SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 97
Baixar para ler offline
Revisão sistemática: O que é? Como fazer?
Edição 2019
Profa Dra Graciele Sbruzzi
gsbruzzi@hcpa.edu.br
Conteúdos Abordados
- Etapas para a construção de uma revisão sistemática
- Protocolo e registro
- Seleção dos estudos
- Extração dos dados
- Avaliação do risco de viés
- Análise dos dados
- Avaliação da qualidade da evidência
- Como escrever um artigo de revisão sistemática?
- Como avaliar a qualidade metodológica de uma revisão
sistemática?
O que é revisão sistemática?
RS – pesquisa original
Questão de pesquisa estabelecida
Sujeitos → artigos publicados
Prática Baseada em
Evidência
Revisões
sistemáticas
Estudos randomizados
Estudos in vitro - Pesquisas em animais
Experiência pessoal
Estudos de coorte
Estudos de casos e controles
Estudos transversais (prevalência)
Estudos ecológicos
Estudos de séries de casos
Vieses
+
_
Seleção
Aferição
Confusão
Intervenção
Seguimento
Análise
Interpretação
Publicação
Diretrizes
Revisão narrativa x Revisão sistemática
Por que necessitamos de revisões sistemáticas?
Exemplo: Exercício reduz a taxa de hospitalizações
em pacientes com insuficiência cardíaca?
Exemplo: Exercício reduz a taxa de hospitalizações
em pacientes com insuficiência cardíaca?
Exemplo: Exercício reduz a taxa de
hospitalizações em pacientes com
insuficiência cardíaca?
Etapas para a construção de uma revisão
sistemática
Como fazer?
Colaboração Cochrane
- Organização internacional;
- Objetivos: preparar, manter e assegurar o acesso a revisões
sistemáticas sobre os efeitos de intervenções na área da
saúde;
- Criada em 1993 – Reino Unido - Archie Cochrane;
- Revisões sistemáticas periodicamente atualizadas de todos
os ensaios clínicos aleatórios relevantes sobre intervenções
em saúde.
http://handbook.cochrane.org/
Revisão sistemática - Conteúdo
1 – Questão de pesquisa;
2 – Necessidade da revisão;
3 – Projeto de pesquisa;
4 – Localização dos artigos;
5 – Seleção dos artigos;
6 – Avaliação do risco de viés;
7 – Extração dos dados;
8 – Análise dos dados – quali ou quantitativa;
9 – Interpretação dos dados;
10 – Artigo final.
1- Formulação da questão de pesquisa
P - Paciente ou problema?
I - Intervenção?
C - Comparação?
O - Outcome - desfecho?
T - Tipo de estudo?
Questão de pesquisa
P - Paciente ou problema?
E - Exposição?
C - Comparação?
O - Outcome - desfecho?
T - Tipo de estudo?
RS estudos intervenção RS estudos observacionais
2 - Necessidade da revisão
3 - Construção do projeto de pesquisa
Conteúdo do Projeto de pesquisa
• Informações administrativas
• Introdução
• Objetivo (s)
• Métodos
• Critérios de elegibilidade: PICOT
• Fontes de busca
• Estratégia de busca
• Seleção dos estudos
• Extração dos dados
• Risco de viés
• Análise dos dados
• Análise de vieses (viés de publicação...)
• Análise do nível da evidência (GRADE)
http://www.crd.york.ac.uk/PROSPERO/
Por que registrar?
– Comunicar à comunidade científica que uma determinada
questão de pesquisa está sendo revisada
– Evitar esforços redundantes
– Facilitar associação entre pesquisadores
– Estudos registrados são considerados de maior valor
científico e têm maior probabilidade de serem aceitos para
publicação
Registro do protocolo de revisão sistemática
4 – Localização dos estudos
5 – Seleção dos estudos
– 2 revisores
