(Microsoft word aula 1 - evolu347343o hist363rica da adm da produ347343o)

711 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

(Microsoft word aula 1 - evolu347343o hist363rica da adm da produ347343o)

  1. 1. Administração da Produção e Operações AULA 01: INTRODUÇÃO ÀDMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO Professor : Marcus Alberto Della Coletta 1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA Historicamente, quando o homem polia uma pedra a fim de transformá-la em um utensílio, eleestava executando uma atividade de produção. Neste estágio as ferramentas e utensílios eram utilizados exclusivamente por quem os produzia,inexistia o comércio ou escambo. Com o passar dos tempos algumas pessoas se revelaram extremamente habilidosas na produçãode certos bens, surgiram então os artesãos, que recebiam as encomendas e fixavam seus preços. O aumento das encomendas gerou a necessidade de contratação de pessoas que posteriormentetornavam-se novos artesãos. Iniciou-se assim a evolução da produção. Com o advento da Revolução Industrial, ocorrida após a invenção da máquina à vapor por JamesWatt em 1764, tem início o processo de substituição do homem por máquinas. Os artesãos começaram ase agrupar, saindo de suas oficinas e iniciando as primeiras fábricas que trouxeram consigo algumasurgências, como por exemplo: - Padronização do produto; - Padronização do processo de fabricação; - Treinamento da mão de obra direta; - Desenvolvimento de técnicas de planejamento e controle da produção; - Desenvolvimento das técnicas financeiras; - Desenvolvimento das técnicas de vendas. A figura abaixo apresenta um esquema da Evolução Histórica da Administração da Produção. Contribuições das Organizações após 1950 Bell Labis – transistor Du Pont – naylon IBM – computadores W. Shewhart(1931) Toyota – Produção enxuta Deming – Qualidade F. W. Harris(1915) Aumento da Henry Ford(1904) produtividade Frederic Taylor(1890) Sistemas Flexíveis e Adam Smith Robótica (1776) Computadores James Watt Pesquisa (1764) Administração Operacional Revolução Científica Indusatrial Era do artesanato 1750 1800 1850 1900 1950 2000 Depressão Expansão Expansão Expansão Expansão da colonial industrial financeira automação Figura 1 – Evolução Histórica da Administração da Produção11/8/2012 Profº Marcus A. D. Coletta 1
  2. 2. Administração da Produção e Operações No fim do século XIX, surge nos EUA os trabalhos de Frederick Taylor, considerado o pai daAdministração Científica. Surge o conceito de produtividade, e novas técnicas buscando sempre melhorá-la. PRODUTIVIDADE = Medida de Output = Total produzido_____ Medida de Input Total gasto para produzir No início do século XX, Henry Ford cria a linha de montagem e o conceito de produção seriada ouprodução em massa. Os altos volumes de produção são extremamente padronizados visando obtergrandes ganhos de Produtividade o que autores como Peter Drucker denomina como Revolução daProdutividade. O filme Tempos Modernos de Charles Chaplin ilustrou muita bem esta época. Desenvolveram-se assim os conceitos de: - linha de montagem; - posto de trabalho; - estoques intermediários; - monotonia do trabalho, motivação, sindicatos; - arranjo físico (layout), balanceamento de linha; - produtos em processo, fluxograma de processo - manutenção preventiva; - controle estatístico da qualidade. Este conceito dominou o cenário até a década de 60, quando surgiram técnicas que vieramcaracterizar a “produção enxuta“. O Japão surge como nova força mundial em manufatura onde surgiramconceitos como: - JIT - Just in time; - TQC – Total Quality Control - TPM – Manutenção Produtiva Total, - Melhoria Contínua – Kaizen. A partir da década de 60, o processo de modernização da produção começa a dar maiorimportância à figura do consumidor. A flexibilidade das modernas técnicas de produção permite a indústria rapidamente