SlideShare uma empresa Scribd logo

Aler+poesia

O poema expressa sentimentos de amor e saudade, descrevendo o desejo de estar com a pessoa amada e fazer coisas novas juntos. Refere também que o tempo passa rápido e que amanhã pode ser tarde demais.

1 de 14
Baixar para ler offline
Aula aLeR+




             17/04/2012
Sei que me vês                      As portas que se fecham e eu na minha
Quando os teus olhos me ignoram     A tua sombra é o lugar onde me deito
Quando por dentro eu sei que        Vamos fazer o que ainda não foi feito
choram                              E eu sou mais do que te invento
Sabes de mim                        Tu és um mundo com mundos por dentro
Eu sou aquele que se esconde        E temos tanto pra contar
Sabe de ti, sem saber onde          Vem nesta noite
Vamos fazer o que ainda não foi     Fomos tão longe a vida toda
feito                               Somos um beijo que demora
Trago-te em mim                     Porque amanhã é sempre tarde demais
Mesmo que chova no verão            Tens uma estrada
Queres dizer sim, mas dizes não     Tenho uma mão cheia de nada
Vamos fazer o que ainda não foi     Somos um todo imperfeito
feito                               Tu és inteira e eu desfeito
E eu sou mais do que te invento     Vamos fazer o que ainda não foi feito
Tu és um mundo com mundos por       E eu sou mais do que te invento
dentro                              Tu és um mundo com mundos por dentro
E temos tanto pra contar            E temos tanto pra contar
Vem nesta noite                     Vem nesta noite
Fomos tão longe a vida toda         Fomos tão longe a vida toda
Somos um beijo que demora           Somos um beijo que demora
Porque amanhã é sempre tarde        Porque amanhã é sempre tarde demais
demais                              Vem nesta noite
E eu sei que dói                    Fomos tão longe a vida toda
Sei como foi andares tão só por     Somos um beijo que demora
essa rua                            Porque amanhã é sempre tarde demais
As vozes que te chamam e tu na      Porque amanhã é sempre tarde demais
tua                                 Porque amanhã é sempre tarde demais
Esse teu corpo é o teu porto, é o   Porque amanhã é sempre tarde demais
teu jeito
Vamos fazer o que ainda não foi
feito                                http://www.youtube.com/watch?v=14_-_N2xJ3I
Sabes quem sou, para onde vou
A vida é curva, não uma linha
                                                Pedro Abrunhosa
Redação

Uma senhora pediu-me
um poema de amor.
Não de amor por ela,
mas «de amor, de amor».
À parte aquelas
trivialidades «minha rosa, lua do meu céu interior»
que podia eu dizer
para ela, a não destinatária,
que não fosse por ela?
Sem objeto, o poema
é uma redação
dos 100 Modelos
de Cartas de Amor.
                   Alexandre O’Neill
O amor é o amor - e depois?!
Vamos ficar os dois
a imaginar, a imaginar?..

O meu peito contra o teu peito,
cortando o mar, cortando o ar.
Num leito
há todo o espaço para amar!

Na nossa carne estamos
sem destino, sem medo, sem pudor,
e trocamos - somos um? somos dois? –
espírito e calor!
O amor é o amor - e depois?!

                                  Alexandre O´Neill
Quantas vezes me fechei para chorar
na casa de banho da casa de minha avó
lavava os olhos com shampoo
e chorava
chorava por causa do shampoo
depois acabaram os shampoos
que faziam arder os olhos
no more tears disse Johnson & Johnson
as mães são filhas das filhas
e as filhas são mães das mães
uma mãe lava a cabeça da outra
e todas têm cabelos de crianças loiras
para chorar não podemos usar mais shampoo
e eu gostava de chorar a fio
e chorava
sem um desgosto sem uma dor sem um lenço
sem uma lágrima
fechada à chave na casa de banho          Adília Lopes
da casa da minha avó
onde além de mim só estava eu
também me fechava no guarda-vestidos
mas um guarda-vestidos não se pode fechar
por dentro
nunca ninguém viu um vestido a chorar
Body Art?

