UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB    DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO - DEDC - CAMPUS VII          COLEGIADO DE CIÊNCIAS CONT...
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB    DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO - DEDC - CAMPUS VII          COLEGIADO DE CIÊNCIAS CONT...
ALTINO NASCIMENTO FERREIRA JUNIOR   A INFLUÊNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NODESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DAS EMPRESAS...
AGRADECIMENTOS      Agradeço em primeiro lugar a Deus, por nos dar a oportunidade de estarmosaqui na Terra, ao lado de tod...
―O que me preocupa não é nem o grito doscorruptos, dos violentos, dos desonestos dossem caráter, dos sem ética... O que me...
RESUMOA contabilidade gerencial, tem sido uma ferramenta muito importante no auxilio àcontinuidade e expansão das empresas...
AbstractManagement accounting has been a very important tool to aid in continuity andbusiness expansion, given the support...
SUMÁRIO INTRODUÇÃO-------------------------------------------------------------------------------------- 091 REFERENCIAL T...
8                                INTRODUÇÃO      Com as mudanças que vem ocorrendo no mundo globalizado, as empresassão ob...
9físicos, entre os pontos envolvidos nessa integração, bem como, as tecnologiasimplementadas nos meios de produção e de in...
10a ocorrência de empresas que tem o serviço ou produto a disposição e sofrem com arestrição de oferta, nesse sentido se m...
11campanha sensata e correta de custos, que apresente bons resultados em meio aum novo cenário, não bastando apenas às emp...
12esses são mecanismos de controle e que muitas vezes são o diferencial, pois seusrelatórios, são essenciais, na ocasião d...
13portanto indispensáveis, principalmente na construção civil, representando grandeparte dos materiais usados em uma obra ...
14como algo basilar para o desenvolvimento e expansão da industria da construçãocivil, que acaba por englobar a anterior, ...
151   REFERENCIAL TEÓRICO1.1 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA CONTABILIDADE DE CUSTOS E  GERENCIAL      O presente capítulo tem ...
16                      Devido ao crescimento das empresas, com o conseqüente aumento da                     distância ent...
17quantitativos.‖ Para que a consideremos como ciência, seguiremos com o que sepode entender por ciência, segundo Sá ( 200...
18       Sendo assim a Resolução 774/94 do CFC em seu item 1.1.1, trata dacontabilidade como ciência social buscando expli...
19      Observando assim, a Contabilidade Financeira servia bastante para finscomerciais, mas não para as recém formadas i...
20                     A contabilidade de custos cuja função inicial era a de fornecer elementos                     para ...
21                     O controle de custos torna-se relevante devido ao fato de que alguns custos                     pod...
22                    [...] Hoje toda a comunidade financeira despertou para o fato de que a                    contabilid...
23       Nas empresas industriais, a implantação da contabilidade de custos éiminente, devido a complexidade da aplicabili...
24      Desta     maneira,    podem      ser    melhor    visualizados    os   métodossupramencionados, custeio por absorç...
25um dos poucos bons resultados da competição globalizada, que são as inovaçõestecnológicas e redução progressiva de preço...
26      O surgimento da contabilidade gerencial se confunde as vezes com osurgimento da contabilidade de custos, que como ...
27                      contábil financeira comunica ao público externo as conseqüências das                      decisões...
28                          Relatar o desempenho passado ao              Informaras decisões internas Propósito           ...
29                    A tomada de decisão é parte integrante do processo de planejamento e                    controle – a...
30instrumento preponderante na gestão das empresas modernas, é necessário quevários procedimentos sejam seguidos em um rot...
31      Para tal processo uma ferramenta se mostra muito importante, pois irápossibilitar a programação dos eventos a sere...
32fundamental para garantir um processo de tomada de decisões eficaz‖. E é a partirdai que entram os sistemas de informaçã...
33      Só assim a empresa irá conseguir se adequar a nova ordem mundial, queexige cada vez mais das empresas, como forma ...
342 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS      Foi desenvolvido um trabalho de pesquisa através de uma abordagemexploratória, que ir...
35nomes, endereços e outros dados preservados, obedecendo a uma política deprivacidade, vista a cordialidade dos administr...
36      Sendo comum, e natural, para o cumprimento do previsto em outros diplomaslegais, e necessário para análises neste ...
373 ANÁLISE DOS DADOS3.1 ANÁLISE DOS QUESTIONÁRIOS      A análise dos questionários, aplicados através de uma entrevista, ...
38que houvesse uma distinção entre as duas, foram as seguintes: doravante, nestetrabalho, as empresas em lide são: 01 – de...
39devidamente encontrados, e em seu devido lugar, pois abrangência de suasatividades, não permite desorganização e nem des...
40de permanência mercadológica, sujeitos a suportar a concorrência entre elas, edentre várias outras atuantes na região.  ...
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Monografia Altino Ciências Contábeis 2011
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Monografia Altino Ciências Contábeis 2011

2.914 visualizações

Publicada em

Ciências Contábeis 2011

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.914
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Monografia Altino Ciências Contábeis 2011

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO - DEDC - CAMPUS VII COLEGIADO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ALTINO NASCIMENTO FERREIRA JUNIOR A INFLUÊNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NODESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DAS EMPRESAS DE CERÂMICA VERMELHA DE SENHOR DO BONFIM-BA SENHOR DO BONFIM 2011
  2. 2. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO - DEDC - CAMPUS VII COLEGIADO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ALTINO NASCIMENTO FERREIRA JUNIOR A INFLUÊNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NODESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DAS EMPRESAS DE CERÂMICA VERMELHA DE SENHOR DO BONFIM-BA Monografia submetida à Coordenação do Curso de Ciências Contábeis Do Departamento de Educação - DEDC, Campus VII da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, como requisito parcial para obtenção do grau de bacharel em Ciências Contábeis. Orientador: Prof. M.Sc. Raimundo Nonato Lima Filho SENHOR DO BONFIM 2011
  3. 3. ALTINO NASCIMENTO FERREIRA JUNIOR A INFLUÊNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NODESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DAS EMPRESAS DE CERÂMICA VERMELHA DE SENHOR DO BONFIM-BA Monografia submetida à Coordenação do Curso de Ciências Contábeis Do Departamento de Educação- DEDC, Campus VII da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, como requisito parcial para obtenção do grau de bacharel em Ciências Contábeis.Aprovada em ___/___/______ BANCA EXAMINADORA ____________________________________________ Prof. M.Sc. Raimundo Nonato Lima Filho (Orientador) Universidade do Estado da Bahia – UNEB _____________________________________________ Prof. M.Sc. Tânia Ferreira dos Santos Bomfim Universidade do Estado da Bahia - UNEB _____________________________________________ Prof. Daniel de Jesus Pereira Universidade do Estado da Bahia - UNEB
  4. 4. AGRADECIMENTOS Agradeço em primeiro lugar a Deus, por nos dar a oportunidade de estarmosaqui na Terra, ao lado de todas as pessoas que gostamos, e que são de extremaimportância para nossas vidas. A meus pais, que sempre me deram força em todos as fases da minha vida, enão mediram esforços para me dar conforto e as oportunidades para transporobstáculos e evoluir nos estudos. Sem esquecer é claro, de minhas duas irmãsqueridas. Aos amigos, e a todos que fazem parte da nossa caminhada, em especial aFranklin, Cleriston, Jerfeson, Johnson e José Daniel, que foram essenciais para quetudo acontecesse da maneira esperada. Aos vários professores que contribuíram para a nossa jornada rumo ao nossosucesso profissional, moral e ético, que irá se perpetuar por toda a nossa vida, paraque assim, possamos ser personagens de uma sociedade cada vez melhor, pautadano respeito e na honestidade como pilares principais, com destaque mais queespecial, ao Professor Marcio Sampaio, por ter me ensinado muito do pouco que eusei. Também aos Professores Franklin Regis, Dayse Santiago, Tânia BonfimFrancisco Marton, Daniel Pereira e Francisco Arapiraca, que não foram omissos napresteza do seu labor, e mesmo com as diversas dificuldades e empecilhosencontrados, nunca deixam de lado o compromisso com a gente, sendo portantoheróis para a nossa formação. É impossível não mencionar uma pessoa, que apesar de sua rápidapassagem por aqui, se predispôs a ser meu orientador mesmo não estando mais noCampus e nem nesta instituição de ensino, é o professor Dílson Cerqueira. Em especial ao Professor Raimundo Lima, que apesar do pouco tempoconosco, me fez aprender bastante, e teve grande relevância na minha formaçãoacadêmica, ensinando-me uma nova forma de pensar e agir. A todos, meu Muito obrigado!!! E gostaria que vocês soubessem, nunca me esquecerei de vocês.
  5. 5. ―O que me preocupa não é nem o grito doscorruptos, dos violentos, dos desonestos dossem caráter, dos sem ética... O que me preocupaé o silencio dos bons. Martin Luther King 1926-1968
  6. 6. RESUMOA contabilidade gerencial, tem sido uma ferramenta muito importante no auxilio àcontinuidade e expansão das empresas, visto o suporte por ela prestado, nasquestões mercadológicas a que se tem registrado nos dias atuais, assim como ainfluência para a obtenção da constante evolução e expansão empresarial atrelada auma combinação com a contabilidade de custos, porém nas micro empresas essainfluência ainda parece ser limitada, tendo em vista a realidade das empresas quereduzem sua capacidade de crescimento por não levar em consideração essespressupostos, ou mesmo por não obterem o devido acompanhamento para talfinalidade. Diante dessa realidade é que surge o desafio desta monografia, queconsiste em elucidar o fato da existência de contribuição significativa dacontabilidade gerencial na gestão das empresas de cerâmica vermelha de Senhordo Bonfim-BA. Através de um estudo de caso com as empresas deste ramo queatuam no município, foi constatado que apesar da importância da contabilidade noapoio à gestão e a continuidade da empresa, por meio do aporte em diversasatividades, a carência no apoio gerencial é perceptível, bem como sua aplicabilidadepor parte do empresariado, sem contar que a consulta sobre a formação de preçosdos produtos era inexistente, chegando, portanto, à conclusão de que podem seraprimoradas as questões inerentes à contabilidade gerencial para que haja umaprimoramento do gerenciamento destas empresas, visando o desenvolvimento e acontinuidade.Palavras chave: Contabilidade gerencial, cerâmica vermelha, tomada de decisão.
