Reforma protestante

13.498 visualizações

Publicada em

2 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.498
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.883
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
343
Comentários
2
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reforma protestante

  1. 1. Prof: Otto Barreto REFORMAPROTESTANTEMovimento de divisão da fécristã
  2. 2. Fatores:1. Estrutura arcaica da Igreja:  Símbolo do feudalismo;  Contraste com a sociedade moderna.1. Renascimento cultural:  Transformação da mentalidade do homem europeu: Humanismo e Racionalismo;  Criação da imprensa.1. Imoralidade da Igreja:  Venda de indulgências (perdão);  Venda de simonias (relíquias sagradas);  Venda de cargos eclesiásticos;  Nicolaísmo (desrespeito ao celibato)  Nepotismo (cargos cedidos para familiares)
  3. 3. Fatores:4. Conflitos entre doutrinas:  AGOSTINIANA: o homem já está pré-destinado à salvação ou à condenação (fatalismo)  TOMISMO: o homem poderia conseguir a salvação durante a vida.4. Oposição da sociedade:  REI: criticava a infalibilidade papal;  NOBREZA: interessada nas terras da Igreja;  BURGUESIA: criticava a condenação à usura (lucro com juros) – ideia tomista.  POVO: revoltado com a imoralidade de Igreja.4. Críticos da Igreja:  Erasmo de Rotterdam  Thomas Morus
  4. 4. Fatores:7. Movimentos contra a Igreja:  John Wyclif (1320-1384): defesa dos interesses nacionais contra as demandas do papado críticas abertas à Igreja. Sugeriu confisco dos bens do clero e voto de pobreza. O Estado deveria tomar posse de todas as propriedades da Igreja e encarregar-se diretamente do sustento do clero.  Críticas ao papado de Avignon - FRA (1309-1378).  Desenrolar da Guerra dos Cem Anos (1337-1453). "Nosso papa é o Cristo“ "A verdadeira autoridade emana da Biblia, que contém o suficiente para governar o mundo"
  5. 5. Fatores:8. Movimentos contra a Igreja: John Huss: Adotou as ideias de Wyclif na luta pela independência da Boêmia. pregava o Sacerdócio Universal dos Crentes, no qual qualquer pessoa pode comunicar-se com Deus sem a mediação sacramental e eclesial. Combate a remessa de dinheiro da Boêmia para o Clero. Antes de ser queimado, Hus disse as seguintes palavras ao carrasco: "Vocês hoje estão queimando um ganso, mas dentro de um século, encontrar-se- ão com um cisne.”
  6. 6. LUTERANISMO
  7. 7. Líder: Martinho Lutero (Alemanha): Inicia suas pregações na Universidade de Wittenberg; Em seus estudos sobre teologia inicia um desejo de promover uma mudança na mentalidade da igreja:
  8. 8. Origem do movimento:Lutero se revolta contra a venda de indulgências por João Tetzel (inquisidor da Polônia e Saxônia) em todo o Sacro Império:
  9. 9. Lutero prega abertamente contra as Indulgências:
  10. 10. As 95 Teses (1517):Lutero fixa suas idéias na igreja do castelo de Wittenberg como protesto direto contra a venda de indulgências e contra o comportamento imoral do clero.
  11. 11. O papa Leão X exige a retratação deLutero:Lutero se encontra com o bispo de Roma, mas não nega seus dogmas;Lutero recebe bula papal excomungando-o;Queima a Bula:
  12. 12. vídeo
  13. 13. Características do Luteranismo:1º momento: predestinação divina;2º momento: salvação pela fé;As escrituras sagradas eram a fonte dos verdadeiros dogmas;Crítica ao celibato;Crítica à hierarquia religiosa;Interpretação livre da Bíblia;Cultos em idioma local;Submissão da Igreja ao Estado;Aboliu o culto às imagens;Manutenção de dois sacramentos: batismo e eucaristia.
  14. 14. Dieta de Worms (1520)Leão X exige que o imperador Carlos V do Sacro Império puna Lutero;O imperador convoca uma reunião com todos os príncipes do Sacro Império para julgá-lo;É condenado como herege, porém recebe apoio da nobreza alemã interessada nas terras da igreja;Se refugia na Saxônia no principado de Frederico, onde faz a primeira tradução da bíblia para o alemão.
