Paerte 04

768 visualizações

Publicada em

Religioso

Publicada em: Espiritual, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
768
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
136
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paerte 04

  1. 1. 4. P A R T E<br />s l i d e s 1 - 1 4 7<br /> ~~~~~~~~<br />
  2. 2. * <br /> J E S U S V A I A J U D É I A<br /> uando terminou esses discursos, <br /> Jesus deixou a Galiléia,<br /> * e foi da Judéia numa região,<br /> * situada do outro lado,<br /> do Jordão.<br /> Grande multidão o seguiu<br /> * e ele ali seus doentes curava.<br />A eles sempre,<br />muito se indicava.<br /> ===================<br />Obs.: * e foi para a região da Judéia,<br /> * do outro lado <br /> * ele curou ali seus doentes<br /> Mt 19<br /> Q<br />~~ ~~ ~~ <br />
  3. 3. O D I V Ó R C I O<br /> O<br />* s fariseus querendo pô-la, a prova, queriam saber se é permitido,<br /> * divorciar-se da esposa por um motivo qualquer?<br /> Jesus respondeu: “Vocês não sabem, pela leitura da Bíblia,<br /> * que no princípio o Criador os fez homem e mulher?<br /> * Dizia ainda: Por isso o homem deixará pai e mãe,<br /> * para fazer com à sua mulher uma união <br /> * e os dois,<br /> * uma só vida viverão?<br /> Assim, já não são duas vidas,<br /> mas uma só formaram.<br /> * Portanto, o homem não deve separar que Deus uniu”, <br /> * mas os fariseus replicaram:<br /> “Por que,então, Moisés disse que é permitido de mandar embora a esposa,<br /> * bastando o certidão de divórcio a entregar.<br /> Jesus lhes respondeu:<br /> * “Moisés lhes permitiu divorciar.<br />Mt 19<br />
  4. 4. * Foi porque vocês têm o coração insensível que no começo<br /> não era assim.<br /> * Eu lhes digo: quem se divorciar de sua mulher,<br /> a não ser em se tratando de uma noiva infiel (48)<br /> * e se casar com outra, adultério vai cometer”.<br /> Disseram-lhe os discípulos:<br /> * “Se é do homem com a referência a mulher essa a situação,<br /> * vale a pena,<br /> * se casar não”.<br />
  5. 5. * Há pessoas que não se casam,<br /> * porque são aleijadas de nascença;<br /> * seja porque sofreram alguma lesão corporal da parte<br /> dos outros;<br />ou de uma outra doença.<br /> * Existem também aquelas que por amor do Reino dos<br /> Céus,<br /> * do casamento preferiam se abster.<br /> * Que entenda,<br /> * quem puder.”<br /> Ele respondeu-lhes: “Nem todos são capazes,<br /> * de poder esta doutrina entender:<br /> * só entendem aqueles a quem Deus dá entendimento,<br />foram saber.<br /> ===================================<br />
  6. 6. Obs.: * Os fariseus, querendo pô-lo a prova, vieram <br /> perguntar-lhe: “É permitido<br /> * divorciar-se da esposa por um motivo qualquer?”<br /> * que no princípio o Criador os fez homem e mulher,<br /> * e disse: Por isso o homem deixará pai e mãe,<br /> * para unir-se à sua mulher<br /> * e os dois<br /> * viverão uma só vida?<br />
  7. 7. * Assim, já não são duas vidas, mas uma só.<br /> * Portanto, o homem não deve separar o que <br /> Deus uniu”.<br /> * Os fariseus replicaram:<br /> * bastando dar-lhe certidão de divórcio?”<br /> * “Moisés lhes permitiu divorciar,<br /> * foi porque vocês têm o coração insensível; <br /> mas no começo não era assim.<br /> * Mas eu lhes digo: quem se divorciar de sua<br /> mulher,<br /> * E se casar com outra, comete adultério”.<br /> * “Se é essa a situação do homem com a referência à<br /> mulher,<br /> * não vale a pena<br /> * se casar”.<br />
