Conselhos Aos Pais

479 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
479
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conselhos Aos Pais

  1. 1. Mas não é necessário ser mãe ou estar a amamentar para apoiar a amamentação. Embora o acto de amamentar o bebé seja exclusivo da mãe, o apoio dos que a rodeiam é determinante para garantir o sucesso e a continuidade da amamentação. Para que a amamentação seja bem sucedida e duradoura é necessário que a família, os profissionais e a comunidade apoiem a mãe que amamenta, protejam e promovam o aleitamento materno. Se se insere em algum destes grupos saiba como ser um verdadeiro “apoiante” da amentação! Se é Pai... Certamente sente-se muito orgulhoso e feliz com o nascimento do seu filho. Mas também pode sentir alguma ambivalência, medo e insegurança. Não se preocupe, todos estes sentimentos são perfeitamente normais! Um filho é uma grande responsabilidade, nos seus primeiros dias e nas duas décadas seguintes! Rapidamente se irá sentir seguro e muito feliz com esta nova função e com este novo papel – Ser Pai! Mesmo não podendo amamentar, a sua ajuda é essencial para que a mãe se sinta confiante e segura e o seu bebé se alimente de forma adequada. Tem um papel muito imprtante! Encoraje e apoie de forma condicional a sua companheira As primeiras semanas de amamentação podem ser difíceis. Cuide dela depois do parto. Com a sua ajuda e apoio ela superará qualquer problema que surja. Informe-se sobre os benefícios da amamentação para o bebé e para a mãe São necessárias duas pessoas para recordar toda a informação que vão aprender nestes primeiros dias. O ideal seria terem frequentado, juntos, aulas de preparação para o nascimento ou workshops sobre amamentação durante a gravidez, para que fossem solidificando conhecimentos e esclarecendo dúvidas. Mostre compreensão pelo desejo da sua companheira para amamentar, dê-lhe todo o seu apoio e ajude-a em tudo o que possa. Não subestime a importância da amamentação
  2. 2. É possível que se sinta um pouco excluído durante as primeiras semanas. Toda a atenção centra-se no bebé e na mãe. Mas acredite que será difícil para a sua companheira amamentar durante muito tempo se não conta com o seu apoio e ajuda constante. O que pode fazer: • Enquanto a mãe amamenta, deve estar por perto para, por um lado, ajudar a mãe e o bebé a posicionarem-se confortavelmente, por outro lado, para que a mãe se sinta mais segura e confiante; • Cuide dos outros filhos (caso existam), enquanto a mãe amamenta o bebé; • No final da mamada, ajude o bebé a arrotar; • Partilhe os cuidados com o bebé (a mudança da fralda, o banho, ...) – participar nos cuidados diários do seu bebé fará com que se torne a cada dia mais confiante. Manifeste o seu desejo de cuidar do bebé; • Cuide do bebé permitindo à mãe ter um tempo só para si; • Gerir as visitas, especialmente nos primeiros dias após o parto, quer durante o internamento hospitalar, quer em casa; • Mantenha a vossa intimidade enquanto casal – planeie momentos de descanso a dois. Procure compreender o que acontece com a sua companheira durante o período pós-parto. Quando ambos estiverem adaptados aos seus novos papéis, o desejo de intimidade retornará. É importante continuarem a namorar! • Aceite a ajuda da família e amigos, preservando a intimidade do casal e da família. Família e Amigos Tal como o pai, é importante que a restante família e amigos possam ajudar e ser uma fonte de encorajamento e apoio.
