Apresentação pública do relatório de autoavaliação da biblioteca escolar

1.073 visualizações

Publicada em

resumo apresentado em conselho pedagógico

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.073
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação pública do relatório de autoavaliação da biblioteca escolar

  1. 1. Relatório de auto-avaliaçãoBiblioteca Centro de Recursos Lídia Jorge Escola Sec/3 Sta Maria do Olival Tomar Apresentação ao Conselho Pedagógico Tomar, 25 de Setembro de 2012
  2. 2. Estrutura do Modelo. Domínios – áreas de trabalho da BE: 2012/2013 2009/2010 2010/2011 2011/2012A. Apoio ao B. Leitura e C. Projectos, D. Gestão da BEDesenvolvimento Parcerias e Literacia Actividades Livres eCurricular de Abertura à ComunidadeA1. Articulação B1. Trabalho da BE C1. Apoio a D1. Articulação da BEcurricular da BE com ao serviço da Actividades Livres, com a Escola. Acessoas Estruturas promoção da leitura. Extra-Curriculares e e serviços prestadosPedagógicas e os de Enriquecimento pela BE.Docentes. Curricular.A2. Desenvolvimento B2. Trabalho C2. Projectos e D2. Condiçõesda Literacia da articulado da BE com Parcerias. humanas e materiaisInformação. departamentos e para a prestação dos docentes e com o serviços. exterior, no âmbito da leitura. B3. Impacto do D3. Gestão da trabalho da BE nas Colecção. atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias.
  3. 3. Domínio AvaliadoD Gestão da biblioteca escolarSub- domínios:• D.1 Articulação da biblioteca com a escola. Acesso e serviços prestados pela biblioteca.• D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços.• D.3 Gestão da colecção/ da informação.
  4. 4. Perfis de desempenhoNível Descrição A BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e 4 com um impacto bastante positivo. A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio, mas ainda é possível 3 melhorar alguns aspectos. A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário 2 melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é 1 bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência. 4
  5. 5. Intervenientes no processo N.º de Ano / Ciclo de Ensino N.º de intervenientes % Alunos7.º Ano 83 9 10.848.º Ano 80 9 11.259.º Ano 82 9 10.98Total 3.º Ciclo 245 27 11.0210.º Ano 147 16 10.8811.º Ano 164 18 10.9812.º Ano 179 19 10.61Total Ensino Secundário 490 53 10.82 Total 735 80 10.88Amostras (mínimas):Alunos: 10% do número total de alunos (em escolas de maior dimensão – commais de 800 alunos –, esta percentagem pode ser inferior).
  6. 6. Intervenientes no processo Departamentos/outros intervenientes Nº Total Nº de Inquiridos % com funções pedagógicas D. C. Expressões 25 5 20.00 D. C. Línguas 20 4 20,00 D. C. Ciências Sociais e Humanas 14 4 28.57 D. C. Ciências Experimentais, 31 5 16.13 Matemática e Informática Total Docentes 90 18 20.00• Amostras (mínimas): • Escolas com 50 ou mais docentes: 20% do n.º total de docentes. • Pais/encarregados de educação (só para o ensino básico): tal como para os alunos, uma amostra correspondente a 10%.
  7. 7. D.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE. D.1.1 Integração/ação da BE na escola/agrupamentoPontos fortes-A BE é reconhecida de forma explícita nosdocumentos reguladores da escola: RI, PEE, Pontos fracosPAA e PCE.-A professora bibliotecária integra o Conselho -Articulação, de objetivos ePedagógico. de trabalho, com-O regulamento da BE foi objeto de debate e departamentos e docentes.atualização, tendo sido aprovado pelos órgãosde gestão da escola. -Ausência de registos das-O PAA da BE está elaborado de acordo com o reuniões informais da equipacurrículo nacional, com o PEE, integrando-se na da BE e desta com ospolítica educativa da escola. docentes/departamentos.
