória não pode esconder os erros n O Palmeiras venceu e deixou a torcida feliz, mas o resultado positivo não pode esconder os vários erros da equipe. Depois que Gabriel se machucou, Marcelo Oliveira não conseguiu achar um primeiro volante marcador. Nos testes para encontrar o substituto ideal, o time não se achou e ficou bagunçado. Virou uma bola de neve. Com o meio de campo desarrumado, a defesa ficou exposta e o ataque não recebeu uma boa bola. O Flamengo virou o jogo e poderia até estar vencendo por mais. Os errosnãosãomotivosparadesespero,afinal,otimeganhou,masMarcelo Oliveira sabe — e até falou sobre isso — que tem muito a corrigir para brigar no G4. O bom é que, neste ano, o Verdão tem elenco para isso. 6,5 FERNANDO PRASS Fez um milagre em cabeçada de Guerrero e não teve culpa nos gols. 6,0 LUCAS Sentiu o calor e fez pouco. Lucas Taylor mostrou muita dificulda- de atrás, mas participou do gol de empate. 6,0 6,0 JACKSON Fez o gol, mas falhou muito. Perdeu todas de Guerrero e foi facilmente driblado no primeiro gol. 6,5 VITOR HUGO Não fez gol, mas foi mais consistente na marcação e quase evitou o empate do Flamengo. 7,5 ZÉ ROBERTO Correu como um garoto, participou o jogo todo e, mesmo pressionado atrás, não comprometeu. 6,0 AROUCA Foi sobrecarregado na marcação e não conse- guiu evitar o toque de bola do Flamengo. ATUAÇÕES|PALMEIRAS FLAMENGO O setor ofensivo do Fla mostrou que tem talento. Guerrero deu muito trabalho, Sheik correu o jogo todo, Alan Patrick deu bons passes e Ederson fez os gols. O problema é a defesa. Samir e César Martins tiveram atuações sofríveis e foram determinantes para a derrota. 5,0 ANDREI GIROTTO Vacilou no segundo gol e fez um pênalti, não marcado, em Pará. 5,0 ROBINHO Não acertou nada e saiu vaiado. Cleiton Xavier mudou o jogo. Deu qualidade ao ataque e garantiu o empate. 7,5 8,0 DUDU Foi o mais decisivo, junto com Alecsandro. Fez o terceiro gol e este- ve presente no quarto. 8,0 ALECSANDRO Estava apagado e iria sair, mas decidiu o jogo com assistência e gol. Kelvin só fez graça. 6,0 6,5 RAFAEL MARQUES Não foi bem tecnica- mente, mas não desistiu um minuto. Correu, marcou e participou. 6,5 MARCELO OLIVEIRA Foi bem ao pôr Cleiton Xavier, mas o time ainda mostrou defeitos demais na parte defensiva. FernandoDonasci/Ag.OGlobo Guerrero pede pênalti e Fernando Prass reclama da atitude do peruano SÃO PAULO ® Defesa da verdade e do desenvolvimento de São Miguel e região -  2031-2364 e 2513-0928 - raleste@gmail.com ANO XX - No 387 17 DE AGOSTO DE 2015 Capela de São Miguel Aracanjo, construída no século XVI pelos índios jesuítas. É uma das mais antigas capelas de São Paulo. No coração de São Miguel Paulista, um marco histórico do Brasil. DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Página 3 Página 13 Página 18 Página 14 Páginas 8 e 9 Jovens apartir de 14 anos idade podem trabalhar legamente?.............. 4 Tolerância Zero na Praça Fortunato da Silveira..................... 5 Obtenha sucesso na comunicação empresarial.............. 7 Amlurb apoia projeto-piloto de compostagem em condomínios........... 13 A periferia precisa de lazer........................ 15 Padilha anuncia ser o novo secretário da saúdePadilha visita Grupo Acontece de Jornais e Revista e anuncia em primeira mão que foi nomeado pelo prefeito Fernando Haddad como secretário da saúde de São Paulo Fernando Haddad concede entrevista exclusiva aos jornais de bairro    “Quem não tem coragem de governar, não deveria se arriscar, porque hoje para governar precisa de coragem, que é o que está faltando na vida política” Alckmin garante R$ 25 milhões para melhorias dos recursos hídricos Artistas locais reivindicam por espaço no Mercadão de São Miguel Macarronada garantida
  2. 2. 2 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Atualidades Banca Braguinha Rua Santa Rosa de Lima, 874 Pq. Pauistano. Banca Cultural Av. Marechal Tito, 1300 São Miguel Banca da Estação Rua Conceição de Almeida, 248 - Vila Mara Banca do Mercadão Av. Marechal Tito, 567 São Miguel Banca do Tom Rua São Gonçalo do Rio das Pedras, 800 Banca Naguno Pça. Francisco Pereira, 80 Vila Curuçá Banca Nova Geração Av. Marechal Tito, 686 São Miguel Banca Oliveira Av. Oliveira Freire, 604 Padaria Nova Unida Av. Pires do Rio, 2681 São Miguel Revistaria Cavoa Rua Cavoá, 425 Vila Curuçá Sebo Papel & Caneta Rua Pedro Soares de Andrade, 221 Vila Rosaria Subprefeitura de São Miguel R. Dona Ana Flora Pinheiro de Souza, 76 - Vila Jacuí Circulação: São Miguel, ITAQUERA, vILA Jacuí, jd. helena, v. curuça E GUARULHOS Diretor: Divaldo Rosa Adm. e Financeiro: Ademyr Rodrigues Gerente Comercial: Jeremias Telles Depto. Comercial: Ariane Andrade e Eduardo Rocha Jornalista FL: Silmara G. Nunes Revisão: Suseli Corumba Fotos: Eduardo Rocha Diagramador: Sergio Avante Depto. Jurídico: Agilson M. Oliveira Distribuição: Mart Press Distribuidora Impressão: As matérias assinadas são de exclusiva responsabilidade dos colaboradores e não representam, necessariamente, a opinião do Jornal. Os nomes dos colaboradores e representantes comercias não mantém vínculo empregatício com a empresa. A J O R L E S T E O jornal Acontece Agora é Filiado à Associação dos Jornais da Zona Leste Avenida dos Guachos, 166 - Vila Curuça Cep: 08030-360 Itaim Paulista – SP E-mail: raleste@gmail.com site: www.grupoacontece.com.br REDAÇÃO E PUBLICIDADE 2031-2364 | 2513-0928 Patente: PROC. 830024034 Classe 16 RPI RM 2087 Tiragem: 40.000 exemplares FL=FreeLancer cnpj: 03.115.443/0001-16 Em defesa da verdade e do desenvolvimento de São Miguel e Região Uma parceria entre: Rede Bom Dia, Diário de S. Paulo e Jornal Acontece Agora Ed. 387 - 1a Quinzena de Agosto/2015 Inconformados com a si- tuação atual do país milha- res de pessoas foram à rua para mais um dia de mani- festação na Avenida Pau- lista, região central de São Paulo, contra o governo fe- deral. As controversas de nú- meros do publico presente ainda é assunto nas mídias sociais. Segundo a Policia Militar estiveram reunidos cerca de 350 mil pessoas no protesto e o horário de maior concentração foi por volta das 16h. Já o Institu- to Datafolha calculou o pú- blico em 135 mil pessoas ao longo do dia. Cinco grupos organizadores estimaram o publico entre 900 mil e 1,5 milhão de pessoas. Um des- ses grupos, o Vem Pra Rua, estimou em 1 milhão Na manifestação de março, a PM estimou o pú- blico na Avenida Paulista em 1 milhão de pessoas. Em abril, o número de partici- pantes, segundo a corpora- ção, foi de 275 mil pessoas Há grande maioria vestidos da camisa ver- de e amarela, levantavam bandeiras,faixas, cartazes onde manifestavam contra o governo do PT e pediam o Impeachment da presi- dente Dilma Rousseff. Te- ve também os grupos que pediam pela intervenção militar no governo. A con- centração começou por vol- ta de 10h, com maior par- ticipação entre 13h e 17h, quando as pessoas começa- ram a dissipar. As primeiras faixas blo- queadas foram as sentido Consolação, por volta das 11h30. Quinze minutos de- pois também foi fechado o sentido Paraíso. Por volta Avenida Paulista vira palco de manifestações contra governo federal das 15h35, os manifestan- tes ocupavam 10 quartei- rões da avenida, que tinha nove carros de som. Os veículos que trafega- vam na região precisavam usar vias próximas para desviar do trecho interdi- tado. Também na Paulista, um grupo de motociclistas participa do protesto. A avenida ficou com- pletamente tomada pela manifestação por volta de 14h, quando os manifes- tantes circulavam a partir da Consolação até a Praça Oswaldo Cruz. A dispersão começou por volta das 17h e, às 18h30, os agentes de trânsito iniciaram a libera- ção da avenida para os ve- ículos. Com bandeiras, faixas e cartazes, muitos pediam a saída da presidente Dilma Rousseff. Outro cartaz des- tacava o trabalho do juiz federal Sérgio Moro, que comanda as investigações da Operação Lava Jato. A PM disse que 1,8 mil poli- ciais foram deslocados pa- ra garantir a segurança dos manifestantes. A corpora- ção registrou dois furtos de celular. Enquanto isso, no bair- ro do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo, manifestantes pró-governo faziam um ato de apoio a Dilma Rousseff e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em frente à se- de do Instituto Lula. Manifestantes e curio- sos interromperam os pro- testos por volta das 15h15 para observar o ato da mo- delo e socialite Ju Isen em frente ao Masp, na Avenida Paulista. Ela fez um topless durante o protesto contra o governo. “É melhor tirar a blusa do que tirar o di- nheiro do povo”, disse Ju. A modelo já havia tirado a roupa nas manifestações anteriores. “Estou aqui hoje porque foi aqui que tudo começou. Foi aqui que protestei pe- la primeira vez. Não tinha motivo de fazer isso em ou- tro lugar”, afirmou Ju Isen.
  3. 3. 3JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Visita à Redação AQUI NÃO TEM CRISE. SÓ BONS NEGÓCIOS! itaim paulista - F.: 2025-7777 - aV. maRECHal titO, 7003 alpHaVillE / BaRuERi / CamBuCi / CaRapiCuÍBa / CENtRO / FRaNCisCO mORatO / FRaNCO Da ROCHa / itaquERa / JaBaquaRa / liBERDaDE / maiRipORÃ / mauÁ / GuaRulHOs / piRituBa / saNtO amaRO / saNtO aNDRÉ / Vila maRia JAPAUTOJAPAUTO Todos juntos fazem um trânsito melhor. CB 300R 15/15 á vista R$ 13.860,00. CG 150 Titan 150 EX 15/15 à vista R$ 9.437,00 ou entrada R$ 2.500,00 + 48x R$ 289,00 (Total a prazo R$ 16.372,00) Banco Honda c/ juros 2,15% a.m. (29,08% a.a.).LEAD 15/15 à vista R$ 7.766,00. CG 150 Start 15/15 à vista R$ 7.391,00 ou entrada de R$ 2.200,00 + 48x R$ 221,00(Total a prazo R$ 12.808,00). Banco Honda c/ juros 2,15% a.m. (29,08% a.a.)Tabela sujeita a alteração sem prévio aviso conforme política de comercialização da fábrica. Consulte todas as informações em nosso showroom. Promoções válidas somente para os modelos anunciados até o término do estoque (2 unidades de cada). Ofertas não cumulativas com outras. Imagens ilustrativas. Reservamos o direito de corrigir possíveis erros gráficos e de digitação. CB 300 CONSULTE a MELHOR CONDIÇãO CG 150 STaRT entrada + Mensais r$ 221 CG 150 TITaN Ex entrada + Mensais r$ 289 LEaD CONSULTE a MELHOR NEGOCIaÇãO Na ultima sexta-feira (14), Alexandre Padilha vi- sitou o Grupo Acontece de Jornais e Revista e em pri- meira mão anunciou que é o novo secretário da Saúde de São Paulo. Sempre simpático e atuante na região leste, o atual Secretário de Rela- ções Governamentais da prefeitura de São Paulo, em uma visita ao bairro de São Miguel e Itaim Paulis- ta, fez questão de compa- recer à redação do Grupo Acontece. Padilha anuncia ser o novo secretário da saúde Padilha visita Grupo Acontece de Jornais e Revista e anuncia em primeira mão que foi nomeado pelo prefeito Fernando Haddad como secretário da saúde de São Paulo Acompanhado de seus assessores, Padilha cum- primentou a todos e fri- sou o carinho que tem pe- la região. “Sempre fui mui- to bem recebido por todos daqui, sempre que posso arrumo tempo na minha agenda para vir pessoal- mente ver como andam as coisas”, diz ele. O ex-ministro da saúde e ex-candidato à governa- dor, ficou à vontade na re- dação. Na ocasião Padilha estava acompanhado do subprefeito do Itaim Pau- lista, Miguel Gianetti, che- fe de gabinete da subpre- feitura de São Miguel, Célia Aparecida Assumpção e di- versas lideranças da região.
