Transporte rodovirio

1.144 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.144
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
48
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transporte rodovirio

  1. 1. Como tudo começou? Anos 50, com implantação da indústriaautomobilística nacional; Mudança da capital para o Centro-Oeste; Programa de construção de rodovias; Expansão da Produção e no consumo de bensduráveis; Ápice em 1988; Nova constituição encerrando os sistemas dereceitas vinculadas, extinguiu-se o imposto sobrecombustíveis e lubrificantes que, através do FRN– Fundo Rodoviário Nacional, custeava eexpansão e a recuperação de toda a malha.
  2. 2. No Brasil: É o principal sistema de transportes dopaís; 1.355.000 quilômetros de rodovias; 62% de todas as cargas movimentadas nopaís.
  3. 3. Principais Características: o transporte rodoviário apresenta a vantagem de retirar amercadoria no local de produção ou origem e levar até oponto de entrega, não dependendo assim de váriasoperações envolvendo carregamento e descarga. Por outrolado, é considerado o modal que tem o maior custooperacional, mas que se for planejado, pode agregar valorao produto final. “O transporte rodoviário é um dos maissimples e eficientes dentro dos seus pares. Sua únicaexigência e existir rodovias.
  4. 4. Fabricantes no Brasil Volkswagen Ford General Motors Fiat Renault Peugeot Citroën Chrysler Mercedes-Benz Hyundai Toyota
  5. 5. Maquinários Utilizados:VAN & VUC: São veículos para transportar produtos depequenos e médios volumes. A capacidadede uma van é de até 1,5 toneladaenquanto que a do VUC (Veículo Urbanode Carga) é de até 3 toneladas.
  6. 6. CAMINHÕES: São veículos fixos, monoblocos, constituindo-sede uma única parte que incorpora a cabine, commotor, e a unidade de carga (carroceria). Podemapresentar os mais variados tamanhos ter 2 ou 3eixos, podendo atingir a capacidade de carga(payload) de até cerca de 23 toneladas.
  7. 7. CARRETAS: São veículos articulados e, portanto,possuindo unidades de tração e decarga em módulos separados. Estasduas unidades são denominadascavalos mecânicos e semi-reboques.
  8. 8. BOOGIES/TRAILERS/CHASSIS: São as carretas plataforma citadas,apropriadas para o transporte decontainers. Podem comportar containersde 20′ e 40′ (vinte e quarenta pés).
  9. 9. Outros veículos:
  10. 10. Custos do TransporteRodoviário Depreciação; Remuneração docapital; Pessoal (motorista); Seguro do veículo; IPVA/ seguroobrigatório; Custosadministrativos; Combustível; Pneus; Lubrificantes; Manutenção; Pedágio.
  11. 11. Dados comparativos:gráficos comparativos
  12. 12. Gráficos comparativos:
  13. 13. Dados Comparativos:
  14. 14. Pontos Positivos: - Agilidade e rapidez na entrega da mercadoria em curtosespaços a percorrer; - A unidade de carga chega até a mercadoria, enquanto nosoutros modais a mercadoria deve ir ao encontro da unidadede carga; - Vendas que possibilita a entrega na porta do comprador; - Exigência de embalagens a um custo bem menor; - A mercadoria pode ser entregue diretamente ao clientesem que este tenha que ir buscá-la; - Uma movimentação menor da mercadoria, reduzindoassim, os riscos de avarias.
  15. 15. Pontos Negativos: - Seu custo de fretamento é mais expressivo que os demaisconcorrentes com próximas características; - Sua capacidade de tração de carga é bastante reduzida; - Os veículos utilizados para tração possuem um elevadograu de poluição ao meio ambiente; - A malha rodoviária deve estar constantemente emmanutenção ou em construção, gerando custos ao erário oua contribuinte, visto que, existem estradas privatizadas quecobram pedágio.
  16. 16. ACIDENTES: É o segundo maior problema desaúde pública do Brasil; Perde apenas para a desnutrição. O trânsito é a terceira causa de mortedo país (35 mil pessoas todo ano)ficando atrás apenas das doenças docoração e do câncer.
  17. 17. Excesso de peso Ao invés disso...
  18. 18. Balança Rodoviária:
  19. 19. Crítica atual e futura:Caminhões
  20. 20. Crítica atual e futura:Estradas
  21. 21. Conclusão: Este trabalho focalizou o segmento do transporte rodoviário decarga em razão de sua importância na matriz de transportes dopaís, indicando sua evolução, a situação atual da malha e suasconseqüências, assim como as transformações institucionaisnecessárias por que vem passando o segmento, no sentido deviabilizar uma participação privada ainda maior. O tamanho doproblema, como vimos, exige esforços crescentes direcionados aoaumento dessa participação. Por outro lado, cabe ressaltar que, adespeito das melhorias que poderão ocorrer nas rodoviasbrasileiras, que são evidentemente necessárias, o setor detransportes deve ser visto de forma global, não segmentada, se oobjetivo a ser alcançado for a melhoria de sua eficiência. Nessesentido, não há como dissociar o planejamento de transportes doplanejamento econômico e social do país, o que envolve questõesligadas a decisões quanto à localização industrial, ao suprimentode insumos e à distribuição de produtos, ou seja, todasrelacionadas ao planejamento logístico.
  22. 22.  Alunos: Brendo Costa, Bruno Rocha, Rubens Souza, Eliseu Praxedes, Silvio Miranda, Vladimir Alves. Turma: 1221, Logística.

×