SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
introdução




Para   uma aprendizagem plena, necessita-se de
alguns fatores, dentre os quais podem encontrar, o
interesse e motivação, que como afirma SENICIATO
(ANO), pode-se perceber um avanço quanto a
Figura: Aula de Campo em Pedraria
Alunos      e     professores,   muitas
vezes, apontam a sala de aula como um
ambiente entediante, sem muitos atrativos
(BENETTI, 2002).
Aula de campo




A          aula      de        campo

consiste,          segundo       Silva

(2002),       uma       forma      de

aproximação da teoria com a

prática e uma possibilidade de
Aula de Campo:
    Metodologia Eficaz
As    aulas de Ciências e Biologia
desenvolvidas em ambientes naturais
tendem a ser uma metodologia eficaz
tanto por envolverem e motivarem                      Fonte: ....

crianças e jovens nas atividades
educativas, quanto por constituírem
um instrumento de superação da
   Ou seja, numa aula de campo, em que o tema chave seja plantas, pode ser
fragmentação do sobre solos (geologia), insetos (entomologia), o clima,
   incluso conceitos
                     conhecimento.
   ampliando assim o campo de conceitual do aluno, dando a este uma maior
   significação de alguns fatores.
Meio ambiente =
       fonte de
    conhecimento

“No     método     positivista,   tão
conhecido nosso, o campo (realidade
concreta) é externo ao sujeito. O
conhecimento/a verdade está no objeto,
portanto no campo, no que vemos”.
(SUERTEGARAY, 2001, p.3).
Motivação x
   aprendizagem


Além    dos aspectos emocionais
envolvidos – e que podem ser
importantes para a motivação em
aprender –, as aulas de campo
favorecem também uma abordagem
ao mesmo tempo mais complexa e
menos abstrata dos fenômenos
estudados. (SENICIATO, ANO).
Conhecer    a realidade local e sua complexidade,
relacionando com problemáticas locais, no espaço
geográfico eleva o trabalho do professor/aluno a uma
reflexão critica e interventiva na sociedade em que
este se insere.
Em   relação ao ensino de ecologia, quando
relatado sobre a preservação ambiental, sobre a
interferência do homem no meio ambiente. Caso
esta aula seja dada exclusivamente em sala de
aula, o aluno não dará muita importância, ou
seja, sua percepção em quanto a preservação
ambiental não vou aguçada. Como afirma
Machado (1982), que só cuidamos, respeitamos
e preservamos aquilo que conhecemos.
Na   realização desta metodologia, o professor tem que
ter   o    cuidado     pra    estar    bem     preparado
(conceitualmente) e estabelecendo os objetivos de tal
aula. Pois como afirma LOPES e ALLAINS (2002
apud SENICIATO, ANO):

           A própria complexidade que envolve uma aula
           de campo, em que os alunos deparam-se com
           uma quantidade maior de fenômenos quando
           comparada a uma aula tradicional, pode
           confundir os alunos na construção dos conceitos
Segundo   SANTOS (2002), as contribuições da aula
de campo de Ciências e Biologia em um ambiente
natural podem ser positivas na aprendizagem dos
conceitos à medida que são um estímulo para os
professores,   que vêem uma       possibilidade   de
inovação para seus trabalhos e assim se empenham
mais na orientação dos alunos. Para os alunos é
importante que o professor conheça bem o ambiente
a ser visitado e que este ambiente seja limitado, no
sentido espacial e físico, de forma a atender os
objetivos da aula.
BENETTI     (2002), em um trabalho sobre as
perspectivas de professores de Ciências em relação
aos procedimentos didáticos, expõe que muitas vezes
os professores não exploram adequadamente as
oportunidades oferecidas em um trabalho de campo
por desconhecimento sobre o local a ser visitado, o
que acarreta um despreparo quanto à maneira de
lidar com os fenômenos apresentados. (pdf. 10).
Final da aula  criação de
  mapas mentais

Elaboração     de um
mapa        mental   
Representando        os
percursos
percorridos, característ   Figura: Mapa Mental

icas do meio, o que foi
Naeducação básica:
         Desenhos  representando, a seu
modo,    o seu espaço vivido.