  7. 7. AbstractManagement accounting has been a very important tool to aid in continuity andbusiness expansion, given the support it provided in the marketing issues that haveregistered today, and the influence to obtain the constant evolution, and businessexpansion, tied to a combination with the cost accounting, but in the microenterprisesthat influence still seems to be limited in view of the reality of companies that reducetheir ability to grow, why not take into account these assumptions, or even not obtainproper follow up for this purpose; And this reality is that there is the challenge of thisresearch is to clarify that the fact of the existence of significant contribution ofmanagement accounting in corporate management of red ceramic Senhor doBonfim-BA. Through a case study companies in this industry that work in the city, itwas found that despite the importance of accounting in supporting the managementand business continuity through the contribution in some activities, the lack isnoticeable in management support, and as its applicability by the businesscommunity, not to mention that the consultation on the pricing of the products did notexist, so reaching the conclusion that can be improved matters pertaining tomanagement accounting, so there is an improvement of the management of thesecompanies, aimed at its development and continuity.Keywords: Management accounting, red ceramic, decision-making.
  8. 8. SUMÁRIO INTRODUÇÃO-------------------------------------------------------------------------------------- 091 REFERENCIAL TEÓRICO -------------------------------------------------------------------- 161.1 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL---------------------------------------------------------------------------------------- 161.2 CONTABILIDADE COMO CIÊNCIA SOCIAL -------------------------------------------- 171.3 SURGIMENTO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS----------------------------------- 191.3.1 A contabilidade de custos na atualidade-------------------------------------------- 201.3.2 Terminologia de custos nas empresas industriais------------------------------- 231.3.3 Sistemas de custeio------------------------------------------------------------------------ 241.4 A CONTABILIDADE GERENCIAL----------------------------------------------------------- 251.4.1 O contexto histórico da contabilidade gerencial--------------------------------- 261.4.2 Contabilidade gerencial e a tomada de decisão----------------------------------- 291.4.3 Contabilidade gerencial e os sistemas de informação------------------------- 322 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS --------------------------------------------------- 353 ANÁLISE DOS DADOS-------------------------------------------------------------------------- 383.1 ANÁLISE DOS QUESTIONÁRIOS---------------------------------------------------------- 383.2 EXPLANAÇÃO E ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS------------- 39CONSIDERAÇÕES FINAIS------------------------------------------------------------------------ 45REFERÊNCIAS---------------------------------------------------------------------------------------- 48APÊNDICES-------------------------------------------------------------------------------------------- 52
  9. 9. 8 INTRODUÇÃO Com as mudanças que vem ocorrendo no mundo globalizado, as empresassão obrigadas a se adequarem ao novo modelo que impera na economia, comoforma de sobrevivência em meio a esse novo sistema instalado, no qual temos osprodutos e serviços em qualquer parte do mundo, no momento desejado. Forçandoassim as empresas a se adequarem cada vez mais a essa realidade, que move semprecedentes toda a economia mundial. Ainda que intrínseca a modernidade, essaconcepção já era trazida a algum tempo, com o intuito de buscar evolução econtinuidade às empresas, ―No intento de atingir essas expectativas, as empresasdevem investir em tecnologia e pesquisa, para desenvolver as respectivasvantagens competitivas que lhes garantam conservar os clientes [...]‖.GONZÁLES(2002, p. 26) Tendo em vista que, com a mudança proposta por esse sistema, o espaçovai se escasseando proporcionalmente a inércia e falta de mobilidade dos recursos epilares que integram as entidades em questão, que são formados por pessoas,informações, tecnologias e mutações constantes, que acabam por fazer surgir asupracitada competitividade. Sendo que, a informação parece ser nos dias atuais, adelimitadora ou a propulsora das outras mudanças, sendo para tal feito e de granderelevância para a empresa, que se traga como escopo o aperfeiçoamento eatualização do seu sistema de informações, por meio da utilização de novasestruturas, mais avançadas, de controle e de análise, que venham a assegurar acontinuidade e permanência dos negócios da empresa. Desta forma, é crível ainda, que os empreendedores que não estiveremengajados nos processos de mudança, sejam eles: nos meios de produção, naforma de gerir e de pensar, estarão sujeitos a extinção e a segregação em meio aoturbilhão de alterações inerentes ao cotidiano das empresas, e as inovaçõesmercadológicas que se perfazem como pretensão ao sistema capitalista, implantadoe arraigado na maior parte das economias mundiais. Torna-se então, perceptível einevitável, a necessidade das informações atreladas a tomada de decisão. Com advento da internet, assim como de outros meios de comunicação quetornam cada vez mais próximas as informações por maiores que sejam os espaços
  10. 10. 9físicos, entre os pontos envolvidos nessa integração, bem como, as tecnologiasimplementadas nos meios de produção e de interação entre produtores econsumidores, faz surgir no atual cenário a permanente e constante necessidade darapidez na tomada de decisão, tendo em vista que esta expressão parece reger todoo mecanismo de atuação das empresas, para que venham a obter êxito, no quetange ao seu objetivo final, que é a continuidade e evolução, atrelada ao retorno docapital investido e produtividade. A partir dessas idéias, é que observamos que asinfluências da rapidez ao acesso aos dados disponíveis em um curto espaço detempo, não é uma preocupação restrita aos últimos anos, pois desde o inicio dadécada passada isso já era perceptível. A tomada de decisão a que mencionamos anteriormente, tem hoje umaconotação diferenciada daquela que se tinha há tempos atrás, para entendermos acomplexidade do que mencionamos, refutamos a uma análise intrínseca dessatemática, pois segundo Pereira ―e outros‖ (2010, p. 138) ―Decisão é o processo deanálise e escolha, entre várias alternativas disponíveis, do curso de ação que apessoa ou a organização deverá seguir.‖ Desta forma, o que tem se visto é que aevolução trouxe consigo um leque de mudanças, inclusive a de que: a pouco tempoatrás bastava ter um custo menor em um produto para se ter sucesso nas vendas,hoje essa não é mais a questão principal, pois alem de se ter um preço acessível ecompetitivo, os produtos e serviços necessitam de outros vários requisitos para seperpetuarem no mercado e ganhar a confiança dos consumidores, que estão cadavez mais exigentes, pois encontram nesse interím, um lugar ideal para setransformar no principal elo de todo o sistema, sendo assim o personagem principalpara a manutenção deste mecanismo, podendo escolher em meio a diversaspossibilidades o que for mais conveniente. Porem, esta conjuntura fez com que,ficasse ainda mais difícil a tomada de decisão, haja vista, o leque de dificuldadesque a circundam. Ainda que tratar de custos não seja a meta principal quando se mencionaa estratégia atual das empresas do mundo globalizado, cada caso tem suaparticularidade, pois existem, desde empresas que tem garantida toda a venda desua produção, como as do ramo e mineração por exemplo, e que a preocupaçãoacaba por ser com a capacidade produção e não com a demanda, pois ela sempreexiste, a não ser em cenários atípicos em que a ocorrência de crises diversificadas,
  11. 11. 10a ocorrência de empresas que tem o serviço ou produto a disposição e sofrem com arestrição de oferta, nesse sentido se manifestam, Kuratomi e Guerreiro (201, p. 01)―Empresas hoteleiras, de aviação e os restaurantes apresentam restrições de ofertasque limitam a utilização da contabilidade de custos no gerenciamento dos negócios.‖Pois aqui, observamos que a fluência contínua do escoamento da produção éemperrada por outros motivos, onde seu principal problema não é a produção dobem ou serviço, mas sim da incerteza de quem irá consumi-los. Desta forma aindasegundo Kuratomi e Guerreiro (2011, p. 7) Para esse tipo de empresa, que registrema mencionada restrição, com relação a oferta, deixar de comercializar a quantidademáxima de sua capacidade de produção, irá resultar em uma perda, pois não haveráredução considerável ou mesmo ausência de custos ao deixar de vender o produtoe/ou serviço, sendo ainda agravado, pela não realização de receita. A Contabilidade parece ter acompanhado o avanço retro caracterizado, poishoje a Contabilidade Gerencial permeia entre as principais responsáveis por todasas mudanças inerentes a inovação aqui mencionada, em que as empresas estãoobrigadas a submeter-se, pois dela depende sua continuidade e melhoria, que defato são objetivadas pelos gestores, e proprietários do capital investido. Acontabilidade gerencial, está entrelaçada a questão da tomada de decisão, pois aanálise de toda a sistemática e envolvimento nesse processo, é possibilitada pordiversos mecanismos de suporte e reenquadramento ao que for pretendido, e quese tem como meta em períodos pré definidos, desta forma percebemos que aContabilidade Gerencial engloba os processos de tomada de decisão. A gestão de custos pode auxiliar muito na prosperidade das empresas, nãoobstante, citamos a decadência da utilização da Contabilidade de Custos em algunssetores de produção, mas quando utilizada de forma ultrapassada, como muitasempresas ainda insistem em fazê-la, utilizando-se de mecanismos obsoletos, seminvestimentos e análises mais detalhadas acerca do assunto, além de que, devemser observadas as particularidades de cada empresa como mencionamos acima,porém, uma contabilidade de custos bem implementada, com bases sustentadas naevolução de todos os possíveis e perceptíveis instrumentos de real aplicabilidade,nos mais diversos recursos envolvidos na produção, aliado a estudos e a busca dosmelhores resultados, sem dúvida, trará excelente recompensa para a empresa. Éassim que temos observado como ponto crucial para que se faça imergir uma