  8. 8. D.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE. D.1.2 Valorização da BE pelos órgãos de direção, administração e gestão da escola/agrupamento Pontos fortes Pontos fracos -A definição de estratégias de-A BE é valorizada pelos órgãos de direção, articulação, pelos órgãos deadministração e gestão. administração, gestão, e-A professora bibliotecária participa ativamente departamentos curriculares, entre anas reuniões do Conselho Pedagógico,. BE e as demais estruturas de-Os órgãos de administração e gestão mostram coordenação educativa continuadisponibilidade financeira para a renovação de ainda aquém do desejável.equipamentos, para a atualização da coleção e - A BE não dispõe de uma verbapara o funcionamento da BE. anual prevista e definida, inicialmente, no orçamento da escola.
  9. 9. D.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE. D.1.3 Resposta da BE às necessidades da escola/agrupamentoPontos fortes-A BE funciona num horário contínuo e alargado que possibilita o acesso dos utilizadores nohorário letivo e acompanha as necessidades de ocupação em horário extra letivo.-Os recursos e serviços da BE respondem às metas e estratégias definidas nosdocumentos orientadores da escola.-A BE cria condições e é usada como recurso e como local de lazer e de trabalho.-A BE apoia os utilizadores no acesso à coleção, aos equipamentos, à leitura, à pesquisa eao uso da informação.-A BE desenvolve projetos com a escola.-A BE assume-se como polo de fomento e de difusão cultural.-A BE possibilita a indicação de sugestões e reclamações dos utilizadores sobre os serviçosque disponibiliza.
  10. 10. D.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviçosprestados pela BE.D.1.3 Resposta da BE às necessidades da escola/agrupamentoPontos fracos -A frequência com que a BE planifica com docentes, departamentos curriculares e demais estruturas de coordenação educativa, apesar de ter aumentado relativamente aos anos anteriores, ainda fica aquém do espectável.
  11. 11. D.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE. D.1.4 Avaliação da BE na escola/agrupamentoPontos fortes-A escola, no seu todo, envolve-se no processo de autoavaliação da BE.-Os resultados de autoavaliação da BE integram a avaliação interna da escola.-A BE recolhe, trata e divulga dados/informação sobre a sua utilização e dosseus equipamentos.Pontos fracos -A recolha de informação com recurso ao sistema automatizado de gestão bibliográfica ainda não é uma realidade. -A avaliação das várias atividades dinamizadas ainda não é realizada de forma sistemática.
  12. 12. D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D.2.1 Liderança do professor bibliotecário na escola/agrupamento Pontos fortesLiderança exercida pelo professor bibliotecário, forte e eficaz, que promove:• O trabalho sistemático e a comunicação com os órgãos de direção, administraçãoe gestão (diretor, conselho pedagógico, departamentos curriculares e demaisestruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica).• Uma participação efetiva no conselho pedagógico e demais estruturas decoordenação educativa, procurando garantir a integração e adequação dosobjetivos e atividades da BE aos objetivos educativos e curriculares da escola.• Uma boa gestão dos recursos humanos, criando boas relações interpessoais coma equipa.• Uma gestão integrada que possibilita a rentabilização de recursos e possibilidadesde trabalho na escola.• A implementação da autoavaliação dos serviços, introduzindo um processo demelhoria contínua com impacto no processo de planeamento e em ações depromoção da BE.
  13. 13. D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D.2.1 Liderança do professor bibliotecário na escola/agrupamentoPontos fracos • A mobilização da comunidade educativa para o valor e para o trabalho da/com a BE. • A operacionalização de programas de formação para as literacias e atividades culturais que contribuam para as aprendizagens dos alunos e para o sucesso escolar. • A planificação conjunta e articulada com os docentes, projetos/atividades inerentes ao cumprimento dos diferentes objetivos educativos e curriculares da escola, ainda não tão sistemática como seria desejável.
  14. 14. D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D.2.2 Adequação dos recursos humanos às necessidades de funcionamento da BE na escola/agrupamento Pontos fortes -A formação da PB e das assistentes operacionais. -O trabalho articulado entre as BE’s do concelho, através da professora bibliotecária. -O apoio proporcionado pela equipa aos utilizadores. -Falta de iniciativa de alguns membros da equipa e colaboradores, o que se traduz numa sobrecarga de trabalho para o PB.Pontos fracos -Formação incipiente por parte dos professores da equipa na área das Bibliotecas Escolares.