  4. 4. 4 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Na última semana se ini- ciou em toda extensão da Rua Moisés Maimônides, na Vila Progresso, a cons- trução de novas galerias de captação de águas pluviais.  O objetivo das novas ga- lerias é de que toda água que passe por ela seja desa- guada no córrego Chá dos Jesuítas. Temos percebido enor- mes duvidas e informações desencontradas dos Jovens e dos Pais e responsáveis sobre a possibilidade de trabalho dos Jovens. Mui- tos gostariam muito que seus filhos pudessem tra- balhar, quer seja para aju- dar nas despesas dos pró- prios Jovens, quer seja por acreditar que o trabalho poderia ajudar na forma- ção dos Jovens. Por outro lado, mesmo agora no momento de cri- se com trabalho, com mui- tas demissões ocorrendo, as Empresas tem se mos- trado com grande interes- se em admitir Jovens entre 14 anos e 23 anos de idade, e pior não tem conseguido encontrar este Jovem. O que esta ocorrendo? Porque esta aparente des- coordenação? Vamos com este artigo, esclareceremos os Jovens, familiares e as Empresas sobre como pro- ceder. A Lei da Aprendizagem é uma lei de transforma- ção. A Lei da Aprendiza- gem (10.097/2000) foi cria- da para o jovem, e tem o potencial de transformar vidas. Ela determina que empresas de médio e gran- de porte contratem jovens com idade entre 14 e 24 anos como aprendizes, pre- enchendo uma cota de 5% a 15% do seu quadro cujas funções demandem forma- ção profissional. Aprendiz é o jovem que estuda e trabalha. Deve es- tar matriculado e frequen- tando o Ensino Fundamen- tal ou Médio e, durante o contrato de trabalho, é ca- pacitado por uma institui- ção formadora e por uma empresa, combinando for- mação teórica e prática. Por meio da Lei da Apren- dizagem, os jovens têm a oportunidade de inclusão social por alcançar o pri- meiro emprego e desen- volvimento para o mun- do do trabalho. Os empre- sários, por sua vez, têm a oportunidade de contri- buir para a formação dos futuros profissionais do país, difundindo os valores e cultura de sua empresa. As empresas, mesmo as grandes que tenham de- partamentos de treina- mento e desenvolvimen- to, têm enorme dificulda- de de localizar e atrair os jovens que estejam alinha- dos com as suas organiza- ções. Os Jovens que gosta- riam de participar dos pro- gramas como este, tem di- ficuldade de encontrar as Comunidade Serviços visam dispor um local mais limpo e bonito aos moradores para a prática de atividades físicas A Avenida Imperador, importante via de São Mi- guel, também é utilizada pela população do entorno para a prática de esporte e lazer em seu canteiro cen- tral. Pensando nisso, a Sub- prefeitura está realizando serviços de manutenção no local, a fim de proporcio- nar um ambiente melhor aos cidadãos. Nesta quin- ta-feira, 30 de julho, foram Avenida Imperador recebe limpeza de seu canteiro central iniciados trabalhos de capi- nação e limpeza. São limpos aproxima- damente 2.000 m² de área diariamente. A partir de agora, quem passa para fa- zer uma caminhada no can- teiro central da Avenida Imperador nota a impor- tância do Projeto Tolerân- cia Zero contra o lixo, que contribui para o melhor aproveitamento das ativi- dades físicas. A Subprefeitura São Mi- guel acompanhou de perto a necessidade de oferecer uma melhor área de lazer para os moradores da re- gião e trabalha para elimi- nar lixos e entulhos depo- sitados irregularmente em vias públicas. do, e capacidade de apren- der. Resumindo, os Jovens com maior possibilidade de encontrar uma posição co- mo Jovem Aprendiz, são aqueles que saibam como utilizar informática de for- ma operacional, escrevam e leiam corretamente, In- glês é um importante dife- rencial, caso tenha interesse em trabalhar em empresas de grande porte, principal- mente internacionais, e, fi- nalmente que tenha capaci- dade de trabalhar em equi- pe, aprender e motivar-se. Para as Empresas, sugi- ro que utilizem o nome da função Jovem aprendiz, ao invés de outras nomencla- turas, utilizem as agências especializadas em recru- tamento de Jovens, e, que tenham atuação, principal- mente nos bairros de clas- se média e periféricos da Cidade. E finalmente que inclua em suas estratégias de desenvolvimento de re- cursos humanos, o progra- ma de jovem aprendiz co- mo uma ferramenta impor- tante e fundamental para atingir os objetivos empre- sariais Para maiores informações e de- talhamento sugiro que veja os seguintes sites.www.aprendiz- legal.org.br - www.programa- maisempregos.com.br - Grupo Programa Mais Empregos São Miguel Paulista – SP. A via está parcialmen- te fechada para o trânsi- to local, em certos trechos o tráfego tem que ser des- viado por ruas paralelas. A obra, que tem previsão de término para quinta-fei- ra (13), está contando com uma equipe de 10 funcio- nários no local para maior agilidade dos trabalhos. Construção de galeria na Vila Progresso Rua Moises Maimônides, na Vila Progresso, ganha nova galeria Jovens apartir de 14 anos idade podem trabalhar legamente? empresas que estejam em processo de contratação. Esta dificuldade na si- nergia dos interesses, esta relacionada 1) primeira- mente com a novidade que representa o programa, e com as informações desen- contradas. Muitas empresas tem utilizados os nomes co- mo trainee, estagiário, aprendiz, menor aprendiz, jovem aprendiz etc. o que representa a mesma, coi- sa, porem parece ser coisas diferentes, 2) Embora mui- tos Jovens utilizem compu- tadores no dia-a-dia, tenho observado que poucas sa- bem utilizar computadores para tarefas operacionais, sabem utilizar somente pa- ra atividades de entreteni- mento e comunicação. As empresas tem maior inte- resse em Jovens que tenha conhecimento e saiba ope- rar o pacote Microsoft Offi- ce e bons conhecimentos em Windows. 3) Também espera que o Jovem escreva e fale de forma correta, 3) Escrever e ler corretamente e um requisito necessário. Se falar Inglês, seguramen- te será um enorme diferen- cial, uma vez que poderá atuar em empresas inter- nacionais que tem contatos constantes com o exterior. 4) E por ultimo, a capacida- de de trabalhar em Equi- pes, motivar-se trabalhan-
  5. 5. 5JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Comunidade As avenidas Francisco Tancredi Neves e Felix Nas- cente Pinto, no Jardim He- lena, receberam hoje o ser- viço de levantamento de Poços de Visita (PV), pois se tratam de vias com um flu- xo grande de veículos leves e pesados, e isso fazia com que os antigos PVs se que- brassem. Com a instalação dos novos, o nível de su- as tampas está no mesmo da rua, suportando melhor No mês de agosto ni- ciou a manutenção e refor- ma da calçada da Avenida Ribeirão Jacu, que fica nos baixos do Viaduto Jacu Pês- sego. Esse serviço é realiza- do em três etapas: demo- lição do antigo concreto, preparo de caixa para re- cepção do novo concreto Levantamento de Poços de Visita no Jardim Helena Duas grandes avenidas do distrito receberam novos PVs hoje a passagem constante dos veículos. O recapeamento das ru- as desnivela a altura dos PVs, tornando-os uma ar- madilha para os veículos que passam por cima deles, causando prejuízos, como por exemplo, desbalancea- mento, estouros de pneus, perda de controle e etc. O Poço de Visita é uma câmara construída em con- creto ou alvenaria, com abertura na parte superior para possibilitar o acesso de homens e equipamen- tos, e a realização das ati- vidades de inspeção, deso- bstrução e limpeza do co- letor. Os tampões dos po- ços de visita são geralmen- te redondos, pois é a úni- ca forma geométrica que impede que a tampa caia dentro do poço indepen- dentemente da posição que ela for colocada. Reforma de calçada na Av. Ribeirão Jacu Avenida localizada sob o Viaduto Jacu Pêssego recebe nova calçada e finalmente, concretagem para a nova calçada. Esse trabalho conta com uma equipe para demoli- ção e um caminhão de con- servação de logradouro para retirada de entulho. A reforma se estenderá du- rante a semana até a con- clusão do serviço. Praça do Morumbizinho recebe serviços de limpeza e capinação A Subprefeitura de São Miguel segue uma progra- mação diária para a realiza- ção de serviços de limpeza e manutenção em seus distri- tos. Agora foi a vez da Praça Fortunato da Silveira (Mo- rumbizinho) receber a visi- ta de equipe de limpeza da prefeitura com serviços de zeladoria, em continuação da campanha Tolerância Ze- ro da Subprefeitura São Mi- guel. As ações de manuten- ção e zeladoria são realiza- das constantemente em di- versos pontos do bairro e têm como objetivo a preser- vação e melhoria da quali- dade de vida da população. Tolerância Zero na Praça Fortunato da Silveira
  6. 6. 6JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Comunidade A equipe da Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana) se con- centrou numa casa locali- zada na Rua Abrunheiro, no Jardim Lajeado, para a retirada de materiais acu- mulados durante anos. A ação também contou com o apoio da equipe da De- fesa Civil da Subprefeitura São Miguel e da equipe de Serviço de Desfazimento. O distúrbio dos acumu- ladores compulsivos é ca- racterizado pelo recolhi- mento excessivo e incapa- cidade de descartar coisas, gerando fortíssima reper- cussão comportamental e cognitiva, além de possibi- Foi dado início a um trabalho de limpeza, de- sassoreamento e abertura de canal no córrego que se inicia no final da Rua Antô- nio de Pádua Castro. O cór- rego deságua no Rio Tietê, portanto, melhorias são fundamentais. Quem tran- sita pela rua, certamente Subprefeitura elimina lixo e entulhos da casa de uma acumuladora Foram necessários três caminhões para a retirada dos materiais litar a presença de animais transmissores de doenças. O acúmulo, principal- mente de restos de mate- riais de construção, dificul- tava a locomoção dentro dos cômodos. A quantida- de de móveis, lixo e entu- lho na residência foi gran- de o suficiente para encher três caminhões em suas to- talidades. Existe uma articula- ção entre a Saúde, a SUVIS (Supervisões de Vigilância em Saúde) e a Defesa Ci- vil, em que o (a) acumula- dor (a) passa por avaliação de equipe médica da UBS (Unidade Básica de Saúde) local. Subprefeitura trabalha na limpeza, desassoreamento e abertura de canal Aproximadamente 700m do córrego na Rua Antônio de Pádua Castro receberam tratamento percebeu que a Subprefei- tura de São Miguel está, mais uma vez, trabalhan- do na limpeza, pois no fi- nal desta via, havia um mu- ro que impedia a chegada das máquinas ao córrego, o muro foi quebrado pa- ra que o serviço fosse rea- lizado. Nesse local existia um canal, mas sua abertu- ra era pequena e não com- portava toda a água que vinha da Avenida Oliveira Freire. O aumento da aber- tura do canal com uma es- cavadeira ampliou o escoa- mento das águas que che- gam ao Rio Tietê.  O trabalho de abertura do canal foi de aproxima- damente 700 metros e está concluído.  O serviço de desassore- amento é importante pa- ra dar melhores condições do fluxo da água. Sem a remoção dos resíduos e so- los depositados nos canais e rios, a probabilidade de enchentes é muito gran- de, além do mau cheiro que incomoda os morado- res locais. Para anunciar ligue: 2031-2364 ou 2513-0928
