INFORMATIVO       ADMINISTRANDO                                                                                           ...
Página 2                            CICLO PDCA                            PLANEJAR                        descobertas para...
Página 3                             MÉTODO 5W 2H                         Consiste em elaborar um                HOW MUCH...
DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO    Estamos na web    www.ajes.edu.br    FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS  E ADMINISTRAÇÃO       ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Acessibilidade nas Dependências da Ajes

640 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
640
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acessibilidade nas Dependências da Ajes

  1. 1. INFORMATIVO ADMINISTRANDO Volume 1, edição 1 JUÍNA-MT, 13/04/2012 Acessibilidade nas dependências da AJES O nosso trabalho é para mostrar como as empresas podem utilizar as ferramentas da qualidade para melhorar o relacionamento com os seus clientes. A Faculdade foi escolhida como cenário apenas para facilitar a coleta dos dados, evitando que os acadêmicos tivessem que buscar fora os dados necessários. O que está em pauta é a utilização das ferramentas e não a qualidade dosNesta edição: serviços da AJES. A acessibilidade é um do tipo qualitativa, por ser dimento para a utilizaçãoArtigo interno 2 processo dinâmico mais indicada para identifi- com segurança e autonomia. de remoção de bar- cação de valores.Artigo interno 2 reiras físicas, ambi- Utilizou-se da técnica de CONCEITO ACESSÍVEL entais e arquitetônicas. A questionário para a coleta deArtigo interno 2 acessibilidade leva em consi- dados. Uma vez que é mais ABNT/NBR 9050:2004 deração pessoas idosas, utilizado para coletar dados Espaço, edificação, mobiliá-Artigo interno 3 crianças, pessoas com defi- e medir com maior exatidão. rio, equipamento urbano ou ciência temporárias, elemento que possa serArtigo interno 4 (mulheres com gravidez alcançado, acionado, utiliza- de risco), pessoas cardía- do e vivenciado por qualquerArtigo interno 5 cas, obesas, pessoas que pessoa utilizam cadeiras de ro- das, bengalas ou mule-Artigo interno 6 CONCEITO ADAPTÁVEL tas, entre outros que vivenciam no seu cotidia- ABNT/NBR 9050:2004 no, obstáculos ou barrei- Espaço, edificação, mobiliá- ras que o impedem de ir rio, equipamento urbano ou e vir. elemento cujas característi- Esta pesquisa se propôs cas possam ser alteradas a levantar as possíveis para que se torne acessível. causas que possam pri- var pessoas com defici- ência a se locomoverem CONCEITO ADAPTADO Interesses espe- ciais: naturalmente nas dependên- ABNT/NBR 9050:2004 cias da Ajes. Espaço, edificação, mobiliá- CONCEITO DE ACESSIBILI-  Sintetize aqui seus DADE ABNT/NBR rio, equipamento urbano ou interesses. elemento cujas característi- METODOLOGIA 9050:2004 cas originais foram alteradas Quanto a natureza dos da- Possibilidade e condição de posteriormente para serem  Sintetize aqui seus dos a pesquisa se apresenta alcance, percepção e enten- interesses. acessíveis.  Sintetize aqui seus interesses.  Sintetize aqui seus FUNDAMENTOS DA QUALIDADE interesses. A crescente oferta de tos, conveniência, atendi- relação aos seus concor- bens e serviços pode ser mento, dentre outros. O rentes. Slack, Chambers, um dos fatores responsá- cenário mercadológico Johnston (2007) afirmam veis pela mudança do sinaliza que as empresas que, “boa qualidade re- perfil dos consumidores, que desenvolvem com duz custos de retrabalho, que se tornam cada vez qualidade os seus proces- refugo e devoluções e, mais exigentes, em ter- sos, produtos e serviços mais importante, boa qua- mos de qualidade, preço, estão se colocando em lidade gera consumidores disponibilidade de produ- posição de vantagem em satisfeitos.”
