Centro Novas oportunidades                                                       NEWSLETTER – tiragem única – dezembro 201...
NEWSLETTER dezembro 2012                                                                    Reflexões                     ...
NEWSLETTER dezembro 2012Uma nota de sabedoria                                                                             ...
NEWSLETTER dezembro 2012                                                                                                  ...
NEWSLETTER dezembro 2012                 Álbum                                                              5             ...
NEWSLETTER dezembro 2012                             Sessão de júri                              dia 6-11-12              ...
NEWSLETTER dezembro 2012Esperança para a Educação                                                                    Joaqu...
NEWSLETTER dezembro 2012                                Carta aos formandos            Caros Formandos do Processo de RVCC...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Newsletters

937 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Newsletters

  1. 1. Centro Novas oportunidades NEWSLETTER – tiragem única – dezembro 2012 Ilustração: Scott Kahn9Nota de abertura …… 1 Nota de abertura (José Caldas, Diretor da ESAG e Diretor do Centro Novas Oportunidades)Reflexões …………..….. 2 Desde o seu início, e já lá vão 40 anos, que a Educação de Adultos faz parte da ofertaConto LER+ ………….… 3 educativa da ESAG. Pode-se dizer, como hoje é habitual, que está no ADN da escola. PelosSoneto Gratidão ….... 3 Cursos Complementares, Ensino Recorrente, Cursos Tecnológicos, entre outras modalidades, passaram milhares de adultos, em geral no horário noturno, podendo, assim,Pensamentos ………… 4 completar os seus estudos. A abertura de um Centro Novas Oportunidades, e a diversidade de percursos formativos permitidos, atraiu um público diversificado e vasto, provocador deÁlbum …………………… 5 transformações pedagógicas, administrativas e relacionais na ESAG. Foi deste modo que se construiu uma equipa de formadores especializados e dedicados, capazes de responderArtigo de opinião ….. 7 com qualidade às novas exigências. As diversificadas origens dos novos formandos, queCarta aos adultos ….. 8 transportavam percursos escolares e profissionais também muito diferentes, exigiram um acompanhamento individualizado para a validação, desenvolvimento e reconhecimento de competências com vista ao seu crescimento pessoal e melhor inserção social.
  2. 2. NEWSLETTER dezembro 2012 Reflexões … Zilda Costa (Coordenadora CNO, 2009-2012) 2 O ensino de ADULTOS...sim, SEMPRE! A APRENDIZAGEM faz-se ao longo da VIDA. A Escola Secundária Augusto Gomes é sede de um Centro Novas Oportunidades desde o dia um de setembro de 2008. Este Projeto veio dar resposta às necessidades de qualificação da população envolvente, no âmbito da educação e formação de adultos, promovendo o desenvolvimento pessoal e cívico dos cidadãos, ajudando à sua inserção social e profissional. Ao longo destes anos, o CNO tentou sempre responder de uma forma ajustada e assertiva às situações, interesses e expectativas dos diferentes formandos que nos procuraram. Estes adultos, homens e mulheres, de níveis etários diferentes, com percursos de vida distintos, que realizaram aprendizagens formais, informais e não formais ao longo da sua vida, em contextos únicos, tiveram, neste centro, uma resposta formativa adequada à singularidade de cada um e que se traduziu no aumento das suas competências e qualificações. A existência do CNO reforçou o papel da nossa Escola na descoberta de novos papéis sociais, contribuindo para o bem comum e para o desenvolvimento do território.Raiz de OrvalhoSou agora menos eu que em mim se abre e permito-me ouvire os sonhos à viagem mil vezes adiada o leve respirar dos objectosque sonhara ter sepultados em silêncioem outros leitos despertaram De quando em quando e eu invento o que escrevo me perco escrevendo para me inventarQuem me dera acontecer na procura a raiz do orvalho e tudo me adormeceessa morte e se de mim me desencontro porque tudo despertade que não se morre foi porque de todos os homens a secreta voz da infânciae para um outro fruto se tornaram todas as coisasme tentar seiva ascendendo como se todas elas fossem Amam-me demasiadoporque perdi a audácia o eco as mãos as coisas de que me lembrodo meu próprio destino a casa dos gestos e eu entrego-mesoltei ânsia como se todas as coisas como se me furtassedo meu próprio delírio me olhassem à sonolenta caríciae agora sinto com os olhos de todos os desse corpo que faço nascertudo o que os outros sentem homens dos versossofro do que eles não sofremanoiteço na sua lonjura Assim me debruço a que livremente me condenoe vivendo na vida na janela do poemaque deles desertou escolho a minha própria MIA Coutoofereço o mar neblina
