SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
ANTI SEMITISMO
ANTI SEMITISMO
O que é?
Antissemitismo é o preconceito ou hostilidade
contra judeus baseada em ódio contra seu
histórico étnico, cultural e/ou religioso. Na sua forma
mais extrema, "atribui aos judeus uma posição
excepcional entre todas as outras civilizações,
difamando-os como um grupo inferior e negando que
eles sejam parte da(s) nação(ões) em que residem".
ANTI SEMITISMO
ETIMOLOGIA
Considerando a etimologia da
palavra, antissemitismo significaria aversão aos semitas -
segundo a Bíblia, os descendentes de Sem, filho mais velho
de Noé - grupo étnico e lingüístico que compreende
os hebreus, os assírios, os arameus, os fenícios e os árabes.
Mas, de fato, a palavra Antisemitismus foi cunhada,
em língua alemã, no século XIX, numa altura em que a
ciência racial estava na moda na Alemanha, e foi usada pela
primeira vez já com o sentido de aversão aos judeus,
pelo jornalista alemão Wilhelm Marr, em 1873, por soar
mais "científica" do que Judenhass ("ódio aos judeus").
Judeus proibidos de ter animais domésticos
No dia 15 de maio de 1942, Victor Klemperer registrou em
seu diário a proibição aos judeus de manterem animais
domésticos. O diário dele foi um relatório minucioso da
cruel perseguição nazista aos judeus.
Ele anotou: "Está anoitecendo. Encontrei a senhora Ida
Kreidl durante as compras e ela me contou do mais recente
decreto dos nazistas: a partir de agora, os judeus e quem
mora com eles estão proibidos de manter animais
domésticos (cães, gatos, pássaros). Os animais também não
podem ser dados a terceiros. É a sentença de morte para
nosso Muschel, com quem convivemos há 11 anos e que
Eva gosta tanto. Amanhã ele será levado ao veterinário,
para poupar-lhe a morte coletiva".
Judeus alemães preocupados com futuro da
imigração
A comunidade judaica da Alemanha tem tido um dos
crescimentos mais rápidos do mundo. Mas a atual
redução da imigração judaica coloca em jogo o futuro
da comunidade.
Depois do fim do Terceiro Reich, a comunidade judaica –
tão próspera antes da Segunda Guerra, com cerca de 600
mil integrantes – contava apenas com aproximadamente
15 mil membros. Em 1991, passou a vigorar uma nova
legislação alemã, que permitiu a judeus da antiga União
Soviética, os chamados judeus russos, imigrarem com
poucas restrições.
Como conseqüência, milhares de judeus até então presos
atrás da Cortina de Ferro aproveitaram a nova
regulamentação e foram recebidos com boas-vindas
calorosas.
Judeus alemães preocupados com futuro da
imigração
No início de 2004, Israel começou a aumentar a
pressão para que o governo alemão tornasse mais
rigorosas as leis de imigração.
Cerca de 20 mil judeus russos foram para a Alemanha
e 11 mil para Israel, de acordo com estatísticas do
governo israelense. O número de judeus russos que,
por sua vez, deixaram Israel na última década chega a
quase 70 mil.
Judeus alemães preocupados com futuro da
imigração
TRATAMENTO AOS JUDEUS
Entre 1933 e 1939, o Partido Nazi, aliado a Agências
Governamentais e aos Bancos, obrigou o
Afastamento dos judeus de toda a vida econômica. Os
indivíduos considerados não arianos eram destituídos
dos postos nos serviços públicos, as empresas judaicas
foram fechadas ou vendidas por um preço inferior
ao razoável e entregues a outras companhias que eram
pertencentes ou administradas por não-judeus.
Em setembro de 1941, os judeus da Alemanha foram
forçados a usar uma estrela amarela e, meses depois,
milhares de pessoas foram deportadas para os
campos da Polônia e para cidades tomadas aos
russos.
Era a
preparação dos campos de concentração, dos
tristemente célebres "campos de morte".
TRATAMENTO AOS JUDEUS
LEIS DE RESTRIÇÃO
A Alemanha de Adolf Hitler considerava os judeus
como elementos desleais e avarentos dentro da
comunidade nacional, bem como uma força de
decadência na vida cultural da Alemanha.
Acreditando isto dos judeus, a solução dos nazistas ao
problema era privá-los de sua influência na nação por
meio de vários atos legislativos, e, mais importante de
tudo, encorajar sua imigração para fora do país.
