Brigida rocha brito ppt final

844 visualizações

Publicada em

Conferencia de Luanda sobre a Paz e Seguranca no Golfo da Guine, 27-29 de Novembro de 2012
"Ecossistemas e Segurança no Golfo da Guiné: Riscos ou Desafios Ambientais?", Brígida Rocha Brito

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
844
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brigida rocha brito ppt final

  1. 1. Ministério das Relações Exteriores da República de Angola - Comissão do Golfo da GuinéCONFERÊNCIA DE LUANDA SOBRE A PAZ E A SEGURANÇA NA REGIÃO DO GOLFO DA GUINÉ27-29 de Novembro de 2012Painel: O ecossistema da região do Golfo da Guiné como parte do seu ambiente de segurança ECOSSISTEMAS E SEGURANÇA NO GOLFO DA GUINÉ: R ISCOS OU D ESAFIOS A MBIENTAIS? Brígida Rocha Brito brigidarochabrito@gmail.com
  2. 2. BenimCosta do Nigéria Marfim Gana Togo Camarões 1. FACTORES DE ENQUADRAMENTO: GOLFO DA GUINÉ Guiné Equatorial STP Gabão
  3. 3. Zonas Climáticas Zona Mediterrânica Zona Saheliana Zona Tropical com estações secas Zona Tropical Húmida Zona Equatorial Zona Desértica Áreas de Elevação Fonte: UNEP
  4. 4. Potencial Agrícola Baixo Médio Alto Primordial Insustentável Fonte: UNEP
  5. 5. GRANDES BACIAS HIDROGRÁFICAS MUNDIAIS
  6. 6. Importância dasbacias hidrográficas no Golfo da Guiné
  7. 7. Recursos hídricos renováveis (2003-7) Total de recursos hídricos renováveis per capita (2003- 2007) em m³ 0 – 475 476 – 1150 1151 – 1960 1961 – 3060 3061 – 7920 7921 – 18150 18151 – 37810 37811 – 71625 71626 – 125575 125576 - 250480 Fonte: UNEP
  8. 8. Principais Áreas Florestais Fonte: UNEP
  9. 9. Vulnerabilidadeà desertificação Vulnerabilidade Baixa Moderada Elevada Muito Elevada Fonte: FAO
  10. 10. DensidadePopulacional (2005)
  11. 11. POTENCIALIDADES...ECOSSISTEMAS BACIAS ECOSSISTEMAS DIVERSIDADE DE RECURSOS FLORESTAIS HIDROGRÁFICAS COSTEIROS E VIDA BIOLÓGICA NATURAIS COM MARINHOS “VALOR ECONÓMICO INTERNACIONAL” Riqueza e Reconhecimento do diversidade Classificação de valor internacional: paisagística e Áreas Protegidas Reservas da ambiental Biosfera
  12. 12. VULNERABILIDADES... RISCOS GLOBAIS AMEAÇAS LOCAIS Exploração doméstica ou localExploração intensiva de recursos de recursos naturais, não naturais planeadaUso de recursos hídricos comuns Capturas furtivas e/ou acidentaisProcessos globais geradores de Poluição / degradação … impactos …
  13. 13. 2. RISCOS GLOBAIS
  14. 14. EXTRACÇÃO DE RECURSOS NATURAIS DE “MERCADO INTERNACIONAL ALARGADO”• Petróleo• Gás naturalTRANSPORTE INTERNACIONALEXTRACÇÃO SELECTIVA DE MATÉRIAS PRIMAS MINERAIS• Ouro• Diamantes• Ferro, Bauxite, Estanho…DESFLORESTAÇÃO INTENSIVA• Madeira para o comércio internacional• Agricultura intensiva e de larga escala com introdução de culturas de substituição, de rápido crescimento e de elevada rentabilidade a nível internacionalCRIAÇÃO E ALARGAMENTO DE INFRA-ESTRUTURAS• Construção de estradas, ferrovias, portos, aeroportos…• Alargamento do parque habitacional urbano
  15. 15. Países produtores de petróleoPaíses NÃO produtores depetróleoReservas de petróleo comprovadas,2005Reservas de gás naturalcomprovadas, 2005, em equivalentea petróleoEm mil milhões de barris Fonte: OECD
  16. 16. Contaminação Costeira e Marinha A. Derrames: - acidentes em transporte - operações de rotina (carga, descarga, abastecimento) na proximidade de portos e terminais B. Transporte por via marítima de longo curso (intenso tráfego de petroleiros) 1. Poluição / Contaminação de ecossistemas costeiros e marinhos 2. Aumento das vulnerabilidades sócio- ambientais (estado do ambiente + saúde pública) Fonte: Conservation International
  17. 17. Fonte: NASA
  18. 18. Libertação de gases (Gás Natural) Fonte: World Bank
  19. 19. 3. OS IMPACTOS DAS ACÇÕES LOCAIS DE BASE COMUNITÁRIA