– Critérios de elegibilidade (PICOT e outros)
– Critérios claros e reprodutíveis
Seleção dos estudos
Fase I
Fase II
Títulos e resumos
•Dois revisores independentes
•Mantido se selecionado por ao menos um
revisor
Textos completos
• Dois revisores independentes
• Necessidade de concordância para incluir
/ excluir estudo
• Se discordância: consenso ou terceiro
revisor
Seleção dos estudos
Fluxograma - PRISMA Statement
http://www.prisma-statement.org/
6 – Avaliação do risco de viés
Avaliação do risco de viés - ECR
Ferramenta da Colaboração Cochrane
Descrição dos resultados:
- alto, moderado ou baixo risco de viés para cada característica
- porcentagem
Útil para: análises de sensibilidade, discussão e conclusões
Ferramenta da Colaboração Cochrane
Ferramenta da Colaboração Cochrane
Avaliação de quais estudos?
Quais características são avaliadas?
- Simplicidade atraente
- Cálculo de uma pontuação – atribuição de pesos para os itens
da escala – justificativa dos pesos???
- Menor transparência para os leitores da revisão
Escalas
Escala PEDro
Avaliação do risco de viés – ensaios clínicos não
randomizados - ROBINS-I
Slim et al. ANZ J. Surg. 2003; 73: 712–716
Avaliação do risco de viés – ensaios clínicos não
randomizados - MINORS
Avaliação do risco de viés - Estudos Observacionais
Principais Vieses:
1- Viés de seleção
- Seleção inadequada de expostos e não expostos ou de
casos e controles
2- Viés de aferição
- Instrumentos inadequados ou viés de recordação
3- Viés de confundimento
- Associação espúria entre fator e desfecho devido a
presença de uma terceira variável
FATOR DESFECHO
CONFUNDIDOR
• Estudos de Coorte
• Seleção da coorte (4 itens)
• Comparação da coorte (1 item)
• Avaliação dos desfechos (3 itens)
• Estudos Caso-controles
• Seleção dos casos e controles (4 itens)
• Comparação dos casos e controles (1 item)
• Determinação da exposição (3 itens)
Avaliação do risco de viés - Estudos
Observacionais - Newcastle-Ottawa Scale (NOS)
Sparrenberger et al. Journal of Human Hypertension 2009; 23: 12.
Zeng et al. Journal of Evidence-Based Medicine 2015; 2-10.
ARHQ Methodology Checklist for Cross-Sectional/Prevalence
Study
Avaliação do risco de viés - Estudos
Observacionais Transversais
7 – Extração dos dados
- Extração independente
- No mínimo 2 revisores
- Ficha de obtenção dos dados
- Método para resolver discordâncias
Extração dos dados
Variáveis extraídas:
- Nome estudo;
- Idade grupos;
- Sexo;
- Tamanho amostra;
- Características dos participantes;
- Características das intervenções;
- Desfechos analisados
Formulário Manual no Excel:
Extração dos dados
Estudo N eventos
Intervenção
N total
Intervenção
N eventos
controle
N total
Controle
Desfechos categóricos
Extração dos dados
Metanálise de desfechos categóricos
Desfechos contínuos
Extração dos dados
Metanálise de desfechos contínuos
8 – Análise dos dados
Metanálise
• É o método estatístico aplicado à revisão sistemática que
integra os resultados de dois ou mais estudos primários
(Clarke, 2001).
• O termo metanálise é comumente usado para se referir às
revisões sistemáticas com metanálise.
• Grafia da palavra: metanálise, meta-análise e metaanálise.
• Os descritores em inglês e espanhol são, respectivamente,
meta-analysis e metaanalisis.
Grupo
Intervenção
Grupo
Controle Risco relativo
Intervalo de
confiança
(IC)
IC
Estudos
Heterogeneidade
