Manipulação do teor e da composição da gordura
e proteína do leite
Gordura do Leite
Composição da Gordura
• 98% da gordura é formada por triacilglicerídeos, cuja estrutura
possui três ácidos graxos e um gli...
Composição da Gordura
• Os ácidos graxo de cadeia curta são sintetizados na
glândula mamária, pela fermentação ruminal de
...
Composição da Gordura
• Assume-se que cerca de 50% da gordura
do leite é produzida na glândula a partir
dos precursores ru...
Fatores que afetam a Gordura do leite
Raça
• 55% da variabilidade da composição do
leite decorre da genética, e o restante do
ambiente.
Raça % de
Gordura
% de
P...
Nutrição
• A gordura é o componente mais facilmente influenciável pela
nutrição, podendo variar entre 2 e 3 unidades perce...
Nutrição
• Quando a dieta do animal possui excesso de
concentrado, ultrapassa 50% do total de matéria
seca, inicia-se a *a...
Nutrição
• *Acidificação Ruminal: A grande quantidade de grãos
fornecidos, faz uma extensa fermentação causando
elevada pr...
Nutrição
• Uma forma de se evitar a acidificação
ruminal e a consequente diminuição dos
teores de gordura é a substituição...
Nutrição
• A porção fibrosa da dieta é fundamental para
a manutenção de condições ideais de
fermentação ruminal.
• A fibra...
Mastite
• À medida que o grau de inflamação aumenta, a
composição química do leite tende a se aproximar
daquela do sangue,...
Mastite
• As mudanças em quantidade dos
diversos componentes é variável. A
síntese de leite diminui quando o
tecido mamári...
Mastite
• Há indicio de redução de menos de 10% no teor de gordura de animais com
mastite. A composição da gordura, no ent...
Mastite
• Ocorrem mudanças na composição dos ácidos graxos,
de modo que os de cadeia curta aumentam um pouco
e os de cadei...
Mastite
Componente Conteúdo
normal
Sentido da
mudança
Intensidade
da mudança
Gordura (%) 4,3 Redução 10 %
Proteína (%) 3,3...
Outros fatores que reduzem o teor de
Gordura do leite
• A adição de gordura insaturadas (óleos) em grandes
quantidades (>6...
Fatores que aumentam o teor de gordura do
leite
• Diminuição na produção de leite;
• Perda de peso excessiva no início da
...
Proteína do leite
Considerações
• Proteína Total (g/100 g):mín. 2,9;
• A proteína é atualmente o
componente do leite mais valorizado
na maio...
Composição da Proteína
• A proteína do leite é sintetizada na glândula mamária a
partir de compostos presentes no sangue. ...
Fatores que afetam a Proteína do leite
Raça
• 55% da variabilidade da composição
do leite decorre da genética, e o
restante do ambiente.
Raça % de
Gordura
% de
P...
Estágio de Lactação
• Vacas adultas tem menor teor de proteína de leite que as vacas
primíparas, no entanto produzem maior...
Nutrição
• O potencial de alteração no teor de proteína do leite
por meio da nutrição é modesto, girando em torno de
0,2 u...
Nutrição
No geral, para maximizar a produção de leite com alto teor
de sólidos, estão relacionados com a otimização da
fer...
Nutrição
• O aumento da proporção de concentrados nas dietas
de vacas leiteiras provoca o aumento da produção de
leite e d...
Nutrição
• O teor de proteína da dieta tem efeito muito
pequeno sobre a concentração de proteína do
leite. Pode-se dizer q...
CCS
• A quantidade total de proteínas do leite não diminui claramente
até a CCS exceder o valor de 1.000.000/mL. Entretant...
Adição de Lipídios na Ração de Vacas Leiteiras: Parâmetros
Fermentativos Ruminais, Produção e Composição do Leite
• Objeti...
Material e Métodos
• Foram usadas seis vacas multíparas holandesas,
puras e mestiças, com 500 kg de peso corporal, 30
dias...
