SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 59
1


        UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA
     DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO – CAMPUS VII
      CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA
            REDE UNEB 2000 DE ITIÚBA




        JOSENILCE LIMA SILVA DE OLIVEIRA
         JOSINEIDE LIMA DA SILVA SANTOS
            JUSTINA OLIVEIRA DA SILVA
     ROSINEIDE BATISTA CARDOSO DE CARVALHO




  ANÁLISE DO IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL DO LIXO
DESCARTADO NO POVOADO DE RÔMULO CAMPOS, ITIÚBA,
                     BAHIA




                     ITIÚBA
                      2012
2

            JOSENILCE LIMA SILVA DE OLIVEIRA
            JOSINEIDE LIMA DA SILVA SANTOS
               JUSTINA OLIVEIRA DA SILVA
        ROSINEIDE BATISTA CARDOSO DE CARVALHO




ANÁLISE DO IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL DO LIXO DESCARTADO
     NO POVOADO DE RÔMULO CAMPOS, ITIÚBA, BAHIA.




                     Monografia apresentada ao Departamento de
                     Educação da Universidade do Estado da Bahia
                     (UNEB) - CAMPUS VII, como parte dos
                     requisitos para conclusão do Curso de
                     Licenciatura em Pedagogia.




                            Prof. Dr. Álvaro Müller da Fonseca
                                             Orientador




                         ITIÚBA
                          2012
3

                      JOSENILCE LIMA SILVA DE OLIVEIRA
                       JOSINEIDE LIMA DA SILVA SANTOS
                           JUSTINA OLIVEIRA DA SILVA
                ROSINEIDE BATISTA CARDOSO DE CARVALHO




   ANÁLISE DO IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL DO LIXO DESCARTADO
            NO POVOADO DE RÔMULO CAMPOS, ITIÚBA, BAHIA




Aprovada em____de__________________de 2012.


BANCA EXAMINADORA


_______________________________________________________________
Prof. Dr. Álvaro Müller da Fonseca – Universidade do Estado da Bahia–UNEB
                                        Orientador


_______________________________________________________________
Prof. .............................................– Universidade do Estado da Bahia–UNEB
                                       Examinador


_______________________________________________________________
Prof. .............................................– Universidade do Estado da Bahia–UNEB
                                       Examinador
4


                              Agradecimentos


A Deus, mestre por Excelência, por nos iluminar em todos os momentos do
nosso viver e manter em nós, através de suas obras, a esperança e a certeza
da concretização deste trabalho. Aos nossos cônjuges, filhos e pais, por mais
esta conquista, Deus os abençoem.
5


Dedicatória




  Aos professores do Curso de Pedagogia, pela
  orientação, disponibilidade e companhia nas
  discussões que nos permitiram chegar a
  algumas considerações acerca deste trabalho.
  Aos nossos filhos dedicamos este trabalho
  porque marcaram suas presenças durante toda
  essa jornada, ajudando-nos e incentivando a
  não desistirmos, o que nos fez termos vontade
  de seguirmos e sermos cada dia melhores. Ao
  nosso orientador professor Dr. Álvaro Müller da
  Fonseca,    que   com   paciência,   graça   e
  sabedoria ajudou-nos a concluir mais uma
  importante etapa das nossas vidas.
6


                                    RESUMO

A atual situação de degradação do meio ambiente no mundo e, em particular no Brasil,
revela a importância da conscientização da sociedade a fim de contribuir para a
preservação dos recursos naturais. Este trabalho tem como finalidade abrir uma
discussão sobre o tema: Análise do impacto social e ambiental do lixo descartado no
povoado de Rômulo Campos, Itiúba, Bahia. A presente pesquisa aborda a
problemática do lixo e tem por objetivo analisar seu impacto social e ambiental no
citado povoado, investigando as compreensões da comunidade a respeito do lixo.
Assim, tentando sensibilizar as pessoas com relação à importância da coleta do
mesmo, seu tratamento, sua destinação e descarte. Desse modo a relevância desse
estudo está embasada no fato de trazer para a discussão a problemática do lixo no
povoado de Rômulo Campos e por levantar dados sobre essa realidade. Na
Fundamentação Teórica, utilizou-se de pesquisas anteriores para dar sustentação a
problemática apresentada. A Metodologia utilizada foi a qualitativa e teve como
instrumentos de pesquisa, entrevistas e observações do local (pesquisa de Campo).
Como resultados principais da pesquisa, constatou-se a falta de educação ambiental e
o descaso para com o lixo produzido pela a população. Podemos observar também
que há a necessidade de desenvolver projetos visando a reflexão, a sensibilização dos
moradores do citado povoado com relação ao meio ambiente, pois a maioria das
pessoas entrevistadas tem consciência dos problemas que o descaso com o lixo pode
causar à população, mas não tem buscado desenvolver ações a fim de preservar o
meio ambiente. Deste modo, esperamos que a população possa compreender a
importância da Educação Ambiental como um processo de construção de valores
sociais, de conhecimentos e atitudes voltadas para a conservação do meio ambiente.



PALAVRAS-CHAVE: Lixo, Meio ambiente, Impacto ambiental, Desperdício, Educação
Ambiental.
7


                                ABSTRACT


The current situation of environmental degradation in the world and particularly in
Brazil shows the importance of awareness of society to contribute to the
preservation of natural resources. This work aims to open a discussion on the topic:
Analysis of social and environmental impact of waste disposed off in the town of
Rômulo Campos, Itiúba, Bahia. These researches approach the problem of waste
and analyze their social and environmental impact in that town, investigating the
understandings of the community about the garbage. Thus, trying to raise
awareness about the importance of collecting the garbage, its treatment, its
destination and disposal. Thus the relevance of this study is based on the fact of
evoking the discussion concerning to the problem of garbage in the town of Rômulo
Campos and collect data about this reality. In Theoretical Foundation, we had used
previous research to sustain the issues presented. The methodology used was
qualitative and had used as research tools, interviews and observations of the local
(field research). As main results of this research, we had observed the lack of
environmental education and the neglect of the waste produced by the population.
We also noted that there is a need to develop projects focused at reflection,
awareness of the residents of that town with respect to the environment, because
most of the people interviewed are aware of the problems that the neglect of the
trash can cause the population, but not has sought to develop actions in order to
preserve the environment. Thus, we expect that the population understand the
importance of environmental education as a process of social construction of
values, knowledge and attitudes towards the conservation of the environment.



KEYWORDS: Garbage, Waste Environment, Environmental impact, Environmental
Education
8


                                   LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido...................................................46
Entrevista com a Secretária de Educação.........................................................47
Entrevista com Secretário de Serviços Públicos...............................................48
Entrevista com o Secretário de Saúde..............................................................49
Entrevista com a Coordenadora Pedagógica....................................................50
Entrevista com Comerciantes locais..................................................................51
Entrevista com moradores.................................................................................52
Entrevista com a presidente da Associação Lar Santa Maria...........................53
Carta à Coordenadora de Ensino do Município.................................................54
Carta à Secretária de Educação do Município..................................................55


FOTOGRAFIAS:
1- Lixo espalhado nas ruas do povoado de Rômulo Campos...........................56
2- Lixo depositado em frente às residências em rua do povoado de Rômulo
Campos..............................................................................................................56
3- Urubus se alimentando do lixo em rua do povoado de Rômulo
Campos..............................................................................................................57
4- Observação no lixão do povoado de Rômulo Campos.................................57
5- Presença de animais domésticos no lixão do povoado de Rômulo
Campos..............................................................................................................58
6-Lixo sendo queimado no quintal de residências no povoado de Rômulo
Campos..............................................................................................................58
9


                                                    SUMÁRIO


Agradecimentos.................................................................................................03
Dedicatória.........................................................................................................04
Resumo..............................................................................................................05


Capítulo I:
1.0 Introdução....................................................................................................09
1.1 Apresentação...............................................................................................09
1.2 Problemática................................................................................................10


Capítulo II:
2.0 Fundamentação Teórica..............................................................................15


Capítulo III:
3.0 Metodologia.................................................................................................21
3.1 Paradigmas da pesquisa.............................................................................21
3.2 Localização e caracterização de Rômulo Campos......................................23
3.3 Sujeitos da pesquisa....................................................................................25


Capítulo IV:
4.0 Resultados...................................................................................................27

4.1 Percepções populares sobre o lixo descartado no povoado de Rômulo
Campos..............................................................................................................27
4.2 Entrevistas com garis..................................................................................33
 4.3. Entrevistas com funcionárias do PSF (Posto de Saúde da Família) de
Rômulo Campos................................................................................................33
4.4 Entrevistas com Secretários municipais de Itiúba......................................34
4.5 Entrevista com a Coordenadora de Atenção Básica..................................35


Considerações Finais........................................................................................38
Referências........................................................................................................42
Apêndices..........................................................................................................45
10


1.0 INTRODUÇÃO


          Neste capítulo faremos a apresentação do nosso trabalho e iremos
expor a problemática da presente pesquisa.



   1.1 APRESENTAÇÃO


       Este estudo tem como tema a Análise do Impacto Social e Ambiental do
Lixo Descartado no Povoado de Rômulo Campos, Itiúba, Bahia. Nosso objetivo
é investigar as compreensões da comunidade a respeito do lixo, tentando
sensibilizar as pessoas com relação à importância da coleta do mesmo, seu
tratamento, sua destinação e seu descarte de forma apropriada. O presente
trabalho foi organizado em quatro capítulos. No primeiro capítulo foi feito a
Introdução e apresentado como surgiu nosso problema de pesquisa, as
motivações que nos levaram a estudar o tema, os objetivos e a justificativa.
              No segundo capítulo foi abordado a Fundamentação Teórica,
apresentamos aportes teóricos que darão embasamento aos conceitos-chaves
do nosso estudo: Lixo, Meio Ambiente e Impacto Ambiental. Abordaremos o
problema do lixo, do ponto de vista dos PCNs (1998). Em relação ao meio
ambiente e impacto ambiental, orientamo-nos por Moura (2002), Fernandez
(2004), Beline (2009), Branco (1997), Portal Lixo (2011), Carvalho (2004), Felix
(2007), entre outros.
           No terceiro capítulo foi apresentado a Metodologia e os caminhos
percorridos para chegarmos ao esclarecimento do problema de pesquisa,
apresentamos a direção de nosso estudo acerca da metodologia, com enfoque
qualitativo. A coleta de dados foi realizada com base em entrevistas realizadas
com autoridades do município e integrantes da comunidade local.
         No quarto capítulo serão apresentados os Resultados, as análises e
discussões das informações obtidas a partir das entrevistas realizadas no mês
de novembro de 2011.
           Por fim nas Considerações finais, faremos algumas reflexões dos
principais resultados obtidos através da pesquisa. Ressaltamos que o presente
estudo não põe fim à problemática aqui abordada, no entanto, cada reflexão
11

apresentada tem o objetivo de oferecer subsídios a fim de buscar alternativas
para resolver os problemas do impacto ambiental do lixo descartado no
Povoado de Rômulo Campos, Itiúba, Bahia.
             A Educação Ambiental transformadora utiliza-se do princípio de
incerteza racional (Morin, 2002, p.26), ou seja, de uma racionalidade que
estabelece o diálogo entre a ideia e o real objetivo, sendo teórica, prática,
crítica à realidade vivida e ao próprio movimento que é parte dessa mesma
realidade. É possível observarmos que determinados impactos ambientais
estão se acirrando, motivados entre outras coisas pelo crescimento
populacional.
       O lixo é uma palavra latina (lixe que significa cinza, vinculada às cinzas
dos fogões). Segundo Ferreira (1999), lixo é “aquilo que se varre da casa, do
jardim, da rua e se joga fora, entulho. Tudo que não presta e se joga fora.
Sujidade, sujeira, imundície. Coisa ou coisas inúteis, velhas, sem valor”.
Portanto por ser considerado sem valor o homem não se conscientizou o
quanto o lixo é prejudicial para ele e para o meio ambiente. Assim o lixo é pela
maioria como algo sem utilidade, uma sobra de material descartável, aquilo que
as pessoas desejavam jogar fora.
        Seria necessário educar a população, pedir que não jogue sujeira nas
ruas, pelas janelas de carros, depois de consumir um produto, pedir para as
donas de casa só jogar o lixo no momento em que o carro estiver fazendo a
coleta, assim, dar o destino apropriado para o lixo.



1.2 PROBLEMÁTICA

        A produção do lixo vem aumentando assustadoramente na sociedade
atual devido ao crescimento de áreas urbanas, contribuindo significativamente
para os impactos ambientais. Para Fernandez (2004), as alterações ocorrem
por inúmeras causas. Quanto mais aumenta o consumo do ser humano, mais
aumenta a quantidade de lixo no ambiente, isso leva a devastação da natureza
prejudicando a sociedade, se não souber como fazer com a quantidade de lixo
existente.
12

         Segundo Beline (2009), se sabe muito bem como produzir o lixo, no
entanto não estão sabendo o que fazer com ele. Ainda de acordo com a
mesma autora, quem mais gera problemas é o lixo doméstico, principalmente
nas cidades, a não ser que seja dividido em duas categorias: os orgânicos
(restos de comidas) que se decompõem com mais facilidade e os inorgânicos
(plástico, vidros, papel, latas, etc.) que demora muito mais tempo para se
decompor se jogado diretamente na natureza. Alguns produtos de consumo
são extremamente contaminadores quando se transformam em lixo (pilhas,
baterias de celulares, lâmpadas de mercúrio, restos de tintas, produtos de
limpeza, etc.). Existem pessoas que mesmo sabendo de todos os prejuízos que
o descaso pode trazer para a população, não se preocupam em reduzir a
produção do lixo em suas residências. Pessoas essas que deveriam saber que
existem formas de redução desse lixo, reciclando alguns materiais, evitando
jogá-lo em lugares indevidos prejudicando o meio ambiente.
              A educação ambiental contribui de forma significativa para a
responsabilidade e dignidade do ser humano (BRANCO, 1997), pois através
dela as pessoas passam a ver o mundo em que vivem de modo em que se
evidenciam as alterações e as interdependências dos diversos elementos na
constituição e manutenção da vida. À medida que a humanidade aumenta sua
capacidade de intervir no meio ambiente para satisfação de suas necessidades
e desejos, surgem tensões e conflitos quanto ao uso do espaço e dos recursos
naturais disponíveis para a degradação do meio ambiente onde se insere o
homem. A questão ambiental vem sendo discutida cada vez mais, devido às
grandes consequências sofridas pelo meio ambiente com o aumento do lixo
produzido pelo ser humano. Esse aumento na produção do lixo evidencia a
necessidade de um trabalho bem desenvolvido vinculado aos princípios do ser
humano, a participação, a responsabilidade e solidariedade. A falta de coleta
correta e o local apropriado para o armazenamento final do lixo têm contribuído
para o aumento do impacto ambiental causado pelo mesmo (BRANCO, 1997).
Percebe-se que o lixo não coletado causa danos ao meio ambiente, por ele em
decomposição liberar CO2, gás prejudicial para a vida do ser humano e
também contribuir para o aquecimento global, tema que vem assustando toda a
população.
13

        O lixo está diretamente ligado à realidade, gerando conflitos induzidos
pelo avanço das tecnologias e consumo desordenado do ser humano. Segundo
o Portal Lixo (2011), cada um de nós, produz mais ou menos 500 g de lixo
todos os dias. Assim, de acordo com o que diz o Portal do Lixo, percebe-se que
no povoado Rômulo Campos é coletado por dia cerca de dois mil quilos de lixo
e jogado a céu aberto no local denominado lixão. À medida que aumenta a
população, aumenta também a produção do lixo e com isso surge à
necessidade e o desejo crescente de desenvolver atitudes pra amenizar esse
problema. Tendo interdependência dos seres humanos e natureza, a educação
contribui necessariamente para a responsabilidade e dignidade do ser humano
(PORTAL LIXO, 2011).
       Por ter a problemática do lixo se tornado um assunto bastante discutido
nos últimos tempos, surge à necessidade de discutir essa temática nesse
trabalho e foi pensando no descarte do lixo diretamente no meio ambiente, que
o tema foi escolhido para produzir esta monografia. Procurou-se pesquisar a
questão do lixo no povoado Rômulo Campos no município de Itiúba, Bahia,
analisando os enfoques ecológicos sociais, buscando compreender os
impactos ambientais e as compreensões da população e poder público.
Observa-se a diferença entre o descarte do lixo anos atrás e atualmente. Antes
o lixo era colocado nos quintais das casas e posteriormente queimado, hoje
devido o aumento da população e as diversas composições do lixo, esse
procedimento tem sido alterado. Anos atrás, o lixo em sua maioria era
orgânico, hoje o inorgânico tem crescido bastante em quantidade. Associado a
essas mudanças, o crescimento desordenado do lixo vem causando impactos
ambientais muito sérios às localidades que não dispõem de locais apropriados
para a sua destinação final. Tais impactos têm causado desequilíbrios
consideráveis ao meio ambiente. Essa realidade gera preocupação para a
população, fazendo-se necessário o descarte do lixo em local apropriado, pois
o descarte de forma inadequada pode trazer consequências desagradáveis
para a população.
      A execução desse trabalho monográfico justifica-se e legitima-se a partir
do momento em que busca analisar a problemática do descarte de lixo do
povoado   Rômulo    Campos,     levantando   dados    sobre   essa   realidade,
investigando as compreensões das pessoas diretamente relacionadas às
14

formas de descarte do lixo em lixões a céu aberto na referida localidade. O lixo
é um assunto preocupante diante da situação atual que o meio ambiente vem
enfrentando com o acúmulo do mesmo. Assim, a importância desse trabalho,
consiste em levantar informações referentes à coleta e armazenamento do lixo
em Rômulo Campos. Segundo Carvalho (2004, p.81):


                     A educação para conservação certamente sempre foi parte da
                     educação familiar ou comunitária nos meios onde os recursos são
                     escassos. Entre outras ela se desenvolve em situações diversas e ao
                     constatar os primeiros sinais de esgotamento dos recursos naturais.



      Percebe-se que é correto considerar a educação como base e não como
fim do desenvolvimento cognitivo do ser humano e que tipo de educação deve
ser realizada. Portanto o processo educativo não hierarquiza o saber científico
e o conhecimento popular e étnico, não separa razão e subjetividade, não
quantifica o conhecimento aprendido, não separa arte da ciência. Permite
avanços, recuos e paradas, já que considera o pessoal, em intransferível de
cada um, independentemente de seu papel social. Na busca de alternativas é
que a educação tem se baseado para fazer frente e possibilitar algumas
respostas aos inúmeros problemas ambientais de extrema complexidade.
      A preferência pelo presente tema surgiu das nossas experiências
profissionais enquanto professoras do ensino fundamental e também alunas do
Curso de Licenciatura em Pedagogia do Programa Rede UNEB 2000 de Itiúba,
ministrado pelo Departamento de Educação/Campus VII da Universidade do
Estado da Bahia – UNEB. Durante todo o percurso acadêmico podemos
participar de seminários, oficinas e palestras sobre diversos assuntos na área
da educação, inclusive em relação à educação ambiental. A partir dessas
reflexões realizadas durante os estudos da graduação, resolvemos realizar um
estudo mais aprimorado no intento de conhecer melhor a problemática do lixo
no povoado de Rômulo Campos.
       A partir destas reflexões, podemos então resumir o problema do nosso
estudo por meio da seguinte questão norteadora:
      • Quais as compreensões das autoridades e comunidade local a respeito
do impacto ambiental produzido pelo lixo no povoado de Rômulo Campos no
município de Itiúba, Bahia?
15

             Após a definição da pergunta de pesquisa, torna-se necessário
determinarmos os nossos objetivos de estudo para a realização desse
Trabalho monográfico de Conclusão de Curso.


Objetivo Geral:


- Analisar o impacto social e ambiental do lixo produzido no povoado de
Rômulo Campos, investigando as compreensões da comunidade a respeito do
lixo, tentando sensibilizar as pessoas com relação à importância da coleta do
lixo, seu tratamento, sua destinação e descarte.


Objetivos Específicos:


- Analisar quais as compreensões das pessoas sobre as condições ambientais
e como suas alterações podem afetar o cotidiano;
- discutir as opiniões da comunidade sobre a educação ambiental;
- coletar dados sobre o impacto ambiental causado pelo lixo;
- analisar os efeitos causados sobre a comunidade e o meio ambiente;
- questionar a comunidade sobre ações desenvolvidas sobre o lixo;
- levantar dados sobre os principais locais e as formas de descarte do lixo no
povoado de Rômulo Campos;
- avaliar sobre o ponto de vista dos entrevistados a percepção ambiental
quanto à destinação do lixo;
- levantar dados sobre o grau de satisfação da população em geral quanto à
coleta e a disposição final do lixo no povoado;
- investigar sobre as rotinas e formas de coleta do lixo;
- levar a comunidade a refletir sobre a necessidade de mudanças de postura
com relação ao lixo.
16


2.0 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA


           Considerando que a imensa produção do lixo ocupa um lugar de
destaque entre maiores problemas ambientais da atualidade, agravado pela
febre de produtos descartáveis que invadiu o mundo nos últimos anos,
considera-se esta temática como essencial a ser abordada.


                     Vivemos atualmente em uma sociedade consumista, na qual a febre
                     dos descartáveis trouxe “facilidades” para a nossa vida, e ao mesmo
                     tempo aumentou mais e mais o volume de lixo produzido. Não houve
                     uma avaliação prévia das consequências desse aumento exagerado
                     de lixo descartado no ambiente. Agora o ambiente sofre com os
                     resultados: os aterros sanitários tiveram sua vida útil diminuída
                     drasticamente, lixões se multiplicam, muitas vezes próximos a
                     regiões de nascentes, ou próximos a centros urbanos (SANTOS,
                     2008, p.11).