  7. 7. 7JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Cotidiano Na primeira semana de agosto é celebrada a Sema- na Mundial de Aleitamento Materno (SMAM). Este ano, a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação (WABA) tem como tema gerador das discussões “Amamentação e trabalho – Para dar certo, o compromisso é de todos”. As psicólogas Luciana Romano e Raquel Bena- zzi, idealizadoras do proje- to Núcleo Corujas, desenvol- vem um trabalho terapêuti- co com foco no debate dos inúmeros papéis da mulher, sua nova rotina, e os aspec- tos psicológicos das mudan- ças que a maternidade trás, Peter Drucker, o pai da Administração moder- na, nos chamou a atenção, há algum tempo, para um problema crítico nas orga- nizações: “60% de todos os problemas administra- tivos resultam da ineficácia da Comunicação”. Quando se pensa na estimativa, é inevitável não responsabi- lizar os departamentos de Comunicação por essa fa- lha nas organizações. Co- meça aí um grande erro! A Comunicação, de um mo- do geral, é a ação de tor- nar comum a informação entre um emissor e um re- ceptor. Ou seja, em grande parte das atividades que desenvolvemos, existe a responsabilidade das par- tes envolvidas no proces- so. Poderíamos enumerar uma série habilidades de- sejáveis em relação à boa Comunicação, mas vamos elencar as principais para Obtenha sucesso na comunicação empresarial se destacar em qualquer carreira. Conheça o seu públi- co-alvo: Sempre que for falar em público, em reuni- ões, sejam elas mais opera- cionais ou estratégicas, pa- lestras, escrever relatórios, e-mails, e até mensagens de WhatsApp, tenha em mente quem é o seu inter- locutor. A mensagem só fa- rá sentido se você usar re- cursos para que haja a com- preensão do conteúdo. E is- so, com certeza, impactará no sucesso de sua comuni- cação. Seja conciso sem ser simplista: A organização das suas ideias em textos, discursos, reuniões, apre- sentações é determinan- te para o sucesso na forma como você se comunica. O conteúdo precisa ser objeti- vo e direto. A concisão está ligada à capacidade de sin- tetizar as informações, ou seja, dizer o máximo com o mínimo de palavras. Pa- ra isso, é preciso ter muita atenção e treino. Esteja atento à Língua Portuguesa: Um profissio- nal que zela pela sua ima- gem sabe usar bem o Por- tuguês. Isso não quer dizer que utiliza palavras rebus- cadas, frases complexas e períodos longos. Mas en- tende de concordância ver- bal, nominal, tem um voca- bulário diversificado e rela- tivo ao meio em que atua. Peça feedback: A as- sertividade na sua manei- ra de se comunicar está re- lacionada à capacidade de perceber as reações do in- terlocutor, inclusive no mo- mento da interação. Então, não hesite em perguntar se você foi compreendido ou não. Nesse caso, o feedba- ck - que quer dizer “retor- no” - permite redirecionar o conteúdo da mensagem instantaneamente. Você pode perguntar ao inter- locutor: “me fiz entender? Você compreendeu o que eu disse?” Surpreenda o inter- locutor: Além de se preo- cupar com público e com o conteúdo, você deve usar recursos para surpreender o interlocutor no momento de transmitir a mensagem, seja ela verbal ou não ver- bal. Pense na melhor téc- nica (audiovisual, tecnoló- gica, criativa,) para atin- gir seu objetivo. Um texto bem escrito, a vestimenta adequada, apresentações visuais bem elaboradas, o tom de voz apropriado, ex- pressões faciais moderadas, uma linguagem proativa e a capacidade de ouvir as pessoas são maneiras inte- ressantes de surpreender Amamentação e a volta ao trabalho é tema da Semana Mundial de Aleitamento 2015realidade muito próxima da campanha deste ano. “Um dos principais dile- mas maternos é a hora da separação mãe-bebê, o mo- mento de retornar ao tra- balho. Aparentemente essa tarefa é complicada, mas, se bem realizada, é possí- vel facilitar a readaptação à vida social e profissional e dedicar-se à amamentação nesse período”, enfatizam. A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que a criança seja alimentada ex- clusivamente por leite ma- terno até os seis meses de vida. Mas, normalmente a  volta ao trabalho aconte- ce antes desse período - a le- gislação permite que a mãe fique em casa até os seis me- ses, mas a liberação é facul- tativa em cada empresa. Confira as dicas: Organize sua nova roti- na, converse com o RH; Co- lete o leite sempre após as mamadas; Inicie o armaze- namento do leite 15 dias antes do retorno às ativi- dades; Alimente o seu be- bê no seio antes e após o trabalho; Cuidado com a validade do leite materno: Temperatura ambiente: ½ hora, Geladeira: 12 horas, Freezer: 15 dias
  8. 8. 8 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Entrevista Fernando Haddad se or- gulha muito de ser profes- sor universitário e tem hor- ror à demagogia, que qua- lifica como a “corrupção da política”. Firme em su- as convicções, ele diz que “quem não tem coragem de governar, não deveria se arriscar, porque hoje pa- ra governar precisa de co- ragem, que é o que está faltando na vida política”. Mesmo com as dificuldades impostas pelo cenário eco- nômico nacional e interna- cional, que impuseram um crescimento zero na econo- mia da cidade e uma reces- são de 2% no Estado de São Paulo, Haddad se diz oti- mista na consecução de su- as metas de governo. Mais que isso, ele elenca algu- mas ações efetivas que me- lhoraram a vida do paulis- tano, como as faixas exclu- sivas de ônibus que diminu- íram em até 90 minutos o tempo diário das viagens dos ônibus urbanos, duran- te entrevista que o prefeito concedeu na última quin- ta 30, para a AJORLESTE e os jornais de bairro da Zo- na Leste. Qual o legado que o Pla- no Diretor Estratégico pro- porcionará à cidade nos próximos 16 anos? O Plano Diretor organi- za o desenvolvimento ur- bano em torno dos chama- dos eixos de mobilidade. Onde tem eixo de mobili- dade constrói. Nos eixos de mobilidade haverá um tamanho máxi- mo de imóveis que pode- rão ser construídos. Justa- mente pensando na família moderna, que é uma famí- lia mais enxuta, tem mui- tos desenhos familiares ho- je que não existiam 30 anos ou 40 anos atrás.  Qual a avaliação do Pro- grama Prefeitura no Bairro, quais são os primeiros re- sultados? A Prefeitura no Bairro é uma forma de comunica- ção. É uma maneira de vo- cê aproximar as secretarias das subprefeituras.  Qual a previsão de me- lhoria no atendimento da saúde para o paulistano? Os contratos que es- tão sendo renovados con- tam com uma cláusula que não existia. Como era fei- to o contrato com as OSs? Era um contrato com meta. Cumpriu a meta, a pessoa podia parar de atender que ela recebia. Isso foi contes- tado pelo Tribunal de Con- tas na administração ante- rior e nós fizemos um cha- mamento público para re- novar este contrato com uma cláusula garantindo equipes mínimas, cumprin- do ou não a meta. Inde- pendentemente de cumprir a meta você tem que man- ter uma equipe de profis- sionais de saúde no local. Isso está sendo concluído agora. O jornalista Divaldo Ro- sa, representando os jor- nais de São Miguel pergun- tou sobre as obras do Mini Anel Viário de São Miguel e da Avenida Gualtar em Itaquera, obras fundamen- tais para melhoria do trân- sito das suas regiões. Sobre a Avenida Gual- tar eu não sei dizer por que ainda não foi iniciada a obra, pois eu já mandei fa- zer. Realmente é uma obra prioritária para os morado- res do Vale do Aricanduva e não vai custar nada para a cidade, pois o Shopping Aricanduva decidiu fazer a obra e doa para a munici- palidade. O problema com o CEU Aricanduva já foi so- lucionado no projeto apre- sentado pelo shopping com a colocação de uma passa- rela ligando os dois pré- dios, portanto não sei por que razão ainda não foi ini- ciado a obra. Mas prome- to me informar e te passar a informação o mais rápido possível. Quanto à obra de São Miguel depois que es- tive lá na esquina da Impe- rador com a Pires do Rio fi- camos sabendo que ainda não tinha o projeto, então mandamos fazer o projeto e isto leva algum tempo, in- felizmente não vai sair tão rapidamente como a popu- lação gostaria. Por que o Corredor da Avenida Celso Garcia não entrou no PAC? O corredor da Celso Gar- cia não entrou nos 150 qui- lômetros do PAC em função do custo das desapropria- ções. O projeto está pron- to, certamente vai acabar sendo feito, não existia nem projeto, mas ali nós vamos ter que fazer uma parce- ria público-privada, prova- velmente para viabilizar a obra. É uma obra muito ca- ra. Então provavelmente vai ser no âmbito de uma ope- ração urbana ou de uma in- tervenção urbana. Mas não está nos 150 quilômetros que nós licitamos. A redução de veloci- dade nas marginais e nas principais avenidas, deixou a cidade mais emperrada? A redução da velocidade máxima nas vias urbanas é uma tendência internacio- nal. Eu não vou abrir mão dos meus princípios. Nós te- mos um dos trânsitos mais violentos do mundo. Equi- vale a uma guerra. Estamos muito longe das cidades mais evoluídas, que estão fazendo um esforço maior do que o de São Paulo pa- ra reduzir os acidentes. A vida das pessoas não de- veria ser razão de partida- rização. O bem estar do ci- clista não deveria ser razão de partidarização. A priori- zação das faixas exclusivas para ônibus não deveria ser razão de partidarização. Se está havendo partidariza- ção em torno disso é por causa de um clima político que está sendo alimenta- do pela intolerância e pelo ódio e não pelo bom senso e pela generosidade. Exis- te um conceito em enge- nharia de trânsito chama- do trânsito induzido. Nunca na história de São Paulo se viu a implantação de tantos radares. Inclusi- ve verdadeiras armadilhas como o da Ponte das Ban- deiras. Por que o prefeito se submete a tantas decisões impopulares da CET? Eu confio muito na CET, acho a melhor Companhia de Engenharia de Tráfego do Brasil. De novo, os críti- cos estão errados em rela- ção à velocidade das vias. Aquele radar que você se refere na Ponte das Bandei- ras é o que garante a flui- dez da Marginal. Se você abrir o acesso para os car- ros ali, você vai perder uma faixa da marginal porque a Santos Dumont não com- porta tanto movimento. Quais são as obras que o senhor ainda pretende realizar na zona leste? Nós já demos ordem de serviço para construir 15 Upas na cidade, a maior parte na zona leste, 16 UBSs, a maioria na zona les- te e norte, porque foi onde a gente conseguiu terreno. Mais ou menos 147 equi- pamentos de educação, que estão entregues ou em obras, com creche, Emef, Emei, nós vamos universa- lizar o atendimento, este ano a previsão é de abrir pelo menos 40 mil vagas em creches, entre outras. E quanto à possibilidade de descentralizar a admi- nistração, dando mais for- ça às subprefeituras? Houve uma recentrali- zação muito forte na admi- nistração anterior. Eu não estou convencido de que o problema é descentralizar orçamento. Eu estou con- vencido de que a gente tem que descentralizar poder, porque às vezes um contra- to pode ser centralizado e a gestão do contrato não po- de ser. Então a vice-prefeita Nádia Campeão tem lidera- do um processo em que os subprefeitos e os conselhos participativos, que nós cria- mos, participam cada vez mais da gestão e do acom- panhamento dos contratos da Prefeitura.  