  12. 12. 11campanha sensata e correta de custos, que apresente bons resultados em meio aum novo cenário, não bastando apenas às empresas baixarem custos, mas tambémmanterem produtos com elevado nível de qualidade. A aliança entre Contabilidade Gerencial e Contabilidade de Custos pode sercrucial para o desenvolvimento do que se espera numa empresa, pois oencaminhamento rumo a uma gestão sólida requer uma análise detalhada das duasáreas, para que assim os ganhos e demais resultados esperados possam surgir,como conseqüência das decisões certas, no tempo exato, cumprindo-se assim opapel esperado. A problemática surge da seguinte forma: existe contribuição significativa dacontabilidade gerencial na gestão das empresas de cerâmica vermelha de Senhordo Bonfim-BA? Mostrar a necessidade e a importância do uso da Contabilidade aosempresários não é fácil, ainda mais se tratando de micro empresas e (EPP)empresas de pequeno porte, pois muitas vezes estes encaram a Contabilidade comoum mal necessário, e não como uma importante ferramenta de auxilio a gestão dassuas empresas, pois consideram apenas o ônus dos honorários contábeis devidos acada mês, e desconsideram as necessidades inerentes a administração econtinuidade que podem ser prestadas pela contabilidade. As empresas que se norteiam por essas bases de administração dos seusnegócios, geralmente são de grande porte, pois possuem setores específicos paratal função, tendo em vista a necessidade de adequação ao que já foi ditoanteriormente, além da comunicação e disseminação do conhecimento desta áreapara os demais integrantes da alta administração, para isso, um profissional éconsiderado de suma importância, pois esse é o papel desempenhado pelocontroller, que desempenha funções inevitáveis em relação a tomada de decisões,representando função impar dentro da empresa, possibilitando o planejamento e aexecução das pretensões dos administradores. Nas empresas de pequeno porte, ainda que não seja fácil a absorção danecessidade que se tem das informações contábeis, é importante citar que apesarde desobrigadas pela legislação a fazer escrituração de alguns livros contábeis,
  13. 13. 12esses são mecanismos de controle e que muitas vezes são o diferencial, pois seusrelatórios, são essenciais, na ocasião de se contrair empréstimos e financiamentosnos bancos de fomento, que podem servir para dar alavancagem e fazer com queestas se movimentem em meio a estagnação que muitas vezes afeta a economia, ouapenas para reestruturação dos meios de produção que darão também umaconotação de crescimento para as empresas. Por meio da Contabilidade como um todo, em especial nestes casos daContabilidade Gerencial, é que conseguimos um planejamento sistemático, quepoderá elevar a empresa do patamar onde ela se encontra a algo superior, mas oconvencimento dos empresários depende muitas vezes da sua análise pessoal, quepode encontrar-se engessada pela ausência de ousadia e inovação, que acabamuitas vezes por levar a estagnação ou até mesmo a descontinuidade do negócio. Sendo assim, a Contabilidade Gerencial, torna-se um dos principaisinstrumentos de auxílio aos empreendedores, e aos gestores, no que tange atomada decisão, desta maneira, o objetivo geral deste trabalho é analisar acontribuição da contabilidade gerencial na gestão das empresas de cerâmicavermelha de Senhor do Bonfim-BA, enquanto nos objetivos específicos busca-se;Identificar a necessidade da utilização da Contabilidade Gerencial para tomada edecisão; Investigar a possibilidade de melhoria na competitividade mercadológica,através da utilização da Contabilidade de Custos. Levando em consideração o fato de que as empresas da Micro região deSenhor do Bonfim- Bahia, que se destinam a produção de produtos destinados aomercado da construção civil, no segmento de produtos confeccionados comcerâmica vermelha, que pode ser definida assim, segundo Lehmkuhl (2010, p. 2)―Cerâmica é a denominação comum a todos os artigos ou objetos produzidos comargila e que são queimados ao fogo. O nome procede da palavra grega keramos quesignifica argila.‖ Sendo ainda, para maior detalhamento, necessária a explicitação doque se trata cerâmica vermelha, que é aqui alvo deste estudo, ainda segundo asidéias de Lehmkuhl (2010, p. 4), são materiais de coloração avermelhada que sãoutilizados na construção civil, com diversificadas aplicações, sendo: tijolos, blocos,telhas, elementos vazados, lajes, tubos, alem de outros utilizados como decoração,na forma de vasos, bem como na confecção de utensílios para utilização domestica,
  14. 14. 13portanto indispensáveis, principalmente na construção civil, representando grandeparte dos materiais usados em uma obra . A produção destes produtos, tem uma boa aceitação na micro região, sendoestas empresas, geradoras de renda e emprego, bem como, considerando que estasempresas deixam uma fatia considerável do mercado a cargo de industrias de outraslocalidades do estado, como também de outros estados, a fatia do mercado quevem sendo perdida para as demais indústrias com atuação na mesma área, deve-seàs telhas de cerâmica, e a outros produtos, que tem como fator principal, a ausênciade produção e a falta de preços competitivos para venda fora da região. A produção de telhas de cerâmica tem tradição maior no estado do Ceará, noque tange a região Nordeste, e é perceptível a invasão de produtos oriundos destaregião, deixando transparecer o espaço deixado pelas indústrias locais, com relaçãoa confecção e comercialização deste produto, que representa uma considerável eimportante integrante dos diversos componentes empregados nas construções, porisso torna-se imprescindível a utilização da contabilidade Gerencial e de Custos noaporte aos empresários locais, do ramo mencionado, com vistas a possibilidade demelhorias e possíveis implantações de mecanismos para a produção desse tipo deproduto. Uma análise sucinta do mercado regional, traz explicito em seusdemonstrativos a real demanda do produto, pois o mercado da construção civilencontra-se numa abissal expansão, e apresenta-se contínuo e promissor, pois é oque vem ocorrendo com o mercado da construção civil em todo o pais, pois aspolíticas publicas no setor habitacional fazem com que, cada vez mais, as pessoastenham acesso a casa própria, conseqüentemente, aquecendo este tão importantesetor da economia, que sem duvida é uma força motriz para diversos tipos deindustria, como inclusive, o segmento em lide, que é um dos setores com maiorrepresentatividade, e percentual de geração de empregos deste mercado. A realização do presente trabalho justifica-se pela necessidade deaproximação do tema à realidade da micro região, em consonância com amensuração da proximidade da utilização da contabilidade gerencial em adequaçãoaos moldes das empresas locais de produção industrial, com foco, nas que atuam naprodução de artefatos produzidos a partir da cerâmica vermelha, que se perfazem
  15. 15. 14como algo basilar para o desenvolvimento e expansão da industria da construçãocivil, que acaba por englobar a anterior, por ter maiores influências e ter umaabrangência com maiores dimensões, bem como a percepção da utilização dasinformações contábeis no auxílio a tomada de decisão e ao gerenciamento daentidade, assim como a melhoria no cenário mercadológico através da utilização dacontabilidade de custos. Desta forma torna-se necessária e ampara-se a realização desta pesquisa,pela possibilidade de contribuição à contabilidade gerencial, com o intuito de galgardegraus de conhecimento rumo ao desconhecido, ou mesmo, ao que foi poucoexplorado, e que sempre é enriquecido com informações que se façam pertinentesao estudo em lide, visto que é um tema de interesse regional, podendo ainda seraplicado a outros ramos da contabilidade, seja para outros tipos de empresas, oumesmo para outras regiões. Outro fator preponderante para a realização desta pesquisa, se dá pelo fatode as pesquisas nesta área serem escassas, na região, ainda mais na questãogerencial, pois constam poucos registros destas, principalmente que tenham ligaçãoa esta instituição de ensino, demonstrando ainda mais, a necessidade de pesquisanesta área, pois este trabalho irá auxiliar no entendimento de questões relacionadasa contabilidade gerencial, e tomada de decisão baseada em custos, principalmentenas micro e pequenas empresas de senhor do Bonfim- BA, tendo em vista que seuobjeto de estudo se insere neste contexto, ao mesmo tempo que analisa suautilização da real aplicabilidade nas mesmas.
  16. 16. 151 REFERENCIAL TEÓRICO1.1 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL O presente capítulo tem por objetivo mostrar como os princípios que norteiama Contabilidade de Custos e Gerencial, estão ligados a uma boa administração nasempresas, pois a contabilidade como instrumento de gerenciamento, além de serimprescindível para a continuidade de qualquer entidade, parte do pressuposto queas decisões a serem tomadas, devem conter maior proximidade com as reaispossibilidades que podem ser alcançadas, e servem de suporte para decisõesfuturas por parte dos administradores. A modernidade trouxe várias alterações, no que concernem as decisõesinerentes a contabilidade gerencial atrelada a contabilidade de custos, pois o deverde garantir a competitividade parece estar cada vez mais próximo destas duas áreastão afins da contabilidade, e o que parecia sem valor, hoje permeia dentre os maisimportantes pressupostos como atividades mantenedoras dos mecanismos decontinuidade no mercado. O combate ao desperdício e a busca contínua do aperfeiçoamento passa a ser uma busca incessante pelas empresas que desejam ser líderes, ou mesmo continuar no mercado. Ferramentas para controle e redução desperdícios como Just-in-Time, Kaizen, Custo-meta, controle da qualidade total, entre outros são implementados com intuito de reduzir custos, eliminar desperdícios, aprimorar a qualidade dos produtos, qualificar a mão-de-obra, alavancando assim, uma busca contínua na melhoria dos processos com foco na qualidade e conseqüentemente na redução de custos. (PINTO, GOMES, 2010, p. 58) A Contabilidade Gerencial cumpre assim os requisitos para o aprofundamentodessa questão, no que tange a gestão de uma entidade, Jiambalvo (2002, p. 02) dizque: ―A meta da contabilidade gerencial é fornecer as informações de que elesprecisam para o planejamento, o controle e a tomada de decisão.‖ Sendo que o desenvolvimento da contabilidade de custos, que inicialmenteteve outra finalidade, hoje se entrelaça com contabilidade para fins gerenciais, quesem ela não existiria, pois a profundidade que a contabilidade de custos podealcançar, suprir as necessidades pertinentes a mensuração das dificuldades epossibilidades ainda não exploradas na entidade.