  15. 15. D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D.2.3 Adequação da BE em termos de espaço às necessidades da escola/agrupamentoPontos fortes Pontos fracos- A BE disponibiliza condições de espaçocapazes de responder, no seu funcionamento, - A não existência nem deàs solicitações da comunidade escolar e a uma um gabinete de trabalho,utilização diversificada. nem de uma área de- A organização do espaço e dos recursos armazenamento.permite uma utilização integrada e flexível e otrabalho individual e em grupo.- O mobiliário é adequado à faixa etária enecessidades dos alunos, proporcionando boascondições de acomodação e o acesso livre dosutilizadores à documentação.
  16. 16. D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. D.2.4 Adequação dos computadores e equipamentos tecnológicos ao trabalho da BE e dos utilizadores na escola/agrupamento.Pontos fortes- O número de equipamentos responde à procura e àssolicitações da escola.- Utilização muito intensa dos computadores fixos na BE(requisições do equipamento informático fixo: 6067). Pontos fracos - A falta de horas, por parte da equipa PTE, para colaborar com a BE, quer para assegurar a manutenção mais célere dos equipamentos informáticos, quer para desenvolvimento de ações de promoção da literacia da informação e para os media.
  17. 17. D.3 Gestão da coleção/da informação. D.3.1 Planeamento/ gestão da coleção de acordo com a inventariação das necessidades curriculares e dos utilizadores da escola/agrupamento . Pontos fortes- Aquisição de documentos relacionados com as necessidades referidaspelas diferentes estruturas da escola, incluindo os departamentos,decorrentes do PE e/ou de projetos.- Abertura dos órgãos de gestão a aquisições de fundo documental.- Anualmente são utilizadas verbas (do PNL e do orçamento da escola)para aquisições de novos documentos.Pontos fracos - Inexistência do documento “Política de Desenvolvimento da Coleção”.
  18. 18. D.3 Gestão da coleção/da informação. D.3.2 Adequação dos livros e de outros recursos de informação (no local e em linha) às necessidades curriculares e aos interesses dos utilizadores na escola/agrupamento.Pontos fortes- A coleção é equilibrada em quantidade relativa entre os diferentes suportes,garantido condições de acesso e uso a todos os utilizadores.- Os livros e outros recursos de informação respondem às necessidades docurrículo nacional, do PE e dos projetos de turma.- A seleção do fundo documental tem em conta as necessidades identificadas juntodos departamentos curriculares e demais utilizadores.- A renovação do fundo documental é feita com regularidade ao longo do ano,tentando incorporar novidades que vão sendo divulgadas.- Os periódicos existentes na BE, bastante variados, são alvo de uma procuraconsiderável.- A não existência de reclamações registadas.
  19. 19. D.3 Gestão da coleção/da informação. D.3.2 Adequação dos livros e de outros recursos de informação (no local e em linha) às necessidades curriculares e aos interesses dos utilizadores na escola/agrupamento.Pontos fracos- O módulo de circulação e empréstimo do software de gestão do fundodocumental ainda não utilizado.- A não contabilização rigorosa da distribuição do fundo documental pelasdiferentes áreas temáticas/curriculares.- A coleção ainda não integra recursos em linha.- Aquisição de mais CDs áudio, DVDs e jogos.
  20. 20. D.3 Gestão da coleção/da informação. D.3.3 Uso da coleção pelos utilizadores da escola/agrupamentoPontos fortes- Existência do catálogo online.- A equipada da BE/PB apoia os alunos nas suas pesquisas e realização detrabalhos, sempre que identificadas necessidades e/solicitada.- A BE produz instrumentos apoio ao uso da coleção e desenvolvecompetências de pesquisa nos utilizadores.- Formação de utilizadores.- Realização, por parte da BE, de um trabalho de valorização e motivação parao valor e uso da documentação nas práticas de ensino e aprendizagem.- Procura pelos alunos de recursos documentais da BE para trabalhosescolares e atividades de caráter lúdico.