Resultado
final
Events = número de eventos
Total = número de pacientes do grupo
Metanálise de desfechos categóricos
Metanálise de desfechos contínuos
Heterogeneidade
Estudos
Grupo
Intervenção Intervalo de Confiança (IC)
IC
Resultado final
Grupo
Controle
Mean = média
SD = desvio padrão
Total = número de pacientes do grupo
9 – Interpretação dos dados
Interpretação dos resultados
- Sumário da evidência;
- Magnitude dos efeitos observados;
- Pontos fortes e limitações
- Comparações com outras revisões
- A intervenção analisada pode ser disseminada no meio
clínico???
Qualidade dos estudos
Poder dos estudos (n amostral)
Homogeneidade ou heterogeneidade;
Novos ECRs devem ser realizados???
Avaliação da qualidade da evidência e da força de
recomendação
GRADE
- Avalia a qualidade da evidência;
- Representa a confiança na informação utilizada em apoio a
uma determinada recomendação.;
- GRADE é aplicado a um corpo de evidência, não a
estudos individuais.
- avaliação é realizada para cada desfecho
- Itens avaliados: risco de viés, imprecisão,
insconsistência, evidência indireta e
outros vieses (viés de publicação).
Estudo
Geração da
sequência
Sigilo
alocação
Cegamento
paciente
Cegamento
terapeuta
Cegamento avaliador
desfecho
Descrição perdas
e exclusões ITT
Moreno 2017 NI NI NI NI NI S N
Marco 2013 S S S N S S S
Mello 2012 NI NI NI NI S N N
Bosnak-Guclu
2011 S NI S N S S N
Padula 2009 S NI NI NI NI NI NI
Dall'Ago 2006 NI NI NI NI S S N
Martines 2001 NI NI NI NI NI S S
Weiner 1999 NI NI NI NI N S S
Johnson 1998 NI NI S N N S N
http://gradepro.org/
Como escrever um artigo de revisão
sistemática??
PRISMA STATEMENT
Como avaliar a qualidade de uma revisão
sistemática?
AMSTAR 2
Avaliação da qualidade de RS de ECRs
Avaliação da qualidade de RS de ECRs e não randomizados
1- Questão de pesquisa e os critérios de
inclusão incluem os componentes do PICO?
2- A RS contem uma declaração de que os métodos
da revisão foram estabelecidos previamente e
contem uma justificativa para qualquer alteração no
protocolo?
3- Os autores relatam o delineamento dos estudos
selecionados para inclusão na RS?
4- Houve uma busca na literatura abrangente?
5- A seleção dos estudos foi em duplicata?
6- A extração dos dados foi em duplicata?
7- A lista dos estudos excluídos foi fornecida com a
justificativa das exclusões?
Fluxograma - PRISMA Statement
8- Descrição dos estudos incluídos com detalhes
adequados?
9- Uso de uma técnica satisfatória para avaliação do
risco de viés dos estudos individuais incluídos?
Avaliação
para ECRs -
RoB
ROBINS-I – Estudos de intervenção não
randomizados
10- Descrição das fontes de financiamento dos
estudos incluídos?
11- Se metanálise foi realizada, foram utilizados
métodos estatísticos adequados?
12- Se metanálise foi realizada, os autores avaliaram
o impacto do risco de viés dos estudos individuais
nos resultados da metanálise?
13- O risco de viés dos estudos individuais foi
levado em consideração na discussão dos
resultados?
14- A heterogeneidade foi explicada e discutida?
15- Viés de publicação foi avaliado e discutido na
presença de síntese quantitativa dos resultados?
16- Conflitos de interesse na condução da RS foram
reportados?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidênciaSistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidênciahttp://bvsalud.org/
 
