Dois dias depoisEllen desceu do elevador no décimo andar de um edifício de escritórios na baixa LosAngeles. Seu estômago p...
A bondade na voz da mulher desapareceu e foi substituída com uma pitada deinsinuação, que Ellen se sentiu desconfortável.C...
a melhor sobre Ellen, e mesmo que ela não quisesse, pegou o envelope e abriu-o dequalquer maneira.Várias fotos de tamanho ...
O ar tinha literalmente saído para fora dos pulmões de Ellen. Leslie só tinha feitoinsultá-la desde que ela entrou pela po...
"Do que você está falando? Ninguém pode dizer nada, porque ninguém sabe de nada.Não há nada que saber!" Foi o último argum...
este filme, querem assistir o homem de família idealista .. . não o cara que teve um casoe se divorciou de sua esposa.""Eu...
"Ele ama você. Ele vai te perdoar. Ele pode não entender ainda, mas ele vai. ... Equando ele perceber que sua carreira ain...
Fugir de Patrick Dempsey ia ser a coisa mais difícil que ela precisava fazer. Ela queriaque ele entendesse, ela queria que...
poderia ser ouvido, mas era um som que eles estavam tão acostumados, que nemnotaram.Finalmente, depois do que pareceu uma ...
"El, vamos lá. Converse comigo". Sua voz era tão suave e reconfortante que Ellen nãoconseguia tirar suas mãos de cima de s...
"Fotos? Ele realmente não entendia e ele não teve tempo para pensar nisso antes de elacontinuar."Alguém nos seguiu até pra...
ebulição. Ele e Ellen nunca haviam brigado deste jeito como que ... ele nunca haviagritado com ela, mas ele não poderia aj...
segredo por mais tempo do que planejamos .... mas vai ficar tudo bem no final". Mesmoquando ele disse isso, ele sabia que ...
Eles estavam de volta no set fazia três dias, e além de simples Olá, eles não falaramnenhuma palavra um ao outro. Ela já h...
Parada em frente a porta do trailer, seu corpo não se mexia. Ela não conseguia forçar-sea dar um passo em frente. Patrick ...
quero perdê-la, sendo assim, se ser seu amigo é tudo o que posso ser .... eu apenas vouter que aceitar e conviver com isto...
seu relacionamento no ano passado, que era quase triste que eles estavam de volta, noestado estranho que eles haviam começ...
ele não estava olhando para ela. "Eu sabia que ia machucá-lo, por isso evitei issoenquanto pude." Balançando a cabeça, ele...
ele. A questão toda de se divorciar era para ficar longe da pessoa, e não continuarvivendo com ela, mas, era a única manei...
nos lábios, apreciando a breve, mas intensa sensação dos seus lábios macios contra osdele.Patrick sentiu uma imensa sensaç...
como uma afirmação. Ele olhava atentamente, esperando para ver o que ela faria. Nãohavia nenhuma maneira de negar. Ele tin...
"É só isso, Patrick." Ela suspirou, tentando manter sua voz sem gaguejar. "Eu precisoparar de te amar. Eu preciso te esque...
"Você se incomoda mesmo para lhe dizer sobre mim? Você está só para fingindo quenada aconteceu?" Ela estava vivendo uma me...
Após a sua entrada, tanto Patrick quanto Shonda pararam de falar, e o quarto caiu emum silêncio constrangedor. Shonda esta...
ruidosamente contra o seu peito. A cadeira que estava sentada não tinha braços, e elanervosamente esfregou as palmas das m...
interrompidos    é   porque     ninguém     fica   fofocando    na    sua    frente”."Eu não entendo ..." Ellen falou nova...
não ditas deixou a sua mente divagar e ele chegou às cegas para o lado de Ellen. Em vezde se afastar dele, como ele espera...
Finalmente quebrando seu olhar, Ellen olhou para sua chefe. Shonda tinha umaexpressão indecifrável no rosto e Ellen tinha ...
não poderia deixá-la fazer mais. Eles estavam juntos nisso, o que quer que fosse, etinham que ficar assim.”Não podíamos co...
Sentando-se na cadeira, ela cruzou os braços em uma posição defensiva e se recusou adizer qualquer coisa mais.Percebendo q...
"Patrick, você tem que puxar tão forte?" Ela perguntou com os olhos estreitados.Tomando os pulsos mínimos e ineficientes e...
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Parte 5
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Parte 5

2.044 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.044
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
115
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parte 5

  1. 1. Dois dias depoisEllen desceu do elevador no décimo andar de um edifício de escritórios na baixa LosAngeles. Seu estômago parecia que estava amarrado em um milhão de nós minúsculos.Ela lutou contra a vontade de ficar doente várias vezes no elevador e agora que estavamais perto de seu destino, sentiu-se ainda mais doente.Ela não sabia exatamente o que ela estava fazendo ali. Sua agente a tinha chamado demanhã, dizendo que ela tinha sido convidada para uma reunião urgente com a publicistade Patrick. Não fazia sentido. Ela não conseguia entender o que a mulher queria comela. Ela já tinha uma publicista, ela certamente não precisava de outra, mas, sua agentetinha dito que era do seu melhor interesse ir .... e foi assim que ela acabou de pé emfrente da secretária de Leslie com as palmas das mãos suadas e o estômagoembrulhando.Algo não estava legal. Algo não estava certo. Ellen sabia. Ela sabia antes mesmo doconvite, mas uma parte dela estava curiosa sobre o motivo pelo qual Leslie gostaria defalar com ela, e outra parte dela não iria descansar até que ela descobrisse.Ellen tinha certeza de que Patrick não sabia nada sobre a reunião. Ele teria dito a ela sesoubesse. Olhando para o seu BlackBerry, ela franziu a testa ao perceber que ela aindanão tinha nenhuma mensagem dele. Ela ligou várias vezes para contar-lhe sobre areunião de última hora, e ele não respondeu nenhuma de suas chamadas.O desaparecimento de Patrick não a estava ajudando com seus nervos. Estaria ele aignorando? Por que Leslie queria se encontrar com ela e não com Patrick? Ela era suaassessora, afinal. Nada parecia fazer sentido, mas ela sabia que, uma vez que Patrickdescobrisse sobre o encontro, ele não ficaria feliz."Ela vai ver você agora." A secretária disse, e Ellen teve que piscar algumas vezes paradescobrir o que a menina havia dito. Ela não estava prestando atenção. A porta doescritório estava entreaberta e, de repente, Ellen sentiu-se tonta. Ela teve que respirarprofundamente para se acalmar. A secretária a encarou em preocupação, mas elaconseguiu fingir um sorriso de confiança antes de entrar pela porta.Não havia muitas pessoas que conseguiam intimidar Ellen, mas quando ela entrou noescritório de Leslie e viu a mulher de cabelos castanhos, ela se sentiu como se estivessena frente de uma mulher de dois metros de altura. A mulher olhou-a de cima para baixo.Após esta avaliação, Leslie levantou-se por trás de sua mesa e fez sinal para Ellenentrar."Você poderia fechar a porta atrás de você, querida?" Ellen ficou imóvel por umsegundo, totalmente chocada com a bondade na voz da mulher mais velha. Como umacriança pequena, Ellen fez o que foi dito e, em seguida, avançou para apertar a mão queLeslie estava estendendo em sua direção."Eu não acho que nós já nos conhecemos. Eu sou Leslie Sloane-Zelnik, e você é aprotagonista de Patrick, já ouvi falar muito sobre você." O aperto de Leslie era forte,quase cortou sua circulação. Ellen ficou aliviada quando ela finalmente soltou sua mão.
  2. 2. A bondade na voz da mulher desapareceu e foi substituída com uma pitada deinsinuação, que Ellen se sentiu desconfortável.Como Leslie sentou-se atrás de sua mesa e fez sinal para ela fazer o mesmo, Ellen sabiaque ter vindo para a reunião tinha sido um erro terrível. A publicitária estava aavaliando novamente e ela se sentia pequena, e sozinha. Ela não deveria ter entrado semPatrick. Ela deveria ter esperado até que pudesse falar com ele ... o que esta mulherqueria não era amigável.Sorrindo entredentes, Ellen respirou fundo. Ela podia se levantar e sair, ou ela poderiaapenas sorrir e descobrir o que era isso. A agente de Ellen tinha avisado a ela o que nãodizer a Leslie. Ela era a melhor publicitária de Hollywood, ela poderia literalmentetransformar sua vida de cabeça para baixo. Você não pode faltar em reuniões compessoas como Leslie Sloane-Zelnik. Isso é o que Ellen dizia a si mesma. Era tudo o queela poderia pensar, enquanto esperava a mulher falar."Obrigado por concordar em se encontrar comigo em tão pouco tempo, eu sei que suaagenda deve ser agitada com a série .... .. e tudo mais." Leslie disse estas palavras deânimo com muito sarcasmo para parecer honesta. Ellen ficou imediatamente ofendidapelo seu tom de voz. A parte de Ellen, que normalmente se defenderia ficou perdida sobo olhar de coruja da mulher sentada à sua frente."Claro. Minha agente não foi muito clara quanto ao que se tratava." Ellen disse a ela,tentando assim duramente fazer suas mãos pararem de tremer. Ela tinha sua assessora,que era muito mais amigável e discreta. Ela a adorava. Ela não conseguia imaginarcomo Patrick conseguia trabalhar com Leslie e continuasse a ser a pessoa que ele era."Bem, eu tive um encontro interessante com Patrick no outro dia. Como vocês são tãobons amigos ... Tenho certeza que ele te disse tudo sobre a reunião." Sua observaçãotinha um toque de insinuação novamente, e Ellen só podia acenar. De repente, era comose o mundo parasse de girar em torno dela. Ela sabia o que estava prestes a acontecer nareunião. Ela queria saber se era por mim, que Patrick estava deixando Jill. As palavrascorreram por sua cabeça em um ritmo frenético. Leslie sabia. De alguma forma ela sabia... e Ellen sentia-se tonta.Patrick disse que não tinha dito a ela. Poderia ter dado para trás nessa? Foi por isso queele não a estava respondendo? Será que ele sentia vergonha? Se ele não contou a ela,quem contou?. .. E como é que eles descobriram? O pânico era visível no rosto de Ellen.Ela não conseguia esconder isso, mesmo que ela tentasse e isso foi tudo que Leslieparecia precisar.Com um sorriso de satisfação, ela pegou uma pasta de documentos e empurrou-a paraEllen. "Eu sabia que Patrick estava mentindo. Você vê, ele não quis me dizer com quemele estava saindo. Mas, eu que estou neste negócio por muito tempo, sei todos ostruques". Ellen não conseguia olhar para cima. Ela tinha certeza de que se ela olhassepara o rosto da mulher ela iria começar a chorar. Era muito para ela. Ninguém deviasaber, ela não conseguia lidar com as ramificações disto ainda."Vá em frente, abra-o." A mulher mais velha incentivou, tomando um gole do café,como se ela simplesmente estivesse tomando café com um amigo. A curiosidade levou
  3. 3. a melhor sobre Ellen, e mesmo que ela não quisesse, pegou o envelope e abriu-o dequalquer maneira.Várias fotos de tamanho 8X10 flutuaram para fora do envelope e pousaram sobre amesa. Escolhendo um, a respiração de Ellen ficou presa. Ela não tinha que ver o resto.Ela sabia o que seria. Colocando-os de volta no envelope, ela se recusou a fazer contatovisual com Leslie. Seu rosto estava queimando, vermelho de vergonha e embaraço."Você pode ficar com essas. Tenho extras." Leslie respondeu. Ellen queria que umburaco abrisse a seus pés e ela afundasse nele. As fotos foram feitas no dia anterior. Elae Patrick tinham voltado ao seu lugar isolado na praia e fizeram um piquenique. Nãoparecia ter alguém próximo no momento, mas, claramente que houve, e ela xingou a simesma por ser tão estúpida.Alguém que evidentemente os tinha seguido. Sentia-se como uma idiota por pensar queeles estavam a salvo em qualquer lugar na área de Los Angeles. As fotos eram umaprova de que eles estavam tendo um affair. A que ela tinha olhado eles estavam sebeijando. Mesmo que seu rosto não estivesse claramente visível nesta foto, ela sabia queestava visível nas outras imagens."Não se preocupe, estas não irão para a mídia, eu tive que pagar um preço para obterestas só para mim." Leslie estava mentindo. Ela teve as fotos tiradas exclusivamentepara seu próprio benefício. Ela tinha pago um investigador para seguir Ellen e Patrick econseguir as fotos, mas ela não iria dizer isto a Ellen.Empurrando o envelope para o outro lado da mesa, Ellen respondeu: "Eu não queroisso.""Então, você não está negando, então?" Leslie perguntou, levantando sua sobrancelhabem cuidada. "Eu tenho que dizer que estou impressionada. Imagino que Patrick teriauma série de desculpas para essas fotos." Leslie foi baixa com ela, tentando tirar omáximo proveito dela usando Patrick, mas Ellen era inteligente demais para os truquesda mulher."De que adianta negar algo do que você já parece saber tudo?" Limpando uma solitárialágrima de seus olhos, Ellen endireitou-se e tentou ficar confiante. Ela não podia deixarLeslie afetá-la. Ela não podia deixar a mulher controlá-la."Você é uma mulher muito mais corajosa do que eu pensava que fosse. Estouimpressionada.""Então, qual é o motivo de me chamar aqui? Por que Patrick não está aqui? Você é suaagente, não minha. Minha publicitária poderia ter lidado com isso." Ellen se encolheuquando Leslie riu ameaçadoramente."Sério? Você acha que a sua assessora desprezível, que só agencia estrelas de lista ‘b’poderia ter lidado com isso? Ellen, querida, deixe-me ser franca. Se estas imagenscomeçassem a ser vendidas para os tablóides, ninguém, nem o o próprio Deus poderiater lidado com o fogo de volta. Você tem sorte de eu ter os recursos para manter ascoisas como estas em segredo, querida. "