  2. 2. Página 2 CICLO PDCA PLANEJAR descobertas para evitar que adquirir mesas adaptáveis PROBLEMA: Falta de acessi- os pisos fique escorregadio; para pessoas com deficiên- bilidade adequar as grades dos ralos cia na cantina e nas salas de de drenagem para evitar informática; CAUSAS: rampas muito incli- nadas; espaço estreito entre acidentes; ministrar cursos de capaci- as prateleiras da biblioteca; disponibilizar outro espaço tação em auxílio às pessoas banheiros não adaptados; para estacionamento de com deficiência; cantina não adaptada; corre- motos, deixando a área da fazer cobertura principal- dores estreitos ; bebedouro calçada livre para uma me- mente nas rampas de aces- inadequado; sala de informá- lhor locomoção dos pedes- so ao segundo piso; tica inadequada; falta de tres; substituir as grades dos docentes especializados; melhorar o layout da Xerox ralos de drenagem; pisos escorregadios; falta de sinalização tátil e visual; adquirir um terreno próxi- grades dos ralos de drena- mo as dependências da gem impróprias; entrada AJES para estacionamento do estacionamento inade- das motos; quado; balcão da Xerox adquirir balcão adaptado alto. para pessoas com deficiên- META: aumentar a acessi- cia para facilitar o atendi- bilidade nas dependên- mento na Xerox. cias da AJES em no míni- mo 50 %. CONTROLAR PLANO DE AÇÃO: Verificar se as adaptações disponibilizar um funcio- sugeridas foram suficientes nário para auxiliar as pes- para melhorar a acessibili- soas com deficiência a se dade em no mínimo 50%. locomover nas rampas; Por meio de novas pesqui- melhorar o layout da bibli- sas com a população aca- dêmica inclusive com as oteca; Ninguém é tão grande pessoas com deficiência. construir um banheiro ade- que não possa quado às normas da ABNT; FAZER adaptar a lanchonete para AÇÕES CORRETIVAS aprender, nem tão capacitar um funcionário em receber pessoas com defici- fazer manutenção regular- como auxiliar as pessoas pequeno que não ência; mente, a fim de evitar a de- com deficiência; terioração dos equipamen- possa ensinar. “Esopo” adaptar a sala de informáti- reorganizar o layout da bibli- ca para pessoas com defici- tos adquiridos para melhoria oteca adaptando às normas da acessibilidade; ência; da ABNT NBR 9050:2004; capacitar os docentes e fun- ministrar treinamento contí- contratar empresa especiali- nuos de auxílio à pessoas cionários em como auxiliar zada em construções , que com deficiência para os do- as pessoas com deficiência; sigam as normas da ABNT centes e funcionários. proteger da chuva as áreas NBR 9050:2004; Conceito de Qualidade Vários são os conceitos rar definir qualidade em forma bastante individua- de qualidade. Deve-se ter serviços e produtos as lizada diante de um mes- em mente que, ter produ- empresas precisam iden- mo produto. Os autores to de qualidade, nem tificar as necessidades, esclarecem que “ a quali- sempre indica ter o me- exigências e expectativas dade pode ser definida lhor produto. Ter qualida- dos consumidores. Tarefa como o grau de adequa- de em produto e/ou servi- nada fácil, pois de acordo ção entre as expectativas ço é procurar atender às com Slack, Chambers, dos consumidores e a especificações definidas Johnston (2007), os con- percepção deles do pro- pelo consumidor. sumidores apresentam duto ou serviço.” Percebe-se que ao procu- reações diferentes e de
