Saude mental Hospital de Caridade de Ijui 2013

593 visualizações

Publicada em

Apresentação final do Hospital de Caridade Ijui, do município de Ijui/RS no Curso em Atenção Integral em Saúde Mental, Álcool, Crack e outras Drogas para profissionais atuantes nos Hospitais Gerais da Macrorregião Missioneira do Rio Grande do Sul, Brasil, entre julho e novembro de 2013.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
593
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Saude mental Hospital de Caridade de Ijui 2013

  1. 1. UNIDADE PSIQUIÁTRICA - HOSPITAL GERAL HOSPITAL DE CARIDADE DE IJUÍ - HCI IJUÍ/RS Novembro de 2013
  2. 2. FLUXO DA UNIDADE DE PSIQUIATRIA (SAÚDE MENTAL) • Porta de entrada pronto socorro • o paciente é avaliado pelo médico plantonista • O medico plantonista solicita a avaliação do médico psiquiatra que faz o diagnóstico definindo a internação ou a liberação do paciente. • O encaminhamento pode vir via judiciário com pedido de avaliação para possível internação compulsória, pelo CAPS ou voluntária. • O paciente é encaminhado a unidade psiquiátrica do HCI, que fica acoplada a unidade cirurgica. Se não houver leito disponível este paciente aguarda no pronto socorro, recebendo tratamento conforme prescrição médica.
  3. 3. RECEPÇÃO DO PACIENTE NA UNIDADE DE SAÚDE MENTAL • No momento da internação o paciente e os responsáveis • • • deverão: Assinar os termos de compromisso.(acompanhantes, regras) Na unidade o paciente será encaminhado para o seu leito e passa por um acolhimento; Enquanto internados, utilizarão as roupas específicas da unidade e os familiares são orientados a levar as roupas pessoais do paciente para casa.
  4. 4. RECEPÇÃO DO PACIENTE NA UNIDADE DE SAÚDE MENTAL • Alimentos para o paciente, somente serão aceitos industrializados, empacotados e que não necessitem de refrigeração, tais como balas e biscoitos. • Nos primeiros sete dias, em princípio, o paciente não recebe visitas.
  5. 5. DESCRIÇÃO DAS ROTINAS ESPECÍFICAS DA UNIDADE DE PSIQUIATRIA (saúde mental) DO HCI. – – – – – As janelas têm aberturas limitadas: grades Objetos considerados perigosos como isqueiros, cintos são mantidos sob os cuidados da enfermagem. Talheres e demais acessórios para alimentação devem ser de plásticos e não devem ter formato pontiagudo. Papel alumínio não deve ser utilizado como acessório visível ao paciente em tratamento para dependência química. Portas dos banheiros não possuem chave.
  6. 6. DESCRIÇÃO DAS ROTINAS ESPECÍFICAS DA UNIDADE DE PSIQUIATRIA (saúde mental) DO HCI. – – – – – As chaves das portas principais dos quartos devem permanecer em posse da equipe de enfermagem. As campainhas devem ser atendidas imediatamente. Alterações e ou sinais diferenciados apresentados pelo paciente devem ser comunicados a enfermeira imediatamente para que sejam avaliados. Reuniões periódicas da equipe de enfermagem devem ocorrer para revisão de conduta e treinamentos. Os pacientes deverão ser prescritos diariamente pela enfermeira responsável.
  7. 7. DESCRIÇÃO DAS ROTINAS ESPECÍFICAS DA UNIDADE DE PSIQUIATRIA (saúde mental) DO HCI. – – – As medicações prescritas por via oral devem ser administradas de forma que se tenha certeza de sua ingestão pelo paciente. Situações em que o paciente esteja oferecendo riscos a ele ou a outros deve ser escolhido como primeira conduta o manejo verbal, caso esse não de resultados é solicitado ajuda de mais pessoas da equipe para interferência. A contenção mecânica deve estar prescrita e ou autorizada pelo médico assistente de forma permanente, para que possa ser realizada se houver necessidade.
  8. 8. COMPOSIÇÃO DA EQUIPE 1 1 1 3 TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMEIRA ASSISTENTE SOCIAL MÉDICOS PSIQUIATRAS
  9. 9. ESTRUTURA FÍSICA 6 LEITOS DESTINADOS A UNIDADE PSIQUIÁTRICA COM ADEQUAÇÕES NECESSÁRIAS.
  10. 10. ENCAMINHAMENTOS PÓSTRATAMENTO NA INSTITUIÇÃO. • O objetivo da internação é sempre que o paciente siga o tratamento após a internação, tão logo as condições clínicas do paciente permitam. Visamos, portanto, internações curtas, geralmente de algumas semanas, em média 15 dias. • Quando necessidade de encaminhamento para hospitais especializados através da central de leitos, esta deve ocorrer nas primeiras 48 horas, comunicando também o poder judiciário. • Os médicos psiquiatras após realizar a desintoxicação substancial do paciente (em caso de DQ (dependência química) e de controlar os sintomas de descompensação psíquica (no caso de transtornos mentais) realiza o encaminhamento juntamente com a enfermeira e assistente social para os CAPS e ou para clínicas especializadas regionais, ATRAVÉS DA CENTRAL DE LEITOS
  11. 11. CONDUTA DA EQUIPE: Toda a equipe deve manter a mesma conduta e atitude com os pacientes, de forma cordial, no entanto, mantendo regras.
  12. 12. DESAFIOS # ESTRUTURA FÍSICA #EQUIPE MÍNIMA DE TRABALHO #POP’S
  13. 13. OBJETIVOS “ATENDIMENTO EFICAZ” 1-Equipe multiprofissional (terapeuta ocupacional, psicóloga e monitor); 2-Unidade fechada e separada com pátio para atividades; 3-Término da construção dos POP’S da UP. 4- Humanização no atendimento.
  14. 14. ESTRANHO CÁRCERE 'As tintas frescas nas portas e nas paredes. Que fechavam e me prendiam nesse lugar... E não tinha uma saída secreta, A menos que eu a sonhasse, E se ouviam infinitas passadas pelo teto de minha vida... Mas as vezes, tinha alguém para dividir comigo aquela solidão... E nós bebíamos , uma bebida amarga, um no crãnio do outro... Passávamos a esperar alguma presença que não acontecia E se perguntar se havíamos feito a lição...dessa vida insistente...eu digo que talvez sim... ou talvez não, pois minha lição é diferente da sua'
  15. 15. Obrigada! Enf. Patricia Goi e Ass. Social Ana Ferreira

×