  4. 4. O ar tinha literalmente saído para fora dos pulmões de Ellen. Leslie só tinha feitoinsultá-la desde que ela entrou pela porta e isto a estava irritando. Ela não podiaacreditar que a mulher teve a audácia de tratá-la dessa forma."Não me chame de querida. Ellen falou, incapaz de controlar sua raiva por mais tempo.Mesmo que Leslie fosse a melhor, ela não se importava. Ela não iria ficar sentada sendotratada como uma camponesa. "Por que eu estou aqui?""Porque Patrick se recusou a encontrar-se comigo." Ellen franziu o cenho para isso.Patrick não tinha dito nada sobre Leslie querendo encontrá-lo novamente. Claro, ele nãorespondeu nenhum dos seus telefonemas, assim como ele poderia dizer a ela?"Por que ele faria isso?"Dando a Ellen um sorriso, Leslie fechou seu lap top, e centrou a sua atençãoexclusivamente sobre ela. "Patrick é um homem talentoso ... mas ele é ingênuo. Eleacha que pode simplesmente fazer o que quiser nessa profissão, sem qualquerrepercussão. Ele está sob a falsa crença de que os divórcios envolvendo amantes podemsimplesmente ser varridos para debaixo do tapete. Então, eu achei que seria melhor meencontrar com você, em vez disso. Você parece ter uma cabeça muito melhor do que adele." O elogio não mudou Ellen. Nada do que a mulher vil pudesse dizer faria Ellenrespeitá-la."Eu não sou sua amante. Ele não está se divorciando por minha causa. Seu casamento játerminou há algum tempo." Argumentou Ellen. Nesse momento, ela odiava Patrick porcolocá-la nessa posição."Então vocês dois ensaiaram isto? Foi exatamente isso que ele me disse. Mas, você sabeo quê? Eu sinceramente não dou a mínima para as razões que o levaram a se divorciarde sua esposa". O tom de Leslie tinha subido um pouco e Ellen ficou estarrecida. "Eusei que você é bastante nova na cidade. Então deixe-me explicar como são as coisascom este trabalho. Logo que os papéis do divórcio tiverem saído, a mídia vai voar neles.Ninguém se divorcia por aqui em segredo. Existem vazamentos em toda parte, nemmesmo eu poderia manter isso longe. Assim como os hits de notícias, a especulaçãocomeçará. Você realmente acha que a mídia fará Patrick ser a vítima? "Ellen não respondeu à pergunta de Leslie, assim Leslie continuou falando." Claro quenão. Sua esposa apaixonada será a vítima. Rumores sobre você e ele, que têm um caso,vão começar ... então mais imagens virão à tona, e antes que você perceba, você estaráem todos os tablóides como a destruidora de lares horrível . Apenas o que você acha quevai acontecer com a Meredith Grey na ABC?Bile começou a subir pela garganta de Ellen. Ela sentia como se estivesse perdendolentamente o controle da situação. Ela não podia ficar com raiva, isso era impossível. Aspalavras de Leslie eram verdadeiras. Não importa o que era verdade, ninguémacreditaria que ela e Patrick não estavam tendo um affair."As pessoas falam Ellen. Se você acha que seu pequeno romance no set podepermanecer em segredo, pense novamente. Todo mundo tem um preço ... e pelo queouvi, vocês dois não têm sido exatamente cuidadosos lá".
  5. 5. "Do que você está falando? Ninguém pode dizer nada, porque ninguém sabe de nada.Não há nada que saber!" Foi o último argumento que Ellen poderia dar. Sua confiançaestava sendo arrastada.Colocando suas mãos sobre a mesa, a mulher deixou escapar um sorriso sincero. "OuçaEllen, eu gosto de você. Eu respeito seu trabalho, eu acho que você tem mais talento doque a ABC merece. É por isso que eu te chamei aqui. Você é razoável, você tem umaboa cabeça em cima de seus ombros, e eu sei que você será a única pessoa que Patrickvai ouvir ".Sempre como antes, os elogios de Leslie não significaram nada para ela, mas, naquelemomento, Ellen levou a sério. Ela tinha dúvidas de que seu relacionamento poderia darcerto o tempo todo, mas ela tinha deixado Patrick convencê-la de outra forma. Seucoração doía com o sentimento de terror que caiu sobre ela. Eles haviam sido ingênuospor pensar que poderiam ficar juntos.Leslie assumiu como uma pequena vitória o silêncio de Ellen e continuou seu discurso.Ela poderia dizer que estava chegando a algum lugar. Todo mundo tinha um pontovulnerável, e o amor de Ellen por Patrick parecia ser o dela. "Não importa a sua carreira.Algumas destruidoras de lares dão certo. Olhe Angelina? Sua carreira não era umsucesso. Na verdade, o divórcio pareceu fazê-la mais popular. Mas Patrick? Sua carreiranão costuma ser assim. Este é a sua segunda chance. Você não ganha uma terceiraoportunidade."Ellen não iria olhar para ela. Mas ela estava ouvindo, atentamente. As lágrimascomeçaram a cair em suas bochechas e Ellen não se preocupou em limpá-las. "Aimagem de Patrick foi baseada em torno do bom homem de família que é. O público oadora como um pai que fica em casa, como ele adora a sua filha ... como ele adora suaesposa." A última frase de Leslie fizeram as lágrimas de Ellen correrem mais rápido."Eu conversei com o chefe da Disney, esta manhã. Eu senti que era meu dever comopublicista de Patrick, dar a eles uma pista sobre a situação.""O que?" Virando-se para ela, de repente, Ellen ficou atordoada. "Seu dever? Você estálouca?" Sua raiva estava voltando, mas ela não ganhou impulso suficiente para fazerqualquer coisa. Ellen sentia seu corpo inteiro, como uma cova de desespero. Ela nãoconseguia sacudir a nuvem de chuva escura que parecia ter-se estabelecido em cimadela."Eu não mencionei o seu nome." Leslie assegurou, sem prestar atenção ao fato de queEllen não parecia tranqüilizada de nenhuma maneira. "Patrick acabou de fazer o que osespecialistas estão prevendo que será o maior filme da Disney da década. Certamenteeles têm o direito de saber a má imprensa que está prestes a surgir no seu caminho ..."Balançando a cabeça Ellen respondeu com uma voz pequena. "Não era da sua conta,contar para eles.""Claro que era. Estou apenas olhando para seu melhor interesse aqui. Patrick é omoderno Príncipe Encantado, nestes dias. As mães e os pais vão levar os filhos para ver
  6. 6. este filme, querem assistir o homem de família idealista .. . não o cara que teve um casoe se divorciou de sua esposa.""Eu realmente acho difícil acreditar que algo tão estúpido iria fazer as pessoas nãoassistirem o filme. As pessoas viram e ainda assistem filmes de Brad Pitt." Ellen tinhaum ponto, e Leslie não esperava que ela tivesse nada mais para lutar."Bem Brad Pitt, é Brad Pitt, e quanto a Patrick, a Disney está se preparando parasubstituir o seu papel no filme, se ele continuar com seu divórcio, e se o caso chegar àimprensa.""Eles não podem fazer isso." Ellen se levantou, em um turbilhão de fúria e atacouLeslie. Ela não conseguia se segurar mais. Nesse momento, ela desejava que nuncativesse pisado em Hollywood. Ela adorava seu trabalho, ela amava o que fazia, masvalia a pena vender sua alma? Ela estava condenada a ser infeliz só por causa daprofissão que escolheu? Não era justo. "Dezenas de outros atores passam por isso todosos dias. Eles acabam bem. Você não sabe o que vai acontecer."Leslie não se importou com a explosão de Ellen. Ela estava acostumada a isso. "Estoucom medo da Disney, que pode e vai fazer isso. A Disney tem um estrito código moral.Eles não usam qualquer ator que possa denegrir a sua imagem. Eles já fizeram isto nopassado ... e eles vão fazer de novo. Patrick pode ser substituído, o filme não estádefinido para ser liberado até o próximo outono". Ellen realmente não podia acreditarno que estava ouvindo. Patrick tinha ficado tão orgulhoso desse filme, ele tinhatrabalhado tão duro com ele, ele era um homem bom, não era certo que a Disneypoderia simplesmente levar isso tudo embora.Sentando-se novamente Ellen apenas olhou para Leslie em choque. "Eu não acho queele poderia se segurar se fosse substituído. Ele é forte, ele age como se poderia, mas issoiria matá-lo. Eu sei disso." Tudo de uma vez, a batalha interna que Ellen estava lutandoterminou. Patrick era o amor de sua vida, isso a machucava, mais do que qualquer coisaque a mulher venenosa podia dizer, mas ela tinha que fazer. Patrick não entendia ondeestava se metendo. Seria tudo culpa sua, se a sua carreira terminasse, ela não podiadeixar ele fazer esse sacrifício por ela."Eu sei. É por isso que eu acho que você será capaz de falar com ele. Eu tentei, e falhei.A Disney está pronta para chamá-lo para uma reunião, se ele continuar com estedivórcio.""Eu ... Eu amo ele". Ellen deixou escapar de repente. "Eu o amo tanto que dói. Nós nãoestamos tendo um caso. ... Mas nós estamos apaixonados ...." Ellen confessou, vendopela primeira vez pesar nos olhos de Leslie.“Eu sei”. Leslie respondeu com sinceridade. Ela sabia, ela podia contar. Mas, isso nãomudava nada. Estar no foco da mídia significava que você tinha que fazer sacrifícios.Patrick não entendeu isso ainda, mas ele, entenderia, com o tempo."Ele nunca vai me perdoar." Ellen disse, com a voz entrecortada de lágrimas, quecaíram pelo seu rosto em um ritmo rápido. Leslie entregou-lhe um tecido, de uma caixaque mantinha guardada em sua mesa. Não era a primeira vez que ela teve de dá-los ... eela sabia que não seria a última.
  7. 7. "Ele ama você. Ele vai te perdoar. Ele pode não entender ainda, mas ele vai. ... Equando ele perceber que sua carreira ainda está intacta, eu acho que ele vai agradecer."Ellen balançou a cabeça, e tentou fazer parar as lágrimas. Não adiantava, ela não iaparar de chorar tão cedo. Ela sentia que o mundo tinha acabado de se desintegrar ao seuredor. Patrick definitivamente não iria entender, e ele nunca iria perdoá-la. Mas, erapara melhor. Ela sabia, e Leslie estava certa, ele poderia perdoá-la ... eventualmente.Mas, nesse meio tempo, ele iria odiá-la. Sabendo que tinha de sair do escritório edestruir o homem que ela amava ... era o pior sentimento que ela podia sentir na vida."Por que diabos você foi a uma reunião com Leslie?" Patrick estava furioso com Ellen.Ele estava desnorteado e balançou a cabeça dramaticamente em frustração."Minha agente pensou que seria uma boa idéia, eu não poderia dizer não exatamente."Ela atirou de volta para ele, e ela não sabia ao certo por que ela estava tão empenhadaem escolher uma briga. Eles estavam de pé em seu hall de entrada, e nenhum deleshaviam mudado de lugar, desde que ele apareceu na sua porta quinze minutos antes."E quando você ia me dizer?” Era muito difícil para Patrick manter o controle sobre seutemperamento. Ele estava bastante consciente que sua voz estava ecoando para fora decasa, mas ele realmente não se importava. Incomodava a ele que Ellen tinha ido verLeslie sozinha, sem nem mesmo dizer-lhe. Parecia ... quase como uma traição. Ele sabiaem primeira mão o quão manipuladora sua publicitária poderia ser.Fitando Patrick em estado de choque, a raiva de Ellen estava crescendo. Ele não tinhapercebido o inchaço em volta de seus olhos, ou o fato de que ela tinha marcas delágrimas escorrendo pelo seu rosto. Ele não tinha idéia de que ela tinha chorado durantea maior parte da tarde. Após a reunião, Ellen tinha ignorado todas as suas chamadas. Elanão estava pronta para enfrentá-lo. Mas, lá estava ele, de pé diante dela, e Ellen sabiaque tinha de quebrar o seu coração e não estava pronta."Eu tentei ligar para você o dia inteiro, Patrick!" Eu te liguei dez minutos antes dareunião, você não atendeu ao telefone, por isso não ponha a culpa em mim!"As palavras dela o surpreenderam, e puxando o seu telefone, ele reviu sua lista deligações perdidas. Uma parte dele queria provar seu erro. Ele precisava de uma desculpapara a raiva que tinha para com ela. Mas, as chamadas não atendidas estavam todas lá,cegando-o quando a verdade se revelou.Olhando para ela com cuidado, ele olhou para o telefone mais uma vez antes de colocá-lo de volta no bolso. "Eu. .. não deve ter tido boa recepção na lá pista ..." Ele admitiu,correndo as palmas das mãos úmidas contra suas calças. Houve quatro chamadas nãoatendidas a partir dela, ele irritou-se porque não tinha visto, e ele olhou para ela comolhos de desculpa."Pelo menos você sabe que eu tentei dizer a você". Ela sussurrou, incapaz de manter suavoz normal. Suas palavras pareciam ficar presas em sua garganta, então ela não seincomodou em dizer mais nada.
