Louvores dos peixes em particular - Capítulo III

1.485 visualizações

Publicada em

Particularização dos Peixes no Sermão de Santo António aos Peixes - Louvores

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.485
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
726
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Louvores dos peixes em particular - Capítulo III

  1. 1. Louvores em particular – Cap. III Virtudes/ Características Argumentos justificativos Referências a Santo António e/ou outras entidades Crítica aos homens Peixe de Tobias • Fel sara a cegueira; • Coração lança fora os demónios. • Cura da cegueira do pai de Tobias; • Afastamento dos demónios fora de casa, o que permite o casamento com Sara. •Abria a boca contra os hereges; •Alumiava e curava as cegueiras dos Homens; •Lançava os demónios fora de suas casas. • Os Homens não “vêem” por opção, pois recusam-se a ouvir a doutrina. Rémora • Pequena no corpo; • Grande na força e no poder. • «A língua é pequena mas com esforço tudo vence» • Pega-se ao leme de uma nau e impede que ela avance; • Leme da nau e freio do cavalo •Língua de Sto António que domou a fúria das “paixões humanas”. • Os Homens são dominados por alguns dos pecados capitais (alegorias sugeridas pelas naus): - Vaidade (Soberbos); - Avareza (Cobiçosos); - Ira (Vingativos); - Luxúria (Sensuais) Torpedo • Produz energia e provoca descargas eléctricas para se defender. • Quanto maior, mais se esconde • Quando é pescado faz tremer o braço do pescador com as descargas eléctricas, impedindo de ser pescado. •O sermão proferido a vinte e dois pescadores fê-los confessar os seus pecados e converterem-se à verdadeira doutrina. •Atitude materialista presente em toda a sociedade, em que o Homem é dominado por sentimentos de ganância e vaidade; •O Homem engana o seu semelhante sem “tremer”, sem se arrepender dos seus actos. Quatro- olhos • Dois olhos olham para cima e dois olhos olham para baixo • Os seus olhos vigiam os inimigos do ar (aves) e do mar (peixes). •Cristo ensinou o pregador David a não olhar à sua volta, onde só havia vaidade, mas antes para baixo, para aqueles que se encontravam no Inferno, ou para cima, directamente para aqueles que estavam no Paraíso. •O Homem é cego e só se preocupa com a sua vaidade C o l é g i o do A m o r d e D e u s - C a s c a i s Português - 11ºano – Ficha de trabalho A n o L e c t i v o 2007/2008

×