      Atualmente, as questões ambientais vêm sendo discutidas em virtude da
necessidade de mudanças em relação à degradação do ambiente. A educação,
nesse sentido, deve ser encarada como elemento para a transformação da
sociedade, viabilizando o desenvolvimento de uma nova ética, diferente
daquela norteadora de uma sociedade de consumo. A Educação Ambiental
deve ser trabalhada de forma integrada, contínua e permanente em todos os
níveis e modalidades de ensino, como previsto nos Parâmetros Curriculares
Nacionais (PCNs), os quais foram organizados com o objetivo de servir como
subsídios para a prática pedagógica dos professores nas escolas (FELIX,
2007). Em março de 1965, durante a conferência em Educação na
Universidade de Keele, Grã-Bretanha, surgiu o termo Environmental Education
(Educação Ambiental). Na ocasião, foi aceito que a Educação Ambiental
deveria se tornar uma parte essencial da educação de todos os cidadãos e
seria vista como sendo essencialmente conservação ou ecologia aplicada.
Nesse mesmo ano Albert Schweitzer ganharia o prêmio Nobel da Paz, em
reconhecimento ao seu trabalho de popularização da ética ambiental.
       A atual situação do meio ambiente no mundo e, em particular no Brasil,
revela a importância de efetivar o papel da escola como instituição responsável
pela formação integral dos cidadãos, por meio de uma educação que responda
precisamente a realidade, e que dê uma resposta adequada a seus problemas
17

(DÍAZ, 2002). Assim, o ambiente escolar como lugar de construção de
conhecimento e formação cidadã torna-se fundamental para propagar ideias e
promover uma conscientização na população em relação aos problemas
ambientais e a preservação dos recursos naturais. Segundo Uhmaann e
Maldaner (2006 apud SANTOS, 2008, p.13), “educação é de extrema
importância para desenvolver nos cidadãos atitudes que contribuam para
minimizar a produção e o acúmulo de lixo jogado no meio ambiente”. Percebe-
se que através da educação ambiental os moradores do povoado Rômulo
Campos podem fazer uma coleta seletiva do lixo de forma correta, utilizando
vasilhas fechadas para depositar o lixo doméstico e também o lixo retirado de
estabelecimentos comerciais.
       Certas atitudes precisam ser trabalhadas pela escola em parceria com a
comunidade a fim de tentar modificar as atuais concepções apresentadas pela
maioria dos seres humanos que vêem o meio ambiente, apenas como um lugar
comum em que o homem poderá retirar cada vez mais recursos de modo
indiscriminado. De acordo com Effting (2007, p.08), atualmente “a interação
entre os homens e o ambiente ultrapassou a questão da simples sobrevivência.
No decorrer deste século, para se atender as necessidades humanas foi se
desenhando uma equação desbalanceada: retirar, consumir e descartar”. A
relação do homem com o ambiente tem evoluído de forma descontrolada nos
últimos tempos, principalmente na destinação incorreta dos resíduos gerados
pela população, o que tem acentuado o processo de degradação do meio
ambiente (PCN, 1998). Essa relação de desequilíbrio mostra-se evidente em
todas as regiões, quer seja rural ou urbana.
          De nada adianta ficar falando de efeito estufa, camada de ozônio,
matança das baleias, destruição da Amazônia, entre outros assuntos, se não
nos voltarmos para a realidade local e esta não for considerada. Aí sim, está a
chance imediata de fazer valer os direitos da cidadania em busca de uma vida
melhor, isto é, se o meio ambiente estiver limpo e preservado.
       Um dos principais problemas ambientais que preocupam a sociedade é
a grande quantidade de lixo produzido pela humanidade. Hoje, quando a
sociedade se preocupa em definir a prática da coleta seletiva do lixo com vistas
à reciclagem, essa técnica aparece para muitos como uma conquista recente
da ciência e da tecnologia. Porém, como sabemos o conhecimento técnico e
18

científico não parte nunca do zero. Ele é histórico, significa que o mesmo é
acumulativo. A problemática do lixo sempre acompanhou a história do ser
humano. Durante a Idade Média, o lixo acumulava-se pelas ruas e imediações
das cidades, gerando diversas epidemias e causando a morte de milhares de
pessoas, o que podemos comprovar através de Branco (1983 apud FADINI;
FADINI, 2001, p.09), quando este coloca que:


                     O lixo sempre esteve presente no contexto social humano, e o
                     homem enfrenta problemas relacionados ao acúmulo de lixo há
                     muito tempo. Na idade média, o acúmulo de lixo em ruas e nas
                     proximidades das cidades provocou várias epidemias, causando a
                     morte de milhões de pessoas.


         O lixo é uma questão ligada à história da humanidade, quanto mais
evoluímos mais lixo produzimos e por ser um problema muito antigo, hoje, faz-
se necessário cuidados especiais a respeito da coleta seletiva do mesmo, já
que vivemos em uma sociedade letrada e sabemos como o mesmo vem
causando grandes e graves problemas a todo indivíduo que faz parte do meio
ambiente. Atualmente, a quantidade de lixo produzido aumenta, sobretudo nos
grandes centros urbanos, o que tem trazido sérias preocupações para os
ambientalistas e as autoridades governamentais tendo em vista que “(...) o lixo
é produzido diariamente e levado da frente das casas sem as pessoas terem a
mínima preocupação de saber qual o seu destino” (EFFTING, 2007, p.02).
       Muito do lixo recolhido, vai parar no lixão que se constitui em uma mera
disposição do lixo a céu aberto, sem nenhum critério sanitário de proteção ao
ambiente, o que possibilita o pleno acesso de vetores de doenças como
moscas, mosquitos, baratas, ratos e outros animais a esses locais. O lixo é
uma questão a ser abordada de forma completa, procurando contemplar os
diversos aspectos de natureza econômica, política, social e ambiental, pois
segundo Gonçalves (2003, p.92), “na medida em que as ações relativas a lixo e
gerenciamento   de   resíduos   não    contemplam     as   questões sociais e
sociológicas, num esforço conjugado de secretarias e ministérios, os seres
humanos são, e continuarão a ser, excluídos e marginalizados”. A abordagem
sobre a problemática do lixo nos municípios brasileiros deve ser constituída
pelas investigações acerca dos resultados, das intervenções humanas na
circulação e transformação dos materiais no ambiente, tendo em vista a
19

construção de conhecimentos básicos que fundamentam o valor e a sua
preservação. Partindo desse pressuposto, percebe-se que a situação atual do
nosso local de pesquisa não é diferente da realidade observada em outras
localidades. Rômulo Campos é hoje, um dos maiores povoados do município
de Itiúba e está em constante crescimento. Com esse crescimento, aumenta
também o consumo de diversos produtos por parte da população, gerando
maior quantidade de lixo, tanto orgânico, quanto inorgânico, geralmente
causando poluição e impactos ambientais diversos.


                       O lixo começa a incomodar, principalmente devido aos problemas de
                       saúde pública que seu descarte indevido já traz para os grandes
                       centros urbanos; o acúmulo de lixo nas ruas causa entupimentos em
                       bueiros; o que aumenta a possibilidade de enchentes em períodos
                       chuvosos (SANTOS, 2008, p.11-12).



        Os problemas provocados em decorrência da grande produção de lixo
têm causado sérios danos ao meio ambiente e a saúde das pessoas. Segundo
Moura (2002, p. 24):


                       A percepção de que a degradação ambiental já estava passando a
                       causar graves problemas de saúde ficou evidenciada por ser as
                       principais constatações cientificas relacionando um determinado tipo
                       de poluição causada pelo lixo e perdas de vidas humanas.


          À medida que cresce a população, crescem também os problemas
ambientais e a necessidade de desenvolver atitudes boas para com o ambiente
é cada vez maior, sendo o descarte do lixo um dos principais problemas. De
acordo com Branco (1997), quanto maior o aglomerado humano maiores são
os problemas para a manutenção da higiene do ambiente.
        Segundo os PCNs (1998), a coleta de lixo e a preservação ambiental
são medidas de caráter preventivos fundamentais para a manutenção da
saúde. Uma das etapas mais onerosas do tratamento do lixo que visam sua
reutilização é a separação adequada dos descartes. Basicamente, devem-se
separar os materiais orgânicos dos inorgânicos. Uma primeira classificação
pode perfeitamente ser realizada pela população, por meio da coleta seletiva.
Colocar esse tipo de ação em prática depende basicamente de vontade política
para conscientizar e informar a população sobre os objetivos a alcançar,
20

despertando sua vontade de colaborar.


                      A solução para tal questão não depende apenas de atitudes
                      governamentais ou decisões de empresas; deve ser fruto também do
                      empenho de cada cidadão, que tem o poder de recusar produtos
                      potencialmente impactantes, participar de organizações não
                      governamentais ou simplesmente segregar resíduos dentro de casa,
                      facilitando assim processos de reciclagem (FADINI; FADINI, 2001,
                      p.9).


       Com a sensibilização para com o meio ambiente, cresce o processo de
reciclagem e consequentemente a redução da quantidade de lixo despejados
em aterros sanitários e lixões a céu aberto. A reciclagem é considerada a mais
adequada, por razões ecológicas e também econômicas: diminui os acúmulos
de detritos na natureza e a reutilização dos materiais poupa, em certa medida,
os recursos naturais não renováveis. A reciclagem é um dos meios utilizados
para a diminuição da quantidade do lixo descartado no meio ambiente. Para
que o processo de reciclagem tenha sucesso é necessário que seja feita a
coleta seletiva, e de acordo com Grippi e Nonato (2006), a educação ambiental
é fundamental para o sucesso de qualquer programa de coleta seletiva, pois é
importante esclarecer ao cidadão o seu papel como gerador de lixo, e a
educação ambiental pode atingir todas as classes sociais em diferentes
segmentos, escolas, repartições públicas, residências, escritórios, fábricas,
lojas, ou nos demais locais geradores de lixo.
       Para Grippi e Nonato (2006), nos últimos 30 anos mudou muito o tipo de
lixo. O crescimento acelerado das cidades e ao mesmo tempo as mudanças de
consumo das pessoas, trouxeram fatores que vem gerando um lixo muito
diferente daqueles que as cidades brasileiras produziam há cinquenta anos.
Tais situações variam de município para município, frente aos recursos
humanos existentes e disponibilizados em cada administração pública,
tornando cada vez mais baixa a eficiência das prefeituras brasileiras que
operam com verdadeiros e vergonhosos lixões a céu aberto, assim, faltando
recursos e tecnologias para investimento em aterros sanitários oficiais e
licenciados pelos órgãos ambientais.
           De algumas décadas passadas até hoje, criou-se no planeta uma
consciência ecológica muito grande que tomou conta de muitos países,
particularmente aqueles mais avançados tecnologicamente. “Pois, é assim que
21

surge a ideia do reciclar e diante dessas tecnologias torna-se mais acessível o
material reutilizável e com isso a necessidade das cidades brasileiras
desenvolverem projetos de educação ambiental” (GRIPPI; NONATO, 2006).
         O crescimento da produção de lixo está em crescimento constante,
principalmente nas áreas urbanas causando impactos ambientais negativos
devido ao descarte do lixo de forma inadequada de resíduos em locais que
possam prejudicar reservatórios de água, pastagens e até ruas, podendo
provocar contaminação do solo e da água, causando vários tipos de doenças.
Para muitos, o lixo é algo que não tem mais serventia, que deve ser jogado
fora, não se preocupando com a sujeira, o mau cheiro e a poluição ambiental
que o mesmo pode causar. Diante do que é observado, nem sempre ocorre
como Grippi e Nonato (2006), coloca, pois em alguns lugares o lixo atual é
diferente em quantidade, qualidade, volume e em composição, mas não há
formas de reutilização e as pessoas não se habituaram ao modelo atual da
coleta seletiva e os problemas do lixo vêm incomodando hoje da mesma
maneira que incomodava no passado, causando impactos ao solo, à água e ao
ar, pois vetores e hospedeiros animais não são os únicos agentes de
transmissão de doenças ao homem, mas também o próprio ambiente insalubre
com o qual o homem convive.
       O lixo cada vez mais perto das residências vem causando desconforto à
população urbana que vive em bairros ou ruas mais distantes do centro. A
produção do lixo vem aumentando cada vez mais em nossa cidade e a
população de Rômulo Campos precisa de políticas públicas que venha resolver
esse problema. Ainda para Grippi e Nonato (2006, p.68), o lixo é um problema
crônico em nossa sociedade, o qual atormenta, reduz a qualidade de vida das
pessoas e gera impactos ao meio ambiente. O que foi criado pelo homem para
ser lixo não foi pensado no meio ambiente como receptor desses produtos, por
isso essa quantidade desordenada de lixo no Brasil e em nosso município sem
propostas de descarte sustentável.
22


3.0 METODOLOGIA

3.1. Paradigmas da pesquisa


           A preocupação em investigar o impacto social e ambiental que o
descarte do lixo produzido no povoado Rômulo Campos, pode causar ao meio
ambiente nos faz refletir e analisar as consequências do mesmo. O povoado de
Rômulo Campos está localizado no semiárido baiano e pertence ao município
de Itiúba, situado na região norte do Estado da Bahia a 380 km da capital
Salvador. O referido povoado apresenta sério problema relacionado ao lixo,
devido o crescimento populacional na localidade.
          Para o Manual de Gerenciamento Integrado (IPT/CEMPRE, 1995),
gerenciar lixo é adotar um conjunto articulado de ações normativas,
operacionais, financeiras e de planejamento, com base em critérios sanitários,
ambientais e econômicos para coletar, e dispor resíduos sólidos urbanos do
município. Assim, a execução de ações planejadas, de forma racional e
integrada, leva ao gerenciamento adequado do lixo, assegurando saúde, bem
estar e economia de recursos públicos, além de ir ao encontro de um desejo
maior que é a melhoria da qualidade de vida das gerações atuais e futuras.
           A metodologia desenvolvida para a realização desse estudo visa
analisar as formas de coletas de lixo produzido no povoado, refletindo sobre o
conhecimento da comunidade a respeito do impacto ambiental provocado por
esses resíduos. Esta pesquisa teve seu enfoque metodológico na combinação
de técnicas qualitativas e quantitativas. Para a efetivação da mesma, nos
sustentamos na abordagem qualitativa, por acreditar que é o caminho ideal
para compreender o significado e a intencionalidade das falas, percepções,
vivências, necessidades e atitudes dos sujeitos pesquisados.
          A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas com cem
moradores do citado povoado. Nosso propósito era entrevistarmos um número
maior de pessoas, mas infelizmente muitos demonstraram desinteresse em
participar da pesquisa. Os entrevistados foram escolhidos aleatoriamente nas
ruas por onde passávamos, citando as ruas Olavo Bilac, Duque de Caxias,
Praça Hilda Sampaio de Mendonça, Praça da Matriz, Avenida São Pedro,
Avenida Tiradentes entre outras. A realização do trabalho de campo teve como
23

critério de escolha a disponibilidade e boa vontade das pessoas em participar
do trabalho monográfico. O que nos levou a realizar entrevistas nas ruas
citadas foram as observações feitas pelo grupo durante o trabalho de campo.
            Entretanto, as entrevistas foram analisadas e interpretadas após as
transcrições das falas, onde procuramos através dos questionamentos, verificar
quais as concepções dos sujeitos participantes deste estudo em relação ao
impacto ambiental que o descarte do lixo produzido no povoado Rômulo
Campos pode causar ao meio ambiente. Além das entrevistas, foram
realizadas também observações no local pesquisado. A realização de um
trabalho de investigação torna necessário o uso de um processo empírico que
tenha subjacente a si um conjunto de princípios metodológicos que o orientem.
            Dessa forma o estudo foi desenvolvido sobre o aspecto qualitativo,
através da realização de estudos de campo para observações, registros
fotográficos, entrevistas semiestruturadas e aleatórias para coleta de
informações sobre as compreensões da comunidade a respeito do impacto
ambiental. A realidade foi descrita a partir de dados coletados e observações
diretas.
           Como o objetivo do trabalho desenvolvido, além de analisar o impacto
ambiental do lixo no povoado Rômulo Campos é também investigar as
compreensões e impressões da comunidade a respeito do lixo, seu tratamento
e seu destino, realizaram-se atividades voltadas para a educação ambiental da
população. As atividades constaram de:


a- Estudo de campo:
           Realizaram-se estudos de campo observando os locais com o objetivo
de obter dados sobre as condições do descarte do lixo produzido pela
população do povoado Rômulo Campos, bem como das condições do lixão.
Realizaram-se observações de forma direta, documentadas com relatórios e
registros fotográficos.


b- Entrevista:
              As entrevistas aconteceram de forma aleatória aplicada a várias
pessoas da comunidade com o intuito de coletar dados sobre as compreensões
da população quanto à educação ambiental e o descarte do lixo. Também se
24

aplicou questionários padronizados aos titulares das secretarias municipal de
Educação, Saúde, Serviços Públicos e a Coordenação Pedagógica de Ensino
do município de Itiúba (Apêndices), buscando conhecer os projetos
desenvolvidos no município sobre educação ambiental, visando estimulá-los a
promover ações que possam contribuir para a preservação do meio ambiente.


 c- Registros fotográficos:
           Toda a pesquisa foi acompanhada por documentação fotográfica
detalhada e todas as informações anotadas junto com todo o material coletado
para discussão do trabalho e elaboração desse Trabalho monográfico de
Conclusão de Curso.


3.2. Localização e caracterização de Rômulo Campos



        O povoado Rômulo Campos pertence ao município de Itiúba que está
localizado na microrregião de Senhor do Bonfim, região Centro Norte do
Estado da Bahia, também denominada de Piemonte Norte do Itapicuru. Sua
altitude média é de 4.377m acima do nível do mar (BRASIL, 2011). O mesmo
desenvolveu-se a partir de 1960. O clima da região é o semiárido, com chuvas
esporádicas, sendo que chove no inverno e nos denominados camboeiros de
setembro. O povoado dista 17 km da sede do município de Itiúba e 354 km da
capital do estado (Salvador).
        Rômulo Campos é o principal povoado do município de Itiúba, o maior,
tanto na quantidade de habitantes quanto na extensão territorial. Fica
localizado em uma planície, tendo como vista as serras itiubenses e o açude
Jacurici. O citado povoado faz divisa com os municípios de Cansanção,
Queimadas e Monte Santo, pertencentes à região sisaleira e ainda com o
município de Andorinhas, no qual se encontra a nascente do rio represado
Jacurici. A economia do povoado baseia-se na pesca artesanal, no artesanato
de linhas de pesca, baseia-se também na pecuária com a criação de bovinos e
caprinos, criação de peixes em tanques rede e na aposentadoria de
funcionários do DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) e
funcionários da prefeitura municipal de Itiúba (AZERÊDO, 1987).
25

       No inicio da povoação, Rômulo Campos tinha o nome de Camaleão, a
origem desse nome foi devido à grande quantidade de réptil conhecido por
esse nome, existente no lugar. O povoado se desenvolveu a partir de 1960
quando na Câmara de vereadores de Itiúba em sessão solene foi aprovado
elevado à categoria de povoado Rômulo Campos em homenagem ao
engenheiro que muito contribuiu para a construção do açude Jacurici, o qual
deu origem ao surgimento do povoado citado.
        O povoado Rômulo Campos é rico em crenças, costumes e tradições.
Essas manifestações culturais vieram para a localidade através de pessoas de
vários estados do Nordeste. Fizeram-se presente em outras épocas, as
cantigas de roda, casamento oculto e as brincadeiras de criança, gude, o
macacão, a boneca de pano, o carrinho feito de flande, a gangorra, entre
outras. Nota-se que as brincadeiras citadas se perderam ao longo dos anos.
Era um povo religioso que trouxe o costume de rezar e ir à igreja católica,
entretanto é comum encontrar no povoado senhoras que rezam de mau olhado
e olho gordo, preservando assim os costumes de seus antepassados.
      Para Silva (1995):


                     Nessa tradição, o exemplo pela obra de F.R Leavis, a cultura era
                     identificada, exclusivamente e estreitamente com as “grandes obras”
                     de literatura burguesa e estilista, a cultura era intrinsicamente
                     privilégio de um grupo restrito de pessoas: havia uma
                     incompatibilidade fundamental entre cultura e democracia (p.131).


        Assim a cultura literária era monopolizada e vista como aquisição de
poder social e detentora do poder econômico. Segundo o autor, cultura e
tradição são fatores a ser preservados para que não se perca com o passar
dos anos, para que as futuras gerações se identifiquem como sujeitos dessa
cultura e conheçam toda a história do meio em que estão inseridos.
       No povoado Rômulo Campos, era comum a comemoração da festa do
Santo Reis, atualmente não existe mais, devido às pessoas que preservavam
essa tradição, faleceram e assim, foi se perdendo na sua identidade cultural.
Nota-se que algumas tradições continuam vivas como a trezena de Santo
Antônio, rezada todos os anos na capela de Nossa Senhora do Rosário, no
local denominado Camandaroba. Comemora-se também a novena de Maria
durante nove noites do mês de maio na igreja São Pedro no povoado,
26

cultivando assim os mesmos costumes desde 1955, ano em que se deu o início
a todo festejo.
        O caruru de São Cosme e São Damião é uma tradição viva no referido
povoado, é comemorado no mês de setembro nos dias 7; 17 e 27 para se
comemorar o dia de São Cosme e São Damião. Comemoram-se também os
três dias da Semana Santa. Nestes dias é comum ver afilhados procurar os
padrinhos para receberem bênçãos, trocar presentes e almoçarem juntos.
Esses dias são considerados como Dias Santos. Em relação aos funerais é
comum velar os corpos em casas junto a seus familiares que são visitados
pelos amigos, passando a noite velando o corpo. A procissão de São Pedro é
outro elemento que faz parte da cultura local, na qual possui como devotos
pescadores e viúvas.
         Portanto, percebe-se que na cultura local há presença muito forte de
rituais africanos, onde se comemora o caruru para São Cosme e São Damião,
assim existindo o sincretismo entre a religião católica e a religião afro-brasileira.
Há terreiros de candomblé com pais, mães e filhos de santos. Existe aqui uma
relação entre os rituais africanos do litoral com a cultura local, assim, como o
costume de comer vatapá em todas as ocasiões solenes, sejam elas religiosas,
pagãs, casamentos, batizados, formaturas ou nos finais de semana.
       As festas mais divertidas eram o carnaval e a festa junina. Sendo que o
carnaval não existe mais, este se perdeu ao longo dos anos. A cultura local
possui fragmentos de cultura de outros estados nordestinos tais como: a
quadrilha “Fazendeira”, originária do Estado do Piauí, a própria comemoração
do padroeiro local, Senhor São Pedro, santo protetor dos pescadores e
guardião da chave do céu, que é festejado em parte por água.


3.3. Sujeitos da pesquisa


       A pesquisa permite a aproximação contínua do pesquisador e seu objeto
de estudo, nela a quantidade de pessoas não é tão importante quanto à
insistência em olhar a questão através de outros ângulos (GOLDENBERG,
2000). Partindo desse pressuposto, os sujeitos escolhidos para participar desta
pesquisa, foram três secretários municipais, a coordenação pedagógica de
ensino de Itiúba e cem moradores do povoado Rômulo Campos. As pessoas
27

entrevistadas foram moradores encontrados nas ruas do povoado e o principal
critério adotado foi que essas pessoas residissem no povoado. Os
entrevistados foram pessoas de idades diversificadas sendo crianças, jovens e
idosos. No próximo capítulo faremos a discussão dos resultados, a partir da
análise de dados, sem, no entanto, identificar diretamente os sujeitos
entrevistados, pois é necessário que “O pesquisador, ao relatar os resultados
de sua pesquisa, precisa também preservar a integridade física e a imagem
pública dos informantes” (FIORENTINI; LORENZATO, 2006, p.199).
             Através de procedimentos baseados em entrevistas, procura-se
conhecer as concepções dos entrevistados em relação à problemática do lixo
na citada localidade.
28


4.0 RESULTADOS

       Após realizarmos as entrevistas com o secretário municipal de Saúde e
de Serviços Públicos do município de Itiúba, bem como com moradores da
localidade de Rômulo Campos, faremos aqui as análises dos dados e a
discussão dos respectivos resultados.