  20. 20. Relação Sócio-Ambiental FORTE DEPENDÊNCIA DA NATUREZA Valorização de identidadesPRÁTICAS SOCIAIS Transmissão de EXPLORAÇÃO NÃO AMEAÇAS COSTUME conhecimentos ancestrais PLANEADA AMBIENTAIS ORALIDADE Uso tradicional de recursos naturais VALOR UTILITÁRIO
  21. 21. Desflorestação Produção agrícola Perda de habitats Produção de Degradação de Urbanização resíduos ecossistemas (SOBRE) CARGA AMBIENTAL Captura de Comercialização Consumo espécies Extração derecursos naturais Transformação
  22. 22. 4. AMEAÇAS AMBIENTAIS: ECOSSISTEMAS E BIODIVERSIDADE
  23. 23. Reservas da Biosfera - UNESCO Fonte: UNESCO
  24. 24. Taxa deDesflorestação (2000-5) % de decréscimo da cobertura florestal por ano (2000-2005) > 1,5 1 - 1,5 0,5 - 1 0 – 0,5 < 0,1 Sem significado Fonte: UNEP
  25. 25. HOT SPOTS DE BIODIVERSIDADE Fonte: Conservation International
  26. 26. Localização dos 18 CENTROS MARINHOS DE ENDEMISMO Fonte: Conservation International
  27. 27. PRINCIPAIS ROTAS DE AVES MIGRATÓRIAS Fonte: UNEP
  28. 28. Principais zonas de MANGAL Principais pontos de referências de RECIFES DE CORAL Fonte: Conservation International
  29. 29. 5. DESEQUILÍBRIOS OU DESAFIOS SÓCIO-AMBIENTAIS…?
  30. 30. Recursos Hídricos - Rios - Bacias HidrográficasProdução e circulação de Poluentes Áreas Protegidas Contextos TRANSFRONTEIRIÇOS Grandes Migrações “Corredores” de sazonais espécies
  31. 31. Carácter Partilha de DESAFIO: transfronteiriço do espaços e Ambiente contextos gestão partilhadaDegradação Pobreza Insegurança Ambiental•DEPLEÇÃO DE •LIMITE NA AQUISIÇÃO •VIOLÊNCIARECURSOS DE RENDIMENTO •CRIMINALIDADE•PERDA DE •INSEGURANÇA •NARCOTRÁFICOBIODIVERSIDADE ALIMENTAR •PIRATARIA
  32. 32. “Conquista” de posições económicas estratégicas (valor acrescentado) GEOECONOMIA Desafios… SÓCIO- GEOPOLÍTICA AMBIENTALISMO Factores de instabilidade Conservacionismo Segurança territorialManutenção de ecossistemas Influência e Gestão de Habitats prestígio regionalEnquadramento comunitário ou internacional
  33. 33. Sistematizando… Riscos Globais Transporte Derrames Emissões Desflorestação Poluição Mineração internacional Ameaças Locais Sobre- Agro-pecuáriaAcção Corte- Degradação Sobre-pesca Caça furtiva utilização de Queima do solo intensiva recursos Implicações de Contexto Degradação de Perda de Erosão Alterações Climáticas Ecossistemas Biodiversidade
  34. 34. Vulnerabilidades “naturais” Carga comunitária Pressão “corporativa” Acréscimo de “riscos” para a construção e manutenção da PazSem PAZ e SEGURANÇA não há DESENVOLVIMENTO
  35. 35. IMPLICAÇÃO PROBLEMA PRIORIDADE SOCIAL ECONÓMICA AMBIENTALRenovação de recursos hídricosPerda ecossistemas florestaisDegradação do sistema produtivoErosão costeiraPerda de biodiversidadeRiscos para o endemismoEmissões de gases poluentesDerrames e acidentesResíduos sólidos
  36. 36. As ameaças à segurança e à Paz, bem como os riscos para o desenvolvimento que delas decorrem, requerem ABORDAGENS ESTRATÉGICAS CONJUNTAS COM ORIENTAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE Humana LONGO PRAZO … Social PERSISTÊNCIA CONTINUIDADE Ambiental CulturalCOMPLEMENTARIDADE REGULARIDADE Política Económica
  37. 37. DIAGNÓSTICOS ESTRATÉGIAS Potencialidades Enquadramento globalConstrangimentos Definição de objectivos comuns Oportunidades Entendimento “partilhado” , “transfronteiriço” Ameaças … Acções de cooperação “efectiva” Envolvimento de diferentes actores …
  38. 38. Comprometimento dos Envolvimento das Estados grandes “corporações” (poderes instituídos) (empresas) Sensibilização, Reconhecimento do informação e papel das formação junto das Organizações da populações locais Sociedade Civil (Educação Ambiental)
  39. 39. Ministério das Relações Exteriores da República de Angola - Comissão do Golfo da GuinéCONFERÊNCIA DE LUANDA SOBRE A PAZ E A SEGURANÇA NA REGIÃO DO GOLFO DA GUINÉ27-29 de Novembro de 2012Painel: O ecossistema da região do Golfo da Guiné como parte do seu ambiente de segurança OBRIGADA PELA VOSSA ATENÇÃO Brígida Rocha Brito brigidarochabrito@gmail.com

×