  8. 8. * Ele respondeu-lhes: “Nem todos são capazes<br /> * de entender esta doutrina:<br /> * só entendem aqueles a quem Deus dá entendimento.<br /> * Porque há pessoas que não se casam<br /> * porque são aleijadas de nascença;<br /> * ou porque sofreram alguma lesão corporal da parte <br /> dos outros;<br /> * e há também aquelas que se abstêm do casamento<br /> * por amor do Reino dos Céus. <br /> * Quem puder entender,<br /> * que entenda!”<br />
  9. 9. A A U T O R I D A D E D E J E S U S <br /> J<br /> J<br />* esus entrou no Templo<br /> * e começou a ensinar.<br /> Aí chegaram os sumos sacerdotes e os<br /> anciãos do povo,<br /> * que resolveram perguntar:<br /> ”Com que direito você faz estas coisas?<br /> * Quem lhe deu para isso autorização?”<br /> * Jesus também fez uma pergunta:<br /> * “De onde vinha o batismo de João?<br />
  10. 10. * Será do céu ou dos homens?” <br /> * Começaram entre eles refletir.<br />O resultado foi que repararam,<br /> * que nenhumas resposta deles <br /> poderia servir.<br /> * E Jesus depois,<br /> * por sua vez falou:<br /> * “Com que direito faço estas coisas,<br /> * pois eu também dizer não vou ”. <br />
  11. 11. J E S U S<br /> A B E N Ç O A A S C R I A N Ç A S <br />Mt 19<br />
  12. 12. O<br />* s discípulos eram contra,<br /> * que deixassem Jesus as crianças apresentar,<br /> * para que lhes impusesse as mãos<br /> * e vai por elas rezar.<br /> Mas Jesus lhes disse: “Deixam vir a mim as <br /> crianças<br /> * e não vão isto impedir,<br /> * porque é delas o Reino dos Céus”<br /> * e depois de lhes impor as mãos começou dali<br />partir.<br />
  13. 13. Obs.: * Apresentaram-lhe então crianças,<br /> * para que lhes impusesse as mãos <br /> * e rezasse por elas. <br /> * Os discípulos, porém,procuravam afastá-las.<br /> * e não as impeçam,<br /> * porque é delas o Reino dos Céus”.<br /> * e depois de lhes impor as mãos, partiu dali.<br />* * * * * * * * * * * *<br />
  14. 14. O J O V E M R I C O Mt 19<br /> E<br />* le que observou os mandamentos,<br /> perguntou Jesus o que deve fazer,<br /> para alcançar a vida eterna?<br /> * Respondeu-lhe Jesus: “Se quiser ser <br /> perfeito, tudo vai vender,<br /> * o que possui,<br /> * o dinheiro aos pobres vais entregar<br /> * e um tesouro no céu,<br /> * você vai ganhar.<br />
  15. 15. * Depois escutou venha e siga-me”,<br />atrás da orelha se coçou.<br />Mt 19 - 20 Ao ouvir isso o jovem foi-se embora, triste,<br /> porque para vender tudo isso custa que só <br />achou.<br /> * Ele que era muito rico,<br />restou nenhuma outra alternativa.<br />Para nós também depende a vida eterna,<br />da nossa escolha definitiva.<br />
  16. 16. Obs.: * As primeiras três linhas do primeiro verso <br /> são um resumo do trecho inicial deste capitulo.<br /> * Respondeu-lhe Jesus: “Se quiser ser perfeito,<br /> vá, venda tudo o que possui, dê o dinheiro aos <br /> pobres,<br /> * e você terá <br /> * um tesouro no céu;<br /> * depois, venha e siga-me”.<br />Mt 19 - 20 * porque era muito rico.<br />
  17. 17. D I S C Í P U L O S<br />A R E C O M P E N S A D O S<br /> Mt 19 - 20<br /> P<br />edro,então, tomando a palavra, queria saber,<br /> * para seguir de ter tudo deixado,<br /> * se isso vai ser,<br />ou nãorecompensado?<br /> * Respondeu-lhe Jesus “No mundo novo,<br /> * quando o Filho do homem posse do seu trono <br /> glorioso vai tomar,<br /> * vocês que me seguiram também se sentarão<br /> em doze tronos,<br /> * para os doze tribos de Israel vão governar.<br />