Nas primeiras viagens eram deportadas as mulheres,
as crianças e os idosos, que não eram tão produtivos
quanto os homens. Os judeus em condições para
trabalhar ficavam nas fábricas, mas também
acabariam por ser mortos mais tarde.
LEIS DE RESTRIÇÃO
Depois do fim da guerra, os Aliados, enquanto forças
vitoriosas, fizeram uma grande pressão para se
estabelecer a pátria judaica para os sobreviventes do
Holocausto. Passados 3 anos após a derrota alemã
foi formado o estado sionista de Israel, a terra prometi
da dos judeus.
LEIS DE RESTRIÇÃO
SIONISMO
SIONISMO
SIONISMO
Em 1939, os consistentes esforços do Governo Alemão
para assegurar a saída dos judeus do Reich tinha
resultado na emigração de 400.000 judeus alemães de
uma população total de mais ou menos 600.000, e um
adicional de 480.000 emigrantes da Áustria e da
Tchecoslováquia, que constituiam quase que a
totalidade de sua população judaica.
SIONISMO
Sionismo (em hebraico: ‫ציונות‬ Tsiyonut) é um
movimento político e filosófico que defende o direito
à autodeterminação do povo judeu e à existência de
um Estado nacional judaico independente e soberano no
território onde historicamente existiu o antigo Reino de
Israel (Eretz Israel).
O sionismo é também chamado
de nacionalismo judaico e historicamente propõe a
erradicação da Diáspora Judaica, com o retorno da
totalidade dos judeus ao atual Estado de Israel. O
movimento defende a manutenção da identidade judaica,
opondo-se à assimilação dos judeus pelas sociedades dos
países em que viviam.
NOITE DOS CRISTAIS
Noite dos Cristais (alemão Reichskristallnacht ou
simplesmente Kristallnacht) é o nome popularmente
dado aos atos de violência que ocorreram na noite de 9
de novembro de 1938 em diversos locais
da Alemanha e da Áustria, então sob o domínio
nazi ou Terceiro Reich. Tratou-se de Pogroms, de
destruição de sinagogas, de lojas, de habitações e de
agressões contra as pessoas identificadas como judias.
NOITE DOS CRISTAIS
NOITE DOS CRISTAIS
A pedido de Adolf Hitler, Goebbels instiga os
dirigentes do NSDAP e os SA a atacarem os
judeus. Heydrich organiza as violências que deviam
visar as lojas de judeus e as sinagogas. Numa única
noite, 91 judeus foram mortos e cerca de 25.000 a
30.000 foram presos e levados para campos de
concentração. 7500 lojas judaicas e 267 sinagogas
foram reduzidas a escombros.
NOITE DOS CRISTAIS
GUETO DE VARSÓVIA
Gueto de Varsóvia foi o maior gueto judaico
estabelecido pela Alemanha
Nazista na Polônia durante o Holocausto, ao tempo
da Segunda Guerra Mundial. Nos três anos da sua
existência, a fome, as doenças e
as deportações para campos de extermínio reduziram a
população estimada de 380 000 para 70 000
habitantes.
GUETO DE VARSÓVIA
O QUE É UM GUETO?
Bairro, em qualquer cidade, onde são confinadas
certas minorias por imposições econômicas e/ou
raciais.
Bairro onde os judeus eram forçados a morar, em
certas cidades européias.
GUETO DE VARSÓVIA
O Gueto de Varsóvia foi o palco da revolta do Gueto de
Varsóvia, a primeira insurreição massiva contra a
ocupação nazi na Europa. Apesar disso, a maioria das
pessoas que estiveram no Gueto de Varsóvia foi
gaseada no campo de extermínio Nazi de Treblinka.
CAMPO DE CONCENTRAÇÃO
Campo de concentração é um centro de
confinamento militar, instalado em área de terreno
livre e cercada por telas de arame farpado ou algum
outro tipo de barreira, cujo perímetro é
permanentemente vigiado, para suster prisioneiros de
guerra e/ou prisioneiros políticos.
O uso de campos de concentração foi amplamente
disseminado na Alemanha, durante a Segunda Guerra
Mundial, na extinta União Soviética, durante a era
stalinista, e atualmente na Coreia do Norte.
CAMPO DE CONCENTRAÇÃO
Estima-se que grande parte dos judeus desaparecidos
durante a Segunda Guerra Mundial tenha perecido nos
campos. Embora outros países tenham construído
campos de concentração com a finalidade de isolar
populações de determinadas etnias, não há nada
comparável, em escala, aos campos nazistas.
CAMPO DE CONCENTRAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Campos De ConcentraçãO
Campos De ConcentraçãOCampos De ConcentraçãO
Campos De ConcentraçãO
 
Bloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
Bloqueio de Berlim e Guerra da CoreiaBloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
Bloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
 
Princípios do nazismo
Princípios do nazismoPrincípios do nazismo
Princípios do nazismo
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
 
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
8 03 as transformações sociais e culturais do terceiro quartel do século xx a...
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
O holocausto (1)
O holocausto (1)O holocausto (1)
O holocausto (1)
 
Os Campos De ConcentraçãO
Os Campos De ConcentraçãOOs Campos De ConcentraçãO
Os Campos De ConcentraçãO
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
A Era Estalinista
A Era EstalinistaA Era Estalinista
A Era Estalinista
 
Fascismo
FascismoFascismo
Fascismo
 
Fascismo e nazismo
Fascismo e nazismoFascismo e nazismo
Fascismo e nazismo
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
2° guerra mundial
2° guerra mundial  2° guerra mundial
2° guerra mundial
 
Adolf hitler
Adolf hitlerAdolf hitler
Adolf hitler
 
A reconstrucao posguerra
A reconstrucao posguerraA reconstrucao posguerra
A reconstrucao posguerra
 
Stalinismo
StalinismoStalinismo
Stalinismo
 
Holocausto
HolocaustoHolocausto
Holocausto
 
Holocausto nazi
Holocausto nazi Holocausto nazi
Holocausto nazi
 
II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
 

Destaque

História do Antissemitismo
História do AntissemitismoHistória do Antissemitismo
História do AntissemitismoSergio Rosenboim
 
Os Judeus Não São Nazistas
Os Judeus Não São NazistasOs Judeus Não São Nazistas
Os Judeus Não São NazistasEditora Menorah
 
A história se repete
A história se repeteA história se repete
A história se repeteSylvio Bazote
 
O que foi o holocausto?
O que foi o holocausto?O que foi o holocausto?
O que foi o holocausto?Renata Telha
 
O holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicaO holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicahistoriando
 
A superioridade da raça ariana
A superioridade da raça arianaA superioridade da raça ariana
A superioridade da raça arianaRenata Telha
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Nazismo e Antissemitismo - Auschwitz | Viagens de Clio por Pedro Ivo
Nazismo e Antissemitismo - Auschwitz | Viagens de Clio por Pedro IvoNazismo e Antissemitismo - Auschwitz | Viagens de Clio por Pedro Ivo
Nazismo e Antissemitismo - Auschwitz | Viagens de Clio por Pedro IvoLeandro Bessa
 
Implantação da República
Implantação da RepúblicaImplantação da República
Implantação da RepúblicaMichele Pó
 
A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......turma9amarinhas
 
AscensãO Da Extrema Direita Blog
AscensãO Da Extrema Direita BlogAscensãO Da Extrema Direita Blog
AscensãO Da Extrema Direita Bloghenrique.jay
 
Fascismo
FascismoFascismo
FascismoJo1
 
Fascismo Italiano
Fascismo ItalianoFascismo Italiano
Fascismo Italianoguestd0fdd7
 

Destaque (20)

História do Antissemitismo
História do AntissemitismoHistória do Antissemitismo
História do Antissemitismo
 
Slide nazismo
Slide nazismoSlide nazismo
Slide nazismo
 
Os Judeus Não São Nazistas
Os Judeus Não São NazistasOs Judeus Não São Nazistas
Os Judeus Não São Nazistas
 
A história se repete
A história se repeteA história se repete
A história se repete
 
O que foi o holocausto?
O que foi o holocausto?O que foi o holocausto?
O que foi o holocausto?
 
O holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicaO holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômica
 
A superioridade da raça ariana
A superioridade da raça arianaA superioridade da raça ariana
A superioridade da raça ariana
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
 
RaçA Ariana
RaçA ArianaRaçA Ariana
RaçA Ariana
 
Minorias na II guerra mundial
Minorias na II guerra mundial Minorias na II guerra mundial
Minorias na II guerra mundial
 
Corporativismo no Estado Novo
Corporativismo no Estado NovoCorporativismo no Estado Novo
Corporativismo no Estado Novo
 
Nazismo e Antissemitismo - Auschwitz | Viagens de Clio por Pedro Ivo
Nazismo e Antissemitismo - Auschwitz | Viagens de Clio por Pedro IvoNazismo e Antissemitismo - Auschwitz | Viagens de Clio por Pedro Ivo
Nazismo e Antissemitismo - Auschwitz | Viagens de Clio por Pedro Ivo
 
Implantação da República
Implantação da RepúblicaImplantação da República
Implantação da República
 
A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......
 
AscensãO Da Extrema Direita Blog
AscensãO Da Extrema Direita BlogAscensãO Da Extrema Direita Blog
AscensãO Da Extrema Direita Blog
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Fascismo
FascismoFascismo
Fascismo
 
Fascismo Italiano
Fascismo ItalianoFascismo Italiano
Fascismo Italiano
 
O Fascismo
O FascismoO Fascismo
O Fascismo
 

Semelhante a Anti semitismo

Semelhante a Anti semitismo (20)

A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......A perseguição aos judeus......
A perseguição aos judeus......
 
Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
Holocausto miguelsalgueiromeira-120508083632-phpapp02
 
Livro aristides
Livro aristidesLivro aristides
Livro aristides
 
Holocausto
Holocausto Holocausto
Holocausto
 
Conflito Judaico-Nazi
Conflito Judaico-NaziConflito Judaico-Nazi
Conflito Judaico-Nazi
 
Holocausto (Miguel Salgueiro Meira)
Holocausto   (Miguel Salgueiro Meira)Holocausto   (Miguel Salgueiro Meira)
Holocausto (Miguel Salgueiro Meira)
 
Nazismo
Nazismo Nazismo
Nazismo
 
Historia de israel aula 28 e 29 os judeus na idade moderna [modo de compatibi...
Historia de israel aula 28 e 29 os judeus na idade moderna [modo de compatibi...Historia de israel aula 28 e 29 os judeus na idade moderna [modo de compatibi...
Historia de israel aula 28 e 29 os judeus na idade moderna [modo de compatibi...
 
O Holocausto I A
O Holocausto I AO Holocausto I A
O Holocausto I A
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Historia de israel aula 30 e 31 os judeus na idade moderna e holocausto [modo...
Historia de israel aula 30 e 31 os judeus na idade moderna e holocausto [modo...Historia de israel aula 30 e 31 os judeus na idade moderna e holocausto [modo...
Historia de israel aula 30 e 31 os judeus na idade moderna e holocausto [modo...
 
Judeus
JudeusJudeus
Judeus
 
Nazismo e apartheid
Nazismo e apartheid Nazismo e apartheid
Nazismo e apartheid
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Alemanha
AlemanhaAlemanha
Alemanha
 
COMO SEPULTAR O ANTISSEMITISMO NO MUNDO.pdf
COMO SEPULTAR O ANTISSEMITISMO NO MUNDO.pdfCOMO SEPULTAR O ANTISSEMITISMO NO MUNDO.pdf
COMO SEPULTAR O ANTISSEMITISMO NO MUNDO.pdf
 
nazismo.ppt
nazismo.pptnazismo.ppt
nazismo.ppt
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 

Último (20)