4.1 Percepções populares sobre o lixo descartado no povoado Rômulo
Campos


         Ao avaliar as entrevistas com alguns moradores de diversas ruas do
povoado Rômulo Campos, observou-se que o descarte do lixo feito de modo
inadequado no referido local é um problema que preocupa a todos. Todos os
moradores entrevistados das ruas do Bebedouro, Avenida Tiradentes, Rua do
Campo, Olavo Bilac, Duque de Caxias e final da Travessa São Pedro, afirmam
a sua preocupação com o meio ambiente e acreditam que a conscientização é
o principal meio para amenizar a atual situação.
       Na Rua do Bebedouro os moradores não sabem o que é coleta seletiva
e qual a sua importância. Foi esclarecido para eles o que representa esse tipo
de coleta e após esses esclarecimentos, todos concordaram que a coleta
seletiva pode ajudar a diminuir o impacto negativo ao meio ambiente. Muitos
desses moradores entrevistados ainda precisam de informações em relação à
problemática do lixo e o seu impacto no meio ambiente, pois através dos
registros fotográficos, foi possível comprovar o descaso de muitos moradores
para com o lixo produzido, pois relatam que não têm coleta e por isso jogam o
lixo ao lado de suas casas, dessa forma poluem o meio ambiente, pois esse
lixo é levado pelo vento e pela correnteza para dentro do açude Jacurici,
poluindo o mesmo.
      Para alguns moradores o material plástico tem que ser queimado e que o
lixão a céu aberto prejudica o ser humano principalmente quando o lixo
hospitalar é descartado juntamente com o lixo doméstico. Acredita-se que a
preservação do meio ambiente é fundamental para a nossa sobrevivência e por
isso a necessidade de se discutir a educação ambiental no povoado, pois sabe-
se que o material plástico leva anos para se decompor e que a queima desse
29

material também causa poluição do ar, contribuindo assim, para o surgimento
de vários tipos de doenças.
       Moradores da Avenida Tiradentes dizem que a coleta do lixo no início da
avenida é feita todos os dia e descartado no lixão a céu aberto, trazendo
doenças, por ficar exposto e muitos animais como o porco, a galinha, o bode e
o carneiro comerem restos de alimentos nesse lixão, depois abatidos, chegam
a açougues para serem consumidos.
          Segundo Scarlato (1994), a incineração é uma técnica de eficiência
discutida. Se por um lado reduz drasticamente o volume do lixo por outro lado
requer um criterioso controle de todo o processo para que a fumaça resultante
da queima não constitua nova fonte de poluição do ar. A prática acima citada
era usada há muitos anos atrás, todo lixo era junto no fundo do quintal e
queimado.
            Com relação ao material plástico jogado nas ruas, os moradores
consideram como um descaso muito grande, pois todo esse material termina
nas águas do açude Jacurici que é o principal reservatório de água do
município. Um morador que participou do Fórum no Lar Santa Maria no
povoado de Rômulo Campos, relatou que os materiais plásticos jogados no
meio ambiente provocam a poluição do citado manancial. Segundo ele, o
tratamento dado ao lixo antigamente é praticamente o mesmo nos dias atuais,
“ocorreram pequenas melhoras, como por exemplo, o carro que é
disponibilizado para levar o lixo”.
       Segundo os moradores do final da Avenida Tiradentes, o carro que faz a
coleta não passava para recolher o lixo, por esse motivo foi realizada reunião
com a gestora do município para questionar sobre essa situação, após as
reclamações, a coleta passou acontecer duas ou três vezes por semana. A
Avenida Tiradentes está localizada no centro do povoado, nela se encontra
quase todo o comércio local. Quanto ao Fórum, esse morador diz que as
propostas são boas, mas que infelizmente ficam só no papel.
        Após ouvir moradores da Avenida Tiradentes chega-se a conclusão de
que a coleta do lixo no povoado deixa muito a desejar, devido ser uma avenida
localizada no centro, com comércio diversificado deveria haver coleta de lixo
todos os dias, pois as pessoas que moram no final dessa avenida possuem os
mesmos direitos que as demais. Na Rua do Campo e final da Travessa São
30

Pedro os moradores têm respostas semelhantes, não conhecem plenamente o
que é coleta seletiva e quanto à coleta do lixo eles reclamam que o motorista
da caçamba não atende adequadamente, quando passa recolhendo o lixo e
que em algumas ruas mais afastadas manda que os garis que trabalham com
ele queimem o lixo em frente às residências das pessoas. A queimada do lixo
prejudica o meio ambiente e também os moradores que não se sentem bem
com a fumaça e o cheiro expelidos pelo lixo queimado.
        Uma moradora relatou que seu esposo foi até o secretário de saúde,
que o levou até a gestora e pediu que a mesma tomasse providências, pois a
queimada do lixo em frente a sua residência estava prejudicando seus
familiares que têm problemas alérgicos, a partir dai é que diminuiu o problema,
mas não resolveu, de vez em quando ainda acontece.
        Tanto moradores da Rua do Campo quanto do final da Travessa São
Pedro dizem que não acham correto o descarte de material plástico nas ruas,
alguns comentam até que os comerciantes deveriam providenciar outro tipo de
embalagem para substituir as sacolas plásticas. Sobre o lixão a céu aberto
dizem que é errado e que isso pode causar grandes danos ao meio ambiente.
Os moradores mais antigos afirmam que anteriormente o lixo era menos
prejudicial, pois todos limpavam suas casas, seus terrenos e jogavam o lixo em
locais que pudesse ser queimado sem prejudicar ninguém, atualmente o lixo é
descartado diretamente no meio ambiente pelos próprios moradores. Aqui se
percebe a falta de conhecimento sobre o meio ambiente e os fatores que
prejudicam o mesmo.
        Uma senhora de mais de 80 anos, nos relatou: “Olha eu presenciei a
construção do açude Jacurici, na época havia muito cuidado com a limpeza do
lugar, hoje toda sujeira vai para dentro do açude, até mesmo os restos de
peixes quando os pescadores fazem o filé, deste modo a água do açude do
jeito que tá, não é apropriada para o nosso consumo”.
        Os moradores da Travessa São Pedro e Rua do Campo relatam que
não estão sendo tratados com respeito, tanto pelas autoridades do povoado
como pelo pessoal que recolhe o lixo, deixando-os desvalorizados, e que
poderiam recorrer aos órgãos do município e fazer valer seus direitos e serem
respeitados. Em relação ao lixo que tem como destino final o açude Jacurici,
acredita-se ser um problema preocupante, pois a população já está sofrendo as
31

consequências desse descaso e as autoridades não tem tomado às
providências necessárias para resolver o problema. Portanto, há a urgente
necessidade de se desenvolver projetos na área da educação ambiental, pois é
fundamental para a conscientização da população.
       Dentre todas as entrevistas realizadas com moradores de várias ruas do
povoado, os que mais se mostraram esclarecidos sobre o meio ambiente,
foram os moradores da Praça Hilda Sampaio de Mendonça, pois ao serem
questionados em relação à coleta seletiva e sua importância, souberam falar
sobre a mesma. Para eles, a conscientização da população em relação à
preservação do meio ambiente é feita a partir da divulgação de ações que
podem ser realizadas por todos os cidadãos.
         A população consciente passará a selecionar o lixo para reciclagem,
melhorando a limpeza do povoado e diminuindo a poluição do ar, do solo e da
água. Sobre o lixão a céu aberto, relataram que é uma situação preocupante,
pois prejudica o meio ambiente não só no local do lixão, mas também nas
redondezas. De acordo com relato de um morador, o material plástico é levado
pelo vento poluindo as pastagens próximas e até mesmo o açude do povoado
que abastece toda a população, é preciso que os órgãos públicos tomem
iniciativas juntamente com a comunidade para desenvolver projetos que visem
o beneficiamento do meio ambiente.
       Com relação ao lixo do PSF (Posto de Saúde da Família), os moradores
acham errado o descarte do lixo junto com o lixo doméstico e que o mesmo
deveria ter um destino diferente, devido haver pessoas que sobrevivem da
coleta desse lixo para reciclagem e correm o risco de serem contaminados por
algum tipo de doença atraído pelo lixão. Tanto os moradores da Praça Hilda
Sampaio de Mendonça, quanto da Rua Olavo Bilac, falam sobre o descaso da
população com o lixo, pois o carro passa para coletar lixo, logo em seguida já
se observa materiais plásticos jogados nas ruas.
        Sobre o descarte do lixo antigamente e o atual dizem que não mudou
muito, porque há cinco ou seis anos atrás era descartado em um local
chamado Lagoa da Judite. Sendo que o mesmo ficava bem próximo às
residências de alguns entrevistados, os mesmos eram prejudicados não só
pelo odor, mas também por animais e insetos atraídos pelo lixo, como ratos,
baratas, moscas, porcos e etc., atualmente o lixo é transportado para um local
32

mais distante, mas muitos moradores ainda jogam no local de antigamente e
fazem queimadas.
           Outro morador da Praça Hilda Sampaio de Mendonça que faz parte da
ONG Lar Santa Maria, falou sobre a importância da coleta seletiva não só para
o povoado, mas também para o município, “pois com a iniciativa da
coordenadora da ONG, foram construídos com materiais recicláveis containers
que foram colocados nos maiores povoados do município em pontos
estratégicos como forma de incentivar os moradores a fazerem a coleta
seletiva”, o mesmo falou da necessidade de desenvolver projetos para
amenizar a poluição do solo, pois segundo pesquisas realizadas o lençol
freático do povoado é muito raso, isso requer uma atenção especial, é uma
questão que não está sendo solucionado e sim transferido de um lugar para
outro.
              Aliada a essa problemática, existe ainda a questão de que o lixo
doméstico era depositado nos fundos das residências, em local denominado
monturo. As consequências desse procedimento têm permanecido até os dias
atuais, em fato recente, por exemplo, quando os trabalhadores na construção
de um muro do colégio Centro Educacional Pedrina Silveira, no povoado
Rômulo Campos fizeram escavações para a construção de uma cisterna, se
depararam com uma grande quantidade de lixo enterrado no local,
comprovando que aquele local anteriormente era utilizado como um depósito
de lixo.
           Os moradores das ruas citadas se mostraram conscientes da poluição
que o lixo pode causar e pelo que se pode perceber procuram manter limpa a
rua onde moram e mostram preocupação com o meio ambiente em geral.
           Nas entrevistas com três comerciantes com a pergunta: O que é coleta
seletiva e o que é feito com o lixo?
            Comerciante A: “Sei que a coleta seletiva é importante para que não
polua o meio ambiente, sei que a coleta do lixo não é feita corretamente, ainda
não participei de nenhuma reunião do Fórum, mas fico orgulhoso, o povo está
se reunindo e isso é muito importante para o lugar e que tudo que for feito para
o bem do meio ambiente, fico feliz. Em relação à coleta de lixo de meu
estabelecimento comercial apenas o plástico e o papel são descartados, mas
essa questão percebo que vai melhorar no futuro do meio ambiente, antes o
33

lixo do meu estabelecimento era colocado em uma D-20 de minha propriedade
e feita a coleta do lixo de meu estabelecimento, mas os moradores começaram
a misturar o lixo doméstico e o carro que fazia a coleta seletiva deixou de
pegar, desistir e coloco o lixo na rua para que a caçamba pegue o lixo. Quanto
aos produtos vencidos, são devolvidos e incinerados pela empresa fornecedora
que registra todo o processo com fotos. A coleta precisa melhorar, o lixão a céu
aberto é um horror, um absurdo, uma falta de respeito, polui o meio ambiente e
o lixo misturado com os esgotos prejudicam muito a população. Há vinte e dois
anos já era visível a poluição, já existia esgotos descendo para dentro do
açude Jacurici, mas se nós comerciantes nos uníssemos, poderíamos resolver
esse problema”.
      O comerciante B: “Está ficando cada dia pior, não participo do Fórum, ou
melhor, das reuniões do Fórum no Lar Santa Maria por falta de tempo, quando
alguns medicamentos vencem são incinerados e outros colocados em sacolas
plásticas e colocados para o carro que faz coleta seletiva pegar. É vergonhoso
deixar aquele lixão a céu aberto, melhor seria se abrisse um buraco,
descartasse o lixo e depois queimá-lo”.
      O comerciante C: “Acho que tudo está errado, mas depende de cada um
de nós cuidarmos do meio ambiente”.
        A comerciante D: “Não sei muito sobre isso, mas minha filha de nove
anos pode responder. A separação do lixo é muito importante, sei que cada
coisa deve ser colocada separada, restos de comidas numa vasilha, lixo do
banheiro em outra, vidros em outra, mas o povo mistura tudo, é o povo grande
quem prejudica o meio ambiente”.
         Percebe-se que apenas um dos comerciantes entrevistados participa
das reuniões do Fórum do Lar Santa Maria e este diz que é preciso que as
pessoas observem o horário que o carro passa coletando o lixo e não
coloquem o lixo na rua depois que o carro passar.
         Observa-se nas falas dos entrevistados a preocupação referente ao
lixão, este por ficar próximo do povoado e também à beira da estrada, “é uma
vergonha aquele lixo naquele lugar”.
         Pelo que se pode perceber, os comerciantes também necessitam de
informações sobre educação ambiental, enquanto os moradores demonstram
preocupação com os problemas que o lixo pode causar, os comerciantes não
34

demonstram tanta preocupação assim.


4.2 Entrevistas com garis


            Após as entrevistas com moradores e comerciantes, resolvemos
também entrevistar os garis.
        Gari A: “Tenho aproximadamente 23 anos de trabalho recolhendo o lixo
no lugar, no inicio fiz esse trabalho, sem receber treinamento e equipamento,
hoje melhorou porque antes o lixo não tinha um destino certo era jogado em
qualquer lugar, não havia carro, a coleta era feita em carrinhos de mão e
jogava o lixo na beira da estrada ou lugares próximos a residências, levei
muitas carreiras dos moradores. Hoje a atuação dos garis é facilitada pela
maioria dos moradores, me sinto mais valorizado e recebemos equipamentos e
treinamentos, olha já fui internado com problema de saúde, adquirido pela falta
de equipamentos de proteção na área onde trabalho. O lixo só ganhou um local
certo para ser jogado há uns seis a sete anos atrás, depois que a população
exigiu do gestor do município que comprasse um local para que o lixo coletado
fosse jogado”.
         Gari B: “É um trabalho difícil, pois tenho que correr junto com meus
amigos atrás da caçamba para jogar o lixo em cima do carro, a população,
alguns até que colaboram deixando o lixo nas portas das casas, mas o
motorista da caçamba não faz parada, assim, a gente joga o lixo com carro em
movimento, com isso cai um pouco de lixo aqui, outro pouco ali e assim por
diante, o carro sendo o próprio responsável pela coleta não bem feita das ruas
do povoado”.
        Os demais garis dizem não ter nada a falar por estar a pouco tempo na
área.


4.3 Entrevistas com funcionárias do PSF (Posto de Saúde da Família) de
Rômulo Campos


        Ao entrevistarmos as funcionárias do PSF (Posto de Saúde da Família)
de Rômulo Campos, pode se perceber uma contrariedade nas falas das
35

mesmas, de inicio não sabiam o que é coleta seletiva e nem qual a sua
importância. Ao explicar o significado da mesma começaram as contradições:
       Funcionária A: “A coleta é feita com uma seleção do material descartado
do PSF e colocado em embalagens diferenciadas e enviadas para a vigilância
sanitária”.
          Funcionária B: “Sou responsável pela limpeza do PSF coloco o lixo em
sacolas plásticas e coloco na rua para o carro”.
        Com relação à importância da preservação do meio ambiente, disseram
que é muito importante que as pessoas preservem. Já sobre as reuniões do
fórum do Lar Santa Maria, dizem que são importantes, as propostas são
excelentes, mas infelizmente precisa-se de alguém para colocar em prática,
porque não saem do papel. O que nos chamou mais a atenção foi o fato de
que, a enfermeira que se encontrava no local nesse momento, não demonstrou
interesse no assunto em relação ao meio ambiente.


 4.4 Entrevistas com Secretários municipais de Itiúba


               Diante de entrevista com o secretário de administração que é
responsável pelos serviços públicos e o secretário de saúde do município,
foram feitos alguns questionamentos sobre o lixo no povoado de Rômulo
Campos, o impacto ambiental e algumas matérias postadas no site PORTAL
ITIÚBA.
          A - Secretário de Administração falou: “tenho conhecimento de como é
feita a coleta, quais os horários de coleta, sei que o serviço é inadequado, mas
vai haver lixeiras para que se faça a coleta diária, com horário determinado
para cada rua, mesmo assim não solucionará o problema. Em relação às
matérias que foram publicadas no site PORTAL ITIÚBA sobre o lixo encontrado
nas margens do Açude Jacurici, não tenho conhecimento”.
        B - Secretário de Saúde: “tenho conhecimento das matérias publicadas
no site PORTAL ITIÚBA sobre o acúmulo de lixo ás margens do Açude
Jacurici, sou conhecedor do problema. Sei que a coleta seletiva do lixo em
Rômulo Campos, é feita através de uma caçamba e com profissionais da área
(os garis). Estive no Fórum que aconteceu no Lar Santa Maria achei muito
proveitoso, também participei de reuniões da saúde, a qual tem como tema o
36

meio ambiente, sobre a existência de projetos sobre Educação Ambiental, não
tenho conhecimento. Ainda não participei das reuniões do Fórum no Lar Santa
Maria no povoado Rômulo Campos, mas estou interessado no assunto e com a
problemática no povoado, mas o governo tem que tomar sérias providências
com relação aos materiais plásticos jogados às margens do Açude Jacurici, o
qual abastece toda a população do município de Itiúba”. Segundo os dois
secretários (o da administração e o da saúde), não existe nenhuma ação
planejada para resolver a situação.
          O que nos deixou inquietas foi o comportamento da Coordenadora
Pedagógica de Ensino e a Secretária de Educação do município de Itiúba. Ao
procurá-las para que se possível nos concedessem entrevista, as mesmas
demonstraram desinteresse e pediram que deixássemos as questões escritas e
que depois responderiam para depois nos entregar. Mas, isso não aconteceu,
voltamos várias vezes, mas não fomos atendidas, sempre apresentavam
alguma desculpa.
         Orientadas pelo professor Álvaro Müller da Fonseca, enviamos uma
carta às mesmas agradecendo pela atenção que nos dedicaram, pedindo
desculpas pelo incômodo que lhes causamos, mas que não seria possível
esperarmos mais, pois precisamos concluir nosso trabalho, que por ser um
trabalho acadêmico tem prazo para ser concluído (Apêndices).


4.5 Entrevista com a Coordenadora de Atenção Básica


        A Coordenadora de Atenção Básica, ao ser entrevistada, relatou que o
problema não é só de Rômulo Campos, mas de muitos outros lugares, é a falta
de educação da população que não separa os materiais para a reciclagem,
mas que precisa de uma infraestrutura para coleta seletiva e reciclagem do lixo,
que também há falta de políticas públicas de incentivo ao reaproveitamento
destes recursos, principalmente em municípios pequenos. Sobre o lixo
produzido pelo PSF (Posto de Saúde da Família), foi relatado pela mesma que
é divida em duas partes, os papéis e lixo comum são colocados para o lixão, já
o material contaminado e perfuro cortante são levados para a vigilância
sanitária, onde são incinerados em local apropriado.
37

           A Coordenadora relatou que a coleta no final da Rua do Bebedouro
deixa a desejar, por existir uma quantidade enorme de lixo espalhados pelo
chão, sendo levado pelo vento e chuva para dentro do açude. A entrevistada
afirmou que não tem conhecimento das reportagens publicadas no site
PORTAL ITIÚBA, que trata da problemática do lixo que fica espalhado pelas
ruas e esgotos que jorram para dentro do açude. Quanto às reuniões do
Fórum, a mesma já participou de algumas, mas se desanimou, pois só tem
conversa bonita e nenhuma providência foi tomada em favor do meio ambiente
e que as reportagens deveriam continuar acontecendo para que a população
tomasse conhecimento e incentivar a conscientização principalmente dos
jovens.
           Os moradores de classes sociais diferentes,quando questionados de
forma igual sobre a coleta e deposito final do lixo emitiram a mesma
opinião,que a coleta é irregular, principalmente nas ruas mais afastadas do
centro do povoado. Na Avenida São Pedro, moradores relataram que não tem
coleta e que os mesmos precisam se deslocar para algum ponto de coleta que
seja mais próximo de suas casas, outros jogam em terrenos baldios e queimam
próximos às suas residências.
          Segundo relato de moradores, até pouco tempo a produção do lixo no
povoado ocorria em pequena quantidade e que era jogado nos fundos dos
quintais e queimados, com o passar dos anos a população aumentou e junto
veio o aumento da produção de lixo e a necessidade de um meio de
recolhimento deste para depositá-lo em um local adequado.
          A partir dessa necessidade surge o lixão a céu aberto para depósito de
todo lixo produzido pela população, visando uma higienização do meio
ambiente.
      Diante dos dados coletados, salientamos que:
• o lixo tem coleta diária em apenas alguns pontos do povoado;
• a queimada do lixo é feita logo após o descarte do mesmo no lixão;
• o lixo acumulado em terrenos baldios é queimado mesmo próximo às
residências;
• o lixo é descartado em vias públicas (ruas estrada, etc.) sem nenhuma
preocupação;
• a criação do lixão para depósito final do lixo coletado não é adequado;
38

• a coleta seletiva ainda não foi adotada no povoado;
• existem moradores que fazem do fundo do quintal de suas próprias casas um
verdadeiro lixão, não se preocupando com a própria saúde.
            Através das entrevistas com os moradores, pode-se perceber que a
população mesmo dizendo-se preocupada com os transtornos causados pelo
lixo, não se preocupa com a educação ambiental, pois é visível a quantidade
de lixo jogado nas ruas e o material plástico que é levado pelo vento; possuem
chiqueiros de porcos e mesmo assim reclamam da poluição. São pessoas
conscientes da poluição, mas não param para fazer uma reflexão e tentar
amenizar esta situação pelo menos na rua em que residem.
               Acredita-se na Educação Ambiental como processo educativo,
permanente, e continuo que visa desenvolver uma filosofia de vida ética e
moral, de maior harmonia a respeito da natureza entre os homens, propiciando
conhecimentos e o exercício da cidadania. A Educação Ambiental constitui um
importante instrumento de mobilização da comunidade para a mudança de
hábitos e comportamento, especialmente em projetos relacionados à coleta
seletiva.
             Segundo Galvão (2000), uma das condições para a expansão da
reciclagem é o desenvolvimento das ações exemplares de articulação entre a
educação ambiental, coleta seletiva e responsabilidade social, envolvendo
escolas, empresas e organizações não governamentais. Tais circulações
viabilizam o ciclo completo da reciclagem, além de beneficiar entidades sociais.
             Para implantar a coleta seletiva do lixo, o primeiro passo é gerar
conscientização. Elaborar um plano para conscientizar os moradores das
vantagens da coleta seletiva. O importante é mostrar que a coleta seletiva,
atualmente, é algo fácil além de vantajoso. Basta o desejo e a boa vontade de
todos.
39