  18. 18. * E todo aquele que casa, família e bens,<br /> * por amor de mim deixará,<br /> * terá como herança a vida eterna<br /> * e cem vezes mais receberá.<br /> * E muitos dos primeiros,<br /> * os últimos serão.<br /> * E muitos dos últimos,<br /> * para ser os primeiros chegarão”.<br />
  19. 19. Obs.: * falou:<br /> * “E nós, que deixamos tudo para te seguir,<br /> * que recompensa teremos?”<br /> * Respondeu-lhe Jesus: “Eu lhes afirmo com toda<br /> certeza: No mundo novo, <br /> * quando o Filho do homem tomar posse do seu trono<br /> glorioso,<br /> * vocês que me seguiram também se sentarão em doze<br /> tronos<br /> * para governarem as doze tribos de Israel.<br />
  20. 20. * E todo aquele que deixar casa, irmãos, <br /> irmãs, pai,mãe, filhos ou terras,<br /> * por amor a mim,<br /> * receberá cem vezes mais<br /> * e terá como herança a vida eterna.<br /> * E muitos dos primeiros<br /> * serão os últimos,<br /> * e muitos dos últimos,<br /> * serão os primeiros”.<br />
  21. 21. -0=<br /> C O N V E R S Ã O D E Z A Q U E U <br /> Lc 19<br />* entrou em Jericó para atravessar a cidade,<br /> * onde ali um homem chamada Zaqueu, chefe dos publicanos <br /> e ricos havia.<br /> Procurou ver quem era Jesus,<br /> * mas por ser pequeno e da multidão não conseguia.<br /> * Correndo adiante, subiu à um sicômoro,<br /> * para poderia tudo melhor observar.<br /> * Jesus levantou os olhos,<br /> * quando chegou àquele lugar.<br /> J E S U S<br />
  22. 22. * E disse a ele: “ Desça depressa,<br /> * porque hoje devo hospedar-me em sua casa Zaqueu.<br /> Ele desceu a toda pressa<br /> * e com alegria o recebeu.<br /> Vendo isso, todos murmuravam, dizendo:<br /> * “Ele entrou na casa de um pecador para se hospedar”.<br />Mas Ele,<br />não deixava-se pressionar.<br />
  23. 23. Zaqueu em pé, disse a Nosso Senhor: <br /> * “Vou dar a metade dos meus bens aos pobres, <br /> Senhor, como deve ser.<br /> * E se prejudiquei alguém em alguma coisa,<br /> * quatro vezes mais vou devolver”.<br /> Disse-lhe Jesus:<br /> * “Hoje a esta casa chegou a salvação.<br /> * Porquanto também este é,<br /> * filho de Abraão.<br /> * Pois o Filho do homem,<br /> * veio para procurar,<br /> * o que estava perdido,<br /> * e salvar”.<br />
  24. 24. Obs.: * Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a <br /> cidade.<br /> * Havia ali um homem chamado Zaqueu, chefe dos <br /> publicanos e rico.<br /> * Por causa da multidão, não conseguia, pois era<br /> pequeno de estatura.<br /> * Correndo adiante, subiu a um sicômoro<br /> * para vê-lo, pois ele devia passar por ali.<br /> * Quando Jesus chegou àquele lugar,<br /> * levantou os olhos<br /> * e disse a ele: Zaqueu desça depressa,<br /> * porque hoje devo hospedar-me em sua casa”.<br /> * e recebeu-o com alegria. <br /> * Ele entrou na casa de um pecador para se hospedar”.<br />
  25. 25. * Vou dar a metade dos meus bens aos pobres, <br /> Senhor.<br /> * e se prejudiquei alguém em alguma coisa,<br /> * vou devolver quatro vezes mais.<br /> * “Hoje a salvação chegou a esta casa,<br /> * porquanto também este é<br /> * o filho de Abraão. <br /> * pois o Filho do homem<br /> * veio procurar<br /> * e salvar<br /> * o que estava perdido”.<br />
  26. 26. A P A R Á B O L A D A S D E Z M O E D A S<br /> Lc 19<br /> T<br />endo eles ouvindo isto,<br /> * Jesus uma parábola acrescentou.<br /> * Pensavam que o Reino de Deus ia logo <br /> se manifestar,<br /> * então Jesus contou:<br /> “Um homem da nobreza partiu para um <br /> país distante,<br /> * a fim de receber a coroa real.<br />Ele foi em busca,<br />do seu ideal.<br />
