SlideShare uma empresa Scribd logo
Sistema Mineiro de Inovação - Simi




inove em
Minas
inove em Minas



Índice
Minas Gerais em Números                                                04
Introdução
Governador do Estado de Minas Gerais                                    05
Secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior                     06
Secretário de Desenvolvimento Econômico                                 07

Por que Inovar em Minas Gerais?                                        08
Instituições de Ensino e Pesquisa                                      08
Profissionais Qualificados                                             14
O Ambiente de Inovação em Minas Gerais                                 17
O Sistema Mineiro de Inovação                                          19
Fapemig                                                                21
Propriedade Intelectual                                                23
Parques Tecnológicos                                                   25
Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica                            25
Padrão de Inovação das Empresas Mineiras                               27
A Economia Mineira                                                     29
Qualidade de Vida                                                      31
Setores Estratégicos: Oportunidades de
Investimentos em Inovação                                              32
Agronegócio                                                            35
Automotivo                                                             37
Biotecnologia                                                          39
Econegócios                                                            42
Eletroeletrônico                                                       44
Energia                                                                46
Mínero-metalúrgico                                                     48
Tecnologia da Informação                                               50
O Governo de Minas Gerais:
Estado para Resultados                                                 51
Inove em Minas: Programa de Instalação
de Centros de P&D em Minas Gerais                                      53
Como Entrar em Contato com o Estado                                    54
Glossário de Siglas e Abreviaturas                                     55
                                                                         3
Minas Gerais em números




                                                   Brasília




                                                                  Belo Horizonte

                                                                  Rio de Janeiro
                                                         São Paulo




                                                Economia
                                                PIB                                R$237 bilhões1
                                                PIB per capita                     R$11.0281
                                                Crescimento do PIB (termos         5,8%1
 Composição da atividade econômica (2007)       reais)
 Serviços                     60%               Importações                        US$10,5 bilhões2
 Indústria                    32%               Exportações                        US$24,4 bilhões2
 Agropecuária                 8,4%              População economicamente           10.696.0004
                                                ativa3
Fonte:
Fundação João Pinheiro                          População economicamente           2.523.0005
                                                ativa (Região Metropolitana
 Universidade Federais        11                de Belo Horizonte)
 Universidades Estaduais      2                Fontes:
                                               1. 2007 - Resultados preliminares – Fundação João Pi-
 Institutos Tecnológicos      9                nheiro
                                               2. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio
Fonte:                                         Exterior (MDIC) - 2008
Ministério da Educação                         3. Pessoas com 10 anos ou mais de idade
                                               4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
 Área territorial             586.648,7 km2    – Pesquisa Mensal de Emprego (PME) Maio/2009
                                               5. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD)
 Capital                      Belo Horizonte   - 2007

4
Introdução    inove em Minas



                                   Introdução
                                   Governador do Estado de Minas Gerais
                                                             A chamada econo-       pliam-se as oportunidades com as novas regras
                                                             mia do conhecimen-     e com a participação crescente dos novos fato-
   Foto: Omar Freire/Imprensa MG




                                                             to, que se estrutura   res de produção.
                                                             progressivamente
                                                             no mundo contem-       O Estado de Minas Gerais — sintonizado com
                                                             porâneo, está deslo-   as exigências da globalização, inclusive com a
                                                             cando o eixo do de-    velocidade possível para não perder o “timing”
                                                             senvolvimento e da     — está conduzindo esse novo momento com
                                   Governador Aécio Neves
                                                             geração de riqueza     ações concretas para a sociedade. A meta é
                                   dos segmentos produtivos tradicionais — in-      criar as condições necessárias para transformar
                                   tensivos em matéria-prima, capital e trabalho    o conhecimento, uma riqueza potencial, em
                                   — para aqueles que geram produtos e serviços     benefícios representados por mais produtivida-
                                   com alto conteúdo tecnológico e conhecimen-      de, qualidade e competitividade, resultando em
                                   to, em geral com muito mais valor agregado.      mais emprego e melhores salários, mais renda
                                   Nesse processo, a inovação, que cada vez mais    e mais divisas.
                                   é o grande desafio, conquistou todas as agen-
                                   das e tornou-se uma questão de sobrevivência     Tomamos algumas decisões estratégicas para
                                   no nosso tempo.                                  acelerar a inovação e fazê-la acontecer em
                                                                                    nosso estado, entre elas duas consideradas fun-
                                                                                    damentais: a expansão da Secretaria de Estado
“A meta é criar as condições necessárias para                                       de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a
transformar o conhecimento, uma riqueza poten-                                      determinação de repassar, de forma inédita na
cial, em benefícios representados por mais produ-                                   nossa história, o que prevê a Constituição Mi-
tividade, qualidade e competitividade”                                              neira - 1% da receita corrente líquida do Esta-
                                                                                    do - à Fundação de Amparo à Pesquisa do Es-
                                                                                    tado de Minas Gerais (Fapemig). Com isso, não
                                   E este desafio é ainda maior e mais decisivo     só ampliamos muito o nosso apoio à pesquisa
                                   porque, ao avançarmos da sociedade industrial    mineira, mas investimos também em projetos
                                   para a pós-industrial, vivemos um momento de     e programas de inovação com parcerias muito
                                   mudanças de paradigmas, na qual o conheci-       vigorosas, tanto no segmento público, quanto
                                   mento é o fator decisivo, e a inovação o pro-    no privado.
                                   cesso mais importante. Como todo momento de
                                   mudanças profundas, há risco e oportunidade.     Com uma política avançada de apoio à ciên-
                                   O risco é representado pela velocidade que ca-   cia, tecnologia e inovação, e de fortalecimen-
                                   racteriza as transformações que vêm ocorren-     to da nossa pós-graduação, estamos convictos
                                   do, podendo aumentar de maneira inédita o        de estar trilhando o caminho certo para Minas
                                   fosso que separa os países líderes dos países    Gerais contribuir ainda mais para o desenvol-
                                   emergentes, como o Brasil. Por outro lado, am-   vimento do Brasil.
                                                                                                                                 5
inove em Minas       Introdução




                            Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
                                                         As experiências bem-       nosso Estado. Instituído com a missão estratégica de
                                                         sucedidas de países e      proporcionar um ambiente propício à inovação no
                                                         regiões ao longo da        Estado de Minas Gerais, o Programa Simi (Sistema
Foto: Lucia Sebe/Secom-MG




                                                         história nos ensinam       Mineiro de Inovação) cria uma nova dinâmica entre
                                                         que, para evoluir na       os atores de inovação locais, aumentando substan-
                                                         direção de uma re-         cialmente sua interação. O Simi promove interações
                                                         alidade mais rica e        entre pesquisadores, empresas e governo, alinhando
                                                         menos desigual, é ne-      demandas, ofertas tecnológicas e recursos de fomen-
                                                         cessário encontrar um      to à inovação. O Programa tem foco no desenvol-
                                                         equilíbrio entre o cres-   vimento regional e setorial, com a estruturação de
                            Alberto Duque Portugal       cimento econômico, a       Arranjos Produtivos Locais, Polos de Excelência e
                                                         distribuição de renda      Polos de Inovação, na formação profissional, com
                            e a preservação ambiental. Atingir esse equilíbrio,     atuação nas instituições de ensino, e na ampliação
                            também chamado de desenvolvimento sustentável,          da capacidade de inovação das empresas mineiras.
                            é o maior desafio para todos os Estados modernos,       Entre as ações do Simi, os Encontros de Inovação
                            que através do planejamento e da gestão pública         promovem reuniões presenciais entre empresários e
                            procuram estabelecer uma harmonia entre forças          pesquisadores de setores específicos, com o objetivo
                            aparentemente conflitantes. A experiência histórica     de fazer o encontro entre demandas técnicas e solu-
                            nos diz que a força propulsora do desenvolvimento       ções tecnológicas. Tudo isso suportado por um portal
                            sustentável é a inovação. Desenvolvimento e ino-        em web 2.0, que já possui mais de 1.000 participan-
                            vação são dois fenômenos interdependentes, que se       tes em sua rede de inovação.
                            influenciam mutuamente e criam as condições para
                            os países atingirem sua maturidade social. Minas        Uma das iniciativas mais relevantes que compõe o
                            Gerais é um Estado cujas vocações produtivas são        Simi é o Programa “Inove em Minas”. Esse programa
                            fortemente conectadas com as principais trajetórias     visa consolidar as pontes entre ciência e mercado
                            de inovação tecnológica mundiais. As empresas de        em nosso Estado, ressaltando as diversas vantagens
                            agronegócio, softwares e metal-mecânica pertencem       competitivas que o sistema de inovação mineiro pos-
                            a setores econômicos extremamente propícios às          sui para empresas intensivas em inovação que se in-
                            inovações tecnológicas advindas da biotecnologia,       teressem em instalar seu centro de P&D no Estado.
                            tecnologias da informação e a nanotecnologia.           O programa foi estruturado a partir de um estudo de
                                                                                    práticas mundiais, cujo principal objetivo era levan-
                            Com a visão de que o sucesso da inovação exige a ar-    tar as características mais relevantes de um ambiente
                            ticulação de diferentes competências, as Secretarias    propício à inovação para as empresas, consolidá-los
                            de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e de De-       e aplicá-los na forma de uma política pública.
                            senvolvimento Econômico vem realizando projetos
                            conjuntos com o objetivo de fortalecer o ambiente       Essas características do sistema de inovação mineiro,
                            de inovação do Estado de Minas Gerais. O principal      associadas às políticas de integração universidade-
                            foco da política pública e da atuação do Estado é a     empresa promovidas especialmente pela Fapemig,
                            construção de uma “ponte entre ciência e mercado”,      potencializam a eficiência e o retorno de investi-
                            que se constitui em elemento decisivo para um siste-    mentos privados em pesquisa e desenvolvimento.
                            ma de inovação orgânico e interativo.                   Esse documento possui o objetivo de apresentar de
                                                                                    forma estruturada e objetiva as características e polí-
                            Um desafio constante do governo de Minas Gerais         ticas públicas que tornam Minas Gerais atrativo para
                            é a consolidação do seu sistema de inovação, que        esses investimentos fundamentais para o desenvol-
                            promove a integração entre instituições, pesquisa-      vimento econômico sustentável para orientar a to-
                            dores e as empresas inovadoras que se instalam em       mada de decisão das empresas e centros de pesquisa.


                            6
Introdução     inove em Minas




                     Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico
                                                  A Secretaria de Estado    Vale do Mucuri.
                                                  de Desenvolvimento
                                                  Econômico       (SEDE)    O programa “Inove em Minas”, sob a responsabili-
                                                  está firmemente em-       dade da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia
Foto: Wellington Pedro




                                                  penhada em atuar na       e Ensino Superior (SECTES), terá, portanto, apoio
                                                  atração de investi-       irrestrito do Sistema Operacional de Desenvolvi-
                                                  mentos que realmente      mento Econômico na disponibilização de toda a in-
                                                  venham agregar valor      fra-estrutura que estiver ao nosso alcance para que
                                                  e conteúdo tecnológi-     possa abrigar iniciativas que visem o cumprimento
                     Sérgio Barroso               co ao parque indus-       de suas metas, entre elas a instalação de centros de
                                                  trial mineiro. Nossa      Pesquisa e Desenvolvimento visando a busca per-
                                                  orientação ao Institu-    manente da inovação na cadeia produtiva.
                     to de Desenvolvimento Integrado (INDI), que é a
                     porta de entrada do investidor em Minas Gerais, é      Vale lembrar que a SECTES e a SEDE, além da Se-
                     trabalhar para buscar investimentos em tecnologia      cretaria de Estado de Educação (SEE) e da Secre-
                     de ponta, no país e no exterior, e nesse sentido já    taria de Desenvolvimento Social (SEDESE), estão
                     estamos colhendo resultados bastante significati-      atuando em conjunto na implementação do Pólo
                     vos.                                                   de Aviação Civil na Região Metropolitana de Belo
                                                                            Horizonte, programa que conta ainda com a par-
                     A conclusão do Aeroporto Indústria, cujas obras        ticipação da Agência Nacional de Aviação Civil
                     estão em ritmo acelerado, no Aeroporto Interna-        (Anac), na formação de profissionais de nível supe-
                     cional Tancredo Neves (AITN), o primeiro no Bra-       rior e médio para o setor aeronáutico e criação de
                     sil a obter credenciamento da Receita Federal para     um Centro de Capacitação Aeroespacial na cidade
                     operar como aeroporto industrial, vai possibilitar     de Lagoa Santa.
                     a inserção de Minas Gerais em um novo contexto
                     no comércio exterior. O Estado passará a contribuir
                     para a expansão das exportações e das importações         “A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econô-
                     por via aérea, modal de transporte responsável por        mico (SEDE) está firmemente empenhada em atuar
                     mais de 40% do comércio mundial em valor, e as-
                                                                               na atração de investimentos que realmente venham
                     sim poderá ingressar na chamada Nova Economia.
                                                                               agregar valor e conteúdo tecnológico ao parque in-
                     No Aeroporto Industrial, cujos lotes serão licitados      dustrial mineiro.”
                     pela Infraero em parceria com o Governo de Mi-
                     nas, serão instaladas empresas com atuação na área
                     de tecnologia de ponta, que fabricarão produtos de     Inúmeras outras iniciativas em curso colocarão Mi-
                     alto valor agregado para diferentes mercados mun-      nas em outro patamar de tecnologia, no planeja-
                     diais (“global supply chain”), desfrutando de regime   mento da expansão ordenada em termos urbanís-
                     especial de tributação. Além dessa iniciativa, que     ticos e ambientais do Vetor Norte da RMBH, com
                     integra o Projeto Estruturador “Inserção das Empre-    repercussão em todo o Estado, na produção de bens
                     sas Mineiras no Mercado Internacional”, estamos        e serviços, no processamento de alimentos, contri-
                     apoiando também a expansão de vários Arranjos          buindo para o aumento do PIB estadual, geração de
                     Produtivos Locais, bem como a Zona de Proces-          empregos qualificados e melhoria das condições de
                     samento da Exportação (ZPE) de Teófilo Otoni, no       vida dos mineiros.

                                                                                                                              7
Por que
    Inovar em
    Minas Gerais?


Minas Gerais é referência nacional em Instituições de     dos profissionais formados no Estado. Entre as 10 me-
Ciência e Tecnologia (ICTs), que são representadas por    lhores instituições de ensino superior do Brasil, 4 são
universidades e institutos tecnológicos. O Estado conta   mineiras. Estas instituições obtiveram conceito máxi-
com 11 universidades federais, 2 universidades esta-      mo na avaliação de qualidade realizada pelo Minis-
duais e 9 institutos tecnológicos. A excelência na qua-   tério da Educação. Minas é o terceiro Estado em nú-
lificação de pesquisadores e da atividade de pesquisa     mero de pesquisadores doutores, representando 9,6%
torna algumas dessas instituições referência para as      do total do país e responde, ainda, por 10% das linhas
atividades de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de         e 9,4% dos grupos de pesquisa, posicionando-se em
seu entorno produtivo.                                    quarto lugar no cenário nacional nestes quesitos.

A formação de um ambiente competitivo para a ino-         A presença de ICTs de excelência em Minas Gerais
vação tecnológica depende de recursos humanos e           possibilita a realização de diversas formas de intera-
infra-estrutura diferenciados. A inovação no século       ções entre estas instituições e o setor produtivo. Um
XXI requer a existência de instituições locais com        indicador desse potencial é a elevada representativi-
forte capacidade de se conectar aos desenvolvimentos      dade nacional das patentes de universidades minei-
tecnológicos e científicos existentes em todo o mun-      ras, que correspondem a 17% do total de patentes
do, e que consigam transbordar essas conexões para        de universidades brasileiras no Instituto Nacional da
as empresas inovadoras que constituem seu entorno         Propriedade Industrial (INPI). A qualidade da produ-
produtivo.                                                ção científica e dos profissionais mineiros revela um
                                                          elevado potencial de criação de novos produtos ou
O ambiente de inovação em Minas Gerais se destaca         melhoria das técnicas produtivas em diversas áreas, o
nacionalmente devido à qualidade de suas instituições     que pode gerar benefícios para as empresas, institui-
de ensino e pesquisa, de seus institutos tecnológicos e   ções, pesquisadores e para a sociedade como um todo.

                   Grupos de pesquisa Linhas de pesquisa Pesquisadores* Doutores* Patentes de Universidades
 Minas Gerais 2.135                   8.509                15.842          7.405      462
 Brasil            22.797             86.075               159.948         76.936     2.664
 MG/BR             9%                 10%                  10%             10%        17%
*Ligados a grupos de pesquisa

8
Por que inovar em Minas Gerais?       inove em Minas



Instituições de Ensino e                                                     Universidades Mineiras

Pesquisa                                                                     Posição no Instituição
                                                                             ranking    de Ensino
                                                                                                               IGC (por
                                                                                                               faixas)**
                                                                             nacional   Superior
                                                                             - 2008*
As universidades em Minas Gerais
                                                                             3              UFMG               5
A qualidade das universidades mineiras, em relação à pesquisa e à
                                                                             4              Ufla               5
formação de profissionais, é um fator capaz de potencializar o retorno
dos investimentos em P&D realizados no Estado. Essas instituições se         6              UFTM               5
destacam pela realização de conexões com o setor produtivo local para        7              UFV                5
cooperação no desenvolvimento de novos produtos ou para transfe-
                                                                             13             Unifal-MG          4
rência tecnológica. As patentes de universidades mineiras representam
17% do total nacional, o que indica o potencial de transbordamento do        16             Unifei             4
conhecimento científico gerado no Estado para o setor empresarial.           18             UFU                4
                                                      UFVJM                  20             UFJF               4
           Unimontes
                                                      Uemg                   24             Ufop               4
     UFU
                                                      UFMG                   26             UFVJM              4
     UFTM
     UFSJ                                             Ufop                   28             UFSJ               4
                                                      UFV                    44             Unimontes          4
     Unifal
                                                      UFJF                   75             Uemg               3
     Unifei
                                                                            * No total de 178 instituições de ensino
                                                  Ufla
                                                                            superior.
                                                                            ** O Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC)
A seguir, são apresentadas quatro das universidades de maior destaque       é um indicador de qualidade de instituições
                                                                            de educação superior calculado a partir dos
em Minas Gerais, de acordo com o número de depósitos e patentes e
                                                                            resultados do Exame Nacional de Desempenho
segundo o ranking das melhores universidades do Brasil realizado pelo       dos Estudantes (Enade), para a graduação, e
Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio         da nota Coordenação de Aperfeiçoamento de
Teixeira), do Ministério da Educação, para o ano de 2008.                   Pessoal de Nível Superior (Capes), para a pós-
                                                                            graduação. As faixas do IGC vão de 0 a 5.
UFMG
Localizada na cidade de Belo Horizonte, a Universidade Federal de
Minas Gerais (UFMG) é a segunda maior universidade federal do país
e a terceira melhor instituição brasileira de ensino superior. Na área de
biotecnologia a UFMG é reconhecida como um dos mais promissores
polos de pesquisa em emergência no mundo. A universidade está lo-
calizada a aproximadamente 600 km da cidade de São Paulo e a 450
km do Rio de Janeiro.
 Pesquisadores                          3.417
 Pesquisadores Doutores                 2.610
 Grupos de pesquisa                     630
 Linhas de pesquisa                     2.559
 Principais   Aeroespacial
 áreas        Ambiental
 tecnológicas Ciências Biológicas e da Saúde
              Ciências Exatas e Computação
              Ciências Agrárias
              Engenharias: Civil, de Controle e Automação, de Mi-
              nas, Elétrica, Mecânica, Metalúrgica e Química.

