EspecializaçãO Pro Eja 4

2.668 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.668
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EspecializaçãO Pro Eja 4

  1. 1. METODOLOGIA DE PESQUISA Prof. William Eduardo da Silva e-mail: will.eduardo@gmail.com
  2. 2. A PESQUISA CIENTÍFICA POSITIVISMO X INTERPRETATIVISMO
  3. 3. O PARADIGMA POSITIVISTA De acordo com o paradigma positivista, a realidade é apreendida por meio de observação empírica. As descobertas se dão pela via da indução, que é o processo de chegar as regras e leis gerais pela observação das regularidades. Pode-se também trabalhar nesse paradigma pelo processo hipotético- dedutivo que concilia a interpretação empírica com as certezas da lógica dedutiva.
  4. 4. O PARADIGMA INTERPRETATIVISTA O paradigma interpretativista parte do princípio que a realidade social não existe em termos concretos, mas é um produto das experiências subjetivas e intersubjetivas das pessoas. As pessoas é que constroem e mantêm simbolicamente a realidade. Dessa forma as pesquisas desenvolvidas sob esta ótica não têm como objetivo a busca da certeza nem a generalização absoluta.
  5. 5. O PROFESSOR-PESQUISADOR
  6. 6. ETNOGRAFIA “[...] descrição de cultura ou de grupos de pessoas percebidas como tendo certo de unidade cultural.” (Van Lier) Origem: • necesidade de estudar o comportamento humano em contextos sociais (sóciólogos, lingüistas, psicólogos, antropólogos); • insatisfação com métodos experimentais, com dados quantitativos e controlados.
  7. 7. Poder metodológico e teórico: Visão Visão Visão mais forte central mais fraca    Essência da Concepção híbrida Observação abordagem nas qualitativa + exploratória para ciências sociais quantitativa gerar hipóteses
  8. 8. PRINCÍPIOS BÁSICOS ÊMICO: Olhar os atores sociais no cotidiano e o significado que atribuem aos fatos (sem modelos pré-estabelecidos). HOLÍSTICO: Os pedaços da cultura devem ser relacionados ao todo (e a semelhantes em outras culturas).
  9. 9. FONTES DE DADOS OBSERVAR (participante ou não) + PERGUNTAR (diário, questionário, entrevista)
  10. 10. PESQUISA-AÇÃO “Estudo de uma situação social para melhorar a ação.” (Elliot, 1991:69) “Pesquisa feita por um professor-pesquisador.” (Crookes, 1993:131) Área ampla de investigação: currículo, ensino-aprendizagem. (Kemmis & McTaggart, 1982) Intervenção de pequena escala no mundo real e exame de seus efeitos. (McNiff, 1986) Auto-reflexão crítica para aprimorar a prática. (Carr & Kemmis, 1986)
  11. 11. Situada, relacionada a Onde se realiza a investigação? um contexto social. Questões do dia-a-dia levantadas pelo próprio O que investiga? participante. O próprio participante, mas de forma Quem a conduz? colaborativa. Para os participantes; Para identificação de Para que(m) se realiza? problemas, visando à mudança. De forma sistemática, Como se realiza? cíclica e reflexiva.
  12. 12. TÉCNICA DE PESQUISA 1: Observação Participante Pesquisa par um processo de pesquisa no qual a comunidade participa na análise de sua própria realidade, com vistas a promover uma transformação social em benefício dos participantes que são oprimidos. Portanto, é uma atividade de pesquisa, educacional orientada pela ação. Em certa medida, foi vista como uma abordagem que poderia resolver a tensão entre o processo de geração de conhecimento e o uso deste conhecimento entre o mundo quot;acadêmicoquot; e o quot;irrealquot; entre intelectuais e trabalhadores, entre ciência e vida.
  13. 13. TÉCNICA DE PESQUISA 2: Grupo Focal • É uma técnica de avaliação que oferece informações qualitativas. • Um moderador guia grupos, de aproximadamente 10 pessoas, numa discussão que tem por objetivo revelar experiências, sentimentos, percepções, preferências. • Os grupos são formados com participantes que têm características em comum e são incentivados pelo moderador a conversarem entre si, trocando experiências e interagindo sobre suas idéias, sentimentos, valores, dificuldades, etc. • O papel do moderador é promover a participação de todos, evitar a dispersão dos objetivos da discussão e a monopolização de alguns participantes sobre outros. • O assunto é identificado num roteiro de discussão e são selecionadas técnicas de investigação para a coleta das informações.
  14. 14. TÉCNICA DE PESQUISA 3: Estudo de Caso É a pesquisa para coleta e registro de dados de um ou vários casos, para organizar um relatório ordenado e crítico ou avaliar analiticamente a experiência com o objetivo de tomar decisões ou propor ação transformadora.
  15. 15. INSTRUMENTOS • Entrevista • Questionário • Gravação (áudio/vídeo) • Notas de campo • Formulário • Diário reflexivo • Narrativa • Fórum
  16. 16. ESTRUTURA ESQUEMÁTICA DO RESUMO (Motta-Roth & Hendges) • Situar a Pesquisa • Apresentar a Pesquisa • Descrever a metodologia • Resumir os resultados • Discutir a pesquisa

×