Kanban - Migrando do Scrum para o Kanban

508 visualizações

Publicada em

Apresentação utilizada em palestra na FGV.

Baseada no excelente curso da knowledge21, muito influenciada pelo instrutor, mestre, PhD Rodrigo Toledo.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Kanban - Migrando do Scrum para o Kanban

  1. 1. DO SCRUM AO KANBAN Victor H. Bilouro bilouro@bilouro.com Baseado no treinamento Kanban Oficial LKU Instrutor Rodrigo de Toledo
  2. 2.  Scrum Clássico  Kanban de Produção  Kanban para Knowledge Workers  Quadro Físico vs Quadro Eletrônico  Limitando WIP  Teoria de Filas  Como Mapear as demandas  Ao encontrar um problema Stop de Line  Fluxo Contínuo  Métricas  Dúvidas AGENDA
  3. 3. SCRUM CLASSICO product backlog selected product backlog sprint backlog product increment sprint Planning 1 sprint planning 2sprint retrospective review Product Owner Scrum Master Developers Scrum Master Developers Scrum Master Developers Product Owner Scrum Master Developers
  4. 4.  Organização simples baseada em cartões/caixas para controlar fluxos de produção, transporte e estoques.  É um palavra em japonês que significa cartão, etiqueta, placa visível Taiichi Ohno (Toyota Production System) KANBAN
  5. 5. • Explicite • Limite o trabalho em progresso (wip) • Torne as políticas e regras explicitas • Melhoria contínua • Melhore colaborativamente usando experimentação KANBAN ADAPTADO PARA KNOWLEDGE WORKERS  Desenvolvido por David Anderson. Adaptação do kanban original, baseado em Ágil e Lean, inicialmente para desenvolvimento de software mas posteriormente, marketing, business, pequenas organizações, etc... • Comece pelo que você faz agora • Mudança incremental e evolutiva • Respeite papéis, responsabilidades e cargos • Iniciativa top-down, liderança por exemplo PRINCÍPIOS PRÁTICAS
  6. 6. QUADRO FÍSICO vs QUADRO ELETRÔNICO • Praticidade • Alta visibilidade • Imperfeições ajudam no mapa mental • Modelo mental funcional • Mapa mental compartilhado • Estimula o engajamento • Estimula o comprometimento • Fácil refactoring • Orgânico, prazeroso FÍSICO • Acesso remoto • Dados históricos • Extração de métricas • Muitos itens pequenos ELETRÔNICO
  7. 7. • Não crie coisas que ninguém quer agora • Não gere conteúdo que sua arte não possa criar • Não crie artes que seu cliente não possa olhar • Ou que você não possa publicar. (adaptado do Corey Ladas) • Folga • Movimentação (pare de começar e comece a terminar) • Swarming WIP - TRABALHO EM PROGRESSO LIMITADO COMO APROVEITAR O LIMITE O QUE ESTÁ SENDO FEITO? CLASSIFIQUE O QUE ESTÁ EM ESPERA?
  8. 8. TEORIA DE FILAS • Gera ansiedade • Não lida bem com variabilidade • Desfavorece o espirito de time • Cultura de heróis e vilões • Não incentiva Multidisciplinaridade PROBLEMAS FILA POR PESSOA FILA ÚNICA FILA POR PESSOA
  9. 9. MAPEAMENTO • BVI (Business value increment) (interno) • MMF (Minimum marketable product) (externo) • MVP (Minimum viable product) (produto/fake) VALOR PARA O NEGÓCIO VALOR PARA CLIENTE • Subproduto verificável do valor para o negocio • Item de trabalho • Sozinho não agrega valor VALOR PARA O TÉCNICO
  10. 10. STOP DE LINE • Evitar refluxos • Redução do tempo entre criação e correção • Mais rápido • Relação causa-efeito • Consertar imediatamente? Sim • Lembrar na retrospectiva PRINCÍPIOS Broken Windows (1982) James Q. Wilson e George L. Kelling Uma estratégia de êxito para prevenir o vandalismo, dizem os autores do estudo, é resolver os problemas quando eles são pequenos
  11. 11. 10 entregas 5 50 entregas 1 FLUXO CONTÍNUO CADÊNCIA DO METRÔCADÊNCIA DO METRÔ 1 entrega com 50 QUADRO DO PRODUCT OWNER O QUE É INTERESSANTE MANTER CADENCIADO? • Reuniões de retrospectiva • Reuniões de demonstração • Reuniões de priorização com cliente
  12. 12. MÉTRICAS • Alinhadas ao propósito • Rítmo e frequência • Sistêmicas • Quantificar sistema como um todo • Cuidado com otimizações locais • End-to-end • Compreensíveis pelo cliente final • Medem os trabalhos não trabalhadores • Consideram que o trabalho está sujeito a variações. (Deming) CARACTERÍSTICAS DE BOAS MÉTRICAS
  13. 13. Fiquei com dúvida... Lá na minha empresa… AGRADECIMENTO e MOMENTO DÚVIDAS Obrigado! Victor H. Bilouro bilouro@bilouro.com
  14. 14. 14
  15. 15. 15

×