                                                                                                                   9
inove em Minas          Por que Inovar em Minas Gerais?


UFV                                                           UFLA
A Universidade Federal de Viçosa (UFV) é reconhe-             A Universidade Federal de Lavras (Ufla) é referên-
cida principalmente pela excelência nas áreas de              cia em ciências agrárias no Estado de Minas Gerais.
ciências agrárias e exatas, constituindo-se em uma            Posicionada em 4° lugar entre as melhores insti-
das instituições mais importantes para as atividades          tuições de ensino superior brasileiras, a Ufla tem
de P&D do agronegócio no Estado e no Brasil. Em               uma produção científica de aproximadamente 3000
2008, a instituição obteve o 7° lugar entre as me-            publicações por ano. A universidade está localiza-
lhores universidades brasileiras, e o terceiro em Mi-         da a aproximadamente 250 km de Belo Horizonte,
nas Gerais. A universidade está localizada a aproxi-          380 km da cidade de São Paulo e 415 km do Rio de
madamente 230 km de Belo Horizonte, 650 km da                 Janeiro.
cidade de São Paulo e a 340 km do Rio de Janeiro
                                                              Pesquisadores                         495
 Pesquisadores                               1.218            Pesquisadores Doutores                452
 Pesquisadores Doutores                      1.016            Grupos de pesquisa                    69
 Grupos de pesquisa                          232              Linhas de pesquisa                    393
 Linhas de pesquisa                          1.100
                                                              Principais   Ciências Agrárias
 Principais   Ciências Agrárias                               áreas        Ciências Biológicas
 áreas        Ciências Biológicas e da Saúde                  tecnológicas Medicina Animal
 tecnológicas Ciências Exatas                                              Engenharias: Agrícola, Florestal e
              Ciências Tecnológicas                                        de Alimentos
                                                                           Ciências Exatas



                                                              UFU
 Universidades mineiras com depósitos de
 patentes                                                     Posicionada entre as 20 melhores instituições de en-
                                                              sino do Brasil, a Universidade Federal de Uberlân-
 Universidade                     Número de depósitos         dia (UFU) possui excelência na área de Biomédicas
                                  de patentes*                e é a terceira Universidade em Minas em depósitos
 UFMG                             278                         de patentes. A universidade está localizada a apro-
 UFV                              63                          ximadamente 540 km de Belo Horizonte, 590 km
 UFU                              37                          da cidade de São Paulo e 940 km do Rio de Janeiro.
 Ufop                             34
 Ufla                             21                          Pesquisadores                         976
 UFJF                             17                          Pesquisadores Doutores                700
 Unifei                           7                           Grupos de pesquisa                    190
 Unifal-MG                        3                           Linhas de pesquisa                    749
 UFSJ                             2
                                                              Principais   Biologia
                                                              áreas        Ciências Biomédicas
* Depósitos de patente no Instituto Nacional da Propriedade   tecnológicas Física
Intelectual – INPI. Período: 1992-2009
Patentes com as universidades em questão como depositantes.                Química
                                                                           Ciências Agrárias
                                                                           Genética
                                                                           Bioquímica

10
Por que Inovar em Minas Gerais?      inove em Minas


Outras universidades públicas mineiras

Universidades                Localização     Pesquisa- Linhas de Principais áreas         Distância
                                             dores     pesquisa tecnológicas              das princi-
                                                                                          pais capitais

Universidade Federal de Juiz Juiz de Fora    798       647        Bioquímica, Engenha-    BH: 280 km
de Fora                                                           rias Computacional e    RJ: 180 km
(UFJF)                                                            Elétrica                SP: 460 km

Universidade Federal do      Uberaba         495       393        Biomedicina, Ciências    BH: 300 km
Triângulo Mineiro                                                 Biológicas e da Saúde,   RJ: 720 km
(UFTM)                                                            Ciências Exatas, Enge- SP: 850 km
                                                                  nharias Mecânica, Civil,
                                                                  Ambiental, de Alimen-
                                                                  tos, Elétrica e Química

Universidade Federal de      Ouro Preto      311       270        Ciência da Computação, BH: 115 km
Ouro Preto                                                        Engenharia de Minas e RJ: 400 km
(Ufop)                                                            Metalúrgica            SP: 610 km

Universidade Federal de São São João Del-    261       215        Engenharias Elétrica,   BH: 200 km
João Del-Rey                Rey                                   Telecomunicações e de   RJ: 330 km
(UFSJ)                                                            Alimentos               SP: 470 km

Universidade do Estado de    Belo Horizonte 260        185        Design                  RJ: 450 km
Minas Gerais                                                                              SP: 600 km
(Uemg)

Universidade Estadual de     Montes Claros   238       99         Ciências Biológicas e da BH: 430 km
Montes Claros                                                     Saúde                    RJ: 850 km
(Unimontes)                                                       Ciências Agrárias        SP: 980 km
                                                                  Ciências Exatas

Universidade Federal de      Itajubá         214       251        Ciências Exatas,        BH: 450 km
Itajubá                                                           Engenharia Mecânica,    RJ: 300 km
(Unifei)                                                          Engenharia de Siste-    SP: 260 km
                                                                  mas e Tecnologia da
                                                                  Informação, Sistemas
                                                                  Elétricos e Energia

Universidade Federal dos     Diamantina      200       217        Engenharias Ambiental, BH: 300 km
Vales do Jequitinhonha e                                          Florestal e Hídrica    RJ: 720 km
Mucuri                                                                                   SP: 850 km
(UFVJM)

Universidade Federal de      Alfenas         176       124        Engenharias Ambiental   BH: 350 km
Alfenas                                                           e Química               RJ: 460 km
(Unifal)                                                                                  SP: 310 km


                                                                                                     11
inove em Minas   Por que Inovar em Minas Gerais?


Institutos e Centros Tecnológicos                       Principais   Sistemas de produção de milho e
                                                        áreas        sorgo, Produção Animal, Recur-
Os institutos tecnológicos localizados em Minas         tecnológicas sos Forrageiros e Meio Ambien-
Gerais reforçam a conexão entre a pesquisa e a                       te, Agronegócio do Leite, Saúde
realidade empresarial, com foco em diversas áreas                    Animal e Qualidade do Leite.
voltadas para o setor produtivo estadual e nacio-
nal. A realização de pesquisas aplicadas possibilita   EPAMIG
redução dos custos de desenvolvimento de novos
produtos das empresas instaladas no Estado parcei-     A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Ge-
ras dessas instituições.                               rais (Epamig) é a principal instituição de execução
                                                       de pesquisa agropecuária de Minas. Tem a função
                                                       de apresentar soluções para o complexo agrícola,
                                                       gerando capacitação técnica, serviços especializa-
Embrapa                                     Cetec      dos, alternativas tecnológicas e insumos qualifi-
(Milho e Sorgo)                             Epamig     cados compatíveis com a demanda do mercado. A
Embrapa                                     Fiocruz    empresa está localizada na cidade de Belo Horizon-
(Gado de Leite)                                        te, e possui 5 unidades regionais, nas cidades de La-
                                            CDTN       vras, Uberaba, Prudente de Moraes, Viçosa e Nova
                                                       Porteirinha. Além das unidades, a Epamig possui
Inatel                                      Cefet      25 fazendas experimentais, 2 núcleos de ensino, 4
                                            Funed      núcleos tecnológicos e 2 estações experimentais.

                                                        Pesquisadores                        185
                                                        Pesquisadores Doutores               114
EMBRAPA                                                 Grupos de pesquisa                   18
                                                        Linhas de pesquisa                   126
A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
                                                        Principais   Agroenergia, Aquicultura, Cafei-
(Embrapa) tem um importante papel no desen-             áreas        cultura, Floricultura, Fruticultura,
volvimento sustentável do agronegócio brasileiro,       tecnológicas Grandes Culturas, Oleicultura, Pes-
gerando, adaptando e transferindo conhecimen-
to e tecnologias a diversas regiões. A instituição                   quisa em Bovinos, Processamento
possui duas unidades em Minas Gerais, a Embrapa                      Agroindustrial, Silvicultura e Meio
Gado de Leite e a Embrapa Milho e Sorgo. Além                        Ambiente.
de possuir excelência no desenvolvimento de novas
tecnologias aplicadas à agropecuária, a Embrapa se     FIOCRUZ
destaca pela capacidade de estabelecimento de par-
cerias com o setor privado em projetos conjuntos       O Centro de Pesquisa René Rachou (CPqRR), uma
de inovação e transferência tecnológica. A Embra-      Unidade Regional da Fiocruz, tem como objetivo dar
pa Milho e Sorgo está localizada na cidade de Sete     apoio estratégico às atividades do Sistema Único de
Lagoas, a aproximadamente 60 km de Belo Hori-          Saúde (SUS), por meio de atividades integradas de
zonte. A Embrapa Gado de Leite está localizada na      pesquisa na área de saúde, formação de recursos hu-
cidade de Juiz de Fora, a 280 km da capital mineira.   manos e prestação de serviços à população. A insti-
                                                       tuição está localizada na cidade de Belo Horizonte.

 Pesquisadores                        215               Pesquisadores                         203
 Pesquisadores Doutores               147               Pesquisadores Doutores                155
 Grupos de pesquisa                   15                Grupos de pesquisa                    15
 Linhas de pesquisa                   108               Linhas de pesquisa                    106

12
Por que Inovar em Minas Gerais?            inove em Minas


 Principais   Biologia Celular e Molecular, Do-           Pesquisadores                               105
 áreas        enças Infecciosas e Parasitárias, e         Pesquisadores Doutores                      51
 tecnológicas Saúde Coletiva.
                                                          Grupos de pesquisa                          13
                                                          Linhas de pesquisa                          62
INATEL                                                    Principais   Tecnologia Mineral, Tecnologia
                                                          áreas        Metalúrgica e de Materiais, Bio-
O Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel)         tecnológicas tecnologia, Tecnologia Ambiental,
é o pioneiro na pesquisa nas áreas de Engenharia                       Metrologia e Ensaios e Informação
Elétrica e Telecomunicações no Brasil. A insti-                        Tecnológica.
tuição possui parcerias com empresas privadas,
realizadas a partir da Lei da Informática. Está lo-
calizada na cidade de Santa Rita do Sapucaí, a        CDTN
410 km de Belo Horizonte.
                                                      O Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nucle-
 Pesquisadores                        142             ar (CDTN) está localizado na UFMG, em Belo Ho-
 Pesquisadores Doutores               14              rizonte. Desenvolve diversas atividades e projetos
                                                      relativos à aplicação de técnicas nucleares, como o
 Grupos de pesquisa                   40
                                                      recebimento, tratamento e armazenamento de rejei-
 Linhas de pesquisa                   13
                                                      tos radioativos, gerenciamento de envelhecimento
 Principais   Eletrônica, Controle e Automa-          e extensão de vida de instalações nucleares e de-
 áreas        ção, Comunicação Digital, Rádio         senvolvimento de novas tecnologias para recupera-
 tecnológicas Freqüência e Microondas, Física         ção de minerais metálicos e não-metálicos. O CDTN
              e Química, Telefonia, Redes de          pertence à Comissão Nacional de Energia Nuclear
              Computadores, Transmissão Digital,      (CNEN), autarquia federal diretamente ligada ao
              Sistemas Celulares e Desenvolvi-        Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).
              mento de Software.
                                                          Pesquisadores                               161
CETEC-MG                                                  Pesquisadores Doutores                      89
                                                          Grupos de pesquisa                          52
O Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec-MG),
                                                          Linhas de pesquisa                          199
uma fundação vinculada à Sectes, possui pesqui-
sas nas áreas de tecnologia mineral, metalúrgica          Principais   Segurança Nuclear e Radiológica,
e materiais, alimentos, ambiental, metrologia e           áreas        Meio Ambiente, Materiais, Saúde e
ensaios, e informação tecnológica. A instituição          tecnológicas Tecnologia Nuclear.
está localizada na cidade de Belo Horizonte.



       Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifet)

       Os Ifets foram criados em 2008 a partir da           sendo eles: o Instituto Federal de Minas Gerais;
       união entre os centros federais de educação          Instituto Federal Norte de Minas Gerais; Insti-
       tecnológica, escolas agrotécnicas federais e es-     tuto Federal Sudeste de Minas Gerais; Instituto
       colas técnicas vinculadas a universidades. São       Federal Sul de Minas Gerais e o Instituto Fede-
       instituições de educação superior, básica e pro-     ral Triângulo Mineiro.
       fissional, pluricurriculares e multicampi, espe-
                                                            Fonte: Diário Oficial da União, Dezembro de 2008; Site do
       cializados na oferta de educação profissional e      Instituto Federal Minas Gerais.
       tecnológica. O Estado possui cinco institutos,


                                                                                                                    13
inove em Minas           Por que Inovar em Minas Gerais?


     CEFET-MG                                                          FUNED
     O Centro Federal de Educação Tecnológica de Mi-                   A Fundação Ezequiel Dias (Funed), localizada em
     nas Gerais (Cefet-MG), apesar de ser considerado                  Belo Horizonte, é referência entre as instituições
     um instituto tecnológico, também oferece ensino                   públicas de saúde, ciência e tecnologia do Brasil.
     técnico e superior voltados para a formação tecno-                A instituição é voltada para a produção de medi-
     lógica. A instituição, localizada na cidade de Belo               camentos essenciais e imunobiológicos, realização
     Horizonte, é o segundo Cefet brasileiro em número                 de pesquisas no campo da saúde pública, monitora-
     de pesquisadores e grupos de pesquisa, e o terceiro               mento das ações da Vigilância Sanitária, Epidemio-
     em número de linhas de pesquisa.                                  lógica e Ambiental e para a formação e capacitação
                                                                       de recursos humanos para o SUS.
      Pesquisadores                                284
      Pesquisadores Doutores                       148                  Pesquisadores                                 48
      Grupos de pesquisa                           38                   Pesquisadores Doutores                        28
      Linhas de pesquisa                           121                  Grupos de pesquisa                            9
                                                                        Linhas de pesquisa                            41
      Principais   Engenharias de Produção Ci-
      áreas        vil, de Automação Industrial, de                     Principais   Bioquímica, Química de Proteínas,
      tecnológicas Computação,de Controle e Automa-                     áreas        Farmacologia, Imunologia, Virolo-
                   ção, de Materiais, Elétrica, Mecâ-                   tecnológicas gia, Biologia Celular, Microbiologia,
                   nica, Mecatrônica, Tecnologia em                                  Morfologia, Zootecnia e Biotecno-
                   Radiologia e Química Tecnológica.                                 logia
     Fontes: Censo dos grupos de pesquisa – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – 2008; Portais das
     instituições; INEP: IGC – 2008.



     Grupos e Linhas de Pesquisa em Minas Gerais
     O número e a diversidade de grupos e linhas                   científico e tecnológico, enquanto a diversi-
     de pesquisa são indicadores do potencial de                   dade de linhas de pesquisa amplia o leque de
     geração de conhecimento científico e do trans-                oportunidades de geração de novas tecnolo-
     bordamento deste para o setor produtivo. A                    gias.
     formação de grupos de pesquisa garante a pro-
     dutividade e a qualidade do desenvolvimento                   Minas Gerais se destaca nacionalmente em núme-
                                                                   ro de grupos e linhas de pesquisa. O Estado possui
Minas Gerais se destaca nacionalmente em                           mais de 9% dos grupos de pesquisa do Brasil, a
números de grupos e linhas de pesquisa.                            maior parte relacionada à área de Ciências da Saú-
                                                                   de, seguida pelas Ciências Agrárias e Engenharias.