  17. 17. 16 Devido ao crescimento das empresas, com o conseqüente aumento da distância entre administrador e ativos e pessoas administradas, passou a Contabilidade de Custos a ser encarada como uma eficiente forma de auxílio no desempenho dessa nova missão, a gerencial. (MARTINS, 2003, p. 14-15) Desta forma o que se pode dizer é que a tomada de decisão, parteinicialmente da análise que pode ser feita através da contabilidade de custos, que semostra como algo basilar para sustentabilidade ao sistema gerencial em que estafocada a empresa. Pode-se considerar a contabilidade de custos como um sistema cujo objetivo é proporcionar à administração da empresa o registro do custo dos produtos, a avaliação dos estoques que geralmente representam um valor material em relação ao total do ativo, bem como proporcionar a análise do desempenho da empresa. (SANTOS ―e outros‖, 2006,p.13) Diante dessa definição vemos que a contabilidade de custos é a principalferramenta do administrador, devido as condições mercadológicas implementadaspela globalização, e a sua influência na lucratividade como fator preponderante paraqualquer empreendimento, seja ele industrial, comercial ou de outra natureza, tudoisso é o que concerne ela o fato de buscar a mais eficiente forma de custeio paraque mantenha grande relevo no campo gerencial. O que concerne a empresa umaanálise estrutural, sistemática e efetiva, fazendo com que a empresa transformesuas estruturas com o intuito de viabilizar uma continuidade sustentável e sólidapautada na gerencia dos custos como algo basilar para as políticas futuras, queestejam embasadas na reestruturação contínua e intrínseca a constante busca pelacorreta tomada de decisão, ―Tornar a empresa mais competitiva através da reduçãode custos e oferecer produtos com qualidade é um processo que demanda observartoda a cadeia de valor da empresa e fundamental para a sua sobrevivência.‖(PINTO, GOMES, 2010, p. 58)1.2 CONTABILIDADE COMO CIÊNCIA SOCIAL A Contabilidade pode ser definida como a ciência que estuda o patrimônio,que é, o conjunto de bens, direitos e obrigações de uma entidade, assim Santos ― eoutros‖ (2003, p. 62) dizem que: ― O objeto formal da contabilidade, que delimita ocompo de abrangência dessa ciência que pretende estudar, analisar e interpretar demodo geral, é o estudo do patrimônio das entidades em seus aspectos qualitativos e
  18. 18. 17quantitativos.‖ Para que a consideremos como ciência, seguiremos com o que sepode entender por ciência, segundo Sá ( 2008 p. 38) ― O conhecimento científicoexige universalidade, ou seja o saber explicar que condições e como as coisasacontecem em qualquer lugar e aqualquer hora, sempre da mesma forma.‖ Ainda seguindo as idéis de Sá (2008), acerca da definição da contabilidadecomo ciência, podemos observar ainda como fator de inserção nesse campo o fatode que ela cupre todos os requisitos necessários para tal classificação, pois éreconhecida desta forma pelas mais eminentes Academias, pelas intectualidadesnotáveis e gandes gênios da humanidade. Contabilidade foi definida como a ciência que estuda o Patrimônio e suas modificações. Desta forma, com a evolução das sociedades, a necessidade de informações sobre a situação econômico-financeira das empresas multiplicou-se exponencialmente e a contabilidade é fundamental para divulgar essas informações e subsidiar decisões. Como parte integrante da sociedade e afetada por essa, a contabilidade é uma ciência social. (CARDOZO, TEZOLINI 2010, p. 3) Para se chegar a estas explanações, existem diversos pilares que dãosustentação a um crescente e diversifiacado arcabouço de idéias, que possibilitam aconstrução contínua do conhecimento contábil e firmam a contabilidade comociência social, de extrema importância no desenvolvimento das naçoes, desta formasua colocação no campo das ciências sociais é inevitável, se levadas em conta alógica natural que se segue na observância de seu objeto de estudo, assim diz Sá(2008, p. 42) ― O homem, o homem em sociedade, o patrimônio a serviço dele, opatrimônio do homem a serviço da sociedade parecem ser fortes conexões quealimentam uma justa classificação dos estudos contábeis no campo social.‖ Ainda nesse sentido, de contabilidade como ciência social o ConselhoFederal de Contabilidade (CFC), pronuncia na Resolução Nº 774/94 em seu item1.1.1 expressa que: A Contabilidade possui objeto próprio – o Patrimônio das Entidades – e consiste em conhecimentos obtidos por metodologia racional, com as condições de generalidade, certeza e busca das causas, em nível qualitativo semelhante às demais ciências sociais. A Resolução alicerça-se na premissa de que a Contabilidade é uma Ciência Social com plena fundamentação epistemológica. Por conseqüência, todas as demais classificações – método, conjunto de procedimentos, técnica, sistema, arte, para citarmos as mais correntes – referem-se a simples facetas ou aspectos da Contabilidade, usualmente concernentes à sua aplicação prática, na solução de questões concretas.
  19. 19. 18 Sendo assim a Resolução 774/94 do CFC em seu item 1.1.1, trata dacontabilidade como ciência social buscando explicitar os motivos da sua realaplicação, e participação no campo das ciências Humanas. Quando da necessidade de se explicar as relações entre as variáveis queafetam o patrimônio das entidades, constituíram-se postulados, princípios e normas,que são válidas para a todas as entidades que se insira neste contexto, queenglobam todos os fatos ocorridos na entidade e preparam informações tanto para oâmbito interno (administradores, diretores, gerentes etc.) quanto externo à entidade(acionistas, governos, fornecedores etc.). A Resolução do CFC nº 750/93, define os Princípios, que caracterizam oconhecimento científico, delegandos a função de Pricípios Fundamentais daContabilidade, de acordo com o Art. 2º, ―Os Princípios Fundamentais deContabilidade representam a essência das doutrinas e teorias relativas à Ciência daContabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico eprofissional de nosso País.‖ Segundo o CFC (1994), esses princípios deverão nortear as atividades osestudos do patrimônio das Entidades, e são assim elencados em seu artigo 3º:Princípio da Entidade, da Continuidade, da oportunidade, do Registro Pelo ValorOriginal, da Atualização monetária, da Competência, e da Prudência.1.3 SURGIMENTO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS De acordo com Kroetz (2001), a contabilidade de custos tem seu surgimentoa partir da contabilidade financeira, quando surgiu a necessidade da avaliação dosestoques nas indústrias, o que aconteceu na Revolução Industrial, antes disso osprodutos eram confeccionados por artesãos e logo depois nas manufaturas, sem, noentanto, constituírem empresas, e portanto, sem a preocupação, ou domínio docalculo dos custos inerentes a produção, exercendo apenas o conhecimentoempírico para a administração dos seus negócios, com o advento das industrias,surgiu a necessidade de se ter um maior controle das operações, devido a expansãoda produção.
  20. 20. 19 Observando assim, a Contabilidade Financeira servia bastante para finscomerciais, mas não para as recém formadas indústrias, para Martins (2003, p.13),―Até a Revolução Industrial (século XVIII), quase só existia a ContabilidadeFinanceira (ou Geral), que, desenvolvida na Era Mercantilista, estava bemestruturada para servir as empresas comerciais.‖ Um dos fatores que mostram a deficiência da contabilidade financeira rumo anova conjuntura de ordenamento da produção, pautada em indústrias, era o fato damensuração dos estoques serem baseados em produtos já prontos, pois asempresas que se utilizavam da contabilidade eram comerciais, e não industriais,servindo assim apenas para apuração do resultado do exercício, que contabilizavaos estoque ao final, levando em consideração as compras, e as mercadorias querestavam, em relação a esse processo. Para a apuração do resultado de cada período, bem como para o levantamento do balanço em seu final, bastava o levantamento dos estoques em termos físicos, já que sua medida em valores monetários era extremamente simples: o Contador verificava o montante pago por item estocado, e dessa maneira valorava as mercadorias. (MARTINS, 2003, p. 13) Partindo dessa idéia, observamos que o que acontece numa indústria, é muitomais complexo, não podendo assim, ser estudado apenas por essa ótica,principalmente na observação dos estoques, pois essa relação deve ser maisintrínseca a contabilidade de custos, pois os estoques que a empresa dispunha nofinal de exercício não se tratava apenas de produtos acabados, prontos para avenda, continha também matérias-primas, produtos em processo, nos mais variadosestágios de completude, dificultando assim a alocação da mão-de-obra, dasmatérias-primas empregadas, bem como de outros custos inerentes ao sistemaprodutivo.1.3.1 A contabilidade de custos na atualidade Com o desenvolvimento da Indústria e a das necessidades a quecontabilidade de custos foi submetida ao longo dos anos, ela evoluiu e setransformou numa ferramenta de suporte a suplementar as diversas áreas dacontabilidade passando a gerar informações, não só para controle, mas tambémpara o planejamento e tomada de decisão.
  21. 21. 20 A contabilidade de custos cuja função inicial era a de fornecer elementos para avaliação dos estoques e apuração do resultado, passou nas ultimas décadas, a prestar duas funções muito importantes na contabilidade gerencial: a utilização dos dados de custos para: AUXILIO AO CONTROLE E PARA TOMADA DE DECISÕES. (SANTOS ―e outros‖, 2006, p.11) A partir daí é perceptível a análise da evolução da contabilidade custos, paraentendimento de como ela conseguiu conquistar e manter espaço nas oscilaçõespelas quais passou, com variação nos diversos modos de produção das indústriasao longo do tempo, surgindo como técnica independente e sistemática, nos EstadosUnidos, envolvendo a produção industrial, estudando principalmente as questõesrelacionadas aos problemas de mão-de-obra e que repercutiam no custo industrial,passando aprofundar-se nas observações ao os custos de material consumido,diretamente na produção, bem como a procura pelo entendimento maior comrelação custos que não estão diretamente ligados a produção, chamados de custosindiretos de fabricação. Chegando assim, depois da inevitável equidade com a necessidade, a umpatamar decisório nas decisões empresariais, de acordo com Martins (2003, p.15)―[...] a Contabilidade de Custos acabou por passar, nessas últimas décadas, de meraauxiliar na avaliação de estoques e lucros globais para importante arma de controlee decisão gerenciais.‖ Fica claro também que as tendências de mercado, que forçam as empresas aestarem sempre evoluindo, torna sua aplicabilidade eloqüente, como fundamentadopor Martins (2003) ―Isto ocorre pois, devido à alta competição existente, as empresasjá não podem mais definir seus preços apenas de acordo com os custos incorridos, esim, também, com base nos preços praticados no mercado em que atuam.‖ Destaforma podemos ver ainda que, ―Em meio a este mercado turbulento, incerto eglobalizado a análise estratégica de custos torna-se um diferencial competitivo eessencial à subsistência da empresa‖. (PINTO, GOMES, 2010, p. 61) Por conseqüência desta atuação chegamos as várias utilizações dacontabilidade de custos nas empresas da atualidade segundo as idéias de Santos ―eoutros‖ (2006), é possível identificar quatro grandes campos de abrangência eaplicação de custos na empresas, que são: abrangência de aplicação contábil;aplicações vinculadas ao planejamento; aplicações controle. E desta formapercebemos as novas características a qual se inserem as aplicações que sãodadas aos custos.
  22. 22. 21 O controle de custos torna-se relevante devido ao fato de que alguns custos podem ser identificados mediante controle e evitados mediante a aplicação de alguma ferramenta. O aperfeiçoamento contínuo através do aprendizado da organização e a identificação pelo o que adiciona valor e a eliminação do que não adiciona valor ao produto e serviço são itens importantes para a criação de uma forte vantagem competitiva para a empresa. (PINTO, GOMES, 2010, p. 60-61) Sendo assim, todas as empresas deveriam estar norteadas a tomadas dedecisões com base na análise de uma melhoria em seu sistema de custos, quedesencadearia melhoria na qualidade como fator decisivo, porém não é sempreassim acontece, pois muitas vezes as empresas se negam a implantação edesenvolvimento de uma adequada e estruturada implementação do sistemasupracitado, pela cultura e idéia de que isso geraria uma elevação nos custos, emvez de procurar sua otimização como uma conseqüente melhoria na qualidade dosprodutos ou serviços oferecidos. As organizações possuem custos ocultos sempre resultado direto da falta de qualidade. Exemplos destes custos ocultos são as vendas não concluídas por falta de treinamento do pessoal de vendas, por falta de qualidade no produto e por demora na entrega de mercadorias para citar alguns. Além disto, as organizações possuem ainda custos identificáveis resultado direto da falta de qualidade. Exemplos destes custos são as devoluções de vendas por não atendimento às necessidades dos clientes, o atendimento a garantias, o desperdício ocorrido na produção, o retrabalho para consertar produtos defeituosos, entre outros, que geram custos que poderiam ser evitados. Identificar estas oportunidades, e então, aperfeiçoar a qualidade e assim, eliminar os custos associados (ocultos ou não), torna a empresa mais lucrativa e competitiva. A vantagem de tomar providências sobre os custos da falta de qualidade é uma efetiva chance da empresa aumentar seus lucros sem aumentar suas receitas. (PINTO, GOMES, 2010, p.58) Porém apesar de muitas empresas e muitos profissionais se utilizarem dacontabilidade de custos e a considerarem de suma importância e relevância paraaplicações nos campos mais variados da contabilidade, ela não é unanimidade juntoaos usuários, estudiosos e pesquisadores desta ciência, fato que se comprova coma observância feita à teoria das restrições, de acordo com Cogan (2007 p.8) ―[...] ateoria das restrições (TOC – Theory Of Constraints) foi criada pelo físico israelenseEliyahu Goldratt, que, com ela, tornou-se importante consultor de gestãoempresarial.‖ Com base nessa teoria os custos não podem ser calculados porconseqüência de fatores como a inviabilidade do rateio dos custos fixos comprecisão, bem como afirma que a empresa não necessita determinar os custos, ou olucro dos produtos, mas lucro total.
