20 - Portugal no séc. XII e XIII

851 visualizações

Publicada em

Poder real e senhorial em Portugal
Concelhos
Fortalecimento do poder real
Desenvolvimento comercial em Portugal

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
851
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
116
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
65
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

20 - Portugal no séc. XII e XIII

  1. 1. História 7º Ano Prof. Carla Freitas
  2. 2. Crescimento Demográfico  Ficou a dever-se a:  Melhoria das condições de vida  Melhor alimentação  Diminuição da taxa de mortalidade  Diminuição das guerras  Maior resistência às doenças  Aumento da produção agrícola
  3. 3. Aumento da Produção Agrícola  Ficou a dever-se a:  Arroteias para aumentar a área de cultivo  Abate de Florestas  Drenagem de Pântanos  Progressos Técnicos  Utilização do ferro nos instrumentos agrícolas  Afolhamento trienal  Adubação dos campos  Utilização de novos sistemas de irrigação (nora e canais de irrigação)  Utilização de moinhos de vento e de água
  4. 4. Melhorias nos transportes  Ficaram a dever-se a:  Transportes Terrestres:  Novo sistema de atrelagem  Atrelagem em fila  Coelheira  Utilização da Ferradura  Transportes Marítimos  Utilização do leme fixo à popa  Utilização de
  5. 5. Reanimação do comércio  Ficou a dever-se a:  Maior segurança nas vias de comunicação devido ao clima de paz  Existência de excedentes  Crescimento populacional  Melhoria nos transportes
  6. 6. O comércio na Baixa Idade Média
  7. 7. Principais pólos comerciais  Pólos comerciais mais importantes  Itália (Florença, Veneza, Génova)  Intermediários entre o Oriente e o Ocidente, comerciavam essencialmente produtos como especiarias e sedas.  Norte da Europa - Liga Hanseática (Hamburgo, Bruges, Gand, Lubeque)  Comercializavam trigo, metais, peixe seco e peles.  Feiras de Champagne (França)  Ligação entre comerciantes do Mar do Norte, do Mar Báltico e do Mediterrâneo
  8. 8. Cambistas  Cambistas – Avaliavam as diversas moedas e faziam as trocas  Letra de Câmbio – Espécie de cheque que permitia levantar numa outra cidade e numa outra moeda, a importância que constava do documento.  Banqueiros – Cambistas que emprestavam dinheiro a troco do pagamento de juros
  9. 9. Feiras e Mercados  Almocreves – andavam de terra em terra com as suas mercadorias  Mercados – Eram locais e regionais e realizavam-se com frequência  Feiras – realizavam-se uma a duas vezes por ano, por vezes em festas religiosas e juntavam pessoas de várias regiões e até de reinos distantes.  Cartas de Feira (documento que estabelecia os direitos e deveres dos feirantes e a paz de feira, que garantia a segurança e
  10. 10. O Ressurgimento das Cidades  As cidades crescem devido a:  Expansão comercial  Aumento populacional  Comerciantes, artesãos e camponeses em busca de melhores condições de vida. Burgos (cidades) Crescem e constroem-se novas muralhas para abranger a população que se tinha instalado em redor do Burgo original. Surge um novo grupo social a
  11. 11.  Afolhamento Trienal – Divisão da terra de cultivo em três partes, utilizando-as para diferentes culturas de forma rotativa, sendo que uma delas se enocntra em repouso, ou pousio, durante um ano.  Coelheira – Parte dos arreios que se ajusta sobre o pescoço do cavalo e onde se prendem os tirantes.  Cambistas – Os cambistas eram os que se dedicavam ao câmbio. Nas feiras medievais e nos núcleos urbanos no feudalismo, eles trocavam moedas de vários valores, por uma de valor único (O valor das moedas dependia do metal com que eram produzidas).  Letra de Câmbio – Papel onde o banqueiro que recebia, em depósito, as moedas em circulação no burgo de seu estabelecimento, dizia ao banqueiro no local de destino de quem pagava que pagasse ao comerciante, ou a quem ele indicasse, em moeda local, o equivalente ao montante depositado.  Feira – Eram pontos de encontro de mercadores, que ocorriam ocasionalmente em datas e locais estipulados e que facilitavam o escoamento de produtos. Surgiram graças à reanimação do comércio.  Burgo – Designa antiga cidade, normalmente uma cidade comercial, que se desenvolvia fora das muralhas do núcleo urbano primitivo, senhorial.  Burguesia – Habitante do burgo, normalmente eram mercadores ou artesãos, mais tarde passa a designar apenas os mercadores que se Conceitos a Reter
  12. 12. 1. Justificar o aumento demográfico ocorrido nestes séculos. 2. Identificar progressos técnicos na agricultura e nos transportes. 3. Justificar a reanimação do comércio. 4. Identificar os principais pólos comerciais na Baixa Idade Média. 5. Explicar a importância do aparecimento dos cambistas e banqueiros. 6. Identificar formas de comércio na Idade Média. 7. Justificar o ressurgimento das cidades/burgos. Metas O que deves saber desta matéria

×