  3. 3. NEWSLETTER dezembro 2012Uma nota de sabedoria 3 Ninguém sabe dizer o que aconteceucom Kákua, depois que ele deixou o PalácioImperial. Soneto de gratidão Diz a história que Kákua foi o primeirojaponês que estudou Budismo Zen na China. Gratidão Nunca viajou; meditava apenas. Sempre que o encontravam, pediam- O dia corria veloz, envoltolhe que saísse a pregar. Num tempo, meu, assaz, persistente Mas ele dizia meia dúzia de palavras e Chegando à mudança de repentedesaparecia para outro ponto da floresta, Escrevendo tudo como um doutotornando-se mais difícil encontrá-lo. Um dia, tendo voltado ao Japão, o Histórias duma vida, vividaImperador pediu-lhe que pregasse o Budismo Na luta imensa que esta temZen a ele próprio e a toda a sua corte. Kákua ficou de pé, muito calado, diante Mas onde a maioria quer o bemdo Imperador, depois de ouvi-lo; tirou das Numa vivência muito sofridadobras do seu manto uma flauta que ali tinhaescondida e soprou nela apenas uma nota. Senti apoio e compreensão Inclinou-se, depois, profundamente, De todos carinho em plenitudeem saudação ao Imperador e foi-se embora. Entusiasmo com sofreguidão Eis o que diz Confúcio: “Não ensinar um homem já maduro é desperdiçar o homem. A entrega, dádiva e ajuda Ensinar um homem ainda não maduro é A companhia plena de virtude desperdiçar palavras.” Na mágica duma vida sortuda Anthony de Melo, O canto do pássaro, Lisboa, Ed. Carlos Graça, Adulto de processo RVCC Paulinas, 1998
  4. 4. NEWSLETTER dezembro 2012 4 Ilustração: Armanda Passos Ilustração: maleta de cuentos_Paulo Galindro Sem a curiosidade que me move, que me Porque as memórias procriam como se fossem inquieta, que me insere na busca, não aprendo pessoas vivas de Agustina Bessa-Luís, in Antes do Degelo nem ensino. Paulo Freire Ilustração: Cada Homem tem a sua parcela de terreno para cultivar. O que é importante é que cave fundo. José Saramago Ilustração: Toshio Ebine - beijo na LuaO Homem é do tamanho do seu sonho. Fernando Pessoa Ilustração: Ilustração: Anna Silivonchik Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que Não fiques em terreno plano. Não subas muito alto.precisas passar para atravessar o rio da vida. O mais belo olhar sobre o mundo. Está a meia encosta. Friedrich Nietzsche Friedrich Nietzsche
  5. 5. NEWSLETTER dezembro 2012 Álbum 5 Sessão de júri dia 23-7-12 Sessão de júri dia 21-7-11Sessão de júri dia 14-7-11 Sessão de júri dia 25-6-12
  6. 6. NEWSLETTER dezembro 2012 Sessão de júri dia 6-11-12 6 Sessão de júri dia 16-10-12 Sessão de júri dia 20-7-12Continuem…sejamfelizes!
  7. 7. NEWSLETTER dezembro 2012Esperança para a Educação Joaquim Azevedo, presidente do Centro Regional do Porto da Universidade Católica PortuguesaAcabo de escrever um livro sobre “Liberdade e política pública de educação” (Ed Fundação Manuel Leão), ondedescrevo a situação atual da educação escolar em Portugal e onde enquadro e alinho um conjunto de ações comuns ede medidas de política pública que poderiam e deveriam ser tomadas. Vou, por isso, sintetizar essa reflexão, 7remetendo o seu esclarecimento e aprofundamento para este livro.Vivemos numa situação de bloqueio, que a atual crise só vem agravar. Estamos bloqueados, porque:-entendemos que a educação é uma questão técnica, que se resolve com bons gabinetes e com base na iluminaçãoque invade a 5 de Outubro, em cada mudança do governo;-não apoiamos devidamente as famílias na sua insubstituível missão de educar os filhos;-não focamos a nossa ação no ensino e nas aprendizagens;-os professores são permanentemente desfocados do seu trabalho essencial, ensinar;-a administração educacional labora sob o signo da desconfiança, desfazendo o que com liberdade e autonomia se vaiconstruindo;-o conjunto dos atores sociais na sociedade portuguesa ainda é pouco chamado a comprometer-se com a melhoria daeducação escolar;-a demagogia e o cinismo fazem mais caminho do que o trabalho árduo de melhoria da situação da educação.Pugno pela construção de um referencial em que se possa enquadrar uma nova política pública de educação.Sumariando:(i) uma visão antimonopolista e policêntrica da política pública de educação escolar;(ii) uma conceção do bem público educacional como uma construção social e política realizada no espaço público,com a participação de toda a sociedade e onde se caminha sempre para a realização de compromissos concretos ecomuns para a melhoria da educação escolar em Portugal e em cada localidade;(iii) nestes compromissos concretos