  21. 21. D.3 Gestão da coleção/da informação. D.3.3 Uso da coleção pelos utilizadores da escola/agrupamento Pontos fracos- Empréstimo domiciliário: relativamente baixo- Índices de utilização pelos alunos e pelos docentes: relativamente baixo
  22. 22. D.3 Gestão da coleção/da informação. D.3.4 Organização da informação. Informatização da coleção Pontos fortes- A BM continua a prestar apoio técnico à Pontos fracosBE.- O catálogo está disponível em linha. - Necessidade de formação na área- O catálogo concelhio compreende o da catalogação de outros elementoscatálogo da BE. da equipa.- Existe um Manual de Procedimentos - Apenas as monografias estãoconcelhio que é seguido na BE. catalogadas, perfazendo somente 39% do fundo documental.
  23. 23. D.3 Gestão da coleção/da informação. D.3.5 Difusão da informação Pontos fortes- Meios diversificados de difusão da informação (desde afixação emplacares e jornal escolar, ao blogue, plataforma Moodle e jornaislocais).- A BE realiza atividades de apresentação/exposição de livros deautor e de outros recursos de informação.- A BE produz guias sobre assuntos, autores, ou outros. - A BE não produz regularmente listagens bibliográficas. Pontos fracos - A BE ainda não usa sistematicamente a página web, até porque esta não está diretamente sob a sua alçada.
  24. 24. Fontes de evidências Documentos de gestão da Escola • Projecto Educativo da escola; • Projecto Curricular da escola; • Plano Anual de Actividades da Escola. • Regulamento Interno Diversos • Relatório de avaliação do PAA, apresentado em C.P. • Jornal da escola “Letras e Tretas” • Conversas informais Documentos pedagógicos da Escola • Actas das reuniões do Conselho Pedagógico; • Levantamento estatístico dos resultados de avaliação dos alunos. • Recomendações do C.P. Instrumentos do próprio modelo de autoavaliação • Lista de verificação para a diretora da escola (CK1) • Lista de verificação para o professor bibliotecário (CK2) • Lista de verificação para a coleção (CK3) • Questionário aos alunos (QA4 ) • Questionário aos docentes (QD3 )• Devido ao carácter sigiloso das reuniões dos conselhos de turma, escusámo-nos de consultar actas e outros documentos dos CT.
  25. 25. Fontes de evidências Documentos de Gestão da BE • Regulamento/regimento Interno da BE; • Plano Anual de Actividades da BE; • Protocolo da constituição do Grupo de Trabalho Concelhio das Bibliotecas Escolares de Tomar (GTC); • Memorandos das reuniões do GTC; • Inventário e catálogo da BE. • Horário da BE • Plano de Ação para o quadriénio 2009-2013 (âmbito do grupo de trabalho concelhio) Documentos de funcionamento e dinamização da BE • PAA da BE • Actas das reuniões da equipa da BE; • Actas das reuniões da equipa da BE com os professores colaboradores; • Memorandos (e registos não formais)de reuniões em que a BE participou para dinamização de atividades. • Relatórios de avaliação da equipa da BE; • Registos de projetos/atividades; • Registos de avaliação de atividades realizadas ; • Registos de reuniões/contactos; • Estatísticas de utilização da BE; • Materiais produzidos pela BE; • Guia do Utilizador; • Base de Dados RBE 2012; • Sugestões dos utilizadores.• Devido ao carácter sigiloso das reuniões dos conselhos de turma, escusámo-nos de consultar actas e outros documentos dos CT.