                       CONSIDERAÇÕES FINAIS


       O crescimento populacional, a consequente expansão territorial urbana
e a ampliação do sistema de produção e consumo industrial têm contribuído
para agravar as condições ambientais, sobretudo em relação ao aumento da
produção de lixo, principalmente no cenário urbano.
         A coleta seletiva do lixo é uma ação importante para se preservar o
ambiente, mas para que dê resultado, é preciso que toda a sociedade colabore
e   participe    da   construção   de   uma     mudança        de   mentalidade,
consequentemente, de hábitos em relação à problemática do lixo. Tal
conscientização não se dar de uma hora para outra, mas por meio de um
trabalho constante de Educação Ambiental que garanta o envolvimento e a
participação de todos: escola, família, comunidade e Estado.
        No Brasil, ainda predomina os lixões como forma de destino final dos
resíduos. Neles o lixo é depositado sem nenhum tratamento, causando
diversos impactos ambientais, como a contaminação dos lençóis freáticos, pelo
chorume, e da atmosfera, pela queima do lixo.
       A análise dos dados obtidos através dessa pesquisa demonstrou que os
participantes de modo geral, possuem certo grau de conhecimento ainda que
superficial, acerca dos problemas ambientais e da necessidade de preservar o
meio ambiente.
        Após realizar pesquisas de campo, registros fotográficos e entrevistas
com moradores do povoado Rômulo Campos, percebe-se a necessidade de
desenvolver projetos visando à reflexão e sensibilização dos moradores do
citado povoado com relação ao meio ambiente. Com os trabalhos realizados
constatou-se a falta de educação ambiental e o descaso para com o lixo
produzido pela população. Pôde-se perceber também que a maioria dos
moradores tem consciência dos problemas que o descaso com o lixo pode
causar a própria comunidade, porém não tem buscado desenvolver ações a fim
de colaborar para a preservação do meio ambiente. Ao questioná-los sobre
coleta seletiva percebe-se que é um assunto que para muitos não tem
importância, diante disso, verificamos a carência da educação ambiental no
40

povoado, principalmente em relação ao material plástico que leva anos para se
decompor.
            Mediante a observação da presença de lixo exposto nas ruas do
povoado, despertou o desejo de realizar um trabalho pelo qual nos leva a fazer
questionamentos com moradores e comerciantes da localidade e alguns
gestores da administração do município. Questionamentos esses que
envolvem temáticas relacionadas ao meio ambiente, sua preservação, saúde
da população e outros aspectos importantes.
       Foi através dessa inquietação que se obteve várias informações, antes
desconhecidas e que de certa forma incomodam alguns moradores e
comerciantes. Uma delas é onde e como é descartado o lixo recolhido nas
ruas, pois é um local a céu aberto, localizado bem próximo ao povoado e
exposto, podendo causar danos ao ambiente e a saúde da população.
        Outra problemática verificada é em relação ao lançamento desse lixo
dentro do açude do povoado. Os resíduos sólidos são carregados pelo vento e
também por enxurradas, e vão direto para o açude que abastece quase todo o
município de Itiúba e que é um meio de renda para a maioria da população do
povoado, visto que muitas famílias comercializam peixes nas feiras-livres da
região. Ainda podemos observar que a estrada que liga o povoado ao local do
lixão possui bastante lixo espalhado pela mesma, inclusive sacolas plásticas e
papelões, isso foi constatado não apenas por informações de moradores e
comerciantes entrevistados, como também através de visitas ao local e
registros fotográficos. Segundo os entrevistados, essa situação é lamentável,
por ter prejudicado bastante o meio ambiente, sem contar com os riscos para
saúde do ser humano, principalmente para as crianças que geralmente ficam
em contato com esse lixo procurando algo que possa reciclar.
            A discussão teve êxito porque falando de educação ambiental é
importante ressaltar os prejuízos causados aos recursos naturais e a
responsabilidade da comunidade em mantê-los em condições adequadas ao
desenvolvimento e necessidade das gerações futuras. É diante de tais
situações que a comunidade percebe a importância de se adotar medidas que
possam reduzir a produção de lixo e a emissão de poluentes no ambiente,
amenizando assim os efeitos nocivos à natureza.
          Para a educação ambiental, entendida como educação política, os
41

argumentos apresentados procuram fortalecer a importância do seu papel na
sociedade. Por outro lado, ela colabora na busca e construção de alternativas
sociais baseadas em princípios ecológicos, éticos e de justiça, para com as
gerações atuais e futuras.
         Pesquisando-se o lixo do povoado Rômulo Campos e levando-se em
consideração a presença dos refugos ligados ao comércio e os produtos
descartáveis, vemos que as classes mais abastadas são as maiores
produtoras, tanto em quantidade como em qualidade, nos despojos dessas
classes podemos encontrar uma infinidade de produtos, entre eles os próprios
sacos de lixo, embalagens sofisticadas de material de limpeza, embalagens
feitas para tornar certos alimentos mais atrativos e, como símbolo ilustrativo da
modernidade.
        Sabe-se que os estudos sobre o lixo ainda são precários, mas certas
evidências como algumas denúncias veiculadas pela mídia e pelos movimentos
ecológicos permitem-nos formular algumas hipóteses sobre ele, sua relação
com as questões ambientais e as vantagens de programas de reciclagem dos
resíduos para que não sejam lançados no meio ambiente.
             Foram constatados alguns descasos por parte dos moradores,
comerciantes e de funcionários do PSF, pois mesmo tendo conhecimento dos
efeitos prejudiciais que o lixo causa ao meio ambiente, ainda procedem de
modo errado acerca do seu descarte. Pode-se comprovar que a comunidade
tem conhecimento dos prejuízos causados, porém mesmo assim não procuram
implementar ações que possam contribuir para resolver esse problema.
Afirmam que são prejudicados pelo lixo plástico, no entanto, a maioria joga este
material nas ruas.
          Com base nas entrevistas com os secretários municipais, pode-se
observar que os mesmos falam sobre projetos a serem desenvolvidos a fim de
encontrar um meio para proteger o meio ambiente e que é uma causa que tem
que ser vista com outros olhos, para que seja melhorada a coleta seletiva do
lixo no povoado Rômulo Campos, mas alegam que é preciso parceiros que se
comprometam com os problemas ambientais do povoado.
         Com a conclusão desse trabalho percebe-se que o lixo do povoado
nunca teve um lugar apropriado para o seu descarte, foi sendo transferido de
um local para outro sem um planejamento adequado. O local onde atualmente
42

serve de lixão é inadequado, pois se encontra localizado as margens de uma
estrada entre pastagens, em um local que o vento leva todo o material plástico
(sacos e sacolas) para o açude Jacurici. Observa-se também que pequenos
reservatórios de água que ficavam próximos já não existem mais, sem contar
que animais que são abatidos para o consumo humano (porcos e ovelhas) se
alimentam no lixão.
         O que nos chamou bastante a atenção foi encontrar material escolar
como livros didáticos e mapas em perfeitas condições de uso, jogados no lixão,
isso comprova o descaso de autoridades, pois se acredita que estes tenham
sido descartados no lixo das escolas do povoado de Rômulo Campos. Por
meio das observações realizadas, percebe-se que é necessário incluir no
currículo das escolas o tema Educação Ambiental, dando ênfase à importância
da coleta seletiva do lixo e a reciclagem dentro do contexto educacional e
social, para que os moradores do povoado não cometam erros em relação ao
descarte do lixo, como foram comprovados em nosso trabalho de pesquisa de
campo.
         Esperamos através desta pesquisa, contribuir para que ações sejam
realizadas em benefício da sociedade e do meio ambiente, a fim de representar
um grande avanço social, cultural e ambiental, conciliando desenvolvimento
sustentável e preservação do meio ambiente. E, assim proporcionar às futuras
gerações, condições para viver em um ambiente saudável.
43


                              REFERÊNCIAS


AZERÊDO, R. Itiúba e os roteiros do padre Severo. Goiânia: Unigraf, 1987.
253p.


BELINE, S. Coleção tempo de aprender (EJA) Educação Jovens e Adultos
6º ao 9º ano ensino fundamental. 2 ed. São Paulo: [s.n.], 2009. 222p.


BRANCO, S. M. O meio ambiente em debate. 26 ed. rev. e ampl. -São Paulo:
Moderna, 1997-(coleção polêmica). p.09-20.


BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Disponível
em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1> Acesso em: 01 dez.
2011.


CARVALHO, I. C. de M. Educação ambiental a formação do sujeito
ecológico. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2004. p.81.


DÍAZ, A. P. Educação Ambiental como Projeto. Porto Alegre: Artmed, 2002.
p.35-37.

EFFTING, T. R. Educação Ambiental nas Escolas Públicas: Realidade e
Desafios. Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Oeste do
Paraná - Campos de Marechal Cândido Rondon, 2007. Disponível em:
<http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/diaadia/diadia/arquivos/File/taniaregina.
pdf>. Acesso em: 01 dez. 2011.


FADINI, P. S; FADINI, A. A. B. Lixo: desafios e compromissos. Cadernos
Temáticos de Química Nova na Escola, Edição especial, p. 9 a 18, maio de
2001. p.09-10.


FELIX, R. A. Z. “Coleta seletiva em ambiente escolar”. Revista Eletrônica do
Mestrado em Educação Ambiental BotucatuSP, v.18 Jan Jun.2007.
Disponível em:<www.ambiente-augm.ufscar.br/uploads/A/3-106.PDF> Acesso
em: 01 dez. 2011.



FERNANDEZ, F. A. dos S. O poema imperfeito: Crônicas de Biologia,
conservação da natureza, e seus heróis. 2 ed. Curitiba: UFPR, 2004. p.17.
44

FERREIRA, A. B. de H. Dicionário Aurélio eletrônico século XX. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira, 1999. 1 CD-ROM.


FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática:
percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2006.
226p.


GALVÃO, M. Reciclagem conquista a respeito do mercado. Revista Plásticos
modernos n. 305, dez/jan., 2000. Disponível em:
<www.cenedcursos.com.br/educação-ambiental-e-coleta-seletiva-do-lixo>
Acesso em: 01 dez. 2011.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa
em Ciências Sociais. 4 ed. Rio de Janeiro: Record, 2000. 107p.

GONÇALVES, P. A Reciclagem Integradora dos Aspectos Ambientais,
Sociais e Econômicos. Rio de Janeiro: DP&A: Fase, 2003. p.92.


GRIPPI, M. A.; NONATO, C.A. A preservação e recuperação do meio
ambiente. São Paulo: [s.n.], 2006. p.37-117.


IPTCEMPRE, Lixo Municipal: manual de gerenciamento integrado. Instituto
de Pesquisas Tecnológicas. Publicação IPT 2163. São Paulo, 1995. p.3.


MORIN, E. Ciência com consciência. 6 ed. Trad. Maria D. Alexandre e Maria
Alice S. Doria. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002. p.26.


MOURA, L. A. A Gestão ambiental. 3 ed. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2002.
p.26.


PCN – Parâmetros Curriculares Nacionais: meio ambiente, saúde
/Secretaria de Educação Fundamental-Brasilia: 1998. 128p.

PORTAL LIXO, Disponível em: <www.coleta seletiva. gov.br/menu/noticias>.
Acesso em: 08 ago. 2011.

SANTOS, R. G. dos. Aprendendo sobre o Lixo Urbano: Um Olhar da
Ecologia Integral. Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de
Educação – FAE. Belo Horizonte, 2008. p.11-13.
45

SCARLATO, F. C. Do nincho ao lixo: ambiente sociedade e educação. São
Paulo: Atual, 1994. (Série meio ambiente). Disponível em:
<www.rc.unesp.br/igce/765-781)Fabio.pdf> Acesso em: 08 ago. 2011.


SILVA, C. R. L. da. Inovação tecnológica e distribuição de renda, impacto
distributivo da produtividade na agrícola brasileira. São Paulo: Instituto de
Economia Agrícola, 1995. p.131-135.
46



APÊNDICES
47




APÊNDICE A - TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO
Prezado (a) participante:


               Somos estudantes do curso de graduação na Faculdade de Pedagogia da
Universidade do Estado da Bahia - CAMPUS VII Senhor do Bonfim, Rede Uneb 2000 de Itiúba.
Estamos realizando uma pesquisa sob supervisão do professor Álvaro Müller da Fonseca, cujo
objetivo é analisar o impacto ambiental do lixo no povoado de Rômulo Campos, investigando
as compreensões da comunidade a respeito do lixo, tentando sensibilizar as pessoas com
relação à importância da coleta do lixo, seu tratamento, sua destinação e seu descarte.
              Sua participação envolve uma entrevista, que será escrita se assim você permitir e
que tem a duração aproximada de 10 minutos.
              A participação nesse estudo é voluntária e se você decidir não participar ou quiser
desistir de continuar em qualquer momento, tem absoluta liberdade de fazê-lo.
          Na publicação dos resultados desta pesquisa, sua identidade será mantida no mais
rigoroso sigilo. Serão omitidas todas as informações que permitam identificá-lo (a).
               Mesmo não tendo benefícios diretos em participar, indiretamente você estará
contribuindo para a compreensão do fenômeno estudado e para a produção de conhecimento
científico.
           Quaisquer dúvidas relativas à pesquisa poderão ser esclarecidas pelas pesquisadoras
fone (74)3549-3131. Celular (74)91924611 ou (74) 3549-3062, cel.(74)9108-3016
                                           Atenciosamente


          Nome                                            Assinatura das estudantes


    Josenilce Lima S. de Oliveira                            ———————————————
    Josineide Lima da S. Santos                              ———————————————
    Justina Oliveira da Silva                               ———————————————
    Rosineide Batista C. de Carvalho                       ———————————————




         Consinto em participar deste estudo e declaro ter recebido uma cópia deste termo de
consentimento.




--------------------------------------------------------------------   -------------------------------------------------------
Nome e assinatura do participante                                                 Local e data
48

APÊNDICE B - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB
DEPARTAMENTO DE EDUCAÇAO-CAMPUAVII
SENHOR DO BONFIM
PROGRAMA REDE UNEB 2000
CURSO PEDAGOGIA

Trabalho de pesquisa para realização de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)
Entrevista com a Secretária de Educação


1-Recentemente foram publicadas matérias no site PORTAL ITIÚBA (03/06/2011, 05/08/2011 e
03/09/2011) que falavam sobre a poluição do açude Jacurici, o qual abastece quase todo o
município de Itiúba. Em visita as margens do açude Jacurici, que fica em Rômulo Campos
registrou-se a presença de garrafas PET, material plástico, vidros e pneus velhos. Há alguma
ação planejada para resolver esse problema?


2-Quais os projetos de políticas públicas desenvolvidos nesta gestão sobre o meio ambiente?


3-Há algum projeto específico da Secretaria de Educação promovendo a educação ambiental
nas escolas municipais? Quais ações concretas já foram feitas? Há resultados?




4-O impacto do lixo descartado é discutido nas escolas do município?



5-Em Rômulo Campos está havendo reuniões do fórum do meio ambiente (Grêmio em prol do
desenvolvimento de Rômulo Campos). Qual a sua opinião sobre isso?



Acredito ter sido esclarecido suficientemente a respeito das informações que li ou foram lidas
para mim. Ficam claros os propósitos deste estudo e seus procedimentos.

Assinatura----------------------------------------------------------------------------------------

                             (Secretária de Educação)
49

APÊNDICE C - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB
DEPARTAMENTO DE EDUCAÇAO-CAMPUAVII
SENHOR DO BONFIM
PROGRAMA REDE UNEB 2000
CURSO PEDAGOGIA

Trabalho de pesquisa para realização de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)
Entrevista com secretário de Serviços Públicos


1-Recentemente foram publicadas matérias no site PORTAL ITIÚBA (03/06/2011, 05/08/2011 e
03/09/2011) que falavam sobre a poluição do açude Jacurici, o qual abastece quase todo o
município de Itiúba. Em visita as margens do açude Jacurici, que fica em Rômulo Campos
registrou-se a presença de garrafas PET, material plástico, vidros e pneus velhos. Há alguma
ação planejada para resolver esse problema?


2-Quais os projetos de políticas públicas desenvolvidos nesta gestão sobre o meio ambiente?


3-O Senhor sabe como é feita a coleta do lixo do povoado de Rômulo Campos?


4-O que o senhor pensa sobre a sugestão de colocar em cada rua do povoado de Rômulo
Campos, lixeiras para os moradores colocarem o lixo doméstico?



Acredito ter sido esclarecido suficientemente a respeito das informações que li ou foram lidas
para mim. Ficam claros os propósitos deste estudo e seus procedimentos.

Assinatura———————————————————————————————

(Secretário de Serviços Públicos)
50

APÊNDICE D - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB
DEPARTAMENTO DE EDUCAÇAO-CAMPUAVII
SENHOR DO BONFIM
PROGRAMA REDE UNEB 2000
CURSO PEDAGOGIA

Trabalho de pesquisa para realização de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)
Entrevista com o secretário de Saúde


1-Recentemente foram publicadas matérias no site PORTAL ITIÚBA (03/06/2011, 05/08/2011 e
03/09/2011) que falavam sobre a poluição do açude Jacurici, o qual abastece quase todo o
município de Itiúba. Em visita as margens do açude Jacurici, que fica em Rômulo Campos
registrou-se a presença de garrafas PET, material plástico, vidros e pneus velhos. Há alguma
ação planejada para resolver esse problema?


2-O senhor sabe como é feita a coleta do lixo do povoado de Rômulo Campos?


3-Quais os projetos de políticas públicas desenvolvidos nesta gestão sobre o meio ambiente?


4- O senhor sabe se há algum projeto específico da Secretaria de Educação promovendo a
educação ambiental nas escolas municipais? Quais ações concretas já foram feitas? Há
resultados?

5-Em Rômulo Campos está havendo reuniões do fórum do meio ambiente (Grêmio em prol do
desenvolvimento de Rômulo Campos). Qual a sua opinião sobre isso?

Acredito ter sido esclarecido suficientemente a respeito das informações que li ou foram lidas
para mim. Ficam claros os propósitos deste estudo e seus procedimentos.

Assinatura——————————————————————————————— (Secretário de
Saúde)
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

0508 Vigilância alimentar e nutricional - Rose
0508 Vigilância alimentar e nutricional - Rose0508 Vigilância alimentar e nutricional - Rose
0508 Vigilância alimentar e nutricional - Rose
laiscarlini
 
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Programa saude e bem estar seminario  para slide sharePrograma saude e bem estar seminario  para slide share
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Liene Campos
 
Água: importância, distribuição e estados físicos
Água: importância, distribuição e estados físicosÁgua: importância, distribuição e estados físicos
Água: importância, distribuição e estados físicos
Marcia Regina
 
Ensino Híbrido - Lilian Bacich.pdf
Ensino Híbrido - Lilian Bacich.pdfEnsino Híbrido - Lilian Bacich.pdf
Ensino Híbrido - Lilian Bacich.pdf
CamiloEsteluti2
 
Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias
Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologiasEnsino e aprendizagem inovadores com tecnologias
Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias
Mayam Andrade
 
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicasTeóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Otávio Miécio Santos Sampaio
 
As práticas de organização e gestão da escola e a aprendizagem de professores...
As práticas de organização e gestão da escola e a aprendizagem de professores...As práticas de organização e gestão da escola e a aprendizagem de professores...
As práticas de organização e gestão da escola e a aprendizagem de professores...
Maria Pro Info
 

Mais procurados (20)

0508 Vigilância alimentar e nutricional - Rose
0508 Vigilância alimentar e nutricional - Rose0508 Vigilância alimentar e nutricional - Rose
0508 Vigilância alimentar e nutricional - Rose
 
Alimentação e nutrição
Alimentação e nutriçãoAlimentação e nutrição
Alimentação e nutrição
 
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Programa saude e bem estar seminario  para slide sharePrograma saude e bem estar seminario  para slide share
Programa saude e bem estar seminario para slide share
 
DIREITOS HUMANOS E MEIO AMBIENTE
DIREITOS HUMANOS E MEIO AMBIENTEDIREITOS HUMANOS E MEIO AMBIENTE
DIREITOS HUMANOS E MEIO AMBIENTE
 
Água: importância, distribuição e estados físicos
Água: importância, distribuição e estados físicosÁgua: importância, distribuição e estados físicos
Água: importância, distribuição e estados físicos
 
Proposta pedagógica 2011
Proposta pedagógica 2011Proposta pedagógica 2011
Proposta pedagógica 2011
 
Desenvolvimento e avaliação de um objeto digital de aprendizagem para as pess...
Desenvolvimento e avaliação de um objeto digital de aprendizagem para as pess...Desenvolvimento e avaliação de um objeto digital de aprendizagem para as pess...
Desenvolvimento e avaliação de um objeto digital de aprendizagem para as pess...
 
Módulo pnae atualizado
Módulo pnae atualizadoMódulo pnae atualizado
Módulo pnae atualizado
 
Capa logotipo
Capa   logotipoCapa   logotipo
Capa logotipo
 
Ensino Híbrido - Lilian Bacich.pdf
Ensino Híbrido - Lilian Bacich.pdfEnsino Híbrido - Lilian Bacich.pdf
Ensino Híbrido - Lilian Bacich.pdf
 
Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias
Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologiasEnsino e aprendizagem inovadores com tecnologias
Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias
 
Curso de Administração Publica para Concurso TJ CE
Curso de Administração Publica para Concurso TJ CECurso de Administração Publica para Concurso TJ CE
Curso de Administração Publica para Concurso TJ CE
 
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicasTeóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
Teóricos da sociologia. as perspectívas sociológicas clássicas
 
Renha crítica GEOGRAFIA, ESCOLA E CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO
Renha crítica GEOGRAFIA, ESCOLA E CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTORenha crítica GEOGRAFIA, ESCOLA E CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO
Renha crítica GEOGRAFIA, ESCOLA E CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO
 
1. libras modulo1
1. libras modulo1 1. libras modulo1
1. libras modulo1
 
Educação de Surdos
Educação de SurdosEducação de Surdos
Educação de Surdos
 
Fast Food
Fast FoodFast Food
Fast Food
 
As práticas de organização e gestão da escola e a aprendizagem de professores...
As práticas de organização e gestão da escola e a aprendizagem de professores...As práticas de organização e gestão da escola e a aprendizagem de professores...
As práticas de organização e gestão da escola e a aprendizagem de professores...
 