participam o Estado e toda a sociedade, cada escola e os seus atores, em ordem agerar mais valor público educacional, muito mais do que as ditas reformas educativas, que geralmente destroem ovalor entretanto criado;(iv) é urgente focar a educação em melhor ensino e em melhores aprendizagens por parte de cada criança, jovem ouadulto, o resto pouco interessa.Focar os recursos no essencial passa a ser uma prioridade irrenunciável… aplicar o conceito defendido de “serviçopúblico de educação” que serve a democracia e a liberdade, que compreende, aproveita e integra na rede escolartodas as iniciativas que contribuem para melhor ensino e melhores aprendizagens.Os nós que existem, e são muitos, temos de ser nós a desatá-los. Ninguém o fará por nós. Com Confiança, comCooperação, com Compromissos e, no fim, com melhor ensino e melhores aprendizagens. Com trabalho, muitotrabalho, árduo e persistente trabalho, o que só faz quem está convencido de que isso vale a pena e que só hámesmo esse caminho a trilhar. Muita coragem e muita esperança! Adaptado do texto elaborado por Joaquim Azevedo, professor catedrático da Universidade Católica Portuguesa, publicado pela Agência Ecclesia, em 21-6-11)
  8. 8. NEWSLETTER dezembro 2012 Carta aos formandos Caros Formandos do Processo de RVCC da Escola Secundária Augusto Gomes de Matosinhos,Neste momento especial das vossas vidas, que aqui nos reúne em convívio amigo e solidário, gostaria de,em nome de toda a equipa técnico-pedagógica do Centro de Novas Oportunidades da nossa Escola, dar-vos, antes de mais, os parabéns pelo êxito por vós alcançado e partilhar convosco alguns pensamentosde apreço e incentivo para o presente e futuro da vossa realização pessoal, sociocultural e profissional. 8O heterónimo Bernardo Soares, uma das muitas personalidades poéticas, saídas da fantástica criação deFernando Pessoa, diz numa obra sua, titulada Livro do Desassossego, que “O Homem é do tamanho doseu sonho”. Parece-me esta afirmação do nosso grande poeta, perfeitamente adequada àquilo que cadaum de vós revelou ser durante o processo de RVCC, ou seja, pessoa, cuja dimensão é a do seu própriosonho.A Vontade, segundo Schopenhauer, um filósofo alemão do século XIX, é “o princípio que norteia a vidahumana”. E foi essa vontade, traduzida em denodo e perseverança, que vos levou a vencer asadversidades para, desse modo, poderem concretizar o sonho que desejavam alcançar.Durante o tempo que passámos juntos, o nosso papel, o dos técnicos e formadores, foi, apenas e tão-só,o de querer ajudar-vos a aperfeiçoar o vosso desenvolvimento individual, e, nesse contexto, a vossaatitude revelou-se merecedora do nosso empenho, pois, como observa Confúcio, na sua sábia filosofiaoriental, “De nada vale ajudar aqueles que não se ajudam a si mesmos.” Centro Novas OportunidadesA chegada ao conhecimento é, na sua essência, umda Escola SecundáriaAugustonós, formadores e acto de partilha. Foi isso que Gomesformandos, fizemos: partilhámos experiências e conhecimentos, e creio que dessa relação todosbeneficiámos, tornando-nos cidadãos mais enriquecidos. Creio, também, que ficámos a perceber melhoro que Isaac Newton quer dizer quando afirma que “O que sabemos é uma gota de água, o queignoramos "Só podemos dar aquilo que aquele que achamesmos." (Wayneao pensar assim, priva-se é um oceano”. É um ignorante temos em nós que sabe tudo, e, W. Dyer)de um dos maiores prazeres da vida: o prazer de aprender. Só a aprendizagem desejada e reflectida noscoloca em situação de nos compreendermos melhor a nós mesmos e compreendermos o Outro e oMundo, onde, por condição social, nos envolvemos. Estou ciente que era essa a vossa intenção quandose inscreveram no processo de RVCC, isto é, tornarem-se pessoas e cidadãos mais apetrechados para oentendimento dos fenómenos da ciência e da vida, a que, por força da nossa condição social, nãopodemos virar costas. Mas não duvido que essa consciência se foi tornando mais clara durante odesenvolvimento do processo.Hoje, muitos de vós, senão todos, desejarão chegar mais longe. Para tal, como sabem, basta pôr emfuncionamento o binómio Sonho-Vontade, ou Vontade-Sonho, pois me parece que a ordem dos factoresé aqui arbitrária e que importará, isso sim, ir de encontro à máxima de Fernando Pessoa ao afirmar que“O sonho é o que temos de realmente nosso”.Para finalizar este meu singelo texto de parabéns pelo êxito por vós alcançado e de incentivo a novasconquistas, deixo-vos com uma última citação, desta feita de Henry Ford: “É verdadeiramente velho oHomem que pára de aprender, quer tenha vinte ou oitenta anos”. Não parem, muito obrigado. Fernando Hilário, Formador de Língua e Comunicação

×