alterar seusprodutos e processos para atender as novas necessidades dos consumidores que estão cada vez maisexigentes. Pode-se dizer sob certos aspectos que temos uma certa redução na produção em massa e temosum “retorno ao artesão” porém agora com moderníssimas fábricas. A tabela abaixo ilustra as mudanças ocorridas na Produção. O velho paradigma da O novo paradigma: produção CARACTERÍSTICAS* Produção em Massa sob especialização flexível1. Tamanho da empresa - Grande (A corporação) - Pequena e média – (Unidades de negócio)2. Tecnologia - Máquinas especializadas e - Máquinas flexíveis de múltiplos dedicadas objetivos3. Trabalho -Separação entre concepção - Integração entre concepção e e execução execução - Tarefas fragmentadas e -Tarefas variadas e de múltiplas rotineiras habilidades4. Gerência - Hierarquia rígida e formal - Hierarquia relativa e informal - Centralização - Descentralização5. Produção - Grandes volumes e - Ampla variedade de pequenos variedade limitada de lotes, produtos personalizados. produtos padronizados6. Comportamento competitivo - Estratégia de controle de - Rápida adaptação à mudança e mercado (monopólio) inovação* FONTE: H. Schmitz. Small and Flexible Specialization in LCDs, 1989. Hoje, a empresa de classe mundial é aquela voltada para o cliente, com manufatura enxuta,excelentes indicadores de produtividade e qualidade além da cultura de melhoria contínua,responsabildade sócio-ambiental disseminada por toda a organização.11/8/2012 Profº Marcus A. D. Coletta 2
  3. 3. Administração da Produção e Operações2. MANUFATURA e SERVIÇOS Ao longo de todo o processo de desenvolvimento da manufatura sempre estivera presente os“serviços”. Até meados da década de 50 a indústria de transformação com suas chaminés, eram o símboloque se destacava no cenário político e econômico mundial. Este setor era responsável pelo emprego domaior número de pessoas e eram responsáveis pela maior parte do Produto Interno Bruto. Evoluiu-seassim o conceito de Administração da Produção abordando aspectos como planejamento e controle daprodução, manutenção, controle de qualidade, etc. Atualmente, o setor de serviços emprega mais pessoas e gera a maior fatia do PIB na maioria dasnações do mundo. Nos EUA o setor manufatureiro permaneceu constante (20% do PIB) ao longo dasúltimas 3 décadas, enquanto que o emprego total da manufatura caiu cerca de 20%. No Brasil o setor de serviços é responsável por cerca de 70% do valor do PIB e emprega cerca de75% da mão-de-obra em vários ramos de atividade. A indústria contribui com cerca de 20% do PIBempregando algo em torno de 20 % da mão-de-obra disponível. Muitas indústrias para poderem se diferenciar no mercado estão oferecendo atividades de serviçopara seus clientes. Uma empresa fabricante de polímeros (plásticos), por exemplo, oferece gratuitamente oserviço de Assistência Técnica para desenvolvimento de produtos de seus clientes. Indústrias como IBM,tradicional fabricante de computadores nos anos 90, oferece hoje o serviço de processamento de dados emseus Servidores, gerando muitas vezes mais lucro do que a tradicional fabricação de produtos eletrônicos. A explicação para o crescimento dos Serviços pode ser atribuída a grande onda de terceirizaçãodas indústrias a partir da década de 80, ao advento da urbanização das populações, a introdução de novastecnologias como a INTERNET, o aumento na Qualidade de vida em países desenvolvidos e a entradadefinitiva das mulheres no mercado de trabalho. Existe ainda a necessidade das grandes empresas capitalistas em descobrirem e desenvolveremnovos mercados consumidores e ao mesmo tempo diversificar mais seus produtos. Isto gera atualmenteuma constante troca de mercadorias entre países fazendo com que setores de serviços, como o detransporte, estejam em franca expansão no mundo globalizado. Desta forma, todo conhecimento da Administração da Produção passou a ser empregado no setorde serviços gerando o conceito de Operações. Assim, o termo Operações compõem o conjunto de todas asatividades da empresa relacionadas com a produção de bens e/ou serviços. Porém, o setor de serviçosnecessita desenvolver conceitos e metodologias adequadas aos novos tempos quanto às especificaçõesde suas operações bem como o seu monitoramento e controle. O papel do Administrador é fundamentalnesta evolução.