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 

Anti semitismo

  • 2. ANTI SEMITISMO O que é? Antissemitismo é o preconceito ou hostilidade contra judeus baseada em ódio contra seu histórico étnico, cultural e/ou religioso. Na sua forma mais extrema, "atribui aos judeus uma posição excepcional entre todas as outras civilizações, difamando-os como um grupo inferior e negando que eles sejam parte da(s) nação(ões) em que residem".
  • 3. ANTI SEMITISMO ETIMOLOGIA Considerando a etimologia da palavra, antissemitismo significaria aversão aos semitas - segundo a Bíblia, os descendentes de Sem, filho mais velho de Noé - grupo étnico e lingüístico que compreende os hebreus, os assírios, os arameus, os fenícios e os árabes. Mas, de fato, a palavra Antisemitismus foi cunhada, em língua alemã, no século XIX, numa altura em que a ciência racial estava na moda na Alemanha, e foi usada pela primeira vez já com o sentido de aversão aos judeus, pelo jornalista alemão Wilhelm Marr, em 1873, por soar mais "científica" do que Judenhass ("ódio aos judeus").
  • 4. Judeus proibidos de ter animais domésticos No dia 15 de maio de 1942, Victor Klemperer registrou em seu diário a proibição aos judeus de manterem animais domésticos. O diário dele foi um relatório minucioso da cruel perseguição nazista aos judeus. Ele anotou: "Está anoitecendo. Encontrei a senhora Ida Kreidl durante as compras e ela me contou do mais recente decreto dos nazistas: a partir de agora, os judeus e quem mora com eles estão proibidos de manter animais domésticos (cães, gatos, pássaros). Os animais também não podem ser dados a terceiros. É a sentença de morte para nosso Muschel, com quem convivemos há 11 anos e que Eva gosta tanto. Amanhã ele será levado ao veterinário, para poupar-lhe a morte coletiva".
  • 5. Judeus alemães preocupados com futuro da imigração A comunidade judaica da Alemanha tem tido um dos crescimentos mais rápidos do mundo. Mas a atual redução da imigração judaica coloca em jogo o futuro da comunidade.
  • 6. Depois do fim do Terceiro Reich, a comunidade judaica – tão próspera antes da Segunda Guerra, com cerca de 600 mil integrantes – contava apenas com aproximadamente 15 mil membros. Em 1991, passou a vigorar uma nova legislação alemã, que permitiu a judeus da antiga União Soviética, os chamados judeus russos, imigrarem com poucas restrições. Como conseqüência, milhares de judeus até então presos atrás da Cortina de Ferro aproveitaram a nova regulamentação e foram recebidos com boas-vindas calorosas. Judeus alemães preocupados com futuro da imigração
  • 7. No início de 2004, Israel começou a aumentar a pressão para que o governo alemão tornasse mais rigorosas as leis de imigração. Cerca de 20 mil judeus russos foram para a Alemanha e 11 mil para Israel, de acordo com estatísticas do governo israelense. O número de judeus russos que, por sua vez, deixaram Israel na última década chega a quase 70 mil. Judeus alemães preocupados com futuro da imigração
  • 8. TRATAMENTO AOS JUDEUS Entre 1933 e 1939, o Partido Nazi, aliado a Agências Governamentais e aos Bancos, obrigou o Afastamento dos judeus de toda a vida econômica. Os indivíduos considerados não arianos eram destituídos dos postos nos serviços públicos, as empresas judaicas foram fechadas ou vendidas por um preço inferior ao razoável e entregues a outras companhias que eram pertencentes ou administradas por não-judeus.
  • 9. Em setembro de 1941, os judeus da Alemanha foram forçados a usar uma estrela amarela e, meses depois, milhares de pessoas foram deportadas para os campos da Polônia e para cidades tomadas aos russos. Era a preparação dos campos de concentração, dos tristemente célebres "campos de morte". TRATAMENTO AOS JUDEUS
  • 10. LEIS DE RESTRIÇÃO A Alemanha de Adolf Hitler considerava os judeus como elementos desleais e avarentos dentro da comunidade nacional, bem como uma força de decadência na vida cultural da Alemanha.