  26. 26. Perfis de desempenhoD.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE.D1.1 Integração da BE no funcionamento global da escola e inclusão na formulação e desenvolvimento dasua missão, princípios e objetivos estratégicos e operacionais:4. A BE Está bem integrada e contemplada.D1.2 Reconhecimento do valor da BE pelos órgãos de direção, administração e gestão e garantia decondições em termos de recursos humanos com qualidade e de verba para o seu funcionamento:3. Reconhecem o valor da BE, garantindo condições adequadas.D1.3 A BE assume-se e é entendida como um recurso ativo ao serviço da escola / O professor bibliotecáriointegra o CP / Os órgãos de direção, administração e gestão reconhecem o valor da articulação/planificaçãoentre a BE e os vários departamentos curriculares e demais estruturas de coordenação educativa esupervisão pedagógica:3. Sim/ Sim/ Sim.D1.4 A BE faculta serviços e articula atividades/projetos com a escola:3. Faculta bons serviços e articula atividades/projetos com a escola – 60 a 79% avalia positivamente otrabalho da BE.D1.5 A BE:2. Está aberta, responde às necessidades, apoia os utilizadores quando solicitada e regista utilização entre45 e 59%.D1.6 A BE:3. Implementa um sistema de avaliação e de melhoria contínuo, planificando e orientando a sua acção combase nos dados obtidos.D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. Nível obtido neste subdomínio: 3.00D2.1 O professor bibliotecário possui formação:4. Muito adequada ao seu conteúdo funcional, nos termos da legislação vigente (10 pontos ou mais).D2.2 O professor bibliotecário:
  27. 27. 45 e 59%.D1.6 A BE:3. Implementa um sistema de avaliação e de melhoria contínuo, planificando e orientando a sua acção combase nos dados obtidos.D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços.D2.1 O professor bibliotecário possui formação:4. Muito adequada ao seu conteúdo funcional, nos termos da legislação vigente (10 pontos ou mais).D2.2 O professor bibliotecário:3. Exerce uma boa gestão, procurando mobilizar a equipa e a escola – 60 a 79% avaliam muitopositivamente este item.D2.3 A equipa é, no que respeita às competências e número dos seus elementos:3. Adequada. Tem o seu conteúdo funcional bem definido e responde bem às solicitações dos utilizadores.D2.4 Condições de espaço, mobiliário e equipamento da BE:3. A BE apresenta boas condições, adequando-se bem ao trabalho na escola.D2.5 Nível dos equipamentos tecnológicos (hardware e software) disponibilizados pela BE:3. Respondem às necessidades da escola e estão atualizados – 60 a 79% dos utilizadores avaliampositivamente este item.D.3 Gestão da coleção/da informação.D3.1 A coleção: Nível obtido neste subdomínio: 3.203. Responde bem às necessidades de informação da escola e é equilibrada nos suportes e diferentes áreas.D3.2 Uso da Coleção pelos docentes e alunos no desenvolvimento das suas atividades, para ler, para serecrear ou para satisfazer necessidades de informação:1. Pouco usada – menos de 45% dos docentes e um número inferior a 45% dos alunos recorrem à coleção.D3.3 O catálogo:2. Está parcialmente informatizado e não inclui recursos em linha.
  28. 28. D.3 Gestão da coleção/da informação.D3.1 A coleção:3. Responde bem às necessidades de informação da escola e é equilibrada nos suportes e diferentes áreas.D3.2 Uso da Coleção pelos docentes e alunos no desenvolvimento das suas atividades, para ler, para serecrear ou para satisfazer necessidades de informação:1. Pouco usada – menos de 45% dos docentes e um número inferior a 45% dos alunos recorrem à coleção.D3.3 O catálogo:2. Está parcialmente informatizado e não inclui recursos em linha.D3.4 Existe uma política documental definida para a escola e o desenvolvimento da coleção realiza-se, tendoem conta os princípios definidos na Política de desenvolvimento da coleção (PDC):1. Não.D3.5 A BE conta com uma verba anual para atualização da coleção:1. Não.D3.6 Existe uma rede partilhada de documentação entre as várias BE/ escolas/JI e, a nível local, com outrasbibliotecas e com a BM:4. Sim.D3.7 A BE desenvolve uma política permanente de difusão da informação com o objetivo de divulgarrecursos de informação e incentivar o seu uso:3. Sim, de forma permanente. Nível obtido neste subdomínio: 2.14
  29. 29. Síntese da auto-avaliação do domínio D •esta avaliação deve ser integrada na auto-avaliação da escola. Nível obtido (1 a 4): 3D.1 Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE. Nível obtido 3.00D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. Nível obtido 3.20D.3 Gestão da coleção/da informação. Nível obtido 2.14
  30. 30. Análise geral dos restantes domíniosA.1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenaçãoeducativa e supervisão pedagógica e os docentes.A.2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital.Domínio C. Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura àcomunidadeC.1. Apoio a atividades livres, extra-curriculares e de enriquecimentocurricular.C.2. Projetos e Parcerias.Domínio B. Leitura e literaciaB.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola.B.2 Integração da BE nas estratégias e programas de leitura ao nível daescola.B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, noâmbito da leitura e da literacia.
