História de uma gaivota e do gato que a essinou a voar

64.203 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado nas aulas de Português da Professora Elisabete Manata.

Publicada em: Educação
0 comentários
18 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
64.203
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.287
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.057
Comentários
0
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História de uma gaivota e do gato que a essinou a voar

  1. 1. FICHA DE LEITURA ´ Luis Sepúlveda TURMAS A, B, C, D 7º ANO TURMAS A, B, C, D 7º ANO HISTÓRIA DE UMA GAIVOTA E DO GATO QUE A ENSINOU A VOAR
  2. 2. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA AUTOR – Luis Sepúlveda  TÍTULO – HISTÓRIA DE UMA GAIVOTA E DO GATO  EDITORA – Porto  LOCAL E DATA – Porto, fevereiro de 2010 (1ª ed)  ILUSTRAÇÃO – Sabine Wilharm  TRADUTOR – Pedro Tamen  TURMAS A, B, C, , D 7º ANO TURMAS A, B, C, , D 7º ANO QUE A ENSINOU A VOAR
  3. 3. ELEMENTOS PARATEXTUAIS TURMAS A, B, C, D 7º ANO TURMAS A, B, C, D 7º ANO Na capa, vemos o gato Zorbas segurando o ovo, branco com pintinhas azuis, com a gaivota Ditosa exatamente no momento em que este acaba de eclodir. Os vasos indicam o local onde tudo se passou: na varanda da casa e, debaixo dos quais, às vezes, o gato escondia o ovo enquanto estava em incubação. Na contracapa, observamos o gato Zorbas a “chocar” o ovo. Podemos, ainda, ler uma sinopse da história. Na aba da capa, existe uma fotografia do autor e algumas informações bibliográficas. Na aba da contracapa, encontramos várias fotos de outras obras de Luis Sepúlveda. Esta obra contém também uma dedicatórias do autor aos filhos, ao porto de Hamburgo e ao gato Zorbas.
  4. 4. INFORMAÇÕES SOBRE O AUTOR BIOGRAFIA Escritor chileno, nasceu a 4 de outubro de 1949, em Ovalle. Em 1970, concluiu o curso de Encenação Teatral e começou a exercer essa atividade, ao mesmo tempo que se dedicava à política e à direção de uma cooperativa agrícola, bem como à locução de programas de rádio. Em 1973, deu entrada na estrutura militante do Partido Socialista, chegando a fazer parte da segurança pessoal de Salvador Allende. Aprisionado, foi julgado por um tribunal militar em fevereiro de 1975, e acusado de traição à pátria e conspiração subversiva, entre outros crimes. Escapando à pena de morte, habitual em casos semelhantes, foi condenado a vinte e oito anos de cadeia. Em 1977, graças à persistência da Amnistia Internacional, viu a sua pena ser comutada para oito anos de exílio na Suécia. Em 1989 publicou o seu primeiro romance, Un Viejo Que Leía Novelas De Amor (O Velho Que Lia Romances de Amor), que se revelou um sucesso imediato http://www.infopedia.pt/$luis-sepulveda TURMAA A, B, C, D 7º ANO TURMAA A, B, C, D 7º ANO Entrou nas fileiras da Juventude Comunista chilena em 1964 e continuou a escrever poesia e contos de natureza mais séria.
  5. 5. INFORMAÇÕES SOBRE O AUTOR BIOGRAFIA Viajou e trabalhou no Brasil, no Uruguai, no Paraguai e no Peru. Foi jornalista e é hoje um conhecido autor de uma obra diversificada que divide em contos, romances, peças de teatro e ensaios. Foram-lhe atribuídos numerosos prémios, de entre os quais se destacam o France-Culture, para o melhor romance estrangeiro, o Relais-H, para o melhor romance de evasão, e o Littérature de la Jeunesse, para o melhor livro para jovens. Sepúlveda é essencialmente um narrador de viagens e de histórias de um mundo onde a natureza toma um papel principal. Consegue conciliar o gosto pela descrição de lugares e paisagens com o desejo de contar histórias sobre o homem. O autor já percorreu quase todos os territórios possíveis da geografia, de Punta Arenas a Oslo, de Barcelona a Quito, da selva Amazónica ao deserto da República Árabe Sarabuí, das celas de Pinochet aos barcos do movimento “Greenpeace”. http://mhij.pt/autor/luis-sepulveda/ TURMAS A, B, C, D 7º ANO TURMAS A, B, C, D 7º ANO Viveu em Hamburgo e em Paris onde em 2006 foi nomeado Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras de França. Atualmente reside na cidade de Gijón, no Norte de Espanha.