  • 11. Acreditando isto dos judeus, a solução dos nazistas ao problema era privá-los de sua influência na nação por meio de vários atos legislativos, e, mais importante de tudo, encorajar sua imigração para fora do país. Nas primeiras viagens eram deportadas as mulheres, as crianças e os idosos, que não eram tão produtivos quanto os homens. Os judeus em condições para trabalhar ficavam nas fábricas, mas também acabariam por ser mortos mais tarde. LEIS DE RESTRIÇÃO
  • 12. Depois do fim da guerra, os Aliados, enquanto forças vitoriosas, fizeram uma grande pressão para se estabelecer a pátria judaica para os sobreviventes do Holocausto. Passados 3 anos após a derrota alemã foi formado o estado sionista de Israel, a terra prometi da dos judeus. LEIS DE RESTRIÇÃO
  • 15. SIONISMO Em 1939, os consistentes esforços do Governo Alemão para assegurar a saída dos judeus do Reich tinha resultado na emigração de 400.000 judeus alemães de uma população total de mais ou menos 600.000, e um adicional de 480.000 emigrantes da Áustria e da Tchecoslováquia, que constituiam quase que a totalidade de sua população judaica.
  • 16. SIONISMO Sionismo (em hebraico: ‫ציונות‬ Tsiyonut) é um movimento político e filosófico que defende o direito à autodeterminação do povo judeu e à existência de um Estado nacional judaico independente e soberano no território onde historicamente existiu o antigo Reino de Israel (Eretz Israel). O sionismo é também chamado de nacionalismo judaico e historicamente propõe a erradicação da Diáspora Judaica, com o retorno da totalidade dos judeus ao atual Estado de Israel. O movimento defende a manutenção da identidade judaica, opondo-se à assimilação dos judeus pelas sociedades dos países em que viviam.
  • 17. NOITE DOS CRISTAIS Noite dos Cristais (alemão Reichskristallnacht ou simplesmente Kristallnacht) é o nome popularmente dado aos atos de violência que ocorreram na noite de 9 de novembro de 1938 em diversos locais da Alemanha e da Áustria, então sob o domínio nazi ou Terceiro Reich. Tratou-se de Pogroms, de destruição de sinagogas, de lojas, de habitações e de agressões contra as pessoas identificadas como judias.
  • 19. NOITE DOS CRISTAIS A pedido de Adolf Hitler, Goebbels instiga os dirigentes do NSDAP e os SA a atacarem os judeus. Heydrich organiza as violências que deviam visar as lojas de judeus e as sinagogas. Numa única noite, 91 judeus foram mortos e cerca de 25.000 a 30.000 foram presos e levados para campos de concentração. 7500 lojas judaicas e 267 sinagogas foram reduzidas a escombros.
  • 21. GUETO DE VARSÓVIA Gueto de Varsóvia foi o maior gueto judaico estabelecido pela Alemanha Nazista na Polônia durante o Holocausto, ao tempo da Segunda Guerra Mundial. Nos três anos da sua existência, a fome, as doenças e as deportações para campos de extermínio reduziram a população estimada de 380 000 para 70 000 habitantes.
  • 22. GUETO DE VARSÓVIA O QUE É UM GUETO? Bairro, em qualquer cidade, onde são confinadas certas minorias por imposições econômicas e/ou raciais. Bairro onde os judeus eram forçados a morar, em certas cidades européias.
  • 23. GUETO DE VARSÓVIA O Gueto de Varsóvia foi o palco da revolta do Gueto de Varsóvia, a primeira insurreição massiva contra a ocupação nazi na Europa. Apesar disso, a maioria das pessoas que estiveram no Gueto de Varsóvia foi gaseada no campo de extermínio Nazi de Treblinka.
  • 24. CAMPO DE CONCENTRAÇÃO Campo de concentração é um centro de confinamento militar, instalado em área de terreno livre e cercada por telas de arame farpado ou algum outro tipo de barreira, cujo perímetro é permanentemente vigiado, para suster prisioneiros de guerra e/ou prisioneiros políticos.
  • 25. O uso de campos de concentração foi amplamente disseminado na Alemanha, durante a Segunda Guerra Mundial, na extinta União Soviética, durante a era stalinista, e atualmente na Coreia do Norte. CAMPO DE CONCENTRAÇÃO
  • 26. Estima-se que grande parte dos judeus desaparecidos durante a Segunda Guerra Mundial tenha perecido nos campos. Embora outros países tenham construído campos de concentração com a finalidade de isolar populações de determinadas etnias, não há nada comparável, em escala, aos campos nazistas. CAMPO DE CONCENTRAÇÃO