A palestra de Hugo PenedonesLogo no início da palestra, o Hugo comunicou aos participantes o seupropósito: “motivar para f...
implicam outras aptidões. Talvez o Hugo tivesse presente a        teoria dasinteligências múltiplas de Gardner. Ou talvez ...
explicou – a riqueza mundial tem crescido exponencialmente ao longo dosséculos,      com     espetacular   incremento    n...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palestra do Hugo Penedones

1.053 visualizações

Publicada em

Hugo Penedones falou aos alunos do ensino secundário do Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins em 8/10/2012

2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Jogando.net/MU *21*

    Boa tarde amigos,

    Venham conhecer nossos Servidores de Mu
    Online Season 6 http://www.jogando.net/mu/
    >>muitos kits novos;
    >> Nossos GMs online em todos os servers
    Fazem eventos todos os dias:
    Fazemos sua Diversão com qualidade,há mais de 5 anos
    Servers ON 24 horas por dia
    Vários Server esperando por você.Venha se divertir de verdade.
    >>>CURTA nossa Fan page no Facebook e concorra a prêmios.
    SORTEIO de 2 pacotes de 100 JCASHs mais 15 dias VIP Premium
    >>>Conheçam também Animes Cloud -> http://www.animescloud.com, mais de 20.000 videos online,feito exclusivo para sua diversão.
    Site http://www.jogando.net/mu/ Benvindos ao nosso servidor.
    Wartemix Divulgadora Oficial !
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Hello
    dear,! Nice to meet you, A friend is A gift from God my name is success i went through your profile on this site and became interested in you please i will be very happy if you can contact me with my email address at (successlove418@ymail.com) so that i will tell you about myself and my pictures for you to know whom i am, Have a wonderful day!
    Best Regard
    success.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.053
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
743
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra do Hugo Penedones