Mapa mental
Mapa mental Mapa mental
Mapa mental
 
Amido de mandioca
Amido de mandiocaAmido de mandioca
Amido de mandioca
 

Destaque

Tcc plano de negócios - administradora de obras
Tcc   plano de negócios - administradora de obrasTcc   plano de negócios - administradora de obras
Tcc plano de negócios - administradora de obras
rafaelecarina
 
Introdução monografia
Introdução   monografiaIntrodução   monografia
Introdução monografia
Rafael Machado
 
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLATCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
regina luzia barros
 

Destaque (9)

Desenvolvimento de jogos: Fundamentação Teórica da Formação de Conceitos
Desenvolvimento de jogos: Fundamentação Teórica da Formação de ConceitosDesenvolvimento de jogos: Fundamentação Teórica da Formação de Conceitos
Desenvolvimento de jogos: Fundamentação Teórica da Formação de Conceitos
 
Monografia Cintia Pedagogia 2011
Monografia Cintia Pedagogia 2011Monografia Cintia Pedagogia 2011
Monografia Cintia Pedagogia 2011
 
Normas abnt
Normas abntNormas abnt
Normas abnt
 
Modelo Artigo Científico - ABNT
Modelo Artigo Científico - ABNTModelo Artigo Científico - ABNT
Modelo Artigo Científico - ABNT
 
Tcc plano de negócios - administradora de obras
Tcc   plano de negócios - administradora de obrasTcc   plano de negócios - administradora de obras
Tcc plano de negócios - administradora de obras
 
Introdução monografia
Introdução   monografiaIntrodução   monografia
Introdução monografia
 
Monografia Adriana Pedagogia 2012
Monografia Adriana Pedagogia 2012Monografia Adriana Pedagogia 2012
Monografia Adriana Pedagogia 2012
 
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLATCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
 
Projeto Brincar e Descobrir como Preservar o Ambiente. UNEB - 2012 - Claudiné...
Projeto Brincar e Descobrir como Preservar o Ambiente. UNEB - 2012 - Claudiné...Projeto Brincar e Descobrir como Preservar o Ambiente. UNEB - 2012 - Claudiné...
Projeto Brincar e Descobrir como Preservar o Ambiente. UNEB - 2012 - Claudiné...
 

Semelhante a Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012

12 guia pedagogicodolixo
12 guia pedagogicodolixo12 guia pedagogicodolixo
12 guia pedagogicodolixo
João Siqueira da Mata
 
CONCIENTIZAÇÃO SOBRE A GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E ORGÂNICOS NO MEIO AMBIEN...
CONCIENTIZAÇÃO SOBRE A GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E ORGÂNICOS NO MEIO AMBIEN...CONCIENTIZAÇÃO SOBRE A GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E ORGÂNICOS NO MEIO AMBIEN...
CONCIENTIZAÇÃO SOBRE A GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E ORGÂNICOS NO MEIO AMBIEN...
cefaprodematupa
 
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
leilarosana
 
Acoes-em-educacao-ambiental-e-suas-relacoes-com-a-interdisciplinaridade-e-cid...
Acoes-em-educacao-ambiental-e-suas-relacoes-com-a-interdisciplinaridade-e-cid...Acoes-em-educacao-ambiental-e-suas-relacoes-com-a-interdisciplinaridade-e-cid...
Acoes-em-educacao-ambiental-e-suas-relacoes-com-a-interdisciplinaridade-e-cid...
UFPB
 
Plano de ação lauro barreira
Plano de ação   lauro barreiraPlano de ação   lauro barreira
Plano de ação lauro barreira
flaviaescola
 
Bicastiradentes meioambiente reciclagem
Bicastiradentes meioambiente reciclagemBicastiradentes meioambiente reciclagem
Bicastiradentes meioambiente reciclagem
temastransversais
 

Semelhante a Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012 (20)

Educação Ambiental - TCC Modulo I - Projeto Curumim
Educação Ambiental - TCC Modulo I - Projeto CurumimEducação Ambiental - TCC Modulo I - Projeto Curumim
Educação Ambiental - TCC Modulo I - Projeto Curumim
 
12 guia pedagogicodolixo
12 guia pedagogicodolixo12 guia pedagogicodolixo
12 guia pedagogicodolixo
 
PJ-MAIS - Apresentação Geral
PJ-MAIS - Apresentação GeralPJ-MAIS - Apresentação Geral
PJ-MAIS - Apresentação Geral
 
CONCIENTIZAÇÃO SOBRE A GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E ORGÂNICOS NO MEIO AMBIEN...
CONCIENTIZAÇÃO SOBRE A GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E ORGÂNICOS NO MEIO AMBIEN...CONCIENTIZAÇÃO SOBRE A GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E ORGÂNICOS NO MEIO AMBIEN...
CONCIENTIZAÇÃO SOBRE A GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E ORGÂNICOS NO MEIO AMBIEN...
 
Cartilha do Projeto Mais Catador
Cartilha  do Projeto Mais Catador Cartilha  do Projeto Mais Catador
Cartilha do Projeto Mais Catador
 
A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA FORMALIZAÇÃO DO TRA...
A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA FORMALIZAÇÃO  DO TRA...A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA FORMALIZAÇÃO  DO TRA...
A INFLUÊNCIA DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NA FORMALIZAÇÃO DO TRA...
 
Apostila educ ambiental
Apostila educ ambientalApostila educ ambiental
Apostila educ ambiental
 
Pj -MAIS
Pj -MAISPj -MAIS
Pj -MAIS
 
PROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL-ECOLÓGICA
PROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL-ECOLÓGICAPROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL-ECOLÓGICA
PROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL-ECOLÓGICA
 
Monografia Edivania Pedagogia 2010
Monografia Edivania Pedagogia 2010Monografia Edivania Pedagogia 2010
Monografia Edivania Pedagogia 2010
 
PROJETO-MEIO-AMBIENTE-1-maria-socorro-de-oliveira.pdf
PROJETO-MEIO-AMBIENTE-1-maria-socorro-de-oliveira.pdfPROJETO-MEIO-AMBIENTE-1-maria-socorro-de-oliveira.pdf
PROJETO-MEIO-AMBIENTE-1-maria-socorro-de-oliveira.pdf
 
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
 
Monografia Eloa Pedagogia 2010
Monografia Eloa Pedagogia 2010Monografia Eloa Pedagogia 2010
Monografia Eloa Pedagogia 2010
 
Projeto impactos ambientais
Projeto impactos ambientaisProjeto impactos ambientais
Projeto impactos ambientais
 
Acoes-em-educacao-ambiental-e-suas-relacoes-com-a-interdisciplinaridade-e-cid...
Acoes-em-educacao-ambiental-e-suas-relacoes-com-a-interdisciplinaridade-e-cid...Acoes-em-educacao-ambiental-e-suas-relacoes-com-a-interdisciplinaridade-e-cid...
Acoes-em-educacao-ambiental-e-suas-relacoes-com-a-interdisciplinaridade-e-cid...
 
Projeto agua é vida
Projeto agua é vidaProjeto agua é vida
Projeto agua é vida
 
Projeto meio ambiente
Projeto meio ambienteProjeto meio ambiente
Projeto meio ambiente
 
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
 
Plano de ação lauro barreira
Plano de ação   lauro barreiraPlano de ação   lauro barreira
Plano de ação lauro barreira
 
Bicastiradentes meioambiente reciclagem
Bicastiradentes meioambiente reciclagemBicastiradentes meioambiente reciclagem
Bicastiradentes meioambiente reciclagem
 

Mais de Biblioteca Campus VII

Mais de Biblioteca Campus VII (20)

Monografia Alaíde Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Alaíde Pedagogia Itiúba 2012Monografia Alaíde Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Alaíde Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Eleneide Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Eleneide Pedagogia Itiúba 2012Monografia Eleneide Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Eleneide Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Áurea Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Ademilson Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Ademilson Pedagogia Itiúba 2012Monografia Ademilson Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Ademilson Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Jucelino Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Jucelino Pedagogia Itiúba 2012Monografia Jucelino Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Jucelino Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Adriana Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Adriana Pedagogia Itiúba 2012Monografia Adriana Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Adriana Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Agda Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Agda Pedagogia Itiúba 2012Monografia Agda Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Agda Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Marilda Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Marilda Pedagogia Itiúba 2012Monografia Marilda Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Marilda Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Ivonice Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Ivonice Pedagogia Itiúba 2012Monografia Ivonice Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Ivonice Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Edivânia Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Edineide Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Edineide Pedagogia Itiúba 2012Monografia Edineide Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Edineide Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Ana Paula Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Ana Paula Pedagogia Itiúba 2012Monografia Ana Paula Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Ana Paula Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Cristiana Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Cristiana Pedagogia Itiúba 2012Monografia Cristiana Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Cristiana Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Aelson Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Aelson Pedagogia Itiúba 2012Monografia Aelson Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Aelson Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Donivaldo Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Donivaldo Pedagogia Itiúba 2012Monografia Donivaldo Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Donivaldo Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
 
Monografia Ubiratan Enfermagem 2012
Monografia Ubiratan Enfermagem 2012Monografia Ubiratan Enfermagem 2012
Monografia Ubiratan Enfermagem 2012
 
Monografia Samuel Enfermagem 2012
Monografia Samuel Enfermagem 2012Monografia Samuel Enfermagem 2012
Monografia Samuel Enfermagem 2012
 
Monografia Rizia Enfermagem 2012
Monografia Rizia Enfermagem 2012Monografia Rizia Enfermagem 2012
Monografia Rizia Enfermagem 2012
 