  23. 23. 22 [...] Hoje toda a comunidade financeira despertou para o fato de que a contabilidade de custos não é mais aplicável e que algo deve ser feito. Infelizmente, não está voltado aos fundamentos, à lógica das demonstrações financeiras e procura dar respostas para estas importantes questões de negócio. Em vez disso a comunidade financeira está totalmente imersa em uma tentativa de salvar uma solução obsoleta [...] (GOLDRATT [19??] apud COGAN, 2003, p. 10) A Teoria das restrições aponta como principal meta para as organizaçõesganhar dinheiro, então a forma como isso vai ser possível pode ou não passar poruma boa fluência análise dos custos da mesma, assim menciona Kuratomi eGuerreiro (2011, p. 4 apud GOLDRAT, 2002) ―A meta de qualquer organização eganhar dinheiro hoje e no futuro. Restrição é qualquer coisa que impede o alcanceda meta da empresa‖. Reforçando ainda a necessidade da determinação dos reaisimpedimentos ao atingimento da meta, que são aqui denominados gargalo. De acordo com as idéias e Kuratomi e Guerreiro (2011, p. 4) ―Para a teoriadas restrições, o ideal e a decisão que potencialize o ganho, contudo qualquerdecisão que gere um impacto positivo no retorno sobre o investimento estaráaproximando este sistema a meta da empresa.‖1.3.2 Terminologia de custos nas empresas industriais Para o entendimento das ações implementadas pelas atividades dacontabilidade de custos, para que se chegue a resultados contábeis, devemos saberque estão ligadas a diversas classificações, destinguindo o que vem a ser: gasto,desembolso, investimento, custo, despesa e perda, da seguinte forma: a) Gasto — Compra de um produto ou serviço qualquer, que gera sacrifício financeiro para a entidade (desembolso), sacrifício esse representado por entrega ou promessa de entrega de ativos (normalmente dinheiro). b) Desembolso — Pagamento resultante da aquisição do bem ou serviço.Pode ocorrer antes, durante ou após a entrada da utilidade comprada, portanto defasada ou não do momento do gasto. c) Investimento — Gasto ativado em função de sua vida útil ou de benefícios atribuíveis a futuro(s) período(s). d) Custo — Gasto relativo a bem ou serviço utilizado na produção de outros bens ou serviços. O Custo é também um gasto, só que reconhecido como tal, isto é, como custo, no momento da utilização dos fatores de produção (bens e serviços), para a fabricação de um produto ou execução de um serviço. e) Despesa — Bem ou serviço consumido direta ou indiretamente para a obtenção de receitas f) Perda — Bem ou serviço consumidos de forma anormal e involuntária. (MARTINS, 2003, p. 17)
  24. 24. 23 Nas empresas industriais, a implantação da contabilidade de custos éiminente, devido a complexidade da aplicabilidade final dos preços a seu leque deprodução, haja vista a dificuldade encontrada, para a alocação dos fatoresfinanceiros ligados ao envolvimento com todos os setores e fases pelos quaispassam os produtos provenientes desse processo, até que se chegue ao custo doproduto. Pela própria definição de custo, podemos entender, ainda mais sabendo da origem histórica, por que se generalizou a idéia de que Contabilidade de Custos se volta predominantemente para a indústria. É aí que existe a produção de bens e onde a necessidade de seu custeamento se toma presença obrigatória. (MARTINS, 2003, p. 18) Sendo assim na indústria é que se observa a maior necessidade de se ter umsistema de custos eficiente, mas é valido lembrar , que deve-se atentar para o fatode que esta área da contabilidade e aplicável e indicada a todos os tipos denegócios como empresas de serviços, comerciais dentre outras, para que se possagerir a empresa de forma sensata e segura, procurando sempre a otimização dossetores mais deficitários, que serão, a partir das analises de custos, melhoridentificados.1.3.3 Sistemas de custeio De acordo com Santos (2006) Os sistemas de custeio, influenciam bastanteno tratamento dos custos em uma empresa, eles são as maneiras de se apropriar oscustos, esses métodos podem ser descritos como: custeio por absorção, custeiovariável e custeio por atividade (Actívity-Based Costing - ABC), além outras formasmenos utilizadas; para que sucintamente seja dada a uma analise introdutória decada um deles, é necessário que seja feita uma simplória explanação daclassificação dos custos, que se distribuem em custos diretos e indiretos e fixos evariáveis; os custos diretos são aqueles aplicados diretamente ao produto ouserviço; enquanto os indiretos, são todos os outros custos, que não estãodiretamente ligados aos produtos ou serviços e por isso dependem de algum critériode rateio para que seja atribuído a produção; custos fixos são aqueles que não sealteram em relação ao volume de unidades produzidas; e os custos variáveis são osque dependem da quantidade produzida, e são alterados a medida que estaaumenta ou diminui.
  25. 25. 24 Desta maneira, podem ser melhor visualizados os métodossupramencionados, custeio por absorção, se faz pela absorção de todos os custos,sejam eles diretos e indiretos, fixos e variáveis, assim diz, Santos ―e outros‖ (2006,p.77) ―No método de custeio por absorção a totalidade dos custos de fabricação, istoé fixos e variáveis, é incluída no custo produto.‖ O custeio variável, também éconhecido como custeio direto, pois considera que só devem ser apropriados aoproduto os custos e as despesas variáveis, nesse pensamento pronuncia Martins(2003, p.142), ― [...] no Custeio Variável, só são alocados aos produtos os custosvariáveis, ficando os fixos separados e considerados como despesas do período,indo diretamente para o Resultado; para os estoques só vão, como conseqüência,custos variáveis‖. Já o método de custeio por atividade (ABC), pode ser analisado sob oenfoque de um método que procura reduzir as deformidades e deficiências, levadasa efeito com vistas na utilização dos rateios arbitrários, em relação aos custosindiretos, assim Jiambalvo (2002, p. 33) diz que ―[...] o custeio baseado ematividades (ABC) é um método de atribuição dos custos indiretos aos produtos queutilizam inúmeras bases de alocação diferentes. Na abordagem do ABC, asprincipais atividades que originam os custos indiretos são identificadas.‖ Porém, nem todos os métodos de custos são aceitos pela legislaçãobrasileira, que requer a utilização do custeio por absorção, pois para o fisco, estecumpre todos os requisitos necessários a legislação vigente e aos PrincípiosContábeis.1.4 A CONTABILIDADE GERENCIAL A contabilidade gerencial parece não ter mais, hoje, na atual conjuntura daeconomia globalizada, como sair de cena, pois apresenta-se como característicalimítrofe ao sucesso das empresas da nossa era, objetivo pelo qual se desenvolve ecria novos mercados de atuação e prossegue, transpondo barreiras impostas porcompetitividades mercadológicas iminentes, e inevitáveis, propiciadas ainda, poruma leva de consumidores modernos e cada vez mais exigentes e sedentos denovas tecnologias e produtos, tudo isso combinado com exploração proficiente daacirrada concorrência dos empresários capitalistas, possibilitando a eles extração de
  26. 26. 25um dos poucos bons resultados da competição globalizada, que são as inovaçõestecnológicas e redução progressiva de preços em produtos similares, de um mesmosegmento. Os clientes de hoje estão exigindo novos produtos e serviços a uma taxa crescente. A intensidade da competição internacional forçou muitas empresas a aumentar a velocidade de inovações de novos produtos e serviços para comercializá-los a um custo o mais baixo possível. Felizmente também estão sendo desenvolvidas inovações nos métodos de contabilidade gerencial, como ferramentas para mensurar e avaliar o desempenho de atividades de projeto e desenvolvimento de produto. (ATKINSON ―e outros‖ 2008, p. 674) Neste sentido percebe-se que a contabilidade gerencial está pautada nasreferencias de mercado que estão inseridas, as empresas que a utilizam comoelemento crucial a suprimir as necessidades que venham a desencadear com odesenvolvimento que indubitavelmente irá aflorar no decorrer do tempo. Isso épossibilitado, através de um conjunto de ações desenvolvidas a fim de solucionar osproblemas interpostos no caminho da administração, que atuem como empecilho,afugentando o progresso. a informação contábil gerencial expandiu-se para envolver a informação operacional ou física (não financeira), com qualidade e tempos de processo, bem como uma informação mais subjetiva, como mensuração da satisfação do cliente, capacidade do funcionário e desempenho de novos produtos. (ATKINSON ―e outros‖ 2008, p. 36) Sendo assim, a contabilidade gerencial mostra que é um dos instrumentosmais influentes para auxiliar a gerência de uma empresa, seus relatórios abrangemos diferentes níveis hierárquicos e servem como ferramenta indispensável nastomadas de decisões, derivando um grande poder na influência do processo deplanejamento estratégico empresarial e no orçamento, e é destinada aos usuáriosinternos da contabilidade, sendo por tanto opcional para as empresas. Todas as empresas devem tomar como bases os conceitos implementadospela adoção da contabilidade gerencial, independentemente de serem de pequenomédio ou grande porte, para direcionarem seus negócios, além de procuraremutilizá-la também como um instrumento de análise de desempenho, monitorando osresultados auferidos e conseguindo como contrapartida uma maior segurança nasoperações presentes e futuras.1.4.1 O contexto histórico da contabilidade gerencial
  27. 27. 26 O surgimento da contabilidade gerencial se confunde as vezes com osurgimento da contabilidade de custos, que como foi aqui mencionada, datada daRevolução Industrial, e servia para suprimir as necessidades das indústrias quenecessitavam de cálculos mais precisos na gestão dos custos, não fossem as duasáreas tão afins, tornaria difícil o entendimento e a separação das origens de cadauma, a contabilidade gerencial, surgiu também nessa época, como instrumentocapaz e dinâmico, próprio a fornecer informações úteis que auxiliem ogerenciamento dos negócios. A demanda por informação contábil gerencial pode estar relacionada aos primórdios da Revolução Industrial nas tecelagens, no artesanato de armas e de outras operações manufatureiras. Por exemplo, os registros das tecelagens do inicio do século XIX mostram que seus gerentes recebiam informações sobre o custo horário de converter matéria-prima (algodão) em produtos intermediários (fio e linha de costura) e produtos acabados (tecidos) e o custo por quilo de produto por departamento e por operário. (ATKINSON ―e outros‖ 2008, p. 39) Essas ações seriam tomadas com bases segundo as idéias de Atkinson ―eoutros‖ (2008) para controlar e melhorar a eficiência, e para as decisões de preço emix de produção, desta forma teriam bases para aquisição de mais máquinas,quando fossem realmente necessárias e mensurar a eficiência diferenciada de cadafuncionário compensando-os de acordo com a produção. Existem várias etapas em que a contabilidade gerencial parece entrar emconfronto com a contabilidade financeira, pois a contabilidade financeira está maisvoltada para demonstração dos resultados econômico-financeiros, e no cumprimentodos princípios contábeis geralmente aceitos, tudo isso destinado aos usuáriosexternos, que de acordo com as idéias de Oliveira ([200-?]), podem serrepresentados por: Instituições financeiras, ao conceder ou não empréstimos, oumesmo estabelecer valores, taxas, prazos e garantias para os mesmos;fornecedores em geral, quando da análise na concessão de crédito; investidores, noquestionamento de se investir ou não em ações na bolsa de valores; ao fisco, naverificação ao cumprimento da legislação tributária, bem como na busca por indíciosde sonegação de tributos; dentre outros. A contabilidade financeira lida com a elaboração e a comunicação de informação econômica sobre uma organização ao publico externo: acionistas, credores ( bancos, financeiras e fornecedores), órgãos reguladores e autoridades governamentais e tributarias. A informação