No   ensino superior:
              Escrever ou falar.
Conclusão

O   desenvolvimento das aulas de Ciências e
Ecologia em um ecossistema terrestre natural
favorece a manifestação de sensações e emoções nos
alunos, as quais normalmente não se manifestariam
durante as aulas teóricas.
Desse    modo, todas as emoções e sensações
surgidas durante a aula de campo em um
ambiente     natural   podem     auxiliar   na
aprendizagem dos conteúdos, à medida que
os alunos recorrem a outros aspectos de sua
própria     condição   humana,     além     da
razão, para compreenderem os fenômenos
...O   aluno agora não é apenas um
observador, mas um investigador que
procura     ser   parte   integrante   da
paisagem.
xxxxxxxxxxx
Motivação e ensino
Avanço  do ensino de Ciência
Aliar aspectos educacionais e afetivos 
Aprendizagem mais significativa.
Metodologia Eficaz
   Envolvere motivar
   Instrumento de superação da fragmentação do
   conhecimento
motiva,  agregando teoria e prática e ainda é
possível avaliar se as atividades desenvolvidas
em sala proporcionaram mudanças nos que
participam desse processo, pois é através
desse contato real no campo, que se
estabelecem relações no que é observado.
Onde é possível utilizar as situações externas
observando um fato isolado e poder
contextualizá-lo no tempo e no espaço.
Referências Bibliográficas
FIGUEIREDO,      V. S.; SILVA, G. S. C. A
Importância da Aula de Campo na Prática em
Geografia. In.: 10º Encontro Nacional de Prática de
Ensino em Geografia.


 ALVES,    M. B. N.; ALVES, C. R. Aula de
Campo: Ferramenta Metodológica Para Leitura
de Mundo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações queA aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
pibidbio
 
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
Marisa Correia
 
Aula Destaque Lixo
Aula Destaque LixoAula Destaque Lixo
Aula Destaque Lixo
elbersc
 
A abordagem dos conceitos de geografia na sala de aula tmg
A abordagem dos conceitos de geografia na sala de aula   tmgA abordagem dos conceitos de geografia na sala de aula   tmg
A abordagem dos conceitos de geografia na sala de aula tmg
Rodrigo Sousa
 
Didaticgeoaula11
Didaticgeoaula11Didaticgeoaula11
Didaticgeoaula11
Ana Beatriz
 
O ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológiasO ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológias
Renato De Souza Abelha
 

Mais procurados (19)

Portifólio clicia
 Portifólio clicia Portifólio clicia
Portifólio clicia
 
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorialConceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
 
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações queA aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental ações que
 
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
As implicações dos ambientes educativos inovadores para as práticas dos profe...
 
Aula Destaque Lixo
Aula Destaque LixoAula Destaque Lixo
Aula Destaque Lixo
 
1º a, b.edinaldo geo-pdf
1º a, b.edinaldo geo-pdf1º a, b.edinaldo geo-pdf
1º a, b.edinaldo geo-pdf
 
A abordagem dos conceitos de geografia na sala de aula tmg
A abordagem dos conceitos de geografia na sala de aula   tmgA abordagem dos conceitos de geografia na sala de aula   tmg
A abordagem dos conceitos de geografia na sala de aula tmg
 
Dinâmicas para o ensino da geografia
Dinâmicas para o ensino da geografiaDinâmicas para o ensino da geografia
Dinâmicas para o ensino da geografia
 
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de GeografiaA aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
 
Investigação criminal nas aulas de físico química
Investigação criminal nas aulas de físico químicaInvestigação criminal nas aulas de físico química
Investigação criminal nas aulas de físico química
 
Mudanças nas conceções e práticas de professores. Dois estudos com professore...
Mudanças nas conceções e práticas de professores. Dois estudos com professore...Mudanças nas conceções e práticas de professores. Dois estudos com professore...
Mudanças nas conceções e práticas de professores. Dois estudos com professore...
 