  27. 27. * Dez moedas de ouro deu seus empregados,<br /> * para que negociam com eles até vai voltar.<br /> Mas seus companheiros o odiavam<br /> * e disseram num recado que não querem como rei <br />aceitar”.<br /> * Ao regressar, após ter recebido a coroa real,<br /> * tinha os empregados chamado,<br /> * a fim de saber,<br /> * quanto cada havia lucrado?<br />
  28. 28. Apresentou-se o primeiro e disse:<br /> * “Senhor, a sua moeda rendeu dez”.<br /> ´Muito bem, empregado bom –<br /> respondeu-lhe - esta vez,<br /> como você mereceu confiança em coisa pequena,<br /> * de dez cidades o governo vai receber´.<br /> Veio o segundo e disse:<br /> * “Senhor, sua moda chegou cinco vezes render. <br /> A este igualmente respondeu:<br /> * “Você também cinco cidades vais governar”.<br /> Chegou o outro,dizendo: <br /> “Senhor, aqui sua moeda guardei num lenço <br /> para conservar,<br /> porque tinha medo do Senhor que é homem<br /> severo;<br /> * o que não depositei vai ser tomado.<br /> * e colhe,<br /> * onde não foi semeado.<br />
  29. 29. ´Pelas suas próprias palavras eu o condeno, empregado mau´ -<br /> * respondeu-lhe ele: “Que tomo o que não depositei,<br /> * por que você sabia que sou um homem duro<br /> * e colho o que não semeei;<br /> por que então você não depositou meu dinheiro num banco?<br /> * Quando volto com juros dou ele ”.<br /> E disso aos que se achavam presentes:<br /> * ´ Tirem a moeda dele.<br /> * Dêem-na ao que tem dez´.<br /> * “Senhor, este já tem dez...´ – <br /> * responderam lhe,<br />esta vez.<br /> * ´A todo homem que tem, será dado mais, <br /> * mas a quem não tem, até o que ele tiver,<br /> * lhe será tirado,<br /> * foi dizer.<br />
  30. 30. Quanto a esses inimigos,<br /> * que não me como rei quiseram,<br /> * tragam-nos aqui para manter na<br /> minha presença (53);<br />o que eles esperam´”?<br /> Dito isto,<br /> * Jesus à frente seguiu,<br /> * a Jerusalém,<br /> * se dirigiu.<br /> =====================<br />Obs.: * Jesus acrescentou uma parábola,<br /> porque estavam perto de Jerusalém<br /> * e pensavam que o Reino de Deus ia logo<br /> se manifestar.<br /> * Disse então:<br /> * a fim de receber a coroa real e depois voltar.<br />
  31. 31. Chamou dez de seus empregados<br /> * e deu-lhes dez moedas de ouro dizendo:<br /> * “Negociem com elas até que eu volte”.<br /> * e mandaram uma comissão atrás dele com <br /> este recado:´Não o queremos como rei´.<br /> * mandou chamar os empregados aos quais<br /> dera o dinheiro,<br /> * a fim de saber,<br /> quanto cada havia lucrado.<br /> * ´Senhor, sua moeda rendeu dez´.<br /> * receba o governo de dez cidades´.<br /> * ´Senhor, sua moeda rendeu outras cinco´. <br />
  32. 32. * ´Você também vai governar cinco cidades!<br /> * ´Senhor, aqui está sua moeda; conservei-a<br /> guardada num lenço, <br /> * toma o que não depositou<br /> * e colhe<br /> * onde não semeou!<br />
  33. 33. * respondeu-lhe ele. ´Você sabia que<br /> sou homem duro,<br /> * que tomo o que não depositei<br /> * e colho o que não semeei.<br /> * Voltando, eu o receberia com juros´.<br /> * ´Tirem dele a moeda<br /> * e dêem-na ao que tem dez´.<br /> * ´Senhor, este já tem dez...´ - <br /> * responderam-lhe:<br /> * ´Eu lhes declaro que, a todo homem<br /> que tem, será dado mais, <br /> * mas a quem não tem,<br /> * até o que ele tiver,<br /> * lhe será tirado.<br />