Monografia Josenilce Pedagogia Itiúba 2012

  • 1. 1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO – CAMPUS VII CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA REDE UNEB 2000 DE ITIÚBA JOSENILCE LIMA SILVA DE OLIVEIRA JOSINEIDE LIMA DA SILVA SANTOS JUSTINA OLIVEIRA DA SILVA ROSINEIDE BATISTA CARDOSO DE CARVALHO ANÁLISE DO IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL DO LIXO DESCARTADO NO POVOADO DE RÔMULO CAMPOS, ITIÚBA, BAHIA ITIÚBA 2012
  • 2. 2 JOSENILCE LIMA SILVA DE OLIVEIRA JOSINEIDE LIMA DA SILVA SANTOS JUSTINA OLIVEIRA DA SILVA ROSINEIDE BATISTA CARDOSO DE CARVALHO ANÁLISE DO IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL DO LIXO DESCARTADO NO POVOADO DE RÔMULO CAMPOS, ITIÚBA, BAHIA. Monografia apresentada ao Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) - CAMPUS VII, como parte dos requisitos para conclusão do Curso de Licenciatura em Pedagogia. Prof. Dr. Álvaro Müller da Fonseca Orientador ITIÚBA 2012
  • 3. 3 JOSENILCE LIMA SILVA DE OLIVEIRA JOSINEIDE LIMA DA SILVA SANTOS JUSTINA OLIVEIRA DA SILVA ROSINEIDE BATISTA CARDOSO DE CARVALHO ANÁLISE DO IMPACTO SOCIAL E AMBIENTAL DO LIXO DESCARTADO NO POVOADO DE RÔMULO CAMPOS, ITIÚBA, BAHIA Aprovada em____de__________________de 2012. BANCA EXAMINADORA _______________________________________________________________ Prof. Dr. Álvaro Müller da Fonseca – Universidade do Estado da Bahia–UNEB Orientador _______________________________________________________________ Prof. .............................................– Universidade do Estado da Bahia–UNEB Examinador _______________________________________________________________ Prof. .............................................– Universidade do Estado da Bahia–UNEB Examinador
  • 4. 4 Agradecimentos A Deus, mestre por Excelência, por nos iluminar em todos os momentos do nosso viver e manter em nós, através de suas obras, a esperança e a certeza da concretização deste trabalho. Aos nossos cônjuges, filhos e pais, por mais esta conquista, Deus os abençoem.
  • 5. 5 Dedicatória Aos professores do Curso de Pedagogia, pela orientação, disponibilidade e companhia nas discussões que nos permitiram chegar a algumas considerações acerca deste trabalho. Aos nossos filhos dedicamos este trabalho porque marcaram suas presenças durante toda essa jornada, ajudando-nos e incentivando a não desistirmos, o que nos fez termos vontade de seguirmos e sermos cada dia melhores. Ao nosso orientador professor Dr. Álvaro Müller da Fonseca, que com paciência, graça e sabedoria ajudou-nos a concluir mais uma importante etapa das nossas vidas.
  • 6. 6 RESUMO A atual situação de degradação do meio ambiente no mundo e, em particular no Brasil, revela a importância da conscientização da sociedade a fim de contribuir para a preservação dos recursos naturais. Este trabalho tem como finalidade abrir uma discussão sobre o tema: Análise do impacto social e ambiental do lixo descartado no povoado de Rômulo Campos, Itiúba, Bahia. A presente pesquisa aborda a problemática do lixo e tem por objetivo analisar seu impacto social e ambiental no citado povoado, investigando as compreensões da comunidade a respeito do lixo. Assim, tentando sensibilizar as pessoas com relação à importância da coleta do mesmo, seu tratamento, sua destinação e descarte. Desse modo a relevância desse estudo está embasada no fato de trazer para a discussão a problemática do lixo no povoado de Rômulo Campos e por levantar dados sobre essa realidade. Na Fundamentação Teórica, utilizou-se de pesquisas anteriores para dar sustentação a problemática apresentada. A Metodologia utilizada foi a qualitativa e teve como instrumentos de pesquisa, entrevistas e observações do local (pesquisa de Campo). Como resultados principais da pesquisa, constatou-se a falta de educação ambiental e o descaso para com o lixo produzido pela a população. Podemos observar também que há a necessidade de desenvolver projetos visando a reflexão, a sensibilização dos moradores do citado povoado com relação ao meio ambiente, pois a maioria das pessoas entrevistadas tem consciência dos problemas que o descaso com o lixo pode causar à população, mas não tem buscado desenvolver ações a fim de preservar o meio ambiente. Deste modo, esperamos que a população possa compreender a importância da Educação Ambiental como um processo de construção de valores sociais, de conhecimentos e atitudes voltadas para a conservação do meio ambiente. PALAVRAS-CHAVE: Lixo, Meio ambiente, Impacto ambiental, Desperdício, Educação Ambiental.
  • 7. 7 ABSTRACT The current situation of environmental degradation in the world and particularly in Brazil shows the importance of awareness of society to contribute to the preservation of natural resources. This work aims to open a discussion on the topic: Analysis of social and environmental impact of waste disposed off in the town of Rômulo Campos, Itiúba, Bahia. These researches approach the problem of waste and analyze their social and environmental impact in that town, investigating the understandings of the community about the garbage. Thus, trying to raise awareness about the importance of collecting the garbage, its treatment, its destination and disposal. Thus the relevance of this study is based on the fact of evoking the discussion concerning to the problem of garbage in the town of Rômulo Campos and collect data about this reality. In Theoretical Foundation, we had used previous research to sustain the issues presented. The methodology used was qualitative and had used as research tools, interviews and observations of the local (field research). As main results of this research, we had observed the lack of environmental education and the neglect of the waste produced by the population. We also noted that there is a need to develop projects focused at reflection, awareness of the residents of that town with respect to the environment, because most of the people interviewed are aware of the problems that the neglect of the trash can cause the population, but not has sought to develop actions in order to preserve the environment. Thus, we expect that the population understand the importance of environmental education as a process of social construction of values, knowledge and attitudes towards the conservation of the environment. KEYWORDS: Garbage, Waste Environment, Environmental impact, Environmental Education
  • 8. 8 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Termo de Consentimento Livre e Esclarecido...................................................46 Entrevista com a Secretária de Educação.........................................................47 Entrevista com Secretário de Serviços Públicos...............................................48 Entrevista com o Secretário de Saúde..............................................................49 Entrevista com a Coordenadora Pedagógica....................................................50 Entrevista com Comerciantes locais..................................................................51 Entrevista com moradores.................................................................................52 Entrevista com a presidente da Associação Lar Santa Maria...........................53 Carta à Coordenadora de Ensino do Município.................................................54 Carta à Secretária de Educação do Município..................................................55 FOTOGRAFIAS: 1- Lixo espalhado nas ruas do povoado de Rômulo Campos...........................56 2- Lixo depositado em frente às residências em rua do povoado de Rômulo Campos..............................................................................................................56 3- Urubus se alimentando do lixo em rua do povoado de Rômulo Campos..............................................................................................................57 4- Observação no lixão do povoado de Rômulo Campos.................................57 5- Presença de animais domésticos no lixão do povoado de Rômulo Campos..............................................................................................................58 6-Lixo sendo queimado no quintal de residências no povoado de Rômulo Campos..............................................................................................................58
  • 9. 9 SUMÁRIO Agradecimentos.................................................................................................03 Dedicatória.........................................................................................................04 Resumo..............................................................................................................05 Capítulo I: 1.0 Introdução....................................................................................................09 1.1 Apresentação...............................................................................................09 1.2 Problemática................................................................................................10 Capítulo II: 2.0 Fundamentação Teórica..............................................................................15 Capítulo III: 3.0 Metodologia.................................................................................................21 3.1 Paradigmas da pesquisa.............................................................................21 3.2 Localização e caracterização de Rômulo Campos......................................23 3.3 Sujeitos da pesquisa....................................................................................25 Capítulo IV: 4.0 Resultados...................................................................................................27 4.1 Percepções populares sobre o lixo descartado no povoado de Rômulo Campos..............................................................................................................27 4.2 Entrevistas com garis..................................................................................33 4.3. Entrevistas com funcionárias do PSF (Posto de Saúde da Família) de Rômulo Campos................................................................................................33 4.4 Entrevistas com Secretários municipais de Itiúba......................................34 4.5 Entrevista com a Coordenadora de Atenção Básica..................................35 Considerações Finais........................................................................................38 Referências........................................................................................................42 Apêndices..........................................................................................................45
  • 10. 10 1.0 INTRODUÇÃO Neste capítulo faremos a apresentação do nosso trabalho e iremos expor a problemática da presente pesquisa. 1.1 APRESENTAÇÃO Este estudo tem como tema a Análise do Impacto Social e Ambiental do Lixo Descartado no Povoado de Rômulo Campos, Itiúba, Bahia. Nosso objetivo é investigar as compreensões da comunidade a respeito do lixo, tentando sensibilizar as pessoas com relação à importância da coleta do mesmo, seu tratamento, sua destinação e seu descarte de forma apropriada. O presente trabalho foi organizado em quatro capítulos. No primeiro capítulo foi feito a Introdução e apresentado como surgiu nosso problema de pesquisa, as motivações que nos levaram a estudar o tema, os objetivos e a justificativa. No segundo capítulo foi abordado a Fundamentação Teórica, apresentamos aportes teóricos que darão embasamento aos conceitos-chaves do nosso estudo: Lixo, Meio Ambiente e Impacto Ambiental. Abordaremos o problema do lixo, do ponto de vista dos PCNs (1998). Em relação ao meio ambiente e impacto ambiental, orientamo-nos por Moura (2002), Fernandez (2004), Beline (2009), Branco (1997), Portal Lixo (2011), Carvalho (2004), Felix (2007), entre outros. No terceiro capítulo foi apresentado a Metodologia e os caminhos percorridos para chegarmos ao esclarecimento do problema de pesquisa, apresentamos a direção de nosso estudo acerca da metodologia, com enfoque qualitativo. A coleta de dados foi realizada com base em entrevistas realizadas com autoridades do município e integrantes da comunidade local. No quarto capítulo serão apresentados os Resultados, as análises e discussões das informações obtidas a partir das entrevistas realizadas no mês de novembro de 2011. Por fim nas Considerações finais, faremos algumas reflexões dos principais resultados obtidos através da pesquisa. Ressaltamos que o presente estudo não põe fim à problemática aqui abordada, no entanto, cada reflexão
  • 11. 11 apresentada tem o objetivo de oferecer subsídios a fim de buscar alternativas para resolver os problemas do impacto ambiental do lixo descartado no Povoado de Rômulo Campos, Itiúba, Bahia. A Educação Ambiental transformadora utiliza-se do princípio de incerteza racional (Morin, 2002, p.26), ou seja, de uma racionalidade que estabelece o diálogo entre a ideia e o real objetivo, sendo teórica, prática, crítica à realidade vivida e ao próprio movimento que é parte dessa mesma realidade. É possível observarmos que determinados impactos ambientais estão se acirrando, motivados entre outras coisas pelo crescimento populacional. O lixo é uma palavra latina (lixe que significa cinza, vinculada às cinzas dos fogões). Segundo Ferreira (1999), lixo é “aquilo que se varre da casa, do jardim, da rua e se joga fora, entulho. Tudo que não presta e se joga fora. Sujidade, sujeira, imundície. Coisa ou coisas inúteis, velhas, sem valor”. Portanto por ser considerado sem valor o homem não se conscientizou o quanto o lixo é prejudicial para ele e para o meio ambiente. Assim o lixo é pela maioria como algo sem utilidade, uma sobra de material descartável, aquilo que as pessoas desejavam jogar fora. Seria necessário educar a população, pedir que não jogue sujeira nas ruas, pelas janelas de carros, depois de consumir um produto, pedir para as donas de casa só jogar o lixo no momento em que o carro estiver fazendo a coleta, assim, dar o destino apropriado para o lixo. 1.2 PROBLEMÁTICA A produção do lixo vem aumentando assustadoramente na sociedade atual devido ao crescimento de áreas urbanas, contribuindo significativamente para os impactos ambientais. Para Fernandez (2004), as alterações ocorrem por inúmeras causas. Quanto mais aumenta o consumo do ser humano, mais aumenta a quantidade de lixo no ambiente, isso leva a devastação da natureza prejudicando a sociedade, se não souber como fazer com a quantidade de lixo existente.
  • 12. 12 Segundo Beline (2009), se sabe muito bem como produzir o lixo, no entanto não estão sabendo o que fazer com ele. Ainda de acordo com a mesma autora, quem mais gera problemas é o lixo doméstico, principalmente nas cidades, a não ser que seja dividido em duas categorias: os orgânicos (restos de comidas) que se decompõem com mais facilidade e os inorgânicos (plástico, vidros, papel, latas, etc.) que demora muito mais tempo para se decompor se jogado diretamente na natureza. Alguns produtos de consumo são extremamente contaminadores quando se transformam em lixo (pilhas, baterias de celulares, lâmpadas de mercúrio, restos de tintas, produtos de limpeza, etc.). Existem pessoas que mesmo sabendo de todos os prejuízos que o descaso pode trazer para a população, não se preocupam em reduzir a produção do lixo em suas residências. Pessoas essas que deveriam saber que existem formas de redução desse lixo, reciclando alguns materiais, evitando jogá-lo em lugares indevidos prejudicando o meio ambiente. A educação ambiental contribui de forma significativa para a responsabilidade e dignidade do ser humano (BRANCO, 1997), pois através dela as pessoas passam a ver o mundo em que vivem de modo em que se evidenciam as alterações e as interdependências dos diversos elementos na constituição e manutenção da vida. À medida que a humanidade aumenta sua capacidade de intervir no meio ambiente para satisfação de suas necessidades e desejos, surgem tensões e conflitos quanto ao uso do espaço e dos recursos naturais disponíveis para a degradação do meio ambiente onde se insere o homem. A questão ambiental vem sendo discutida cada vez mais, devido às grandes consequências sofridas pelo meio ambiente com o aumento do lixo produzido pelo ser humano. Esse aumento na produção do lixo evidencia a necessidade de um trabalho bem desenvolvido vinculado aos princípios do ser humano, a participação, a responsabilidade e solidariedade. A falta de coleta correta e o local apropriado para o armazenamento final do lixo têm contribuído para o aumento do impacto ambiental causado pelo mesmo (BRANCO, 1997). Percebe-se que o lixo não coletado causa danos ao meio ambiente, por ele em decomposição liberar CO2, gás prejudicial para a vida do ser humano e também contribuir para o aquecimento global, tema que vem assustando toda a população.
  • 13. 13 O lixo está diretamente ligado à realidade, gerando conflitos induzidos pelo avanço das tecnologias e consumo desordenado do ser humano. Segundo o Portal Lixo (2011), cada um de nós, produz mais ou menos 500 g de lixo todos os dias. Assim, de acordo com o que diz o Portal do Lixo, percebe-se que no povoado Rômulo Campos é coletado por dia cerca de dois mil quilos de lixo e jogado a céu aberto no local denominado lixão. À medida que aumenta a população, aumenta também a produção do lixo e com isso surge à necessidade e o desejo crescente de desenvolver atitudes pra amenizar esse problema. Tendo interdependência dos seres humanos e natureza, a educação contribui necessariamente para a responsabilidade e dignidade do ser humano (PORTAL LIXO, 2011). Por ter a problemática do lixo se tornado um assunto bastante discutido nos últimos tempos, surge à necessidade de discutir essa temática nesse trabalho e foi pensando no descarte do lixo diretamente no meio ambiente, que o tema foi escolhido para produzir esta monografia. Procurou-se pesquisar a questão do lixo no povoado Rômulo Campos no município de Itiúba, Bahia, analisando os enfoques ecológicos sociais, buscando compreender os impactos ambientais e as compreensões da população e poder público. Observa-se a diferença entre o descarte do lixo anos atrás e atualmente. Antes o lixo era colocado nos quintais das casas e posteriormente queimado, hoje devido o aumento da população e as diversas composições do lixo, esse procedimento tem sido alterado. Anos atrás, o lixo em sua maioria era orgânico, hoje o inorgânico tem crescido bastante em quantidade. Associado a essas mudanças, o crescimento desordenado do lixo vem causando impactos ambientais muito sérios às localidades que não dispõem de locais apropriados para a sua destinação final. Tais impactos têm causado desequilíbrios consideráveis ao meio ambiente. Essa realidade gera preocupação para a população, fazendo-se necessário o descarte do lixo em local apropriado, pois o descarte de forma inadequada pode trazer consequências desagradáveis para a população. A execução desse trabalho monográfico justifica-se e legitima-se a partir do momento em que busca analisar a problemática do descarte de lixo do povoado Rômulo Campos, levantando dados sobre essa realidade, investigando as compreensões das pessoas diretamente relacionadas às
  • 14. 14 formas de descarte do lixo em lixões a céu aberto na referida localidade. O lixo é um assunto preocupante diante da situação atual que o meio ambiente vem enfrentando com o acúmulo do mesmo. Assim, a importância desse trabalho, consiste em levantar informações referentes à coleta e armazenamento do lixo em Rômulo Campos. Segundo Carvalho (2004, p.81): A educação para conservação certamente sempre foi parte da educação familiar ou comunitária nos meios onde os recursos são escassos. Entre outras ela se desenvolve em situações diversas e ao constatar os primeiros sinais de esgotamento dos recursos naturais. Percebe-se que é correto considerar a educação como base e não como fim do desenvolvimento cognitivo do ser humano e que tipo de educação deve ser realizada. Portanto o processo educativo não hierarquiza o saber científico e o conhecimento popular e étnico, não separa razão e subjetividade, não quantifica o conhecimento aprendido, não separa arte da ciência. Permite avanços, recuos e paradas, já que considera o pessoal, em intransferível de cada um, independentemente de seu papel social. Na busca de alternativas é que a educação tem se baseado para fazer frente e possibilitar algumas respostas aos inúmeros problemas ambientais de extrema complexidade. A preferência pelo presente tema surgiu das nossas experiências profissionais enquanto professoras do ensino fundamental e também alunas do Curso de Licenciatura em Pedagogia do Programa Rede UNEB 2000 de Itiúba, ministrado pelo Departamento de Educação/Campus VII da Universidade do Estado da Bahia – UNEB. Durante todo o percurso acadêmico podemos participar de seminários, oficinas e palestras sobre diversos assuntos na área da educação, inclusive em relação à educação ambiental. A partir dessas reflexões realizadas durante os estudos da graduação, resolvemos realizar um estudo mais aprimorado no intento de conhecer melhor a problemática do lixo no povoado de Rômulo Campos. A partir destas reflexões, podemos então resumir o problema do nosso estudo por meio da seguinte questão norteadora: • Quais as compreensões das autoridades e comunidade local a respeito do impacto ambiental produzido pelo lixo no povoado de Rômulo Campos no município de Itiúba, Bahia?
  • 15. 15 Após a definição da pergunta de pesquisa, torna-se necessário determinarmos os nossos objetivos de estudo para a realização desse Trabalho monográfico de Conclusão de Curso. Objetivo Geral: - Analisar o impacto social e ambiental do lixo produzido no povoado de Rômulo Campos, investigando as compreensões da comunidade a respeito do lixo, tentando sensibilizar as pessoas com relação à importância da coleta do lixo, seu tratamento, sua destinação e descarte. Objetivos Específicos: - Analisar quais as compreensões das pessoas sobre as condições ambientais e como suas alterações podem afetar o cotidiano; - discutir as opiniões da comunidade sobre a educação ambiental; - coletar dados sobre o impacto ambiental causado pelo lixo; - analisar os efeitos causados sobre a comunidade e o meio ambiente; - questionar a comunidade sobre ações desenvolvidas sobre o lixo; - levantar dados sobre os principais locais e as formas de descarte do lixo no povoado de Rômulo Campos; - avaliar sobre o ponto de vista dos entrevistados a percepção ambiental quanto à destinação do lixo; - levantar dados sobre o grau de satisfação da população em geral quanto à coleta e a disposição final do lixo no povoado; - investigar sobre as rotinas e formas de coleta do lixo; - levar a comunidade a refletir sobre a necessidade de mudanças de postura com relação ao lixo.
  • 16. 16 2.0 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Considerando que a imensa produção do lixo ocupa um lugar de destaque entre maiores problemas ambientais da atualidade, agravado pela febre de produtos descartáveis que invadiu o mundo nos últimos anos, considera-se esta temática como essencial a ser abordada. Vivemos atualmente em uma sociedade consumista, na qual a febre dos descartáveis trouxe “facilidades” para a nossa vida, e ao mesmo tempo aumentou mais e mais o volume de lixo produzido. Não houve uma avaliação prévia das consequências desse aumento exagerado de lixo descartado no ambiente. Agora o ambiente sofre com os resultados: os aterros sanitários tiveram sua vida útil diminuída drasticamente, lixões se multiplicam, muitas vezes próximos a regiões de nascentes, ou próximos a centros urbanos (SANTOS, 2008, p.11). Atualmente, as questões ambientais vêm sendo discutidas em virtude da necessidade de mudanças em relação à degradação do ambiente. A educação, nesse sentido, deve ser encarada como elemento para a transformação da sociedade, viabilizando o desenvolvimento de uma nova ética, diferente daquela norteadora de uma sociedade de consumo. A Educação Ambiental deve ser trabalhada de forma integrada, contínua e permanente em todos os níveis e modalidades de ensino, como previsto nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), os quais foram organizados com o objetivo de servir como subsídios para a prática pedagógica dos professores nas escolas (FELIX, 2007). Em março de 1965, durante a conferência em Educação na Universidade de Keele, Grã-Bretanha, surgiu o termo Environmental Education (Educação Ambiental). Na ocasião, foi aceito que a Educação Ambiental deveria se tornar uma parte essencial da educação de todos os cidadãos e seria vista como sendo essencialmente conservação ou ecologia aplicada. Nesse mesmo ano Albert Schweitzer ganharia o prêmio Nobel da Paz, em reconhecimento ao seu trabalho de popularização da ética ambiental. A atual situação do meio ambiente no mundo e, em particular no Brasil, revela a importância de efetivar o papel da escola como instituição responsável pela formação integral dos cidadãos, por meio de uma educação que responda precisamente a realidade, e que dê uma resposta adequada a seus problemas
  • 17. 17 (DÍAZ, 2002). Assim, o ambiente escolar como lugar de construção de conhecimento e formação cidadã torna-se fundamental para propagar ideias e promover uma conscientização na população em relação aos problemas ambientais e a preservação dos recursos naturais. Segundo Uhmaann e Maldaner (2006 apud SANTOS, 2008, p.13), “educação é de extrema importância para desenvolver nos cidadãos atitudes que contribuam para minimizar a produção e o acúmulo de lixo jogado no meio ambiente”. Percebe- se que através da educação ambiental os moradores do povoado Rômulo Campos podem fazer uma coleta seletiva do lixo de forma correta, utilizando vasilhas fechadas para depositar o lixo doméstico e também o lixo retirado de estabelecimentos comerciais. Certas atitudes precisam ser trabalhadas pela escola em parceria com a comunidade a fim de tentar modificar as atuais concepções apresentadas pela maioria dos seres humanos que vêem o meio ambiente, apenas como um lugar comum em que o homem poderá retirar cada vez mais recursos de modo indiscriminado. De acordo com Effting (2007, p.08), atualmente “a interação entre os homens e o ambiente ultrapassou a questão da simples sobrevivência. No decorrer deste século, para se atender as necessidades humanas foi se desenhando uma equação desbalanceada: retirar, consumir e descartar”. A relação do homem com o ambiente tem evoluído de forma descontrolada nos últimos tempos, principalmente na destinação incorreta dos resíduos gerados pela população, o que tem acentuado o processo de degradação do meio ambiente (PCN, 1998). Essa relação de desequilíbrio mostra-se evidente em todas as regiões, quer seja rural ou urbana. De nada adianta ficar falando de efeito estufa, camada de ozônio, matança das baleias, destruição da Amazônia, entre outros assuntos, se não nos voltarmos para a realidade local e esta não for considerada. Aí sim, está a chance imediata de fazer valer os direitos da cidadania em busca de uma vida melhor, isto é, se o meio ambiente estiver limpo e preservado. Um dos principais problemas ambientais que preocupam a sociedade é a grande quantidade de lixo produzido pela humanidade. Hoje, quando a sociedade se preocupa em definir a prática da coleta seletiva do lixo com vistas à reciclagem, essa técnica aparece para muitos como uma conquista recente da ciência e da tecnologia. Porém, como sabemos o conhecimento técnico e
  • 18. 18 científico não parte nunca do zero. Ele é histórico, significa que o mesmo é acumulativo. A problemática do lixo sempre acompanhou a história do ser humano. Durante a Idade Média, o lixo acumulava-se pelas ruas e imediações das cidades, gerando diversas epidemias e causando a morte de milhares de pessoas, o que podemos comprovar através de Branco (1983 apud FADINI; FADINI, 2001, p.09), quando este coloca que: O lixo sempre esteve presente no contexto social humano, e o homem enfrenta problemas relacionados ao acúmulo de lixo há muito tempo. Na idade média, o acúmulo de lixo em ruas e nas proximidades das cidades provocou várias epidemias, causando a morte de milhões de pessoas. O lixo é uma questão ligada à história da humanidade, quanto mais evoluímos mais lixo produzimos e por ser um problema muito antigo, hoje, faz- se necessário cuidados especiais a respeito da coleta seletiva do mesmo, já que vivemos em uma sociedade letrada e sabemos como o mesmo vem causando grandes e graves problemas a todo indivíduo que faz parte do meio ambiente. Atualmente, a quantidade de lixo produzido aumenta, sobretudo nos grandes centros urbanos, o que tem trazido sérias preocupações para os ambientalistas e as autoridades governamentais tendo em vista que “(...) o lixo é produzido diariamente e levado da frente das casas sem as pessoas terem a mínima preocupação de saber qual o seu destino” (EFFTING, 2007, p.02). Muito do lixo recolhido, vai parar no lixão que se constitui em uma mera disposição do lixo a céu aberto, sem nenhum critério sanitário de proteção ao ambiente, o que possibilita o pleno acesso de vetores de doenças como moscas, mosquitos, baratas, ratos e outros animais a esses locais. O lixo é uma questão a ser abordada de forma completa, procurando contemplar os diversos aspectos de natureza econômica, política, social e ambiental, pois segundo Gonçalves (2003, p.92), “na medida em que as ações relativas a lixo e gerenciamento de resíduos não contemplam as questões sociais e sociológicas, num esforço conjugado de secretarias e ministérios, os seres humanos são, e continuarão a ser, excluídos e marginalizados”. A abordagem sobre a problemática do lixo nos municípios brasileiros deve ser constituída pelas investigações acerca dos resultados, das intervenções humanas na circulação e transformação dos materiais no ambiente, tendo em vista a