  31. 31. Domínio A. Apoio ao desenvolvimento curricular Ações de melhoria propostas pela BE no final 2011/2012 para 2012/2013A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação educativa esupervisão pedagógica e os docentes.-Organizar ações de formação do utilizador para docentes.-Continuar a eleger como prioritária a comunicação entre a BE e os docentes nosentido de facilitar a atualização e adequação dos recursos às suas necessidades,nomeadamente através da presença pontual em reuniões de disciplina.-Fomentar a utilização dos materiais produzidos pela BE e melhorá-los emcolaboração com os docentes.-Promover a integração de novos docentes nas dinâmicas de funcionamento da BE.A.2. Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital.-Reforçar a articulação entre a BE e o trabalho na sala de aula.-Incentivar a formação dos docentes na área das literacias da informação.-Desenvolver ações para a utilização de um modelo de pesquisa, por ciclo deescolaridade.-Implementar uma articulação sistemática com todos os departamentoscurriculares.-Continuar a apostar na organização de sessões de formação de utilizadores comtodas as turmas, pelo menos com as que tiverem alunos que chegaram de novo àescola.
  32. 32. Domínio B. Leitura e literacia Ações de melhoria propostas pela BE no final 2011/2012 para 2012/2013B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola.-Mobilizar para o apoio mais acentuado à BE na identificação de necessidades de formaçãopara o desenvolvimento das competências tecnológicas e de literacias de informação dosalunos.-Sensibilizar para um maior apoio à BE nas suas iniciativas de promoção das competências deleitura.-Promover, de forma mais sistemática e continuada, o desenvolvimento dos hábitos e do gostopela leitura e das competências a ela associadas.-Continuar a consolidar o trabalho colaborativo com diferentes grupos disciplinares.B.2 Integração da BE nas estratégias e programas de leitura ao nível da escola.-Investir mais afincadamente na criação de grupos de trabalho multidisciplinares para apromoção da leitura.-Sensibilizar, ainda mais, toda a escola para a importância da leitura como suporte eprogressão das aprendizagens.B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito daleitura e da literacia.-Definir novas estratégias que sirvam para encorajar a uma maior participação dos alunos ematividades livres no âmbito da leitura.-Avaliar a competência leitora dos alunos, em colaboração com os professores de LínguaPortuguesa/Português, de forma mais sistemática e objetiva.-Desenvolver um trabalho mais sistemático com os professores no sentido da rentabilizaçãodos recursos da BE que contribuem para a melhoria das competências leitoras dos alunos.-Desenvolver mais ações de promoção da leitura.
  33. 33. Domínio B. Leitura e literacia Ações de melhoria propostas pela BE no final 2011/2012 para 2012/2013B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola.-Mobilizar para o apoio mais acentuado à BE na identificação de necessidades de formaçãopara o desenvolvimento das competências tecnológicas e de literacias de informação dosalunos.-Sensibilizar para um maior apoio à BE nas suas iniciativas de promoção das competências deleitura.-Promover, de forma mais sistemática e continuada, o desenvolvimento dos hábitos e do gostopela leitura e das competências a ela associadas.-Continuar a consolidar o trabalho colaborativo com diferentes grupos disciplinares.B.2 Integração da BE nas estratégias e programas de leitura ao nível da escola.-Investir mais afincadamente na criação de grupos de trabalho multidisciplinares para apromoção da leitura.-Sensibilizar, ainda mais, toda a escola para a importância da leitura como suporte eprogressão das aprendizagens.B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito daleitura e da literacia.-Definir novas estratégias que sirvam para encorajar a uma maior participação dos alunos ematividades livres no âmbito da leitura.-Avaliar a competência leitora dos alunos, em colaboração com os professores de LínguaPortuguesa/Português, de forma mais sistemática e objetiva.-Desenvolver um trabalho mais sistemático com os professores no sentido da rentabilizaçãodos recursos da BE que contribuem para a melhoria das competências leitoras dos alunos.-Desenvolver mais ações de promoção da leitura.