A Prefeitura pretende em algum tempo exercer fiscalização sobre a distri- buição de panfletos e jor- nais nos semáforos da ci- dade? Nós estamos com pouco agente vistor nas subprefei- turas. Agora eu posso pau- tar na reunião de subpre- feitos essa preocupação. Aqui ocorre desleixo com a limpeza da cidade por par- te de alguns cidadãos. Quando a Prefeitura vai cuidar da iluminação das passarelas? A iluminação pública quando eu assumi era o pri- meiro lugar de reclamação no 156. Hoje é o 18º. Ago- ra passarela eu preciso che- car. O que a gente iluminou de praça, de centro espor- tivo, baixo de viaduto. A gente está fazendo aquela iluminação pedonal, que é aquela voltada para a cal- çada, baixinha. Eu vou pe- dir para o secretário de Ser- viços Simão Pedro, para in- cluir naquele projeto de iluminação pedonal as pas- sarelas. De fato não tenho lembrança de São Paulo ter iluminação em passare- la. Não me recordo. É uma bela pauta. As únicas ilumi- Fernando Haddad concede entrevista
  9. 9. 9JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 nadas que eu lembro são as da Praça da Bandeira, para chegar no Terminal. Nun- ca foram iluminadas, não é que é uma deficiência. Mas também embeleza, torna a cidade mais bonita, além de mais segura. Boa suges- tão. Vou encomendar um estudo. O senhor vai conseguir cumprir o seu plano de metas? Nós temos 123 pontos no programa de metas da Prefeitura. Nós esperamos cumprir mais de 100. E são 19 que estão com o sinal amarelo de cumprimento, mas nós vamos deixar tudo muito bem encaminhado. Com eu já falei: nós tive- mos uma frustração muito grande com o crescimento econômico do período pró- ximo a zero. Agora, admi- nistrador não escolhe tem- po bom ou tempo ruim. Se você é administrador, tem que administrar no tem- po bom e no ruim e ainda, buscar alternativas. Acho que estamos administran- do, em tempos de vacas magras, de maneira muito coerente. Qual foi a maior difi- culdade de sua gestão até agora? Muito provavelmen- te nós vamos fechar 2013- 2016, o período do meu mandato, com crescimento econômico no Brasil de 0%. Se nós levarmos em consi- deração o crescimento de 2014, 2015 e 2016, o cres- cimento médio destes anos provavelmente vai chegar a zero e no estado nós te- ríamos vivido uma recessão nestes anos, ou seja, cresci- mento negativo. E com tu- do isso, mais suspensão de um ano da planta genéri- ca de valores do IPTU, mais passe livre para estudante, mais redução da tarifa, que custou R$ 1,5 bi em 2013, mais pagamento de preca- tório, R$ 1,5 bi a mais que o previsto por causa da ação no Supremo Tribunal Fede- ral. Com tudo isso, eu não deixei de encaminhar abso- lutamente nada. Pode ter prejudicado o cronograma, mas o planejamento da ci- dade está absolutamente garantido com todos os re- vezes que nós sofremos de arrecadação. Não é brinca- deira ser prefeito com 0% de crescimento. Porque em geral o custeio da cidade toma conta do orçamen- to. Para você expandir ser- viços é o crescimento eco- nômico que garante a ex- pansão. Nós conseguimos exclusiva aos jornais de bairro    expandir serviços sem cres- cimento econômico. Então não foi brincadeira não. E o grande legado nosso vai ser a dívida, porque nós conse- guimos renegociar a dívi- da com a União que vai ga- rantir que as próximas ad- ministrações respirem um pouco. Porque a dívida com a União chegou a R$ 80 bi- lhões. Nós vamos derrubar 40% desta dívida, baixar para menos que R$ 40 bi.
  10. 10. 10JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Destaque Local Com quase 28 anos de existência, o colégio Emilia Marinho é considerado re- ferência quando o assunto é educação infantil e ensi- no médio. Com um traba- lho incansável, a escola de recreação infantil Emilia tem crescido a cada dia. Com o passar do tem- po, o ensino de qualidade e competência ganharam destaque em toda a região e também nos bairros vizi- nhos onde o colégio foi ins- talado. Com um lado voltado para o comprometimento social, o colégio Emilia Ma- rinho tem contribuído não só para a educação e for- mação de crianças e adoles- centes, como também pa- ra o desenvolvimento dos bairros carentes de São Mi- guel. Sem ter seus trabalhos divulgados até mesmo por opção, a diretora e funda- dora do Colégio Emilia Ma- rinho também é uma gran- de referência quando se trata de ajudar ao próximo. Com base nisto, o colé- gio tem contribuído para o sustento de muitas famí- lias carentes.Todo o mês a escola tem tido a responsa- bilidade de doar cestas bá- sicas, kits de roupas infan- tis, brinquedos, ajuda em transportes para ONGs, tra- tamento dentário e diver- sas outras ações. Em entrevista ao jornal Bom Dia Acontece, a dire- tora Emilia Marinho expli- ca que intenção nunca foi mostrar, mas sim ter atitu- de e fazer a diferença. “Procuro sempre seguir: o que sua mão direita faz, a esquerda não deve saber. Eu nasci num berço cristão. Meus pais sempre lidaram com obras, e minha mãe sempre repartiu o que ti- nha em casa e dizia: ‘fazeis com o próximo como gos- taria que fizessem por vo- cê’. Então desde pequenas fomos instruídas a compar- tilhar com o próximo aqui- lo que tínhamos. E levo isto para minha vida toda”, ex- plica ela. Vinda de uma família simples, porém tradicional, Emilia Marinho se diz uma mulher de muita fé e afir- ma que aquilo que Deus lhe dá ela faz questão de compartilhar com o próxi- mo. “Aqui na escola ajudar ao próximo como a ti mes- mo é nossa filosofia. Eu não faço mais do que minha obrigação em retribuir com os que precisam aquilo que Deus me dá. Eu sou mui- to feliz desta maneira em compartilhar. Sou uma mu- lher de fé, movida pela fé e não desisto nunca, Deus me fortalece em todos os mo- mentos”. Exemplo disto é o pre- sidente Jorge Eduardo da ONG Vida Nova, que cuida de pessoas portadoras do Colégio Emilia Marinho realiza ações vírus HIV/AIDS e se diz mui- to satisfeito e honrado com a parceria que há 14 anos o colégio faz com a ONG. “Sempre que precisamos fazer algum tipo de exa- mes em nossos membros da ONG a tia Emilia con- tribui com a ajuda nas des- pesas do combustível. Aqui temos um grande apoio do colégio, eles estão sempre prontos a nos ajudar e isto é muito importante. O la- do mais bonito disto tudo é que a tia Emilia ajuda sem querer aparecer, isto é, faz com o coração, sem querer nada em troca”. A moradora da comu- nidade Natasha Carla Silva chega a se emocionar em depoimento para o jornal e diz que o colégio vai mui- to além de apenas ensinar, “faz muitos anos que o co- légio contribui com nossa comunidade. A cada mês distribuímos cestas básicas para famílias carentes da comunidade que fica loca- lizada no entorno do co- légio. Tudo isto só é possí- vel com a ajuda que o co- légio dá para as famílias. A instituição Emilia Marinho vai muito além de apenas educar e formar crianças e adolescentes, eles têm to- do um trabalho de respon- sabilidade social voltado para aqueles que mais pre- cisam. É um trabalho lindo, porque eles ajudam pais e crianças que nem ao menos estudam aqui na entidade. Isto é prova de comprome- timento e solidariedade pa- ra com o próximo”. Sempre pensando no bem estar e qualidade de vida das crianças, o Colégio Emilia Marinho também a cada ano distribui kits de roupas e brinquedos para toda a criançada. Segundo a moradora Gilda Souza, a tia Emilia garante um final de ano mais alegre para di- versas famílias. “A tia Emi- lia é como se fosse um anjo enviado por Deus, todo na- tal ela envia uma cesta de brinquedos e roupas para as crianças de nosso bairro. Nunca temos ajuda de nin- guém quando pedimos al- go. Sempre foi o colégio e a tia Emilia que fazem nos- sos natais mais alegres a ca- da ano”. Outra grande parceria que o Emilia Marinho tem é com o grupo de recupe- ração de dependentes quí- micos da igreja Alcance Vi- tória. Hígida, Cida e Paulo são membros da igreja e também fizeram questão
  11. 11. 11JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 sociais para comunidade carentede enaltecer o trabalho so- cial que o colégio tem feito para a casa de recuperação. “Já levamos diversos ‘não’ na cara, de empresá- rios da região. Chegamos a nos emocionar quando vemos o que a Dona Emi- lia faz por nós. Ela ajuda sem olhar a quem”, diz Hí- gida. Cida diz que nem sem- pre é fácil arrumar apoia- dores para aww casa e frisou sobre o preconcei- to que há de outros em- presários em colaborar, “a Emilia nunca se impor- tou com isto, nunca teve preconceito, pelo contrá- rio, sempre nos apoiou em tudo que foi preci- so. Chego a me emocio- nar quando vejo as trans- formações de vidas que acontecem na nossa casa de recuperação. Só temos a agradecer pela ajuda que ela faz para a casa se manter em pé”. Todo o terceiro sába- do do mês o colégio Emi- lia Marinho vira palco de um grande culto de ação de graça, na qual todos da comunidade são convida- dos a participar. “No ter- ceiro sábado do mês, o co- légio abre suas portas pa- ra receber nós jovens da igreja Alcance Vitória para um culto de adoração aqui mesmo no colégio. Isto é um alimento também para nossa alma e espírito. Sou muito grato por tudo que a Emilia Marinho faz”. As filhas de Emilia Ma- rinho Bianca e Bruna sem- pre elogiam á mãe e tem ela como o maior exemplo a ser seguido. “Minha mãe nasceu em uma família muito pobre e graças a Deus e com muito trabalho e renúncias, ela conseguiu conquistar seu grande sonho. E hoje, as ações sociais que o nosso Colégio promove são uma maneira de retribuir à so- ciedade tudo aquilo que conquistamos e amenizar a situação de alguns que passam pela mesma situ- ação que um dia, minha mãe também passou. O poder ajudar é gratifican- te espiritualmente!”, diz Bruna Marinho. Bianca Marinho afirma que todas as nossas ações sociais proporciona um grande benefício pessoal e emocional. “Saber que es- tamos sendo útil na vida de alguém e que nós estamos plantando o bem ao nosso próximo é uma satisfação enorme”, finaliza ela.