  • 19. 19 construção de conhecimentos básicos que fundamentam o valor e a sua preservação. Partindo desse pressuposto, percebe-se que a situação atual do nosso local de pesquisa não é diferente da realidade observada em outras localidades. Rômulo Campos é hoje, um dos maiores povoados do município de Itiúba e está em constante crescimento. Com esse crescimento, aumenta também o consumo de diversos produtos por parte da população, gerando maior quantidade de lixo, tanto orgânico, quanto inorgânico, geralmente causando poluição e impactos ambientais diversos. O lixo começa a incomodar, principalmente devido aos problemas de saúde pública que seu descarte indevido já traz para os grandes centros urbanos; o acúmulo de lixo nas ruas causa entupimentos em bueiros; o que aumenta a possibilidade de enchentes em períodos chuvosos (SANTOS, 2008, p.11-12). Os problemas provocados em decorrência da grande produção de lixo têm causado sérios danos ao meio ambiente e a saúde das pessoas. Segundo Moura (2002, p. 24): A percepção de que a degradação ambiental já estava passando a causar graves problemas de saúde ficou evidenciada por ser as principais constatações cientificas relacionando um determinado tipo de poluição causada pelo lixo e perdas de vidas humanas. À medida que cresce a população, crescem também os problemas ambientais e a necessidade de desenvolver atitudes boas para com o ambiente é cada vez maior, sendo o descarte do lixo um dos principais problemas. De acordo com Branco (1997), quanto maior o aglomerado humano maiores são os problemas para a manutenção da higiene do ambiente. Segundo os PCNs (1998), a coleta de lixo e a preservação ambiental são medidas de caráter preventivos fundamentais para a manutenção da saúde. Uma das etapas mais onerosas do tratamento do lixo que visam sua reutilização é a separação adequada dos descartes. Basicamente, devem-se separar os materiais orgânicos dos inorgânicos. Uma primeira classificação pode perfeitamente ser realizada pela população, por meio da coleta seletiva. Colocar esse tipo de ação em prática depende basicamente de vontade política para conscientizar e informar a população sobre os objetivos a alcançar,
  • 20. 20 despertando sua vontade de colaborar. A solução para tal questão não depende apenas de atitudes governamentais ou decisões de empresas; deve ser fruto também do empenho de cada cidadão, que tem o poder de recusar produtos potencialmente impactantes, participar de organizações não governamentais ou simplesmente segregar resíduos dentro de casa, facilitando assim processos de reciclagem (FADINI; FADINI, 2001, p.9). Com a sensibilização para com o meio ambiente, cresce o processo de reciclagem e consequentemente a redução da quantidade de lixo despejados em aterros sanitários e lixões a céu aberto. A reciclagem é considerada a mais adequada, por razões ecológicas e também econômicas: diminui os acúmulos de detritos na natureza e a reutilização dos materiais poupa, em certa medida, os recursos naturais não renováveis. A reciclagem é um dos meios utilizados para a diminuição da quantidade do lixo descartado no meio ambiente. Para que o processo de reciclagem tenha sucesso é necessário que seja feita a coleta seletiva, e de acordo com Grippi e Nonato (2006), a educação ambiental é fundamental para o sucesso de qualquer programa de coleta seletiva, pois é importante esclarecer ao cidadão o seu papel como gerador de lixo, e a educação ambiental pode atingir todas as classes sociais em diferentes segmentos, escolas, repartições públicas, residências, escritórios, fábricas, lojas, ou nos demais locais geradores de lixo. Para Grippi e Nonato (2006), nos últimos 30 anos mudou muito o tipo de lixo. O crescimento acelerado das cidades e ao mesmo tempo as mudanças de consumo das pessoas, trouxeram fatores que vem gerando um lixo muito diferente daqueles que as cidades brasileiras produziam há cinquenta anos. Tais situações variam de município para município, frente aos recursos humanos existentes e disponibilizados em cada administração pública, tornando cada vez mais baixa a eficiência das prefeituras brasileiras que operam com verdadeiros e vergonhosos lixões a céu aberto, assim, faltando recursos e tecnologias para investimento em aterros sanitários oficiais e licenciados pelos órgãos ambientais. De algumas décadas passadas até hoje, criou-se no planeta uma consciência ecológica muito grande que tomou conta de muitos países, particularmente aqueles mais avançados tecnologicamente. “Pois, é assim que
  • 21. 21 surge a ideia do reciclar e diante dessas tecnologias torna-se mais acessível o material reutilizável e com isso a necessidade das cidades brasileiras desenvolverem projetos de educação ambiental” (GRIPPI; NONATO, 2006). O crescimento da produção de lixo está em crescimento constante, principalmente nas áreas urbanas causando impactos ambientais negativos devido ao descarte do lixo de forma inadequada de resíduos em locais que possam prejudicar reservatórios de água, pastagens e até ruas, podendo provocar contaminação do solo e da água, causando vários tipos de doenças. Para muitos, o lixo é algo que não tem mais serventia, que deve ser jogado fora, não se preocupando com a sujeira, o mau cheiro e a poluição ambiental que o mesmo pode causar. Diante do que é observado, nem sempre ocorre como Grippi e Nonato (2006), coloca, pois em alguns lugares o lixo atual é diferente em quantidade, qualidade, volume e em composição, mas não há formas de reutilização e as pessoas não se habituaram ao modelo atual da coleta seletiva e os problemas do lixo vêm incomodando hoje da mesma maneira que incomodava no passado, causando impactos ao solo, à água e ao ar, pois vetores e hospedeiros animais não são os únicos agentes de transmissão de doenças ao homem, mas também o próprio ambiente insalubre com o qual o homem convive. O lixo cada vez mais perto das residências vem causando desconforto à população urbana que vive em bairros ou ruas mais distantes do centro. A produção do lixo vem aumentando cada vez mais em nossa cidade e a população de Rômulo Campos precisa de políticas públicas que venha resolver esse problema. Ainda para Grippi e Nonato (2006, p.68), o lixo é um problema crônico em nossa sociedade, o qual atormenta, reduz a qualidade de vida das pessoas e gera impactos ao meio ambiente. O que foi criado pelo homem para ser lixo não foi pensado no meio ambiente como receptor desses produtos, por isso essa quantidade desordenada de lixo no Brasil e em nosso município sem propostas de descarte sustentável.
  • 22. 22 3.0 METODOLOGIA 3.1. Paradigmas da pesquisa A preocupação em investigar o impacto social e ambiental que o descarte do lixo produzido no povoado Rômulo Campos, pode causar ao meio ambiente nos faz refletir e analisar as consequências do mesmo. O povoado de Rômulo Campos está localizado no semiárido baiano e pertence ao município de Itiúba, situado na região norte do Estado da Bahia a 380 km da capital Salvador. O referido povoado apresenta sério problema relacionado ao lixo, devido o crescimento populacional na localidade. Para o Manual de Gerenciamento Integrado (IPT/CEMPRE, 1995), gerenciar lixo é adotar um conjunto articulado de ações normativas, operacionais, financeiras e de planejamento, com base em critérios sanitários, ambientais e econômicos para coletar, e dispor resíduos sólidos urbanos do município. Assim, a execução de ações planejadas, de forma racional e integrada, leva ao gerenciamento adequado do lixo, assegurando saúde, bem estar e economia de recursos públicos, além de ir ao encontro de um desejo maior que é a melhoria da qualidade de vida das gerações atuais e futuras. A metodologia desenvolvida para a realização desse estudo visa analisar as formas de coletas de lixo produzido no povoado, refletindo sobre o conhecimento da comunidade a respeito do impacto ambiental provocado por esses resíduos. Esta pesquisa teve seu enfoque metodológico na combinação de técnicas qualitativas e quantitativas. Para a efetivação da mesma, nos sustentamos na abordagem qualitativa, por acreditar que é o caminho ideal para compreender o significado e a intencionalidade das falas, percepções, vivências, necessidades e atitudes dos sujeitos pesquisados. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas com cem moradores do citado povoado. Nosso propósito era entrevistarmos um número maior de pessoas, mas infelizmente muitos demonstraram desinteresse em participar da pesquisa. Os entrevistados foram escolhidos aleatoriamente nas ruas por onde passávamos, citando as ruas Olavo Bilac, Duque de Caxias, Praça Hilda Sampaio de Mendonça, Praça da Matriz, Avenida São Pedro, Avenida Tiradentes entre outras. A realização do trabalho de campo teve como
  • 23. 23 critério de escolha a disponibilidade e boa vontade das pessoas em participar do trabalho monográfico. O que nos levou a realizar entrevistas nas ruas citadas foram as observações feitas pelo grupo durante o trabalho de campo. Entretanto, as entrevistas foram analisadas e interpretadas após as transcrições das falas, onde procuramos através dos questionamentos, verificar quais as concepções dos sujeitos participantes deste estudo em relação ao impacto ambiental que o descarte do lixo produzido no povoado Rômulo Campos pode causar ao meio ambiente. Além das entrevistas, foram realizadas também observações no local pesquisado. A realização de um trabalho de investigação torna necessário o uso de um processo empírico que tenha subjacente a si um conjunto de princípios metodológicos que o orientem. Dessa forma o estudo foi desenvolvido sobre o aspecto qualitativo, através da realização de estudos de campo para observações, registros fotográficos, entrevistas semiestruturadas e aleatórias para coleta de informações sobre as compreensões da comunidade a respeito do impacto ambiental. A realidade foi descrita a partir de dados coletados e observações diretas. Como o objetivo do trabalho desenvolvido, além de analisar o impacto ambiental do lixo no povoado Rômulo Campos é também investigar as compreensões e impressões da comunidade a respeito do lixo, seu tratamento e seu destino, realizaram-se atividades voltadas para a educação ambiental da população. As atividades constaram de: a- Estudo de campo: Realizaram-se estudos de campo observando os locais com o objetivo de obter dados sobre as condições do descarte do lixo produzido pela população do povoado Rômulo Campos, bem como das condições do lixão. Realizaram-se observações de forma direta, documentadas com relatórios e registros fotográficos. b- Entrevista: As entrevistas aconteceram de forma aleatória aplicada a várias pessoas da comunidade com o intuito de coletar dados sobre as compreensões da população quanto à educação ambiental e o descarte do lixo. Também se
  • 24. 24 aplicou questionários padronizados aos titulares das secretarias municipal de Educação, Saúde, Serviços Públicos e a Coordenação Pedagógica de Ensino do município de Itiúba (Apêndices), buscando conhecer os projetos desenvolvidos no município sobre educação ambiental, visando estimulá-los a promover ações que possam contribuir para a preservação do meio ambiente. c- Registros fotográficos: Toda a pesquisa foi acompanhada por documentação fotográfica detalhada e todas as informações anotadas junto com todo o material coletado para discussão do trabalho e elaboração desse Trabalho monográfico de Conclusão de Curso. 3.2. Localização e caracterização de Rômulo Campos O povoado Rômulo Campos pertence ao município de Itiúba que está localizado na microrregião de Senhor do Bonfim, região Centro Norte do Estado da Bahia, também denominada de Piemonte Norte do Itapicuru. Sua altitude média é de 4.377m acima do nível do mar (BRASIL, 2011). O mesmo desenvolveu-se a partir de 1960. O clima da região é o semiárido, com chuvas esporádicas, sendo que chove no inverno e nos denominados camboeiros de setembro. O povoado dista 17 km da sede do município de Itiúba e 354 km da capital do estado (Salvador). Rômulo Campos é o principal povoado do município de Itiúba, o maior, tanto na quantidade de habitantes quanto na extensão territorial. Fica localizado em uma planície, tendo como vista as serras itiubenses e o açude Jacurici. O citado povoado faz divisa com os municípios de Cansanção, Queimadas e Monte Santo, pertencentes à região sisaleira e ainda com o município de Andorinhas, no qual se encontra a nascente do rio represado Jacurici. A economia do povoado baseia-se na pesca artesanal, no artesanato de linhas de pesca, baseia-se também na pecuária com a criação de bovinos e caprinos, criação de peixes em tanques rede e na aposentadoria de funcionários do DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) e funcionários da prefeitura municipal de Itiúba (AZERÊDO, 1987).
  • 25. 25 No inicio da povoação, Rômulo Campos tinha o nome de Camaleão, a origem desse nome foi devido à grande quantidade de réptil conhecido por esse nome, existente no lugar. O povoado se desenvolveu a partir de 1960 quando na Câmara de vereadores de Itiúba em sessão solene foi aprovado elevado à categoria de povoado Rômulo Campos em homenagem ao engenheiro que muito contribuiu para a construção do açude Jacurici, o qual deu origem ao surgimento do povoado citado. O povoado Rômulo Campos é rico em crenças, costumes e tradições. Essas manifestações culturais vieram para a localidade através de pessoas de vários estados do Nordeste. Fizeram-se presente em outras épocas, as cantigas de roda, casamento oculto e as brincadeiras de criança, gude, o macacão, a boneca de pano, o carrinho feito de flande, a gangorra, entre outras. Nota-se que as brincadeiras citadas se perderam ao longo dos anos. Era um povo religioso que trouxe o costume de rezar e ir à igreja católica, entretanto é comum encontrar no povoado senhoras que rezam de mau olhado e olho gordo, preservando assim os costumes de seus antepassados. Para Silva (1995): Nessa tradição, o exemplo pela obra de F.R Leavis, a cultura era identificada, exclusivamente e estreitamente com as “grandes obras” de literatura burguesa e estilista, a cultura era intrinsicamente privilégio de um grupo restrito de pessoas: havia uma incompatibilidade fundamental entre cultura e democracia (p.131). Assim a cultura literária era monopolizada e vista como aquisição de poder social e detentora do poder econômico. Segundo o autor, cultura e tradição são fatores a ser preservados para que não se perca com o passar dos anos, para que as futuras gerações se identifiquem como sujeitos dessa cultura e conheçam toda a história do meio em que estão inseridos. No povoado Rômulo Campos, era comum a comemoração da festa do Santo Reis, atualmente não existe mais, devido às pessoas que preservavam essa tradição, faleceram e assim, foi se perdendo na sua identidade cultural. Nota-se que algumas tradições continuam vivas como a trezena de Santo Antônio, rezada todos os anos na capela de Nossa Senhora do Rosário, no local denominado Camandaroba. Comemora-se também a novena de Maria durante nove noites do mês de maio na igreja São Pedro no povoado,
  • 26. 26 cultivando assim os mesmos costumes desde 1955, ano em que se deu o início a todo festejo. O caruru de São Cosme e São Damião é uma tradição viva no referido povoado, é comemorado no mês de setembro nos dias 7; 17 e 27 para se comemorar o dia de São Cosme e São Damião. Comemoram-se também os três dias da Semana Santa. Nestes dias é comum ver afilhados procurar os padrinhos para receberem bênçãos, trocar presentes e almoçarem juntos. Esses dias são considerados como Dias Santos. Em relação aos funerais é comum velar os corpos em casas junto a seus familiares que são visitados pelos amigos, passando a noite velando o corpo. A procissão de São Pedro é outro elemento que faz parte da cultura local, na qual possui como devotos pescadores e viúvas. Portanto, percebe-se que na cultura local há presença muito forte de rituais africanos, onde se comemora o caruru para São Cosme e São Damião, assim existindo o sincretismo entre a religião católica e a religião afro-brasileira. Há terreiros de candomblé com pais, mães e filhos de santos. Existe aqui uma relação entre os rituais africanos do litoral com a cultura local, assim, como o costume de comer vatapá em todas as ocasiões solenes, sejam elas religiosas, pagãs, casamentos, batizados, formaturas ou nos finais de semana. As festas mais divertidas eram o carnaval e a festa junina. Sendo que o carnaval não existe mais, este se perdeu ao longo dos anos. A cultura local possui fragmentos de cultura de outros estados nordestinos tais como: a quadrilha “Fazendeira”, originária do Estado do Piauí, a própria comemoração do padroeiro local, Senhor São Pedro, santo protetor dos pescadores e guardião da chave do céu, que é festejado em parte por água. 3.3. Sujeitos da pesquisa A pesquisa permite a aproximação contínua do pesquisador e seu objeto de estudo, nela a quantidade de pessoas não é tão importante quanto à insistência em olhar a questão através de outros ângulos (GOLDENBERG, 2000). Partindo desse pressuposto, os sujeitos escolhidos para participar desta pesquisa, foram três secretários municipais, a coordenação pedagógica de ensino de Itiúba e cem moradores do povoado Rômulo Campos. As pessoas
  • 27. 27 entrevistadas foram moradores encontrados nas ruas do povoado e o principal critério adotado foi que essas pessoas residissem no povoado. Os entrevistados foram pessoas de idades diversificadas sendo crianças, jovens e idosos. No próximo capítulo faremos a discussão dos resultados, a partir da análise de dados, sem, no entanto, identificar diretamente os sujeitos entrevistados, pois é necessário que “O pesquisador, ao relatar os resultados de sua pesquisa, precisa também preservar a integridade física e a imagem pública dos informantes” (FIORENTINI; LORENZATO, 2006, p.199). Através de procedimentos baseados em entrevistas, procura-se conhecer as concepções dos entrevistados em relação à problemática do lixo na citada localidade.
  • 28. 28 4.0 RESULTADOS Após realizarmos as entrevistas com o secretário municipal de Saúde e de Serviços Públicos do município de Itiúba, bem como com moradores da localidade de Rômulo Campos, faremos aqui as análises dos dados e a discussão dos respectivos resultados. 4.1 Percepções populares sobre o lixo descartado no povoado Rômulo Campos Ao avaliar as entrevistas com alguns moradores de diversas ruas do povoado Rômulo Campos, observou-se que o descarte do lixo feito de modo inadequado no referido local é um problema que preocupa a todos. Todos os moradores entrevistados das ruas do Bebedouro, Avenida Tiradentes, Rua do Campo, Olavo Bilac, Duque de Caxias e final da Travessa São Pedro, afirmam a sua preocupação com o meio ambiente e acreditam que a conscientização é o principal meio para amenizar a atual situação. Na Rua do Bebedouro os moradores não sabem o que é coleta seletiva e qual a sua importância. Foi esclarecido para eles o que representa esse tipo de coleta e após esses esclarecimentos, todos concordaram que a coleta seletiva pode ajudar a diminuir o impacto negativo ao meio ambiente. Muitos desses moradores entrevistados ainda precisam de informações em relação à problemática do lixo e o seu impacto no meio ambiente, pois através dos registros fotográficos, foi possível comprovar o descaso de muitos moradores para com o lixo produzido, pois relatam que não têm coleta e por isso jogam o lixo ao lado de suas casas, dessa forma poluem o meio ambiente, pois esse lixo é levado pelo vento e pela correnteza para dentro do açude Jacurici, poluindo o mesmo. Para alguns moradores o material plástico tem que ser queimado e que o lixão a céu aberto prejudica o ser humano principalmente quando o lixo hospitalar é descartado juntamente com o lixo doméstico. Acredita-se que a preservação do meio ambiente é fundamental para a nossa sobrevivência e por isso a necessidade de se discutir a educação ambiental no povoado, pois sabe- se que o material plástico leva anos para se decompor e que a queima desse
  • 29. 29 material também causa poluição do ar, contribuindo assim, para o surgimento de vários tipos de doenças. Moradores da Avenida Tiradentes dizem que a coleta do lixo no início da avenida é feita todos os dia e descartado no lixão a céu aberto, trazendo doenças, por ficar exposto e muitos animais como o porco, a galinha, o bode e o carneiro comerem restos de alimentos nesse lixão, depois abatidos, chegam a açougues para serem consumidos. Segundo Scarlato (1994), a incineração é uma técnica de eficiência discutida. Se por um lado reduz drasticamente o volume do lixo por outro lado requer um criterioso controle de todo o processo para que a fumaça resultante da queima não constitua nova fonte de poluição do ar. A prática acima citada era usada há muitos anos atrás, todo lixo era junto no fundo do quintal e queimado. Com relação ao material plástico jogado nas ruas, os moradores consideram como um descaso muito grande, pois todo esse material termina nas águas do açude Jacurici que é o principal reservatório de água do município. Um morador que participou do Fórum no Lar Santa Maria no povoado de Rômulo Campos, relatou que os materiais plásticos jogados no meio ambiente provocam a poluição do citado manancial. Segundo ele, o tratamento dado ao lixo antigamente é praticamente o mesmo nos dias atuais, “ocorreram pequenas melhoras, como por exemplo, o carro que é disponibilizado para levar o lixo”. Segundo os moradores do final da Avenida Tiradentes, o carro que faz a coleta não passava para recolher o lixo, por esse motivo foi realizada reunião com a gestora do município para questionar sobre essa situação, após as reclamações, a coleta passou acontecer duas ou três vezes por semana. A Avenida Tiradentes está localizada no centro do povoado, nela se encontra quase todo o comércio local. Quanto ao Fórum, esse morador diz que as propostas são boas, mas que infelizmente ficam só no papel. Após ouvir moradores da Avenida Tiradentes chega-se a conclusão de que a coleta do lixo no povoado deixa muito a desejar, devido ser uma avenida localizada no centro, com comércio diversificado deveria haver coleta de lixo todos os dias, pois as pessoas que moram no final dessa avenida possuem os mesmos direitos que as demais. Na Rua do Campo e final da Travessa São
  • 30. 30 Pedro os moradores têm respostas semelhantes, não conhecem plenamente o que é coleta seletiva e quanto à coleta do lixo eles reclamam que o motorista da caçamba não atende adequadamente, quando passa recolhendo o lixo e que em algumas ruas mais afastadas manda que os garis que trabalham com ele queimem o lixo em frente às residências das pessoas. A queimada do lixo prejudica o meio ambiente e também os moradores que não se sentem bem com a fumaça e o cheiro expelidos pelo lixo queimado. Uma moradora relatou que seu esposo foi até o secretário de saúde, que o levou até a gestora e pediu que a mesma tomasse providências, pois a queimada do lixo em frente a sua residência estava prejudicando seus familiares que têm problemas alérgicos, a partir dai é que diminuiu o problema, mas não resolveu, de vez em quando ainda acontece. Tanto moradores da Rua do Campo quanto do final da Travessa São Pedro dizem que não acham correto o descarte de material plástico nas ruas, alguns comentam até que os comerciantes deveriam providenciar outro tipo de embalagem para substituir as sacolas plásticas. Sobre o lixão a céu aberto dizem que é errado e que isso pode causar grandes danos ao meio ambiente. Os moradores mais antigos afirmam que anteriormente o lixo era menos prejudicial, pois todos limpavam suas casas, seus terrenos e jogavam o lixo em locais que pudesse ser queimado sem prejudicar ninguém, atualmente o lixo é descartado diretamente no meio ambiente pelos próprios moradores. Aqui se percebe a falta de conhecimento sobre o meio ambiente e os fatores que prejudicam o mesmo. Uma senhora de mais de 80 anos, nos relatou: “Olha eu presenciei a construção do açude Jacurici, na época havia muito cuidado com a limpeza do lugar, hoje toda sujeira vai para dentro do açude, até mesmo os restos de peixes quando os pescadores fazem o filé, deste modo a água do açude do jeito que tá, não é apropriada para o nosso consumo”. Os moradores da Travessa São Pedro e Rua do Campo relatam que não estão sendo tratados com respeito, tanto pelas autoridades do povoado como pelo pessoal que recolhe o lixo, deixando-os desvalorizados, e que poderiam recorrer aos órgãos do município e fazer valer seus direitos e serem respeitados. Em relação ao lixo que tem como destino final o açude Jacurici, acredita-se ser um problema preocupante, pois a população já está sofrendo as
  • 31. 31 consequências desse descaso e as autoridades não tem tomado às providências necessárias para resolver o problema. Portanto, há a urgente necessidade de se desenvolver projetos na área da educação ambiental, pois é fundamental para a conscientização da população. Dentre todas as entrevistas realizadas com moradores de várias ruas do povoado, os que mais se mostraram esclarecidos sobre o meio ambiente, foram os moradores da Praça Hilda Sampaio de Mendonça, pois ao serem questionados em relação à coleta seletiva e sua importância, souberam falar sobre a mesma. Para eles, a conscientização da população em relação à preservação do meio ambiente é feita a partir da divulgação de ações que podem ser realizadas por todos os cidadãos. A população consciente passará a selecionar o lixo para reciclagem, melhorando a limpeza do povoado e diminuindo a poluição do ar, do solo e da água. Sobre o lixão a céu aberto, relataram que é uma situação preocupante, pois prejudica o meio ambiente não só no local do lixão, mas também nas redondezas. De acordo com relato de um morador, o material plástico é levado pelo vento poluindo as pastagens próximas e até mesmo o açude do povoado que abastece toda a população, é preciso que os órgãos públicos tomem iniciativas juntamente com a comunidade para desenvolver projetos que visem o beneficiamento do meio ambiente. Com relação ao lixo do PSF (Posto de Saúde da Família), os moradores acham errado o descarte do lixo junto com o lixo doméstico e que o mesmo deveria ter um destino diferente, devido haver pessoas que sobrevivem da coleta desse lixo para reciclagem e correm o risco de serem contaminados por algum tipo de doença atraído pelo lixão. Tanto os moradores da Praça Hilda Sampaio de Mendonça, quanto da Rua Olavo Bilac, falam sobre o descaso da população com o lixo, pois o carro passa para coletar lixo, logo em seguida já se observa materiais plásticos jogados nas ruas. Sobre o descarte do lixo antigamente e o atual dizem que não mudou muito, porque há cinco ou seis anos atrás era descartado em um local chamado Lagoa da Judite. Sendo que o mesmo ficava bem próximo às residências de alguns entrevistados, os mesmos eram prejudicados não só pelo odor, mas também por animais e insetos atraídos pelo lixo, como ratos, baratas, moscas, porcos e etc., atualmente o lixo é transportado para um local
  • 32. 32 mais distante, mas muitos moradores ainda jogam no local de antigamente e fazem queimadas. Outro morador da Praça Hilda Sampaio de Mendonça que faz parte da ONG Lar Santa Maria, falou sobre a importância da coleta seletiva não só para o povoado, mas também para o município, “pois com a iniciativa da coordenadora da ONG, foram construídos com materiais recicláveis containers que foram colocados nos maiores povoados do município em pontos estratégicos como forma de incentivar os moradores a fazerem a coleta seletiva”, o mesmo falou da necessidade de desenvolver projetos para amenizar a poluição do solo, pois segundo pesquisas realizadas o lençol freático do povoado é muito raso, isso requer uma atenção especial, é uma questão que não está sendo solucionado e sim transferido de um lugar para outro. Aliada a essa problemática, existe ainda a questão de que o lixo doméstico era depositado nos fundos das residências, em local denominado monturo. As consequências desse procedimento têm permanecido até os dias atuais, em fato recente, por exemplo, quando os trabalhadores na construção de um muro do colégio Centro Educacional Pedrina Silveira, no povoado Rômulo Campos fizeram escavações para a construção de uma cisterna, se depararam com uma grande quantidade de lixo enterrado no local, comprovando que aquele local anteriormente era utilizado como um depósito de lixo. Os moradores das ruas citadas se mostraram conscientes da poluição que o lixo pode causar e pelo que se pode perceber procuram manter limpa a rua onde moram e mostram preocupação com o meio ambiente em geral. Nas entrevistas com três comerciantes com a pergunta: O que é coleta seletiva e o que é feito com o lixo? Comerciante A: “Sei que a coleta seletiva é importante para que não polua o meio ambiente, sei que a coleta do lixo não é feita corretamente, ainda não participei de nenhuma reunião do Fórum, mas fico orgulhoso, o povo está se reunindo e isso é muito importante para o lugar e que tudo que for feito para o bem do meio ambiente, fico feliz. Em relação à coleta de lixo de meu estabelecimento comercial apenas o plástico e o papel são descartados, mas essa questão percebo que vai melhorar no futuro do meio ambiente, antes o