  6. 6. INFORMAÇÕES SOBRE O AUTOR OBRA Mundo Del Fin Del Mundo (1989, Mundo no Fim do Mundo) Patagonia di un Killer Sentimentale (1996, Diário de um Killer Sentimental) de una Gaviota y del Gato que le Enseñó a Volar (1996, História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar) Historia Desencuentros Historias Hot (1997, Encontro de Amor num País em Guerra) Marginales (2000, As Rosas de Atacama), Line (2002), Moleskine: Apuntes e Reflexiones (2004, Uma História Suja) Peores Cuentos de los Hermanos Grim (2005, Os Piores Contos dos Irmãos Grim), em parceria com Mario Delgado Aparaín. Los O Poder dos Sonhos (2006) Crónicas A do Sul (2008) Lâmpada de Aladino (2008) TURMAS A, B, C, D 7º ANO TURMAS A, B, C, D 7º ANO Diario Express (1995, Patagónia Express
  7. 7. ANÁLISE DA OBRA Tipo de obra – Ficção (aventura) Género literário – Narrativo (fábula)  Tema – amor, amizade, companheirismo, cooperação, proteção, coragem, responsabilidade, lealdade, confiança, racismo (igualdade), poluição (defesa do planeta). 7º ANO 7º ANO  TURMAS A, B, C, D TURMAS A, B, C, D 
  8. 8. SÍNTESE DO CONTEÚDO Esta é a história de uma gaivota chamada Ditosa que foi salva, criada e ensinada a voar pelo gato Zorbas e os seus amigos gatos do porto. Zorbas tomou conta do ovo e depois da cria, contando com a ajuda dos seus amigos gatos do porto: Secretário, Colonello, Sabetudo e Barlavento. No final, quando chegou o momento de lançar Ditosa em voo, o gato pediu a colaboração do poeta, o que era tabu – miar para um humano. porto, Ditosa. E assim , Zorbas e o poeta, sob o olhar atento dos gatos do encorajaram e assistiram emocionados ao primeiro voo de TURMAS A, B, C, D 7º ANO TURMAS A, B, C, D 7º ANO Tudo começou com a sua mãe, Kengah que, à beira da morte, pôs um ovo e pediu três promessas ao gato Zorbas que estava à sua frente. Essas promessas eram: que o gato não comesse o ovo, que tomasse conta da cria e que a ensinasse a voar.
  9. 9. FRASES/CITAÇÕES FAVORITAS  “Zorbas permaneceu ali a contemplá-la, até que não soube se foram as gotas de chuva ou as lágrimas que lhe embaciaram os olhos amarelos de gato grande, preto e gordo, de gato nobre, de gato do porto” (p.141) Kengah, a gaivota de penas cor de prata , mergulhou várias vezes a cabeça, até que uns clarões lhe chegaram às pupilas cobertas de petróleo.” pg. 24  “-Que só voa quem se atreve a fazê-lo - miou Zorbas.”(p.137)  “Puré de gato! Puré de gato! – repetiram as outras ratazanas.” (p. 88)  “-Gostas? Olha que tenho mais nove. Queres experimentá-las no espinhaço? –miou com toda a calma” (p. 35) TURMAS A, B, C, D 7º ANO TURMAS A, B, C, D 7º ANO 
  10. 10. FIGURAS DE ESTILO/RECURSOS EXPRESSIVOS “- Um momento, ó seus sacos de pulgas! (p.44) Metáfora  “Como bem sabes, liquidei mais ratazanas que os pêlos que tenho no corpo” – (p.87) Hipérbole  “ Cento e vinte corpos perfuraram a água como setas…” (p. 13) Comparação)  “ Bla, bla, bla!” pg.45; Hi, hi, hi! Pg 87; “Ahoi! Ahoi! Ahoi! (p. 96) Onomatopeias  “Mais que uma bolinha de gordura, parece uma bolinha de alcatrão.” (p.35) Metáfora e Comparação  “Gato grande, preto e gordo…” (p.16) Adjetivação  “E tu és um pássaro – repetiu o chimpanzé cheio de segurança. “ (p.91) Personificação  “Havia melros, papagaios, tucanos , pavões reais, águias, falcões, que ela contemplava atemorizada.” (p.84) Enumeração TURMAS A, B, C, D 7º ANO TURMAS A, B, C, D 7º ANO 
  11. 11. COMENTÁRIO Ler este livro enriqueceu-nos o vocabulário, principalmente sobre as gaivotas, o mar e os gatos. As ideias que a história transmite sobre coragem, amizade, carinho, felicidade, confiança, entreajuda, liberdade, cooperação, união familiar, esperança… mostram valores que são importantíssimos na vida de todos nós. Outro aspeto importante veiculado pela obra é a proteção, a defesa do planeta. Depois de ler, ficamos mais sensibilizados para a questão das marés e apercebemo-nos das consequências dessa poluição nos mares. A história despertanos para muitos cuidados a ter na sustentabilidade do planeta e preservação de algumas espécies. TURMAS A, B, C, D 7º ANO TURMAS A, B, C, D 7º ANO Mostra, também, a amizade possível entre espécies diferentes (entre presa e predador), a qual acaba por se tornar numa relação maternal/paternal, mostrando como é possível amar-se alguém, mesmo sendo muito diferente. Evidencia a superação dos instintos básicos (os gatos escolheram não comer Ditosa, pelo contrário, protegeram-na). Destaca, ainda, a importância do cumprimento de promessas (a honra, a palavra, o bom caráter). Podemos dizer, até, que valores como a igualdade são defendidos na história (aceitação de seres de raças diferentes).

×