  12. 12. 12 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Opinião & Segurança VIVER EM SEGURANÇA Além de investigar se policiais militares estão en- volvidos nos ataques a tiros que deixaram 18 mortos e seis feridos em Osasco e Ba- rueri, na última quinta-fei- ra (13), a força-tarefa cria- da pelo governo de São Paulo para tentar identifi- car os autores da onda das execuções também apura a suspeita de que guardas civis municipais possam ter participado dos assassina- tos nas cidades da região metropolitana. Os crimes podem ter si- do cometidos por policiais militares e guardas civis para vingarem, respectiva- mente, os assassinatos do cabo Avenilson Pereira de Oliveira, de 42 anos, e do guarda civil Jefferson Ro- drigues da Silva, de 40. “Nós continuamos com a possibilidade de partici- pação da Guarda Civil em virtude do latrocínio do guarda”, disse o secretário Alexandre de Moraes nesta segunda-feira (13). O cabo Oliveira foi mor- to a tiros, no dia 7, por dois criminosos ao reagir a as- salto a um posto de com- bustíveis em Osasco. Ele era da Força-Tática do 42º Ba- talhão da PM (BPM), res- ponsável pela segurança na região, mas estava sem far- da. A dupla usou a própria arma do policial para mata- -lo e fugiu. O DHPP já iden- tificou os suspeitos. A Justi- ça decretou a prisão deles, A criminalidade atual exige dos usuários de imó- veis, residenciais, indus- triais ou comerciais, cuida- do especial em adotar me- didas de proteção realmen- te eficientes. A blindagem arquitetônica tem sido bas- tante procurada pois agre- ga ao imóvel proteção ba- lística com a aplicação de materiais resistentes em portas, janelas e a própria alvenaria das paredes. Tem prazo de validade indeter- minado e apenas requer como manutenção a even- tual limpeza. A implantação de sis- temas de câmeras de vigi- lância também aumenta o grau de segurança, des- de que executada por em- presa especializada e com equipamentos de reco- nhecida qualidade. Na re- sidência, o morador pode incluir tais defesas e ado- tar hábitos seguros. Nos demais casos, um agente Como proteger melhor o seu imóvel de segu- rança pri- vada po- de cuidar desta tarefa inclusive para as ações de pronta respos- ta e acionar os órgãos de segurança pública em ca- sos de perigo. Essas medidas são in- vestimentos e não gastos já que conseguem mitigar riscos podendo salvaguar- dar vidas e patrimônio. Logicamente, um bom projeto feito por um con- sultor em segurança é in- dispensável para customi- zar a solução e dificultar as ações criminosas. *Emanuel de Aquino Lopes é Coronel da Reserva da Po- licia Militar, Mestre em Ciên- cias Policiais de Segurança e Ordem Pública, especializado em Direitos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas, membro do Núcleo de Proje- tos Estratégicos – ISAE Ama- zônia e do Luxembourg Brasil Business Council. Além de PMs, força-tarefa apura se GCMs participaram de execuções 18 pessoas foram mortas em Osasco e Barueri na quinta-feira (13) Hipótese é a de vingar morte de policial militar e guarda civil. que são procurados. O guarda Silva foi ba- leado e assassinado na úl- tima quarta-feira (12) por três assaltantes que tenta- ram roubá-lo num bar. Ele também estaria à paisana. Os criminosos fugiram. Na noite seguinte ao as- sassinato do guarda, co- meçaram as ondas de exe- cuções em Osasco e Barue- ri. Ao menos dez homens não identificados, usando máscaras, divididos em três grupos, participaram dos dez ataques entre as cida- des, num espaço de 20 qui- lômetros, em cerca de duas horas e 20 minutos. A equipe de reporta- gem não conseguiu conta- to com a Guarda Civil Mu- nicipal (GCM) dos municí- pios que foram alvos dos atentados para comentar sobre a suspeita de que guardas possam estar en- volvidos nas mortes. Quinze pessoas foram assassinadas a tiros em Osasco, e três em Barue- ri. Os crimes foram filma- dos por câmeras de segu- rança. As gravações estão sendo analisadas pela for- ça-tarefa para tentar iden- tificar os criminosos. Até a publicação desta maté- ria  não havia informa- ções sobre prisões de sus- peitos pelas execuções. As suspeitas sobre os execu- tores também recaem nos PMs e GCMs porque os as- sassinatos seguiram um pa- drão: homens encapuzados em carros e em motos des- ciam dos veículos perto de bares, enfileravam as pes- soas de frente para as pa- redes, perguntavam a elas quem já havia tido ficha criminal e atiravam. Seis dos 18 mortos tinham pas- sagens pela polícia.
  13. 13. 13JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Urbanismo 3 condomínios da cidade, em Itaquera, Aclimação e na Granja Julieta, já adotaram a reciclagem de resíduos orgânicos para a produção de adubo Os pau- listanos ga- nharam mais um estímulo para a práti- ca da recicla- gem de re- síduos orgâ- nicos para a produção de adubo, com o início da compostagem nos condomínios da cidade. Ini- ciada há menos de um mês, a iniciativa ainda está em fase piloto e é uma realiza- Amlurb apoia projeto-piloto de compostagem em condomínios ção de três condomínios lo- calizados em Itaquera, Acli- mação e Granja Julieta. O projeto conta com o apoio da Secretaria de Ser- viços, por meio da Autori- dade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb); da em- presa I&T (Informações e Técnicas em Construção Ci- vil), especializada em con- sultoria na área de gestão de resíduos; da Tramonti- na; e da Fundação Santo André. Durante a experiência, resíduos orgânicos como frutas, verduras, legumes, cascas de ovos, grãos e se- mentes serão depositados em uma lixeira e, posterior- mente, acondicionados nas composteiras. Os resíduos são misturados à serragem e folhas secas, e, após 45 dias, irão virar adubo, que será aproveitado em hortas criadas nos próprios locais. Composta SP A compostagem nos condomínios reforça o tra- balho já desenvolvido pe- la Secretaria de Serviços e a Amlurb para promover a prática. Em 2014, a secre- taria — em parceria com a empresa Morada da Flores- ta, e as concessionárias do serviço de coleta domiciliar e seletiva, Loga e Ecour- bis —promoveu o projeto Composta SP, que distri- buiu duas mil compostei- ras domésticas, além da re- alização de oficinas sobre o tema. Mais informações em: http://www.compos- tasaopaulo.eco.br/resul- tados2014. O incentivo à compos- tagem é uma das diretrizes presentes no Plano de Ges- tão de Resíduos Sólidos de São Paulo (PGIRS), decreta- do pelo prefeito Fernando Haddad em abril de 2014. Simão Pedro O governador Geral- do Alckmin e o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Benedito Braga, assinaram na sexta-feira, 14 de agosto, 58 contratos com municípios, órgãos es- taduais e entidades da so- ciedade civil para liberação de recursos do Fundo Esta- dual de Recursos Hídricos (FEHIDRO). Ao todo, são R$ 25 milhões que serão empregados em planos e obras para proteção e recu- peração dos recursos hídri- cos e melhorias no sanea- mento no Estado. “Estamos assinando ho- je convênios importantes na área de saneamento bá- sico, recursos hídricos, des- Alckmin garante R$ 25 milhões para melhorias dos recursos hídricos e saneamento de SP tinação final de resíduos sólidos, combate a erosão, macrodrenagem nas cida- des, do programa nascen- tes para reflorestamento das matas ciliares, todos de grande interesse da popu- lação”, comentou o gover- nador Alckmin. Os recursos do FEHIDRO permitirão intervenções co- mo: obras de controle de perdas em redes de abaste- cimento; obras de estações de tratamento de esgoto; implantação de galerias de águas pluviais; promoção de ações educacionais pa- ra o uso racional da água; obras para a melhoria dos sistemas municipais de dis- tribuição de água e esgoto; recuperação de nascentes e matas ciliares; entre outras. Dos 58 contratos, 46 (80%) são com municípios, 7 (12%) com sociedade civil e 5 (8%) com órgãos esta- duais. As ações contemplam as seguintes áreas do Plano Estadual de Recursos Hídri- cos: Planejamento e Geren- ciamento de Recursos Hídri- cos (26%); Serviços e Obras de Conservação, Proteção e Recuperação da Quali- dade dos Recursos Hídricos (34%); Desenvolvimento e Proteção de Águas Subter- râneas (3%); Conservação e Proteção dos Mananciais Su- perficiais de Abastecimento Urbano (9%); Prevenção e Defesa Contra Inundações (12%); Prevenção e Defe- sa Contra Erosão do Solo e o Assoreamento dos Corpos d’Água (16%). Esta foi a segunda leva de assinaturas para empre- endimentos com recursos do FEHIDRO em 2015.
  14. 14. 14 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Na última quarta-feira (12), aconteceu no anfitea- tro da subprefeitura de São Miguel um encontro entre as lideranças locais, fun- cionários da subprefeitura, conselheiros participativos e alguns artistas da região. O intuito principal do evento era que fosse im- plantado nas dependên- cias do Mercadão Munici- pal de São Miguel um espa- ço direcionado à cultura do bairro, assim como temos o exemplo do mercado do Parque Dom Pedro e tam- bém foi citada na reunião a criação do tão esperado Centro Cultural de São Miguel Paulista, luta esta cuja bandeira vem sendo levantada pelo MPA (Movi- mento Popular de Arte) há mais de 30 anos e que até agora não foi solucionado. Estiveram na reunião o subprefeito Adalberto Dias, a chefe de gabinete Célia Assumpção, jornalis- ta e líder comunitário Ide- vanir Arcanjo, Jadir Nasci- mento assessor parlamen- Cultura&Lazer Artistas locais reivindicam por espaço no Mercadão de São Miguel tar, jornalista e artista Zé da Lua, supervisor de cul- tura de São Miguel Pe- dro Roney, administradora do Mercado Municipal de São Miguel Fernanda Bo- nes, conselheira participa- tiva Tishuko, coordenador da fundação Tide Setubal Marcelo, entre outros. À frente da reunião, o artista e jornalista Zé da Lua agradeceu a presença de to- dos e fez questão de enalte- cer os trabalhos dos artistas locais que buscam por um espaço público no bairro para expor seus trabalhos. “Primeiramente quero agradecer a todos os pre- sentes. Nossa ideia aqui ho- je é angariar um local espe- cífico dentro do mercadão para que nossa região pos- sa ganhar um espaço cultu- ral. E buscar também a im- plantação de um centro cul- tural em nossa região.Admi- timos que esta luta não vem de hoje, são anos e anos lu- tando por um centro cultu- ral. Acredito que o povo de nossa região merece isto. Temos muitos artistas com trabalhos extraordinários que precisam ser expostos para a população”. Questionado pela fal- ta de outros artistas locais não estarem presentes na reunião, Zé da Lua explicou que a grande maioria dos artistas tem trabalhos fixos e não puderam comparecer na reunião marcada com antecedência. “Temos mui- tos outros artistas que tam- bém lutam, levantam esta bandeira, porém não pu- deram estar aqui hoje por- que tem trabalhos exter- nos, mas já garanto que se marcarmos para um perío- do noturno eles farão ques- tão de participar também”. Segundo o subprefei- to Adalberto Dias, a im- plantação do centro cultu- ral na região de São Miguel é um de seus sonhos anti- gos. “Como morador da re- gião, o sonho dos artistas é o meu também, São Miguel Paulista merece um espaço para a população conhecer o trabalho de nossos artis- tas. Mas para isto é preciso a força do MPA, é necessá- rio todos eles aqui lutan- do para adquirir o espaço. Acredito que juntos fare- mos toda a diferença”. Após as considerações finais, a próxima reunião ficou agendada para dia 18 de agosto às19h, na Subpre- feitura de São Miguel Pau- lista, com a presença dos de- mais membros do MPA.