  34. 34. * que não me quiseram como rei,<br /> * tragam-nos aqui, e matem-nos <br /> na minha presença´” (53).<br /> * Jesus seguiu a frente,<br /> * drigindo-se<br /> a Jerusalém.<br />
  35. 35. V. <br />JESUS <br />EVANGELIZA<br />JERUSALÉM<br />~~ ~~ ~~<br /> Lc 19<br />
  36. 36. J E S U S<br /> C H O R A S O B R E J E R U S A L É M<br /> Lc 19<br />
  37. 37. hegando mais perto, Jesus viu a cidade<br /> * e sobre ela chorou.<br /> * O que vai ser junto com seus moradores destruída,<br /> * Jesus avisou.<br /> * Nenhuma pedra sobre pedra,<br /> * aí deixarão,<br /> * porque você não soube reconhecer o tempo da visita <br /> de Deus”<br />e por isso vai haver uma completa destruição”.<br /> =========================<br /> C<br />
  38. 38. Obs.: * e chorou sobre ela, <br /> * dizendo: “Ah! Se ao menos neste dia <br /> você também compadece o que conduz a <br /> paz! Mas isto agora está oculto aos seus <br /> olhos... Eles a destruirão, junto com seus <br /> moradores que estiveram na cidade<br /> * e não deixarão<br /> * aí pedra sobre pedra,<br /> * porque você não soube reconhecer o<br /> tempo da visita de Deus”. <br />
  39. 39. O S T R A B A L H A D O R E S D A V I N H A<br /> Mt 20<br />
  40. 40. * orque o Reino dos Céus é semelhante,<br /> * a um fazendeiro que logo de manhã saiu para contratar,<br /> * para sua vinha trabalhadores?<br /> * Combinou com eles, que um cenário por dia eles vai pagar.<br /> Pelas nove horas, saiu também<br /> * e viu mais alguns na praça sem trabalhar.<br /> * Disse-lhes ele: ´Vão vocês também trabalhar na minha vinha´<br /> * e o que for justo eu lhes vou dar’.<br /> * Eles foram<br /> * e lá pelo meio dia e três e cinco da tarde o fazendeiro mais <br /> gente encontrou.<br /> * Passaram aqui o dia todo sem trabalhar,<br /> * ele estranhou.<br /> * Contaram que ninguém,<br /> * nos contratou<br /> * e ele o trabalho,<br /> * na vinha dele ofertou.<br />P<br />
  41. 41. Ao cair da tarde,<br /> * o dono da vinha com seu administrador foi falar:<br /> ´Chame os trabalhadores<br /> * e para eles o salário vais pagar.<br /> Comece pelos últimos<br /> * e com os primeiros vais terminar´.<br /> * Chegaram então os que começaram o serviço às <br /> cinco da tarde.<br /> * Cada um chegou um denário à ganhar<br /> e chegada a vez dos primeiros,<br /> * eles pensaram que iriam mais à receber.<br />Só daí perceberam,<br /> * que também apenas um denário vão ter.<br /> Ao recebê-lo,<br /> * começaram contra o fazendeiro reclamar,<br /> * dizendo: “Esses últimos somente uma hora,<br /> * foram trabalhar.<br />
  42. 42. * Abafou um deles que isto é injusto,<br /> * porque o dia todo debaixo do sol<br /> quente vamos trabalhar”.<br />Repare só,<br />quem uma coisa dessa vai agüentar?<br /> * Respondeu o fazendeiro:<br /> * eu não estou sendo injusto com você<br /> meu amigo.<br /> * Não combinou receber,<br /> * um denário por dia comigo?<br />
  43. 43. Pegue o que é seu e vá embora<br /> * e a este último eu quero tanto quanto a você dar.<br /> Não tenho o direito de fazer com meu dinheiro o <br /> que eu quiser?<br />Deste jeito foi se justificar.<br /> Você fica zangado porque eu sou bom?<br /> * Assim os últimos os primeiros serão<br /> * e os primeiros,<br /> * então os últimos virão “ (49).<br />Ao meu modo de entender,<br />não interessa quem mais cedo ou tarde se <br />converterão.<br />Para todos foi prometido neste caso a mesma <br />recompensa,<br />é o Reino dos Céus nossa salvação.<br />