Revisões Sistemáticas e Meta-análise FOP-UNICAMP 2009
Revisões Sistemáticas e Meta-análise FOP-UNICAMP 2009Revisões Sistemáticas e Meta-análise FOP-UNICAMP 2009
Revisões Sistemáticas e Meta-análise FOP-UNICAMP 2009Fernando Neves Hugo
 
APRESENTAÇÃO: EXEMPLO DE META-ANALISE
APRESENTAÇÃO: EXEMPLO DE META-ANALISEAPRESENTAÇÃO: EXEMPLO DE META-ANALISE
APRESENTAÇÃO: EXEMPLO DE META-ANALISEMarcella Canto
 
TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva MuñozTCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva MuñozRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Revisão Sistemática
Revisão SistemáticaRevisão Sistemática
Revisão SistemáticaIpub Ufrj
 
Planejamento das Medições (aula 5)
Planejamento das Medições (aula 5)Planejamento das Medições (aula 5)
Planejamento das Medições (aula 5)Sandra Lago Moraes
 
Introdução à Revisão Sistemática de Literatura (RSL)
Introdução à Revisão Sistemática de Literatura (RSL)Introdução à Revisão Sistemática de Literatura (RSL)
Introdução à Revisão Sistemática de Literatura (RSL)Mariana de Azevedo Santos
 
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaModelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Ufpe Introdução a Pesquisa Quanti e Delineamentos
Ufpe   Introdução a Pesquisa Quanti e DelineamentosUfpe   Introdução a Pesquisa Quanti e Delineamentos
Ufpe Introdução a Pesquisa Quanti e DelineamentosTony Santos
 
Projecto dissertação aula04P
Projecto dissertação aula04PProjecto dissertação aula04P
Projecto dissertação aula04PLuis Pedro
 
Como se manter atualizado em medicina de família
Como se manter atualizado em medicina de famíliaComo se manter atualizado em medicina de família
Como se manter atualizado em medicina de famíliaInaiara Bragante
 
Apresentação metodologia qualitativa
Apresentação metodologia qualitativaApresentação metodologia qualitativa
Apresentação metodologia qualitativaFernando Dantas
 

Mais procurados (20)

Curso rs e ma
Curso rs e maCurso rs e ma
Curso rs e ma
 
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidênciaSistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
 
Revisões Sistemáticas e Meta-análise FOP-UNICAMP 2009
Revisões Sistemáticas e Meta-análise FOP-UNICAMP 2009Revisões Sistemáticas e Meta-análise FOP-UNICAMP 2009
Revisões Sistemáticas e Meta-análise FOP-UNICAMP 2009
 
APRESENTAÇÃO: EXEMPLO DE META-ANALISE
APRESENTAÇÃO: EXEMPLO DE META-ANALISEAPRESENTAÇÃO: EXEMPLO DE META-ANALISE
APRESENTAÇÃO: EXEMPLO DE META-ANALISE
 
Revisão Sistemática - Protocolo
Revisão Sistemática - ProtocoloRevisão Sistemática - Protocolo
Revisão Sistemática - Protocolo
 
TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva MuñozTCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva Muñoz
TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva Muñoz
 
Revisão Sistemática
Revisão SistemáticaRevisão Sistemática
Revisão Sistemática
 
Planejamento das Medições (aula 5)
Planejamento das Medições (aula 5)Planejamento das Medições (aula 5)
Planejamento das Medições (aula 5)
 
Aula de metodologia
Aula de metodologiaAula de metodologia
Aula de metodologia
 
Introdução à Revisão Sistemática de Literatura (RSL)
Introdução à Revisão Sistemática de Literatura (RSL)Introdução à Revisão Sistemática de Literatura (RSL)
Introdução à Revisão Sistemática de Literatura (RSL)
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
 
Attachment
AttachmentAttachment
Attachment
 
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaModelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
 
Estudos Descritivos
Estudos DescritivosEstudos Descritivos
Estudos Descritivos
 
Ufpe Introdução a Pesquisa Quanti e Delineamentos
Ufpe   Introdução a Pesquisa Quanti e DelineamentosUfpe   Introdução a Pesquisa Quanti e Delineamentos
Ufpe Introdução a Pesquisa Quanti e Delineamentos
 
Capítulo 10 de Creswell
Capítulo 10 de CreswellCapítulo 10 de Creswell
Capítulo 10 de Creswell
 
Projecto dissertação aula04P
Projecto dissertação aula04PProjecto dissertação aula04P
Projecto dissertação aula04P
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Como se manter atualizado em medicina de família
Como se manter atualizado em medicina de famíliaComo se manter atualizado em medicina de família
Como se manter atualizado em medicina de família
 
Apresentação metodologia qualitativa
Apresentação metodologia qualitativaApresentação metodologia qualitativa
Apresentação metodologia qualitativa
 

Semelhante a RS: Exercício e Insuficiência Cardíaca

Métodos de síntese de conhecimento_FPS.pptx
Métodos de síntese de conhecimento_FPS.pptxMétodos de síntese de conhecimento_FPS.pptx
Métodos de síntese de conhecimento_FPS.pptxThaisAndreadeOliveir
 