      Número de grupos e linhas de pesquisa em Minas Gerais - 2008
      Grande área                                  Grupos                                  Linhas de pesquisa
                                                  MG                   %BR                 MG                 %BR
      Ciências da Saúde                           320                  8%                  1.253              9%
      Ciências Agrárias                           307                  14%                 1.582              15%
      Engenharias                                 280                  9%                  1.236              9%
      Ciências Biológicas                         234                  9%                  1.083              9%
      Ciências Exatas e da Terra                  232                  9%                  1.119              10%
     Fontes: CNPq – Diretório dos grupos de pesquisa



     14
Por que inovar em Minas?    inove em Minas



Profissionais Qualificados
Minas Gerais é destaque no cenário brasileiro em relação ao número e à
qualificação de profissionais de ciência e tecnologia. Existem no Estado
aproximadamente 52,1 mil mestres e doutores, além de cerca de 1,2
milhões de profissionais graduados, segundo pesquisa de 2008 realizada
pelo IBGE. Cerca de 3,3 mil mestres e mais de 900 doutores foram titula-
dos em universidades mineiras em 2008, segundo dados da Capes, e este
número tem sido crescente a cada ano. De 2000 a 2008, o número de
mestres titulados em MG cresceu a uma taxa média de 10% ao ano, en-
quanto o número de doutores cresceu a uma taxa média de 14% ao ano.              A qualificação dos profissionais de
                                                                                 ciência e tecnologia em Minas Ge-
  Evolução do número de mestres e doutores titulados por ano em                  rais é beneficiada pela excelência
  Minas Gerais - 2000 a 2008                                                     das Instituições de Ensino e Pes-
3500                                                          3291               quisa presentes no Estado, e pelas
                                                                                 ações governamentais voltadas para
3000                                                                             o incentivo ao empreendedorismo e
2500                                                                             formação profissional articulada
                                                                                 com o setor produtivo.
2000
                                                                     Mestrado
1500
                                                                     Doutorado
 1000                                                          928

  500

    0
        2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008


Minas Gerais também recebe montantes consideráveis de recursos dos
órgãos brasileiros de fomento à pesquisa para a formação de mestres e
doutores. No ano de 2008, foram concedidos mais de R$160 milhões*
em bolsas de ensino e pesquisa para a formação destes profissionais no
Estado.

O Governo de Minas vem aumentando também o volume de investi-
mentos para a qualificação profissional, tanto no ensino profissionali-
zante quanto no ensino superior.

  Investimentos realizados em educação no Estado de Minas Gerais,
  por subfunção do setor de ensino - 2005 e 2007 (R$ milhões)
                          17
                 13
                                                  9
                                         4


                Profissionalizante                 Superior
                                                                                 *Recursos do CNPq e Capes
                                             2005             2007
Fonte: Balanço Geral do Estado de Minas Gerais, 2005 e 2007


                                                                                                             15
inove em Minas             Por que Inovar em Minas Gerais?


     O número de pesquisadores por milhão de habitan-               elevado número de mestres e doutores nas diver-
     tes em Minas Gerais é superior à média do Brasil, e            sas áreas do conhecimento, é um fator que garante
     o total representou, em 2008, cerca de 10% do país.            qualidade ao desenvolvimento científico e tecnoló-
     A presença de pesquisadores altamente qualifica-               gico de Minas Gerais.
     dos nos grupos de pesquisa, com a atuação de um


       Número de pesquisadores por nível de formação                 Número de pesquisadores por área de atuação em
       em Minas Gerais - 2008                                        Minas Gerais – 2008

                                                       8449
                                                                             2090
                                                                                 1935 1793
                                                                                                  1453 1381
                                                                                                                  1318
                                                                                                                          1058
                                                                                                                                  825

                                        2527




                                                                                                                                  ns
                                                                             as




                                                                                             s




                                                                                                                            s
                                                                                   e




                                                                                                   s


                                                                                                            is


                                                                                                                    s



                                                                                                                                 ge
                                                                                            ia
                          430




                                                                                                                          ta
                                                                                                  ia




                                                                                                                  ca
                                                                                  úd
            362




                                                                                                         ia
                                                                             an




                                                                                         ár

                                                                                                 ar




                                                                                                                        xa

                                                                                                                                ua
                                                                                                                 gi
                                                                                                       oc
                                                                                  Sa
                                                                           um




                                                                                        gr

                                                                                              nh




                                                                                                               ló

                                                                                                                      sE

                                                                                                                             ng
                                                                                                       sS
                                                                                       sA




                                                                                                             io
                                                                                             ge
                                                                        sH




                                                                                                                            Li
                                                                                                                    cia
                                                                                                   cia

                                                                                                            sB
                                                                                            En
                                                                                   cia




                                                                                                                          se
                                                                     cia




                                                                                                                 ên
                                                                                                  ên

                                                                                                         cia
          Graduação   Especialização   Mestrado       Doutores




                                                                                  ên




                                                                                                                       te
                                                                    ên




                                                                                                                 Ci
                                                                                                 Ci

                                                                                                       ên
                                                                                  Ci




                                                                                                                      Ar
                                                                   Ci




                                                                                                      Ci
     Fonte: CNPQ




     Programa Mineiro de Empreendedorismo                                                   Programa Mineiro
     na Pós-Graduação                                                                       de Empreendedorismo
                                                                                            na Pós-graduação


     Seminários vivenciais que trabalham as carac-               Estado de Minas Gerais. Participarão em média
     terísticas do empreendedor no processo de ino-              60 alunos de pós-graduação por universidade, e
     vação serão oferecidos para alunos de diversos              espera-se que cada instituição apresente em tor-
     cursos de pós-graduação de todas as universi-               no de 15 projetos de inovação. O Programa Mi-
     dades públicas de Minas Gerais. Será realizado              neiro de Empreendedorismo na Pós-Graduação
     também um torneio de planos de inovação, uma                tem como objetivo estimular a cultura empre-
     competição em que serão escolhidos os melho-                endedora, concretizando o transbordamento da
     res projetos de cada curso participante, de cada            pesquisa acadêmica para o mercado através do
     universidade e, finalmente, o melhor projeto do             estímulo ao comportamento empreendedor dos
                                                                 alunos de pós-graduação. Nesse contexto, espe-
                                                                 ra-se ampliar a visão de oportunidades de ne-
O Programa tem como objetivo estimular a                         gócio dos mestrandos e doutorandos de Minas
cultura empreendedora dos estudantes de pós-                     Gerais, para que, a partir dos trabalhos de seus
graduação.                                                       grupos de pesquisa, possam aumentar a intera-
                                                                 ção com as empresas e a realidade do mercado.




     16
O Ambiente de
Inovação em
Minas Gerais
                O sucesso da inovação tecnológica depende da
                existência de empresas inovadoras e instituições
                de ciência e tecnologia e, principalmente, de ini-
                ciativas que possam promover a aplicação do co-
                nhecimento científico em novos produtos e pro-
                cessos de produção. O fortalecimento de redes de
                cooperação que possam viabilizar parcerias entre
                instituições de pesquisa e empresas é um elemen-
                to fundamental na estratégia de desenvolvimento
                científico e tecnológico do Estado de Minas Ge-
                rais.

                Nesse sentido, o governo possui um conjunto de
                ações consistentes para a prospecção constante
                das demandas e oportunidades tecnológicas. Res-
                paldado pela Lei Mineira de Inovação, viabiliza
                projetos conjuntos entre empresas e universidades
                focados para o desenvolvimento de tecnologias
                inovadoras para o mercado nacional e mundial.




                                                                     17
inove em Minas       O Ambiente de Inovação em Minas Gerais



      O Sistema Mineiro de Inovação
      O Sistema Mineiro de Inovação (Simi), iniciativa do       formação profissional orientada para o mercado e na
      Governo de Minas Gerais, tem como missão criar um         ampliação da capacidade de inovação das empresas
      ambiente propício à inovação no Estado, por meio da       mineiras.
      promoção de interações entre pesquisadores, empre-
      sas e governo, alinhando demandas, ofertas tecnoló-       O desenvolvimento regional e setorial é estimulado
      gicas e recursos de fomento à inovação.                   através da estruturação de APLs, Polos de Excelência
                                                                e Polos de Inovação. Esses tem como objetivo am-
                                                                pliar e melhorar a capacidade competitiva de seg-
O Governo de Minas Gerais estimula a interação                  mentos econômicos de elevado conteúdo tecnológico
                                                                e promover o desenvolvimento regional e setorial. Os
entre os agentes de inovação, com o objetivo de
                                                                APLs aumentam a competitividade e a sustentabili-
atender as necessidades tecnológicas do mercado.
                                                                dade de negócios de elevado conteúdo tecnológico
                                                                pelo estímulo à interação com o conjunto de atores
                                                                econômicos, políticos e sociais locais. Os Polos de Ex-
      Plataforma Operacional                                    celência integram competências institucionais para
                                                                induzir o processo de desenvolvimento sustentável
      O Simi conta com uma plataforma operacional res-          de setores estratégicos. Os Polos de Inovação tem o
      ponsável por elaborar e aprovar as políticas e estraté-   objetivo de acelerar o processo de desenvolvimento
      gias de promoção da inovação, propagar a cultura de       de regiões economicamente menos desenvolvidas.
      inovação nos setores econômicos e sociais, divulgar
      novos conhecimentos e fornecer oportunidade de in-        O foco do governo mineiro na formação profissional
      teratividade entre os atores de inovação no Estado.       orientada para o mercado é representada pela im-
                                                                plantação, em parceria com o governo federal, de
      Uma das estratégias é o Portal web 2.0 do Simi (www.      84 Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) e 487
      simi.org.br), que permite que, de forma simples e in-     Telecentros. Esses conferem a Minas Gerais uma in-
      terativa, pesquisadores, empresários e membros do         fraestrutura de informática e telecomunicações, sen-
      governo possam se conhecer, trocar informações,           do este considerado o maior programa de inclusão
      criar temas de discussão e construir propostas de         digital do Brasil.
      projetos ou políticas públicas para o Estado. O Foco
      do Portal Simi é a geração de negócios inovadores         A Rede de Inovação Tecnológica (RIT), atua em ações
      entre os participantes do sistema, permitindo um          que implementam um ambiente favorável à inova-
      acesso prático e facilitado que favorece a velocidade,    ção no Estado, permitem a articulação entre empre-
      atributo fundamental para as empresas que querem          sas e instituições de ciência e tecnologia e estimulam
      inovar.                                                   a cultura de inovação na sociedade. Entre as ações
                                                                da RIT, descritas neste documento, estão incluídos os
      Outra ferramenta é o Observatório de Ciência, Tecno-      Parques Tecnológicos, as Incubadoras de Empresas
      logia, Inovação e Ensino Superior, que disponibiliza      existentes no Estado, a Lei Estadual de Inovação, o
      dados e informações para a prospecção, avaliação e        Programa Inove em Minas para atração de centros de
      monitoramento das políticas públicas e da competi-        pesquisa e desenvolvimento, o Programa de Incenti-
      tividade de Minas Gerais com base nos avanços da          vo à Inovação (PII), os Núcleos de Inovação Tecno-
      Ciência, da Tecnologia, da Inovação e do Ensino Su-       lógica (NITs), editais induzidos da Fapemig, além de:
      perior.
                                                                • Parque Industrial Tecnológico (PIT): localizado pró-
      Projetos Estruturadores                                   ximo ao Aeroporto Internacional de Confins, visa à
                                                                atração de indústrias de alto conteúdo tecnológico,
      O Simi é constituído por Projetos Estruturadores que      com foco na produção. Funcionará como transbor-
      focam no desenvolvimento regional e setorial, na          damento natural do BH-TEC.

      18
O Ambiente de Inovação em Minas Gerais   inove em Minas




                                                          19
inove em Minas       O Ambiente de Inovação em Minas Gerais



      Programa de Incentivo à Inovação em Minas Gerais (PII)
      O PII é um instrumento para transformação de         da transferência de tecnologia e geração de novos
      projetos de pesquisa aplicada em inovações tec-      produtos e EBTs. A geração de patentes é objeti-
      nológicas, melhoria da cultura da inovação nas       vo principal do NIT local e que auxilia a transfe-
      universidades e ampliação da rede de relaciona-      rência de tecnologias para outras empresas e até
      mento destas com a sociedade e o mercado. Foi        mesmo para proteger o produto no mercado. Os
      criado pelo Governo de Minas, por meio da Sec-       projetos de pesquisa viáveis são transformados
      tes, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio   em inovações tecnológicas por meio das ativida-
      às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG), ins-       des de chamada pública para seleção dos projetos
      tituições de ensino e pesquisa e governos muni-      de pesquisa da instituição, estudo de viabilidade
      cipais. Tem o objetivo de transferir tecnologias     técnica, econômica e comercial, desenvolvimento
      geradas na universidade para o mercado através       dos protótipos comerciais dos produtos gerados
                                                           e apresentação dos projetos para investidores. O
Um dos principais objetivos do PII é aumentar              projeto contemplou as universidades federais das
a interação entre as instituições de pesquisa e            cidades de Lavras (Ufla), Itajubá (Unifei), Juiz de
o mercado, com a promoção de transferência de              Fora (UFJF, Viçosa (UFV), Belo Horizonte (UFMG),
tecnologias.                                               Uberlândia (UFU); e nas Fundações Oswaldo Cruz
                                                           (Fiocruz) e Centro Tecnológico de Minas (Cetec).

      • Tecnologia Industrial Básica (TIB): melhora a qua-    são futuros empreendedores, profissionais informais,
      lidade de atendimento dos laboratórios que prestam      estudantes universitários e jovens da rede pública de
      serviços de análise metrológica e de avaliação da       ensino. O programa possui três linhas centrais: Cur-
      conformidade ao setor empresarial/industrial. A ação    sos de Empreendedorismo, cultura empreendedora
      é desenvolvida em parceria com o IPEM/INMETRO,          para os jovens e Núcleos de Apoio ao Empreende-
      Cetec, IEL/FIEMG, Rede Metrológica de Minas Gerais      dor (NAEs) que têm como objetivo o adensamento de
      e Sebrae.                                               ações direcionadas às demandas locais.
      • Centro Minas Design (CMD): Principal iniciativa       • Projeto Tecnologia Empreendedorismo e Inovação
      para contribuir para a inserção efetiva do design na    Aplicados (Teia): capacita prestadores de serviços
      economia mineira moderna como um recurso estraté-       que atuarão no desenvolvimento de novos negócios
      gico de incremento à competitividade dos produtos e     e criação de oportunidades de interação por meio de
      serviços do Estado no mercado global.                   ferramentas de Web 2.0 e redes sociais. Focado em
      A estratégia do Centro Minas Design é a sua atuação     empresas, autarquias, órgãos públicos, instituições
      em redes setoriais que promovem a integração de ato-    de ensino, sindicatos e associações, tem como meta
      res e expertises necessárias ao seu desenvolvimento     abranger todos os municípios mineiros.
      de forma integrada.
                                                              • Projeto C5: Centro de Competência em Comuni-
      É organizada em linhas de ação que têm como objeti-
                                                              dades de Cooperação e Conhecimento, formado por
      vo estruturar o desenvolvimento do design como uma
                                                              uma equipe multidisciplinar da UFMG (Ciências da
      ferramenta efetiva de promoção de competitividade.
                                                              Computação, Ciências Econômicas e Faculdade de
      Linhas de Ação:
                                                              Filosofia e Ciências Humanas). O Projeto C5 analisa,
      a) Promoção, Informação e Comunicação
                                                              de forma quantitativa e qualitativa, a evolução e os
      b) Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento
                                                              resultados do Projeto Teia e o impacto da economia
      c) Articulação, Políticas e Fomento
                                                              digital na sociedade.
      • Cultura Empreendedora: o Fomento à Cultura Em-
                                                              Entre as ações mais relevantes do Simi, os Encontros
      preendedora é uma ação que visa a formação e o de-
                                                              de Inovação promovem reuniões presenciais entre
      senvolvimento do perfil empreendedor nos cidadãos,
                                                              empresários e pesquisadores, com o objetivo de efe-
      por meio de atividades voltadas para a elaboração de
                                                              tivar transferências de tecnologias ou a realização de
      ferramentas de planejamento e gestão que tenham um
                                                              parcerias para a solução de problemas do setor pro-
      desdobramento em ações inovadoras. Os participantes
                                                              dutivo. A equipe responsável pelos Encontros procura
      20
O Ambiente de Inovação em Minas Gerais             inove em Minas


conhecer as necessidades das empresas instaladas no        Por meio de ações presenciais ou em ambiente virtu-
Estado e alinhá-las com os trabalhos de pesquisado-        al, o Simi configura-se como um verdadeiro sistema
res ou institutos de pesquisa que tenham competência       onde seus participantes possuem autonomia de ação,
técnica ou tecnologias já desenvolvidas para atendê-       mas podem criar relações de interdependência para o
las.                                                       desenvolvimento e fortalecimento de suas estratégias.


       Inovatec – Feira de Inovação Tecnológica
       A Inovatec é uma feira anual, considerada o            sários participantes dos Encontros de Inovação
       maior evento brasileiro de divulgação e incenti-       apresentaram interesse em firmar parceria com
       vo às inovações tecnológicas. O objetivo é pro-        pesquisadores. O resultado demonstra o suces-
       mover a interação, a troca de experiências e a         so das 181 reuniões promovidas pelo Simi com
       transferência de tecnologia entre pesquisadores,       o intuito de integrar mercado e academia para
       inventores, órgãos públicos, instituições de en-       impulsionar a inovação no Estado. Em três dias
       sino e pesquisa e empresas, garantindo assim o         da Inovatec foram realizados 11 Encontros dos
       avanço tecnológico e produtivo nos vários seg-         setores automotivo, eletroeletrônico, mineral e
       mentos da economia brasileira. Após a realiza-         metalúrgico, de leite e derivados, de biotecno-
       ção da Inovatec 2009, mais de 90% dos empre-           logia e de café.



Fapemig                                                    “Mestres e Doutores na Empresa” e o “Programa de
                                                           Apoio à Pesquisa em Empresas – Pappe”. Além desses
                                                           programas, a Fapemig também financia pesquisa e
A existência de recursos para o financiamento dos          desenvolvimento de empresas mediante a apresenta-
projetos inovadores é um elemento importante na            ção de projetos que possuam forte conteúdo inovador.
estratégia de viabilização das redes de inovação. A        Além disso, a Fapemig possui um programa de apoio
Fapemig é a agência mineira de fomento à pesquisa,         a inventores independentes, que não possuem vínculo
que opera com recursos advindos diretamente do or-         com instituições de pesquisa, e possuem idéias criati-
çamento do governo estadual, correspondente a 1%           vas e inovadoras para solucionar problemas tecnoló-
da receita corrente líquida do Estado. Ela é a principal   gicos das empresas.
agente indutora do desenvolvimento científico, tec-
nológico e de inovação em Minas e possui autonomia            A Fapemig é uma agência de fomento à pesquisa
para a gestão de seus recursos, sempre em concordân-          científica e tecnológica em Minas Gerais, respon-
cia com a política governamental de Ciência e Tec-            sável pelo intenso apoio às interações entre insti-
nologia.                                                      tuições de pesquisa e empresas.