  3. 3. Página 3 MÉTODO 5W 2H Consiste em elaborar um  HOW MUCH – QUAN- WHEN – QUANDO? formulário para cada propos- TO? Propõe-se que seja iniciado ta de ação, contendo as já no próximo semestre as respostas para as seguintes alterações que apresentam WHAT – O QUÊ? mais facilidade de execução questões: Eliminar as barreiras arquite- e menores custos. • What – (O quê?) - Qual a tônicas que impedem a tarefa? O que será feito? acessibilidade de pessoas Quais as contra HOW – COMO? com deficiência. medidas para eliminar as levantar os custos de inves- causas dos problemas? timento; • Where – (Onde?) – Onde WHERE – ONDE? captar os recursos necessá- será executada a tarefa? Nas dependências da AJES rios; • Why – (Por quê?) – Por implementar as ações corre- que esta tarefa é necessá- WHY – POR QUÊ? tivas; ria? Para proporcionar a um mai- • Who – (Quem?) – Quem or número de pessoas a vai fazer? Qual departamen- possibilidade e condição de HOW MUCH – QUANTO? to? alcance, percepção e enten- Devido ao curto espaço de • When – (Quando?) – dimento para a utilização tempo para a realização da Quando será feito? A que com segurança e autonomia pesquisa não houve tempo em todos os ambientes. hábil para determinar os horas? Qual o cronogrma a custos. Porém, dependerá ser seguido? dos recursos disponíveis da  How (Como?) – Qual WHO – QUEM? instituição. o método? De que A própria instituição de ensi- maneira será feito? no. “Qualidade é a PESQUISA DE CAMPO – QUESTIONÁRIO SOBRE consistente ACESSIBILIDADE NO ESPAÇO DA AJES – FACULDADE DEconformidade com as CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO expectativas dos JURUENA.consumidores.” (Slack, Chambers, Johnston Por favor, responda o questi- ( 57%) Sim ( 43%) 7. Você percebe que um onário abaixo contribuindo Não Se sim, qual defici- deficiente tem dificuldade de 2007). para a nossa pesquisa. ência? acesso às prateleiras de livros e mesas na biblioteca? ( 92%) Discente (acadêmico) 4. Você já ajudou alguma ( 92%) Sim ( 8%) Não ( 8%) Docente ( 0%) pessoa com deficiência na Deficiente AJES? 8. Você percebe a dificulda- ( 28%) Sim ( 72%) de de uso do banheiro da 1. Você percebe pessoas Não Se sim, qual a difi- AJES por um deficiente? com deficiência na AJES? culdade que teve? ( 76%) Sim ( 24%) ( 100%) Sim ( 0%) Não Não 5. Você saberia como ofere- cer e ajudar essa pessoa, 9. Você já presenciou a difi- 2. Você percebe problemas com segurança? culdade enfrentada por um relacionados com a acessibi- lidade no espaço físico da ( 42%) Sim ( 58%) deficiente ao utilizar as ram- AJES? Não pas de acesso da AJES? ( 88%) Sim ( 12%) ( 76%) Sim ( 24%) Não Se sim, 6. Você conhece as regras Não quais? ou manuais de como ajudar pessoas deficientes? 10. Qual a sua sugestão 3. Você conhece, ou possui ( 13%) Sim ( 87%) para melhoria da acessibili- alguém na família com algu- Não dade na AJES? ma deficiência?
  4. 4. DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO Estamos na web www.ajes.edu.br FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO Diagrama de causa e efeito O diagrama de causa e efei- O levantamento das causas Em uma empresa industrial to, também reconhecido por potenciais, geralmente, é reali- as causas do problemas são, diagrama espinha de peixe zado em uma sessão de bra- normalmente, ou diagrama de Ishikawa é instorming, o que estimula a identificas nas seguintes uma representação gráfica participação das pessoas en- áreas: utilizada para pesquisar, volvidas no processo. ACADÊMICOS identificar e apresentar as • Mão-de-obra; A vantagem em utilizar o dia- possíveis causas de um de- grama de causa e efeito é • Materiais; Diego Silvestre Delazari terminado problema. O seu permitir que a equipe explore • Máquinas; Flávio Alexandre Pereira uso possibilita ter uma visão e registre todas as possíveis • Medidas; Ione Luciana Cavalli geral das possíveis causas causas de um problema, po- Mariana Teodoro Neta de um problema, aumentan- dendo assim identificar com • Meio ambiente;Maria Raquel F. Gomes Silva do as chances de identificar • Métodos. certa segurança a sua origem. Meiriane Nunes Gomes as melhores soluções. PROFESSORAMs. Terezinha Márcia de Carvalho Lino

×