Composição da ração total
Conclusões
As produções de leite ,proteína, gordura, lactose,
sólidos totais, sólidos desengordurados e densidade
não fora...
Torta de girassol em rações de vacas em lactação: produção
microbiana, produção, composição e perfil de ácidos graxos do
l...
Material e Métodos
Foram utilizadas oito vacas da raça
Girolando com peso médio de 515 kg.
Os fatores foram níveis de incl...
Conclusão
A utilização de torta de girassol é uma
alternativa na alimentação de vacas em
lactação,contudo não altera a efi...
Bibliografia
• Livro*
• FONTE:www.scielo.br
• Fonte : www.scielo.br/pdf/asas/v33n4/a10v33n4.pdf
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Manipulação do teor e da composição da gordura e proteína do leite

1.296 visualizações

Publicada em

Interferência da alimentação na composição do leite bovino em suas devidas proporções de gordura,proteína e lactose entre outras. Fatores que afetam a gordura do leite,métodos de pratica de ordenha,período lactação idade do anima etc..

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.296
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
271
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manipulação do teor e da composição da gordura e proteína do leite

  1. 1. Manipulação do teor e da composição da gordura e proteína do leite
  2. 2. Gordura do Leite
  3. 3. Composição da Gordura • 98% da gordura é formada por triacilglicerídeos, cuja estrutura possui três ácidos graxos e um glicerol. • Cujos ácidos graxos podem ser de cadeia curta (4 a 8 C), média (10 a 14 C) ou longa (acima de 16 C).
  4. 4. Composição da Gordura • Os ácidos graxo de cadeia curta são sintetizados na glândula mamária, pela fermentação ruminal de carboidratos estruturais: acetato. • Os ácidos graxos de cadeia longa são obtidos diretamente da dieta ou pela mobilização de gordura corpórea.
  5. 5. Composição da Gordura • Assume-se que cerca de 50% da gordura do leite é produzida na glândula a partir dos precursores ruminais (acetato), e o restante é obtido pela mobilização de reservas corporais ou a partir da dieta.
  6. 6. Fatores que afetam a Gordura do leite
  7. 7. Raça • 55% da variabilidade da composição do leite decorre da genética, e o restante do ambiente. Raça % de Gordura % de Proteína Proteína/Gordura Holandesa 3,64 3,20 0,88 Jersey 4,73 3,78 0,80 Pardo-Suíça 4,02 3,56 0,89
  8. 8. Nutrição • A gordura é o componente mais facilmente influenciável pela nutrição, podendo variar entre 2 e 3 unidades percentuais. • Pode-se produzir leite com baixo teor de gordura, quando fornecido ao animal dietas com alto teor de concentrados e baixa concentração de fibra. • Em geral, considera-se que dietas acima de 50% de concentrado na matéria seca podem resultar em diminuição da concentração da gordura do leite.
  9. 9. Nutrição • Quando a dieta do animal possui excesso de concentrado, ultrapassa 50% do total de matéria seca, inicia-se a *acidificação ruminal, o que leva a alteração da proporção entre os ácidos graxos voláteis do rúmen (ácidos graxos de cadeia curta). Com isso, alguns metabólitos produzidos atuam na glândula, deprimindo a produção de gordura.
  10. 10. Nutrição • *Acidificação Ruminal: A grande quantidade de grãos fornecidos, faz uma extensa fermentação causando elevada produção de ácidos graxos voláteis que, associada ao baixo tamponamento ruminal provocado pela falta de carboidratos fibrosos, resulta em baixo pH ruminal (<6,0).
  11. 11. Nutrição • Uma forma de se evitar a acidificação ruminal e a consequente diminuição dos teores de gordura é a substituição de parte dos grãos que contém muito amido por subprodutos contendo maiores teores de fibra, como cascas de sementes oleaginosas, polpa cítrica e resíduo de cervejaria.
  12. 12. Nutrição • A porção fibrosa da dieta é fundamental para a manutenção de condições ideais de fermentação ruminal. • A fibra efetiva é aquela que estimula, em decorrência do tamanho das partículas e da qualidade, a ruminação e a produção de saliva, favorecendo assim o processo de fermentação ruminal dos alimentos.