  28. 28. 27 contábil financeira comunica ao público externo as conseqüências das decisões e as melhorias de processos feitas por administradores e funcionários. (ATKINSON ―e outros‖ 2008, p. 37) Já a contabilidade gerencial tem sua atenção voltada, internamente, naaquisição de informações contábeis capazes de facilitar a tomada de decisãogerencial. Estas informações não são necessariamente somente financeiras, comoocorre com aquela, mas podem ser também de ordem quantitativa e qualitativa, poisnão só analisam números e situações engessadas, mas também dados e situaçõesque sofrem mutações constantes; a contabilidade gerencial se diferencia tambémpor estar mais ligada ao planejamento futuro, do que registrar os fatos ocorridos,como ocorre na contabilidade financeira. Mas é defensável que elas não devam ser tão separadas conceitual eusualmente, pois, o limite entre elas é difícil de ser determinado, já que, é perceptívelem varias ocasiões entrelaçamento entre técnicas contábeis utilizadas nacontabilidade financeira, que são bastante tradicionais, e as gerenciais. Não devemos superestimar as diferenças entre contabilidade financeira e contabilidade gerencial em função dos seus respectivos grupos de usuários. Os relatórios de contabilidade financeira visam principalmente aos usuários externos e os relatórios de contabilidade gerencial visam principalmente aos usuários internos. No entanto, os gerentes também fazem uso significativo dos relatórios de contabilidade financeira e os usuários externos ocasionalmente requerem informações financeiras que são normalmente consideradas apropriadas para os usuários internos. Por exemplo, os credores podem pedir à administração que lhes forneça projeções detalhadas de fluxo de caixa. (JIAMBALVO, 2002, p. 04) As demonstrações contábeis representam, a parte visualizável do limite entrea contabilidade financeira e a contabilidade gerencial, pois representam elementosque servem preponderantemente aos usuários externos, fator este que não exclui apossibilidade de elas darem suporte e sustentabilidade a análise do desempenho,que são próprios da atividade gerencial. As diferenças são ficam mais dedefinidas quando comparadas lado a lado,para que tenha visão mais imperiosa dessas duas grandes vertentes dacontabilidade de acordo com o Quadro1.1. Contabilidade Financeira Contabilidade Gerencial Externa: acionistas, credores, Interna: funcionários, gerentes,Audiência autoridades tributárias. executivos
  29. 29. 28 Relatar o desempenho passado ao Informaras decisões internas Propósito público toma- das por funcionários e externo; contratos com proprietários e gerentes; dar feedback e credores. Controlar desem -penho operacional. Posição no Tempo Histórica; atrasada Atual orientada para o futuro. Reguladas: regras direcionadas por Desregulamentada; sistemas e Restrições princípios gerais aceitos pela informações determinados pela contabilidade e por auto -ridades administração para atender às governamentais. necessidades estratégicas e opera- cionais. Tipo de Informação Apenas mensurações financeiras Mensurações financeiras opera- cionais e físicas sobre processos, tecnologias, fornecedores clientes e concorrentes Objetiva, auditável, confiável, Mais subjetiva e sujeita a juízo Natureza da consistente, precisa. de valor; válida, relevante, Informação precisa. Altamente agregada; relatórios sobre a Desagregada, informa decisões Escopo organização total. e ações locais.Quadro 1.1 - Características básicas das contabilidades financeira e gerencial.Fonte: ATKINSON ―e outros‖ (2008, p. 38) Sendo possível a partir da observação do Quando 1, melhor identificar asfronteiras da diferenciação entre as contabilidades gerencial e financeira, bem comoas utilizações de cada uma delas. 1.4.2 Contabilidade gerencial e a tomada de decisão A tomada de decisão, está expressa em uma gama de questionamentos, que imersos em um conjunto de idéias, transformarão esta, na principal determinante para o sucesso de uma empresa, com bases fundamentadas na contabilidade gerencial. E o que ocorre hoje nas organizações empresariais é a busca da meta final, que é a continuidade e o aumento na produtividade consequentemente na lucratividade dos negócios, que são possibilitadas através das decisões oriundas da contabilidade, assim entendem Pinto e Gomes (2010 p. 61) ―O papel da contabilidade na organização moderna passa a ser de gerenciamento e controle de custos, com o intuito de se obter uma vantagem competitiva em relação aos concorrentes‖. Sendo esta, uma das responsabilidades da contabilidade gerencial.
  30. 30. 29 A tomada de decisão é parte integrante do processo de planejamento e controle – as decisões são tomadas para recompensar ou punir os gerentes, para alterar as ações ou revisar os planos. A empresa deve adicionar um novo produto? Deve abandonar um produto existente? Deve fabricar um componente usado na montagem do seu principal produto ou contratar uma outra empresa para produzi-lo? Que preço a empresa deve cobrar por um novo produto? Essas perguntas indicam apenas algumas das decisões- chave que as empresas enfrentam. E a forma como tomam essas decisões irá determinar sua rentabilidade futura e possivelmente sua sobrevivência. (JIAMBALVO, 2002, p. 3) Vista a importância da tomada de decisão, que finda sendo algo intrínseco aexploração máxima das técnicas contábeis atreladas as gerenciais, observa-setambém que deve-se depositar total autonomia a quem couber taisresponsabilidades, pois a estes profissionais são incumbidas diversas atividades degrande relevância e expressão, e em vários momentos ele será colocado sob olimiar do gerenciamento e do amplo conhecimento contábil, quando da necessidadede argüir sobre todos os assuntos discutidos. Para delegação desta funçãoincomensurável, ninguém melhor do que o contador, que aqui atuando comocontroller, terá que aplicar todo o conhecimento contábil e seguir com oembasamento nas novas vertentes desta ciência, evoluindo constantemente. Quem é responsável por preparar as informações necessárias para o planejamento, o controle e a tomada de decisão? Na maioria das organizações, a posição contábil no topo das organizações é ocupada pelo controller. O controller prepara os relatórios para o planejamento e a avaliação das atividades da empresa (p. ex., decisões relacionadas á compra de equipamentos de escritório ou decisões relacionadas a adicionar ou a abandonar um produto). O controller também é responsável por todos os relatórios de contabilidade financeira e pelo cumprimento das exigências fiscais perante a secretaria da Receita Federal e outros órgãos governamentais, bem como pela coordenação das atividades dos auditores externos da empresa. (JIAMBALVO, 2002, p. 8) Porém, seu entendimento não poderá ser circunscrito apenas ao vastoconhecimento em contabilidade financeira e gerencial, apesar destes serembastante significativo e admirável, terá que possuir diversas outras habilidadescorrelatas a os mais altos postos executivos, pois irá gerenciar atividades de umcrescente e bem preparado grupo de colaboradores. Para ser um ator importante no corpo gerencial você vai precisar das habilidades exigidas de todos os executivos de alto nível – excelentes habilidades de comunicação escrita e oral, habilidades interpessoais sólidas e um profundo conhecimento da indústria em que sua empresa compete. (JIAMBALVO, 2002, p. 8) Para que se faça valer esse papel, de determinante do desenvolvimentoempresarial, a contabilidade gerencial através da tomada de decisão como
  31. 31. 30instrumento preponderante na gestão das empresas modernas, é necessário quevários procedimentos sejam seguidos em um roteiro pré-determinado, e definidocomo objetivo final a ser alcançado. Como o foco principal é a tomada de decisão ospassos para que se chegue até ela são: planejamento a avaliação e o controle,todos estes procedimentos, se seguem após outra série de atividades de gestão quedevem ser adotadas, para a que haja uma efetiva substituição aos quadros atuaisem se encontra a empresa, trazendo para si a melhor forma de gerir os recursosdisponíveis ao seu panorama de trabalho, cumprindo assim o que a contabilidadegerencial representa para a tomada de decisão. A contabilidade gerencial é definida pelo Institute of Manegement accountants (Instituto de Contadores Gerenciais) como o processo de identificação, mensuração acumulação, análise, preparação, interpretação e comunicação das informações financeiras usadas pela administração para planejar, avaliar e controlar uma organização e assegurar o uso apropriado e a responsabilização por seus recursos. (ATKINSON ―e outros‖ 2008, p. 67) O planejamento se perfaz com a necessidade que surge na empresa antes dese iniciar e tomar qualquer atitude, no que tange a amplitude de abrangência doextenso campo da contabilidade gerencial, por isso, são precedidos a ele tantasoutras iniciativas, que explicarão seus propósitos, e lhe darão sustentabilidade, paraque desta forma, se consiga chegar ao real propósito, que foi almejado, podendoassim ser concretizado, Atkinson e ―outros‖ (2008 p. 566) dizem que: ―O primeiropasso do planejamento é identificar o que os proprietários esperam (por exemplo,aumento da riqueza) de suas participações na empresa. As expectativas dosproprietários tornam-se objetivos primários da empresa.‖ Ainda seguindo as idéias de Atkinson‖e outros‖ (2008) percebemos que oplanejamento é seguido ainda pela escolha de estratégias para que se possaalcançar os objetivos primários de uma empresa, a estratégia poderá ainda seragrupada em duas, sendo uma, a identificação das alternativas que a empresa podeusar para competir pelos clientes; e a outra, é a avaliação dessas opçõescompetitivas em relação às capacidades das partes interessadas ou intervenientesna empresa, expressa pelas relações ou contratos entre empresa, fornecedores,funcionários e comunidade.