  34. 34. Domínio C. Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura à comunidade Ações de melhoria propostas pela BE no final 2011/2012 para 2012/2013C.1. Apoio a atividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular.Continuar a:•Incentivar os alunos a utilizar frequentemente a BE para estudar/trabalhar.•Dinamizar e promover mais atividades no âmbito da leitura e das literacias.•Promover uma utilização autónoma e voluntária da BE, pelos alunos que abranja, de formamais equilibrada, os diversos recursos existentes, evitando uma utilização intensiva doscomputadores.•Aumentar o número, e qualidade, de atividades livres, dinamizadas pela BE.C.2. Projetos e Parcerias.•Reforçar o trabalho colaborativo com outras BE do concelho.•Promover mais interações no seio do Grupo de Trabalho Concelhio.• Maior incentivo à participação e mobilização dos EE na vida da BE.• Solicitar, junto da Associação de Pais e EE, um maior envolvimento na promoção da leitura eliteracias. Reforçar as parcerias já estabelecidas.• Criação de uma comunidade de leitores que promova a troca de experiências de leitura.
  35. 35. Domínio B. Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura à comunidadeBalanço das ações de melhoria propostas pela BE no final 2011/2012Ano de incidência da avaliação: 2009/2010Nível obtido: 3Avaliação das ações de melhoria levadas a cabo em 2010/2011:– Pretendia-se uma articulação e planificação mais estreitas entre os gruposdisciplinares/projectos e a BE - ficou aquém das expetativas. É de continuar apromover.– Elaboração de um guião para trabalhos de pesquisa que sirva toda a escola -foi realizado.– Reforçar o envolvimento dos professores nas atividades que promovam aleitura e as literacias, pois assim as competências dos alunos, nestas áreas,poderão sair reforçadas - resultados aquém das expetativas. Apesar damelhoria já verificada, este deverá ser um aspeto a continuar a merecerinvestimento por parte da BE.- Maior número de atividades realizadas em conjunto pela BE e "parceiros"diferentes da escola; no entanto, o registo e as referências a essas atividadesnos documentos dos grupos/departamentos ainda não refletem, na íntegra,essa realidade.
  36. 36. Domínio C. Projetos, parcerias e atividades livres e de abertura à comunidade. Balanço das ações de melhoria propostas pela BE no final 2011/2012 Ano de incidência da avaliação: 2010/2011 Nível obtido: 3- Passou-se de 45 a 59% dos alunos a avaliarem positivamente as condições e apoio oferecidos pelabiblioteca em 2010/2011, para 73,4% dos alunos que, no presente ano letivo, classifica o trabalho globaldo PB/equipa no acesso à BE, no apoio à pesquisa de informação e na realização de trabalhos como BOMou MUITO BOM.- 67,5 dos alunos vai regularmente à BE – todos os dias ou 1 a 2 vezes por semana.- 89,9% dos alunos afirma que a BE é adequada para realizar bem os trabalhos, com livros atuais e dequalidade (78,5%), e 81% que a equipa da BE os apoia quando procuram um livro, realizam uma pesquisaou fazem um trabalho.- 81,4% dos alunos utiliza a BE para ler, pesquisar (em suporte papel e digital) e estudar/trabalhar,continuando a haver, no entanto, preferência pelos recursos informáticos (44,9% dos alunos fazempesquisa na Internet).- Aumentar o trabalho colaborativo com outras BE do concelho. - CONSEGUIDO- Promover mais interações no seio do Grupo de Trabalho Concelhio. - CONSEGUIDO- Maior incentivo à participação e mobilização dos EE na vida da BE – ação não muito bem sucedida;aindaA PRECISAR DE ATENÇÃO.- Solicitar, junto da Associação de Pais e EE, um maior envolvimento na promoção da leitura e literacias. –solicitou-se mas não se conseguiu uma resposta positiva; ainda A PRECISAR DE ATENÇÃO.- Reforçar as parcerias já estabelecidas. - CONSEGUIDO- Criação de uma comunidade de leitores que promova a troca de experiências de leitura. – NÃOCONSEGUIDO
  37. 37. Parecer do Conselho Pedagógico25 de setembro de 2012

×