  8. 8. Fugir de Patrick Dempsey ia ser a coisa mais difícil que ela precisava fazer. Ela queriaque ele entendesse, ela queria que ele percebesse que ela estava pensando no que eramelhor para ele, mas ela sabia que ele não entenderia. Suas mãos estavam tremendocom o nervosismo, e nem mesmo juntando-as uma contra a outra pode pará-las.Patrick abriu a boca para dizer algo, e então ele pareceu agitar o pensamento. Quandovoltou a falar novamente, seus olhos estavam brilhando com culpa. "Eu sinto muito."Ele começou. "Eu cheguei a conclusões ..." Ele tinha toda a intenção de dizer mais, masseus olhos encontraram os dele, e a tristeza que ele encontrou lá fez a sua voz ficarmuda.Chegando mais perto dela, ele podia ver a dor gravada em suas feições. A intensidadedas emoções tirou seu fôlego. Tudo que ele conseguia pensar era que fixá-la o queestava incomodando. Mas, Ellen deu um passo à frente dele, e virou-se para entrar nasala da família.Ela não tinha nenhuma intenção de deixá-lo chegar perto dela. Se ela o fizesse, ele irialevá-la em seus braços e ela perderia todo o senso da realidade. Não, ela não poderiadeixá-lo mudar de idéia. Patrick estava bem atrás dela, ela podia ouvir seus passos. Elaestava rasgada, porque uma parte dela queria que ele a seguisse e nunca mais deixasse-air. Mas, por outro lado, queria que ele se virasse e fosse embora."Ellen?" Ele chamou com preocupação. Ela estava se desligando emocionalmente e elenão entendia o porquê. Ela não era de evitar uma briga, e ela não era de fugir dele. Eleassistia confuso, quando ela sentou em seu sofá de couro e colocou uma mão sobre orosto dela. Quando ela levantou o rosto, ele podia ver a vermelhidão em volta dos olhos."El? O que é isso? O que está errado?" Ela estava chorando, muito mais do que elepoderia dizer, e seu coração afundou-se percebendo que ele não tinha notado isso antes.Na tarde de luz brilhante que estava enchendo a sala, ele podia ver lágrimas seagrupando em seus olhos.Algo em sua cabeça estalou, e de repente ele percebeu qual era o problema. Ele estavatão bravo por Ellen não contar para ele, que ele tinha esquecido as ramificações do queseu encontro com Leslie poderia ter tido."O que ela disse para você?" Ele perguntou já sabendo. Ellen fechou os olhos, e elesoube de imediato que algo tinha acontecido. Amolecendo seu tom de voz, eleaproximou-se dela. "El, o que aconteceu?" Ele percebeu que as posições estavamcompletamente invertidas. Dois dias antes tinha sido ela tentando obter respostas dele, eele sabia, então, como podia ser frustrante.Sentado ao seu lado, ele colocou sua mão sobre o ombro de Ellen, mas ela recuou paralonge dele. Seu movimento fez seu coração doer. Ellen começou a se levantar, mas elenão deixou. "Ellen?" Ele foi ficando cada vez mais alarmado. Se algo tivesseacontecido, ele queria saber. Ele mataria Leslie, ele literalmente iria sufocá-la com aspróprias mãos. Ellen não deveria ter ido sozinha até lá, ela não deveria ter ouvido suaagente.Ellen estava lutando uma batalha interna, ele podia ver. A casa estava em silêncio emtorno deles. Ocasionalmente, o zumbido baixo de carros da rodovia nas proximidades
  9. 9. poderia ser ouvido, mas era um som que eles estavam tão acostumados, que nemnotaram.Finalmente, depois do que pareceu uma eternidade, Ellen falou. "Nós estivemosbrincando pensando que isto daria certo, Patrick, e eu acho que será mais fácil se nósterminarmos isso agora, antes mesmo de começar." A voz dela era tão baixa, que eleteve problemas para ouvi-la. Ela tinha ensaiado o que ia dizer, e ainda assim, a suamente estava em frangalhos.Patrick estava muito chocado para dizer alguma coisa em primeiro lugar. Balançando acabeça, ele tentou novamente tocá-la, mas ela não deixou. "Por favor, não me toque,Patrick. Não faça isso ficar mais difícil do que tem que ser.""Mais difícil .... o quê? Ellen, o que diabos você quer dizer?" Sua testa estava vincada,com linhas de preocupação, e Ellen não conseguia olhar para ele. Se ela olhasse para eleela iria quebrar."É melhor assim, Patrick. Você não pode ver agora, mas poderá mais tarde. Nada debom pode vir se ficarmos juntos". Sua voz estava desprovida de qualquer emoção, elesabia que ela estava fazendo de propósito. Ela estava se escondendo dele, e isso o faziamais confuso."Eu não entendo. Jantamos na noite passada, estava tudo bem ... o que estáacontecendo? O que ela disse para você?" Ele acusou, sabendo que tinha que ser algumacoisa que Leslie tivesse dito. Ele não tinha imaginado o amor nos olhos dela na noiteanterior, ele não tinha imaginado a noite incrível que tiveram. Ele se recusou a sentar edeixar que ela fingisse que não aconteceu."Ela não disse nada!" Ellen respondeu, finalmente, virando a cabeça para encará-lo."Ellen, eu disse-lhe o quanto manipuladora Leslie podia ser. Você sabe como foi meuencontro, foi horrível. Eu lhe disse para não deixá-la chegar até você.""Ela não me manipulou!" Ellen gritou e levantou-se, incapaz de ficar perto dele. Elapodia sentir calor do corpo de Patrick que irradiava para ela, e isto a estava deixandolouca. Ela estava mentindo para ele, .... mentindo e ela não pensou nem por umsegundo que ele acreditava nela. Mas, faria isto de qualquer maneira. Brigar com ele erafácil, era a única maneira de tentar mandar ele embora.Patrick estava ficando frustrado. Ele não entendia o que estava acontecendo, ou por queEllen estava gritando com ele, mas isso não importava. Ele não ia deixar que elafugisse. Ela era o amor da sua vida, e nada que Ellen pudesse falar, o faria pensar duasvezes sobre isso.Ellen desviou-se dele e foi para perto da lareira. Ela faria qualquer coisa para evitar oseu olhar penetrante. Silenciosamente, Patrick se levantou e caminhou em sua direção.Ele hesitou antes de tocá-la, ele não tinha certeza de que seu coração poderia vê-lavacilando novamente. Mas, após alguns minutos de pé, em silêncio, ele estendeu a mão,e delicadamente, deixou-a descansar em seu ombro.
  10. 10. "El, vamos lá. Converse comigo". Sua voz era tão suave e reconfortante que Ellen nãoconseguia tirar suas mãos de cima de seus ombros. Ela podia sentir a mão queimandosua pele através de sua fina t-shirt. Ela imaginava que era como um ferro quente,queimando sua pele e a marcando, ao mesmo tempo.Todas as suas defesas desmoronaram de uma só vez, e quando ela se virou para ele, nãohavia como manter as lágrimas dentro de seus olhos. Ela precisava dele, queria ele e, noentanto, ela não poderia tê-lo. A emoção estava tomando conta dela, antes mesmo queela estivesse preparada para isso e lágrimas quentes escorriam pelo seu rosto.Patrick não a questionou, ele nem sequer perguntou o que estava errado, em vez disso,ele levantou seu corpo sem esforço e a levou de volta para o sofá. Sentado, ele passouos braços em torno dela. Mas, era mais do que conforto só para ela. Era algo que eleprecisava também. Ela estava escapando dele, bem diante de seus olhos, e ele não tinhaidéia de como parar isto.O corpo de Ellen estremeceu e apertou-se contra o seu. Sua cabeça estava enterrada emseu peito e tudo que ele poderia pensar em fazer era abraçá-la firmemente. Algo deve teracontecido para aborrecê-la tanto e ele se sentiu imobilizado com culpa e medo."Patrick, me desculpe, me desculpe." Sua voz estava abafada contra o peito dele, masele poderia facilmente ouvir as palavras, o que partiu seu coração."Tudo bem, ..." Ele assegurou-lhe, mal ouvindo suas palavras. Balançando a cabeça, ossoluços de Ellen apenas tinham se intensificado."Não. .. não, não, você não entende, você nunca vai entender .... por favor ... váembora". Ela disse a ele já se afastando. Patrick soube imediatamente que ela estavaconstruindo seus muros de volta e ele não ia deixar.Prendendo-a mais apertado do que antes, ele balançou a cabeça com força. "Não." Eleexigiu, ignorando o barulho áspero que ela soltou ao ser pressionada."Apenas me deixe ir." Ellen tentou sair do seu alcance, mas foi inútil, Patrick não estavadisposto a deixá-la ir e Ellen sabia disso. Derrotada, ela parou de lutar contra ele, masrecusou-se a olhar em seus olhos."Por favor, fale comigo. Por favor". Ele pediu com uma voz tão triste que fez o coraçãode Ellen doer novamente. "Eu não entendo .... só .... me diga o que está acontecendo."Mesmo que ele estivesse frustrado, ele tirou pedaços soltos de cabelo para fora do rostode Ellen com muito carinho.Após vários minutos de silêncio, ela simplesmente não aguentava mais. Enxugando osolhos, Ellen respirou fundo e tremendo conseguiu reunir forças.A preocupação cruzou as feições de Patrick enquanto ele esperava. "Leslie tem fotos denós." Ellen quebrou o silêncio e sentiu como se cacos de vidro perfurassem seu peito.