  32. 32. 31 Para tal processo uma ferramenta se mostra muito importante, pois irápossibilitar a programação dos eventos a serem seguidos para o cumprimento dameta anteriormente planejada, e é denominada orçamento. Orçamento é uma expressão quantitativa das entradas e saídas de caixa usada para determinar se um plano financeiro atingirá as metas organizacionais. Um orçamento apóia os papéis gerenciais de planejamento e controle, provendo os meios para expressar planos e fundamentar as atividades de controle. (ATKINSON ―e outros‖ 2008, p. 502) A avaliação pode ser entendida como uma forma de acompanhar e monitorara implementação do planejado, e para tal tarefa, se utiliza da formação padrões parauma análise comparativa do que esta sendo cumprido, com que foi definido comometa. Desta forma, deve ser focada como uma auxiliar no processo dedesenvolvimento do planejamento, e nesse sentido pode ser definida segundo,Atkinson e ―outros‖ (2008, p. 566) ao dizer que: ― Julgamento das implicações doseventos históricos e esperados e ajuda na escolha do curso de ação ótimo; aavaliação inclui transformar dados em tendências e relacionamentos; comunicaçãopontual e efetiva das conclusões extraídas das análises.‖ Instrumento de monitoramento, e mais efetivamente de correção, que atuaatravés da fiscalização de desempenho do que foi acordado e definido comopossível pela administração quando da implantação da atividade gerencial pelaempresa, ao planejar algo com real viabilidade, este instrumento é denominado decontrole. De acordo com as idéias de Herrera (2007) o controle se vale dasseguintes instituições para sua execução, acompanhamento, que será feito atravésda medição, coleta e registro de informações resultantes da execução de umaatividade; avaliação de dados diversos; e posteriormente, análise e divulgação dasinformações resultantes desta avaliação, além de prevenir que os erros das etapaspresentes se alastrem pelas demais etapas da produção.1.4.3 Contabilidade gerencial e os sistemas de informação Como podemos observar a tomada de decisão é de suma importância parauma empresa, haja vista as transformações econômicas do mundo capitalista eglobalizado, e para que surtam efeito, as informações tem que acompanhar avelocidade acelerada do desenvolvimento tecnológico, mencionando Jones, Ribeiroe Silva (2009 p. 21) ―A informação tem o seu papel de destaque como instrumento
  33. 33. 32fundamental para garantir um processo de tomada de decisões eficaz‖. E é a partirdai que entram os sistemas de informação, que têm por objetivo gerar informaçõespara a tomada de decisões, por intermediação de um processo que começa pelacoleta dados, o processamento e transformação destes em informações que possamser úteis para a contabilidade, ―os Sistemas de Informações são apresentados comodeterminantes para o sucesso do processo de planejamento e controle financeiro, eprincipalmente para instrumentalizar o processo de tomada de decisão‖. (JONES,RIBEIRO, SILVA, 2009 p. 21) dado: elemento em estado bruto, primário e isolado, sem significação capaz de gerar uma ação. A título de exemplo, podemos citar: ativo, passivo, capital, lucro, vendas, etc. Logo, há necessidade de algum tipo de processamento para se chegar a uma conclusão ou observação sobre a empresa; informação: é o dado trabalhado e processado dentro das especificidades exigidas pelos usuários, com significado próprio, relevante e utilizado para causar uma ação proveniente do processo de tomada de decisão. Prosseguindo o mesmo juízo do exemplo anterior, o ativo de uma empresa devidamente estruturada e organizada, agregado a outros dados como vendas, passivo e lucro, pode informar o giro do ativo, a participação de capital de terceiros e o retorno sobre o investimento; sistema: combinação de partes coordenadas para um mesmo resultado, ou de maneira a formar um conjunto organizado. (SILVA, [200-?], p.3) Para que toda essa sistematização do conhecimento contábil seja possível, ebem utilizada, é indispensável que se tenha celeridade no processo de evoluçãotecnológica, para que se concretize como instrumento de gestão e desenvolvimento,sendo assim, estes sistemas são cada vez mais aprimorados para que cumpram asnecessidades evolutivas concernentes a geração de informações, pois não bastamais gerar informações para uso contábil, é necessário que elas tenham um nível deconfiabilidade elevado, sejam precisas e cheguem com ampla velocidade aosusuários. É através da implantação da TI (tecnologia da informação) que sãopossibilitadas todas as etapas e funcionalidades dos sistemas de informação, poisse utiliza de varias inovações como desenvolvimento constante de novos softwares,e hardwares, e comunicação para a implantação e o bom desempenho do sistemasde informação. É de fundamental importância que cada empresa tenha como objetivo permanente o aperfeiçoamento e atualização do seu sistema de informações, através da utilização de mecanismos avançados e modernos de controle e de análise, que assegurem a continuidade e permanência dos negócios da empresa, bem como, garantam o subsídio de informações necessárias ao processo de tomada de decisões e avaliação adequada do desempenho empresarial. (JONES, RIBEIRO, SILVA, 2009, p. 25)
  34. 34. 33 Só assim a empresa irá conseguir se adequar a nova ordem mundial, queexige cada vez mais das empresas, como forma de cobrança nos diversos setoresenvolvidos na produção e aprimoramento das relações comerciais, a que estãosujeitas por conta da rapidez e da exigibilidade proposta pela iminente e veementecobrança imposta pela globalização, que corrobora com necessidade deinformações.
  35. 35. 342 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Foi desenvolvido um trabalho de pesquisa através de uma abordagemexploratória, que irá expor um assunto pouco estudado na região, e dependerá deampla pesquisa, além de ser também descritiva, pois serão descritos fatos a seremestudados, auxiliados por procedimentos diversificados, que vão estar amparadospor pesquisas de campo, implementadas, por intermédio de estudo de caso, nestesentido, Prestes (2008, p. 26) se manifesta da seguinte forma: ―Na pesquisadescritiva, se observam, registram, analisam, classificam e interpretam os fatos, semque o pesquisador lhes faça qualquer interferência. Assim o pesquisador estuda osfenômenos do mundo físico e humano, mas não os manipula.‖ Sendo assim essesconhecimentos imprescindíveis adquiridos nas pesquisas bibliográficas, quenortearão o cunho cientifico da pesquisa, tudo isso feito através de uma abordagemqualitativa, pois realizar-se-á, mediante análise de dados não apenas numéricosmais de dados escritos, na forma de entrevista, que carecem de interpretações eexplanações diferenciadas acerca dos mesmos. A pesquisa exploratória configura-se como a que acontece na fase preliminar, antes do planejamento formal do trabalho. Ela tem como objetivo proporcionar maiores informações sobre o assunto que vai ser investigado, facilitar a delimitação do tema a ser pesquisado, orientar a fixação dos objetivos e a formulação das hipóteses ou descobrir uma nova possibilidade de enfoque para o assunto. (PRESTES, 2008, p.26) A pesquisa desenvolvida é baseada em estudos de caso, que poderá serbastante proveitosa e cumprir as demandas esperadas, segundo Rodrigo (2008 p.6), ―O estudo de caso é um dos vários modos de realizar uma pesquisa sólida.‖Nesse caso o estudo de caso irá servir para que se possam aproximar os conceitosteóricos levantados até o presente momento, com o que acontece na realidade,ainda neste sentido observamos que Rodrigo (2008, p. 6), ―São encontrados estudosde caso até mesmo em economia em que a estrutura de uma determinadaindústria/empresa ou a economia de uma cidade/região, pode ser investigada‖. Emtodas essas situações, a estratégia de estudos de caso pode contribuir paraaumentar o entendimento de fenômenos sociais complexos. O estudo de caso será aplicado nas empresas do município de Senhor doBonfim-BA, localizada no norte do Estado da Bahia, constituindo para tal, umapopulação amostral de duas empresas, que por motivos de segurança terão seus
  36. 36. 35nomes, endereços e outros dados preservados, obedecendo a uma política deprivacidade, vista a cordialidade dos administradores, quando do empenho edisponibilidade no fornecimento de dados e acesso a documentos e instalações dasmesmas. A coleta de dados ocorreu entre os meses de junho e agosto de 2011, e sedeu pela entrevista aos sócios das empresas e aos responsáveis pela produção,com o objetivo de se ter conhecimento sobre a gestão de custos nessas empresas,conhecimento este, que posteriormente fora transformado em informaçõesimportantes para o desenvolvimento da pesquisa. Além do acesso aos dados contábeis inerentes a ao funcionamento normaldas empresas, bem como dos atos e fatos administrativos que circundam o cotidianodas mesmas, englobando assim, a análise e apresentação de dados e informaçõespara constituição de demonstrações contábeis, como Balanços patrimonial,demonstrativos de resultado de exercícios (DRE), para apreciação através deíndices, em especial neste segmento de empresa, como mostram Poeta, Souza eMurcia (2010, p. 53) ―A análise das demonstrações contábeis por meio dos índices éideal para as empresas comerciais e industriais.‖ Por mais que aqui, na presenteanálise, não sejam calculados os mencionados índices, as análises destasdemonstrações contábeis serão estudadas e comparadas umas com as outras,dando uma maior segurança na aplicação e finalidade do estudo de caso em lide. A análise dos dados supracitados, que irão integrar este estudo, será desuma importância para o desenvolvimento da pesquisa, e explicitará a realaplicabilidade da contabilidade, nos termos inerentes ao estudo aqui almejado,estarão expressos nas análises dos Balanços e DREs, até mesmo na necessidadeda construção destes, pois como as empresas são optantes pelo Simples Nacional,estão desobrigadas realizar a escrituração, pois segundo a Lei Complementar123/2006, mas somente para fins fiscais, a apresentá-los, porém outros diplomaslegais não a dispensam. A dispensa da escrituração contábil para as microempresas (ME) e as empresas de pequeno porte (EPP) previsto pela Lei Complementar 123, só é válida na legislação do Imposto de Renda, no que se refere à apuração dos tributos federais. Os demais dispositivos legais, tais como Código Civil (Lei 10.406/2002), artigo 1179, bem como a Nova Lei das Falências (Lei 11.101/2005), artigo 51, Legislação Previdenciária, entre outros, continuam exigindo que as empresas mantenham sua escrituração comercial. A escrituração contábil atende à legislação e padrões estabelecidos pelas Normas Brasileiras de Contabilidade. (MACHADO ―e outros‖. [200?], p. 4)
  37. 37. 36 Sendo comum, e natural, para o cumprimento do previsto em outros diplomaslegais, e necessário para análises neste estudo, torna-se imprescindível portanto, aconfecção destas demonstrações, justificando assim a utilização destes dados comoferramenta de suporte, para uma análise pregressa da empresa, já que os dadosremetem ao ano de 2010, e estarão aqui apresentados. A respeito das demonstrações contábeis, a resolução de Número 1282/2010,do CFC ( Conselho Federal de Contabilidade) na parte inicial do seu texto diz que: [...] por conta do processo de convergência às normas internacionais de contabilidade, o Conselho Federal de Contabilidade emitiu a NBC TG Estrutura Conceitual – Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis, que discute a aplicabilidade dos Princípios Fundamentais de Contabilidade contidos na Resolução CFC n.º 750/93. Desta forma observamos que é cada vez maior a importância que devem serdadas as demonstrações contábeis que deverão sempre ser norteadas pelosprincípios fundamentais da contabilidade, que de acordo com a referida norma devaser alterada para Princípios de Contabilidade, pois julga-ser ser o bastante para queaja o efetivo entendimento dos usuários das demonstrações contábeis e dosprofissionais da Contabilidade.