  3. 3. Como ser um apoiante da amamentação: • Alivie a mãe das tarefas domésticas ou outras. A mãe precisa de descansar. Ofereça-se para limpar, passar a roupa ou levar uma refeição já confeccionada. O descanso é essencial para o sucesso da amamentação. • Evite as visitas para ver o bebé que podem ser cansativas para mãe e filho. Promova um ambiente tranquilo e deixe que a mãe organize o seu tempo para descansar durante o dia sem ter que se preocupar com visitas. • Incentive, encoraje e apoie a mãe. Não ponha em causa frequentemente se o leite é fraco ou suficiente. Informe-se sobre aleitamento materno de forma a dar uma opinião fundamentada e encorajadora. Não pode partilhar a tarefa de amamentar, mas partilhe ou encarregue-se de todas as outras. Em caso de ser necessário apoio de um profissional, oiça as explicações juntamente com a mãe. • Ajude a mãe a ter confiança em si e na sua capacidade para amamentar! O leite materno é o melhor presente que ela pode dar ao seu filho. Profissionais de Saúde Os profissionais de saúde têm um impacto directo e indirecto no aleitamento materno, assim, o que dizem e fazem pode influenciar comportamentos de saúde. A formação dos profissionais de saúde deve apoiar directamente a mulher que amamenta através de práticas e competências actualizadas e humanizadas. Os Sistemas de Saúde devem apoiar as mulheres, através de cuidados centrados na mulher, de um modo individualizado para cada díade mãe-filho, dando atenção às políticas que têm impacto sobre a díade. Medidas que tornam os Profissionais de Saúde “apoiantes” da amamentação: • Formação em aconselhamento sobre aleitamento materno, competências de apoio e suporte e a sua aplicabilidade clínica;
  4. 4. • Promoção e realização das medidas preconizadas pela OMS e UNICEF, através da Iniciativa Hospitais Amigos dos Bebés (IHAB), nos serviços de saúde que prestam cuidados à díade mãe-bebé e de vigilância pré-natal; • Criação de grupos de apoio em articulação com as maternidades • Não emissão de juízos de valor. Adaptado de: DGS/Comité de Protecção Promoção e Suporte ao Aleitamento Materno em Portugal, 2008. Entidades Empregadoras As politicas de protecção da maternidade que garantem protecção no trabalho, licença de maternidade e intervalos para amamentar remunerados, facilidades na criação de creches perto do local de trabalho, na protecção contra a discriminação, horários flexíveis e/ou a tempo parcial, constituem estruturas de apoio para os pais. Neste contexto, a “equipa" da mãe trabalhadora – desde o bebé que ela amamenta, até ao empregador que facilita o seu tempo e espaço no local de trabalho – está a apoiar a mãe. Estas atitudes positivas encorajam a mulher a atingir o padrão de excelência da alimentação infantil – o aleitamento materno. Os três componentes no apoio às mulheres trabalhadoras que amamentam são: • Tempo para amamentar ou para a extracção do leite durante o dia; • Um local limpo, calmo, tranquilo e acessível que o possibilite; • Uma atitude universal que dê prioridade à amamentação. Adaptado de: DGS/Comité de Protecção Promoção e Suporte ao Aleitamento Materno em Portugal, 2008.
  5. 5. CINCO REGRAS DE OURO NO APOIO AO ALEITAMENTO MATERNO 1. DIRIJA-SE A CADA MULHER E BEBÉ COMO SE A SUA SITUAÇÃO FOSSE ÚNICA E INDIVIDUAL; SEJA SENSÍVEL ÀS NECESSIDADES DA MULHER QUE AMAMENTA. 2. OUÇA ATENTAMENTE E APRENDA COM AS PREOCUPAÇÕES DA MÃE, ABSTENHA- SE DE FALAR, EXCEPTO QUANDO NECESSITA DE FAZER PERGUNTAS PARA CLARIFICAR; PROVIDENCIE INFORMAÇÃO APENAS PARA ELA PODER FAZER AS SUAS ESCOLHAS. 3. ASSEGURE-SE DE QUE OS SEUS PAIS E FAMILIARES ESTÃO BEM INFORMADOS PARA PODEREM APOIAR A MULHER QUE AMAMENTA. 4. ASSEGURE-SE DE QUE OS GOVERNOS, LOCAIS DE TRABALHO E A SOCIEDADE SÃO RESPONSÁVEIS POR CRIAR UM AMBIENTE FAVORÁVEL PARA A MULHER PODER FAZER A SUA ESCOLHA DE AMAMENTAR E AGIREM DE ACORDO COM A SUA DECISÃO. 5. ACREDITE QUE A MÃE PODE AMAMENTAR COM SUCESSO E DIGA-LHE ISSO; POR OUTRO LADO RECONHEÇA SE A MÃE PRECISA DE MAIS AJUDA DO QUE AQUELA QUE LHE PODE OFERECER. Adaptado de: DGS/Comité de Protecção Promoção e Suporte ao Aleitamento Materno em Portugal, 2008.

×