  15. 15. Dieta de Spira (1529)Expansão das idéias reformistas;Carlos V tolera o Luteranismo nas regiões já convertidas;Proíbe no resto do país;A nobreza protesta a decisão – origem do termo “protestante”
  16. 16. Dieta de Augsburg (1530)Lutero e Felipe Melanchton apresentam a “Confissão de Augsburg0”: Fundamentos da doutrina luterana;Caros V tenta refutar o documento e inicia a guerra:Carlos V X Liga de Smalkade(católicos) (nobres luteranos)A Paz de Augsburgo (1555): Cada príncipe, sua religião.
  17. 17. ANABATISMO
  18. 18. Local: Alemanha;Origem: camponesa e pequenos artesãos;Seguidores mais radicais de Lutero:Líder: Thomas Munzer e Florian Geyer;Dogmas: governo de 1000 anos em Cristo;“A desigualdade política e social não era apenas injusta como pecaminosa”;Objetivos: abolição da servidão e fim dos latifúndios;Queimam castelos e conventos;O movimento adquire caráter de lute de classes;Lutero condena o movimento;Repressão: exército da nobreza contém os revoltosos decapitando Munzer.
  19. 19. CALVINISMO
  20. 20. João Calvino (1509 – 1564):Protestante francês refugiado em Genebra;Em 1536 publica “Instituição da religião cristã”;1. Local, Suíça: Região com grande desenvolvimento social; Poder nas mãos da burguesia; A moral religiosa medieval atrapalhava o comércio.
  21. 21. Antecedentes:1. Pregações de Ulrich Zwinglio (1519):  Defendia o rompimento com Roma;  Eclode a guerra civil entre os cantões (Estados) suíços;  Morte de Zwinglio;  A Paz de Kappel: cada cantão com sua religião.1. Independência da Genebra:  Burguesia derrota o Conde de Sabóia;  Torna-se uma cidade-república independente;  Calvino inicia sua pregação;
  22. 22. Dogmas calvinistas:1. Bases Luteranas:  Manutenção de dois sacramentos: batismo e eucaristia;  Aboliu o culto aos santos e às imagens;  Livre exame da Bíblia;  Salvação pela fé;  Igreja nacional.1. Radicalização:  Predestinação absoluta;  Santifica o trabalho, a poupança e o lucro;  Restabeleceu o dia de graças dos judeus (sábado); “Obs: o Calvinismo se torna religião oficial em Genebra;1. O consistório:  Órgão calvinista que vigiava os costumes dos cidadãos.
  23. 23. Calvinistas pelo mundo:Calvinistas: Suíça, Holanda e Dinamarca;Puritanos: Inglaterra;Huguenotes: FrançaPresbiterianos: Escócia.Obs: ao defender valores burgueses, o Calvinismo se espalha rapidamente em regiões de comércio forte.
  24. 24. ANGLICANISMO
  25. 25. Local: Inglaterra, Rei: Henrique VIII ANTECEDENTES:1. Boa relação do rei com a Igreja:  Doava dinheiro e terras;  Henrique VIII condena os ensinamentos de Lutero;  É nomeado “defensor da fé”.2. Ruptura com a Igreja;3. Henrique VIII pede anulação de seu casamento com Catarina de Aragão (Espanha):  Burguesia e nobreza inglesas desejavam promover concorrência comercial e colonial com a Espanha;  Catarina não gerou herdeiro homem;  Henrique VIII possuía um amante, Ana Bolena.  Sentia-se amaldiçoado por ter casado com viúva do irmão.
  26. 26. 1. O papa Clemente VII nega a anulação:  Catarina era tia de Carlos V que lutava contra Lutero no Sacro Império Romano Germânico;  A Espanha era o principal país católico e sustentava o papado.1. O Ato de supremacia (1531):  Henrique VIII rompe relações com a Igreja;  O parlamento o declara “protetor da Igreja inglesa”;  Nasce a Igreja Anglicana.1. O papa excomunga o rei:  Henrique VIII confisca os bens da Igreja e vende para a burguesia e nobreza.1. Dogmas do Anglicanismo:  Neste momento não se difere do Catolicismo, exceto pela submissão ao Estado.
  27. 27. CONSOLIDAÇÃO:1. Eduardo VII (1547 – 1553):  Aproximação do Anglicanismo ao Calvinismo.2. Mary Tudor (1553 – 1558):  Católica fervorosa;  Obriga o parlamento o retorno ao Catolicismo;  Casa-se com Felipe II (príncipe espanhol e católico fanático);  Manda queimar 300 hereges protestantes (apelidada de Mary Blood);  Aprisiona sua irmã Elizabeth na torre de Londres.3. Elizabeth Tudor (1558 – 1603):  2º ato de supremacia;  Consolida o Anglicanismo como religião oficial;  Nova doutrina anglicana: dois sacramentos (batismo e eucaristia) e salvação pela fé.

×