  38. 38. 373 ANÁLISE DOS DADOS3.1 ANÁLISE DOS QUESTIONÁRIOS A análise dos questionários, aplicados através de uma entrevista, e dos dadoslevantados, que foram realizados nas empresas com seus proprietários ou gestorque possuía contato direto com o negócio, que pudesse vir a responder taisquestionamentos, levando em consideração seu papel desempenhado dentro dasatividades e administração da empresa, e a disponibilidade para tal fim, o queobteve êxito, por alcançar por meio de respostas, que puderam explanar de formaclara e objetiva, com as reais informações prestadas, a verdadeira aplicação dafinalidade geral deste trabalho, que visa cumprir o objetivo de mensurar a realaplicabilidade da contabilidade gerencial, atrelada aos custos no auxilio àadministração e apoio a gestão, bem como na possível expansão mercadológica dasreferidas empresas. Estas perguntas por sua vez foram findadas com intuito de englobar umarcabouço de idéias que viessem a influenciar positivamente e de maneiraproveitosa, cumprindo assim a demanda, que por sua vez, necessitaria de respostassensatas e verdadeiras, para dar uma confiabilidade e segurança maior ao trabalho,o que foi planejado como questões importantes e de grande relevância, vem a ser oque realmente interessa para buscar paulatinamente uma resposta final, e intrínsecaa realidade, que perpassa pela busca incessante rumo a uma expressão do que aquié almejado. Esse processo de entrevista, permitiu que tivéssemos uma visão maisabrangente das transformações e acontecimentos por que tem passado asempresas ao logo dos anos, no que tange a administração, relacionando sua relaçãocom a tomada de decisão, por meio de consultas ao profissional contábil, por elaresponsável, que vem acompanhada também da mensuração a fim de se buscar anecessidade desse auxilio, na visão dos proprietários das empresas, para queassim, se possa interagir e se chegar ao convívio mutuo entre contabilista eempresário. Sendo assim, os questionários atingiram com êxito sua finalidade, e suaaplicação foi realizada obedecendo a particularidade do sigilo as nomes, endereços,documentos e demais dados pertencentes às empresas, suas denominações, para
  39. 39. 38que houvesse uma distinção entre as duas, foram as seguintes: doravante, nestetrabalho, as empresas em lide são: 01 – denominada Alfa e 02 – denominada Beta,para que se possa diferenciar facilmente os dados pertencentes a cada uma delas egarantir a preservação das empresas pesquisadas; Foram realizadas 3 (três)perguntas que estão expressas a seguir: 1º ) É utilizada a informação contábil de alguma forma, aqui na sua empresa,para o auxilio na administração, quando da necessidade de tomada de decisão? 2º) Na compra ou aquisição de equipamentos, ou mesmo de novastecnologias para aplicação na produção, você consulta o profissional contábil? 3º) Você já se utilizou das informações contábeis, para tentar baixar custosdos produtos, ou mesmo procurar inserir novos produtos no seu leque de produção? As respostas encontram-se na integra, no Apêndice, que estão no final destetrabalho, localizada na página 55, tendo em vista que a analise feita aqui, é umasucinta explanação a cerca do assunto, e a real demonstração da aplicação dosconceitos ate então implementados e que configuram a tentativa de adequação doentendimento das normas e princípios contábeis com a sua real aplicação. Apesar da análise dos questionamentos por meio da entrevista aos sócios terlevado a tona o embasamento e a demonstração de nos fazer poder a partir daqui,acreditar que mesmo com a pouca influência da contabilidade para fins gerencias, ede custos nas empresas aqui estudadas, bem como para acatar novas idéias comvistas a inovação tecnológica e sua conseqüente implantação nos meios deprodução destas empresas, ela parece ser de inenarrável importância para asobrevivência das mesmas, visto que auxilia de forma significativa e essencial, demaneira a propiciar uma confiança dos sócios com relação as demais questões, quesurgem com as atividades corriqueiras e que também sustentam a produtividade econtinuidade da empresa.3.2 EXPLANAÇÃO E ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS A análise de Balanços através de índices é mais utilizada em grandescorporações, pois seus balanços exprimem informações fidedignas e que expressama efetiva situação a qual se encontra a empresa, pois todos os registros são
  40. 40. 39devidamente encontrados, e em seu devido lugar, pois abrangência de suasatividades, não permite desorganização e nem desencontro dos dados, logo suasdemonstrações estão prontas para análises e emissão de relatórios e pareceres,bem como para a fiscalização de órgãos governamentais, e instituições financeiras,para isso existem setores específicos, com tempo exclusivo para tal finalidade,pessoas com treinamento adequado, e todo suporte necessário que irá influenciarpara o bom desempenho e aplicabilidade desta atividade. Porém, nas micro-empresas e empresas de pequeno porte, ou até mesmonas de médio porte, essa atividade não é desenvolvida a contento, principalmentenas primeiras, que em sua grande maioria terceirizam o serviço de contabilidade, econseqüentemente, tem serviços limitados, levando-se em consideração também osbaixos honorários contábeis que se predispõem a pagar, desta forma, aproveitando-se da situação e desta conjuntura, os referidos escritórios contábeis que prestamesses serviços, acabam por não realizarem a contabilidade como deveria ser feito, esó emitem certos tipos de documentos quando provocados pelos proprietários narealização de tal demanda, tendo em vista o que foi aqui mencionado,organizaremos uma análise simplória, a cerca das demonstrações, ressaltandoainda que apenas uma das empresas (Beta) possuía esses demonstrativos, tendoque ser construído os da empresa (Alfa), a partir do fornecimento de dados doescritório de contabilidade responsável, e de informações dos sócios. Os referidosdemonstrativos encontram expressos na integra no Apêndice B, localizado naspáginas 55 a 58 deste trabalho. A partir daí podemos expressar a análise da situação e da perspectiva dasempresas em lide, bem como do segmento a ser analisado, frisando as questõesque se pretende explorar e demonstrar sua adequação e aplicabilidade nos termos eafirmações com a realidade, visto que o balanço patrimonial, e a DRE sãoferramentas de aporte e que tem um papel crucial na análise da situação de umaentidade, seja ela de qualquer porte ou segmento. Partindo desse pressuposto, observamos que ambas as empresas estão emum patamar de continuidade relativamente parecido e igualitário, e representam umaparcela semelhante nos diversos itens a ser analisados, como: receita de vendas,percentuais de custo dos produtos, lucro liquido, além de outros pontos em comumsintonia, o que nos permite afirmar que apesar de estarem em atuação no mesmosegmento e local de atuação, conseguem manter seqüência, responsável pelo fluxo
  41. 41. 40de permanência mercadológica, sujeitos a suportar a concorrência entre elas, edentre várias outras atuantes na região. A análise do balanço patrimonial da empresa 01 (Alfa), nos permite inferir queapesar de ter uma grande quantia em valores a receber, é superado pelo grandevolume em valores no seu estoque, além de não serem tão elevados as despesascom fornecedores e com outras obrigações contidas no passivo circulante. O aumento considerável do patrimônio da empresa, vista a diferençapercebida no atual patrimônio, expresso no patrimônio liquido, na parte das reservas,em relação ao capital social inicial subscrito pelos sócios, mostra a evolução daempresa desde a sua criação. A DRE da empresa mostra que obteve um lucro relativamente baixo, e quepode ser melhorado, e apesar desta, ter um lucro liquido relativamente maior do queo da empresa 02 (Beta), haja vista as proporções entre vendas totais e o lucroliquido apurado ao final, já deduzidos os impostos e as demais deduções. Na empresa 02(Beta), o balanço patrimonial demonstra semelhança com asituação e continuidade observada e retro caracterizada, descrito na análise daempresa 01(Alfa), porém apresenta uma situação um pouco melhor, no que dizrespeito a contas a receber, e um estoque maior, mesmo tendo um passivocirculante, que expressa as obrigações iminentes, com valores aproximados aos daempresa 01 (Alfa), o capital social inicial também mostra uma diferença abissal emrelação ao patrimônio atual, como se observa no patrimônio liquido da empresa, queobteve um crescimento bastante considerável em valores. Observamos na análise da DRE da empresa 02 (Beta), que obteve um lucrosemelhante ao da empresa01(Alfa), mesmo tendo uma receita de vendas maior, e oque se pode registrar e tornou-se perceptível, é que essa diferença se deva em suamaior parte as despesas gerais e administrativas, que apresentou uma discrepânciamaior dentre as duas, pois os percentuais de impostos e de custo dos produtos,mantêm-se bastante parecidos, expressando a homogeneidade do setor. As explanações pertinentes e que se fazem necessárias ao enfoque dotrabalho, para que se compram os anseios do que é aqui pretendido, como forma depermear em meio ao estudo as reais carências e necessidades do setor, expressasatravés das possíveis deficiências encontradas na realização do estudo em relaçãoa aplicabilidade da contabilidade gerencial, nos permitem dizer que os custos dosprodutos, parecem ser os maiores responsáveis pelos entraves encontrados na

×