Didaticgeoaula11
Didaticgeoaula11Didaticgeoaula11
Didaticgeoaula11
 
CONTEÚDOS DO LIVRO DE GEOGRAFIA DA 9ª CLASSE
CONTEÚDOS DO LIVRO DE GEOGRAFIA DA 9ª CLASSECONTEÚDOS DO LIVRO DE GEOGRAFIA DA 9ª CLASSE
CONTEÚDOS DO LIVRO DE GEOGRAFIA DA 9ª CLASSE
 
O ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológiasO ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológias
 
Momentos da aula de campo
Momentos da aula de campoMomentos da aula de campo
Momentos da aula de campo
 
PCN e Ensino de Ciências
PCN e Ensino de CiênciasPCN e Ensino de Ciências
PCN e Ensino de Ciências
 
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos IniciaisTrabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
Trabalhando Ciências da Natureza nos Anos Iniciais
 
Resumo vii semin+írio pibid projeto estudo do meio no dique do toror+ô
Resumo vii semin+írio pibid   projeto estudo do meio no dique do toror+ôResumo vii semin+írio pibid   projeto estudo do meio no dique do toror+ô
Resumo vii semin+írio pibid projeto estudo do meio no dique do toror+ô
 
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
 

Destaque

Diapositivas de salud
Diapositivas de saludDiapositivas de salud
Diapositivas de salud
valenluisa
 
Ques es la web 2
Ques es la web 2Ques es la web 2
Ques es la web 2
dannycade
 
Instalar y configurar superfish en drupal
Instalar y configurar superfish en drupalInstalar y configurar superfish en drupal
Instalar y configurar superfish en drupal
Daniel Pincay
 
Modelo de Administración
Modelo de AdministraciónModelo de Administración
Modelo de Administración
Rebeca Palmero
 

Destaque (20)

Age of empires 6
Age of empires 6Age of empires 6
Age of empires 6
 
Joint Commission Awards Advanced Certification to South Nassau’s Stroke Center
Joint Commission Awards Advanced Certification to South Nassau’s Stroke CenterJoint Commission Awards Advanced Certification to South Nassau’s Stroke Center
Joint Commission Awards Advanced Certification to South Nassau’s Stroke Center
 
full6Berlin is closing
full6Berlin is closingfull6Berlin is closing
full6Berlin is closing
 
Belleaire
BelleaireBelleaire
Belleaire
 
Diapositivas de salud
Diapositivas de saludDiapositivas de salud
Diapositivas de salud
 
Age of empires 8
Age of empires 8Age of empires 8
Age of empires 8
 
Ques es la web 2
Ques es la web 2Ques es la web 2
Ques es la web 2
 
Age of empires 7
Age of empires 7Age of empires 7
Age of empires 7
 
Age of empires 9
Age of empires 9Age of empires 9
Age of empires 9
 
Módulo formativo s pablo ii
Módulo formativo s pablo iiMódulo formativo s pablo ii
Módulo formativo s pablo ii
 
Logo para boton
Logo para botonLogo para boton
Logo para boton
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
Age of empires 10
Age of empires 10Age of empires 10
Age of empires 10
 
Modulo 2 actividad 2 seminario rea
Modulo 2 actividad 2 seminario reaModulo 2 actividad 2 seminario rea
Modulo 2 actividad 2 seminario rea
 
Age of empires 4
Age of empires 4Age of empires 4
Age of empires 4
 
Los accidentes geográficos 4
Los accidentes geográficos 4Los accidentes geográficos 4
Los accidentes geográficos 4
 