Capacitação em análise de dados quantitativos
Capacitação em análise de dados quantitativosCapacitação em análise de dados quantitativos
Capacitação em análise de dados quantitativosAliny Lima
 
Tipos de estudos cientificos e niveis de evidencia
Tipos de estudos cientificos e niveis de evidenciaTipos de estudos cientificos e niveis de evidencia
Tipos de estudos cientificos e niveis de evidenciagisa_legal
 
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...http://bvsalud.org/
 
Diretrizes metodologicas elaboracao_sistematica
Diretrizes metodologicas elaboracao_sistematicaDiretrizes metodologicas elaboracao_sistematica
Diretrizes metodologicas elaboracao_sistematicaJanaiana Uchoa
 
Tipos de revisão bibliográfica
Tipos de revisão bibliográficaTipos de revisão bibliográfica
Tipos de revisão bibliográficaRicardo Alexandre
 
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da ReplicaçãoComo ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da ReplicaçãoCaio Maximino
 
Introducao_epidemio_semAudio.pptx
Introducao_epidemio_semAudio.pptxIntroducao_epidemio_semAudio.pptx
Introducao_epidemio_semAudio.pptxBrunaBeatriz25
 
Introducao_epidemio_semAudio.pptx
Introducao_epidemio_semAudio.pptxIntroducao_epidemio_semAudio.pptx
Introducao_epidemio_semAudio.pptxNaiaraMendes13
 
Princípios da Investigação em Segurança do Paciente/Doente: Visão Geral
Princípios da Investigação em Segurança do Paciente/Doente: Visão GeralPrincípios da Investigação em Segurança do Paciente/Doente: Visão Geral
Princípios da Investigação em Segurança do Paciente/Doente: Visão GeralProqualis
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologiaJoao Balbi
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologiaJoao Balbi
 

Semelhante a RS: Exercício e Insuficiência Cardíaca (20)

aula-meta-analise.ppt
aula-meta-analise.pptaula-meta-analise.ppt
aula-meta-analise.ppt
 
aula-meta-analise.ppt
aula-meta-analise.pptaula-meta-analise.ppt
aula-meta-analise.ppt
 
Métodos de síntese de conhecimento_FPS.pptx
Métodos de síntese de conhecimento_FPS.pptxMétodos de síntese de conhecimento_FPS.pptx
Métodos de síntese de conhecimento_FPS.pptx
 
AULA 2.pdf
AULA 2.pdfAULA 2.pdf
AULA 2.pdf
 
Revisão Sistematica
Revisão SistematicaRevisão Sistematica
Revisão Sistematica
 
Capacitação em análise de dados quantitativos
Capacitação em análise de dados quantitativosCapacitação em análise de dados quantitativos
Capacitação em análise de dados quantitativos
 
Curso preparatório para concurso da anvisa
Curso preparatório para concurso da anvisaCurso preparatório para concurso da anvisa
Curso preparatório para concurso da anvisa
 
Tipos de estudos cientificos e niveis de evidencia
Tipos de estudos cientificos e niveis de evidenciaTipos de estudos cientificos e niveis de evidencia
Tipos de estudos cientificos e niveis de evidencia
 
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
Avaliação de repositórios institucionais: análise comparativa
Avaliação de repositórios institucionais: análise comparativaAvaliação de repositórios institucionais: análise comparativa
Avaliação de repositórios institucionais: análise comparativa
 
Diretrizes metodologicas elaboracao_sistematica
Diretrizes metodologicas elaboracao_sistematicaDiretrizes metodologicas elaboracao_sistematica
Diretrizes metodologicas elaboracao_sistematica
 
Tipos de revisão bibliográfica
Tipos de revisão bibliográficaTipos de revisão bibliográfica
Tipos de revisão bibliográfica
 
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da ReplicaçãoComo ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
Como ler e redigir relatos de pesquisa / A Receita da Replicação
 