•Fatores que afetam a Administração de Operações hoje: 1) Realidade da competição global 2) Qualidade, serviço ao cliente e desafios de custo 3) Rápida expansão da tecnologia de Produção avançada 4) Contínuo crescimento do setor de serviços 5) Escassez de recursos de produção 6) Questões de responsabilidade social11/8/2012 Profº Marcus A. D. Coletta 3
  4. 4. Administração da Produção e Operações3. REALIDADE DA COMPETIÇÃO GLOBAL 3.1 Natureza mutável da competição global: Comunicações, transportes e políticas de comércio global relativamente amigáveis tornaram maisfáceis as transações globais. Esse comércio Internacional resultou em uma Economia Global que interligaas Economias de todo o mundo, numa verdadeira aldeia global. Os eventos econômicos de um país emrecessão afetam muitos (ou todos) os outros países. Alianças estratégicas e compartilhamento de produção ocorrem diante de acordos internacionais delivre comércio e da formação de blocos comerciais regionais. O escopo de operações de uma empresatende a deslocar-se do nacional para o Global. Isto gera a necessidade de formação de alianças (comojoint ventures) entre companhias internacionais para explorarem oportunidades comerciais globais. 3.2. Desafios da Qualidade, serviço ao cliente e desafios de custo: As antigas metas de Qualidade adequada tiveram de ser substituídas hoje pelo objetivo da qualidadede produto e serviço perfeito. - Filosofia do Zero defeito - As organizações precisam abraçar o compromisso de melhoria contínua dos produtos e serviços para se manterem competitivas - Funcionários multifuncionais - Trabalho em equipe - Em busca de reduções de custos e excelência operacional surgem técnicas modernas de melhorias como o Six Sigma. 3.3.Tecnologia Avançada de Produção O uso da automação na produção é um dos desenvolvimentos que mais afetaram a manufatura eos serviços nas últimas décadas. Exemplos: –CAD (Computer aided design) – Projeto auxiliado por computador –CAM (Computer aided manufacturing) – Manufatura auxiliada por computador –CIM (Computer integrated manufacturing) – Manufatura integrada por computador –FMS (Flexible manufacturing system) – Sistema flexível de manufatura –AGV (Automated guided vehicles) – veículos comandados por computador –ASRS – sistema de armazenamento e recuperação automatizados –Máquinas Inteligentes ou Autônomas – tornos CNCs –Fábrica “as escuras” ou Planta sem iluminação. 3.4. Contínuo crescimento do setor de Serviços Muitos serviços não poderiam existir sem um forte setor manufatureiro, e o inverso, sem dúvida éverdadeiro. Conforme exposto no item 2, Manufatura e Serviços, o setor de serviços emprega hoje o maiornúmero de pessoas além de gerar o maior número de riquezas do que a indústria. Dentro do setor deserviços temos o comércio, as atividades dos hotéis, hospitais, transportes, informática, educação, turismo,entretenimento, assessorias jurídicas, contábeis, etc. Diferenciar o Produto oriundo daManufatura/Produção com algum tipo de Serviço é uma das grandes estratégias para sobreviver nomercado atual. Este assunto veremos em aulas posteriores. 3.5. Escassez de recursos de produção A escassez de recursos de produção sempre trará dores de cabeça aos Gerentes de Operações.Água, petróleo e seus derivados, carvão, níquel, estanho são matérias-primas que ficarão cada vez maisindisponíveis na natureza sendo escassos no futuro. Portanto, na formação da estratégia de negócios é importante prever sempre uma forma de superarestas dificuldades. Exemplos de soluções para escassez de recursos: - A Du Pont desenvolveu o 3GT, um tecido de poliéster feito de amido de milho, com custo menordo que o poliéster à base de petróleo, podendo ser reciclado indefinidamente. - A indústria automotiva está introduzindo o veículo híbrido e elétrico para gerar alternativas menospoluentes e menos dependentes do petróleo. 3.6. Questões de responsabilidade social11/8/2012 Profº Marcus A. D. Coletta 4
