Império Bizantino e Árabe
- Territórios na África e Ásia
(predominantemente) e em partes da Europa.
- Governos essencialme...
Império Bizantino
• Século IV: Constantino fundou uma nova
capital para o império romano.
• Com a queda do império romano,...
Império Bizantino
• Assim como a porção ocidental, sofreram
ameaças bárbaras.
• Seus principais inimigos eram os eslavos d...
Império Bizantino
• Em busca por expandir seu território,
empreendeu diversas guerras (persas,
sarracenos, turcos otomanos...
Administração e economia
• O imperador detinha a autoridade máxima
(temporal e divina).
• Vasta burocracia que auxiliava n...
Administração e Economia
• A produção seguia a seguinte estrutura:
– O trabalhador/produtor → corporação → a
associação co...
Sociedade
• Pop. de Constantinopla em seu auge: 1 milhão de
pessoas.
• Sociedade mais "permissível": tanto latifundiários
...
Religião
• Influência de ideias orientais.
• Surgimento de movimentos heréticos.
• Monofistas: Crença que Cristo possuía u...
Imperador Justiniano I (482 – 565) governou
Constantinopla de 527 a 565
Justiniano I (527-565)
• Filho do Imperador Justino I, a quem sucedeu
em 527.
• Casado com Teodora, atriz circense de orig...
Justiniano I
• Duas tendências políticas: VERDES (comerciantes,
artesãos e altos funcionários que defendiam a
democracia p...
Justiniano I
• Governo Autocrático e Burocrático
• Redige o Corpus Juris Civilis (Corpo de direito
civil)
– Código: Consti...
Declínio de Bizâncio
• Recuperação do comércio pelo ocidente
• Crescimentos das cidades italianas
• Ameaça do Império Árab...
Império Árabe
• Fundado em 630 dura aproximadamente até
1300.
• Também conhecido como sarracenos.
• Arábia do século VI: á...
Império Árabe
• Cidade Sagrada: Meca.
– local da Caaba, onde se encontra a Pedra Negra.
– Os homens que cuidavam da Caaba,...
Caaba: local sagrado para os muçulmanos. Onde se encontra a
Pedra Negra (Hajar el Aswad).
Maomé
• Islamismo foi fundado por Abū al-Qāsim
Muḥammad ibn ʿAbd Allāh ibn ʿAbd al-Muṭṭalib
ibn Hāshim
– mais conhecido co...
Maomé
• Entrou em contato com judeus e cristãos que
viviam no norte da Arábia.
• Pregava contra os plutocratas de Meca e o...
Maomé
• Dominando a cidade, altera seu nome para
Medina (Medinat, cidade do Profeta).
• Se alia a tribos beduínas para com...
Práticas Muçulmanas
• Crença em torno de Alá e do profeta,
Mohammed.
• Prega a bondade entre as pessoas.
• Seus praticante...
Práticas Muçulmanas
• Assimilação e proximidade com o judaísmo e
cristianismo: livro sagrado, monoteísmo,
presença de prof...
Seitas islâmicas
• Sunitas: acreditavam que o sucessor de Maomé e
chefe do estado islâmico deveria ser eleito por
represen...
Aspectos políticos
• História política dos sarracenos se confunde
com o desenvolvimento da religião.
• Os seguidores de Mo...
Aspectos políticos
• Os xiitas depõem a dinastia Omíada e elegem Ali,
marido da filha de Mohammed, Fátima (os Fatímidas).
...
Aspectos políticos
• Sua dominação não era por base da imposição
religiosa.
• Sua expansão é causada por fatores
econômico...
Declínio do Império
• O declínio do império ocorre pela sua vastidão
e as diversas facções e seitas surgidas ao longo
dos ...
Declínio do Império
• Como um últimos suspiro, entrega o poder
aos sultões turcos seldjúcidas.
• A partir de então, o Impé...
Império Bizantino e Árabe
Império Bizantino e Árabe
Império Bizantino e Árabe
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Império Bizantino e Árabe

278 visualizações

Publicada em

Aspectos políticos, econômicos e sociais dos Impérios Bizantino e Árabe

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
278
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Império Bizantino e Árabe