 Fapemig – Evolução Financeira: Recursos do
 Tesouro Estadual (R$ milhões) - 2005-2008                 A Gerência de Propriedade Intelectual da Fapemig
                                              208          é responsável pela promoção e fortalecimento dos
                                172                        NITs de universidades e institutos de pesquisa, que
                   85                                      são os agentes responsáveis pela execução da política
      61
                                                           de propriedade intelectual e transferência tecnológica
                                                           dessas instituições. Entre 2004 e 2008, os recursos in-
     2005         2006          2007         2008
                                                           vestidos pela Fapemig na área de propriedade intelec-
                                                           tual passaram de R$50 mil para mais de R$3 milhões.
Como é mostrado a seguir, entre 2005 e 2008, o mon-
tante de recursos da Fapemig aumentou mais de três
vezes em relação ao valor inicial.
                                                              A política de propriedade intelectual no Estado é
                                                              beneficiada pelas ações e recursos da Fapemig, que
A Fapemig se destaca no cenário nacional pelo inten-
                                                              apóiam NITs e inventores independentes, estimu-
so apoio e fomento à interação entre universidades e
                                                              lando a transferência de tecnologias para o setor
empresas, especialmente através de Programas como
                                                              empresarial.

                                                                                                               21
inove em Minas       O Ambiente de Inovação em Minas Gerais


 Exemplos de programas e projetos especiais da Fapemig
 Programa de Apoio à         Programa executado em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep),
 Pesquisa em Empresas        do MCT, e a Fiemg. Através do Pappe são disponibilizados recursos para apoiar a
 (Pappe)                     inovação em EBTs que possam melhorar a competitividade dos produtos fabricados
                             no Estado. Em 2008, contemplou projetos que somaram R$ 20 milhões e atenderam
                             71 empresas.

 Edital Mestres e Doutores   Financia propostas conjuntas entre empresas e ICTs para o desenvolvimento de
 na Empresa                  projetos de inovação, com a contratação de mestres e doutores. Estimula a trans-
                             ferência de tecnologia e a consequente fixação de pesquisadores no setor empresa-
                             rial.
 Editais Induzidos           São elaborados em consonância com as políticas do Estado. Eles abrangem áreas
                             consideradas estratégicas para o desenvolvimento de Minas Gerais, como Recursos
                             Hídricos, Agronegócios, Biotecnologia, Eletroeletrônica, entre outros.
 Programa de Redes de        Incentivo à criação de redes de pesquisa formadas por universidades e centros de
 Pesquisa                    pesquisa, que se unem para estudar um tema específico. O programa é pautado na
                             articulação entre pesquisadores e instituições, na otimização do uso de recursos e
                             na formação de parcerias com órgãos federais que vêem nas redes uma oportunida-
                             de de financiamento articulado. Por meio desse edital, foram disponibilizados R$10
                             milhões em 2008.
 Programa de Implantação A Fapemig é responsável pelo apoio financeiro ao projeto da Sectes de implanta-
 de Pólos de Excelência e ção de Polos de Excelência e Polos de Inovação em Minas Gerais. Foram criados
 Pólos de Inovação        Polos de Excelência em cinco áreas – Café, Leite, Mínero- metalúrgico, Florestas
                          e Recursos Hídricos – e Polos de Inovação em regiões mineiras que possuem mais
                          dificuldade de desenvolvimento.




Editais Induzidos

Case Fiat Powertrain                                  Case Whirlpool

Uma parceria entre a Fapemig e a FPT foi reali-       A Fapemig lançou em 2009, em parceria com
zada por meio do edital “Mestres e Doutores na        a empresa Whirlpool S.A, um edital “Mestres e
Empresa”, destinou, em 2009. Foram destinados         Doutores na Empresa” voltado para o financia-
R$ 1,1 milhão em recursos para financiar projetos     mento de projetos inovadores em produtos de
inovadores de mestres e doutores na área de efici-    linha branca (refrigeradores, freezeres, fogões, la-
ência energética em produtos e processos (metade      vadoras, secadoras, fornos, coifas, climatizadores,
proveniente da Fapemig e a outra parte da em-         condicionadores e depuradores de ar), nos quais a
presa). Os principais objetivos são proporcionar o    empresa é especializada. O montante de recursos
desenvolvimento de novos produtos e processos         destinado às propostas aprovadas é de R$2 mi-
inovadores, estruturar o processo de pesquisa e       lhões, sendo R$1 milhão proveniente da Fapemig
desenvolvimento em parceria com ICTs ou Insti-        e R$1 milhão da Whirlpool. O termo de coopera-
tuições Privadas de Inovação Tecnológica (IPITs)      ção assinado entre a Fundação e a empresa prevê
localizadas no Estado de Minas Gerais, e, princi-     um investimento total de R$10 milhões, realizado
palmente, estimular a contratação de mestres e        por meio de editais a serem lançados nos próxi-
doutores como agentes do processo de inovação         mos cinco anos.
nas empresas.



22
O Ambiente de Inovação em Minas Gerais                      inove em Minas


 Exemplos de mecanismos nacionais de fomento para a inovação
 Finep               Inova Brasil
                     Constitui-se em financiamento com encargos reduzidos para a realização de projetos de pesquisa,
                     desenvolvimento e inovação nas empresas brasileiras.Esse programa permite a utilização, em um mesmo
                     contrato de financiamento, de outros instrumentos da Finep, como a subvenção econômica (aporte de
                     recursos não reembolsáveis, inclusive para a contratação de mestres e doutores). A Finep participa com
                     até 90% do valor total do projeto.
                     Subvenção Econômica para Inovação
                     Aplicação de recursos públicos não-reembolsáveis diretamente em empresas que desenvolvam pro-
                     jetos de inovação estratégicos para o País. Pode ser aplicada no custeio de atividades de pesquisa, de
                     desenvolvimento tecnológico e de inovação. A concessão da subvenção econômica é operacionalizada
                     pela Finep através dos instrumentos de convocação de empresas . Por meio deste instrumento, foram
                     disponibilizados R$ 510 milhões de 2006 a 2008.
                     Projeto Inovar
                     A Finep apóia e estimula a criação de fundos especializados em pequenas e médias empresas de base
                     tecnológica brasileiras, especialmente de capital de risco, que tem como exemplo o Programa Finep
                     Inovar Semente. Neste sentido a Finep se dispõe a participar com 40% do capital, que deve estar entre
                     R$ 10 e R$ 12 milhões.
 Banco Nacional      Linha Capital Inovador (Foco na empresa)
 do Desenvolvi-      Apoio a empresas no desenvolvimento de capacidade para empreender atividades inovativas em caráter
 mento (BNDES)       sistemático, por meio de investimentos tanto nos capitais intangíveis quanto nos tangíveis, incluindo a
                     implementação de centros de pesquisa e desenvolvimento. O valor mínimo para financiamento é de R$
                     1 milhão, e o máximo, de R$ 200 milhões por grupo econômico.
                     Linha Inovação Tecnológica (Foco no projeto)
                     Apoio a projetos de inovação de natureza tecnológica que busquem o desenvolvimento de produtos e/
                     ou processos novos ou significativamente aprimorados (pelo menos para o mercado nacional) e que
                     envolvam risco tecnológico e oportunidades de mercado. O valor mínimo para financiamento é de R$ 1
                     milhão e o nível de participação pode chegar até 100% dos itens financiáveis.
                     Linha Inovação Produção
                     Apoio a pesquisa e desenvolvimento ou inovação que apresentem oportunidade comprovada de mer-
                     cado ou a projetos de investimentos que visem à modernização da capacidade produtiva necessária à
                     absorção dos resultados do processo de pesquisa e desenvolvimento ou inovação. O valor mínimo para
                     financiamento é de R$ 3 milhões.
                     Fundo Tecnológico (Funtec)
                     Destina-se a apoiar financeiramente projetos de estímulo ao desenvolvimento tecnológico e à inovação
                     de interesse estratégico para o País, em conformidade com os programas e políticas públicas do governo
                     federal. Os clientes do Funtec são as instituições tecnológicas e as instituições de apoio, para o desen-
                     volvimento de projetos de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação, com a interveniência de
                     empresas participantes da pesquisa.
 CNPq                Programa Rhae Pesquisador na Empresa
                     São concedidas a empresas ou instituições que executam atividades de desenvolvimento científico e/ou
                     tecnológico bolsas para empregar especialistas – pesquisadores ou gestores de projetos e programas de
                     pesquisa e desenvolvimento. As bolsas são de Desenvolvimento Tecnológico Industrial (DTI), em diver-
                     sos níveis, aprovadas pela Finep e operadas pelo CNPq. O Programa Rhae Inovação é acionado por meio
                     de editais e chamadas públicas divulgadas na página do CNPq (www.cnpq.br).
 MCT                 Fundos Setoriais
                     Criados pelo MCT e operados pela Finep e pelo CNPq, apóiam o desenvolvimento e a consolidação de
                     parcerias entre Universidades e Centros de P&D, públicos e privados, sem fins lucrativos. Visa induzir
                     o aumento dos investimentos das empresas em ciência e tecnologia e impulsionar o desenvolvimento
                     tecnológico dos setores considerados, além de incentivar a geração de conhecimento e inovações que
                     contribuam para a solução dos grandes problemas nacionais. São 16 Fundos Setoriais, 14 relativos a
                     setores específicos¹ e dois transversais².
¹ Setores específicos: Aeronáutico, Agronegócio, Aquaviário, Biotecnologia, Energia,Tecnologia Espacial, Recursos Hídricos, Tecnologia
da Informação, Mineral, Petróleo, Saúde, Transportes e Telecomunicações e Fundo Setorial para o desenvolvimento da Amazônia.
² Setores transversais: um voltado à interação universidade-empresa (FVA - Fundo Verde-Amarelo), e outro destinado a apoiar a
melhoria da infra-estrutura dos ICTs.

                                                                                                                                  23
inove em Minas        O Ambiente de Inovação em Minas Gerais



Propriedade Intelectual
A proteção conferida no Brasil à propriedade intelec-      • Incentivo aos ICTs na utilização mais eficiente da
tual decorre da Constituição Federal, bem como de di-        legislação de Propriedade Intelectual, registrando
versas leis federais e tratados internacionais assinados     patentes e gerando recursos para novas pesquisas.
pelo país. Trata-se, portanto, de legislação adequada      • Fortalecimento dos NITs, que têm como objetivo
aos padrões de proteção à propriedade intelectual es-        principal fazer com que tecnologias que estão sen-
tipulados no Trips – Trade Related Aspects of Intelec-       do desenvolvidas nos laboratórios possam se trans-
tual Property Rights (Acordo Relativo aos Aspectos           formar em um produto ou serviço e ser patenteado,
dos Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados         gerando riqueza para a sociedade.
com o Comércio), tratado internacional celebrado pe-       • Criação do FIIT, que permite o financiamento de
los membros da Organização Mundial do Comércio               projetos de pesquisa e inovação diretamente para
(OMC), incorporado ao ordenamento jurídico brasilei-         empresas.
ro. Além do Trips, o Brasil assinou os principais tra-     • Determinação de aspectos relacionados aos pesqui-
tados internacionais relativos à tutela dos direitos de      sadores: inclusão do índice de geração de patentes
propriedade intelectual, como o Tratado de Coopera-          na avaliação de desempenho, criação de condições
ção de Patentes (PCT), as Convenções de Berna, sobre         para participação nos ganhos com a comercializa-
Direitos Autorais, e de Paris, sobre Propriedade Indus-      ção de seus inventos e de condições de uso de labo-
trial. O INPI é o órgão governamental encarregado da         ratórios de grandes centros de pesquisa.
regulamentação e da execução das normas relativas
aos direitos de propriedade industrial e do exame for-     Núcleos de Inovação Tecnológica e Prote-
mal dos pedidos de registro de marca, de indicações        ção ao Conhecimento (NITs)
geográficas e da concessão de patentes.
                                                           Os NITs são órgãos vinculados às universidades, res-
A propriedade intelectual sempre foi uma questão           ponsáveis por intermediar as negociações relaciona-
delicada entre empresas e instituições de ciência e        das à transferência de tecnologia entre estas ins-
tecnologia. Pensando nisso, o governo do Estado de         tituições e empresas. Objetivam induzir e fomentar
Minas Gerais promove iniciativas que facilitam o di-       a inovação e garantir a proteção intelectual dentro
álogo relacionado à propriedade intelectual entre es-      das ICTs. Nas universidades mineiras existem 22 NITs,
sas instituições, como a Lei Mineira de Inovação e a       que são fundamentais na capacitação de profissionais
constituição dos NITs, e a criação da Rede de Proprie-     para assessorar, apoiar e gerir atividades direcionadas
dade Intelectual (RMPI). Tais ações visam, através do      à inovação, proteção à atividade intelectual e incen-
suporte à proteção intelectual, estimular as inovações     tivo à comercialização dos resultados das pesquisas
tecnológicas, garantindo a participação dos pesquisa-      desenvolvidas.
dores e instituições inventoras nos ganhos relativos
aos produtos inovadores que desenvolveram.                 Rede de propriedade intelectual (RMPI)
Lei Mineira de Inovação                                    Na busca de uma nova interface de relacionamento
                                                           entre empresas e instituições de pesquisa, a RMPI é
A Lei Mineira de Inovação foi sancionada em janeiro
                                                           uma associação sem fins lucrativos que atua agregan-
de 2008, fazendo com que Minas Gerais entrasse na
                                                           do uma visão comercial às discussões sobre Proprie-
pequena lista dos Estados que já aprovaram uma Lei
                                                           dade Intelectual, facilitando o diálogo entre pesqui-
estadual para fomento à inovação. A versão mineira
                                                           sadores, universidades e empresas. A Rede auxilia as
da lei reafirma para as ICTs de Minas Gerais o que
                                                           ICTs mineiras na definição de políticas de proteção
está na Lei Federal, com adaptações e agregação de
                                                           intelectual, na implantação dos NITs, na capacitação
instrumentos que agilizam os processos de inovação.
                                                           de recursos humanos para atuarem na gestão da pro-
Alguns pontos importantes da Lei Mineira de Inova-
                                                           teção do conhecimento e na transferência de tecnolo-
ção são:
                                                           gia. Além disso, busca potencializar e difundir o papel
• Estímulo de parcerias entre instituições de pes-
                                                           das universidades e dos centros de pesquisa nas ativi-
  quisa e empresas para o desenvolvimento de tec-
                                                           dades de cooperação com o setor empresarial.
  nologias.
24
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas
Inove Em Minas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivasNordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivas
Macroplan
 
Produção e crescimento econômico
Produção e crescimento econômicoProdução e crescimento econômico
Produção e crescimento econômico
Luciano Pires
 
Emprego e Renda no Brasil Pós Crise
Emprego e Renda no Brasil Pós CriseEmprego e Renda no Brasil Pós Crise
Emprego e Renda no Brasil Pós Crise
Gleisi Hoffmann
 
Resumo capítulo 23
Resumo capítulo 23Resumo capítulo 23
Resumo capítulo 23
Aline Schons
 
Aula 13 produção e crescimento
Aula 13   produção e crescimentoAula 13   produção e crescimento
Aula 13 produção e crescimento
petecoslides
 
Ap2
Ap2Ap2
1 projeto prda articulação territorial produtiva22
1 projeto  prda   articulação territorial produtiva221 projeto  prda   articulação territorial produtiva22
1 projeto prda articulação territorial produtiva22
ws_mathues
 

Mais procurados (7)

Nordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivasNordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivas
 
Produção e crescimento econômico
Produção e crescimento econômicoProdução e crescimento econômico
Produção e crescimento econômico
 
Emprego e Renda no Brasil Pós Crise
Emprego e Renda no Brasil Pós CriseEmprego e Renda no Brasil Pós Crise
Emprego e Renda no Brasil Pós Crise
 
Resumo capítulo 23
Resumo capítulo 23Resumo capítulo 23
Resumo capítulo 23
 
Aula 13 produção e crescimento
Aula 13   produção e crescimentoAula 13   produção e crescimento
Aula 13 produção e crescimento
 
Ap2
Ap2Ap2
Ap2
 
1 projeto prda articulação territorial produtiva22
1 projeto  prda   articulação territorial produtiva221 projeto  prda   articulação territorial produtiva22
1 projeto prda articulação territorial produtiva22
 

Semelhante a Inove Em Minas

Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Allagi Open Innovation Services
 
2010: Indústria e o Brasil - Uma agenda para crescer mais e melhor
2010: Indústria e o Brasil - Uma agenda para crescer mais e melhor2010: Indústria e o Brasil - Uma agenda para crescer mais e melhor
2010: Indústria e o Brasil - Uma agenda para crescer mais e melhor
Blog de Jamildo
 
A indústria e o brasil uma agenda para crescer mais e melhor
A indústria e o brasil uma agenda para crescer mais e melhorA indústria e o brasil uma agenda para crescer mais e melhor
A indústria e o brasil uma agenda para crescer mais e melhor
Emanuel Pinheiro
 
CAMINHOS DA INOVAÇÃO - O novo ciclo do ouro
CAMINHOS DA INOVAÇÃO - O novo ciclo do ouroCAMINHOS DA INOVAÇÃO - O novo ciclo do ouro
CAMINHOS DA INOVAÇÃO - O novo ciclo do ouro
Lucas Vasconcelos
 
Aliança para Inovação Agropecuária no Brasil
Aliança para Inovação Agropecuária no Brasil   Aliança para Inovação Agropecuária no Brasil
Aliança para Inovação Agropecuária no Brasil
Rodrigo Mesquita
 
Tendências, diretrizes e desafios governamentais em pesquisa, desenvolvimento...
Tendências, diretrizes e desafios governamentais em pesquisa, desenvolvimento...Tendências, diretrizes e desafios governamentais em pesquisa, desenvolvimento...
Tendências, diretrizes e desafios governamentais em pesquisa, desenvolvimento...
senaimais
 