Com os remédios
engordo 30 kg
o carteiro pergunta-me
para quando
é o menino
nos transportes públicos
as pessoas levantam-se
para me dar o lugar
sento-me sempre

Emagreço 21 Kg
as colegas                 No metro um rapaz
da Faculdade de Letras     e um velho
perguntam-me               discutem
se é menino                se eu estou grávida
ou menina                  o rapaz quer-me
                           dar o lugar
                           Detesto
                           o sofrimento

                                                 Adília Lopes

Recomendados

Faça Lá Um Poema! 2010
Faça Lá Um Poema! 2010Faça Lá Um Poema! 2010
Faça Lá Um Poema! 2010Isabel DA COSTA
 
Poemas Ilustrados
Poemas IlustradosPoemas Ilustrados
Poemas Ilustradosvales
 
Recital de poesia
Recital de poesiaRecital de poesia
Recital de poesiaZatiii
 
20120803 caderno poemas ciclo 3
20120803 caderno poemas ciclo 320120803 caderno poemas ciclo 3
20120803 caderno poemas ciclo 3crepalmela
 
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)Mirian Souza
 
Poesias ilustradas
Poesias ilustradasPoesias ilustradas
Poesias ilustradasnaldivana
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação poesia1
Apresentação poesia1Apresentação poesia1
Apresentação poesia1Soleducador1
 
Poemas del -portugal
Poemas   del -portugalPoemas   del -portugal
Poemas del -portugalMaria Paredes
 
Carla Santos ( FT1)
Carla  Santos ( FT1)Carla  Santos ( FT1)
Carla Santos ( FT1)efaesan
 
20120803 caderno poemas_ciclo_3
20120803 caderno poemas_ciclo_320120803 caderno poemas_ciclo_3
20120803 caderno poemas_ciclo_3bib2009
 
Livrinho Jogando e escrevendo poemas
Livrinho Jogando e escrevendo poemasLivrinho Jogando e escrevendo poemas
Livrinho Jogando e escrevendo poemasAline França Russo
 
Aula Poesia
Aula PoesiaAula Poesia
Aula PoesiaAldean
 
Oficina de Poesia Infantis
Oficina de Poesia InfantisOficina de Poesia Infantis
Oficina de Poesia Infantisestercotrim
 
Encarte - Douglas Germano
Encarte - Douglas GermanoEncarte - Douglas Germano
Encarte - Douglas GermanoalfeuRIO
 
Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra culturalBarbara Coelho
 
Caderno poemas 7_8_e_9_ano
Caderno poemas 7_8_e_9_anoCaderno poemas 7_8_e_9_ano
Caderno poemas 7_8_e_9_anoAELPB
 
Qualquer versar
Qualquer versar Qualquer versar
Qualquer versar Iran Maia
 
Tijolo de seguranca carlos heitor cony
Tijolo de seguranca   carlos heitor conyTijolo de seguranca   carlos heitor cony
Tijolo de seguranca carlos heitor conyAriovaldo Cunha
 

Mais procurados (19)

Apresentação poesia1
Apresentação poesia1Apresentação poesia1
Apresentação poesia1
 
Poemas del -portugal
Poemas   del -portugalPoemas   del -portugal
Poemas del -portugal
 
Carla Santos ( FT1)
Carla  Santos ( FT1)Carla  Santos ( FT1)
Carla Santos ( FT1)
 
20120803 caderno poemas_ciclo_3
20120803 caderno poemas_ciclo_320120803 caderno poemas_ciclo_3
20120803 caderno poemas_ciclo_3
 
Livrinho Jogando e escrevendo poemas
Livrinho Jogando e escrevendo poemasLivrinho Jogando e escrevendo poemas
Livrinho Jogando e escrevendo poemas
 