  1. 1. Império Bizantino e Árabe - Territórios na África e Ásia (predominantemente) e em partes da Europa. - Governos essencialmente teocráticos. - Contribuições quanto a arte, filosofia e ciência.
  2. 2. Império Bizantino • Século IV: Constantino fundou uma nova capital para o império romano. • Com a queda do império romano, apenas a parte oriental sobreviveu. • Até o séc VI não se falava de uma civilização bizantina. • Civilização composta por grande número de nacionalidades (egípcios, persas, gregos, judeus, sírios, etc.)
  3. 3. Império Bizantino • Assim como a porção ocidental, sofreram ameaças bárbaras. • Seus principais inimigos eram os eslavos de origem balcânica (húngaros e ávaros). • Justiniano vence estes inimigos e volta suas atenções para terras europeias (Itália) e norte da África.
  4. 4. Império Bizantino • Em busca por expandir seu território, empreendeu diversas guerras (persas, sarracenos, turcos otomanos). • 1071: captura de Diógenes pelos turcos na batalha de Manziquerta. – Após o pagamento do resgate do imperador, Bizâncio pediu ajuda dos reinos europeus, dando origem as cruzadas.
  5. 5. Administração e economia • O imperador detinha a autoridade máxima (temporal e divina). • Vasta burocracia que auxiliava na administração imperial. • O exército e espiões controlavam as posses e vigiavam os habitantes em qualquer parte do império. • O Estado exercia controle sobre todos os gêneros e atividades (salários e preços). – “o paraíso do monopólio, do privilégio e do paternalismo”
  6. 6. Administração e Economia • A produção seguia a seguinte estrutura: – O trabalhador/produtor → corporação → a associação comercial → governo. • Produção agrícola análoga (igual) ao Baixo Império romano: latifúndios cultivados por meeiros. • Predomínio da atividade comercial e industrial (vidro, cerâmica, tecidos de luxo).
  7. 7. Sociedade • Pop. de Constantinopla em seu auge: 1 milhão de pessoas. • Sociedade mais "permissível": tanto latifundiários quanto ricos comerciantes e mercadores compunham a aristocracia. • Camada dos trabalhadores urbanos (indústria, comércio, artesanato) • Pequenos proprietários de terra ou servos ligados ao latifúndio. • Pequena camada de escravos domésticos.
  8. 8. Religião • Influência de ideias orientais. • Surgimento de movimentos heréticos. • Monofistas: Crença que Cristo possuía uma única natureza (a divina) e negavam o dogma da Santíssima Trindade. • Iconoclastia: Menosprezo ao culto de imagens de Deus, Jesus ou Santos. – Em 725, Imp. Leão XIII decreta a proibição do culto a imagens nos templos. • Separação do patriarcado bizantino da Igreja de Roma em 1054 (Cisma do Oriente).
  9. 9. Imperador Justiniano I (482 – 565) governou Constantinopla de 527 a 565
  10. 10. Justiniano I (527-565) • Filho do Imperador Justino I, a quem sucedeu em 527. • Casado com Teodora, atriz circense de origem humilde. • Revolta de Nika (ou do Hipódromo) (532). – Causada pela fome, falta de moradia e os altos impostos. O estopim foi a suposta derrota do cavalo preferido da população frente ao cavalo do imperador.
  11. 11. Justiniano I • Duas tendências políticas: VERDES (comerciantes, artesãos e altos funcionários que defendiam a democracia plena e os AZUIS (aristocracia agrária). • Sempre divergentes, os grupos se unem contra Justiniano e destroem a cidade. • Motivado pela sua mulher, Justiniano ordena que os revoltosos sejam degolados. • Com o controle da revolta, Justiniano acaba com o poder local da aristocracia
  12. 12. Justiniano I • Governo Autocrático e Burocrático • Redige o Corpus Juris Civilis (Corpo de direito civil) – Código: Constituição imperial romana. – Digestos: os comentários de juristas romanos – Institutas: Manual para ser estudado pelos que se dedicavam ao Direito – Novelas: Leis surgidas no período de Justiniano (534). • Tentativa de reconstruir o Império Romano.
  13. 13. Declínio de Bizâncio • Recuperação do comércio pelo ocidente • Crescimentos das cidades italianas • Ameaça do Império Árabe e Otomano... • ...que levou a sua dominação em 1453.
  14. 14. Império Árabe • Fundado em 630 dura aproximadamente até 1300. • Também conhecido como sarracenos. • Arábia do século VI: árabes urbanos (Meca, Yathrib) e beduínos (nômades). – sociedades sem governo organizado. Estrutura tribal de governo. • Em sua maioria politeístas, tendo alguns grupos crentes em Alá.