  13. 13. Mastite • À medida que o grau de inflamação aumenta, a composição química do leite tende a se aproximar daquela do sangue, porque os componentes são transferidos da circulação sanguínea para a glândula mamária.
  14. 14. Mastite • As mudanças em quantidade dos diversos componentes é variável. A síntese de leite diminui quando o tecido mamário está inflamado e, como consequência, há uma redução de 5 a 15% do teor de matéria seca do leite.
  15. 15. Mastite • Há indicio de redução de menos de 10% no teor de gordura de animais com mastite. A composição da gordura, no entanto, muda consideravelmente, acarretando a perda de qualidade dos produtos lácteos. A quantidade total de ácidos graxos permanece inalterada. • O material da membrana dos glóbulos de gordura diminui em aproximadamente 10% e sua composição é alterada em comparação com aquela do leite de vacas sadias.
  16. 16. Mastite • Ocorrem mudanças na composição dos ácidos graxos, de modo que os de cadeia curta aumentam um pouco e os de cadeia longa diminuem proporcionalmente. • A quantidade de ácidos graxos insaturados de cadeia longa é, entretanto, maior no leite mastítico do que no leite normal. Há um incremento da atividade da lipase.
  17. 17. Mastite Componente Conteúdo normal Sentido da mudança Intensidade da mudança Gordura (%) 4,3 Redução 10 % Proteína (%) 3,3 Redução 10 %
  18. 18. Outros fatores que reduzem o teor de Gordura do leite • A adição de gordura insaturadas (óleos) em grandes quantidades (>6 a 8%), tem efeito prejudicial nas bactérias do rúmen, reduzindo a digestão da fibra; • O aumento da Contagem de Células Somáticas(CCS); • Mudanças bruscas na dieta, sem adaptação prévia. • Estresse térmico: clima quente e úmido.
  19. 19. Fatores que aumentam o teor de gordura do leite • Diminuição na produção de leite; • Perda de peso excessiva no início da lactação(>1,2kg/dia) balanço energético negativo; • Manejo de alimentação:espaço de cocho suficiente por animal, vários tratos por dia e disponibilidade de sombra.
  20. 20. Proteína do leite
  21. 21. Considerações • Proteína Total (g/100 g):mín. 2,9; • A proteína é atualmente o componente do leite mais valorizado na maioria dos países;
  22. 22. Composição da Proteína • A proteína do leite é sintetizada na glândula mamária a partir de compostos presentes no sangue. Algumas proteínas, como as imunoglobulinas e albuminas, podem passar diretamente do sangue para a glândula mamária. • As proteínas predominates são a caseína, alfa-lactalbumina e beta-lactoglobulina, que representam mais de 90% da proteína total do leite, sendo a caseína: um dos determinantes do rendimento industrial na produção de queijo.
  23. 23. Fatores que afetam a Proteína do leite
  24. 24. Raça • 55% da variabilidade da composição do leite decorre da genética, e o restante do ambiente. Raça % de Gordura % de Proteína Proteína/Gordura Holandesa 3,64 3,20 0,88 Jersey 4,73 3,78 0,80 Pardo-Suíça 4,02 3,56 0,89
  25. 25. Estágio de Lactação • Vacas adultas tem menor teor de proteína de leite que as vacas primíparas, no entanto produzem maior quantidade total de proteína, em decorrência de sua maior produção de leite. • Os teores de proteína tendem a declinar a partir da primeira e se estabilizam após quarta ou quinta lactação, mas essas diferenças são pequenas. • Normalmente, na primeira semana de lactação, o teor de proteína é cerca de 4%, sofre declínio para 3% pela 6º semana e volta a aumentar no final da lactação.
  26. 26. Nutrição • O potencial de alteração no teor de proteína do leite por meio da nutrição é modesto, girando em torno de 0,2 unidades percentuais. • Geralmente, com formulação de dietas, á medida que aumentam o teor de proteína, aumenta a produção de leite, o que não ocorre com o teor de gordura do leite.