Produzindo Poemas
Produzindo Poemas Produzindo Poemas
Produzindo Poemas
 
Aula Poesia
Aula PoesiaAula Poesia
Aula Poesia
 
Oficina de Poesia Infantis
Oficina de Poesia InfantisOficina de Poesia Infantis
Oficina de Poesia Infantis
 
Sérgio Capparelli
Sérgio CapparelliSérgio Capparelli
Sérgio Capparelli
 
Rui Belo
Rui BeloRui Belo
Rui Belo
 
IEL- Caderno de Poemas 7º, 8º e 9º anos
IEL- Caderno de Poemas 7º, 8º e 9º anosIEL- Caderno de Poemas 7º, 8º e 9º anos
IEL- Caderno de Poemas 7º, 8º e 9º anos
 
Encarte - Douglas Germano
Encarte - Douglas GermanoEncarte - Douglas Germano
Encarte - Douglas Germano
 
Exemplos de poemas
Exemplos de poemasExemplos de poemas
Exemplos de poemas
 
Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra cultural
 
Caderno poemas 7_8_e_9_ano
Caderno poemas 7_8_e_9_anoCaderno poemas 7_8_e_9_ano
Caderno poemas 7_8_e_9_ano
 
Qualquer versar
Qualquer versar Qualquer versar
Qualquer versar
 
Tijolo de seguranca carlos heitor cony
Tijolo de seguranca   carlos heitor conyTijolo de seguranca   carlos heitor cony
Tijolo de seguranca carlos heitor cony
 
Fichas De Poesia
Fichas De PoesiaFichas De Poesia
Fichas De Poesia
 
10 cartas para Fortaleza
10 cartas para Fortaleza10 cartas para Fortaleza
10 cartas para Fortaleza
 

Semelhante a Aler+poesia

Semelhante a Aler+poesia (20)

Chuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdfChuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdf
 
Letras do multishow paula fernandes ao vivo cd completo
Letras do multishow paula fernandes ao vivo cd completoLetras do multishow paula fernandes ao vivo cd completo
Letras do multishow paula fernandes ao vivo cd completo
 
Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010
 
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Dia mundial da poesia
Dia mundial da poesiaDia mundial da poesia
Dia mundial da poesia
 
Caderno poemas português
Caderno poemas portuguêsCaderno poemas português
Caderno poemas português
 
Caderno poemas 7_8_e_9_ano
Caderno poemas 7_8_e_9_anoCaderno poemas 7_8_e_9_ano
Caderno poemas 7_8_e_9_ano
 
Caderno poemas 7_8_e_9_ano
Caderno poemas 7_8_e_9_anoCaderno poemas 7_8_e_9_ano
Caderno poemas 7_8_e_9_ano
 
Caderno poemas
Caderno poemasCaderno poemas
Caderno poemas
 
FIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
FIGURAS DE LINGUAGEM.pptFIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
FIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
 
Poemas de amor
Poemas de amorPoemas de amor
Poemas de amor
 
Quadras ao gosto popular atividades 7 e 8 Fernando Pessoa, Apresentação Anton...
Quadras ao gosto popular atividades 7 e 8 Fernando Pessoa, Apresentação Anton...Quadras ao gosto popular atividades 7 e 8 Fernando Pessoa, Apresentação Anton...
Quadras ao gosto popular atividades 7 e 8 Fernando Pessoa, Apresentação Anton...
 
Concurso poesia na corda 2011
Concurso poesia na corda 2011Concurso poesia na corda 2011
Concurso poesia na corda 2011
 
Concurso poesia na corda 2011
Concurso poesia na corda 2011Concurso poesia na corda 2011
Concurso poesia na corda 2011
 
Literatura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemLiteratura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras Linguagem
 
Velhodahorta
VelhodahortaVelhodahorta
Velhodahorta
 
Outras estorias
Outras estoriasOutras estorias
Outras estorias
 
Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias
 
30 Poemas De Amor Slide
30 Poemas De Amor Slide30 Poemas De Amor Slide
30 Poemas De Amor Slide
 

Último

Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoMariaJoão Agualuza
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.Prime Assessoria
 