  11. 11. "Fotos? Ele realmente não entendia e ele não teve tempo para pensar nisso antes de elacontinuar."Alguém nos seguiu até praia, Patrick. Eles estavam lá ... tirando fotos." Ela não podiadizer tudo de uma vez, ela manteve uma pausa para se recompor. Cada palavra traziauma nova explosão de emoção que ela não tinha certeza se podia controlar."Isso é impossível, não fomos seguidos, eu tenho certeza disso ..." Ele garantiu com umaceno de cabeça.Ellen respondeu com impaciência. "Bem, nós obviamente não tivemos o cuidadosuficiente." Eles tinham sido estúpidos e negligentes e irresponsáveis. Colocando asmãos nas têmporas, Patrick soltou um suspiro. Assim, muitos pensamentos estavamrodando pela cabeça, e ele tinha dificuldade para se concentrar em uma coisa específica."Isso não faz sentido El, isto simplesmente não funciona. Quem teria querido derrubá-los? Eu tenho certeza de que não fomos seguidos"."Bem, ela tem as fotos! Se não fomos seguidos, como ela teria fotos de nós nosbeijando? É estúpido, não deveríamos estar lá em primeiro lugar. Eu devia saber quenão havia segurança em qualquer lugar .. "."Ela não me disse que tinha algumas fotos ...." Patrick estava confuso, algo não estavaencaixando. Por que Leslie mostrou as fotos para Ellen e não para ele?"Leslie disse que você falou que não iria se encontrar com ela! Ela teve que pagar ofotógrafo. Se não fosse por ela estaríamos na capa de cada revista agora."Olhando para Ellen, Patrick, em seguida, levantou-se irritado. "Ela é minha malditapublicitária, porque ela não iria me dizer sobre isso? Eu disse que não iria me encontrarcom ela, porque eu não queria entrar em outra batalha sobre Jill, ela nunca me disse quetinha fotos. Porque é que ela tinha que incomodar você, mostrando-lhe fotos? " Elecomeçou a andar, em círculos, o que mostrava como ele estava frustrado. Nada do queEllen estava dizendo, fazia sentido para ele e isto o deixava ainda mais irritado."Ela mostrou-a para mim porque ela sabia que eu era a única pessoa que poderia fazervocê entender". Suas palavras eram quase um sussurro, mas não havia dúvida que ele astinha ouvido. Ele se virou para ela em estado de choque. Patrick reagiu como se tivesselevado um tapa e recuou para longe do sofá."Que diabo que isso quer dizer?" Perguntou, incapaz de acreditar no que ela tinha dito.Ele não tinha imaginado seu relacionamento, ele não era o único apaixonado ... entãopor que ela estava fazendo-o sentir-se dessa maneira?Não era possível simplesmente sentar e assistir seu coração se despedaçar, Ellen selevantou, mas não foi para perto dele. Havia tanta tensão no ar que ambos sabiam quechegar muito perto um do outro era uma má idéia. "Significa que temos sido estúpidos aesse respeito. Levamos esses sentimentos e corremos com eles, sem considerar asconseqüências. Sua carreira vai desabar se isto continuar ...""Minha carreira?" Ele interrompeu, não deixando-a terminar. "É disso que se trata?Minha carreira?" Correndo as mãos pelos cabelos, ele estava certo de que iria arrancartodo seu próprio cabelo para fora da cabeça. Sua raiva estava atingindo o ponto de
  12. 12. ebulição. Ele e Ellen nunca haviam brigado deste jeito como que ... ele nunca haviagritado com ela, mas ele não poderia ajudá-la, ela estava sendo irracional. "Eu não dou amínima para a minha carreira. Quantas vezes eu tenho que lhe dizer isso?""Isso é besteira, Patrick." Ellen brigou de volta. Mesmo se sentindo culpada ela nãopodia impedi-la de se defender. Essa era a coisa certa a fazer, era a única opção, era aúnica coisa que fazia sentido. "Perder a sua carreira de novo, tão cedo, depois de tercomeçado, o mataria. Você ama interpretar, você ama o que faz. Eu nunca vejo você tãofeliz como quando você está trabalhando, então não me diga que em dez anos você iráse arrepender e se ressentir de mim, falando que eu te arruinei. Você não podeabandonar tudo por mim, isso não vai funcionar. "Suas palavras eram fortes e confiantes, ela estava se dilacerando, ele sabia disso, masnão havia nada que pudesse fazer sobre isso. Pouco a pouco ela foi se distanciandoemocionalmente e fisicamente. Parecia que alguém tinha chegado e rasgado o seucoração."Eu ... Eu amo você". Ele gaguejou. Sua voz era cheia de emoção e já não pareciazangada. "Eu daria a minha carreira por você. Estou com quarenta e dois anos de idadeEllen, eu estive sem o amor da minha vida por quase metade da minha vida. Eu desistode tudo por você." Suas palavras eram para acalmá-la, mas tudo o que fizeram foi fazê-la sofrer. Ele não poderia dizer coisas assim. Não importa. O amor não importa ...porque às vezes o amor ... apenas não era suficiente."Patrick ..." Ela começou e teve de parar porque o desespero nos olhos dele deixou-asem fôlego. Balançando a cabeça, ela reuniu a força que ela nem mesmo sabia que elatinha, para continuar. "Leslie me disse que a Disney iria quebrar o seu contrato, se vocêse divorciasse e nosso relacionamento se tornasse público. Você não vê? Você seráexcluído ... não é um risco que estou disposta a deixá-lo correr ".De repente, parecia que o peso do mundo tinha acabado de cair em seus ombros. Elepoderia viver sem sua carreira, ele realmente podia. Mas, ele tinha ficado orgulhoso deEncantada, que era algo que podia mostrar a sua filha, também alguma coisa .... que elepoderia mostrar no futuro. Eles não poderiam simplesmente quebrar o seu contrato.Mas, ele sabia que podiam. A situação mudou, então, as palavras de Ellen começaram afazer um pouco de sentido, embora ... ele ainda não pudesse concordar com ela. Depoisde pesar todas as suas opções, ele balançou a cabeça e aproximou-se dela."Não importa"."Patrick!""Não, isso realmente não importa. É uma merda ... eu não vou mentir sobre isso. Tive ahonra de fazer parte de um grande filme da Disney, mas se é isso que eu tenho que fazerpara estar com você, então que assim seja. ""Veja, é sobre isso o que Leslie estava falando. Você não pensa sobre a realidade dasituação, você só vive nesta fantasia que nunca pode ser". Seu argumento já não erabom."Pode ser! Você apenas não quer ver isso. Eu vou falar com a Disney, tenho certeza queposso dar um jeito. Talvez eu apenas me divorciasse após o filme ser lançado. Você e eu... vamos ter que ter mais cuidado, vamos ter de manter nosso relacionamento em
  13. 13. segredo por mais tempo do que planejamos .... mas vai ficar tudo bem no final". Mesmoquando ele disse isso, ele sabia que não era verdade. Patrick não admitia a derrota, elenão poderia aceitar o fato de que eles teriam que terminar.Ellen estava sacudindo a cabeça tristemente, os olhos vidrados de lágrimas, e ele sabiabem ali, que ela já tinha tomado sua decisão. "Eu sinto muito, Patrick. Eu odeio isso. Eute amo, tanto ...." Ela parou de falar, por um segundo para limpar a garganta. "Mas, eunão vejo outra maneira".Patrick não podia acreditar no que estava acontecendo. Apenas doze horas antes, toda asua vida parecia ter finalmente chegado no lugar e agora ... tudo foi destruído. Eleestava irritado, e amargo, e além de ferido. Se ela o amava como ele a amava ... ela iriaajudá-lo a encontrar uma maneira de fazer o relacionamento funcionar."Você não me ama." Ele disse a ela, tentando não deixar transparecer no rosto o tantoque seu coração estava quebrado. Nesse momento, ele sinceramente acreditava que oamor deles era um verso. Talvez ... ele tinha feito tudo isso, talvez, seu amor nuncativesse existido."Isso não é verdade." E sua voz soou partida quando ela disse. "Deus ... isto não éverdade."Olhando-a de cima a baixo uma última vez, ele não poderia mesmo olhar em seus olhos."Se você me amasse, você tentaria fazer este relacionamento dar certo, tanto quanto eu."Ele sussurrou, mal capaz de manter a sua voz forte. Ele passou por ela e voltou-se para aporta."Estou fazendo isso porque eu te amo!" Ela falou, sua voz tão cheia de desespero queele quase se virou, mas, ele sabia que não podia. Ellen não o queria, e ele teria deaprender a lidar com esse fato, mesmo sabendo que seria impossível."Adeus El". Ele sussurrou, bem consciente de que ela não conseguia ouvi-lo, quando elesaiu pela porta e deixou-a bater atrás dele.- Uma semana depois"Eu queria vir aqui esta manhã para te dizer ... Mas agora tudo que eu quero dizer é queestou apaixonado por você. Eu sempre estive apaixonado por você. E agora você temuma escolha a fazer. Eu quero que você tome todo o tempo que você precisa, eu nãoquero apressá-la, mas eu te amo. Basta levar o seu tempo. Porque quando eu tive quefazer uma escolha ... eu escolhi errado. "Patrick deixou as palavras saírem de sua boca, ignorando o "hei" e os suspiros felizesque estavam ecoando ao redor da mesa. Seu monólogo foi bem ensaiado, ele sabia bemas falas e, no entanto, ele se recusou a tirar os olhos do script na frente dele.Tirar os olhos do script significava que ele teria que olhar nos olhos de Ellen. Seusolhos verdes estavam fixos em sua direção, ele podia senti-los. Ela estava sentada aolado dele, só porque se sentasse em qualquer outro lugar, teria parecido estranho, e nemPatrick ou Ellen queriam chamar a atenção para si.
  14. 14. Eles estavam de volta no set fazia três dias, e além de simples Olá, eles não falaramnenhuma palavra um ao outro. Ela já havia tentado, várias vezes, falar com ele, mastoda vez, ele havia ignorado seus fundamentos. Ele não podia sair com ela, ele nãopoderia falar com ela, ele não podia sequer olhar para ela, sem o seu coração se quebrarem um milhão de pedaços.As palavras de Derek ainda estavam em execução através de sua mente, e ele tentou nãopensar em como elas eram verdadeiras. As palavras impressas na página borrada, haviadeixado lágrimas em seus olhos. Como Derek, Patrick tinha feito uma escolha. Ele tinhaescolhido Ellen, ele tinha escolhido ficar com Ellen, a mulher que ele amava .... Ellen.Infelizmente, ela tinha feito a sua escolha, e essa escolha não era ele. Ele tinha queencontrar uma maneira de conviver com ela de alguma forma ... e isso revelava-se maisdifícil do que ele imaginava."Patrick?" A voz calma de Ellen o trouxe de volta para seus sentidos. Olhando ao redor,ele percebeu que todos os seus colegas de elenco haviam deixado o quarto. A leituratinha terminado, e ele nem tinha notado. Colocando o script em cima da mesa, ele olhoupara Ellen, pela primeira vez.Ela estava olhando para ele preocupada, com os olhos vermelhos e cheios depreocupação. Ela parecia exausta e magoada. Doía-lhe vê-la dessa forma. Ela estavasofrendo tanto quanto ele estava, mas uma parte dele estava amarga. Era culpa dela, seambos estavam sofrendo, a culpa era dela se eles eram miseráveis separados ao invés defelizes juntos.Recolhendo suas coisas, ele balançou a cabeça e se levantou. Ellen agarrou seu braço.Seu toque o queimou. Ele ainda sentia um formigamento subindo e descendo pela suaespinha e ele se odiava por ter esses sentimentos. "Patrick ... por favor ... conversecomigo". Sua voz era tão suave e quebrada, ele quis puxá-la em seus braços, mas nãopodia. Ele não tinha o direito de fazer mais isso, ele não tinha certeza de que ele nuncadeveria ter feito.Voltando-se para ela novamente, ele respondeu: "Eu não posso agora Ellen ... eu nãoposso." Seu rosto estava sombrio. Ele ficou tão ferido vendo a tristeza em seu rosto,mas ele tinha que fazer isto ... para si mesmo."Eu sinto muito." Ellen sussurrou em derrota enquanto se afastava da mesa. Ele ouviu, efez uma pausa antes de sair do quarto. Ele a amava mais do que nunca e ouvir seudesespero o deixava despedaçado.As lágrimas que ele vinha lutando para segurar, finalmente, caíram livres e derramadaspor seu rosto. Ele não podia voltar atrás para encará-la, então ao invés, ele respondeu:"Eu sei". Foi uma trégua, um meio termo ... e que teriam de ficar com isto por algumtempo.- Dois dias depoisEllen hesitou, enquanto ela ficava na porta do trailer. Era tarde, muito mais tarde do quenormalmente acabavam as filmagens. Patrick terminou horas antes, enquanto os raiosquentes do sol ainda brilhavam, por cima da cidade.