  15. 15. 15 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 ComunidadePolítica Andrea Matarazzo São Pau- lo precisa de opções de la- zer em todas as suas regi- ões. Precisa de parques eáreas ver- des para as famílias saírem de casa e se divertirem com segurança e tranquilidade. A falta de opções obriga pais e mães dos bairros mais peri- féricos a se deslocarem uma hora de ônibus para encon- trar uma área verde para fa- zer um piquenique e deixar a criançada brincar e cor- rer livremente. É isso o que acontece com os moradores do Jar- dim Nova Conquista, na Zo- na Leste, um dos bairros com o menor índice de ar- borização da capital, que precisam gastar pelo me- nos uma hora dos seus dias de descanso para chegar ao Parque do Carmo, o lo- cal mais perto. O problema da falta de lugares públicos para as pessoas se diver- tirem não se resumeà Zo- na Leste, também afeta bairros na Zona Norte, co- mo é o caso da Vila Medei- ros, e da Zona Sul, como a Cidade Ademar. Está ge- neralizado por conta da vi- são reducionista do prefei- to Fernando Haddad, que acha que São Paulo se re- A periferia precisa de lazer sume a ações no centro ex- pandido, e por sua inca- pacidade de planejamen- to, que não sabe priorizar o que é de fato prioridade. Parece que hoje as únicas agendas da prefeitura são o fechamentos da avenida Paulista aos domingos, sa- colinhas plásticas e ciclo- vias nos Jardins. Não se dis- cute mais nada. Lógico que podem ser medidas interes- santes, mas sem muito im- pacto. Basta lembrar que a avenida Paulista já abriga dois parques: o Trianon e o Mário Covas, que talvez o prefeito não conheça por não sair de seu gabinete. Por isso, melhor seria o pre- feito estudar a recolocação das ruas de lazer nas peri- ferias onde as pessoas de qualquer idade efetivamen- te não têm nenhuma opção de passeio. Ou cuidar das calçadas (que não existem) da Avenida Marechal Tito, em São Miguel, campeã das mortes de pedestres. O prefeito não pode privilegiar uma região da cidade por estratégia de marketing,pensando ape- nas na eleição do ano que vem. São Paulo precisa ser um local mais agradável a todos e não apenas à par- cela minoritária da popu- lação. Abra os olhos,senhor prefeito, debata nossa peri- feria. É ela que mais precisa de investimentos.  Comerciantes, anunciem no melhor jornal de toda a região. É mais barato do que você imagina! Agende uma visita. ( 2031-2364 2513-0928 Email: raleste@gmail.com
  16. 16. 16 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Feminíssima A dica é apostar na so- breposição de roupas, ou seja, várias camadas de rou- pas. Porque andar com ca- sacão pesado ou moletom nem sempre é a melhor pe- dida, muito menos na hora de trabalhar. Para se manter linda e estilosa mesmo nos dias mais congelantes, aposte na combinação de peça so- bre peça. Quer um exem- plo: Segunda pele + camisa xadrez + camisa jeans + ja- queta de couro. Outra opção bacana é usar vestido, sim! Você não precisa abrir mão da fe- minilidade e da delicade- No início da relação tu- do acontece de maneira muito intensa e com sen- timentos exaltados. O casal, por exemplo, faz diversos planos para o futuro e começa a conhe- cer um ao outro mais pro- fundamente. Muitos, inclusive, fi- cam com a certeza de que o relacionamento durará para sempre. Os meses passam e aquele frio na barriga ao encontrar a mulher ama- da vai embora, as de- monstrações de afeto se tornam menos frequentes e a vontade de estar jun- to nem é mais tão grande como antes. Saiba que isso aconte- ce com muitos casais e, na verdade, é mais comum do que se pensa. A boa notí- cia é que dá para mudar a situação. Confira algumas dicas para sacudir seu na- moro ou casamento. Sobreposições para o inverno za nos dias mais frios. Uma boa blusa justinha de man- ga comprida lisa e de cor neutra por baixo de um vestido também neutro e mais fechadinho pode ser uma boa solução. E as pernas não ficam de fora não! Invista numa meia-calça de malha grossa ou até mesmo numa calça legging. Uma peça super bacana que ajuda bastante na ho- ra de montar uma sobre- posição é o colete. É óti- ma para finalizar um look e dar aquela incrementada. Se inspire para montar seu look estiloso de inverno! Relacionamento morno? Confira oito dicas para animar a relação Relembrem o início do relacionamento Lembra dos programas que vocês faziam no come- ço da relação? Se eles agra- davam antes, talvez ainda funcionem. É uma ótima maneira para recordar o modo como o casal se sen- tia na época e reacender a vontade de estar junto. Façam uma viagem inesquecível Uma viagem a dois po- de ser o que o casal precisa para reanimar a relação. Ti- rem alguns dias de folga do trabalho e de qualquer ou- tro compromisso e viajem para aquele destino que vocês sempre quiseram co- nhecer juntos. Experimentem coi- sas novas Uma das maiores recla- mações em relacionamen- tos longos é que, em deter- minado momento, o sexo cai na rotina, acontece me- nos frequências e já não é tão excitante assim. Se for o caso, está na hora de inovar. Saiam de casa Apesar de ser muito cô- modo ficar em casa assistin- do a um filme, é muito im- portante variar os progra- mas para que o namoro ou casamento não se transfor- me em uma rotina maçante. Evitem brigar por nada Esta regra é primordial e vale para qualquer casal. Discussões desgastam a re- lação e podem piorar ainda mais um namoro ou casa- mento morno. Mantenha sua indi- vidualidade É comum querer fazer tu- do junto e deixar de lado as atividades individuais, po- rém, é importante que cada um tenha tempo livre para cumprir seus deveres, pensar nos problemas e até mesmo dar saudade do outro. Para Anunciar Contate: 2031-2364ou2513-0928 raleste@gmail.com.br
  17. 17. 17JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 201514 esportes BRASILEIRÃO / AVAÍ X CORINTHIANS Liderança nas mãosCássio comemora três defesas no fim do jogo, que garantiram a 12a- vitória do Corinthians no Brasileirão. Goleiro pede humildade em busca da taça JamiraFurlani/Avaí Eliascelebraforçadogrupo mesmocomsaídade‘líderes’ o grupo, não há titulo, não há nada”, declarou o camisa 7, após a vitória na Ressacada, por 2 a 1. O corintiano se referia às saí- das dos atacantes Guerrero e Emerson Sheik, hoje no Flamen- go, do lateral-esquerdo Fábio Santos, que está no México, e do volante Petros, que se transferiu para o Betis, da Espanha. A crise financeira do clube foi apontada como motivo para as baixas. n O volante Elias credita à união do elenco o motivo para o Corin- thians ter alcançado a liderança do Brasileirão e ter se consagra- do campeão do primeiro turno, mesmo após perder jogadores importantes no esquema. “A força do grupo (é a explica- çõ). Perdemos grandes jogado- res, nossos líderes, e, ainda assim, conseguimos repor em campo. É a força do grupo. Sem O goleiro Cássio (de costas) no gol do Avaí: única bola que ele não pegou AndersonF.M.Pinheiro/MafaldaPress/GazetaPress APOIO FIEL Com Fagner observando, o meia Jadson persegue o atacante André Lima, autor do gol do Avaí. Ao fundo, a torcida do Timão mostra que estava presente Luciano pode ter sido o nomedavitóriacorintiana sobre o Avaí, marcando os dois gols da virada do campeão do primeiro turno na Ressacada, emSantaCatarina.Mas,senão fossem as defesas do goleiro Cássio,oresultadofinalpoderia serdiferentedo2a1. O camisa 12 bloqueou três tentativas dos catarinenses de empatar a partida nos últimos lances. As intervenções foram providenciais.Eelefestejoupor garantiravitóriaealiderança. “A cada jogo, temos de ir bem. Quando eu não joguei, o Walter foi bem. Temos de ter humildadeparabuscarosnos- sos objetivos no campeonato e fazer um algo a mais em cada umdosjogos.Fizdefesasboas, o Luciano fez os gols e todo mundocorreu”,comemorouo arqueiro,nasaídadocampo. Cássio se lembra bem de co- mo foi o lance em que salvou a equipedoqueseriaumempate amargoforadecasa.Ochutedo zagueiroJéciteriacomodestino o fundo da rede, não fosse pela incrívelaçãodogoleiro. “Eu consegui perceber que ela(abola)foisaindodemime consegui defender no último momento,darumtapa eevitar ogol.Useiaminhaenvergadura eaminhaalturaparasaltarefa- zerumagrandedefesa”,contou ogoleirocorintiano. E a tarde foi de bastante tra- balho para Cássio. Ele teve de intervir outras duas vezes no primeirotempo,quandootime jáperdiapor1a0,depoisdogol marcadoporAndréLima. Na etapa final, a intensidade continuou. Viu o volante Tinga carimbaratrave.Depois,preci- souirnoaltoepararocabeceio feito pelo zagueiro Antonio Carlos. Na sequência do lance, Cássio não deixou a redonda nemotriunfoescaparem. MÉRITO AO TIME/ O goleiro fi- cousatisfeitocomaatuaçãono jogo, mas comemorou, mes- mo,a12a - vitórianonacional. “Depois, vou ver com calma (a defesa), mas consegui con- tribuir para o time não tomar um gol e sair vitorioso. Estou mais feliz pelo fato de a equipe ter conseguido a vitória e se mantidoemprimeiro.”,disse. Esportes Luciano pode ter sido o nome da vitória corintiana sobre o Avaí, marcando os dois gols da virada do cam- peão do primeiro turno na Ressacada, em Santa Cata- rina. Mas, se não fossem as defesas do goleiro Cássio, o resultado final poderia ser diferente do 2 a 1. O camisa 12 bloqueou três tentativas dos catari- nenses de empatar a par- tida nos últimos lances. As intervenções foram provi- denciais. E ele festejou por garantir a vitória e a lide- rança. “A cada jogo, temos de ir bem. Quando eu não jo- guei, o Walter foi bem. Te- mos de ter humildade pa- ra buscar os nossos objeti- vos no campeonato e fazer um algo a mais em cada um dos jogos. Fiz defesas boas, o Luciano fez os gols e to- Liderança nas mãos do mundo correu”, come- morou o arqueiro, na saí- da do campo. Cássio se lembra bem de como foi o lance em que salvou a equipe do que seria um empate amargo fora de casa. O chute do zagueiro Jéci te- ria como destino o fundo da rede, não fosse pela in- crível ação do goleiro. “Eu consegui perceber que ela (a bola) foi saindo de mim e consegui defen- der no último momento, dar um tapa e evitar o gol. Usei a minha envergadura e a minha altura para sal- tar e fazer uma grande de- fesa”, contou o goleiro co- rintiano. E a tarde foi de bas- tante trabalho para Cás- sio. Ele teve de intervir ou- tras duas vezes no primei- ro tempo, quando o time já perdia por 1 a 0, depois do gol marcado por André Lima. Na etapa final, a inten- sidade continuou. Viu o vo- lante Tinga carimbar a tra- ve. Depois, precisou ir no alto e parar o cabeceio fei- to pelo zagueiro Antonio Carlos. Na sequência do lance, Cássio não deixou a redonda nem o triunfo es- caparem. Mérito ao time O goleiro ficou satisfei- to com a atuação no jogo, mas comemorou, mesmo, a 12 vitória no nacional. “De- pois, vou ver com calma (a defesa), mas consegui con- tribuir para o time não to- mar um gol e sair vitorioso. Estou mais feliz pelo fato de a equipe ter conseguido a vitória e se mantido em primeiro.”, disse. Cássio comemora três defesas no fim do jogo, que garantiram a 12 vitória do Corinthians no Brasileirão. Goleiro pede humildade em busca da taça DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 201514 esportes BRASILEIRÃO / AVAÍ X CORINTHIANS Liderança nas mãosCássio comemora três defesas no fim do jogo, que garantiram a 12a- vitória do Corinthians no Brasileirão. Goleiro pede humildade em busca da taça JamiraFurlani/Avaí Eliascelebraforçadogrupo mesmocomsaídade‘líderes’ o grupo, não há titulo, não há nada”, declarou o camisa 7, após a vitória na Ressacada, por 2 a 1. O corintiano se referia às saí- das dos atacantes Guerrero e Emerson Sheik, hoje no Flamen- go, do lateral-esquerdo Fábio Santos, que está no México, e do volante Petros, que se transferiu para o Betis, da Espanha. A crise financeira do clube foi apontada como motivo para as baixas. n O volante Elias credita à união do elenco o motivo para o Corin- thians ter alcançado a liderança do Brasileirão e ter se consagra- do campeão do primeiro turno, mesmo após perder jogadores importantes no esquema. “A força do grupo (é a explica- çõ). Perdemos grandes jogado- res, nossos líderes, e, ainda assim, conseguimos repor em campo. É a força do grupo. Sem O goleiro Cássio (de costas) no gol do Avaí: única bola que ele não pegou AndersonF.M.Pinheiro/MafaldaPress/GazetaPress APOIO FIEL Com Fagner observando, o meia Jadson persegue o atacante André Lima, autor do gol do Avaí. Ao fundo, a torcida do Timão mostra que estava presente Luciano pode ter sido o nomedavitóriacorintiana sobre o Avaí, marcando os dois gols da virada do campeão do primeiro turno na Ressacada, emSantaCatarina.Mas,senão fossem as defesas do goleiro Cássio,oresultadofinalpoderia serdiferentedo2a1. O camisa 12 bloqueou três tentativas dos catarinenses de empatar a partida nos últimos lances. As intervenções foram providenciais.Eelefestejoupor garantiravitóriaealiderança. “A cada jogo, temos de ir bem. Quando eu não joguei, o Walter foi bem. Temos de ter humildadeparabuscarosnos- sos objetivos no campeonato e fazer um algo a mais em cada umdosjogos.Fizdefesasboas, o Luciano fez os gols e todo mundocorreu”,comemorouo arqueiro,nasaídadocampo. Cássio se lembra bem de co- mo foi o lance em que salvou a equipedoqueseriaumempate amargoforadecasa.Ochutedo zagueiroJéciteriacomodestino o fundo da rede, não fosse pela incrívelaçãodogoleiro. “Eu consegui perceber que ela(abola)foisaindodemime consegui defender no último momento,darumtapa eevitar ogol.Useiaminhaenvergadura eaminhaalturaparasaltarefa- zerumagrandedefesa”,contou ogoleirocorintiano. E a tarde foi de bastante tra- balho para Cássio. Ele teve de intervir outras duas vezes no primeirotempo,quandootime jáperdiapor1a0,depoisdogol marcadoporAndréLima. Na etapa final, a intensidade continuou. Viu o volante Tinga carimbaratrave.Depois,preci- souirnoaltoepararocabeceio feito pelo zagueiro Antonio Carlos. Na sequência do lance, Cássio não deixou a redonda nemotriunfoescaparem. MÉRITO AO TIME/ O goleiro fi- cousatisfeitocomaatuaçãono jogo, mas comemorou, mes- mo,a12a - vitórianonacional. “Depois, vou ver com calma (a defesa), mas consegui con- tribuir para o time não tomar um gol e sair vitorioso. Estou mais feliz pelo fato de a equipe ter conseguido a vitória e se mantidoemprimeiro.”,disse.