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...apoioacademicoead
 
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptxUm círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptxColmeias
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptxAndreia Silva
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...azulassessoriaacadem3
 
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Nesse sentido, considerando a situação hipotética apresentada sobre o projeto...
Nesse sentido, considerando a situação hipotética apresentada sobre o projeto...Nesse sentido, considerando a situação hipotética apresentada sobre o projeto...
Nesse sentido, considerando a situação hipotética apresentada sobre o projeto...azulassessoriaacadem3
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
 
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
 
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptxUm círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
Um círculo de Leitura Fada Oriana. Colmeias.pptx
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
01_Apresentacao_25_CIAED_2019_Ambientação_GRAD.pptx
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
Nesse sentido, considerando a situação hipotética apresentada sobre o projeto...
Nesse sentido, considerando a situação hipotética apresentada sobre o projeto...Nesse sentido, considerando a situação hipotética apresentada sobre o projeto...
Nesse sentido, considerando a situação hipotética apresentada sobre o projeto...
 
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
a) Como você pode utilizar plataformas digitais, como o Canva e o Book Creato...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 

Aler+poesia

  • 1. Aula aLeR+ 17/04/2012
  • 2. Sei que me vês As portas que se fecham e eu na minha Quando os teus olhos me ignoram A tua sombra é o lugar onde me deito Quando por dentro eu sei que Vamos fazer o que ainda não foi feito choram E eu sou mais do que te invento Sabes de mim Tu és um mundo com mundos por dentro Eu sou aquele que se esconde E temos tanto pra contar Sabe de ti, sem saber onde Vem nesta noite Vamos fazer o que ainda não foi Fomos tão longe a vida toda feito Somos um beijo que demora Trago-te em mim Porque amanhã é sempre tarde demais Mesmo que chova no verão Tens uma estrada Queres dizer sim, mas dizes não Tenho uma mão cheia de nada Vamos fazer o que ainda não foi Somos um todo imperfeito feito Tu és inteira e eu desfeito E eu sou mais do que te invento Vamos fazer o que ainda não foi feito Tu és um mundo com mundos por E eu sou mais do que te invento dentro Tu és um mundo com mundos por dentro E temos tanto pra contar E temos tanto pra contar Vem nesta noite Vem nesta noite Fomos tão longe a vida toda Fomos tão longe a vida toda Somos um beijo que demora Somos um beijo que demora Porque amanhã é sempre tarde Porque amanhã é sempre tarde demais demais Vem nesta noite E eu sei que dói Fomos tão longe a vida toda Sei como foi andares tão só por Somos um beijo que demora essa rua Porque amanhã é sempre tarde demais As vozes que te chamam e tu na Porque amanhã é sempre tarde demais tua Porque amanhã é sempre tarde demais Esse teu corpo é o teu porto, é o Porque amanhã é sempre tarde demais teu jeito Vamos fazer o que ainda não foi feito http://www.youtube.com/watch?v=14_-_N2xJ3I Sabes quem sou, para onde vou A vida é curva, não uma linha Pedro Abrunhosa
  • 3. Redação Uma senhora pediu-me um poema de amor. Não de amor por ela, mas «de amor, de amor». À parte aquelas trivialidades «minha rosa, lua do meu céu interior» que podia eu dizer para ela, a não destinatária, que não fosse por ela? Sem objeto, o poema é uma redação dos 100 Modelos de Cartas de Amor. Alexandre O’Neill
