4.1 Estrutura Financeira<br />Foram coletados dados insólitos referentes ao faturamento e custos da empresa, devido à falt...
Parte final pa
Parte final pa
Parte final pa
Parte final pa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Parte final pa

103 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
103
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parte final pa

  1. 1. 4.1 Estrutura Financeira<br />Foram coletados dados insólitos referentes ao faturamento e custos da empresa, devido à falta de controle financeiro apresentado pela EMECC, por meio dos quais podem-se fazer as seguintes análises e sugestões sobre sua atual situação financeira. <br />Vejamos, abaixo, a Tabela 1, que reflete os custos fixos e variáveis da EMECC, no mês de janeiro de 2011:<br />Tabela 1 – Custos Fixos e Variáveis, Janeiro 2011<br />CUSTOS FIXOSCUSTOS VARIÁVEISFixosJAN%VariáveisJan%Parcelamento de Impostos R$ 8.158,9628,03%Rescisões TrabalhistasR$ 4.500,0075,20%Pagamento de FuncionáriosR$ 7.733,6726,57%Tarifas de Juros BancáriosR$ 679,5011,36%Pró-LaboreR$ 6.241,3621,44%ConfraternizaçãoR$ 184,323,08%AluguelR$ 3.000,0010,31%Mão-de-obra TercerizadaR$ 130,002,17%Empréstimo BancárioR$ 1.530,975,26%Imposto VeículosR$ 119,061,99%Transporte Funcionários R$ 870,952,99%Conserto VeículosR$ 83,521,40%CombustívelR$ 523,151,80%UsinagemR$ 70,001,17%ContabilidadeR$ 350,001,20%DividasR$ 62,421,04%TelefoneR$ 345,991,19%Gasolina c/ solventeR$ 60,771,02%Energia ElétricaR$ 126,920,44%TriocloretolenoR$ 45,000,75%ÁguaR$ 86,560,30%Regulador OxigênioR$ 27,000,45%AlimentaçãoR$ 83,220,29%CartórioR$ 13,660,23%InternetR$ 53,600,18%Material LimpezaR$ 8,830,15%TOTALR$ 29.105,35100,00%TOTALR$ 5.984,08100,00%<br />Dados referentes a custos fixos estão registrados no gráfico imediatamente a seguir. Vejamos.<br />Custos Fixos<br />Gráfico 1. Custos Fixos<br />Como se verifica (cf.: TAB 1; GRÀF. 1), as finanças da EMECC ficam bem comprometidas com o parcelamento de impostos, o que, por sua vez, compromete mais que a retirada dos sócios, pois o inadimplemento por falta de pagamento na data devida é passível de penalização. Verifica-se, também, que a parcela do empréstimo bancário - R$ 1.530,92 (Mil quinhentos e trinta reais e noventa e dois centavos) - demonstra-se consideravelmente grande em relação às outras despesas. <br />Conforme dados coletados, o empréstimo foi feito devido à falta de capital de giro para um bom funcionamento da empresa. Vinte e quatro (24) parcelas de R$1.530, 92 (mil, quinhentos e trinta reais e noventa e dois centavos), ao Custo Efetivo Total (CET) de R$30.000,00 (Trinta mil reais) Diante disso, os juros aplicados neste empréstimo 3,87% ao mês – ainda que correspondam aos valores de mercado – propiciam mais gastos. Assim, quitar o empréstimo, o que se dará no mês Dezembro de 2012, sem contrair quaisquer outras despesas, antes disso, é estratégia de urgência.<br />Conforme a Tabela 2, abaixo, o resultado no final do mês de Janeiro, a EMECC contou com um lucro líquido de R$3.630,37 (por extenso). Vejamos.<br />Tabela 2 – Lucro Líquido, Janeiro 2011<br />Lucro Liquido Janeiro 2011Receitas (+)Custo Sobre Prod./Serviços (-)Custos Fixos(-)Custos Variáveis (-)Lucro Liquido (=)49.695,0010.975,2029.105,355.984,083.630,37<br />De acordo com os dados acima, verifica-se que, em janeiro de 2011, o custo sobre produção e serviços são os insumos de que a empresa necessita para entregar seus produtos ou serviços finais. Pode-se dizer, então, que a empresa tem uma boa margem de lucro e nesse período seu resultado foi positivo, apesar de que seus custos fixos estejam onerando seu