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & YoungA hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
BR&M Tecnologia
 
GCA para Pequenas e Médias Empresas
GCA para Pequenas e Médias EmpresasGCA para Pequenas e Médias Empresas
GCA para Pequenas e Médias Empresas
RGE & Associados
 
Cartilha brasilmaior
Cartilha brasilmaiorCartilha brasilmaior
Cartilha brasilmaior
Roberto Rabat Chame
 
Inovação Plano Brasil Maior ABDI Abimaq Inova 2011
Inovação Plano Brasil Maior ABDI Abimaq Inova 2011Inovação Plano Brasil Maior ABDI Abimaq Inova 2011
Inovação Plano Brasil Maior ABDI Abimaq Inova 2011
Ipdmaq Abimaq
 
Apresentação agemot
Apresentação agemotApresentação agemot
Apresentação agemot
Paulo Mangia
 
Caderno valor 08_11_2012
Caderno valor 08_11_2012Caderno valor 08_11_2012
Caderno valor 08_11_2012
José Roberto Durço
 
TCO no Brasil
TCO no BrasilTCO no Brasil
TCO no Brasil
Santiago Brito
 
Humantech na revista Mercado Brasil (edição 88)
Humantech na revista Mercado Brasil (edição 88)Humantech na revista Mercado Brasil (edição 88)
Humantech na revista Mercado Brasil (edição 88)
Humantech - Gestão do Conhecimento
 
Manual Fp7
Manual Fp7Manual Fp7
Manual Fp7
nielsleidecker
 
Ambiente de inovação em minas gerais
Ambiente de inovação em minas geraisAmbiente de inovação em minas gerais
Estrategia Brasileira para a transformação digital
Estrategia Brasileira para a transformação digitalEstrategia Brasileira para a transformação digital
Estrategia Brasileira para a transformação digital
Pesquisa-Unificada
 
Estratégia Brasileira para a transformação digital (E-Digital)
Estratégia Brasileira para a transformação digital (E-Digital)Estratégia Brasileira para a transformação digital (E-Digital)
Estratégia Brasileira para a transformação digital (E-Digital)
Colaborativismo
 
Estratégia Brasileira para a Transformação Digital
Estratégia Brasileira para a Transformação DigitalEstratégia Brasileira para a Transformação Digital
Estratégia Brasileira para a Transformação Digital
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações
 
A Relacao entre as Cadeias Globais de Valor e o Desenvolvimiento Economico Lo...
A Relacao entre as Cadeias Globais de Valor e o Desenvolvimiento Economico Lo...A Relacao entre as Cadeias Globais de Valor e o Desenvolvimiento Economico Lo...
A Relacao entre as Cadeias Globais de Valor e o Desenvolvimiento Economico Lo...
FOMINDEL
 

Semelhante a Inove Em Minas (20)

Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
Alvaro Prata | OIS 2012 | Colaboração entre governo, universidade e indústria...
 
2010: Indústria e o Brasil - Uma agenda para crescer mais e melhor
2010: Indústria e o Brasil - Uma agenda para crescer mais e melhor2010: Indústria e o Brasil - Uma agenda para crescer mais e melhor
2010: Indústria e o Brasil - Uma agenda para crescer mais e melhor
 
A indústria e o brasil uma agenda para crescer mais e melhor
A indústria e o brasil uma agenda para crescer mais e melhorA indústria e o brasil uma agenda para crescer mais e melhor
A indústria e o brasil uma agenda para crescer mais e melhor
 
CAMINHOS DA INOVAÇÃO - O novo ciclo do ouro
CAMINHOS DA INOVAÇÃO - O novo ciclo do ouroCAMINHOS DA INOVAÇÃO - O novo ciclo do ouro
CAMINHOS DA INOVAÇÃO - O novo ciclo do ouro
 
Aliança para Inovação Agropecuária no Brasil
Aliança para Inovação Agropecuária no Brasil   Aliança para Inovação Agropecuária no Brasil
Aliança para Inovação Agropecuária no Brasil
 
Tendências, diretrizes e desafios governamentais em pesquisa, desenvolvimento...
Tendências, diretrizes e desafios governamentais em pesquisa, desenvolvimento...Tendências, diretrizes e desafios governamentais em pesquisa, desenvolvimento...
Tendências, diretrizes e desafios governamentais em pesquisa, desenvolvimento...
 
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & YoungA hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
 
GCA para Pequenas e Médias Empresas
GCA para Pequenas e Médias EmpresasGCA para Pequenas e Médias Empresas
GCA para Pequenas e Médias Empresas
 
Cartilha brasilmaior
Cartilha brasilmaiorCartilha brasilmaior
Cartilha brasilmaior
 
Inovação Plano Brasil Maior ABDI Abimaq Inova 2011
Inovação Plano Brasil Maior ABDI Abimaq Inova 2011Inovação Plano Brasil Maior ABDI Abimaq Inova 2011
Inovação Plano Brasil Maior ABDI Abimaq Inova 2011
 
Apresentação agemot
Apresentação agemotApresentação agemot
Apresentação agemot
 
Caderno valor 08_11_2012
Caderno valor 08_11_2012Caderno valor 08_11_2012
Caderno valor 08_11_2012
 
TCO no Brasil
TCO no BrasilTCO no Brasil
TCO no Brasil
 
Humantech na revista Mercado Brasil (edição 88)
Humantech na revista Mercado Brasil (edição 88)Humantech na revista Mercado Brasil (edição 88)
Humantech na revista Mercado Brasil (edição 88)
 
Manual Fp7
Manual Fp7Manual Fp7
Manual Fp7
 
Ambiente de inovação em minas gerais
Ambiente de inovação em minas geraisAmbiente de inovação em minas gerais
Ambiente de inovação em minas gerais
 
Estrategia Brasileira para a transformação digital
Estrategia Brasileira para a transformação digitalEstrategia Brasileira para a transformação digital
Estrategia Brasileira para a transformação digital
 
Estratégia Brasileira para a transformação digital (E-Digital)
Estratégia Brasileira para a transformação digital (E-Digital)Estratégia Brasileira para a transformação digital (E-Digital)
Estratégia Brasileira para a transformação digital (E-Digital)
 
Estratégia Brasileira para a Transformação Digital
Estratégia Brasileira para a Transformação DigitalEstratégia Brasileira para a Transformação Digital
Estratégia Brasileira para a Transformação Digital
 
A Relacao entre as Cadeias Globais de Valor e o Desenvolvimiento Economico Lo...
A Relacao entre as Cadeias Globais de Valor e o Desenvolvimiento Economico Lo...A Relacao entre as Cadeias Globais de Valor e o Desenvolvimiento Economico Lo...
A Relacao entre as Cadeias Globais de Valor e o Desenvolvimiento Economico Lo...
 

Mais de Inventta

Escopo possível de uma área de inovação corporativa
Escopo possível de uma área de inovação corporativaEscopo possível de uma área de inovação corporativa
Escopo possível de uma área de inovação corporativa
Inventta
 
Inovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e comoInovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e como
Inventta
 
Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Hub Internacional de Desenvolvimento SustentávelHub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Inventta
 
Small Data
Small DataSmall Data
Small Data
Inventta
 
Tendências em Neurociência e Neurotecnologia
Tendências em Neurociência e NeurotecnologiaTendências em Neurociência e Neurotecnologia
Tendências em Neurociência e Neurotecnologia
Inventta
 
Venture driven innovation
Venture driven innovationVenture driven innovation
Venture driven innovation
Inventta
 
Vaga para estágio na Inventta
Vaga para estágio na InventtaVaga para estágio na Inventta
Vaga para estágio na Inventta
Inventta
 
Corporate Venture Capital: contexto, conceitos e aplicações
Corporate Venture Capital: contexto, conceitos e aplicaçõesCorporate Venture Capital: contexto, conceitos e aplicações
Corporate Venture Capital: contexto, conceitos e aplicações
Inventta
 
Corporate Venturing
Corporate VenturingCorporate Venturing
Corporate Venturing
Inventta
 
Inventta | ThinkForward
Inventta | ThinkForwardInventta | ThinkForward
Inventta | ThinkForward
Inventta
 
Inventta: inovação + estratégia
Inventta: inovação + estratégiaInventta: inovação + estratégia
Inventta: inovação + estratégia
Inventta
 
Inovação para um mundo em transição: como fazer
Inovação para um mundo em transição: como fazerInovação para um mundo em transição: como fazer
Inovação para um mundo em transição: como fazer
Inventta
 
Empreendedorismo no mundo da inovação
Empreendedorismo no mundo da inovaçãoEmpreendedorismo no mundo da inovação
Empreendedorismo no mundo da inovação
Inventta
 
OneWeekDive
OneWeekDiveOneWeekDive
OneWeekDive
Inventta
 
Empreendedorismo e Inovação
Empreendedorismo e InovaçãoEmpreendedorismo e Inovação
Empreendedorismo e Inovação
Inventta
 
Workshop Business Design Inventta
Workshop Business Design InventtaWorkshop Business Design Inventta
Workshop Business Design Inventta
Inventta
 
Gestão da Inovação: o papel do líder
Gestão da Inovação: o papel do líderGestão da Inovação: o papel do líder
Gestão da Inovação: o papel do líder
Inventta
 
Processo seletivo inventta
Processo seletivo inventtaProcesso seletivo inventta
Processo seletivo inventta
Inventta
 
Inventta+ where innovation lives
Inventta+ where innovation livesInventta+ where innovation lives
Inventta+ where innovation lives
Inventta
 
Ferramentas de inovação aberta
Ferramentas de inovação abertaFerramentas de inovação aberta
Ferramentas de inovação aberta
Inventta
 

Mais de Inventta (20)

Escopo possível de uma área de inovação corporativa
Escopo possível de uma área de inovação corporativaEscopo possível de uma área de inovação corporativa
Escopo possível de uma área de inovação corporativa
 
Inovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e comoInovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e como
 
Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Hub Internacional de Desenvolvimento SustentávelHub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável
 
Small Data
Small DataSmall Data
Small Data
 
Tendências em Neurociência e Neurotecnologia
Tendências em Neurociência e NeurotecnologiaTendências em Neurociência e Neurotecnologia
Tendências em Neurociência e Neurotecnologia
 
Venture driven innovation
Venture driven innovationVenture driven innovation
Venture driven innovation
 
Vaga para estágio na Inventta
Vaga para estágio na InventtaVaga para estágio na Inventta
Vaga para estágio na Inventta
 
Corporate Venture Capital: contexto, conceitos e aplicações
Corporate Venture Capital: contexto, conceitos e aplicaçõesCorporate Venture Capital: contexto, conceitos e aplicações
Corporate Venture Capital: contexto, conceitos e aplicações
 
Corporate Venturing
Corporate VenturingCorporate Venturing
Corporate Venturing
 
Inventta | ThinkForward
Inventta | ThinkForwardInventta | ThinkForward
Inventta | ThinkForward
 
Inventta: inovação + estratégia
Inventta: inovação + estratégiaInventta: inovação + estratégia
Inventta: inovação + estratégia
 
Inovação para um mundo em transição: como fazer
Inovação para um mundo em transição: como fazerInovação para um mundo em transição: como fazer
Inovação para um mundo em transição: como fazer
 
Empreendedorismo no mundo da inovação
Empreendedorismo no mundo da inovaçãoEmpreendedorismo no mundo da inovação
Empreendedorismo no mundo da inovação
 
OneWeekDive
OneWeekDiveOneWeekDive
OneWeekDive
 
Empreendedorismo e Inovação
Empreendedorismo e InovaçãoEmpreendedorismo e Inovação
Empreendedorismo e Inovação
 
Workshop Business Design Inventta
Workshop Business Design InventtaWorkshop Business Design Inventta
Workshop Business Design Inventta
 
Gestão da Inovação: o papel do líder
Gestão da Inovação: o papel do líderGestão da Inovação: o papel do líder
Gestão da Inovação: o papel do líder
 
Processo seletivo inventta
Processo seletivo inventtaProcesso seletivo inventta
Processo seletivo inventta
 
Inventta+ where innovation lives
Inventta+ where innovation livesInventta+ where innovation lives
Inventta+ where innovation lives
 
Ferramentas de inovação aberta
Ferramentas de inovação abertaFerramentas de inovação aberta
Ferramentas de inovação aberta
 