  1. 1. A palestra de Hugo PenedonesLogo no início da palestra, o Hugo comunicou aos participantes o seupropósito: “motivar para fazerem aquilo de que gostam e serem bons naquiloque fazem”.Claro que o aproveitamento escolar é um dever dos alunos. Mas é essencialque as pessoas desenvolvam interesses próprios, complementares ouparalelos às exigências curriculares. O nosso futuro joga-se naquilo quesoubermos fazer bem e no prazer que nos der fazê-lo. A competênciagarante-nos trabalho; o prazer que o trabalho nos der contribuirágrandemente para a nossa felicidade. Com ou sem crise, há hoje muitasoportunidades. Temos é que procurar ativamente ser bons naquilo quequeremos fazer. É importante diversificar experiências, conhecer novoslugares e culturas, enfrentar desafios, pôr-nos à prova.É o que o Hugo tem feito. Com trinta anos, tem já um longo e rico percursoacadémico: fez o Ensino Secundário na Escola Secundária Dr. Júlio Martins,em Chaves; o curso de Engenharia Informática na Universidade do Porto; foiselecionado para um estágio de Verão na Microsoft e fez ainda um outroestágio nos Estados Unidos; fez Erasmus em Barcelona; trabalhou um anona Agência Espacial Europeia, na Alemanha; atualmente, trabalha na Suíça.Não ficará por aqui: neste momento, está a considerar a possibilidade de irpara Londres. Lá está: os bons têm sempre um mundo pronto a recebê-los ea recompensá-los. Por isso, não teme a mudança: provoca-a. Sabe, claro,que pode sempre regressar às suas raízes e que é bom, de vez em quando,regressar às origens; mas também sabe que a vida vale mais a pena quandose abre ao mundo, se vê muito, se sente muito, se vive com intensidade.Quando se tem prazer numa atividade, os desafios enfrentam-se comentusiasmo, superam-se com menor esforço e a gratificação é maior. É nelaque devemos apostar se queremos ser bons naquilo que fazemos. É certoque a Escola tende a valorizar mais determinado tipo de capacidades do queoutros. Valoriza muito a memória e a inteligência abstrata, ou seja: oraciocínio hipotético-dedutivo. Mas há muitas formas de inteligência, que
  2. 2. implicam outras aptidões. Talvez o Hugo tivesse presente a teoria dasinteligências múltiplas de Gardner. Ou talvez não.O certo é que, a partir daqui, começou a fase a que chamou “dasprovocações”.A primeira foi uma provocação intrigante, a que os alunos, naturalmente,acharam piada: “Cristiano Ronaldo é mais inteligente que o campeãomundial de xadrez”. E tratou de “demonstrá-la”. Explicou que é maissimples raciocinar como um xadrezista, porque os seus raciocínios são todosdo tipo lógico-dedutivo e, por isso, relativamente fáceis de estudar, prever,programar as respostas e os ataques. A prova é que foi possível umcomputador já ter ganho ao antigo supercampeão Garry Kasparov. Aocontrário, é muito mais difícil jogar como Cristiano Ronaldo, porque o númerode variáveis a considerar é muitíssimo maior: é preciso que o seu cérebroconsidere uma série de possibilidades, preveja os movimentos decompanheiros e adversários, decida quase instantaneamente, coordenemuito bem os movimentos e seja criativo, de modo a poder surpreender.Seguiu-se outro um repto provocatório: “Transformem a vossa televisãonum aquário!” A televisão força, insensivelmente, a assimilação passiva dainformação. Por esta razão proporciona um “baixo retorno do investimentoem tempo” que o telespetador lhe dedica; oferece-lhe poucas possibilidadesde escolha; sujeita-o a um marketing agressivo, ao negativismo depressivodos telejornais e, mais grave, à uniformização das opiniões. Ao contrário, aInternet proporciona imensas possibilidades de se aprender autonomamentee com baixo investimento financeiro, desde que se saiba procurar o que sequer saber.A terceira provocação apareceu sob a forma de pergunta: “É melhor termuitas ou poucas coisas?” E a resposta, minimalista: poucas. Ter muitascoisas costuma provocar preocupações, problemas, dependência delas einsatisfação. Isso não significa que não queiramos usufruir daquilo quedesejamos. Mas hoje, podemos usufruir de tantas coisas, economicamente,sem a necessidade de as possuirmos!A quarta ideia a relevar foi, mais do que uma provocação, um tocantepronunciamento otimista: “Todos podemos ser mais ricos.” Com efeito –
  3. 3. explicou – a riqueza mundial tem crescido exponencialmente ao longo dosséculos, com espetacular incremento nas últimas décadas. Odesenvolvimento pode prosseguir porque, afinal, a criação de riquezaassenta em variáveis relativamente fáceis de controlar: na introdução detecnologia, cada vez mais variada, precisa, rápida e barata; naespecialização do trabalho; na organização empresarial. Ora, a economianão é um jogo de soma zero. Não tem que alguém perder para outremganhar. Devemos procurar soluções “win-win”. Ao nível individual, a maneiramais segura de se ter uma vida boa, também não apresenta dificuldadesinsuperáveis. O sucesso supõe persistência e, eventualmente, correr algunsriscos. Mas obedece apenas a duas exigências fundamentais. Primeira:temos que ser bons em alguma coisa. Segunda: temos que ser bons em algoque possa interessar a outras pessoas. Satisfeitas estas exigências,sentiremos benefício e prazer em fazer o que fazemos. E assim, lembrando oinício deste texto e quase sem dar por isso, chegamos legitimamente a estaventurosa conclusão: seremos bons se fizermos o que nos dá prazer eteremos prazer se formos de fato bons. É tentador, não?Fez ainda uma última provocação: “Deus (provavelmente) não existe”. Eu,pessoalmente, não a sinto como provocação, embora suponha que o fossepara a generalidade da assistência. Mas perdoar-me-á o Hugo, que foi meualuno, uma pequena provocação minha. Não é impossível, mas é raro, queum racionalista (ou próximo do racionalismo, como costumam ser ospensadores de formação matemática) tenha como referência um naturalista.Acresce que, pelo menos naquilo que atribuiu ao autor citado (e que eu nãoconheço), não há novidade nenhuma. Acrescento uma nota: sei que o temado criacionismo, na acepção fanática em que o expôs, é uma teoria que,espantosamente, ainda divide os E.U. Mas só é discutido na América. Não éuma questão europeia.Parabéns, Hugo, pelo seu percurso e pela palestra. Gostei de o ouvir. Todosgostámos. Todos lhe agradecemos.Ramiro Anjos

×