  44. 44. Obs.: * porque o Reino dos Céus é semelhante<br /> * a um fazendeiro que logo de manha saiu para<br /> contratar<br /> * trabalhadores para sua vinha.<br /> * Combinou com eles<br /> * que pagaria um denário por dia e mandou-os <br /> para a sua vinha.<br /> * e viu mais alguns na praça sem fazer nada<br /> * e eu lhes darei o que foi justo.<br />
  45. 45. * Eles foram. <br /> * Lá pelo meio dia, como também pelas três da tarde,o<br /> fazendeiro saiu de nove e fez o mesmo.<br /> * Ao sair pelas cinco da tarde, encontrando mais<br /> gente, disse-lhes:<br /> * “Por que vocês estão aqui o dia todo, sem<br /> trabalhar?”<br /> * Porque ninguém <br /> * nos contratou´!<br /> * Disse-lhes eles:<br /> * ´Vão também vocês trabalhar na minha vinha´.<br /> * o dono da vinha falou a seu administrador:<br /> * e pague-lhes o salário.<br /> * e termine nos primeiros”.<br />
  46. 46. * Eles pensaram que iriam receber mais.<br /> começaram a reclamar contra o fazendeiro, dizendo:<br /> ´Esses últimos trabalharam apenas uma hora,<br /> * e dás a mesma quantia que a nós, que nos cansamos<br /> trabalhando<br /> o dia todo debaixo do sol quente´.<br /> * ´Meu amigo, eu não estou sendo injusto com você.<br /> * Não combinou comigo<br /> * receber um denário por dia?<br /> * A esse último eu quero dar tanto quanto a você.<br /> * Assim, os últimos serão os primeiros<br /> * e os primeiros<br /> * serão os últimos “ (49).<br />
  47. 47. T E R C E I R O A N Ú N C I O <br />D A P A I X Ã O Mt 20<br />evendo subir a Jerusalém, Jesus chamou os doze <br /> em particular<br /> * e lhes disse enquanto foram caminhar:<br /> ”Estamos subindo para Jerusalém,<br /> * onde o Filho do homem aos sumos sacerdotes e<br /> escribas vão entregar.<br /> * O terceiro anúncio que condenarão Ele à morte,<br />deixou os apóstolos apavorados <br />e além disso,<br />muito chocados.<br /> D<br />
  48. 48. * Será o entregado aos pagãos,<br /> * para ser injuriado.<br /> * Como não basta será açoitado,<br /> * e na cruz pregado.<br />Mas Jesus deu eles de novo uma <br />nova esperança,<br /> * que no terceiro dia ressuscitará”.<br />Até isso,<br />Ele fará.<br />
  49. 49. Obs.: * e lhes disse enquanto caminhavam:<br /> * onde o Filho do homem vai ser<br /> entregue aos sumos <br /> * sacerdotes e escribas,<br /> * que o condenará à morte.<br /> * e o entregarão aos pagãos<br /> * para ser jurado,<br /> * acoitado<br /> * e pregado na cruz;<br /> mas no terceiro dia, ele ressuscitará”.<br />
  50. 50. P E D I D O D A M U L H E R D E Z E B E D E U Mt 20<br /> C<br />* om os filhos,<br /> * a mulher de Zebedeu se aproximou;<br /> * para pedir um favor,<br /> * se ajoelhou.<br /> O que quer? – perguntou Jesus.<br /> * “Deixe que, no seu reino, esses meus dois <br /> filhos vão se assentar,<br /> um à sua direita e o outro à sua esquerda!”<br />Pensava que Jesus vai deixar.<br />
  51. 51. “Vocês não sabem o que estão pedindo”,<br /> * foi Jesus responder.<br /> E continuou:<br /> * “São capazes de beber o cálice que vou <br />beber?”<br /> “Podemos”, responderam<br /> * e Jesus disse: “Meu cálice vocês vão beber;<br /> mas sentar-se à minha direita ou esquerda,<br /> * não compete a mim de lhes conceder.<br /> * Esses lugares são daqueles,<br />ela orientou;<br />* para os quais,<br /> * meu Pai os preparou”.<br />
  52. 52. É M A I O R A Q U E L E Q U E S E R V E Mt 20 <br /> I<br />* rritavam-se contra os dois irmãos,<br /> * os outros dez, que tudo ouviram.<br /> Jesus, porém, os chamou disse,<br />o que eles deviam:<br /> * “Vocês sabem que os chefes,<br /> * das nações as dominam<br /> * e que os grandes,<br /> * as tiranizam.<br />