  27. 27. Nutrição No geral, para maximizar a produção de leite com alto teor de sólidos, estão relacionados com a otimização da fermentação ruminal. Destacam-se: Adequada formulação da dieta, atendendo às exigências de proteína, energia, fibra, minerais e vitaminas; Favorecer a máxima ingestão de alimentos; Utilização de forragem de ótima qualidade.
  28. 28. Nutrição • O aumento da proporção de concentrados nas dietas de vacas leiteiras provoca o aumento da produção de leite e da quantidade total de proteína do leite produzida. • No entanto, dietas com quantidades excessivas de concentrados podem resultar acidose ruminal, reduzindo a gordura e a proteína.
  29. 29. Nutrição • O teor de proteína da dieta tem efeito muito pequeno sobre a concentração de proteína do leite. Pode-se dizer que a variação no teor protéico da dieta afeta muito mais a produção de leite do que sua composição.
  30. 30. CCS • A quantidade total de proteínas do leite não diminui claramente até a CCS exceder o valor de 1.000.000/mL. Entretanto, as proporções entre os diferentes tipos de proteína são alteradas mesmo quando a CCS é mais baixa. Em geral, a caseína (que representa cerca de 80% das proteínas do leite) diminui em conseqüência da mastite. A caseína total é reduzida em menos de 10%. • A decomposição das caseínas é mais o resultado do aumento da atividade proteolítica do que de um distúrbio da secreção de leite.
  31. 31. Adição de Lipídios na Ração de Vacas Leiteiras: Parâmetros Fermentativos Ruminais, Produção e Composição do Leite • Objetivou-se avaliar o efeito de dois níveis de lipídios na dieta de vacas em lactação e avaliar duas fontes de lipídios (grão de soja moído e óleo de soja), sobre a produção e composição do leite, os parâmetros ruminais, a atividade de produção de amônia pela microbiota ruminal e o consumo de MS.
  32. 32. Material e Métodos • Foram usadas seis vacas multíparas holandesas, puras e mestiças, com 500 kg de peso corporal, 30 dias pós-parto e produção média de 20 litros de leite/dia. Cada período experimental teve duração de 23 dias, sendo 16 dias para adaptação à dieta e sete dias para coleta de amostras ruminais. A produção de leite foi medida diariamente fazendo- se uma amostragem do leite para análises de proteína e gordura.
  33. 33. Composição da ração total
  34. 34. Conclusões As produções de leite ,proteína, gordura, lactose, sólidos totais, sólidos desengordurados e densidade não foram afetados pelo aumento de lipídios na dieta e nem pelas diferentes fontes de lipídios. As fontes de lipídios reduziram em 20% o consumo de matéria seca, sem, contudo, afetar a produção e composição do leite e os parâmetros fermentativos ruminais, com exceção do butirato, que foi reduzido, e pH, que aumentou na dieta contendo grão de soja. FONTE:www.scielo.br
  35. 35. Torta de girassol em rações de vacas em lactação: produção microbiana, produção, composição e perfil de ácidos graxos do leite O objetivo deste estudo foi avaliar a produção microbiana, produção, composição e perfil de ácidos graxos do leite de vacas alimentadas com rações contendo níveis crescentes de torta de girassol.
  36. 36. Material e Métodos Foram utilizadas oito vacas da raça Girolando com peso médio de 515 kg. Os fatores foram níveis de inclusão de torta de girassol na ração concentrada. Observou-se efeito linear decrescente para os teores de proteína, gordura do leite.
  37. 37. Conclusão A utilização de torta de girassol é uma alternativa na alimentação de vacas em lactação,contudo não altera a eficiência de síntese de proteína microbiana, a produção e o perfil de ácidos graxos do leite. • Fonte : www.scielo.br/pdf/asas/v33n4/a10v33n4.pdf
  38. 38. Bibliografia • Livro* • FONTE:www.scielo.br • Fonte : www.scielo.br/pdf/asas/v33n4/a10v33n4.pdf

×