Instalar y configurar superfish en drupal
Instalar y configurar superfish en drupalInstalar y configurar superfish en drupal
Instalar y configurar superfish en drupal
 
Modelo de Administración
Modelo de AdministraciónModelo de Administración
Modelo de Administración
 
A polis em atenas
A polis em atenasA polis em atenas
A polis em atenas
 
Alimento clase 1
Alimento clase 1Alimento clase 1
Alimento clase 1
 

Semelhante a Aula de campo

Modalidade didática
Modalidade didáticaModalidade didática
Modalidade didática
pibidbio
 
Atividades de campo no ensino das ciências...
Atividades de campo no ensino das ciências...Atividades de campo no ensino das ciências...
Atividades de campo no ensino das ciências...
tefarroupilha
 
8 ANO_CIENCIAS_PROFESSOR.- 8 ANO_CIENCIAS_PROFESSORpdf
8 ANO_CIENCIAS_PROFESSOR.- 8 ANO_CIENCIAS_PROFESSORpdf8 ANO_CIENCIAS_PROFESSOR.- 8 ANO_CIENCIAS_PROFESSORpdf
8 ANO_CIENCIAS_PROFESSOR.- 8 ANO_CIENCIAS_PROFESSORpdf
nathyleal9335
 
Projeto monografia 2
Projeto monografia 2Projeto monografia 2
Projeto monografia 2
Leonor
 
NOVAS PRÁTICAS DE ENSINO: A INSERÇÃO DE DINÂMICAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO D...
NOVAS PRÁTICAS DE ENSINO: A INSERÇÃO DE DINÂMICAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO D...NOVAS PRÁTICAS DE ENSINO: A INSERÇÃO DE DINÂMICAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO D...
NOVAS PRÁTICAS DE ENSINO: A INSERÇÃO DE DINÂMICAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO D...
pibidgeo
 
Metodologia das ciências naturais
Metodologia das ciências  naturaisMetodologia das ciências  naturais
Metodologia das ciências naturais
Israel serique
 
FORMAÇÃO DOCENTE: A INSERÇÃO DO LÚDICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA ATRAVÉS DO PIBID
FORMAÇÃO DOCENTE: A INSERÇÃO DO LÚDICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA ATRAVÉS DO PIBIDFORMAÇÃO DOCENTE: A INSERÇÃO DO LÚDICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA ATRAVÉS DO PIBID
FORMAÇÃO DOCENTE: A INSERÇÃO DO LÚDICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA ATRAVÉS DO PIBID
pibidgeo
 

Semelhante a Aula de campo (12)

Modalidade didática
Modalidade didáticaModalidade didática
Modalidade didática
 
Atividades de campo no ensino das ciências...
Atividades de campo no ensino das ciências...Atividades de campo no ensino das ciências...
Atividades de campo no ensino das ciências...
 
Aula Passeio
Aula PasseioAula Passeio
Aula Passeio
 
8 ANO_CIENCIAS_PROFESSOR.- 8 ANO_CIENCIAS_PROFESSORpdf
8 ANO_CIENCIAS_PROFESSOR.- 8 ANO_CIENCIAS_PROFESSORpdf8 ANO_CIENCIAS_PROFESSOR.- 8 ANO_CIENCIAS_PROFESSORpdf
8 ANO_CIENCIAS_PROFESSOR.- 8 ANO_CIENCIAS_PROFESSORpdf
 
2016_pdp_cien_uem_valdneyalvesmagalhaes.pdf
2016_pdp_cien_uem_valdneyalvesmagalhaes.pdf2016_pdp_cien_uem_valdneyalvesmagalhaes.pdf
2016_pdp_cien_uem_valdneyalvesmagalhaes.pdf
 
Discussão para apostila aulas práticas
Discussão para apostila aulas práticasDiscussão para apostila aulas práticas
Discussão para apostila aulas práticas
 
IMPLICAÇÕES DO CONCEITO DE INTELIGÊNCIA DE HOWARD GARDNER A UMA DIDÁTICA DAS ...
IMPLICAÇÕES DO CONCEITO DE INTELIGÊNCIA DE HOWARD GARDNER A UMA DIDÁTICA DAS ...IMPLICAÇÕES DO CONCEITO DE INTELIGÊNCIA DE HOWARD GARDNER A UMA DIDÁTICA DAS ...
IMPLICAÇÕES DO CONCEITO DE INTELIGÊNCIA DE HOWARD GARDNER A UMA DIDÁTICA DAS ...
 