Inove Em Minas

  • 1. Sistema Mineiro de Inovação - Simi inove em Minas
  • 2. inove em Minas Índice Minas Gerais em Números 04 Introdução Governador do Estado de Minas Gerais 05 Secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior 06 Secretário de Desenvolvimento Econômico 07 Por que Inovar em Minas Gerais? 08 Instituições de Ensino e Pesquisa 08 Profissionais Qualificados 14 O Ambiente de Inovação em Minas Gerais 17 O Sistema Mineiro de Inovação 19 Fapemig 21 Propriedade Intelectual 23 Parques Tecnológicos 25 Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica 25 Padrão de Inovação das Empresas Mineiras 27 A Economia Mineira 29 Qualidade de Vida 31 Setores Estratégicos: Oportunidades de Investimentos em Inovação 32 Agronegócio 35 Automotivo 37 Biotecnologia 39 Econegócios 42 Eletroeletrônico 44 Energia 46 Mínero-metalúrgico 48 Tecnologia da Informação 50 O Governo de Minas Gerais: Estado para Resultados 51 Inove em Minas: Programa de Instalação de Centros de P&D em Minas Gerais 53 Como Entrar em Contato com o Estado 54 Glossário de Siglas e Abreviaturas 55 3
  • 3. Minas Gerais em números Brasília Belo Horizonte Rio de Janeiro São Paulo Economia PIB R$237 bilhões1 PIB per capita R$11.0281 Crescimento do PIB (termos 5,8%1 Composição da atividade econômica (2007) reais) Serviços 60% Importações US$10,5 bilhões2 Indústria 32% Exportações US$24,4 bilhões2 Agropecuária 8,4% População economicamente 10.696.0004 ativa3 Fonte: Fundação João Pinheiro População economicamente 2.523.0005 ativa (Região Metropolitana Universidade Federais 11 de Belo Horizonte) Universidades Estaduais 2 Fontes: 1. 2007 - Resultados preliminares – Fundação João Pi- Institutos Tecnológicos 9 nheiro 2. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Fonte: Exterior (MDIC) - 2008 Ministério da Educação 3. Pessoas com 10 anos ou mais de idade 4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Área territorial 586.648,7 km2 – Pesquisa Mensal de Emprego (PME) Maio/2009 5. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Capital Belo Horizonte - 2007 4
  • 4. Introdução inove em Minas Introdução Governador do Estado de Minas Gerais A chamada econo- pliam-se as oportunidades com as novas regras mia do conhecimen- e com a participação crescente dos novos fato- Foto: Omar Freire/Imprensa MG to, que se estrutura res de produção. progressivamente no mundo contem- O Estado de Minas Gerais — sintonizado com porâneo, está deslo- as exigências da globalização, inclusive com a cando o eixo do de- velocidade possível para não perder o “timing” senvolvimento e da — está conduzindo esse novo momento com Governador Aécio Neves geração de riqueza ações concretas para a sociedade. A meta é dos segmentos produtivos tradicionais — in- criar as condições necessárias para transformar tensivos em matéria-prima, capital e trabalho o conhecimento, uma riqueza potencial, em — para aqueles que geram produtos e serviços benefícios representados por mais produtivida- com alto conteúdo tecnológico e conhecimen- de, qualidade e competitividade, resultando em to, em geral com muito mais valor agregado. mais emprego e melhores salários, mais renda Nesse processo, a inovação, que cada vez mais e mais divisas. é o grande desafio, conquistou todas as agen- das e tornou-se uma questão de sobrevivência Tomamos algumas decisões estratégicas para no nosso tempo. acelerar a inovação e fazê-la acontecer em nosso estado, entre elas duas consideradas fun- damentais: a expansão da Secretaria de Estado “A meta é criar as condições necessárias para de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a transformar o conhecimento, uma riqueza poten- determinação de repassar, de forma inédita na cial, em benefícios representados por mais produ- nossa história, o que prevê a Constituição Mi- tividade, qualidade e competitividade” neira - 1% da receita corrente líquida do Esta- do - à Fundação de Amparo à Pesquisa do Es- tado de Minas Gerais (Fapemig). Com isso, não E este desafio é ainda maior e mais decisivo só ampliamos muito o nosso apoio à pesquisa porque, ao avançarmos da sociedade industrial mineira, mas investimos também em projetos para a pós-industrial, vivemos um momento de e programas de inovação com parcerias muito mudanças de paradigmas, na qual o conheci- vigorosas, tanto no segmento público, quanto mento é o fator decisivo, e a inovação o pro- no privado. cesso mais importante. Como todo momento de mudanças profundas, há risco e oportunidade. Com uma política avançada de apoio à ciên- O risco é representado pela velocidade que ca- cia, tecnologia e inovação, e de fortalecimen- racteriza as transformações que vêm ocorren- to da nossa pós-graduação, estamos convictos do, podendo aumentar de maneira inédita o de estar trilhando o caminho certo para Minas fosso que separa os países líderes dos países Gerais contribuir ainda mais para o desenvol- emergentes, como o Brasil. Por outro lado, am- vimento do Brasil. 5
  • 5. inove em Minas Introdução Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior As experiências bem- nosso Estado. Instituído com a missão estratégica de sucedidas de países e proporcionar um ambiente propício à inovação no regiões ao longo da Estado de Minas Gerais, o Programa Simi (Sistema Foto: Lucia Sebe/Secom-MG história nos ensinam Mineiro de Inovação) cria uma nova dinâmica entre que, para evoluir na os atores de inovação locais, aumentando substan- direção de uma re- cialmente sua interação. O Simi promove interações alidade mais rica e entre pesquisadores, empresas e governo, alinhando menos desigual, é ne- demandas, ofertas tecnológicas e recursos de fomen- cessário encontrar um to à inovação. O Programa tem foco no desenvol- equilíbrio entre o cres- vimento regional e setorial, com a estruturação de Alberto Duque Portugal cimento econômico, a Arranjos Produtivos Locais, Polos de Excelência e distribuição de renda Polos de Inovação, na formação profissional, com e a preservação ambiental. Atingir esse equilíbrio, atuação nas instituições de ensino, e na ampliação também chamado de desenvolvimento sustentável, da capacidade de inovação das empresas mineiras. é o maior desafio para todos os Estados modernos, Entre as ações do Simi, os Encontros de Inovação que através do planejamento e da gestão pública promovem reuniões presenciais entre empresários e procuram estabelecer uma harmonia entre forças pesquisadores de setores específicos, com o objetivo aparentemente conflitantes. A experiência histórica de fazer o encontro entre demandas técnicas e solu- nos diz que a força propulsora do desenvolvimento ções tecnológicas. Tudo isso suportado por um portal sustentável é a inovação. Desenvolvimento e ino- em web 2.0, que já possui mais de 1.000 participan- vação são dois fenômenos interdependentes, que se tes em sua rede de inovação. influenciam mutuamente e criam as condições para os países atingirem sua maturidade social. Minas Uma das iniciativas mais relevantes que compõe o Gerais é um Estado cujas vocações produtivas são Simi é o Programa “Inove em Minas”. Esse programa fortemente conectadas com as principais trajetórias visa consolidar as pontes entre ciência e mercado de inovação tecnológica mundiais. As empresas de em nosso Estado, ressaltando as diversas vantagens agronegócio, softwares e metal-mecânica pertencem competitivas que o sistema de inovação mineiro pos- a setores econômicos extremamente propícios às sui para empresas intensivas em inovação que se in- inovações tecnológicas advindas da biotecnologia, teressem em instalar seu centro de P&D no Estado. tecnologias da informação e a nanotecnologia. O programa foi estruturado a partir de um estudo de práticas mundiais, cujo principal objetivo era levan- Com a visão de que o sucesso da inovação exige a ar- tar as características mais relevantes de um ambiente ticulação de diferentes competências, as Secretarias propício à inovação para as empresas, consolidá-los de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e de De- e aplicá-los na forma de uma política pública. senvolvimento Econômico vem realizando projetos conjuntos com o objetivo de fortalecer o ambiente Essas características do sistema de inovação mineiro, de inovação do Estado de Minas Gerais. O principal associadas às políticas de integração universidade- foco da política pública e da atuação do Estado é a empresa promovidas especialmente pela Fapemig, construção de uma “ponte entre ciência e mercado”, potencializam a eficiência e o retorno de investi- que se constitui em elemento decisivo para um siste- mentos privados em pesquisa e desenvolvimento. ma de inovação orgânico e interativo. Esse documento possui o objetivo de apresentar de forma estruturada e objetiva as características e polí- Um desafio constante do governo de Minas Gerais ticas públicas que tornam Minas Gerais atrativo para é a consolidação do seu sistema de inovação, que esses investimentos fundamentais para o desenvol- promove a integração entre instituições, pesquisa- vimento econômico sustentável para orientar a to- dores e as empresas inovadoras que se instalam em mada de decisão das empresas e centros de pesquisa. 6
  • 6. Introdução inove em Minas Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico A Secretaria de Estado Vale do Mucuri. de Desenvolvimento Econômico (SEDE) O programa “Inove em Minas”, sob a responsabili- está firmemente em- dade da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia Foto: Wellington Pedro penhada em atuar na e Ensino Superior (SECTES), terá, portanto, apoio atração de investi- irrestrito do Sistema Operacional de Desenvolvi- mentos que realmente mento Econômico na disponibilização de toda a in- venham agregar valor fra-estrutura que estiver ao nosso alcance para que e conteúdo tecnológi- possa abrigar iniciativas que visem o cumprimento Sérgio Barroso co ao parque indus- de suas metas, entre elas a instalação de centros de trial mineiro. Nossa Pesquisa e Desenvolvimento visando a busca per- orientação ao Institu- manente da inovação na cadeia produtiva. to de Desenvolvimento Integrado (INDI), que é a porta de entrada do investidor em Minas Gerais, é Vale lembrar que a SECTES e a SEDE, além da Se- trabalhar para buscar investimentos em tecnologia cretaria de Estado de Educação (SEE) e da Secre- de ponta, no país e no exterior, e nesse sentido já taria de Desenvolvimento Social (SEDESE), estão estamos colhendo resultados bastante significati- atuando em conjunto na implementação do Pólo vos. de Aviação Civil na Região Metropolitana de Belo Horizonte, programa que conta ainda com a par- A conclusão do Aeroporto Indústria, cujas obras ticipação da Agência Nacional de Aviação Civil estão em ritmo acelerado, no Aeroporto Interna- (Anac), na formação de profissionais de nível supe- cional Tancredo Neves (AITN), o primeiro no Bra- rior e médio para o setor aeronáutico e criação de sil a obter credenciamento da Receita Federal para um Centro de Capacitação Aeroespacial na cidade operar como aeroporto industrial, vai possibilitar de Lagoa Santa. a inserção de Minas Gerais em um novo contexto no comércio exterior. O Estado passará a contribuir para a expansão das exportações e das importações “A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econô- por via aérea, modal de transporte responsável por mico (SEDE) está firmemente empenhada em atuar mais de 40% do comércio mundial em valor, e as- na atração de investimentos que realmente venham sim poderá ingressar na chamada Nova Economia. agregar valor e conteúdo tecnológico ao parque in- No Aeroporto Industrial, cujos lotes serão licitados dustrial mineiro.” pela Infraero em parceria com o Governo de Mi- nas, serão instaladas empresas com atuação na área de tecnologia de ponta, que fabricarão produtos de Inúmeras outras iniciativas em curso colocarão Mi- alto valor agregado para diferentes mercados mun- nas em outro patamar de tecnologia, no planeja- diais (“global supply chain”), desfrutando de regime mento da expansão ordenada em termos urbanís- especial de tributação. Além dessa iniciativa, que ticos e ambientais do Vetor Norte da RMBH, com integra o Projeto Estruturador “Inserção das Empre- repercussão em todo o Estado, na produção de bens sas Mineiras no Mercado Internacional”, estamos e serviços, no processamento de alimentos, contri- apoiando também a expansão de vários Arranjos buindo para o aumento do PIB estadual, geração de Produtivos Locais, bem como a Zona de Proces- empregos qualificados e melhoria das condições de samento da Exportação (ZPE) de Teófilo Otoni, no vida dos mineiros. 7
  • 7. Por que Inovar em Minas Gerais? Minas Gerais é referência nacional em Instituições de dos profissionais formados no Estado. Entre as 10 me- Ciência e Tecnologia (ICTs), que são representadas por lhores instituições de ensino superior do Brasil, 4 são universidades e institutos tecnológicos. O Estado conta mineiras. Estas instituições obtiveram conceito máxi- com 11 universidades federais, 2 universidades esta- mo na avaliação de qualidade realizada pelo Minis- duais e 9 institutos tecnológicos. A excelência na qua- tério da Educação. Minas é o terceiro Estado em nú- lificação de pesquisadores e da atividade de pesquisa mero de pesquisadores doutores, representando 9,6% torna algumas dessas instituições referência para as do total do país e responde, ainda, por 10% das linhas atividades de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de e 9,4% dos grupos de pesquisa, posicionando-se em seu entorno produtivo. quarto lugar no cenário nacional nestes quesitos. A formação de um ambiente competitivo para a ino- A presença de ICTs de excelência em Minas Gerais vação tecnológica depende de recursos humanos e possibilita a realização de diversas formas de intera- infra-estrutura diferenciados. A inovação no século ções entre estas instituições e o setor produtivo. Um XXI requer a existência de instituições locais com indicador desse potencial é a elevada representativi- forte capacidade de se conectar aos desenvolvimentos dade nacional das patentes de universidades minei- tecnológicos e científicos existentes em todo o mun- ras, que correspondem a 17% do total de patentes do, e que consigam transbordar essas conexões para de universidades brasileiras no Instituto Nacional da as empresas inovadoras que constituem seu entorno Propriedade Industrial (INPI). A qualidade da produ- produtivo. ção científica e dos profissionais mineiros revela um elevado potencial de criação de novos produtos ou O ambiente de inovação em Minas Gerais se destaca melhoria das técnicas produtivas em diversas áreas, o nacionalmente devido à qualidade de suas instituições que pode gerar benefícios para as empresas, institui- de ensino e pesquisa, de seus institutos tecnológicos e ções, pesquisadores e para a sociedade como um todo. Grupos de pesquisa Linhas de pesquisa Pesquisadores* Doutores* Patentes de Universidades Minas Gerais 2.135 8.509 15.842 7.405 462 Brasil 22.797 86.075 159.948 76.936 2.664 MG/BR 9% 10% 10% 10% 17% *Ligados a grupos de pesquisa 8
  • 8. Por que inovar em Minas Gerais? inove em Minas Instituições de Ensino e Universidades Mineiras Pesquisa Posição no Instituição ranking de Ensino IGC (por faixas)** nacional Superior - 2008* As universidades em Minas Gerais 3 UFMG 5 A qualidade das universidades mineiras, em relação à pesquisa e à 4 Ufla 5 formação de profissionais, é um fator capaz de potencializar o retorno dos investimentos em P&D realizados no Estado. Essas instituições se 6 UFTM 5 destacam pela realização de conexões com o setor produtivo local para 7 UFV 5 cooperação no desenvolvimento de novos produtos ou para transfe- 13 Unifal-MG 4 rência tecnológica. As patentes de universidades mineiras representam 17% do total nacional, o que indica o potencial de transbordamento do 16 Unifei 4 conhecimento científico gerado no Estado para o setor empresarial. 18 UFU 4 UFVJM 20 UFJF 4 Unimontes Uemg 24 Ufop 4 UFU UFMG 26 UFVJM 4 UFTM UFSJ Ufop 28 UFSJ 4 UFV 44 Unimontes 4 Unifal UFJF 75 Uemg 3 Unifei * No total de 178 instituições de ensino Ufla superior. ** O Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC) A seguir, são apresentadas quatro das universidades de maior destaque é um indicador de qualidade de instituições de educação superior calculado a partir dos em Minas Gerais, de acordo com o número de depósitos e patentes e resultados do Exame Nacional de Desempenho segundo o ranking das melhores universidades do Brasil realizado pelo dos Estudantes (Enade), para a graduação, e Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio da nota Coordenação de Aperfeiçoamento de Teixeira), do Ministério da Educação, para o ano de 2008. Pessoal de Nível Superior (Capes), para a pós- graduação. As faixas do IGC vão de 0 a 5. UFMG Localizada na cidade de Belo Horizonte, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é a segunda maior universidade federal do país e a terceira melhor instituição brasileira de ensino superior. Na área de biotecnologia a UFMG é reconhecida como um dos mais promissores polos de pesquisa em emergência no mundo. A universidade está lo- calizada a aproximadamente 600 km da cidade de São Paulo e a 450 km do Rio de Janeiro. Pesquisadores 3.417 Pesquisadores Doutores 2.610 Grupos de pesquisa 630 Linhas de pesquisa 2.559 Principais Aeroespacial áreas Ambiental tecnológicas Ciências Biológicas e da Saúde Ciências Exatas e Computação Ciências Agrárias Engenharias: Civil, de Controle e Automação, de Mi- nas, Elétrica, Mecânica, Metalúrgica e Química. 9
  • 9. inove em Minas Por que Inovar em Minas Gerais? UFV UFLA A Universidade Federal de Viçosa (UFV) é reconhe- A Universidade Federal de Lavras (Ufla) é referên- cida principalmente pela excelência nas áreas de cia em ciências agrárias no Estado de Minas Gerais. ciências agrárias e exatas, constituindo-se em uma Posicionada em 4° lugar entre as melhores insti- das instituições mais importantes para as atividades tuições de ensino superior brasileiras, a Ufla tem de P&D do agronegócio no Estado e no Brasil. Em uma produção científica de aproximadamente 3000 2008, a instituição obteve o 7° lugar entre as me- publicações por ano. A universidade está localiza- lhores universidades brasileiras, e o terceiro em Mi- da a aproximadamente 250 km de Belo Horizonte, nas Gerais. A universidade está localizada a aproxi- 380 km da cidade de São Paulo e 415 km do Rio de madamente 230 km de Belo Horizonte, 650 km da Janeiro. cidade de São Paulo e a 340 km do Rio de Janeiro Pesquisadores 495 Pesquisadores 1.218 Pesquisadores Doutores 452 Pesquisadores Doutores 1.016 Grupos de pesquisa 69 Grupos de pesquisa 232 Linhas de pesquisa 393 Linhas de pesquisa 1.100 Principais Ciências Agrárias Principais Ciências Agrárias áreas Ciências Biológicas áreas Ciências Biológicas e da Saúde tecnológicas Medicina Animal tecnológicas Ciências Exatas Engenharias: Agrícola, Florestal e Ciências Tecnológicas de Alimentos Ciências Exatas UFU Universidades mineiras com depósitos de patentes Posicionada entre as 20 melhores instituições de en- sino do Brasil, a Universidade Federal de Uberlân- Universidade Número de depósitos dia (UFU) possui excelência na área de Biomédicas de patentes* e é a terceira Universidade em Minas em depósitos UFMG 278 de patentes. A universidade está localizada a apro- UFV 63 ximadamente 540 km de Belo Horizonte, 590 km UFU 37 da cidade de São Paulo e 940 km do Rio de Janeiro. Ufop 34 Ufla 21 Pesquisadores 976 UFJF 17 Pesquisadores Doutores 700 Unifei 7 Grupos de pesquisa 190 Unifal-MG 3 Linhas de pesquisa 749 UFSJ 2 Principais Biologia áreas Ciências Biomédicas * Depósitos de patente no Instituto Nacional da Propriedade tecnológicas Física Intelectual – INPI. Período: 1992-2009 Patentes com as universidades em questão como depositantes. Química Ciências Agrárias Genética Bioquímica 10