Introducao_epidemio_semAudio.pptx
Introducao_epidemio_semAudio.pptxIntroducao_epidemio_semAudio.pptx
Introducao_epidemio_semAudio.pptx
 
Introducao_epidemio_semAudio.pptx
Introducao_epidemio_semAudio.pptxIntroducao_epidemio_semAudio.pptx
Introducao_epidemio_semAudio.pptx
 
Princípios da Investigação em Segurança do Paciente/Doente: Visão Geral
Princípios da Investigação em Segurança do Paciente/Doente: Visão GeralPrincípios da Investigação em Segurança do Paciente/Doente: Visão Geral
Princípios da Investigação em Segurança do Paciente/Doente: Visão Geral
 
Seminario 05: Avaliação de Eficácia
Seminario 05: Avaliação de EficáciaSeminario 05: Avaliação de Eficácia
Seminario 05: Avaliação de Eficácia
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
 

Último

AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 

Último (20)

AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 

RS: Exercício e Insuficiência Cardíaca

  • 1. Revisão sistemática: O que é? Como fazer? Edição 2019 Profa Dra Graciele Sbruzzi gsbruzzi@hcpa.edu.br
  • 2. Conteúdos Abordados - Etapas para a construção de uma revisão sistemática - Protocolo e registro - Seleção dos estudos - Extração dos dados - Avaliação do risco de viés - Análise dos dados - Avaliação da qualidade da evidência - Como escrever um artigo de revisão sistemática? - Como avaliar a qualidade metodológica de uma revisão sistemática?
  • 3. O que é revisão sistemática? RS – pesquisa original Questão de pesquisa estabelecida Sujeitos → artigos publicados
  • 4. Prática Baseada em Evidência Revisões sistemáticas Estudos randomizados Estudos in vitro - Pesquisas em animais Experiência pessoal Estudos de coorte Estudos de casos e controles Estudos transversais (prevalência) Estudos ecológicos Estudos de séries de casos Vieses + _ Seleção Aferição Confusão Intervenção Seguimento Análise Interpretação Publicação Diretrizes
  • 5. Revisão narrativa x Revisão sistemática
  • 6. Por que necessitamos de revisões sistemáticas? Exemplo: Exercício reduz a taxa de hospitalizações em pacientes com insuficiência cardíaca?
  • 7. Exemplo: Exercício reduz a taxa de hospitalizações em pacientes com insuficiência cardíaca?
  • 8. Exemplo: Exercício reduz a taxa de hospitalizações em pacientes com insuficiência cardíaca?
  • 9. Etapas para a construção de uma revisão sistemática Como fazer?
  • 10. Colaboração Cochrane - Organização internacional; - Objetivos: preparar, manter e assegurar o acesso a revisões sistemáticas sobre os efeitos de intervenções na área da saúde; - Criada em 1993 – Reino Unido - Archie Cochrane; - Revisões sistemáticas periodicamente atualizadas de todos os ensaios clínicos aleatórios relevantes sobre intervenções em saúde.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17. Revisão sistemática - Conteúdo 1 – Questão de pesquisa; 2 – Necessidade da revisão; 3 – Projeto de pesquisa; 4 – Localização dos artigos; 5 – Seleção dos artigos; 6 – Avaliação do risco de viés; 7 – Extração dos dados; 8 – Análise dos dados – quali ou quantitativa; 9 – Interpretação dos dados; 10 – Artigo final.
  • 18. 1- Formulação da questão de pesquisa
  • 19. P - Paciente ou problema? I - Intervenção? C - Comparação? O - Outcome - desfecho? T - Tipo de estudo? Questão de pesquisa P - Paciente ou problema? E - Exposição? C - Comparação? O - Outcome - desfecho? T - Tipo de estudo? RS estudos intervenção RS estudos observacionais
  • 20. 2 - Necessidade da revisão 3 - Construção do projeto de pesquisa
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24. Conteúdo do Projeto de pesquisa • Informações administrativas • Introdução • Objetivo (s) • Métodos • Critérios de elegibilidade: PICOT • Fontes de busca • Estratégia de busca • Seleção dos estudos • Extração dos dados • Risco de viés • Análise dos dados • Análise de vieses (viés de publicação...) • Análise do nível da evidência (GRADE)