  • 4. O amor é o amor - e depois?! Vamos ficar os dois a imaginar, a imaginar?.. O meu peito contra o teu peito, cortando o mar, cortando o ar. Num leito há todo o espaço para amar! Na nossa carne estamos sem destino, sem medo, sem pudor, e trocamos - somos um? somos dois? – espírito e calor! O amor é o amor - e depois?! Alexandre O´Neill
  • 5. Quantas vezes me fechei para chorar na casa de banho da casa de minha avó lavava os olhos com shampoo e chorava chorava por causa do shampoo depois acabaram os shampoos que faziam arder os olhos no more tears disse Johnson & Johnson as mães são filhas das filhas e as filhas são mães das mães uma mãe lava a cabeça da outra e todas têm cabelos de crianças loiras para chorar não podemos usar mais shampoo e eu gostava de chorar a fio e chorava sem um desgosto sem uma dor sem um lenço sem uma lágrima fechada à chave na casa de banho Adília Lopes da casa da minha avó onde além de mim só estava eu também me fechava no guarda-vestidos mas um guarda-vestidos não se pode fechar por dentro nunca ninguém viu um vestido a chorar
  • 6. Body Art? Com os remédios engordo 30 kg o carteiro pergunta-me para quando é o menino nos transportes públicos as pessoas levantam-se para me dar o lugar sento-me sempre Emagreço 21 Kg as colegas No metro um rapaz da Faculdade de Letras e um velho perguntam-me discutem se é menino se eu estou grávida ou menina o rapaz quer-me dar o lugar Detesto o sofrimento Adília Lopes
  • 7. Toda a gente que tem as mãos frias Poema Pial Deve metê-las dentro das pias. Pia número UM Para quem mexe as orelhas em jejum. Pia número DOIS, Para quem bebe bifes de bois. Pia número TRÊS, Para quem espirra só meia vez. Pia número QUATRO, Para quem manda as ventas ao teatro. Pia número CINCO, Para quem come a chave do trinco. Pia número SEIS, Para quem se penteia com bolos-reis Pia número SETE, Para quem canta até que o telhado se derrete. Pia número OITO, Para quem parte nozes quando é afoito. Pia número NOVE, Para quem se parece com uma couve. Pia número DEZ, Para quem cola selos nas unhas dos pés. E, como as mãos já não estão frias, Tampa nas pias!
  • 8. Pia, pia, pia O mocho, Que pertencia A um coxo. Zangou-se o coxo Um dia, E meteu o mocho Na pia, pia, pia...
  • 9. Dizem que finjo ou minto Autopsicografia O poeta é um fingidor. Dizem que finjo ou minto Finge tão completamente Tudo que escrevo. Não. Que chega a fingir que é dor Eu simplesmente sinto A dor que deveras sente. Com a imaginação. Não uso o coração. E os que leem o que escreve, Na dor lida sentem bem, Tudo o que sonho ou passo, Não as duas que ele teve, O que me falha ou finda, Mas só a que eles não têm. É como que um terraço Sobre outra coisa ainda. E assim nas calhas de roda Essa coisa é que é linda. Gira a entreter a razão, Esse comboio de corda Por isso escrevo em meio que se chama o coração. Do que não está de pé, Livre do meu enleio, Sério do que não é. Sentir? Sinta quem lê!
  • 10. Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, Mas nele é que espelhou o céu. Fernando Pessoa
  • 12. As amoras O meu país sabe às amoras bravas no verão. Ninguém ignora que não é grande, nem inteligente, nem elegante o meu país, mas tem esta voz doce de quem acorda cedo para cantar nas silvas. Raramente falei do meu país, talvez nem goste dele, mas quando um amigo me traz amoras bravas os seus muros parecem-me brancos, reparo que também no meu país o céu é azul. Eugénio de Andrade
  • 13. Amor é fogo que arde sem se ver É ferida que dói e não se sente É um contentamento descontente É dor que desatina sem doer É um não querer mais que bem querer É solitário andar por entre a gente É nunca contentar-se de contente É cuidar que se ganha em se perder É querer estar preso por vontade É servir a quem vence, o vencedor É ter com quem nos mata lealdade. Mas como causar pode seu favor Nos corações humanos amizade, Se tão contrário a si é o mesmo Amor? Luís de Camões