  • 10. Por que Inovar em Minas Gerais? inove em Minas Outras universidades públicas mineiras Universidades Localização Pesquisa- Linhas de Principais áreas Distância dores pesquisa tecnológicas das princi- pais capitais Universidade Federal de Juiz Juiz de Fora 798 647 Bioquímica, Engenha- BH: 280 km de Fora rias Computacional e RJ: 180 km (UFJF) Elétrica SP: 460 km Universidade Federal do Uberaba 495 393 Biomedicina, Ciências BH: 300 km Triângulo Mineiro Biológicas e da Saúde, RJ: 720 km (UFTM) Ciências Exatas, Enge- SP: 850 km nharias Mecânica, Civil, Ambiental, de Alimen- tos, Elétrica e Química Universidade Federal de Ouro Preto 311 270 Ciência da Computação, BH: 115 km Ouro Preto Engenharia de Minas e RJ: 400 km (Ufop) Metalúrgica SP: 610 km Universidade Federal de São São João Del- 261 215 Engenharias Elétrica, BH: 200 km João Del-Rey Rey Telecomunicações e de RJ: 330 km (UFSJ) Alimentos SP: 470 km Universidade do Estado de Belo Horizonte 260 185 Design RJ: 450 km Minas Gerais SP: 600 km (Uemg) Universidade Estadual de Montes Claros 238 99 Ciências Biológicas e da BH: 430 km Montes Claros Saúde RJ: 850 km (Unimontes) Ciências Agrárias SP: 980 km Ciências Exatas Universidade Federal de Itajubá 214 251 Ciências Exatas, BH: 450 km Itajubá Engenharia Mecânica, RJ: 300 km (Unifei) Engenharia de Siste- SP: 260 km mas e Tecnologia da Informação, Sistemas Elétricos e Energia Universidade Federal dos Diamantina 200 217 Engenharias Ambiental, BH: 300 km Vales do Jequitinhonha e Florestal e Hídrica RJ: 720 km Mucuri SP: 850 km (UFVJM) Universidade Federal de Alfenas 176 124 Engenharias Ambiental BH: 350 km Alfenas e Química RJ: 460 km (Unifal) SP: 310 km 11
  • 11. inove em Minas Por que Inovar em Minas Gerais? Institutos e Centros Tecnológicos Principais Sistemas de produção de milho e áreas sorgo, Produção Animal, Recur- Os institutos tecnológicos localizados em Minas tecnológicas sos Forrageiros e Meio Ambien- Gerais reforçam a conexão entre a pesquisa e a te, Agronegócio do Leite, Saúde realidade empresarial, com foco em diversas áreas Animal e Qualidade do Leite. voltadas para o setor produtivo estadual e nacio- nal. A realização de pesquisas aplicadas possibilita EPAMIG redução dos custos de desenvolvimento de novos produtos das empresas instaladas no Estado parcei- A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Ge- ras dessas instituições. rais (Epamig) é a principal instituição de execução de pesquisa agropecuária de Minas. Tem a função de apresentar soluções para o complexo agrícola, gerando capacitação técnica, serviços especializa- Embrapa Cetec dos, alternativas tecnológicas e insumos qualifi- (Milho e Sorgo) Epamig cados compatíveis com a demanda do mercado. A Embrapa Fiocruz empresa está localizada na cidade de Belo Horizon- (Gado de Leite) te, e possui 5 unidades regionais, nas cidades de La- CDTN vras, Uberaba, Prudente de Moraes, Viçosa e Nova Porteirinha. Além das unidades, a Epamig possui Inatel Cefet 25 fazendas experimentais, 2 núcleos de ensino, 4 Funed núcleos tecnológicos e 2 estações experimentais. Pesquisadores 185 Pesquisadores Doutores 114 EMBRAPA Grupos de pesquisa 18 Linhas de pesquisa 126 A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Principais Agroenergia, Aquicultura, Cafei- (Embrapa) tem um importante papel no desen- áreas cultura, Floricultura, Fruticultura, volvimento sustentável do agronegócio brasileiro, tecnológicas Grandes Culturas, Oleicultura, Pes- gerando, adaptando e transferindo conhecimen- to e tecnologias a diversas regiões. A instituição quisa em Bovinos, Processamento possui duas unidades em Minas Gerais, a Embrapa Agroindustrial, Silvicultura e Meio Gado de Leite e a Embrapa Milho e Sorgo. Além Ambiente. de possuir excelência no desenvolvimento de novas tecnologias aplicadas à agropecuária, a Embrapa se FIOCRUZ destaca pela capacidade de estabelecimento de par- cerias com o setor privado em projetos conjuntos O Centro de Pesquisa René Rachou (CPqRR), uma de inovação e transferência tecnológica. A Embra- Unidade Regional da Fiocruz, tem como objetivo dar pa Milho e Sorgo está localizada na cidade de Sete apoio estratégico às atividades do Sistema Único de Lagoas, a aproximadamente 60 km de Belo Hori- Saúde (SUS), por meio de atividades integradas de zonte. A Embrapa Gado de Leite está localizada na pesquisa na área de saúde, formação de recursos hu- cidade de Juiz de Fora, a 280 km da capital mineira. manos e prestação de serviços à população. A insti- tuição está localizada na cidade de Belo Horizonte. Pesquisadores 215 Pesquisadores 203 Pesquisadores Doutores 147 Pesquisadores Doutores 155 Grupos de pesquisa 15 Grupos de pesquisa 15 Linhas de pesquisa 108 Linhas de pesquisa 106 12
  • 12. Por que Inovar em Minas Gerais? inove em Minas Principais Biologia Celular e Molecular, Do- Pesquisadores 105 áreas enças Infecciosas e Parasitárias, e Pesquisadores Doutores 51 tecnológicas Saúde Coletiva. Grupos de pesquisa 13 Linhas de pesquisa 62 INATEL Principais Tecnologia Mineral, Tecnologia áreas Metalúrgica e de Materiais, Bio- O Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) tecnológicas tecnologia, Tecnologia Ambiental, é o pioneiro na pesquisa nas áreas de Engenharia Metrologia e Ensaios e Informação Elétrica e Telecomunicações no Brasil. A insti- Tecnológica. tuição possui parcerias com empresas privadas, realizadas a partir da Lei da Informática. Está lo- calizada na cidade de Santa Rita do Sapucaí, a CDTN 410 km de Belo Horizonte. O Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nucle- Pesquisadores 142 ar (CDTN) está localizado na UFMG, em Belo Ho- Pesquisadores Doutores 14 rizonte. Desenvolve diversas atividades e projetos relativos à aplicação de técnicas nucleares, como o Grupos de pesquisa 40 recebimento, tratamento e armazenamento de rejei- Linhas de pesquisa 13 tos radioativos, gerenciamento de envelhecimento Principais Eletrônica, Controle e Automa- e extensão de vida de instalações nucleares e de- áreas ção, Comunicação Digital, Rádio senvolvimento de novas tecnologias para recupera- tecnológicas Freqüência e Microondas, Física ção de minerais metálicos e não-metálicos. O CDTN e Química, Telefonia, Redes de pertence à Comissão Nacional de Energia Nuclear Computadores, Transmissão Digital, (CNEN), autarquia federal diretamente ligada ao Sistemas Celulares e Desenvolvi- Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). mento de Software. Pesquisadores 161 CETEC-MG Pesquisadores Doutores 89 Grupos de pesquisa 52 O Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec-MG), Linhas de pesquisa 199 uma fundação vinculada à Sectes, possui pesqui- sas nas áreas de tecnologia mineral, metalúrgica Principais Segurança Nuclear e Radiológica, e materiais, alimentos, ambiental, metrologia e áreas Meio Ambiente, Materiais, Saúde e ensaios, e informação tecnológica. A instituição tecnológicas Tecnologia Nuclear. está localizada na cidade de Belo Horizonte. Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifet) Os Ifets foram criados em 2008 a partir da sendo eles: o Instituto Federal de Minas Gerais; união entre os centros federais de educação Instituto Federal Norte de Minas Gerais; Insti- tecnológica, escolas agrotécnicas federais e es- tuto Federal Sudeste de Minas Gerais; Instituto colas técnicas vinculadas a universidades. São Federal Sul de Minas Gerais e o Instituto Fede- instituições de educação superior, básica e pro- ral Triângulo Mineiro. fissional, pluricurriculares e multicampi, espe- Fonte: Diário Oficial da União, Dezembro de 2008; Site do cializados na oferta de educação profissional e Instituto Federal Minas Gerais. tecnológica. O Estado possui cinco institutos, 13
  • 13. inove em Minas Por que Inovar em Minas Gerais? CEFET-MG FUNED O Centro Federal de Educação Tecnológica de Mi- A Fundação Ezequiel Dias (Funed), localizada em nas Gerais (Cefet-MG), apesar de ser considerado Belo Horizonte, é referência entre as instituições um instituto tecnológico, também oferece ensino públicas de saúde, ciência e tecnologia do Brasil. técnico e superior voltados para a formação tecno- A instituição é voltada para a produção de medi- lógica. A instituição, localizada na cidade de Belo camentos essenciais e imunobiológicos, realização Horizonte, é o segundo Cefet brasileiro em número de pesquisas no campo da saúde pública, monitora- de pesquisadores e grupos de pesquisa, e o terceiro mento das ações da Vigilância Sanitária, Epidemio- em número de linhas de pesquisa. lógica e Ambiental e para a formação e capacitação de recursos humanos para o SUS. Pesquisadores 284 Pesquisadores Doutores 148 Pesquisadores 48 Grupos de pesquisa 38 Pesquisadores Doutores 28 Linhas de pesquisa 121 Grupos de pesquisa 9 Linhas de pesquisa 41 Principais Engenharias de Produção Ci- áreas vil, de Automação Industrial, de Principais Bioquímica, Química de Proteínas, tecnológicas Computação,de Controle e Automa- áreas Farmacologia, Imunologia, Virolo- ção, de Materiais, Elétrica, Mecâ- tecnológicas gia, Biologia Celular, Microbiologia, nica, Mecatrônica, Tecnologia em Morfologia, Zootecnia e Biotecno- Radiologia e Química Tecnológica. logia Fontes: Censo dos grupos de pesquisa – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – 2008; Portais das instituições; INEP: IGC – 2008. Grupos e Linhas de Pesquisa em Minas Gerais O número e a diversidade de grupos e linhas científico e tecnológico, enquanto a diversi- de pesquisa são indicadores do potencial de dade de linhas de pesquisa amplia o leque de geração de conhecimento científico e do trans- oportunidades de geração de novas tecnolo- bordamento deste para o setor produtivo. A gias. formação de grupos de pesquisa garante a pro- dutividade e a qualidade do desenvolvimento Minas Gerais se destaca nacionalmente em núme- ro de grupos e linhas de pesquisa. O Estado possui Minas Gerais se destaca nacionalmente em mais de 9% dos grupos de pesquisa do Brasil, a números de grupos e linhas de pesquisa. maior parte relacionada à área de Ciências da Saú- de, seguida pelas Ciências Agrárias e Engenharias. Número de grupos e linhas de pesquisa em Minas Gerais - 2008 Grande área Grupos Linhas de pesquisa MG %BR MG %BR Ciências da Saúde 320 8% 1.253 9% Ciências Agrárias 307 14% 1.582 15% Engenharias 280 9% 1.236 9% Ciências Biológicas 234 9% 1.083 9% Ciências Exatas e da Terra 232 9% 1.119 10% Fontes: CNPq – Diretório dos grupos de pesquisa 14
  • 14. Por que inovar em Minas? inove em Minas Profissionais Qualificados Minas Gerais é destaque no cenário brasileiro em relação ao número e à qualificação de profissionais de ciência e tecnologia. Existem no Estado aproximadamente 52,1 mil mestres e doutores, além de cerca de 1,2 milhões de profissionais graduados, segundo pesquisa de 2008 realizada pelo IBGE. Cerca de 3,3 mil mestres e mais de 900 doutores foram titula- dos em universidades mineiras em 2008, segundo dados da Capes, e este número tem sido crescente a cada ano. De 2000 a 2008, o número de mestres titulados em MG cresceu a uma taxa média de 10% ao ano, en- quanto o número de doutores cresceu a uma taxa média de 14% ao ano. A qualificação dos profissionais de ciência e tecnologia em Minas Ge- Evolução do número de mestres e doutores titulados por ano em rais é beneficiada pela excelência Minas Gerais - 2000 a 2008 das Instituições de Ensino e Pes- 3500 3291 quisa presentes no Estado, e pelas ações governamentais voltadas para 3000 o incentivo ao empreendedorismo e 2500 formação profissional articulada com o setor produtivo. 2000 Mestrado 1500 Doutorado 1000 928 500 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Minas Gerais também recebe montantes consideráveis de recursos dos órgãos brasileiros de fomento à pesquisa para a formação de mestres e doutores. No ano de 2008, foram concedidos mais de R$160 milhões* em bolsas de ensino e pesquisa para a formação destes profissionais no Estado. O Governo de Minas vem aumentando também o volume de investi- mentos para a qualificação profissional, tanto no ensino profissionali- zante quanto no ensino superior. Investimentos realizados em educação no Estado de Minas Gerais, por subfunção do setor de ensino - 2005 e 2007 (R$ milhões) 17 13 9 4 Profissionalizante Superior *Recursos do CNPq e Capes 2005 2007 Fonte: Balanço Geral do Estado de Minas Gerais, 2005 e 2007 15
  • 15. inove em Minas Por que Inovar em Minas Gerais? O número de pesquisadores por milhão de habitan- elevado número de mestres e doutores nas diver- tes em Minas Gerais é superior à média do Brasil, e sas áreas do conhecimento, é um fator que garante o total representou, em 2008, cerca de 10% do país. qualidade ao desenvolvimento científico e tecnoló- A presença de pesquisadores altamente qualifica- gico de Minas Gerais. dos nos grupos de pesquisa, com a atuação de um Número de pesquisadores por nível de formação Número de pesquisadores por área de atuação em em Minas Gerais - 2008 Minas Gerais – 2008 8449 2090 1935 1793 1453 1381 1318 1058 825 2527 ns as s s e s is s ge ia 430 ta ia ca úd 362 ia an ár ar xa ua gi oc Sa um gr nh ló sE ng sS sA io ge sH Li cia cia sB En cia se cia ên ên cia Graduação Especialização Mestrado Doutores ên te ên Ci Ci ên Ci Ar Ci Ci Fonte: CNPQ Programa Mineiro de Empreendedorismo Programa Mineiro na Pós-Graduação de Empreendedorismo na Pós-graduação Seminários vivenciais que trabalham as carac- Estado de Minas Gerais. Participarão em média terísticas do empreendedor no processo de ino- 60 alunos de pós-graduação por universidade, e vação serão oferecidos para alunos de diversos espera-se que cada instituição apresente em tor- cursos de pós-graduação de todas as universi- no de 15 projetos de inovação. O Programa Mi- dades públicas de Minas Gerais. Será realizado neiro de Empreendedorismo na Pós-Graduação também um torneio de planos de inovação, uma tem como objetivo estimular a cultura empre- competição em que serão escolhidos os melho- endedora, concretizando o transbordamento da res projetos de cada curso participante, de cada pesquisa acadêmica para o mercado através do universidade e, finalmente, o melhor projeto do estímulo ao comportamento empreendedor dos alunos de pós-graduação. Nesse contexto, espe- ra-se ampliar a visão de oportunidades de ne- O Programa tem como objetivo estimular a gócio dos mestrandos e doutorandos de Minas cultura empreendedora dos estudantes de pós- Gerais, para que, a partir dos trabalhos de seus graduação. grupos de pesquisa, possam aumentar a intera- ção com as empresas e a realidade do mercado. 16
  • 16. O Ambiente de Inovação em Minas Gerais O sucesso da inovação tecnológica depende da existência de empresas inovadoras e instituições de ciência e tecnologia e, principalmente, de ini- ciativas que possam promover a aplicação do co- nhecimento científico em novos produtos e pro- cessos de produção. O fortalecimento de redes de cooperação que possam viabilizar parcerias entre instituições de pesquisa e empresas é um elemen- to fundamental na estratégia de desenvolvimento científico e tecnológico do Estado de Minas Ge- rais. Nesse sentido, o governo possui um conjunto de ações consistentes para a prospecção constante das demandas e oportunidades tecnológicas. Res- paldado pela Lei Mineira de Inovação, viabiliza projetos conjuntos entre empresas e universidades focados para o desenvolvimento de tecnologias inovadoras para o mercado nacional e mundial. 17
  • 17. inove em Minas O Ambiente de Inovação em Minas Gerais O Sistema Mineiro de Inovação O Sistema Mineiro de Inovação (Simi), iniciativa do formação profissional orientada para o mercado e na Governo de Minas Gerais, tem como missão criar um ampliação da capacidade de inovação das empresas ambiente propício à inovação no Estado, por meio da mineiras. promoção de interações entre pesquisadores, empre- sas e governo, alinhando demandas, ofertas tecnoló- O desenvolvimento regional e setorial é estimulado gicas e recursos de fomento à inovação. através da estruturação de APLs, Polos de Excelência e Polos de Inovação. Esses tem como objetivo am- pliar e melhorar a capacidade competitiva de seg- O Governo de Minas Gerais estimula a interação mentos econômicos de elevado conteúdo tecnológico e promover o desenvolvimento regional e setorial. Os entre os agentes de inovação, com o objetivo de APLs aumentam a competitividade e a sustentabili- atender as necessidades tecnológicas do mercado. dade de negócios de elevado conteúdo tecnológico pelo estímulo à interação com o conjunto de atores econômicos, políticos e sociais locais. Os Polos de Ex- Plataforma Operacional celência integram competências institucionais para induzir o processo de desenvolvimento sustentável O Simi conta com uma plataforma operacional res- de setores estratégicos. Os Polos de Inovação tem o ponsável por elaborar e aprovar as políticas e estraté- objetivo de acelerar o processo de desenvolvimento gias de promoção da inovação, propagar a cultura de de regiões economicamente menos desenvolvidas. inovação nos setores econômicos e sociais, divulgar novos conhecimentos e fornecer oportunidade de in- O foco do governo mineiro na formação profissional teratividade entre os atores de inovação no Estado. orientada para o mercado é representada pela im- plantação, em parceria com o governo federal, de Uma das estratégias é o Portal web 2.0 do Simi (www. 84 Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) e 487 simi.org.br), que permite que, de forma simples e in- Telecentros. Esses conferem a Minas Gerais uma in- terativa, pesquisadores, empresários e membros do fraestrutura de informática e telecomunicações, sen- governo possam se conhecer, trocar informações, do este considerado o maior programa de inclusão criar temas de discussão e construir propostas de digital do Brasil. projetos ou políticas públicas para o Estado. O Foco do Portal Simi é a geração de negócios inovadores A Rede de Inovação Tecnológica (RIT), atua em ações entre os participantes do sistema, permitindo um que implementam um ambiente favorável à inova- acesso prático e facilitado que favorece a velocidade, ção no Estado, permitem a articulação entre empre- atributo fundamental para as empresas que querem sas e instituições de ciência e tecnologia e estimulam inovar. a cultura de inovação na sociedade. Entre as ações da RIT, descritas neste documento, estão incluídos os Outra ferramenta é o Observatório de Ciência, Tecno- Parques Tecnológicos, as Incubadoras de Empresas logia, Inovação e Ensino Superior, que disponibiliza existentes no Estado, a Lei Estadual de Inovação, o dados e informações para a prospecção, avaliação e Programa Inove em Minas para atração de centros de monitoramento das políticas públicas e da competi- pesquisa e desenvolvimento, o Programa de Incenti- tividade de Minas Gerais com base nos avanços da vo à Inovação (PII), os Núcleos de Inovação Tecno- Ciência, da Tecnologia, da Inovação e do Ensino Su- lógica (NITs), editais induzidos da Fapemig, além de: perior. • Parque Industrial Tecnológico (PIT): localizado pró- Projetos Estruturadores ximo ao Aeroporto Internacional de Confins, visa à atração de indústrias de alto conteúdo tecnológico, O Simi é constituído por Projetos Estruturadores que com foco na produção. Funcionará como transbor- focam no desenvolvimento regional e setorial, na damento natural do BH-TEC. 18
  • 18. O Ambiente de Inovação em Minas Gerais inove em Minas 19