  15. 15. Parada em frente a porta do trailer, seu corpo não se mexia. Ela não conseguia forçar-sea dar um passo em frente. Patrick já deveria ter ido para casa. Ellen não esperava queele ficasse lá. Mas, o trailer estava iluminado com luz brilhante e seu carro ainda estavaestacionado ao lado. Assim, parecia provável que ele estivesse do outro lado da porta.Eles estavam trabalhando no primeiro episódio da terceira temporada. Felizmente, sóparecia ter uma cena de Meredith e Derek. Era uma cena importante, mas Ellen estavafeliz que fosse só uma. Eles nem sequer tinham começado a ensaiar para a cena ainda,então ela não tinha visto muito Patrick.Um sentimento de pavor caiu sobre ela. Ela tinha que entrar, não havia maneira decontornar isso. As chaves do seu carro estavam lá dentro, simplesmente não havianenhuma maneira dela voltar para casa sem eles. Suspirando alto, empurrou a portaaberta e entrou dentro do trailer.Uma vez lá dentro, a porta se fechou atrás dela com um estrondo e ela se retraiu.Situado diretamente em frente a ela estava Patrick. Ele não pareceu surpreso ao vê-la, defato, a determinação nos olhos lhe dizendo que estava lá esperando por ela.Evitando contato com seus olhos, ela olhou para o chão. Era estranho, tudo sobre asituação era estranha e ela não estava acostumada a ter esse sentimento com ele."Desculpe ... Eu pensei que você estaria em casa agora." Ela reconheceu, sentindo anecessidade de explicar suas ações."Eu estava esperando por você." Foi a resposta imediata de Patrick. Olhando para cima,Ellen percebeu que ele não parecia tão emocionalmente aleijado como tinha parecidonos últimos dias. Seus olhos estavam ainda aborrecidos e cheios de dor. Mas, ele estavaolhando para ela e falava com ela ... o que parecia ser um bom passo na direção certa."Você estava me esperando?" Ellen se sentiu estúpida assim que acabou de dizer. Aspalavras soaram bobas mesmo para seus próprios ouvidos. Olhando ao redor da sala, elaprocurou onde suas coisas estavam. Se ela soubesse onde cada item estava, ela poderiafazer uma fuga fácil."Eu pensei que nós poderíamos falar sobre isso." Ele começou, mas fez uma pausaenquanto seguia os olhos de Ellen que estavam passeando ao redor da sala. "Mas, euacho que você está com pressa." Seu tom era nítido e direto e Ellen olhou para eleconfusa."O quê? Não. .. eu não estou com pressa." Disse-lhe com um aceno de cabeça."Certo ..." A hesitação em sua voz lhe disse que ele não acreditava, mas ela ficou láconfiantemente de qualquer maneira. Ele queria falar com ela .... realmente falar. Istodava medo nela, mas a excitava ao mesmo tempo.Patrick ficou observando-a atentamente, tentando decidir se ele devia continuar ou não.Finalmente, ele respirou fundo e foi em frente. Ele estava zangado com ela, ela o tinhaferido profundamente. Mas, eles não poderiam ficar em silêncio. Ele sabia disso. Seamigos era tudo que poderiam ser, ele seria."Eu não quero brigar." Ele deixou escapar: "Eu ainda estou com raiva, ainda estoumagoado, mas eu ainda te amo, só que isto está demorando para ir embora. Eu não
  16. 16. quero perdê-la, sendo assim, se ser seu amigo é tudo o que posso ser .... eu apenas vouter que aceitar e conviver com isto. "Suas palavras deveriam tê-la feito feliz, mas ao invés disso, elas perturbaram-na. Elanunca quis machucá-lo, ela não queria ser só amiga dele."Eu não consegui parar de te amar também. Eu não quero te machucar, Patrick."Balançando a cabeça, Patrick virou longe dela por um segundo antes de voltar. "Se vocênão quer me machucar, deveria vir a mim primeiro. Podíamos ter falado sobre isso,poderíamos ter encontrado um caminho. Em vez disso, você tomou essa decisão porconta própria." Ele estava apontando descontroladamente com as mãos enquanto falava."Eu tive que fazer isso por mim própria, Patrick," Ela disse-lhe baixinho. Ellen estavacansada e desgastada, e ela nem sequer tinha energia para levantar a sua voz. " Você agecomo se eu não estivesse sofrendo. Eu estou. Romper com você foi a coisa mais difícilque eu já tive que fazer na minha vida"."Então por que não pudemos ficar juntos?" Ele perguntou, mesmo sabendo a resposta.Os últimos dias tinham lhe dado clareza. Ele esperou por ela no trailer para falar comela, para lhe dizer que ela estava certa, que era melhor para ambos se eles ficassemseparados. Ele não tinha planejado discutir com ela novamente, ele não tinha planejadofazê-la se defender. Mas, de pé apenas alguns metros de distância dela, era como se suamente esquecesse tudo sobre a clareza que tinha tido.Ellen estava olhando para ele com uma expressão de dor. Sua pergunta a tinhaentristecido, embora ele não tivesse dito asperamente. "Eu sinto muito." Respirandofundo, ele tentou se acalmar. A última coisa que ele queria fazer era entrar em umaoutra briga com ela. "Eu não quero brigar com você." Disse-lhe com um aceno decabeça. "Isso dói, El. Isso dói mais do que qualquer outra coisa que eu jáexperimentei ... e eu só pensei ... que talvez se pudesse falar ... iria ajudar."Olhando a intensidade em seus olhos, ela estava achando tão difícil manter suasemoções dentro de si. Patrick estava em contato com seus sentimentos, ele não estavacom medo de ser aberto e honesto com todos à sua volta. Ellen não estava com medotambém, mas ela era mais reservada e privada sobre seus sentimentos. Era umadiferença enorme dos personagens que desempenhavam na TV.Parecia que Patrick estava indo se sentar no sofá, mas, em vez disso, ele atravessou asala e sentou-se na cama. "Sente-se aqui Ellen." Disse-lhe baixinho, e ela arqueou assobrancelhas em resposta. Ela não tinha certeza de que era sério, mas depois de algunssegundos, ela percebeu que era.Cruzando os braços, ela contornou o sofá e se sentou ao lado dele na cama. Ela,propositadamente, deixou um grande espaço entre eles, mas mesmo com a distância,Ellen podia sentir o calor que irradiava de seu corpo. Ela não achava que ele esperavaque ela fosse se sentar ao lado dele, mas ela não se importava de qualquer forma.Eles não estavam de frente um para o outro. O silêncio era ensurdecedor, ninguém sabiapor onde começar ou o que dizer. Eles haviam chegado tão longe no que diz respeito ao
  17. 17. seu relacionamento no ano passado, que era quase triste que eles estavam de volta, noestado estranho que eles haviam começado.Foi Patrick quem falou primeiro, sua voz parecia ecoar nas paredes. "Eu tive umareunião com o chefe da Disney ontem." Ellen não esperava isso, e ela se virou para elecom surpresa. Sua palma começou a suar em antecipação de suas palavras. Ela esperavaque as palavras de Leslie fossem suficientes. Pelo amor de Patrick, Ellen esperava que aDisney não os envolvesse.“Você falou com eles?”"Sim". Eles não sabem sobre você. " Ele garantiu, mal viu a sua preocupação. Ele nãoestava de frente para ela, mas como ele falou de novo, ele se virou para olhar para ela.Mesmo que fosse desajeitado e, apesar de mal terem se falado civilizadamente em maisde uma semana, sua química ainda era inacreditável. A atração magnética continuavadia após outro dia, e estava presente naquele momento."Patrick ... saber de mim não é o que me preocupa ... não estou preocupada.""Eu sei". Ele garantiu a ela, movendo sua mão para pegar a dela. Foi uma força dohábito, mas ele pensou melhor e colocou sua mão em seu colo. "Eu só não quero vocêna droga que é tudo isso. Disseram-me exatamente o que lhe disse Leslie. Se Jill e eucontinuarmos com este divórcio ... eles vão rescindir o meu contrato. E dinheiro é o quea Disney tem... são, provavelmente, os únicos dispostos a gastar esse dinheiro para fazerisso." Seu tom tinha sido um pouco amargo, e era que como se tivesse esfaqueado ocoração de Ellen.Ela não sabia o que dizer em primeiro lugar. Ela temia que isso iria acontecer, Leslietinha avisado a ela que isto poderia acontecer, mas uma parte dela queria realmenteacreditar que Leslie estava apenas tentando assustá-los. "Me desculpe." Foi a únicacoisa que ela conseguiu dizer.Patrick olhava para ela com uma careta, pensando no que ela tinha para se desculpar.Não era culpa dela, nada era, mas ele não disse nada disso. Em vez disso, Ellen falounovamente. Lutando contra toda a parte dela que lhe dizia que não, ela tomou sua mãoquente na dela. Ele alargou os seus olhos, surpreso com sua ação, mas não fez nenhummovimento para puxar a mão. Ela se sentiu tão bem, e tinha tanto tempo, desde que elea tinha tocado de alguma maneira."Eu sei que não é minha culpa." Ela tinha conseguido ler seus pensamentos e suasfeições suavizaram com isso. Era impossível ficar bravo com ela, quando seus olhosestavam ligados de forma tão intensa. "Mas, eu sinto muito que você tenha que passarpor isso de todo modo. Não é justo ... e eu desejava que as coisas fossem diferentes".Um suspiro triste escapou de seus lábios. Sentir sua mão quente contra a sua era difícil,só lembrava do que nunca poderia ser. "Sim". Ele respondeu, voltou seu olhar para ochão. Ele não podia olhar para ela para dizer o que ele tinha a dizer, e de repente elepercebeu exatamente o que ela tinha sentido no dia em que terminaram as coisas entreeles. "Me desculpe, eu era tão idiota sobre tudo isso ...." Ele começou, mas ela ointerrompeu antes que pudesse terminar."Você não foi idiota." Assegurava Ellen com um aceno de cabeça, mesmo sabendo que
  18. 18. ele não estava olhando para ela. "Eu sabia que ia machucá-lo, por isso evitei issoenquanto pude." Balançando a cabeça, ele olhou para ela novamente."Eu não entendia então. Agora eu sei, porque você tinha que fazê-lo. É melhor para nós,eu acho .... mas, eu só desejo que nós pudéssemos ter falado sobre isso ao invés de vocêtomar a decisão por mim "."Eu não podia." Era a sua vez de desviar o olhar, muito envergonhada de admitir que eleera a sua fraqueza. "Eu não teria sido capaz de fazê-lo, se tivéssemos conversado sobreisso. Eu teria deixado que você me convencesse do contrário. Eu sou muito fracaquando se trata de você."Um barulho baixo veio de dentro da garganta de Patrick, um riso que atravessou todo otrailer. Ela estava fraca, mas, ele estava certo de que ele era muito mais fraco. "Eu soufraco também". Patrick disse entre risos. Era bom rir, isto meio que quebrou a tensãoentre eles.Havia coisas que ele tinha para lhe dizer, porém, e lembrando disto, seu riso morreurapidamente. Assim como Ellen, ele não queria magoá-la, ele nunca quis machucá-la,mas ele sabia o que tinha a dizer a machucaria.Sentindo que havia algo grande que ele tinha a dizer, Ellen tentou preparar-sementalmente para isso. Eles estavam divididos, praticamente obrigados a colocar seussentimentos de lado e sofrer um destino como amigos. Isto realmente não podia ficarmuito pior, mas vendo o olhar de culpa de Patrick, ela soube que estava prestes a piorar.Basta dizer." Ellen ordenou, não sendo capaz de aguentar o suspense. Seu estômagoestava agitado com nervosismo. Suas mãos começaram a suar novamente.Correndo as mãos sobre o queixo com a barba por fazer, Patrick respirouprofundamente e tomou coragem de falar. Ele não queria dizer isto a ela, mas ele sabiaque tinha que fazer. "Eu tenho que ficar com Jill. Pelo menos, no papel. Vou voltar amorar com ela amanhã. Eu não posso ... Não posso me dar ao luxo de ser demitido deEncantada. Não tenho certeza que minha carreira iria se recuperar. Você estava certa, euligo para ela ... e eu sinto muito. "Ellen tentou fingir que seu coração não estava quebrando-se em um milhão de pedaços.Claro que ele estava fazendo o que a Disney tinha pedido. Ela lhe tinha dito isto, queisso era o seu único propósito de romper com ele, mas, seu coração não pareciaentender isso.Ela podia senti-lo olhando para ela, e foi só depois que ele falou, que ela se virou paraencará-lo. "Eu sinto muito El, desculpe ..." Havia lágrimas em seus olhos, mas elaconseguiu mantê-las sem cair."Claro ... ela é sua mulher ... é claro que você tinha que ficar com ela." Ela se atrapalhoucom as suas palavras, traindo o exterior confiante. Ele soube imediatamente que estavaferida, e tomou-lhe as mãos novamente. Ela tentou afastá-las, mas ele apertou-asfirmemente, para que ela não o fizesse."Ellen, por favor não me entenda mal. Eu estou voltando para casa apenas para fingirque estamos juntos. Jillian e eu não estamos mais juntos.” Parecia mesmo estúpido para