  • 26. Por que registrar? – Comunicar à comunidade científica que uma determinada questão de pesquisa está sendo revisada – Evitar esforços redundantes – Facilitar associação entre pesquisadores – Estudos registrados são considerados de maior valor científico e têm maior probabilidade de serem aceitos para publicação Registro do protocolo de revisão sistemática
  • 27. 4 – Localização dos estudos
  • 28. 5 – Seleção dos estudos
  • 29. – 2 revisores – Critérios de elegibilidade (PICOT e outros) – Critérios claros e reprodutíveis Seleção dos estudos
  • 30. Fase I Fase II Títulos e resumos •Dois revisores independentes •Mantido se selecionado por ao menos um revisor Textos completos • Dois revisores independentes • Necessidade de concordância para incluir / excluir estudo • Se discordância: consenso ou terceiro revisor Seleção dos estudos
  • 31. Fluxograma - PRISMA Statement http://www.prisma-statement.org/
  • 32. 6 – Avaliação do risco de viés
  • 33. Avaliação do risco de viés - ECR
  • 35. Descrição dos resultados: - alto, moderado ou baixo risco de viés para cada característica - porcentagem Útil para: análises de sensibilidade, discussão e conclusões Ferramenta da Colaboração Cochrane
  • 36.
  • 38.
  • 39. Avaliação de quais estudos? Quais características são avaliadas?
  • 40.
  • 41.
  • 42. - Simplicidade atraente - Cálculo de uma pontuação – atribuição de pesos para os itens da escala – justificativa dos pesos??? - Menor transparência para os leitores da revisão Escalas
  • 44. Avaliação do risco de viés – ensaios clínicos não randomizados - ROBINS-I
  • 45. Slim et al. ANZ J. Surg. 2003; 73: 712–716 Avaliação do risco de viés – ensaios clínicos não randomizados - MINORS
  • 46. Avaliação do risco de viés - Estudos Observacionais Principais Vieses: 1- Viés de seleção - Seleção inadequada de expostos e não expostos ou de casos e controles 2- Viés de aferição - Instrumentos inadequados ou viés de recordação 3- Viés de confundimento - Associação espúria entre fator e desfecho devido a presença de uma terceira variável FATOR DESFECHO CONFUNDIDOR
  • 47. • Estudos de Coorte • Seleção da coorte (4 itens) • Comparação da coorte (1 item) • Avaliação dos desfechos (3 itens) • Estudos Caso-controles • Seleção dos casos e controles (4 itens) • Comparação dos casos e controles (1 item) • Determinação da exposição (3 itens) Avaliação do risco de viés - Estudos Observacionais - Newcastle-Ottawa Scale (NOS)
  • 48. Sparrenberger et al. Journal of Human Hypertension 2009; 23: 12.
  • 49. Zeng et al. Journal of Evidence-Based Medicine 2015; 2-10. ARHQ Methodology Checklist for Cross-Sectional/Prevalence Study Avaliação do risco de viés - Estudos Observacionais Transversais
  • 50. 7 – Extração dos dados
  • 51. - Extração independente - No mínimo 2 revisores - Ficha de obtenção dos dados - Método para resolver discordâncias Extração dos dados Variáveis extraídas: - Nome estudo; - Idade grupos; - Sexo; - Tamanho amostra; - Características dos participantes; - Características das intervenções; - Desfechos analisados
  • 52. Formulário Manual no Excel: Extração dos dados
  • 53. Estudo N eventos Intervenção N total Intervenção N eventos controle N total Controle Desfechos categóricos Extração dos dados
  • 54. Metanálise de desfechos categóricos
  • 57. 8 – Análise dos dados