  18. 18. 18JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Esportes DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 201516 esportes BRASILEIRÃO / PALMEIRAS X FLAMENGO Macarronada garantidaPalmeiras ganha a primeira partida às 11h no Campeonato Brasileiro e faz a festa da torcida no Allianz Parque, contra o Flamengo. O jogo, repleto de emoções, teve uma virada para cada lado e seis gols marcados Lucas Bettine lucas.bettine@diariosp.com.br A torcida do Palmeiras quase teveumaindigestão,mascon- seguiu comer a macarronada dedomingobemtranquila,de- poisdemaisumapartidaàs11h. Ontem, em um jogo com uma viradaparacadalado,oVerdão venceuoFlamengo,noAllianz Parque,por4a2. O árbitro Igor Benevenuto deve tercomidoatalmacarro- nadaantesmesmodeabolaro- lar e ficou com a visão afetada. Logo aos três minutos, Andrei Girotto derrubou Pará na área, maselemandouojogoseguir. Semternadaavercomisso,o famintoPalmeirasaproveitoua ajuda. Poucos minutos depois, Jackson subiu de cabeça, após escanteio,paraabriroplacar. Comoquemacorda,olhapa- ra o despertador e volta a dor- mir, o Palmeiras apertou o bo- tão “soneca” e apagou. Só o Flamengoquisjogar. Prass teve de fazer milagre em cabeçada de Guerrero e o peruano,apósfalhahorrívelde Jackson, quase foi derrubado pelogoleiro.Senãotivesseexa- geradonaqueda,talvezoárbi- trotivessemarcadoopênalti. LOUCURA TOTAL/ O segundo tempo da partida foi um dos mais malucos do Campeonato Brasileiro. Parecia aquele al- moçocomassobrasdetodosos pratosfeitosduranteasemana. EdersonentrounoFlae,com duas falhas da defesa palmei- rense,virouapartidaem11mi- nutos. Isso sem contar bola de Sheik no travessão e o cheiri- nhodegoleadarubro-negra. Foiaí,passandodomeio-dia, que o Verdão acordou. Cleiton Xavier,umminutoapósentrar, tocou de cabeça. A bola bateu emSamireentrou. Um jogador puxou o outro. Alecsandro,queestavaparaser substituído por Cristaldo, fez o pivô para Dudu virar. Logo de- pois, foi a vez de o atacante se embolarcomazagaeabolaso- brar para o centroavante mar- caroprimeiropeloVerdão. Depois de duas derrotas em jogosàs11h,peloBrasileirão,fi- nalmente, o Palmeiras venceu no horário e garantiu a macar- ronadaparaostorcedores. Palmeiras 4-3-3 Fernando Prass; Lucas n (Lucas Taylor n), Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto; Arouca, Andrei Girotto e Robinho (Cleiton Xavier); Dudu, Alecsandro (Kelvin) e Rafael Marques T: Marcelo Oliveira Flamengo 4-4-2 César; Pará, César Martins, Samir (Marcelo) e Jorge n; Márcio Araújo, Jonas n (Ederson), Éverton e Alan Patrick; Emerson e Guerrero T: Cristóvão Borges BRASILEIRÃO > 1o - TURNO — 19a - RODADA Onde: Allianz Parque, em São Paulo Juiz: Igor Junio Benevenuto (MG) Gols:Jacksonaos5do1o - tempo;Edersonaos 5 e aos 11, Samir (contra) aos 12, Dudu aos 20 e Alecsandro aos 25 do 2o - Renda e público: R$ 2.908.585 / 37.739 4-2 GuerreroreclamadepênaltiePrasssedefende n Os flamenguistas deixaram o campo irritados com a arbitra- gem. Além de um pênalti não marcado em Pará, o time carioca reclamou bastante de um lance polêmico envolvendo Fernando Prass e Guerrero. O peruano, aliás, foi o mais insatisfeito. “Espero que o Flamengo faça alguma reclamação contra a CBF ou a comissão de árbitros. Não estão marcando nada em mim. Ele (árbitro) disse que, para ele, não foi pênalti”, chiou o camisa 9 do Flamengo. No lance, Guerrero aproveitou um vacilo de Jackson e se livrou de Prass, que deu um carrinho, mas não o acertou. Ainda assim, logo depois, o peruano se jogou. “Na imagem congelada, parece (pênalti), mas não tem o mínimo de contato. Não chego nem a raspar no Guerrero. Coloquei a perna no meio das pernas dele, ele deu um tapa e resolveu cair. Não teve contato físico”, disse o goleiro alviverde. Um dos destaques do Palmei- ras no ano, Prass se defendeu nesse lance, mas não poupou críticas à equipe em relação aos gols sofridos contra o Flamengo. Principalmente o segundo. “O primeiro ainda foi uma joga- da trabalhada, mas o segundo, não. É um lance de bola aérea que nós treinamos muito. Temos um time alto e isso complicou o jogo. Acabamos conseguindo virar, mas complicou”, reclamou. “Era um lance de marcação indi- vidual. Esse tipo de erro não po- de acontecer”, completou o téc- nico alviverde, Marcelo Oliveira. AleFrata/Codigo19/Ag.OGlobo EU TÔ AQUI! Alecsandro comemora com Dudu depois de marcar o quarto gol do Palmeiras na vitória da manhã de ontem sobre o Flamengo, em casa. Ele foi decisivo na partida RUMOCERTO “A vitória foi fundamental para reencontrarmos o caminho. Apesar das derrotas, sempre tivemos um caminho definido” _ Zé Roberto Lateral do Palmeiras DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 2015 Op Lucas Vitória não n O Palmeiras venceu não pode esconder o machucou, Marcelo O marcador. Nos testes achou e ficou bagunça desarrumado, a defes bola. O Flamengo virou errosnãosãomotivos Oliveira sabe — e até brigar no G4. O bom é 6,5 FERNANDO Fez um milag cabeçada de não teve cul 6,0 LUCAS Sentiu o calo pouco. Luca mostrou mu de atrás, ma do gol de em 6,0 JACKSON Fez o gol, ma muito. Perde Guerrero e fo driblado no p 6,5 VITOR HUGO Não fez gol, mais consist marcação e o empate do 7,5 ZÉ ROBERTO Correu como participou o e, mesmo pr atrás, não co 6,0 AROUCA Foi sobrecar marcação e guiu evitar o bola do Flam ATUAÇÕES|PALM FLAMENGO O setor ofensivo do F trabalho, Sheik correu Ederson fez os gols. O tiveram atuações sof Guerrero pede pênalti Lucas Bettine lucas.bettine@diariosp.com.br A torcida do Palmeiras quase teve uma indigestão, mas conseguiu comer a ma- carronada de domingo bem tranquila, depois de mais uma partida às 11h. Ontem, em um jogo com uma virada para cada lado, o Verdão venceu o Flamen- go, no Allianz Parque, por 4 a 2. O árbitro Igor Beneve- nuto deve ter comido a tal macarronada antes mesmo de a bola rolar e ficou com a visão afetada. Logo aos três minutos, Andrei Girot- to derrubou Pará na área, mas ele mandou o jogo se- guir. Sem ter nada a ver com isso, o faminto Palmeiras aproveitou a ajuda. Poucos minutos depois, Jackson su- biu de cabeça, após escan- teio, para abrir o placar. Como quem acorda, olha para o despertador e volta a dormir, o Palmeiras apertou o botão “soneca” e apagou. Só o Flamengo quis jogar. Prass teve de fazer mila- gre em cabeçada de Guer- rero e o peruano, após fa- lha horrível de Jackson, quase foi derrubado pelo goleiro. Se não tivesse exa- Macarronada garantidaPalmeiras ganha a primeira partida às 11h no Campeonato Brasileiro e faz a festa da torcida no Allianz Parque, contra o Flamengo. O jogo, repleto de emoções, teve uma virada para cada lado e seis gols marcados gerado na queda, talvez o árbitro tivesse marcado o pênalti. Loucura total O segundo tempo da partida foi um dos mais malucos do Campeona- to Brasileiro. Parecia aque- le almoço com as sobras de todos os pratos feitos du- rante a semana. Ederson entrou no Fla e, com duas falhas da defesa palmeirense, virou a parti- da em 11 minutos. Isso sem contar bola de Sheik no tra- vessão e o cheirinho de go- leada rubro-negra. Foi aí, passando do meio-dia, que o Verdão acordou. Cleiton Xavier, um minuto após entrar, to- cou de cabeça. A bola ba- teu em Samir e entrou. Um jogador puxou o ou- tro. Alecsandro, que esta- va para ser substituído por Cristaldo, fez o pivô para Dudu virar. Logo depois, foi a vez de o atacante se embolar com a zaga e a bola sobrar para o centro- avante marcar o primeiro pelo Verdão. Depois de duas derrotas em jogos às 11h, pelo Bra- sileirão, finalmente, o Pal- meiras venceu no horário e garantiu a macarronada para os torcedores. DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 2015 17 Opinião Lucas Bettine, repórter do DIÁRIO Vitória não pode esconder os erros n O Palmeiras venceu e deixou a torcida feliz, mas o resultado positivo não pode esconder os vários erros da equipe. Depois que Gabriel se machucou, Marcelo Oliveira não conseguiu achar um primeiro volante marcador. Nos testes para encontrar o substituto ideal, o time não se achou e ficou bagunçado. Virou uma bola de neve. Com o meio de campo desarrumado, a defesa ficou exposta e o ataque não recebeu uma boa bola. O Flamengo virou o jogo e poderia até estar vencendo por mais. Os errosnãosãomotivosparadesespero,afinal,otimeganhou,masMarcelo Oliveira sabe — e até falou sobre isso — que tem muito a corrigir para brigar no G4. O bom é que, neste ano, o Verdão tem elenco para isso. FernandoDonasci/Ag.OGlobo Guerrero pede pênalti e Fernando Prass reclama da atitude do peruano DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 2015 17 Opinião Lucas Bettine, repórter do DIÁRIO Vitória não pode esconder os erros n O Palmeiras venceu e deixou a torcida feliz, mas o resultado positivo não pode esconder os vários erros da equipe. Depois que Gabriel se machucou, Marcelo Oliveira não conseguiu achar um primeiro volante marcador. Nos testes para encontrar o substituto ideal, o time não se achou e ficou bagunçado. Virou uma bola de neve. Com