  19. 19. ele. A questão toda de se divorciar era para ficar longe da pessoa, e não continuarvivendo com ela, mas, era a única maneira de ele não rescindir com a Disney.Ellen não pôde evitar o olhar, então ao invés, ela olhou para ele, mesmo que ela nãoquisesse. "Jill está tudo bem com isso?""Não foi fácil fazer Scott entender as coisas, mas ela está disposta a se sacrificar porquesabe que sua imagem seria prejudicada, se a Disney despedisse-me." Ellen arqueou assobrancelhas, sem entender como uma mulher podia fingir estar casada com seu marido,quando realmente queria estar com outra pessoa."Sua linha de maquiagem Avon está começando a cair ... eles querem que ela seja a suadiretora de cor ... ou algo parecido. É uma grande coisa, mas, ela tem quase certeza queeles só querem ela porque ela é casada comigo".Patrick estava lhe dizendo tudo isso para seu próprio bem. Ela sabia, e ela estava grataque, depois de feri-lo tão fundo, ele estava fazendo o possível para poupar ossentimentos dela. O pensamento dele vivendo com Jill a fez enfraquecer de ciúme. Mas,ela não poderia mostrar-lhe isto, pois foi ela quem tinha terminado as coisas com ele.Mesmo que ela não mostrasse o seu ciúme, ele poderia facilmente lê-lo em seus traços esorriu. "Você não tem nada para se preocupar." Ele sussurrou baixinho. Balançando acabeça, ela tentou negar, mas foi inútil."Eu não tenho direito de me preocupar.""Sim, você tem, você sempre terá." Ela não sabia o que dizer, assim, mudou de assuntocompletamente. Ela se recusou até mesmo ter esperanças de que era possível um futuropara eles. Essa fantasia só iria deixar Ellen mais machucada."É horrível ter que viver uma mentira Patrick. .... Você vai ficar bem fazendo isso?" Elaestava preocupada com ele. Ela não podia imaginar que ele seria, basicamente, areprodução de um personagem em sua própria vida. Mas, ela percebeu que eles tinhambasicamente dois papéis para jogar a vida inteira."Eu não sei". Ele disse-lhe honestamente. Eu tenho que fazer isso por Encantada. Ofilme estreiará na próxima ação de graças ... depois disso ... Jill e eu podemos nosdivorciar e eu vou estar limpo. "Parecia fácil, muito fácil. Contos de fadas não eramreais. A vida nem sempre tinha um final feliz. Ela não tinha certeza que era sábiomesmo esperar por ela."E então o quê?" Ela perguntou, depois de hesitar por quase um minuto inteiro."Então ... podemos começar nossa vida juntos." Ellen sentiu lágrimas em seus olhos eela nem sequer tentou escondê-las quando elas correram soltas pelo seu rosto."Não vamos pensar assim está bem? Vamos ser apenas amigos e nem sequer pensar nofuturo ..." Ela não podia permitir-se imaginar um futuro para eles."Eu não acho que eu posso fazer isso Ellen." Ele disse a ela, inclinando-se na medidaem que o seu hálito quente batia contra seu rosto. "Pensar no futuro é a única coisa quevai fazer-me atravessar isso." Fechando a distância entre eles, ele a beijou suavemente
  20. 20. nos lábios, apreciando a breve, mas intensa sensação dos seus lábios macios contra osdele.Patrick sentiu uma imensa sensação de déjà vu quando ele ficou ao lado de seu Jaguarvintage e assistiu à cena que se desenrolava à sua frente. Em vez de apertar o botão dealarme em seu chaveiro, ele deixou o carro ficar desarmado. O casal se abraçando noRange Rover preto ao lado dele estava completamente alheio à sua presença, e elequeria continuar assim.A angústia borbulhava dentro dele, enquanto ele olhava Ellen beijando Chris na boca. Avisão queimava em seu coração e ele sabia que deveria ir embora, ele sabia que ela iriavê-lo a qualquer momento, mas ele não se importava. Ele não conseguia tirar os olhosdeles.As coisas estavam surpreendentemente indo bem entre eles. Eles não tinham deixado ossentimentos que tinham um pelo outro afetar seu trabalho, e ninguém parecia achar nadade estranho acontecendo. A amizade não era exatamente a mesma. Ele tinha de lembrar-se várias vezes ao dia que não podia beijá-la ... ou até mesmo tocá-la toda hora. Ficar"apenas amigos", com Ellen era mais difícil do que ele imaginava que seria.Vendo Ellen sair do veículo, ele percebeu que tudo entre eles tinha mudado. Nada ... erao mesmo. Chris acenou para Patrick, ele desistiu da vaga de estacionamento. O homem,obviamente, não tinha ressentimentos contra ele, o que significava que Ellen não lhetinha dito sobre o que aconteceu entre eles.Franzindo os lábios em uma linha firme, Patrick apertou os dedos firmemente ao redorde seu lap top. "Bom dia", Ellen cumprimentou, sem o menor sinal de hesitação. Elaclaramente não se sentia culpada, e este pensamento o enfureceu."Sim ... era um bom dia." Ele resmungou baixinho, mas alto o suficiente para ela ouvir.Deixando os olhos vaguear sobre seu corpo, ele apertou os olhos com nojo e se viroupara ir embora sem dizer uma palavra."Patrick, o que está errado?" Ellen perguntou, tentando alcançá-lo. Ela literalmente nãotinha idéia. Como pode ser isso? Ela o estava deixando maluco. Como ela poderia terfalado que o amava, e logo depois ficar com Chris como se nada tivesse acontecido?Parando para pensar, ele parou completamente, dando a ela uma chance de alcançá-lo."Patrick?" Ela perguntou, com preocupação, muito mais do que ela teve pela primeiravez. Sua mão foi parar em cima de seu ombro e isso era tudo o que ele poderia tomar.Encolhendo-se, ele se virou para encará-la com raiva nos olhos."O que?" Gritou, não se importando que o seu tom de voz tivesse a atordoado. "Comovocê pode até me perguntar o que há de errado?""Eu não sou uma leitora de mentes, Patrick. O que mais eu deveria fazer?" A raivacomeçou a tomar conta de seu corpo completamente. Ele não podia mais dar desculpaspara ela, ele não podia deixar sua mente defendê-la por mais tempo."Você está ficando com Chris." Ele queria dizer como se fosse uma pergunta, mas saiu
  21. 21. como uma afirmação. Ele olhava atentamente, esperando para ver o que ela faria. Nãohavia nenhuma maneira de negar. Ele tinha visto os dois juntos.Patrick podia ver a culpa escoar nos olhos expressivos de Ellen, mas ele balançou acabeça. Ela não se sentia culpada por isso. "Ele é um bom homem." Ellen respondeunum tom que era para se defender, mas em vez disso, parecia que ela estava seconvencendo disso.Levantando uma sobrancelha em descrença, ela disse desta vez, com mais desespero."Ele é ... um homem bom. Ele sempre esteve lá para mim.""E eu não estou? Eu achava que valia alguma coisa para você, certo? Os dois últimosanos não significaram nada para você?" Suas palavras estavam cheias de sarcasmo puroe ele continuava balançando a cabeça, esperando que tudo fosse apenas um sonho ruim."Claro que você esteve. Eu não disse que você não estava. Mas, não podemos ficarjuntos. ... O que temos não pode existir. Você sabe disso.""Oh, certo. Eu esqueci. Nós não podemos ficar juntos, e assim você deve apenas voltarpara um cara que você não está apaixonada? Você nunca me amou, se é tão fácil assimpara você voltar com ele "."Fácil? Você acha que isso é fácil para mim? Você está brincando comigo, Patrick? Nósestamos realmente de volta para o você não me ama" de novo? " Suas vozes estavamcada vez mais altas e ecoavam por o estacionamento. O cast e o pessoal da produçãotinham apenas começado a chegar, e fingiam não ouvir. A maioria das pessoas no setnão viam, com surpresa nenhuma, a discussão que eles estavam tendo abertamente noestacionamento público."Você está ficando com o seu namorado! O que eu devo pensar?""Você está hospedado com sua mulher!" Ela argumentou, ainda que ela soubesse quehavia dito apenas para magoá-lo. As situações não eram as mesmas, e ela sabia disso."Estou sendo forçado a ficar com ela! Ela sabe disso, e eu sei disso! Somospraticamente desconhecidos em nossa própria casa. Nós nem sequer falamos a menosque seja sobre Tallulah, e nós certamente não ficamos nos beijando em estacionamentosde carros!" Sua respiração estava chegando com dificuldade. Ele não conseguia selembrar da última vez, que ele havia ficado tão bravo com ela.Ellen se recusou a reconhecer o que ele estava dizendo. Ela precisava seguir em frente.Ela tinha que colocar seus sentimentos de lado. Nada de bom poderia vir de ela estarapaixonada por um homem casado, mesmo que fosse um detalhe técnico. Colocando abolsa ao seu lado, Ellen cruzou os braços defensivamente."Então, você está com ciúmes? É isso?" Patrick não conseguia acreditar que ela estavapropositadamente escolhendo brigar com ele. Ela estava construindo uma parede entreeles, e ele não entendia o porquê."Sim". Eu estou com ciúmes. Por que diabos eu não deveria estar? Eu estou apaixonadopor você e você diz ser apaixonada por mim também, mas você está ficando comChris."
  22. 22. "É só isso, Patrick." Ela suspirou, tentando manter sua voz sem gaguejar. "Eu precisoparar de te amar. Eu preciso te esquecer. Nós não podemos ficar juntos, não é isso o queo destino pretendia para nós, eu acho. Por que eu deveria ficar sozinha? Por que nãodevo ser capaz de ter uma família? Chris me ama, ele cuida de mim, ele vai ser a minhafamília. Você vai para casa, tem uma família. Não importa o que você diz, no final dodia você vai para casa e tem uma mulher e uma filha. No final do dia, eu não vou tervocê ... eu não tenho alguém que me ama, eu não tenho nada". Embora ela tivessegritado as palavras para ele, elas estavam cheias de emoção. Lágrimas escorriam de seusolhos.A raiva de Patrick foi-se embora. Suas palavras o tinham deixado perplexo. Ela nuncatinha partilhado essas preocupações com ele e ele desejava que ela tivesse. Algumaslágrimas escaparam por sua face corada e ela enxugou-as quando ele se aproximou."Eu estou sozinho Ellen." Ele assegurou. "Sim, eu tenho uma filha, sim eu tenho umaesposa, mas toda noite eu vou para casa de Jill ... faz-me doer sabendo que eu deveria irpara casa para você". Balançando a cabeça, Ellen olhou para o céu sem nuvens, naesperança de manter o resto de suas lágrimas dentro dos olhos. "Quando Encantada sair,eu vou voltar para você. Eu vou voltar para casa. ... Nós só temos que esperar isso tudopassar"."Não." Ela cortou, não deixando-o dizer mais. Ela olhou para ele com determinação, eele percebeu ali mesmo que sua mente estava trabalhando. "Isso é ridículo, Patrick.Você sabe o quanto pode mudar em um ano? Mesmo depois de o filme sair ... nós aindaestaremos no seriado ... a Disney ainda tecnicamente manda em nossas vidas. Quem vaidizer que eles não vão fazer a mesma merda de novo? Nada vai mudar na cidade.Precisamos parar de nos enganar pensando que sim. "Patrick tentou fechar a distância entre eles, mas ela recuou antes que ele pudesse. "Ascoisas vão ficar bem até lá." Ele garantiu, honestamente. "Esse seriado é um sucesso,Meredith e Derek são um sucesso. Eles não podem por fogo nós ... mesmo quequisessem."Ellen riu amargamente de suas palavras. "Você não sabe disso, Patrick. É um riscoenorme de correr. Eu não posso ser aquela menina ... aquela triste mulher patética, queestá esperando seu amante deixar sua esposa. Eu não posso ser Meredith Grey, eu nãovou ser "."Então é disso que se trata? Você acha que eu estou jogando com você?" Falou,correndo os dedos pelos cabelos. "Você pensa que eu não vou deixar Jill? Você achaque meus sentimentos por você irão magicamente desaparecer em um ano? Porque elesnão vão. Você viu os papéis que eu já tinha elaborado. Por que você está duvidando demim?"Ellen não sabia como responder a essa pergunta. Ela não tinha idéia de por que elaestava duvidando de repente dele. Ela estava com medo ... realmente apavorada. Tudoque ela sabia, era que ela não podia deixá-lo mudar de idéia. Chris não era Patrick, elenunca seria Patrick. Mas, talvez eles poderiam ser felizes. Ela tinha que acreditar quepoderiam ... parecia ser a única forma de ela manter-se de pé."É assim que tem que ser Patrick, por favor, pare de brigar comigo sobre isso." Soltandoum alto gemido, ele realmente não podia acreditar no que estava acontecendo.
  23. 23. "Você se incomoda mesmo para lhe dizer sobre mim? Você está só para fingindo quenada aconteceu?" Ela estava vivendo uma mentira, uma mentira total e completa, e elequeria que ela percebesse o quão horrível era essa vida que ela estava tentando levar.Ele sabia, porque ele estava fazendo o mesmo, e ele não poderia imaginar que elativesse que fazer isso também. Ser infeliz com um homem que não amava realmente eramelhor do que estar sozinha? Ele não pensava assim. Ele preferia estar só do que presono papel que ele tinha que representar."Você disse a Jillian sobre mim?" Ellen perguntou, sabendo que ele não tinha dito.Pegando a bolsa, ela começou a sair andando para o set."Eu não disse a ela para te proteger." Ele defendeu-se, chamando-lhe numa vozsuplicante."Bem, eu também fiz isto". Ela respondeu, sem olhar para trás para encará-lo. Patricknão fez nenhum movimento para segui-la. Pela primeira vez, ele sabia que segui-la nãoiria ajudar a situação."Miss Pompeo? Shonda quer vê-la em seu escritório." Quase largando o café e o pratode frutas de suas mãos, Ellen voltou-se para encontrar um dos assistentes de Shondaabordando-a na porta do quarto.Ele era um jovem recém-saído da faculdade. Ele era bonito, e simpático, mas, ela tinhaapenas o encontrado uma vez e seu nome escapou de sua memória. "Oh, por favor mechame de Ellen." Ela disse a ele, esperando que ele iria revelar o nome dele também."Certo, Ellen." Ele acenou com um sorriso, e ela sorriu de volta, esperando se lembrardo nome dele, eventualmente."Desculpe incomodá-la durante o almoço, mas Shonda disse que era urgente.""Sério? Ok ..." Ellen respondeu, com um olhar preocupado. Era raro que a sua patroa achamasse para qualquer reunião durante o almoço, e ainda mais raro de ser chamada deforma inesperada.Os olhos do homem estavam concentrados em seu blackberry enquanto ele a conduziapelo caminho do corredor, mas de vez em quando ele olhava para trás, para se certificarde que ela ainda estava o seguindo. "Betsy não está aqui, por isso vai ser apenas você,Shonda, e Mr. Dempsey”. Ela ficou tão impressionada com suas palavras, que ela nem percebeu que o assistentetinha falado Mr. Dempsey. "Patrick?" Ellen perguntou com as sobrancelhas franzidas.Ela não entendia por que Shonda iria querer vê-los assim de imediato ... o que a faziaextremamente nervosa. Antes que ela pudesse perguntar mais, o homem abriu a porta e conduziu-a para dentro.Ele parecia estar com pressa de escapar da situação, porque assim que seu pequenoformulário foi através da porta, ele desapareceu do quarto e fechou-o firmemente portrás dele.
