Desafios & Oportunidades para a Servicização da Indústria

385 visualizações

Publicada em

Apresentação que trata de estratégias e tendências globais nas Operações de Serviços.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
385
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desafios & Oportunidades para a Servicização da Indústria

  1. 1. Desafios & Oportunidades para a Servicização da Indústria Dr Breno Nunes b.nunes@aston.ac.uk Aston Business School, Aston University Birmingham, Reino Unido UFRGS, 24 de Abril de 2014 Porto Alegre, Brasil
  2. 2. •O novo contexto dos serviços na economia global • Tendências e Estratégias para competir no cenário atual: • A redefinição estratégica do mix produto-serviço • Globalização dos serviços • Gerenciamento de tecnologias • Novos Serviços para a Sustentabilidade • Considerações Finais AGENDA Dr Breno Nunes / Abril 2014 Copyright © 2014 - All rights Reserved
  3. 3. Serviços na economia global EUA (Fonte: FT) Brasil (Fonte: ECEN)
  4. 4. Serviços na economia global
  5. 5. Serviços na economia global
  6. 6. • Maior participação no PIB global • Maior participação no emprego • Complexidade dos novos produtos (Mix produto-serviço) • Menores barreiras para globalizar • Maior competição e uso intensivo de tecnologia • Novas demandas ambientais e sociais Contexto global dos serviços
  7. 7. • Tendências e Estratégias para competir no cenário atual: • A redefinição estratégica do mix produto-serviço • Globalização dos serviços • Gerenciamento de tecnologias • Novos Serviços para a Sustentabilidade Tendências Globais e Estratégias
  8. 8. Redefinição estratégica do produto Serviços “puros” Peça de teatro Ensino Limpeza Restaurante Corte & Costura Automóvel Rádio Sal e outros Commodities Produtos “puros” A escola tradicional ensina que SERVIÇOS são: • Intangíveis • Perecíveis • Simultâneos para produção e consumo • Heterogêneos
  9. 9. Redefinição estratégica do produto
  10. 10. Nokia versus Apple
  11. 11. Redefinição estratégica do produto Baines, T. S., & Lightfoot, H. (2013). Made to Serve: Understanding What It Takes for a Manufacturer to Compete Through Servitization and Product-Service Systems. Serviços focados no CLIENTE Serviços focados no Produto FOCADO EM COMPETÊNCIAS FOCADO NA CONDIÇÃO DO PRODUTO FOCADOS NO PRODUTO Serviços Básicos: Reposição do produto e Peças Serviços Intermediários: Manutenção preventiva, help-desk, Reparos, treinamento de operadores, etc Serviços Avançados: Parcerias, divisão de risco e receitas, leasing, etc
  12. 12. Redefinição estratégica do produto Serviços “puros” Produtos “puros”
  13. 13. Gerenciamento de tecnologias de operações
  14. 14. Empresas de Serviços no mercado Internacional (Patterson and Cicic, 1995) Serviços profissionais sem localidade fixa Recrutamento de executivos, pesquisa de mercado, transporte, finanças, seguro, TI, design Projetos de localização fixa Gestão de projetos, consultoria em engenharia, desenvolvimento de RH, Serviços legais Pacotes padronizados Desenvolvimento de software, instalação e teste de equipamentos, CD/DVDs, cursos de longa distância Serviços customizados Treinamento in-loco, consultoria de hardware, gestão de instalações, treinamento de software, etc Serviços Puros Serviços + Produto Low high GRAU DE CONTATO FACE-A-FACE COM O CLIENTE
  15. 15. • Mudanças radicais na relação com os clientes na provisão do serviço • Redução do custo de aumento da variedade e nível de qualidade do serviço / produto • Diminuição da importância da localização fixa para projetos Tecnologia e serviços
  16. 16. •Globalização dos serviços • Baixas tarifas de importação / exportação • Convergência no gosto do consumidor global • Baixos custos de operações (e transporte) devido às novas tecnologias em especial tecnologias da informação • O triunfo global do indivíduo digital Globalização dos serviços
  17. 17. Globalização dos serviços brasileiros In Mali cotton yields are soaring at an experimental farm run by Embrapa, a Brazilian research outfit. Odebrecht, a Brazilian construction firm, is building much of Angola's water supply and is one of the biggest contractors in Africa. (The Economist, 10 Novembro, 2012)
  18. 18. • Segurança energética, financeira, e alimentar • Acesso à água potável • Serviços enxutos para a base da pirâmide • Preservação do meio ambiente: • serviços de reciclagem, monitoramento florestal, etc Serviços para o desenvolvimento sustentável
  19. 19. Vantagem Competitiva verde para serviços
  20. 20. Serviços verdes
  21. 21. Serviços verdes via Servitization • Controle de desempenho no uso do produto • Remanufatura • Coleta de produto fim-de-uso
  22. 22. DESAFIOS: • Encontrar o equilíbrio “ótimo” dentro do pacote de valor produto-serviço • Expandir em locais de baixa infra-estrutura tecnológica • Migrar de uma filosofia/cultura de manufatura para produto-serviço OPORTUNIDADES: • Aumento das receitas por maior valor agregado • Melhor entendimento do uso do produto • Maior interação com o cliente durante a fase de uso • Possível aumento da performance ambiental, em especial para práticas no fim de uso do produto. Challenges & Opportunities for servitization
  23. 23. • A redefinição estratégica do mix produto-serviço • Gerenciamento de tecnologias •Globalização dos serviços • Novos Serviços para a Sustentabilidade Considerações finais
  24. 24. Obrigado Dr Breno Nunes b.nunes@aston.ac.uk brenotsnunes@gmail.com Aston Business School, Aston University Birmingham, United Kingdom Visite: www.aston-servitization.com

×