  • 58. Metanálise • É o método estatístico aplicado à revisão sistemática que integra os resultados de dois ou mais estudos primários (Clarke, 2001). • O termo metanálise é comumente usado para se referir às revisões sistemáticas com metanálise. • Grafia da palavra: metanálise, meta-análise e metaanálise. • Os descritores em inglês e espanhol são, respectivamente, meta-analysis e metaanalisis.
  • 59. Grupo Intervenção Grupo Controle Risco relativo Intervalo de confiança (IC) IC Estudos Heterogeneidade Resultado final Events = número de eventos Total = número de pacientes do grupo Metanálise de desfechos categóricos
  • 60. Metanálise de desfechos contínuos Heterogeneidade Estudos Grupo Intervenção Intervalo de Confiança (IC) IC Resultado final Grupo Controle Mean = média SD = desvio padrão Total = número de pacientes do grupo
  • 62. Interpretação dos resultados - Sumário da evidência; - Magnitude dos efeitos observados; - Pontos fortes e limitações - Comparações com outras revisões - A intervenção analisada pode ser disseminada no meio clínico??? Qualidade dos estudos Poder dos estudos (n amostral) Homogeneidade ou heterogeneidade; Novos ECRs devem ser realizados???
  • 63. Avaliação da qualidade da evidência e da força de recomendação GRADE
  • 64. - Avalia a qualidade da evidência; - Representa a confiança na informação utilizada em apoio a uma determinada recomendação.; - GRADE é aplicado a um corpo de evidência, não a estudos individuais. - avaliação é realizada para cada desfecho - Itens avaliados: risco de viés, imprecisão, insconsistência, evidência indireta e outros vieses (viés de publicação).
  • 65. Estudo Geração da sequência Sigilo alocação Cegamento paciente Cegamento terapeuta Cegamento avaliador desfecho Descrição perdas e exclusões ITT Moreno 2017 NI NI NI NI NI S N Marco 2013 S S S N S S S Mello 2012 NI NI NI NI S N N Bosnak-Guclu 2011 S NI S N S S N Padula 2009 S NI NI NI NI NI NI Dall'Ago 2006 NI NI NI NI S S N Martines 2001 NI NI NI NI NI S S Weiner 1999 NI NI NI NI N S S Johnson 1998 NI NI S N N S N
  • 67.
  • 68.
  • 69. Como escrever um artigo de revisão sistemática?? PRISMA STATEMENT
  • 70.
  • 71.
  • 72.
  • 73. Como avaliar a qualidade de uma revisão sistemática? AMSTAR 2
  • 74. Avaliação da qualidade de RS de ECRs
  • 75. Avaliação da qualidade de RS de ECRs e não randomizados
  • 76.
  • 77. 1- Questão de pesquisa e os critérios de inclusão incluem os componentes do PICO?
  • 78. 2- A RS contem uma declaração de que os métodos da revisão foram estabelecidos previamente e contem uma justificativa para qualquer alteração no protocolo?
  • 79.
  • 80.
  • 81. 3- Os autores relatam o delineamento dos estudos selecionados para inclusão na RS?
  • 82. 4- Houve uma busca na literatura abrangente?
  • 83. 5- A seleção dos estudos foi em duplicata?
  • 84. 6- A extração dos dados foi em duplicata?
  • 85. 7- A lista dos estudos excluídos foi fornecida com a justificativa das exclusões?
  • 86. Fluxograma - PRISMA Statement
  • 87. 8- Descrição dos estudos incluídos com detalhes adequados?
  • 88. 9- Uso de uma técnica satisfatória para avaliação do risco de viés dos estudos individuais incluídos?
  • 90. ROBINS-I – Estudos de intervenção não randomizados
  • 91. 10- Descrição das fontes de financiamento dos estudos incluídos?
  • 92. 11- Se metanálise foi realizada, foram utilizados métodos estatísticos adequados?
  • 93. 12- Se metanálise foi realizada, os autores avaliaram o impacto do risco de viés dos estudos individuais nos resultados da metanálise?
  • 94. 13- O risco de viés dos estudos individuais foi levado em consideração na discussão dos resultados?
  • 95. 14- A heterogeneidade foi explicada e discutida?
  • 96. 15- Viés de publicação foi avaliado e discutido na presença de síntese quantitativa dos resultados?
  • 97. 16- Conflitos de interesse na condução da RS foram reportados?