  24. 24. Após a sua entrada, tanto Patrick quanto Shonda pararam de falar, e o quarto caiu emum silêncio constrangedor. Shonda estava sentada atrás de sua mesa, e Patrick estavasentado em uma das cadeiras na frente da mesa. Ellen ficava geralmente confortável noescritório de Shonda, mas, naquele momento, ela não estava nada confortável. Shondaestava olhando para ela como se pudesse ver cada centímetro seu. Finalmente, com um sorriso, ela acenou para que Ellen se aproximasse. "Desculpeinterromper seu almoço El". Chegando mais perto da mesa, ela tentou não sentir afisgada de rejeição, quando viu que Patrick não tinha sequer virado para saudá-la.Olhando para o lado de seu rosto, ela não esperava nada diferente. Eles não estavamexatamente em uma "briga". Eles se falavam de passagem, e permaneciam civilizados,mas eles não estavam nem perto de tão amigáveis quanto tinham sido antes.O elenco já estava filmando o quarto episódio da terceira temporada, e felizmente,Meredith e Derek pareciam estar atravessando muita tensão, como Ellen e Patrick. Suahostilidade fora da tela parecia realmente com aquela que seus personagens deveriamestar sentindo."Sente-se". Shonda insistiu, e Ellen o fez sem argumento. Mesmo que sua chefe tivesseum sorriso no rosto, Ellen teve a sensação de que a reunião não seria muito agradável.Patrick, finalmente, deu um sorriso suave para ela assim que sentou-se. Havia umadistância tão grande entre suas cadeiras, que ela perguntou se ele tinha ido para maislonge de propósito. Isto parecia simbolizar a distância que tinham um do outroemocionalmente.Ellen sorriu de volta, e ficaram se encarando por uma fração de segundo antes dePatrick desviar os olhos e virar-se para a frente mais uma vez. Shonda estava olhandopara eles atentamente. Apertando suas mãos, ela observou os dois em silêncio."Tenho certeza que você quer saber porque eu te chamei aqui. Confie em mim, eu nãoqueria.""Então por que chamou?" Patrick brincou, mas seu tom sério traía suas reais intenções.Shonda adorava-o como uma menina da escola adorava sua primeira paixão. Eladeixava Patrick dizer praticamente qualquer coisa que ele quisesse falar com ela. Logoem seguida, Shonda riu dele. Ellen teve de esconder sua irritação. Ela queria saber porque estava lá ... e sua chefe não parecia querer chegar ao ponto tão cedo.Ellen, que era normalmente tão loquaz quanto Patrick permaneceu em silêncio.Nenhum dos dois fez qualquer outra tentativa de conversar um com o outro. Era comose tivesse um muro dividindo a sala ao meio.Sentindo a falta de jeito que estava ao seu redor, Shonda deixou sua risada no ar. "Issonunca é fácil ..." Ela começou e as palavras deram um nó no estômago de Ellen.Lutando contra um sentimento de pavor, ela olhou para Patrick com o canto dos olhos,só para encontrar preocupação escrita por todo o rosto. "Eu não gosto de me intrometer na vida pessoal do meu elenco. Vocês dois são pessoasprivadas. Eu consegui isso, eu respeito isso. Então, é realmente difícil para eu perguntarisso ..." Foi difícil para Ellen ouvir as palavras, porque seu coração estava batendo
  25. 25. ruidosamente contra o seu peito. A cadeira que estava sentada não tinha braços, e elanervosamente esfregou as palmas das mãos."Perguntar o que?" Patrick cortou de novo, e a mente de Ellen girava de preocupação.Balançando a cabeça, Ellen virou-se para Patrick e para sua surpresa, ele virou a cabeçapara ela, ao mesmo tempo."Eu tenho que perguntar ..." Shonda sumiu novamente."Que diabos está acontecendo com vocês dois?" Ela deixou escapar e arqueou umasobrancelha quando suas cabeças viraram em sua direção."Nada". Ellen argumentou, mas o vacilo na sua voz a traiu."Nada está acontecendo." Patrick defendeu, percebendo que a tentativa de Ellen tinhafalhado. "Estamos apenas confusos quanto ao porquê de estarmos aqui". Sentiu-seconfiante o suficiente para falar em nome de ambos, embora ele realmente não tivesseidéia do que Ellen estava pensando."Isso ..." Shonda disse, apontando para eles com ambas as mãos. "É por isso que vocêsestão aqui. Eu disse que não gostava de me meter na vida particular das pessoas, amenos que fosse necessário ... e isto é definitivamente necessário agora".Patrick e Ellen olharam para ela, confusos, sem entender o que Shonda estava falando.Ambos os atores tinham sido muito cuidadosos em não deixar que suas vidas pessoaisafetassem seu trabalho. Eles não achavam que havia um problema."Eu não estou acompanhando seu raciocínio." Patrick disse, mesmo que ele estivessecomeçando a perceber que o encontro fosse realmente sobre eles. Shonda queria sabersobre o seu relacionamento ... ou a falta dele ... e ele não estava preparado pararesponder a essa pergunta."Claro que você não está ..." Shonda respondeu ofegante, seu sarcasmo não passoudespercebido. "Ou vocês dois são atores melhores do que eu penso, ou vocês estão porfora do que tem acontecido neste set." Suspirando ao ver os seus rostos brancos, elacontinuou, "Todo mundo neste set inteiro tem falado sobre vocês dois. E, eu quero dizerTODOS. Nada viaja mais rápido de que fofoca por aqui." “O que ... o que você está falando? Por que eles falam de nós?" Ellen gaguejou, incapazde esconder sua aparência nervosa. "Qual fofoca?" Em uma mudança de papéis, Patrickestava silencioso e Ellen não conseguia manter a boca fechada."As pessoas sempre especularam sobre vocês dois. Vocês têm uma química incrível,vocês são amigos próximos, é natural que os rumores começassem. Mas, agora chegoua um ponto, onde não é possível executar um ensaio, porque todos querem é falar sobrevocês dois. ""Você deve estar brincando comigo." Patrick falou revoltado. "Eu nunca ouvi nada, edesde quando que os ensaios são interrompidos?"Claro que você não ouve as fofocas. Eles não são estúpidos o bastante para fazê-lasbem na frente de você. Portanto, as razões pelas quais os ensaios de vocês dois não são
  26. 26. interrompidos é porque ninguém fica fofocando na sua frente”."Eu não entendo ..." Ellen falou novamente. "Por que o súbito interesse por nós?" Ela derepente sentiu-se envergonhada e tinha certeza de que seu rosto estava ficandovermelho. Era uma coisa ter estranhos falando sobre ela. Isso era parte do negócio, elasabia disso. Mas, era completamente diferente saber que seus amigos e colegas detrabalho estavam conversando pelas suas costas.Patrick soltou um gemido de irritação e chegou sua cadeira mais perto de Ellen. Eleestava oferecendo seu apoio, mesmo que fosse um pequeno gesto. Percebendo isso,Ellen sentiu-se confortada em saber a diferença entre eles estava lentamente seacabando.Ele queria pegar na mão de Ellen, mas ele pensou melhor e deixou sua mão descansarsobre o braço da cadeira. "O que eles estão dizendo?" Ele soltou rispidamente."Bom, para começar, eles estão dizendo que vocês dois estão tendo um caso e seescondem atrás do disfarce de estar com sua esposa e seu namorado. Vocês estaremcompartilhando um trailer, não ajuda em nada. Acho que vocês podem usar suaimaginação para saber o que eles estão dizendo o que acontece lá dentro. Que osamantes tiveram uma briga no estacionamento, aumentou ainda a certeza de todos. "Shonda mal conseguiu falar todas as palavras, quando Patrick falou. "Não era umabriga de amantes!" Ele argumentou, claramente insatisfeito com o tom condescendente."Eu não me importo com o que era. O que me preocupa, é o show que vocês deram.Tudo o que existe entre vocês afeta o seriado ... e eu chamei-os aqui, para lhes dizerque isso tem que parar. ""Ah, vamos lá!" Disse Patrick. "Você quer me dizer que alguma fofoca no set estáafetando muitos as coisas? Isso é ridículo." Passando um dedo pelo seus cabelos, eleapertou os olhos quando Shonda riu dele."Isto não está apenas no set. Trata-se de todos os lugares. Não parece ter atingido ostablóides principais ainda, mas esta tudo na internet. São cinco diferentes segmentosdedicados a vocês dois na placa de mensagem agora. Eu não sugiro que você olhe paraeles. Estão te chamando de "Dempeo", como “Brangelina” e “Tomkat”, e eles estãoconvencidos de que vocês estão tendo um caso. " "Eu não me importo com o que dizem!" Patrick não conseguia esconder sua frustração.Ele não podia acreditar no que estava ouvindo. Levantando-se aborrecido, ele teve oimpulso de correr, mas, Ellen, de repente, estendeu a mão para ele e agarrou o braçodele. Ele sentiu arrepios na espinha com seu toque. Foi reconfortante e estimulante, elesentia-se amado, e isso fez a sua ira abaixar ligeiramente. Olhando para ela, ele viu seu assentimento seguro e permitiu que seu aperto fortefizesse-o sentar novamente. "Eu sei que isto é difícil de ouvir." Shonda disse, em tomsimpático. "Mas eu tinha que lhes dizer. É apenas uma questão de tempo antes que estesrumores comecem a vazar para a mídia ... e o seriado realmente não pode ficar mais soba má imprensa." Ela não disse isso, mas Patrick sabia que ela estava se referindo aodrama que havia acontecido entre ele e Isaiah. As implicações por trás de suas palavras
  27. 27. não ditas deixou a sua mente divagar e ele chegou às cegas para o lado de Ellen. Em vezde se afastar dele, como ele esperava, ela apertou a mão dele. Ellen necessitava doconforto tanto quanto ele.O fato de Ellen e Patrick estarem de mãos dadas não passou despercebido por Shonda,e ela suspirou, percebendo que ela tinha um problema em suas mãos, maior do que elapensava. Se os rumores fossem falsos, ela poderia achar um meio de reprimi-los. Elespoderiam evitá-los e torná-los absolutos, mas, vendo o par à sua frente, não haviadúvida em sua mente de que os rumores eram de fato verdadeiros. Shonda não sabia oque fazer com aquilo. A tarefa estava muito mais difícil do que tinha imaginado."Eu sinto muito." Ellen murmurou, e Patrick balançou a cabeça para ela."El ..." Ele interrompeu, não querendo que ela se sentisse como se ela tivesse que seexplicar. Mesmo com os rumores, Patrick estava totalmente preparado para negar cadaum deles. Ele agüentaria que as pessoas falassem dele, mas ele não poderia pensar quecoisas ruins estavam sendo ditas sobre Ellen."Não, está tudo bem." Ela assegurou olhando para ele por um segundo, antes de virarsua atenção totalmente para Shonda. Sua mão ainda estava na sua, estava pegajosa como suor de seu nervosismo, mas ela continuava lá, mostrando-lhe que ela estavapreparada para defender o que eles tinham ... mesmo que ela estivesse tentado acabarcom o relacionamento.Nós estamos envolvidos emocionalmente ...." Ellen começou, mas Patrick virou-se paraela e a dor em seu olhar a impedia de dizer mais. Seu silêncio lhe deu a oportunidade defalar, e quando o fez, sua voz era firme, mas parecia que poderia quebrar a qualquermomento."Não foi um caso." Patrick afirmou. Ele virou a cabeça para enfrentar Shonda, masEllen sabia que as palavras eram para ela também. Sentindo que havia muito mais adizer, Shonda deixou-os falar e tentou esconder sua surpresa. Tanto ela e Betsy tinhamassumido que eles eram um casal de alguma forma ou formulário, mas nunca ocorreu-lhe que poderia ser amor verdadeiro. A maioria dos romances que ocorriam no set eramapenas assuntos simples, que terminavam logo que as filmagens acabavam.Limpando a garganta, Ellen respirou profundamente e quis que o seu coração parasse decorrer. Ela precisava ser calma, ela precisava fingir que a mão de Patrick não estavaqueimando tanto que poderia fazer um furo através dela. Eles estavam tão perto que elapodia sentir o cheiro de sua loção pós-barba. Ela fazia cócegas em suas narinas e istoautomaticamente a acalmou. Foi como voltar para casa, exceto que ela nunca tinha sidocapaz de voltar para casa com Patrick ...Nós nos apaixonamos." Ela soltou. Sua voz era calma, mas ainda estava cheia deconfiança. Virando a cabeça para dela em flash, Patrick olhou para ela com os olhosarregalados. Ele não esperava que ela admitisse isso para qualquer pessoa. Suas palavrassurpreenderam-no em silêncio e como ela falou novamente, era como se fossem osúnicos na sala. "Nós nos apaixonamos ...". Ela disse como se fosse a coisa mais naturaldo mundo. Os olhos de Patrick estavam fixos nos dela e ela queria tanto olhar paralonge, mas não podia. Seus olhos azuis se molharam, cheios de lágrimas. Ele a amava,tanto, que a emoção estava literalmente escorrendo de seus olhos.