  5. 5. Administração da Produção e Operações Atitudes do consumidor está influenciando as empresas para agirem com responsabilidade emrelação ao meio ambiente e a sociedade. Regulamentos do governo – leis municipais, estaduais e federais cada vez mais severas emrelação a danos ao meio ambiente. Interesse próprio – muitas empresas estão mudando seu comportamento em relação às questõessociais pois perceberam que os lucros a longo prazo serão maiores se agirem com responsabilidade. OMcDonald´s atualmente possui uma linha de produtos light, com opções de salada, frutas, sucos visandooferecer aos clientes uma opção de alimentação mais saudável. Questões de impacto ambiental que afetam as Operações: –Aquecimento global –Derramamento de petróleo e produtos químicos –Chuva ácida –Poluição sonora, do ar, solo, água e visual –Conservação de energia –Redução de lixo em aterros sanitários –Reciclagem de papel, plástico, metais, vidro, etc. TEXTO - FORDEstudo de Caso: A maior aposta da Ford – fábrica e carros novos são as armas da montadora paracrescer no Brasil A aposta da Ford para continuar brigando por fatias maiores do mercado brasileiro foi um modelototalmente modificado do Fiesta. O novo Fiesta, um popular que teve o nome código de Amazon, nasceujunto com a moderna fábrica da montadora na Bahia. Para os 2300 funcionários que trabalham nesta novaunidade de Camaçari, município da grande Salvador, foi também uma aposta de progresso para a região.11/8/2012 Profº Marcus A. D. Coletta 5
  6. 6. Administração da Produção e OperaçõesPara Ford, a terceira maior fabricante do mundo, foi uma aposta no crescimento da filial brasileira, quepretendia dobrar a sua participação com a nova família de produtos da planta nordestina. [...] A Ford não é a única a se propor a tal desafio. Toda indústria automobilística, vive a mesmainquietação. Hoje, para manter ou aumentar a venda de veículos, uma montadora tem que colocar nasrevendedoras o que o consumidor quer: um carro bonito, confortável, durável, prático, ágil e,principalmente, barato, “fazer mais com menos”. A competição é ainda mais acirrada no mercado dospopulares, os carros de motor 1.0, que correspondem a 7 de cada 10 carros vendidos no Brasil. [...] A produtividade deu um salto nos últimos 20 anos. A robotização da indústria já chega a 50% nasfábricas mais modernas do país. Um operário produz hoje mais de 100 automóveis por ano, contra umamédia de 15 na década de 1980. A Logística evoluiu a tal ponto que as indústrias de autopeças, que antesficavam concentradas em poucos estados, hoje viajam com as montadoras para onde elas fixam endereço.Na fábrica de Camaçari, por exemplo, 33 fornecedores acompanharam a Ford no projeto. Juntos,reduziram o tempo de produção de um carro de 1 semana para um dia. Os consumidores tambémganharam com o aumento da produtividade. Além do preço mais baixo, a qualidade e a durabilidade doveículo cresceram muito. “Nos anos 80 um carro era projetado para durar até 3 anos sem dar problemasmaiores ao motorista. Hoje, o prazo de validade subiu para 10 anos”, diz Luc de Ferran, o vice-presidenteda Ford no Brasil. O consultor de indústria automobilística Edgard Viana, da A.T. Kearney, aponta outrosavanços excepcionais obtidos entre o fim da década de 70 e hoje. Segundo ele, as pastilhas de freio, queprecisavam ser trocadas a cada 