o meio de campo desarrumado, a defesa ficou exposta e o ataque não recebeu uma boa bola. O Flamengo virou o jogo e poderia até estar vencendo por mais. Os errosnãosãomotivosparadesespero,afinal,otimeganhou,masMarcelo Oliveira sabe — e até falou sobre isso — que tem muito a corrigir para brigar no G4. O bom é que, neste ano, o Verdão tem elenco para isso. ATUAÇÕES|PALMEIRAS FernandoDonasci/Ag.OGlobo Guerrero pede pênalti e Fernando Prass reclama da atitude do peruano DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 201516 esportes BRASILEIRÃO / PALMEIRAS X FLAMENGO Macarronada garantidaPalmeiras ganha a primeira partida às 11h no Campeonato Brasileiro e faz a festa da torcida no Allianz Parque, contra o Flamengo. O jogo, repleto de emoções, teve uma virada para cada lado e seis gols marcados Lucas Bettine lucas.bettine@diariosp.com.br A torcida do Palmeiras quase teveumaindigestão,mascon- seguiu comer a macarronada dedomingobemtranquila,de- poisdemaisumapartidaàs11h. Ontem, em um jogo com uma viradaparacadalado,oVerdão venceuoFlamengo,noAllianz Parque,por4a2. O árbitro Igor Benevenuto deve ter comido a talmacarro- nadaantesmesmodeabolaro- lar e ficou com a visão afetada. Logo aos três minutos, Andrei Girotto derrubou Pará na área, maselemandouojogoseguir. Semternadaavercomisso,o famintoPalmeirasaproveitoua ajuda. Poucos minutos depois, Jackson subiu de cabeça, após escanteio,paraabriroplacar. Comoquemacorda,olhapa- ra o despertador e volta a dor- mir, o Palmeiras apertou o bo- tão “soneca” e apagou. Só o Flamengoquisjogar. Prass teve de fazer milagre em cabeçada de Guerrero e o peruano,apósfalhahorrívelde Jackson, quase foi derrubado pelogoleiro.Senãotivesseexa- geradona queda,talvezoárbi- trotivessemarcadoopênalti. LOUCURA TOTAL/ O segundo tempo da partida foi um dos mais malucos do Campeonato Brasileiro. Parecia aquele al- moçocomassobrasdetodosos pratosfeitosduranteasemana. EdersonentrounoFlae,com duas falhas da defesa palmei- rense,virouapartidaem11mi- nutos. Isso sem contar bola de Sheik no travessão e o cheiri- nhodegoleadarubro-negra. Foiaí,passandodomeio-dia, que o Verdão acordou. Cleiton Xavier,umminutoapósentrar, tocou de cabeça. A bola bateu emSamireentrou. Um jogador puxou o outro. Alecsandro,queestavaparaser substituído por Cristaldo, fez o pivô para Dudu virar. Logo de- pois, foi a vez de o atacante se embolarcomazagaeabolaso- brar para o centroavante mar- caroprimeiropeloVerdão. Depois de duas derrotas em jogosàs11h,peloBrasileirão,fi- nalmente, o Palmeiras venceu no horário e garantiu a macar- ronadaparaostorcedores. Palmeiras 4-3-3 Fernando Prass; Lucas n (Lucas Taylor n), Jackson, Vitor Hugo e Zé Roberto; Arouca, Andrei Girotto e Robinho (Cleiton Xavier); Dudu, Alecsandro (Kelvin) e Rafael Marques T: Marcelo Oliveira Flamengo 4-4-2 César; Pará, César Martins, Samir (Marcelo) e Jorge n; Márcio Araújo, Jonas n (Ederson), Éverton e Alan Patrick; Emerson e Guerrero T: Cristóvão Borges BRASILEIRÃO > 1o - TURNO — 19a - RODADA Onde: Allianz Parque, em São Paulo Juiz: Igor Junio Benevenuto (MG) Gols:Jacksonaos5do1o - tempo;Edersonaos 5 e aos 11, Samir (contra) aos 12, Dudu aos 20 e Alecsandro aos 25 do 2o - Renda e público: R$ 2.908.585 / 37.739 4-2 EU TÔ AQUI! Alecsandro comemora com Dudu depois de marcar o quarto gol do Palmeiras na vitória da manhã de ontem sobre o Flamengo, em casa. Ele foi decisivo na partida RUMOCERTO “A vitória foi fundamental para reencontrarmos o caminho. Apesar das derrotas, sempre tivemos um caminho definido” _ Zé Roberto Lateral do Palmeiras 17 Opinião Lucas Bettine, repórter do DIÁRIO Vitória não pode esconder os erros n O Palmeiras venceu e deixou a torcida feliz, mas o resultado positivo não pode esconder os vários erros da equipe. Depois que Gabriel se machucou, Marcelo Oliveira não conseguiu achar um primeiro volante marcador. Nos testes para encontrar o substituto ideal, o time não se achou e ficou bagunçado. Virou uma bola de neve. Com o meio de campo desarrumado, a defesa ficou exposta e o ataque não recebeu uma boa bola. O Flamengo virou o jogo e poderia até estar vencendo por mais. Os errosnãosãomotivosparadesespero,afinal,otimeganhou,masMarcelo Oliveira sabe — e até falou sobre isso — que tem muito a corrigir para brigar no G4. O bom é que, neste ano, o Verdão tem elenco para isso. 6,5 FERNANDO PRASS Fez um milagre em cabeçada de Guerrero e não teve culpa nos gols. 6,0 LUCAS Sentiu o calor e fez pouco. Lucas Taylor mostrou muita dificulda- de atrás, mas participou do gol de empate. 6,0 6,0 JACKSON Fez o gol, mas falhou muito. Perdeu todas de Guerrero e foi facilmente driblado no primeiro gol. 6,5 VITOR HUGO Não fez gol, mas foi mais consistente na marcação e quase evitou o empate do Flamengo. 7,5 ZÉ ROBERTO Correu como um garoto, participou o jogo todo e, mesmo pressionado atrás, não comprometeu. 6,0 AROUCA Foi sobrecarregado na marcação e não conse- guiu evitar o toque de bola do Flamengo. ATUAÇÕES|PALMEIRAS FLAMENGO O setor ofensivo do Fla mostrou que tem talento. Guerrero deu muito 5,0 ANDREI GIROTTO Vacilou no segundo gol e fez um pênalti, não marcado, em Pará. 5,0 ROBINHO Não acertou nada e saiu vaiado. Cleiton Xavier mudou o jogo. Deu qualidade ao ataque e garantiu o empate. 7,5 8,0 DUDU Foi o mais decisivo, junto com Alecsandro. Fez o terceiro gol e este- ve presente no quarto. 8,0 ALECSANDRO Estava apagado e iria sair, mas decidiu o jogo com assistência e gol. Kelvin só fez graça. 6,0 6,5 RAFAEL MARQUES Não foi bem tecnica- mente, mas não desistiu um minuto. Correu, marcou e participou. 6,5 MARCELO OLIVEIRA Foi bem ao pôr Cleiton Xavier, mas o time ainda mostrou defeitos demais na parte defensiva. FernandoDonasci/Ag.OGlobo Guerrero pede pênalti e Fernando Prass reclama da atitude do peruano FLAMENGO O setor ofensivo do Fla mostrou que tem talento. Guerreiro deu muito tra- balho, Sheik correu o jo- go todo, Alan Patrick deu bons passes e Ederson fez gols. O problema do Fla foi a defesa.
  19. 19. 19 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015 Divirta-se DIÁRIO DE S. PAULO - SEGUNDA-FEIRA / 17 DE AGOSTO DE 201528 horóscopopor João Bidu ÁRIES (21/3 a 20/4) Aproveite o início da semana para fazer algumas mudanças no trabalho. Bom dia para trocar de emprego ou tentar uma nova atividade. Se juntar forças com um colega, vai se sair bem. TOURO (21/4 a 20/5) Esbanjando simpatia, não terá dificulda- de para cumprir seu trabalho. A criativi- dade e a sorte também estão em alta, ainda mais se precisa juntar forças com colegas. Não deixe nada para depois. GÊMEOS (21/5 a 20/6) Sua atenção está concentrada nos as- suntos de casa. Pode ter boa notícia sobre a saúde de um parente. Ativida- des ou serviços ligados ao lar têm tudo para trazer ótimo resultado. CÂNCER (21/6 a 21/7) Não será difícil trocar informações, fazer contatos ou mostrar sua ideias, que es- tão mais criativas do que o normal. Aproveite para resolver assuntos fora do seu local de trabalho. LEÃO (22/7 a 22/8) Não desperdice nenhuma chance de fazer bons negócios e ganhar um di- nheiro a mais. Pode ser mais fácil pou- par. Se anda pensando em comprar al- go para a sua casa, vá em frente! VIRGEM (23/8 a 22/9) Você vai esbanjar segurança na hora de batalhar pelos seus interesses. Com jo- go de cintura e um raciocínio rápido, se- rá mais fácil atingir seus alvos. Aproveite para ressaltar seus pontos fortes. LIBRA (23/9 a 22/10) Comece a semana cuidando de assun- tos que exigem discrição. Você terá fa- cilidade para agir nos bastidores, espe- cialmente ao lidar com dinheiro. Tomar a iniciativa faz diferença na conquista. ESCORPIÃO (23/10 a 21/11) Sair da mesmice pode trazer resultados mais positivos do que imagina. Bom momento para contar com o apoio dos amigos, ainda mais nos seus assuntos pessoais. Dê um voto de confiança. SAGITÁRIO (22/11 a 21/12) Concentre a atenção na carreira e lute com unhas e dentes para chegar onde deseja. Usar contatos nos bastidores aumenta suas chances de sucesso, por isso, não espalhe seus planos por aí. CAPRICÓRNIO (22/12 a 20/1) Bom dia para entrar em contato com pessoas e amigos que estão distantes e até investir em um curso. Se estuda, vai conquistar notas melhores se juntar forças com os colegas. AQUÁRIO (21/1 a 19/2) Terá disposição de sobra para quebrar velhos padrões e tentar coisas novas. Se anda pensando em tentar uma nova direção na carreira ou mudar radical- mente o visual, essa é a hora. PEIXES (20/2 a 20/3) Sociedade tem boas chances de dar certo. Trabalho em equipe pode trazer notas melhores, se ainda estuda. Valo- rize pessoas próximas e mostre grati- dão. Seu lado sexy e atrevido fica forte. Cruzadas passatempo Soluções Sete erros Sudoku O conteúdo de Passatempo é fornecido pela www.coquetel.com.br Preencha os espaços vazios com algarismos de 1 a 9. Os algarismos não podem se repetir nas linhas verticais e horizontais, nem nos quadrados menores (3.3).
  20. 20. 20 JORNAL BOM DIA ACONTECE - 17 DE AGOSTO DE 2015

×