“CAÇA AO TESOURO”: UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR PARA O ENSINO DE FÍSICA E GE...
“CAÇA AO TESOURO”: UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR PARA O ENSINO DE FÍSICA E GE...“CAÇA AO TESOURO”: UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR PARA O ENSINO DE FÍSICA E GE...
“CAÇA AO TESOURO”: UMA PROPOSTA INTERDISCIPLINAR PARA O ENSINO DE FÍSICA E GE...
 
Projeto monografia 2
Projeto monografia 2Projeto monografia 2
Projeto monografia 2
 
NOVAS PRÁTICAS DE ENSINO: A INSERÇÃO DE DINÂMICAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO D...
NOVAS PRÁTICAS DE ENSINO: A INSERÇÃO DE DINÂMICAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO D...NOVAS PRÁTICAS DE ENSINO: A INSERÇÃO DE DINÂMICAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO D...
NOVAS PRÁTICAS DE ENSINO: A INSERÇÃO DE DINÂMICAS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO D...
 
Metodologia das ciências naturais
Metodologia das ciências  naturaisMetodologia das ciências  naturais
Metodologia das ciências naturais
 
FORMAÇÃO DOCENTE: A INSERÇÃO DO LÚDICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA ATRAVÉS DO PIBID
FORMAÇÃO DOCENTE: A INSERÇÃO DO LÚDICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA ATRAVÉS DO PIBIDFORMAÇÃO DOCENTE: A INSERÇÃO DO LÚDICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA ATRAVÉS DO PIBID
FORMAÇÃO DOCENTE: A INSERÇÃO DO LÚDICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA ATRAVÉS DO PIBID
 