  • 19. inove em Minas O Ambiente de Inovação em Minas Gerais Programa de Incentivo à Inovação em Minas Gerais (PII) O PII é um instrumento para transformação de da transferência de tecnologia e geração de novos projetos de pesquisa aplicada em inovações tec- produtos e EBTs. A geração de patentes é objeti- nológicas, melhoria da cultura da inovação nas vo principal do NIT local e que auxilia a transfe- universidades e ampliação da rede de relaciona- rência de tecnologias para outras empresas e até mento destas com a sociedade e o mercado. Foi mesmo para proteger o produto no mercado. Os criado pelo Governo de Minas, por meio da Sec- projetos de pesquisa viáveis são transformados tes, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio em inovações tecnológicas por meio das ativida- às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG), ins- des de chamada pública para seleção dos projetos tituições de ensino e pesquisa e governos muni- de pesquisa da instituição, estudo de viabilidade cipais. Tem o objetivo de transferir tecnologias técnica, econômica e comercial, desenvolvimento geradas na universidade para o mercado através dos protótipos comerciais dos produtos gerados e apresentação dos projetos para investidores. O Um dos principais objetivos do PII é aumentar projeto contemplou as universidades federais das a interação entre as instituições de pesquisa e cidades de Lavras (Ufla), Itajubá (Unifei), Juiz de o mercado, com a promoção de transferência de Fora (UFJF, Viçosa (UFV), Belo Horizonte (UFMG), tecnologias. Uberlândia (UFU); e nas Fundações Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Centro Tecnológico de Minas (Cetec). • Tecnologia Industrial Básica (TIB): melhora a qua- são futuros empreendedores, profissionais informais, lidade de atendimento dos laboratórios que prestam estudantes universitários e jovens da rede pública de serviços de análise metrológica e de avaliação da ensino. O programa possui três linhas centrais: Cur- conformidade ao setor empresarial/industrial. A ação sos de Empreendedorismo, cultura empreendedora é desenvolvida em parceria com o IPEM/INMETRO, para os jovens e Núcleos de Apoio ao Empreende- Cetec, IEL/FIEMG, Rede Metrológica de Minas Gerais dor (NAEs) que têm como objetivo o adensamento de e Sebrae. ações direcionadas às demandas locais. • Centro Minas Design (CMD): Principal iniciativa • Projeto Tecnologia Empreendedorismo e Inovação para contribuir para a inserção efetiva do design na Aplicados (Teia): capacita prestadores de serviços economia mineira moderna como um recurso estraté- que atuarão no desenvolvimento de novos negócios gico de incremento à competitividade dos produtos e e criação de oportunidades de interação por meio de serviços do Estado no mercado global. ferramentas de Web 2.0 e redes sociais. Focado em A estratégia do Centro Minas Design é a sua atuação empresas, autarquias, órgãos públicos, instituições em redes setoriais que promovem a integração de ato- de ensino, sindicatos e associações, tem como meta res e expertises necessárias ao seu desenvolvimento abranger todos os municípios mineiros. de forma integrada. • Projeto C5: Centro de Competência em Comuni- É organizada em linhas de ação que têm como objeti- dades de Cooperação e Conhecimento, formado por vo estruturar o desenvolvimento do design como uma uma equipe multidisciplinar da UFMG (Ciências da ferramenta efetiva de promoção de competitividade. Computação, Ciências Econômicas e Faculdade de Linhas de Ação: Filosofia e Ciências Humanas). O Projeto C5 analisa, a) Promoção, Informação e Comunicação de forma quantitativa e qualitativa, a evolução e os b) Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento resultados do Projeto Teia e o impacto da economia c) Articulação, Políticas e Fomento digital na sociedade. • Cultura Empreendedora: o Fomento à Cultura Em- Entre as ações mais relevantes do Simi, os Encontros preendedora é uma ação que visa a formação e o de- de Inovação promovem reuniões presenciais entre senvolvimento do perfil empreendedor nos cidadãos, empresários e pesquisadores, com o objetivo de efe- por meio de atividades voltadas para a elaboração de tivar transferências de tecnologias ou a realização de ferramentas de planejamento e gestão que tenham um parcerias para a solução de problemas do setor pro- desdobramento em ações inovadoras. Os participantes dutivo. A equipe responsável pelos Encontros procura 20
  • 20. O Ambiente de Inovação em Minas Gerais inove em Minas conhecer as necessidades das empresas instaladas no Por meio de ações presenciais ou em ambiente virtu- Estado e alinhá-las com os trabalhos de pesquisado- al, o Simi configura-se como um verdadeiro sistema res ou institutos de pesquisa que tenham competência onde seus participantes possuem autonomia de ação, técnica ou tecnologias já desenvolvidas para atendê- mas podem criar relações de interdependência para o las. desenvolvimento e fortalecimento de suas estratégias. Inovatec – Feira de Inovação Tecnológica A Inovatec é uma feira anual, considerada o sários participantes dos Encontros de Inovação maior evento brasileiro de divulgação e incenti- apresentaram interesse em firmar parceria com vo às inovações tecnológicas. O objetivo é pro- pesquisadores. O resultado demonstra o suces- mover a interação, a troca de experiências e a so das 181 reuniões promovidas pelo Simi com transferência de tecnologia entre pesquisadores, o intuito de integrar mercado e academia para inventores, órgãos públicos, instituições de en- impulsionar a inovação no Estado. Em três dias sino e pesquisa e empresas, garantindo assim o da Inovatec foram realizados 11 Encontros dos avanço tecnológico e produtivo nos vários seg- setores automotivo, eletroeletrônico, mineral e mentos da economia brasileira. Após a realiza- metalúrgico, de leite e derivados, de biotecno- ção da Inovatec 2009, mais de 90% dos empre- logia e de café. Fapemig “Mestres e Doutores na Empresa” e o “Programa de Apoio à Pesquisa em Empresas – Pappe”. Além desses programas, a Fapemig também financia pesquisa e A existência de recursos para o financiamento dos desenvolvimento de empresas mediante a apresenta- projetos inovadores é um elemento importante na ção de projetos que possuam forte conteúdo inovador. estratégia de viabilização das redes de inovação. A Além disso, a Fapemig possui um programa de apoio Fapemig é a agência mineira de fomento à pesquisa, a inventores independentes, que não possuem vínculo que opera com recursos advindos diretamente do or- com instituições de pesquisa, e possuem idéias criati- çamento do governo estadual, correspondente a 1% vas e inovadoras para solucionar problemas tecnoló- da receita corrente líquida do Estado. Ela é a principal gicos das empresas. agente indutora do desenvolvimento científico, tec- nológico e de inovação em Minas e possui autonomia A Fapemig é uma agência de fomento à pesquisa para a gestão de seus recursos, sempre em concordân- científica e tecnológica em Minas Gerais, respon- cia com a política governamental de Ciência e Tec- sável pelo intenso apoio às interações entre insti- nologia. tuições de pesquisa e empresas. Fapemig – Evolução Financeira: Recursos do Tesouro Estadual (R$ milhões) - 2005-2008 A Gerência de Propriedade Intelectual da Fapemig 208 é responsável pela promoção e fortalecimento dos 172 NITs de universidades e institutos de pesquisa, que 85 são os agentes responsáveis pela execução da política 61 de propriedade intelectual e transferência tecnológica dessas instituições. Entre 2004 e 2008, os recursos in- 2005 2006 2007 2008 vestidos pela Fapemig na área de propriedade intelec- tual passaram de R$50 mil para mais de R$3 milhões. Como é mostrado a seguir, entre 2005 e 2008, o mon- tante de recursos da Fapemig aumentou mais de três vezes em relação ao valor inicial. A política de propriedade intelectual no Estado é beneficiada pelas ações e recursos da Fapemig, que A Fapemig se destaca no cenário nacional pelo inten- apóiam NITs e inventores independentes, estimu- so apoio e fomento à interação entre universidades e lando a transferência de tecnologias para o setor empresas, especialmente através de Programas como empresarial. 21
  • 21. inove em Minas O Ambiente de Inovação em Minas Gerais Exemplos de programas e projetos especiais da Fapemig Programa de Apoio à Programa executado em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Pesquisa em Empresas do MCT, e a Fiemg. Através do Pappe são disponibilizados recursos para apoiar a (Pappe) inovação em EBTs que possam melhorar a competitividade dos produtos fabricados no Estado. Em 2008, contemplou projetos que somaram R$ 20 milhões e atenderam 71 empresas. Edital Mestres e Doutores Financia propostas conjuntas entre empresas e ICTs para o desenvolvimento de na Empresa projetos de inovação, com a contratação de mestres e doutores. Estimula a trans- ferência de tecnologia e a consequente fixação de pesquisadores no setor empresa- rial. Editais Induzidos São elaborados em consonância com as políticas do Estado. Eles abrangem áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento de Minas Gerais, como Recursos Hídricos, Agronegócios, Biotecnologia, Eletroeletrônica, entre outros. Programa de Redes de Incentivo à criação de redes de pesquisa formadas por universidades e centros de Pesquisa pesquisa, que se unem para estudar um tema específico. O programa é pautado na articulação entre pesquisadores e instituições, na otimização do uso de recursos e na formação de parcerias com órgãos federais que vêem nas redes uma oportunida- de de financiamento articulado. Por meio desse edital, foram disponibilizados R$10 milhões em 2008. Programa de Implantação A Fapemig é responsável pelo apoio financeiro ao projeto da Sectes de implanta- de Pólos de Excelência e ção de Polos de Excelência e Polos de Inovação em Minas Gerais. Foram criados Pólos de Inovação Polos de Excelência em cinco áreas – Café, Leite, Mínero- metalúrgico, Florestas e Recursos Hídricos – e Polos de Inovação em regiões mineiras que possuem mais dificuldade de desenvolvimento. Editais Induzidos Case Fiat Powertrain Case Whirlpool Uma parceria entre a Fapemig e a FPT foi reali- A Fapemig lançou em 2009, em parceria com zada por meio do edital “Mestres e Doutores na a empresa Whirlpool S.A, um edital “Mestres e Empresa”, destinou, em 2009. Foram destinados Doutores na Empresa” voltado para o financia- R$ 1,1 milhão em recursos para financiar projetos mento de projetos inovadores em produtos de inovadores de mestres e doutores na área de efici- linha branca (refrigeradores, freezeres, fogões, la- ência energética em produtos e processos (metade vadoras, secadoras, fornos, coifas, climatizadores, proveniente da Fapemig e a outra parte da em- condicionadores e depuradores de ar), nos quais a presa). Os principais objetivos são proporcionar o empresa é especializada. O montante de recursos desenvolvimento de novos produtos e processos destinado às propostas aprovadas é de R$2 mi- inovadores, estruturar o processo de pesquisa e lhões, sendo R$1 milhão proveniente da Fapemig desenvolvimento em parceria com ICTs ou Insti- e R$1 milhão da Whirlpool. O termo de coopera- tuições Privadas de Inovação Tecnológica (IPITs) ção assinado entre a Fundação e a empresa prevê localizadas no Estado de Minas Gerais, e, princi- um investimento total de R$10 milhões, realizado palmente, estimular a contratação de mestres e por meio de editais a serem lançados nos próxi- doutores como agentes do processo de inovação mos cinco anos. nas empresas. 22
  • 22. O Ambiente de Inovação em Minas Gerais inove em Minas Exemplos de mecanismos nacionais de fomento para a inovação Finep Inova Brasil Constitui-se em financiamento com encargos reduzidos para a realização de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação nas empresas brasileiras.Esse programa permite a utilização, em um mesmo contrato de financiamento, de outros instrumentos da Finep, como a subvenção econômica (aporte de recursos não reembolsáveis, inclusive para a contratação de mestres e doutores). A Finep participa com até 90% do valor total do projeto. Subvenção Econômica para Inovação Aplicação de recursos públicos não-reembolsáveis diretamente em empresas que desenvolvam pro- jetos de inovação estratégicos para o País. Pode ser aplicada no custeio de atividades de pesquisa, de desenvolvimento tecnológico e de inovação. A concessão da subvenção econômica é operacionalizada pela Finep através dos instrumentos de convocação de empresas . Por meio deste instrumento, foram disponibilizados R$ 510 milhões de 2006 a 2008. Projeto Inovar A Finep apóia e estimula a criação de fundos especializados em pequenas e médias empresas de base tecnológica brasileiras, especialmente de capital de risco, que tem como exemplo o Programa Finep Inovar Semente. Neste sentido a Finep se dispõe a participar com 40% do capital, que deve estar entre R$ 10 e R$ 12 milhões. Banco Nacional Linha Capital Inovador (Foco na empresa) do Desenvolvi- Apoio a empresas no desenvolvimento de capacidade para empreender atividades inovativas em caráter mento (BNDES) sistemático, por meio de investimentos tanto nos capitais intangíveis quanto nos tangíveis, incluindo a implementação de centros de pesquisa e desenvolvimento. O valor mínimo para financiamento é de R$ 1 milhão, e o máximo, de R$ 200 milhões por grupo econômico. Linha Inovação Tecnológica (Foco no projeto) Apoio a projetos de inovação de natureza tecnológica que busquem o desenvolvimento de produtos e/ ou processos novos ou significativamente aprimorados (pelo menos para o mercado nacional) e que envolvam risco tecnológico e oportunidades de mercado. O valor mínimo para financiamento é de R$ 1 milhão e o nível de participação pode chegar até 100% dos itens financiáveis. Linha Inovação Produção Apoio a pesquisa e desenvolvimento ou inovação que apresentem oportunidade comprovada de mer- cado ou a projetos de investimentos que visem à modernização da capacidade produtiva necessária à absorção dos resultados do processo de pesquisa e desenvolvimento ou inovação. O valor mínimo para financiamento é de R$ 3 milhões. Fundo Tecnológico (Funtec) Destina-se a apoiar financeiramente projetos de estímulo ao desenvolvimento tecnológico e à inovação de interesse estratégico para o País, em conformidade com os programas e políticas públicas do governo federal. Os clientes do Funtec são as instituições tecnológicas e as instituições de apoio, para o desen- volvimento de projetos de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação, com a interveniência de empresas participantes da pesquisa. CNPq Programa Rhae Pesquisador na Empresa São concedidas a empresas ou instituições que executam atividades de desenvolvimento científico e/ou tecnológico bolsas para empregar especialistas – pesquisadores ou gestores de projetos e programas de pesquisa e desenvolvimento. As bolsas são de Desenvolvimento Tecnológico Industrial (DTI), em diver- sos níveis, aprovadas pela Finep e operadas pelo CNPq. O Programa Rhae Inovação é acionado por meio de editais e chamadas públicas divulgadas na página do CNPq (www.cnpq.br). MCT Fundos Setoriais Criados pelo MCT e operados pela Finep e pelo CNPq, apóiam o desenvolvimento e a consolidação de parcerias entre Universidades e Centros de P&D, públicos e privados, sem fins lucrativos. Visa induzir o aumento dos investimentos das empresas em ciência e tecnologia e impulsionar o desenvolvimento tecnológico dos setores considerados, além de incentivar a geração de conhecimento e inovações que contribuam para a solução dos grandes problemas nacionais. São 16 Fundos Setoriais, 14 relativos a setores específicos¹ e dois transversais². ¹ Setores específicos: Aeronáutico, Agronegócio, Aquaviário, Biotecnologia, Energia,Tecnologia Espacial, Recursos Hídricos, Tecnologia da Informação, Mineral, Petróleo, Saúde, Transportes e Telecomunicações e Fundo Setorial para o desenvolvimento da Amazônia. ² Setores transversais: um voltado à interação universidade-empresa (FVA - Fundo Verde-Amarelo), e outro destinado a apoiar a melhoria da infra-estrutura dos ICTs. 23
  • 23. inove em Minas O Ambiente de Inovação em Minas Gerais Propriedade Intelectual A proteção conferida no Brasil à propriedade intelec- • Incentivo aos ICTs na utilização mais eficiente da tual decorre da Constituição Federal, bem como de di- legislação de Propriedade Intelectual, registrando versas leis federais e tratados internacionais assinados patentes e gerando recursos para novas pesquisas. pelo país. Trata-se, portanto, de legislação adequada • Fortalecimento dos NITs, que têm como objetivo aos padrões de proteção à propriedade intelectual es- principal fazer com que tecnologias que estão sen- tipulados no Trips – Trade Related Aspects of Intelec- do desenvolvidas nos laboratórios possam se trans- tual Property Rights (Acordo Relativo aos Aspectos formar em um produto ou serviço e ser patenteado, dos Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados gerando riqueza para a sociedade. com o Comércio), tratado internacional celebrado pe- • Criação do FIIT, que permite o financiamento de los membros da Organização Mundial do Comércio projetos de pesquisa e inovação diretamente para (OMC), incorporado ao ordenamento jurídico brasilei- empresas. ro. Além do Trips, o Brasil assinou os principais tra- • Determinação de aspectos relacionados aos pesqui- tados internacionais relativos à tutela dos direitos de sadores: inclusão do índice de geração de patentes propriedade intelectual, como o Tratado de Coopera- na avaliação de desempenho, criação de condições ção de Patentes (PCT), as Convenções de Berna, sobre para participação nos ganhos com a comercializa- Direitos Autorais, e de Paris, sobre Propriedade Indus- ção de seus inventos e de condições de uso de labo- trial. O INPI é o órgão governamental encarregado da ratórios de grandes centros de pesquisa. regulamentação e da execução das normas relativas aos direitos de propriedade industrial e do exame for- Núcleos de Inovação Tecnológica e Prote- mal dos pedidos de registro de marca, de indicações ção ao Conhecimento (NITs) geográficas e da concessão de patentes. Os NITs são órgãos vinculados às universidades, res- A propriedade intelectual sempre foi uma questão ponsáveis por intermediar as negociações relaciona- delicada entre empresas e instituições de ciência e das à transferência de tecnologia entre estas ins- tecnologia. Pensando nisso, o governo do Estado de tituições e empresas. Objetivam induzir e fomentar Minas Gerais promove iniciativas que facilitam o di- a inovação e garantir a proteção intelectual dentro álogo relacionado à propriedade intelectual entre es- das ICTs. Nas universidades mineiras existem 22 NITs, sas instituições, como a Lei Mineira de Inovação e a que são fundamentais na capacitação de profissionais constituição dos NITs, e a criação da Rede de Proprie- para assessorar, apoiar e gerir atividades direcionadas dade Intelectual (RMPI). Tais ações visam, através do à inovação, proteção à atividade intelectual e incen- suporte à proteção intelectual, estimular as inovações tivo à comercialização dos resultados das pesquisas tecnológicas, garantindo a participação dos pesquisa- desenvolvidas. dores e instituições inventoras nos ganhos relativos aos produtos inovadores que desenvolveram. Rede de propriedade intelectual (RMPI) Lei Mineira de Inovação Na busca de uma nova interface de relacionamento entre empresas e instituições de pesquisa, a RMPI é A Lei Mineira de Inovação foi sancionada em janeiro uma associação sem fins lucrativos que atua agregan- de 2008, fazendo com que Minas Gerais entrasse na do uma visão comercial às discussões sobre Proprie- pequena lista dos Estados que já aprovaram uma Lei dade Intelectual, facilitando o diálogo entre pesqui- estadual para fomento à inovação. A versão mineira sadores, universidades e empresas. A Rede auxilia as da lei reafirma para as ICTs de Minas Gerais o que ICTs mineiras na definição de políticas de proteção está na Lei Federal, com adaptações e agregação de intelectual, na implantação dos NITs, na capacitação instrumentos que agilizam os processos de inovação. de recursos humanos para atuarem na gestão da pro- Alguns pontos importantes da Lei Mineira de Inova- teção do conhecimento e na transferência de tecnolo- ção são: gia. Além disso, busca potencializar e difundir o papel • Estímulo de parcerias entre instituições de pes- das universidades e dos centros de pesquisa nas ativi- quisa e empresas para o desenvolvimento de tec- dades de cooperação com o setor empresarial. nologias. 24