faturamento. <br />A respeito dos parcelamentos de impostos e rescisões trabalhistas que afetam as receitas da EMECC, vejam-se dados a seguir:<br />Tabela 3 – Porcentagem dos Custos em Relação à Receita, Janeiro 2011<br />FixosJAN%VariáveisJan%Parcelamento de Impostos R$ 8.158,9616,42%Rescisões TrabalhistasR$ 4.500,009,06%Pagamento de FuncionáriosR$ 7.733,6715,56%Tarifas de Juros BancáriosR$ 679,501,37%Pró-LaboreR$ 6.241,3612,56%ConfraternizaçãoR$ 184,320,37%AluguelR$ 3.000,006,04%Mão-de-obra TercerizadaR$ 130,000,26%Empréstimo BancárioR$ 1.530,973,08%Imposto VeículosR$ 119,060,24%Transporte Funcionários R$ 870,951,75%Concerto VeículosR$ 83,520,17%CombustívelR$ 523,151,05%UsinagemR$ 70,000,14%ContabilidadeR$ 350,000,70%DividasR$ 62,420,13%TelefoneR$ 345,990,70%Gasilna c/ solventeR$ 60,770,12%Energia ElétricaR$ 126,920,26%TriocloretolenoR$ 45,000,09%ÁguaR$ 86,560,17%Regulador OxigênioR$ 27,000,05%AlimentaçãoR$ 83,220,17%CartórioR$ 13,660,03%InternetR$ 53,600,11%Material LimpezaR$ 8,830,02%TOTALR$ 29.105,3558,57%TOTALR$ 5.984,0812,04%Custo Sobre Prod./Serviços TOTALR$ 10.975,2022,09%<br />Mais uma vez fica evidenciado, na tabela 03 acima, como os parcelamentos de impostos e rescisões trabalhistas afetam negativamente as receitas da empresa.<br />Tabela 4 – Relação de Dias/Horas Trabalhados x Custos, Janeiro 2011<br />CUSTOS FIXOSCUSTOS VARIÁVEISFixos%DIASHORAVariáveis%DIASHORASParcelamento de Impostos 16,42%4,2732,10Rescisões Trabalhistas9,06%2,3517,70Pagamento de Funcionários15,56%4,0530,43Tarifas de Juros Bancários1,37%0,362,67Pró-Labore12,56%3,2724,56Confraternização0,37%0,100,73Aluguel6,04%1,5711,80Mão-de-obra Tercerizada0,26%0,070,51Empréstimo Bancário3,08%0,806,02Imposto Veículos0,24%0,060,47Transporte Funcionários 1,75%0,463,43Conserto Veículos0,17%0,040,33Combustível1,05%0,272,06Usinagem0,14%0,040,28Contabilidade0,70%0,181,38Dividas0,13%0,030,25Telefone0,70%0,181,36Gasolina c/ solvente0,12%0,030,24Energia Elétrica0,26%0,070,50Triocloretileno0,09%0,020,18Água0,17%0,050,34Regulador Oxigênio0,05%0,010,11Alimentação0,17%0,040,33Cartório0,03%0,010,05Internet0,11%0,030,21Material Limpeza0,02%0,000,03TOTAL58,57%15,23114,51TOTAL12,04%3,1323,54Custo Sobre Prod./Serviços TOTAL22,09%5,7443,18<br />De acordo com a tabela 4, no mês de Janeiro, pode-se traçar a média de quantos dias e horas o empreendimento deve funcionar para pagar cada um dos seus gastos, já que o mês de janeiro referido teve 30 dias corridos. <br />Se a empresa funcionou 25 dias, no mês em questão, e, de acordo com sua carga-horária de trabalho, teve um total de 188 horas trabalhadas no mês inteiro. Dessa forma, a EMECC fatura, em média, a quantia de R$1.911,35 (mil novecentos e onze reais e trinta e cinco centavos) por dia ou de R$238,92 (duzentos e trinta e oito reais e noventa e dois centavos) por hora. A Tabela 4 traz essa relação de dias/horas trabalhos versus custos.<br />Em seguida, está a tabela 05 onde foi feito um comparativo entre as receitas e as despesas dos meses de Janeiro e Fevereiro de 2011 e o saldo final .<br />Tabela 5 – Comparativo de Faturamento, Janeiro e Fevereiro 2011<br />Comparativo de FaturamentoMêsReceitas (+)Despesas (-)Lucro Liquido (=)JaneiroR$ 49.695,00R$ 46.134,63R$ 3.560,37FevereiroR$ 35.096,00R$ 37.929,19-R$ 2.833,19<br />Como se verifica no gráfico abaixo (GRÁF. 2), realizando análise das contas a pagar e a receber dos meses de Janeiro e Fevereiro de 2011, identificamos que a empresa encontra-se em um cenário muito oscilante.<br />Comparativo de Faturamento, Janeiro e Fevereiro 2011<br />Gráfico 02: Comparativo de faturamento, Janeiro e Fevereiro 2011<br />

×