  • 33. 33 lixo do meu estabelecimento era colocado em uma D-20 de minha propriedade e feita a coleta do lixo de meu estabelecimento, mas os moradores começaram a misturar o lixo doméstico e o carro que fazia a coleta seletiva deixou de pegar, desistir e coloco o lixo na rua para que a caçamba pegue o lixo. Quanto aos produtos vencidos, são devolvidos e incinerados pela empresa fornecedora que registra todo o processo com fotos. A coleta precisa melhorar, o lixão a céu aberto é um horror, um absurdo, uma falta de respeito, polui o meio ambiente e o lixo misturado com os esgotos prejudicam muito a população. Há vinte e dois anos já era visível a poluição, já existia esgotos descendo para dentro do açude Jacurici, mas se nós comerciantes nos uníssemos, poderíamos resolver esse problema”. O comerciante B: “Está ficando cada dia pior, não participo do Fórum, ou melhor, das reuniões do Fórum no Lar Santa Maria por falta de tempo, quando alguns medicamentos vencem são incinerados e outros colocados em sacolas plásticas e colocados para o carro que faz coleta seletiva pegar. É vergonhoso deixar aquele lixão a céu aberto, melhor seria se abrisse um buraco, descartasse o lixo e depois queimá-lo”. O comerciante C: “Acho que tudo está errado, mas depende de cada um de nós cuidarmos do meio ambiente”. A comerciante D: “Não sei muito sobre isso, mas minha filha de nove anos pode responder. A separação do lixo é muito importante, sei que cada coisa deve ser colocada separada, restos de comidas numa vasilha, lixo do banheiro em outra, vidros em outra, mas o povo mistura tudo, é o povo grande quem prejudica o meio ambiente”. Percebe-se que apenas um dos comerciantes entrevistados participa das reuniões do Fórum do Lar Santa Maria e este diz que é preciso que as pessoas observem o horário que o carro passa coletando o lixo e não coloquem o lixo na rua depois que o carro passar. Observa-se nas falas dos entrevistados a preocupação referente ao lixão, este por ficar próximo do povoado e também à beira da estrada, “é uma vergonha aquele lixo naquele lugar”. Pelo que se pode perceber, os comerciantes também necessitam de informações sobre educação ambiental, enquanto os moradores demonstram preocupação com os problemas que o lixo pode causar, os comerciantes não
  • 34. 34 demonstram tanta preocupação assim. 4.2 Entrevistas com garis Após as entrevistas com moradores e comerciantes, resolvemos também entrevistar os garis. Gari A: “Tenho aproximadamente 23 anos de trabalho recolhendo o lixo no lugar, no inicio fiz esse trabalho, sem receber treinamento e equipamento, hoje melhorou porque antes o lixo não tinha um destino certo era jogado em qualquer lugar, não havia carro, a coleta era feita em carrinhos de mão e jogava o lixo na beira da estrada ou lugares próximos a residências, levei muitas carreiras dos moradores. Hoje a atuação dos garis é facilitada pela maioria dos moradores, me sinto mais valorizado e recebemos equipamentos e treinamentos, olha já fui internado com problema de saúde, adquirido pela falta de equipamentos de proteção na área onde trabalho. O lixo só ganhou um local certo para ser jogado há uns seis a sete anos atrás, depois que a população exigiu do gestor do município que comprasse um local para que o lixo coletado fosse jogado”. Gari B: “É um trabalho difícil, pois tenho que correr junto com meus amigos atrás da caçamba para jogar o lixo em cima do carro, a população, alguns até que colaboram deixando o lixo nas portas das casas, mas o motorista da caçamba não faz parada, assim, a gente joga o lixo com carro em movimento, com isso cai um pouco de lixo aqui, outro pouco ali e assim por diante, o carro sendo o próprio responsável pela coleta não bem feita das ruas do povoado”. Os demais garis dizem não ter nada a falar por estar a pouco tempo na área. 4.3 Entrevistas com funcionárias do PSF (Posto de Saúde da Família) de Rômulo Campos Ao entrevistarmos as funcionárias do PSF (Posto de Saúde da Família) de Rômulo Campos, pode se perceber uma contrariedade nas falas das
  • 35. 35 mesmas, de inicio não sabiam o que é coleta seletiva e nem qual a sua importância. Ao explicar o significado da mesma começaram as contradições: Funcionária A: “A coleta é feita com uma seleção do material descartado do PSF e colocado em embalagens diferenciadas e enviadas para a vigilância sanitária”. Funcionária B: “Sou responsável pela limpeza do PSF coloco o lixo em sacolas plásticas e coloco na rua para o carro”. Com relação à importância da preservação do meio ambiente, disseram que é muito importante que as pessoas preservem. Já sobre as reuniões do fórum do Lar Santa Maria, dizem que são importantes, as propostas são excelentes, mas infelizmente precisa-se de alguém para colocar em prática, porque não saem do papel. O que nos chamou mais a atenção foi o fato de que, a enfermeira que se encontrava no local nesse momento, não demonstrou interesse no assunto em relação ao meio ambiente. 4.4 Entrevistas com Secretários municipais de Itiúba Diante de entrevista com o secretário de administração que é responsável pelos serviços públicos e o secretário de saúde do município, foram feitos alguns questionamentos sobre o lixo no povoado de Rômulo Campos, o impacto ambiental e algumas matérias postadas no site PORTAL ITIÚBA. A - Secretário de Administração falou: “tenho conhecimento de como é feita a coleta, quais os horários de coleta, sei que o serviço é inadequado, mas vai haver lixeiras para que se faça a coleta diária, com horário determinado para cada rua, mesmo assim não solucionará o problema. Em relação às matérias que foram publicadas no site PORTAL ITIÚBA sobre o lixo encontrado nas margens do Açude Jacurici, não tenho conhecimento”. B - Secretário de Saúde: “tenho conhecimento das matérias publicadas no site PORTAL ITIÚBA sobre o acúmulo de lixo ás margens do Açude Jacurici, sou conhecedor do problema. Sei que a coleta seletiva do lixo em Rômulo Campos, é feita através de uma caçamba e com profissionais da área (os garis). Estive no Fórum que aconteceu no Lar Santa Maria achei muito proveitoso, também participei de reuniões da saúde, a qual tem como tema o
  • 36. 36 meio ambiente, sobre a existência de projetos sobre Educação Ambiental, não tenho conhecimento. Ainda não participei das reuniões do Fórum no Lar Santa Maria no povoado Rômulo Campos, mas estou interessado no assunto e com a problemática no povoado, mas o governo tem que tomar sérias providências com relação aos materiais plásticos jogados às margens do Açude Jacurici, o qual abastece toda a população do município de Itiúba”. Segundo os dois secretários (o da administração e o da saúde), não existe nenhuma ação planejada para resolver a situação. O que nos deixou inquietas foi o comportamento da Coordenadora Pedagógica de Ensino e a Secretária de Educação do município de Itiúba. Ao procurá-las para que se possível nos concedessem entrevista, as mesmas demonstraram desinteresse e pediram que deixássemos as questões escritas e que depois responderiam para depois nos entregar. Mas, isso não aconteceu, voltamos várias vezes, mas não fomos atendidas, sempre apresentavam alguma desculpa. Orientadas pelo professor Álvaro Müller da Fonseca, enviamos uma carta às mesmas agradecendo pela atenção que nos dedicaram, pedindo desculpas pelo incômodo que lhes causamos, mas que não seria possível esperarmos mais, pois precisamos concluir nosso trabalho, que por ser um trabalho acadêmico tem prazo para ser concluído (Apêndices). 4.5 Entrevista com a Coordenadora de Atenção Básica A Coordenadora de Atenção Básica, ao ser entrevistada, relatou que o problema não é só de Rômulo Campos, mas de muitos outros lugares, é a falta de educação da população que não separa os materiais para a reciclagem, mas que precisa de uma infraestrutura para coleta seletiva e reciclagem do lixo, que também há falta de políticas públicas de incentivo ao reaproveitamento destes recursos, principalmente em municípios pequenos. Sobre o lixo produzido pelo PSF (Posto de Saúde da Família), foi relatado pela mesma que é divida em duas partes, os papéis e lixo comum são colocados para o lixão, já o material contaminado e perfuro cortante são levados para a vigilância sanitária, onde são incinerados em local apropriado.
  • 37. 37 A Coordenadora relatou que a coleta no final da Rua do Bebedouro deixa a desejar, por existir uma quantidade enorme de lixo espalhados pelo chão, sendo levado pelo vento e chuva para dentro do açude. A entrevistada afirmou que não tem conhecimento das reportagens publicadas no site PORTAL ITIÚBA, que trata da problemática do lixo que fica espalhado pelas ruas e esgotos que jorram para dentro do açude. Quanto às reuniões do Fórum, a mesma já participou de algumas, mas se desanimou, pois só tem conversa bonita e nenhuma providência foi tomada em favor do meio ambiente e que as reportagens deveriam continuar acontecendo para que a população tomasse conhecimento e incentivar a conscientização principalmente dos jovens. Os moradores de classes sociais diferentes,quando questionados de forma igual sobre a coleta e deposito final do lixo emitiram a mesma opinião,que a coleta é irregular, principalmente nas ruas mais afastadas do centro do povoado. Na Avenida São Pedro, moradores relataram que não tem coleta e que os mesmos precisam se deslocar para algum ponto de coleta que seja mais próximo de suas casas, outros jogam em terrenos baldios e queimam próximos às suas residências. Segundo relato de moradores, até pouco tempo a produção do lixo no povoado ocorria em pequena quantidade e que era jogado nos fundos dos quintais e queimados, com o passar dos anos a população aumentou e junto veio o aumento da produção de lixo e a necessidade de um meio de recolhimento deste para depositá-lo em um local adequado. A partir dessa necessidade surge o lixão a céu aberto para depósito de todo lixo produzido pela população, visando uma higienização do meio ambiente. Diante dos dados coletados, salientamos que: • o lixo tem coleta diária em apenas alguns pontos do povoado; • a queimada do lixo é feita logo após o descarte do mesmo no lixão; • o lixo acumulado em terrenos baldios é queimado mesmo próximo às residências; • o lixo é descartado em vias públicas (ruas estrada, etc.) sem nenhuma preocupação; • a criação do lixão para depósito final do lixo coletado não é adequado;
  • 38. 38 • a coleta seletiva ainda não foi adotada no povoado; • existem moradores que fazem do fundo do quintal de suas próprias casas um verdadeiro lixão, não se preocupando com a própria saúde. Através das entrevistas com os moradores, pode-se perceber que a população mesmo dizendo-se preocupada com os transtornos causados pelo lixo, não se preocupa com a educação ambiental, pois é visível a quantidade de lixo jogado nas ruas e o material plástico que é levado pelo vento; possuem chiqueiros de porcos e mesmo assim reclamam da poluição. São pessoas conscientes da poluição, mas não param para fazer uma reflexão e tentar amenizar esta situação pelo menos na rua em que residem. Acredita-se na Educação Ambiental como processo educativo, permanente, e continuo que visa desenvolver uma filosofia de vida ética e moral, de maior harmonia a respeito da natureza entre os homens, propiciando conhecimentos e o exercício da cidadania. A Educação Ambiental constitui um importante instrumento de mobilização da comunidade para a mudança de hábitos e comportamento, especialmente em projetos relacionados à coleta seletiva. Segundo Galvão (2000), uma das condições para a expansão da reciclagem é o desenvolvimento das ações exemplares de articulação entre a educação ambiental, coleta seletiva e responsabilidade social, envolvendo escolas, empresas e organizações não governamentais. Tais circulações viabilizam o ciclo completo da reciclagem, além de beneficiar entidades sociais. Para implantar a coleta seletiva do lixo, o primeiro passo é gerar conscientização. Elaborar um plano para conscientizar os moradores das vantagens da coleta seletiva. O importante é mostrar que a coleta seletiva, atualmente, é algo fácil além de vantajoso. Basta o desejo e a boa vontade de todos.
  • 39. 39 CONSIDERAÇÕES FINAIS O crescimento populacional, a consequente expansão territorial urbana e a ampliação do sistema de produção e consumo industrial têm contribuído para agravar as condições ambientais, sobretudo em relação ao aumento da produção de lixo, principalmente no cenário urbano. A coleta seletiva do lixo é uma ação importante para se preservar o ambiente, mas para que dê resultado, é preciso que toda a sociedade colabore e participe da construção de uma mudança de mentalidade, consequentemente, de hábitos em relação à problemática do lixo. Tal conscientização não se dar de uma hora para outra, mas por meio de um trabalho constante de Educação Ambiental que garanta o envolvimento e a participação de todos: escola, família, comunidade e Estado. No Brasil, ainda predomina os lixões como forma de destino final dos resíduos. Neles o lixo é depositado sem nenhum tratamento, causando diversos impactos ambientais, como a contaminação dos lençóis freáticos, pelo chorume, e da atmosfera, pela queima do lixo. A análise dos dados obtidos através dessa pesquisa demonstrou que os participantes de modo geral, possuem certo grau de conhecimento ainda que superficial, acerca dos problemas ambientais e da necessidade de preservar o meio ambiente. Após realizar pesquisas de campo, registros fotográficos e entrevistas com moradores do povoado Rômulo Campos, percebe-se a necessidade de desenvolver projetos visando à reflexão e sensibilização dos moradores do citado povoado com relação ao meio ambiente. Com os trabalhos realizados constatou-se a falta de educação ambiental e o descaso para com o lixo produzido pela população. Pôde-se perceber também que a maioria dos moradores tem consciência dos problemas que o descaso com o lixo pode causar a própria comunidade, porém não tem buscado desenvolver ações a fim de colaborar para a preservação do meio ambiente. Ao questioná-los sobre coleta seletiva percebe-se que é um assunto que para muitos não tem importância, diante disso, verificamos a carência da educação ambiental no
  • 40. 40 povoado, principalmente em relação ao material plástico que leva anos para se decompor. Mediante a observação da presença de lixo exposto nas ruas do povoado, despertou o desejo de realizar um trabalho pelo qual nos leva a fazer questionamentos com moradores e comerciantes da localidade e alguns gestores da administração do município. Questionamentos esses que envolvem temáticas relacionadas ao meio ambiente, sua preservação, saúde da população e outros aspectos importantes. Foi através dessa inquietação que se obteve várias informações, antes desconhecidas e que de certa forma incomodam alguns moradores e comerciantes. Uma delas é onde e como é descartado o lixo recolhido nas ruas, pois é um local a céu aberto, localizado bem próximo ao povoado e exposto, podendo causar danos ao ambiente e a saúde da população. Outra problemática verificada é em relação ao lançamento desse lixo dentro do açude do povoado. Os resíduos sólidos são carregados pelo vento e também por enxurradas, e vão direto para o açude que abastece quase todo o município de Itiúba e que é um meio de renda para a maioria da população do povoado, visto que muitas famílias comercializam peixes nas feiras-livres da região. Ainda podemos observar que a estrada que liga o povoado ao local do lixão possui bastante lixo espalhado pela mesma, inclusive sacolas plásticas e papelões, isso foi constatado não apenas por informações de moradores e comerciantes entrevistados, como também através de visitas ao local e registros fotográficos. Segundo os entrevistados, essa situação é lamentável, por ter prejudicado bastante o meio ambiente, sem contar com os riscos para saúde do ser humano, principalmente para as crianças que geralmente ficam em contato com esse lixo procurando algo que possa reciclar. A discussão teve êxito porque falando de educação ambiental é importante ressaltar os prejuízos causados aos recursos naturais e a responsabilidade da comunidade em mantê-los em condições adequadas ao desenvolvimento e necessidade das gerações futuras. É diante de tais situações que a comunidade percebe a importância de se adotar medidas que possam reduzir a produção de lixo e a emissão de poluentes no ambiente, amenizando assim os efeitos nocivos à natureza. Para a educação ambiental, entendida como educação política, os
  • 41. 41 argumentos apresentados procuram fortalecer a importância do seu papel na sociedade. Por outro lado, ela colabora na busca e construção de alternativas sociais baseadas em princípios ecológicos, éticos e de justiça, para com as gerações atuais e futuras. Pesquisando-se o lixo do povoado Rômulo Campos e levando-se em consideração a presença dos refugos ligados ao comércio e os produtos descartáveis, vemos que as classes mais abastadas são as maiores produtoras, tanto em quantidade como em qualidade, nos despojos dessas classes podemos encontrar uma infinidade de produtos, entre eles os próprios sacos de lixo, embalagens sofisticadas de material de limpeza, embalagens feitas para tornar certos alimentos mais atrativos e, como símbolo ilustrativo da modernidade. Sabe-se que os estudos sobre o lixo ainda são precários, mas certas evidências como algumas denúncias veiculadas pela mídia e pelos movimentos ecológicos permitem-nos formular algumas hipóteses sobre ele, sua relação com as questões ambientais e as vantagens de programas de reciclagem dos resíduos para que não sejam lançados no meio ambiente. Foram constatados alguns descasos por parte dos moradores, comerciantes e de funcionários do PSF, pois mesmo tendo conhecimento dos efeitos prejudiciais que o lixo causa ao meio ambiente, ainda procedem de modo errado acerca do seu descarte. Pode-se comprovar que a comunidade tem conhecimento dos prejuízos causados, porém mesmo assim não procuram implementar ações que possam contribuir para resolver esse problema. Afirmam que são prejudicados pelo lixo plástico, no entanto, a maioria joga este material nas ruas. Com base nas entrevistas com os secretários municipais, pode-se observar que os mesmos falam sobre projetos a serem desenvolvidos a fim de encontrar um meio para proteger o meio ambiente e que é uma causa que tem que ser vista com outros olhos, para que seja melhorada a coleta seletiva do lixo no povoado Rômulo Campos, mas alegam que é preciso parceiros que se comprometam com os problemas ambientais do povoado. Com a conclusão desse trabalho percebe-se que o lixo do povoado nunca teve um lugar apropriado para o seu descarte, foi sendo transferido de um local para outro sem um planejamento adequado. O local onde atualmente
  • 42. 42 serve de lixão é inadequado, pois se encontra localizado as margens de uma estrada entre pastagens, em um local que o vento leva todo o material plástico (sacos e sacolas) para o açude Jacurici. Observa-se também que pequenos reservatórios de água que ficavam próximos já não existem mais, sem contar que animais que são abatidos para o consumo humano (porcos e ovelhas) se alimentam no lixão. O que nos chamou bastante a atenção foi encontrar material escolar como livros didáticos e mapas em perfeitas condições de uso, jogados no lixão, isso comprova o descaso de autoridades, pois se acredita que estes tenham sido descartados no lixo das escolas do povoado de Rômulo Campos. Por meio das observações realizadas, percebe-se que é necessário incluir no currículo das escolas o tema Educação Ambiental, dando ênfase à importância da coleta seletiva do lixo e a reciclagem dentro do contexto educacional e social, para que os moradores do povoado não cometam erros em relação ao descarte do lixo, como foram comprovados em nosso trabalho de pesquisa de campo. Esperamos através desta pesquisa, contribuir para que ações sejam realizadas em benefício da sociedade e do meio ambiente, a fim de representar um grande avanço social, cultural e ambiental, conciliando desenvolvimento sustentável e preservação do meio ambiente. E, assim proporcionar às futuras gerações, condições para viver em um ambiente saudável.
  • 43. 43 REFERÊNCIAS AZERÊDO, R. Itiúba e os roteiros do padre Severo. Goiânia: Unigraf, 1987. 253p. BELINE, S. Coleção tempo de aprender (EJA) Educação Jovens e Adultos 6º ao 9º ano ensino fundamental. 2 ed. São Paulo: [s.n.], 2009. 222p. BRANCO, S. M. O meio ambiente em debate. 26 ed. rev. e ampl. -São Paulo: Moderna, 1997-(coleção polêmica). p.09-20. BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1> Acesso em: 01 dez. 2011. CARVALHO, I. C. de M. Educação ambiental a formação do sujeito ecológico. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2004. p.81. DÍAZ, A. P. Educação Ambiental como Projeto. Porto Alegre: Artmed, 2002. p.35-37. EFFTING, T. R. Educação Ambiental nas Escolas Públicas: Realidade e Desafios. Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Campos de Marechal Cândido Rondon, 2007. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/diaadia/diadia/arquivos/File/taniaregina. pdf>. Acesso em: 01 dez. 2011. FADINI, P. S; FADINI, A. A. B. Lixo: desafios e compromissos. Cadernos Temáticos de Química Nova na Escola, Edição especial, p. 9 a 18, maio de 2001. p.09-10. FELIX, R. A. Z. “Coleta seletiva em ambiente escolar”. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental BotucatuSP, v.18 Jan Jun.2007. Disponível em:<www.ambiente-augm.ufscar.br/uploads/A/3-106.PDF> Acesso em: 01 dez. 2011. FERNANDEZ, F. A. dos S. O poema imperfeito: Crônicas de Biologia, conservação da natureza, e seus heróis. 2 ed. Curitiba: UFPR, 2004. p.17.
  • 44. 44 FERREIRA, A. B. de H. Dicionário Aurélio eletrônico século XX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. 1 CD-ROM. FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2006. 226p. GALVÃO, M. Reciclagem conquista a respeito do mercado. Revista Plásticos modernos n. 305, dez/jan., 2000. Disponível em: <www.cenedcursos.com.br/educação-ambiental-e-coleta-seletiva-do-lixo> Acesso em: 01 dez. 2011. GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 4 ed. Rio de Janeiro: Record, 2000. 107p. GONÇALVES, P. A Reciclagem Integradora dos Aspectos Ambientais, Sociais e Econômicos. Rio de Janeiro: DP&A: Fase, 2003. p.92. GRIPPI, M. A.; NONATO, C.A. A preservação e recuperação do meio ambiente. São Paulo: [s.n.], 2006. p.37-117. IPTCEMPRE, Lixo Municipal: manual de gerenciamento integrado. Instituto de Pesquisas Tecnológicas. Publicação IPT 2163. São Paulo, 1995. p.3. MORIN, E. Ciência com consciência. 6 ed. Trad. Maria D. Alexandre e Maria Alice S. Doria. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002. p.26. MOURA, L. A. A Gestão ambiental. 3 ed. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2002. p.26. PCN – Parâmetros Curriculares Nacionais: meio ambiente, saúde /Secretaria de Educação Fundamental-Brasilia: 1998. 128p. PORTAL LIXO, Disponível em: <www.coleta seletiva. gov.br/menu/noticias>. Acesso em: 08 ago. 2011. SANTOS, R. G. dos. Aprendendo sobre o Lixo Urbano: Um Olhar da Ecologia Integral. Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Educação – FAE. Belo Horizonte, 2008. p.11-13.
  • 45. 45 SCARLATO, F. C. Do nincho ao lixo: ambiente sociedade e educação. São Paulo: Atual, 1994. (Série meio ambiente). Disponível em: <www.rc.unesp.br/igce/765-781)Fabio.pdf> Acesso em: 08 ago. 2011. SILVA, C. R. L. da. Inovação tecnológica e distribuição de renda, impacto distributivo da produtividade na agrícola brasileira. São Paulo: Instituto de Economia Agrícola, 1995. p.131-135.
  • 47. 47 APÊNDICE A - TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO Prezado (a) participante: Somos estudantes do curso de graduação na Faculdade de Pedagogia da Universidade do Estado da Bahia - CAMPUS VII Senhor do Bonfim, Rede Uneb 2000 de Itiúba. Estamos realizando uma pesquisa sob supervisão do professor Álvaro Müller da Fonseca, cujo objetivo é analisar o impacto ambiental do lixo no povoado de Rômulo Campos, investigando as compreensões da comunidade a respeito do lixo, tentando sensibilizar as pessoas com relação à importância da coleta do lixo, seu tratamento, sua destinação e seu descarte. Sua participação envolve uma entrevista, que será escrita se assim você permitir e que tem a duração aproximada de 10 minutos. A participação nesse estudo é voluntária e se você decidir não participar ou quiser desistir de continuar em qualquer momento, tem absoluta liberdade de fazê-lo. Na publicação dos resultados desta pesquisa, sua identidade será mantida no mais rigoroso sigilo. Serão omitidas todas as informações que permitam identificá-lo (a). Mesmo não tendo benefícios diretos em participar, indiretamente você estará contribuindo para a compreensão do fenômeno estudado e para a produção de conhecimento científico. Quaisquer dúvidas relativas à pesquisa poderão ser esclarecidas pelas pesquisadoras fone (74)3549-3131. Celular (74)91924611 ou (74) 3549-3062, cel.(74)9108-3016 Atenciosamente Nome Assinatura das estudantes Josenilce Lima S. de Oliveira ——————————————— Josineide Lima da S. Santos ——————————————— Justina Oliveira da Silva ——————————————— Rosineide Batista C. de Carvalho ——————————————— Consinto em participar deste estudo e declaro ter recebido uma cópia deste termo de consentimento. -------------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------------- Nome e assinatura do participante Local e data
  • 48. 48 APÊNDICE B - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇAO-CAMPUAVII SENHOR DO BONFIM PROGRAMA REDE UNEB 2000 CURSO PEDAGOGIA Trabalho de pesquisa para realização de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Entrevista com a Secretária de Educação 1-Recentemente foram publicadas matérias no site PORTAL ITIÚBA (03/06/2011, 05/08/2011 e 03/09/2011) que falavam sobre a poluição do açude Jacurici, o qual abastece quase todo o município de Itiúba. Em visita as margens do açude Jacurici, que fica em Rômulo Campos registrou-se a presença de garrafas PET, material plástico, vidros e pneus velhos. Há alguma ação planejada para resolver esse problema? 2-Quais os projetos de políticas públicas desenvolvidos nesta gestão sobre o meio ambiente? 3-Há algum projeto específico da Secretaria de Educação promovendo a educação ambiental nas escolas municipais? Quais ações concretas já foram feitas? Há resultados? 4-O impacto do lixo descartado é discutido nas escolas do município? 5-Em Rômulo Campos está havendo reuniões do fórum do meio ambiente (Grêmio em prol do desenvolvimento de Rômulo Campos). Qual a sua opinião sobre isso? Acredito ter sido esclarecido suficientemente a respeito das informações que li ou foram lidas para mim. Ficam claros os propósitos deste estudo e seus procedimentos. Assinatura---------------------------------------------------------------------------------------- (Secretária de Educação)
  • 49. 49 APÊNDICE C - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇAO-CAMPUAVII SENHOR DO BONFIM PROGRAMA REDE UNEB 2000 CURSO PEDAGOGIA Trabalho de pesquisa para realização de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Entrevista com secretário de Serviços Públicos 1-Recentemente foram publicadas matérias no site PORTAL ITIÚBA (03/06/2011, 05/08/2011 e 03/09/2011) que falavam sobre a poluição do açude Jacurici, o qual abastece quase todo o município de Itiúba. Em visita as margens do açude Jacurici, que fica em Rômulo Campos registrou-se a presença de garrafas PET, material plástico, vidros e pneus velhos. Há alguma ação planejada para resolver esse problema? 2-Quais os projetos de políticas públicas desenvolvidos nesta gestão sobre o meio ambiente? 3-O Senhor sabe como é feita a coleta do lixo do povoado de Rômulo Campos? 4-O que o senhor pensa sobre a sugestão de colocar em cada rua do povoado de Rômulo Campos, lixeiras para os moradores colocarem o lixo doméstico? Acredito ter sido esclarecido suficientemente a respeito das informações que li ou foram lidas para mim. Ficam claros os propósitos deste estudo e seus procedimentos. Assinatura——————————————————————————————— (Secretário de Serviços Públicos)
  • 50. 50 APÊNDICE D - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇAO-CAMPUAVII SENHOR DO BONFIM PROGRAMA REDE UNEB 2000 CURSO PEDAGOGIA Trabalho de pesquisa para realização de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Entrevista com o secretário de Saúde 1-Recentemente foram publicadas matérias no site PORTAL ITIÚBA (03/06/2011, 05/08/2011 e 03/09/2011) que falavam sobre a poluição do açude Jacurici, o qual abastece quase todo o município de Itiúba. Em visita as margens do açude Jacurici, que fica em Rômulo Campos registrou-se a presença de garrafas PET, material plástico, vidros e pneus velhos. Há alguma ação planejada para resolver esse problema? 2-O senhor sabe como é feita a coleta do lixo do povoado de Rômulo Campos? 3-Quais os projetos de políticas públicas desenvolvidos nesta gestão sobre o meio ambiente? 4- O senhor sabe se há algum projeto específico da Secretaria de Educação promovendo a educação ambiental nas escolas municipais? Quais ações concretas já foram feitas? Há resultados? 5-Em Rômulo Campos está havendo reuniões do fórum do meio ambiente (Grêmio em prol do desenvolvimento de Rômulo Campos). Qual a sua opinião sobre isso? Acredito ter sido esclarecido suficientemente a respeito das informações que li ou foram lidas para mim. Ficam claros os propósitos deste estudo e seus procedimentos. Assinatura——————————————————————————————— (Secretário de Saúde)