Poesia

1.417 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.417
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
472
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Poesia

  1. 1. O QUE É
  2. 2. Ser poeta é ser mais alto, é ser maiorDo que os homens! Florbela Espanca
  3. 3. Malditos poetas, que disseram tudoe tudo tão bem dito!Malditos poetas, que me deixam mudo,sem um ai, uma súplica ou um grito!Raios os partam, cada qual maldito!Malditos, que roçaram no seu voo,com asas de veludoo infinito!Malditos poetas: Eu os abençoo... Adolfo Simões Müller
  4. 4. (...) Para que serve a poesia? Serve para haver poesia.Para o homem ser um homem. Para ogato ser um gato. Para a flor ser uma flor. Não fosse ela, a poesia, e não nascia o Sol.Tudo o que havia era uma noite eterna, escura e fria. É por haver poesia, que os dias são dias. Isso eu sei. E tu, sabias? Álvaro Magalhães
  5. 5. Ver claro Toda a poesia é luminosa, até a mais obscura. O leitor é que tem às vezes,em lugar de sol, nevoeiro dentro de si. E o nevoeiro nunca deixa ver claro. Se regressar outra vez e outra vez e outra vez a essas sílabas acesas ficará cego de tanta claridade. Abençoado seja se lá chegar. Eugénio de Andrade
  6. 6. O poema me levará no tempoQuando eu já não for eu (Ó antigas ó longasE passarei sozinha Eternas tardes lisas)Entre as mãos de quem lê Mesmo que eu morra o poemaO poema alguém o dirá encontraráÀs searas Uma praia onde quebrar as suas ondasSua passagem se confundiráComo rumor do mar com o passar do E entre quatro paredes densasvento De funda e devorada solidão Alguém seu próprio ser confundiráO poema habitará Com o poema no tempoO espaço mais concreto e mais atento Sophia de Mello Breyner AndresenNo ar claro nas tardes transparentesSuas sílabas redondas
  7. 7. O poeta beija tudo, graças a Deus... E aprende com as coisas a sua lição desinceridade...E diz assim: "É preciso saber olhar..."E pode ser, em qualquer idade, ingénuo como as crianças, entusiasta como osadolescentes e profundo como os homens feitos...E levanta uma pedra escura e áspera para mostrar uma flor que está pordetrás...E perde tempo (ganha tempo...) a namorar uma ovelha...E comove-se com coisas de nada: um pássaro que canta, uma mulher bonitaque passou, uma menina que lhe sorriu, um pai que olhou desvanecido para ofilho pequenino, um bocadinho de sol depois de um dia chuvoso...E acha que tudo é importante...E pega no braço dos homens que estavam tristes e vai passear com eles para ojardim...E reparou que os homens estavam tristes...E escreveu uns versos que começam desta maneira: "O segredo é amar..." Sebastião da Gama

×