10 mil quilômetros atualmente duram 4 vezes mais. Um jogo de pneus,que agüentava 20 mil quilômetros, agora roda mais que o dobro desta distância. Os metalúrgicos também viveram mudanças radicais neste período. A qualificação exigida para umcandidato que quisesse ingressar em uma montadora aumentou. Antes bastava ter o primeiro grau. Agorao piso mínimo é o segundo grau completo. O número de acidentes de trabalho caiu 95% em 20 anos. [...]Até as históricas greves dos metalúrgicos cederam lugar a acordos mais flexíveis, como a redução dajornada de trabalho, que vem impedindo as demissões nos últimos anos. O sistema de fabricação evoluiu de forma acelerada. Na fábrica da Ford em Camaçari, todo cicloprodutivo dura apenas 1 dia. A capacidade total é de 250000 carros por ano, o que permite que a cada 80segundos um veículo entre no pátio da montadora para ser transportado para o posto de venda. O trabalhoé sincronizado, Cada segundo conta. Quando um carro entra na linha de montagem, ainda em forma deesqueleto, os fornecedores são acionados e o pedido de peças aparece na tela do computador,especificando o volume e a hora de entrega. A divisão interna da montadora em Camaçari, é comparávelao traçado de uma pequena cidade, onde a Ford seria a avenida principal e os fornecedores, as ruastransversais. A medida que o automóvel entra na linha de montagem as fornecedoras de autopeças vãosimultaneamente recheando a máquina com seus equipamentos e acabamentos. Todos os funcionáriosdos 33 fornecedores estão lado a lado e usam o mesmo uniforme: calça azul marinho e camisa cáqui, quetraz o emblema da bandeira do Brasil de um lado da manga e do outro o da Ford ou da empresa em quetrabalham. É a identificação de cada um dos 1300 operadores. A vestimenta é adotada por gente de todosos níveis hierárquicos, do chefão, o Eng. Luc de Ferran, aos funcionários que cuidam da limpeza dafábrica. A integração vai além disso. As companhias do complexo tem a administração única. Dividem otransporte, o centro médico e têm o mesmo piso salarial. O custo de segurança é rateado entre a Ford e osfornecedores. O resultado disso é uma economia para a montadora de pelo menos 50% dos custos deadministração dos serviços. Outro ponto da fábrica que é a marca registrada da modernidade é a preocupação ecológica. Osistema de tratamento de esgoto é feito por um método que utiliza a filtragem mecânica e biológica de águano solo e em tanques com o plantio de arroz. No fim do processo, a água sai purificada, podendo serreutilizada na irrigação de jardins. A implantação desta técnica custou R$ 200.000,00. O tratamentotradicional não sairia por menos de R$ 3 milhões. O sistema é simples, mas resolve o problema dosresíduos produzidos por um complexo de quase 5 milhões de metros quadrados, equivalente a 5autódromos do tamanho de Interlagos. Andando pelo terreno, é possível ver também as primeiras mudasde um projeto de reflorestamento com o plantio de espécies nativas da mata atlântica. [...]Fonte: Adaptado de RAMIRO, Denise. A maior aposta da Ford, VEJA, São Paulo, 1 de maio de 2002.Nome:______________________________________________________Data:____________Nome:______________________________________________________Turma:____________Respondam as seguintes questões:11/8/2012 Profº Marcus A. D. Coletta 6
  7. 7. Administração da Produção e Operações 1) Conforme o texto, quais são os desafios enfrentados pelas montadoras de veículos em nossos dias? 2) Cite os vários fatores que contribuíram para o grande aumento da produtividade das montadoras nos últimos 20 anos? 3) Cite os ganhos que teve o consumidor com o aumento da produtividade nas montadoras. 4) E para os Metalúrgicos? Quais foram os benefícios conquistados? 5) A FORD estava preocupada com as questões de responsabilidade social e ambiental? Cite algum exemplo?11/8/2012 Profº Marcus A. D. Coletta 7

×