  15. 15. Império Árabe • Cidade Sagrada: Meca. – local da Caaba, onde se encontra a Pedra Negra. – Os homens que cuidavam da Caaba, formavam a tribo dos Coraixitas, a aristocracia árabe. • Desenvolvimento do Império Árabe associado ao surgimento da religião islâmica.
  16. 16. Caaba: local sagrado para os muçulmanos. Onde se encontra a Pedra Negra (Hajar el Aswad).
  17. 17. Maomé • Islamismo foi fundado por Abū al-Qāsim Muḥammad ibn ʿAbd Allāh ibn ʿAbd al-Muṭṭalib ibn Hāshim – mais conhecido como Maomé • Considerado o último profeta do Deus de Abraão. • Nasceu em Meca, em 570, no clã mais pobre da tribo dos coraixitas. • Aos 25 anos se torna criado de uma rica viúva, com quem se casa.
  18. 18. Maomé • Entrou em contato com judeus e cristãos que viviam no norte da Arábia. • Pregava contra os plutocratas de Meca e os sacrifícios sangrentos do beduínos. • Não obtendo sucesso em Meca, parte juntamente com seus seguidores para Yathrib, em 622. – Episódio conhecido como Hégira (fuga), no qual é tomado como o início do calendário para os mulçumanos.
  19. 19. Maomé • Dominando a cidade, altera seu nome para Medina (Medinat, cidade do Profeta). • Se alia a tribos beduínas para compor um exército e expandir seus domínios. • Retorna a Meca em 630, a domina e destrói os cultos pagãos. • Morre em 632, quando o Império já dominava a península Arábica.
  20. 20. Práticas Muçulmanas • Crença em torno de Alá e do profeta, Mohammed. • Prega a bondade entre as pessoas. • Seus praticantes deveriam abster do infanticídio, da ingestão da carne de porco e bebidas alcoólicas. • Seus adeptos tinham certas práticas piedosas: – Dar esmolas aos pobres, o jejum durante o dia no Ramadã, rezar 5x ao dia, visitar Meca uma vez na vida.
  21. 21. Práticas Muçulmanas • Assimilação e proximidade com o judaísmo e cristianismo: livro sagrado, monoteísmo, presença de profeta. • Após a morte de Mohammed, surgiram diversas seitas. • As três mais conhecidas são: sunitas, xiitas e sufistas.
  22. 22. Seitas islâmicas • Sunitas: acreditavam que o sucessor de Maomé e chefe do estado islâmico deveria ser eleito por representantes de todo o Islã, assim como as práticas tribais árabes. • Xiitas: defendiam que os descendentes de Mohammed deveriam ser o seus sucessores no comando do Estado. • Sufistas: adeptos de um ideal místico e práticas ascéticas (auto tortura para alcançar Deus).
  23. 23. Aspectos políticos • História política dos sarracenos se confunde com o desenvolvimento da religião. • Os seguidores de Mohammed escolhem Abu- Bekr, mais antigo seguidor e sogro, como seu sucessor. • Abu-Bekr inicia o período dos Califas (sucessores do Profeta). • 656: início de longas disputas pelo controle do Império
  24. 24. Aspectos políticos • Os xiitas depõem a dinastia Omíada e elegem Ali, marido da filha de Mohammed, Fátima (os Fatímidas). • 5 anos depôs Ali é morto e os Omíadas voltam ao poder. – a capital se torna Damasco (atual Síria), onde se imita o modelo da monarquia bizantina. • 750: novas revoltas xiitas que iniciam a dinastia Abássida. – Bagdá (atual Iraque) se torna a capital. – Período de maior expansão, atingindo a Ásia, África e Europa
  25. 25. Aspectos políticos • Sua dominação não era por base da imposição religiosa. • Sua expansão é causada por fatores econômicos e políticos. – A grande seca que a península Arábica passou no século VII. – Respeito as cultura dominadas, antes domínios persas e bizantinos, impérios mais rígidos.
  26. 26. Declínio do Império • O declínio do império ocorre pela sua vastidão e as diversas facções e seitas surgidas ao longo dos séculos. – Em 929, membros da família dos Omíadas fundaram um califado independente em Córdoba, Espanha. – Anos depois, os Fatímidas, proclamam o Califado Independente de Marrocos e Egito. – Enquanto isso, o Califado de Bagdá sucumbia aos ataques de tribos turcas, que vinham do leste.
  27. 27. Declínio do Império • Como um últimos suspiro, entrega o poder aos sultões turcos seldjúcidas. • A partir de então, o Império Árabe da linhagem de Mohammed deixa de existir. • No entanto, grande parte de seu território continuou sendo governado por povos da fé muçulmana. – Turcos Seldjúcidas até o século XII – Turcos Otomanos até 1918.

×