  28. 28. Finalmente quebrando seu olhar, Ellen olhou para sua chefe. Shonda tinha umaexpressão indecifrável no rosto e Ellen tinha certeza de que eles estavam prestes a serrepreendidos. Em vez disso, um sorriso espalhou-se em todo o rosto da mulher, umsorriso mais brilhante do que qualquer um que Ellen e Patrick já tinham visto nela.Shonda estava vendo Meredith e Derek criando vida diante de seus olhos. Não eramseus personagens, ela sabia disso, mas, era como assistir a um conto de fadas. Nestecaso, era verdade, e Shonda não poderia ter o bastante desse sentimento."Qual é o problema?" Ela perguntou, depois de vários minutos. O sorriso havia deixadoo seu rosto, mas ainda estava com um brilho nos olhos que, provavelmente, nunca iriadeixar. Olhando para o teto, Ellen tentou evitar que suas lágrimas invadissem seuscanais lacrimais. Ela podia sentir-lhes queimando, querendo sair, mas ela se recusou adeixá-las sair. Ela não podia chorar sobre a sua situação. Ela não podia ficar chateada.Era o que era, e nenhuma quantidade de lágrimas no mundo poderia mudar. Mostrartanta emoção iria apenas dar a Patrick falsa esperança. Ele ia começar aquela coisa deque eles poderiam esperar, que eles poderiam ficar juntos, que eles tinham um futuro, eela não podia feri-lo dessa forma.Mesmo que ela estivesse tentando o seu melhor, não importava, pois as lágrimas aindavieram assim mesmo, e ela se viu incapaz de responder. Patrick podia ver como elaestava chateada. Mesmo que ela quase tivesse partido seu coração em dois pedaçosapenas duas semanas antes, ele não poderia apenas sentar e deixar que ela tivesse toda aculpa. Ela tinha feito o que ela pensava ser o melhor, ele compreendeu isso, mas issonão significava que seu coração não doesse com a lembrança.”Fui aconselhado pela Disney que se divorciasse de minha esposa isso iria refletirnegativamente sobre Encantada e a própria empresa. Eles não querem alguémpromovendo o seu filme que não possa ser feliz no casamento." Shonda estava chocadanum primeiro momento, e que o choque estava registrado em suas feições. Ela não tinhaouvido nada sobre isso, e quando este tipo de coisa chegava a seus atores, elanormalmente era primeira a saber coisas desse tipo."O que eles dizem?"Olhando para Ellen, ele percebeu que o olhar dela permaneceu concentrado no chão.Era demais para ela. Esta situação tinha sido difícil para ela, durante a semana ... mesmomês, e todas as suas emoções foram se acumulando ao mesmo tempo. "Jillian e euestávamos prestes a conseguir o divórcio, mas eles disseram que rescindiriam meucontrato, se não ...""Você acha que eles estavam blefando?" Shonda realmente não sabia o que fazer comeles. A Disney era forte e destemida, mas eles não eram estúpidos. Rescindir o contratocom Patrick no final do processo teria sido caro ... e poderia custar-lhes o sucesso nabilheteria.”Eu não podia deixar ele perder essa chance ..." Ellen falou, finalmente, levantando acabeça para cima. "Teria sido por minha culpa ..." Ela tentou puxar sua mão de Patrick,mas ele a manteve firme na dele. Ele não iria deixar que ela se afastasse dele, nãodepois de tudo o que tinha acontecido. Estava claro para ele, que era o que ela tinhafeito desde o seu rompimento. Brigar com ele, ficar com Chris, tinha sido todos ostruques para mantê-lo longe, na medida do possível ... e percebendo isto, ele sabia que
  29. 29. não poderia deixá-la fazer mais. Eles estavam juntos nisso, o que quer que fosse, etinham que ficar assim.”Não podíamos correr esse risco." Patrick corrigiu, deixando-a saber que estavam juntosnisto. Foi a vez de Ellen olhar para ele, o alívio nos olhos dela fez Patrick acenar com acabeça em segurança."Então ... .... o que você está apenas ficando com sua esposa e fingindo não serapaixonado por Ellen?" Shonda perguntou, falando de Ellen, mas só olhando paraPatrick.”Jillian e eu vamos ficar juntos até Encantada estrear ... mas, é apenas para mostrar aomundo. Estamos separados, para todos os efeitos." Arqueando uma sobrancelha, Shondarealmente não podia acreditar no que ela ouvia. O casal à sua frente estava claramentesofrendo, e era quase doloroso vê-los. "E, não. Eu não estou fingindo nada. Estouapaixonado por ela. Isso não vai mudar.""Eu ainda estou aqui, vocês sabem." Ellen falou, de repente, irritada como se elesestivessem falando sobre ela como se ela não estivesse lá. A conversa a estavaincomodando. Ela não queria pensar sobre o seu amor que nunca poderia ser. Ouvirfalar sobre isso era muito ruim."Estou confusa". Shonda respondeu, ignorando as palavras de Ellen. "Então ... você estáclaramente envolvido emocionalmente ...""Nós não estamos ..." Ellen tentou argumentar, mas Shonda silenciou-a com um acenode sua mão.”Vocês estão. Vocês são tão claros e todos sabem disso. Porque vocês não ficam juntos,em segredo, até que toda a atenção sobre o filme morra?" Shonda tinha esquecido tudosobre as razões originais que os trouxera ali. Ela deveria estar do lado executivo. Era dese supor que ela estava ali para dizer-lhes que jamais poderiam ser um casal ... quepoderia ser prejudicial para sua imagem ... que arruinaria suas carreiras. Mas, vendoEllen e Patrick tão vulneráveis e abatidos, ela não poderia suportar vê-los sofrendotanto.Patrick não tinha uma resposta para isso. Era a mesma pergunta que ele se fazia e aEllen um milhão de vezes, e ainda, que tinha uma resposta simples. Eles poderiam ficarjuntos e felizes no futuro ... eles poderiam ter uma vida e uma família ... mas, Ellenestava se recusando a ver aqueles pensamentos e lembrou-lhe da raiva que ele tinhasentido dela em primeiro lugar. Largando a mão de Ellen, ele passou a mão sobre o seupróprio jeans. Ellen estava se remexendo ao lado dele, claramente desconfortável com asituação. Ele se sentiu mal. Ele sabia que ela não gostava de entrar em detalhes sobresua vida privada, ele sabia que, no entanto, ele não conseguia encontrar alguma respostaestúpida. O fato é que ele não tinha idéia, e que isto não iria mudar tão cedo."Isto está fora de cogitação ...." Ellen disse após vários minutos. Ela se recusou a olharpara Patrick, mas ela sabia que ele estava olhando para ela indignado. Um surto de raivae de aborrecimento, de repente passou através dela. Ela não devia nada a Shonda emrelação à sua vida pessoal. Ela não ia sentar lá e explicar suas ações. "Eu não estou àvontade para discutir isso". E após essas palavras, ela se desligou completamente.
  30. 30. Sentando-se na cadeira, ela cruzou os braços em uma posição defensiva e se recusou adizer qualquer coisa mais.Percebendo que a reunião não ia acabar bem, Shonda apenas balançou a cabeça e tentouvoltar à tarefa. Ela não estava acostumada a ver o par dessa maneira. Ellen erageralmente tão alegre e agradável de ser, que era difícil vê-la tão distante."Tudo bem. Bem, você está certa. Esse é o seu negócio. Vai ser muito difícil parar estesrumores ... especialmente porque eles são verdadeiros. Vou falar com a equipe e seuscolegas de elenco, eu vou dizer que eles devem parar de interromper as filmagens."Enquanto ela falava, ela olhou para frente e para trás entre os dois, mas era como seambos não estivessem mais ali. Ela não tinha certeza de que eles estavam ouvindo tudoque ela dizia. "Eu acho que seria sábio vocês tomarem cuidado. Talvez seria melhorvocês não serem vistos juntos ... eu vou falar com Harry sobre mudar os seus trailers ..."Antes que ela pudesse dizer mais, Patrick interrompeu, provando a Shonda, que tinharealmente sido escutada. "Absolutamente não!" Ele falou. Era impossível para elepermanecer sentado por muito tempo e ele se levantou. Ellen não o impediu.Shonda foi surpreendida pela sua explosão e abriu a boca para falar, mas ele não deixouque ela continuasse. "Eu tive que esconder minha amizade com ela da minha esposa, fuipraticamente forçado pela mesma empresa que basicamente possui essa série paraescolher entre minha carreira e a mulher que eu amo, e eu estou preso em um casamentoque eu não quero. Minha amizade com ela é tudo que me resta. Eu não vou dar essadistância, porque você quer parar com alguns rumores estúpidos." Ellen olhou para ele,então, completamente chocada. A amizade era tudo o que tinha restado. Ele estavacerto, e doía ouvi-lo. Ele não estava satisfeito em ser apenas seu amigo, mas agoraparecia que ele não estava prestes a desistir disso e fez uma pequena parte dela seencher de calor."Eu só acho que seria melhor dar um tempo ...." Shonda tentou começar a falarnovamente, mas Patrick silenciou-a."Seria melhor para quem? Para você? Para este seriado? Para o povo estúpido que nãoconsegue manter a boca fechada o tempo suficiente para chegar em um ensaio? Foda-se.O que é isso, high school?" Patrick foi ficando cada vez mais nervoso e irritado. ComoEllen, ele tinha segurado emoções, que todas elas estavam vazando de uma vez. "Eutenho me curvado para esta indústria. Eu sinto como se tivesse vendido minha malditaalma para a Disney. Recuso-me a deixar de ser seu amigo. Se você não consegue lidarcom isso, então você pode encontrar um novo McDreamy, porque eu me recuso a fazerisso. " Ele estava sem fôlego enquanto ele olhava para Shonda com raiva nos olhos. Elenão teve a intenção de gritar com ela assim, mas não podia mentir e dizer que se sentiabem. Ellen tinha ficado em silêncio, mas ela ainda estava olhando para ele. Seu rostomudou da preocupação, ao orgulho. Ela não ficou com medo de suas explosões, e elanão estava chateada com ele por isso."Vamos, Ellen." Ele ordenou, tomando-lhe a mão e quase arrancando-a para fora dobanco como se fosse uma criança pequena. A ação a surpreendeu tanto que ela soltouum suspiro. Enviando a Shonda um olhar apologético, ela deixou Patrick rebocá-la parafora da sala.
  31. 31. "Patrick, você tem que puxar tão forte?" Ela perguntou com os olhos estreitados.Tomando os pulsos mínimos e ineficientes em suas mãos, ele inspecionou-o para ver setinha contusões. "Desculpa". Ele balbuciou timidamente. "Eu fui pego pelomomento ..." Seu pulso doía, mas ela não podia ficar exatamente louca com ele. Seusolhos estavam brilhando com confiança e orgulho. Era bom sentir que, finalmente, eleseram responsáveis pelo seu próprio destino, por uma vez.Seu rosto ainda estava congestionado e seu cabelo estava em pé em todas as direçõesporque suas mãos estavam, constantemente, passando por ele. Ele não tinha raspado abarba, e uma sombra escura de palha cobria seu queixo e debaixo do seu nariz.Ouvi-lo gritar o fazia quente e sexy, e a fez respeitá-lo ainda mais do que ela járespeitava. Ele estava tentando descobrir o que estava acontecendo na cabeça de Ellen,mas antes que ele pudesse, ela olhou para cima e para baixo no corredor para secertificar de que estava vazio."O que você está fazendo?" Ele perguntou, completamente confuso com o olhardeterminado em seus olhos verdes."Algo que eu deveria estar fazendo há muito tempo." Ela respondeu, e antes que elesoubesse o que estava acontecendo, ela tinha fechado a distância entre eles e lhe deu umbeijo devastador. Levou apenas um segundo para seu cérebro alcançar seu corpo.Envolvendo seus braços ao redor dela, ele não perdeu tempo em abrir a boca e deixar asua língua entrar.O beijo foi apaixonado e tão cheio de desespero que quase o levou a ficar de joelhos.Passando as mãos pelos cabelos de Ellen, ele desejava que nunca acabasse. Mas, parasua decepção, ela se afastou e ficou olhando para ele sem fôlego. Seus lábios estavamvermelhos e inchados e seu cabelo era selvagem."O que foi?" Ele perguntou em uma voz perplexa."Eu não sei ... a maneira como você nos defendeu lá, só me fez querer fazer isso." Umsorriso matreiro cruzou suas faces, mesmo que seu rosto estivesse queimando deembaraço."Eu posso gritar de novo". Ele brincou, fazendo-a rir. Fazia muito tempo que ele tinhaouvido o seu riso, era como música para seus ouvidos. Ele estava confuso. Ela estavacom Chris, e eles eram apenas amigos ... mesmo assim, eles nunca poderiam realmenteser apenas amigos. "Amigos se beijam?""Não. Talvez ... bem não. Definitivamente não." Ela corrigiu-se e ela parou de rir deuma vez."Bem, ninguém nunca ficou ferido ao ganhar um último beijo. Ele disse a ela, e osorriso que ela lhe enviou ao deixá-lo, o fez acreditar que aquele podia muito bem nãoser o seu último beijo, afinal.

×