Aula de campo

  • 1.
  • 2. introdução Para uma aprendizagem plena, necessita-se de alguns fatores, dentre os quais podem encontrar, o interesse e motivação, que como afirma SENICIATO (ANO), pode-se perceber um avanço quanto a
  • 3. Figura: Aula de Campo em Pedraria
  • 4. Alunos e professores, muitas vezes, apontam a sala de aula como um ambiente entediante, sem muitos atrativos (BENETTI, 2002).
  • 5. Aula de campo A aula de campo consiste, segundo Silva (2002), uma forma de aproximação da teoria com a prática e uma possibilidade de
  • 6. Aula de Campo: Metodologia Eficaz As aulas de Ciências e Biologia desenvolvidas em ambientes naturais tendem a ser uma metodologia eficaz tanto por envolverem e motivarem Fonte: .... crianças e jovens nas atividades educativas, quanto por constituírem um instrumento de superação da Ou seja, numa aula de campo, em que o tema chave seja plantas, pode ser fragmentação do sobre solos (geologia), insetos (entomologia), o clima, incluso conceitos conhecimento. ampliando assim o campo de conceitual do aluno, dando a este uma maior significação de alguns fatores.
  • 7. Meio ambiente = fonte de conhecimento “No método positivista, tão conhecido nosso, o campo (realidade concreta) é externo ao sujeito. O conhecimento/a verdade está no objeto, portanto no campo, no que vemos”. (SUERTEGARAY, 2001, p.3).
  • 8. Motivação x aprendizagem Além dos aspectos emocionais envolvidos – e que podem ser importantes para a motivação em aprender –, as aulas de campo favorecem também uma abordagem ao mesmo tempo mais complexa e menos abstrata dos fenômenos estudados. (SENICIATO, ANO).
  • 9. Conhecer a realidade local e sua complexidade, relacionando com problemáticas locais, no espaço geográfico eleva o trabalho do professor/aluno a uma reflexão critica e interventiva na sociedade em que este se insere.
  • 10. Em relação ao ensino de ecologia, quando relatado sobre a preservação ambiental, sobre a interferência do homem no meio ambiente. Caso esta aula seja dada exclusivamente em sala de aula, o aluno não dará muita importância, ou seja, sua percepção em quanto a preservação ambiental não vou aguçada. Como afirma Machado (1982), que só cuidamos, respeitamos e preservamos aquilo que conhecemos.
  • 11. Na realização desta metodologia, o professor tem que ter o cuidado pra estar bem preparado (conceitualmente) e estabelecendo os objetivos de tal aula. Pois como afirma LOPES e ALLAINS (2002 apud SENICIATO, ANO): A própria complexidade que envolve uma aula de campo, em que os alunos deparam-se com uma quantidade maior de fenômenos quando comparada a uma aula tradicional, pode confundir os alunos na construção dos conceitos
  • 12. Segundo SANTOS (2002), as contribuições da aula de campo de Ciências e Biologia em um ambiente natural podem ser positivas na aprendizagem dos conceitos à medida que são um estímulo para os professores, que vêem uma possibilidade de inovação para seus trabalhos e assim se empenham mais na orientação dos alunos. Para os alunos é importante que o professor conheça bem o ambiente a ser visitado e que este ambiente seja limitado, no sentido espacial e físico, de forma a atender os objetivos da aula.
  • 13. BENETTI (2002), em um trabalho sobre as perspectivas de professores de Ciências em relação aos procedimentos didáticos, expõe que muitas vezes os professores não exploram adequadamente as oportunidades oferecidas em um trabalho de campo por desconhecimento sobre o local a ser visitado, o que acarreta um despreparo quanto à maneira de lidar com os fenômenos apresentados. (pdf. 10).
  • 14. Final da aula  criação de mapas mentais Elaboração de um mapa mental  Representando os percursos percorridos, característ Figura: Mapa Mental icas do meio, o que foi
  • 15. Naeducação básica: Desenhos  representando, a seu modo, o seu espaço vivido. No ensino superior: Escrever ou falar.
  • 16. Conclusão O desenvolvimento das aulas de Ciências e Ecologia em um ecossistema terrestre natural favorece a manifestação de sensações e emoções nos alunos, as quais normalmente não se manifestariam durante as aulas teóricas.
  • 17. Desse modo, todas as emoções e sensações surgidas durante a aula de campo em um ambiente natural podem auxiliar na aprendizagem dos conteúdos, à medida que os alunos recorrem a outros aspectos de sua própria condição humana, além da razão, para compreenderem os fenômenos
  • 18. ...O aluno agora não é apenas um observador, mas um investigador que procura ser parte integrante da paisagem.
  • 20. Motivação e ensino Avanço do ensino de Ciência Aliar aspectos educacionais e afetivos  Aprendizagem mais significativa. Metodologia Eficaz Envolvere motivar Instrumento de superação da fragmentação do conhecimento
  • 21. motiva, agregando teoria e prática e ainda é possível avaliar se as atividades desenvolvidas em sala proporcionaram mudanças nos que participam desse processo, pois é através desse contato real no campo, que se estabelecem relações no que é observado. Onde é possível utilizar as situações externas observando um fato isolado e poder contextualizá-lo no tempo e no espaço.
  • 22. Referências Bibliográficas FIGUEIREDO, V. S.; SILVA, G. S. C. A Importância da Aula de Campo na Prática em Geografia. In.: 10º Encontro Nacional de Prática de Ensino em Geografia.  ALVES, M. B. N.; ALVES, C. R. Aula de Campo: Ferramenta Metodológica Para Leitura de Mundo.