  53. 53. * Mas entre vocês,<br /> * isso não deve acontecer.<br /> Ao contrário,<br /> * entre vocês seja o servo dos outros <br /> quem grande quer ser.<br /> * Seja o escravo dos outros,<br /> * quem quiser o primeiro ou a primeira.<br /> Assim como o Filho do homem veio,<br /> não para ser servido,<br /> mas para servir e dar a vida para res-<br />gatar a multidão inteira”.<br />
  54. 54. Obs.: * Os outros dez, que tudo ouviram,<br /> * irritavam-se contra os dois irmãos.<br /> * “Vocês sabem que os chefes<br /> * das nações os dominam<br /> * e que os grandes<br /> * as tiranizam. <br /> * Mas entre vocês<br /> * Não deve acontecer isso.<br /> * quem quiser grande entre vocês, <br /> seja o servo dos outros.<br /> * e quem quiser o primeiro,<br /> * seja o escravo dos outros.<br />
  55. 55. O S C E G O S D E J E R I C Ó Mt 20<br /> D<br />* ois cegos que sabiam perfeitamente,<br /> * que Jesus vai pelo este caminho <br /> passar;<br /> * estavam ali sentados<br /> * e puseram-se a gritar:<br /> “Senhor, Filho de Davi,<br /> * tem conosco compaixão!”<br /> * Mas quem mandou que se calassem,<br /> * foi exatamente a multidão.<br />
  56. 56. * Mas eles gritaram isso ainda mais alto<br /> * e parou para perguntar: <br /> “Que querem que eu faça?”<br />A cegueira tanto foi incomodar.<br /> * “Senhor, que os nossos olhos se<br /> abram, responderam”.<br /> * Cheio de compaixão tocou em seus<br /> olho<br /> * e logo a vista recuperaram.<br />Os dois ficaram com gratidão<br /> * e puseram-se a seguir.<br />Para eles valeu a pena,<br />com seus pedidos a insistir.<br />
  57. 57. Obs.:Enquanto saiam de Jericó, uma grande multidão o <br /> seguiu.<br /> * Dois cegos estavam sentados à beira do caminho. <br /> * ao saberem <br /> * que Jesus estava passando,<br /> * puseram-se a gritar:<br /> * tem compaixão de nós!”<br /> * A multidão, porém, os respondeu,<br /> * mandando que se calassem;<br /> * mas eles gritavam ainda mais alto: <br /> “Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de nós!”<br /> * Jesus parou e, chamando-os, perguntou: <br /> * “Senhor, que os nossos olhos se abram”, <br /> responderam.<br /> * Cheio de compaixão, Jesus tocou em seus olhos<br /> * e logo recuperaram a vista.<br /> * e puseram-se a segui-lo.<br />
  58. 58. ENTRADA TRIUNFAL EM<br />JERUSALÉM<br />Mt 21<br />
  59. 59. E<br />sta história é incrível, <br />porque isto? <br />quem tem antes disso,<br />já uma coisa dessa visto?<br />A entrada de Jesus nesta<br />cidade,<br />era tão especial.<br />Nunca havia até lá,<br />nada igual!<br />
  60. 60. Pode ter gente pensando:<br /> “Não acredito!”<br />Mas o que puderam ver <br />com os próprios olhos,<br /> * foi pelo profeta dito (50).<br />Jesus era bem diferente <br />do que esperavam<br /> * e junto das Oliveiras uma <br /> jumenta com um jumentinho em-<br /> prestado montou.<br />Como já diz o titulo:<br />Triunfal em Jerusalémentrou.<br />
  61. 61. * As multidões que tem à frente e os que seguiram atrás <br /> começaram a gritar: “Viva Deus no mais alto dos céus o <br /> Filho de Davi!”<br /> * Bendito o que vem em nome do Senhor!<br />Eram os mesmos,<br />que causaram Ele depois tanta dor!<br /> * Quando Jesus,<br /> * em Jerusalém entrou,<br /> * a cidade toda,<br /> * se agitou. <br />
  62. 62. * “Quem é este?”<br /> * O povo começou perguntar.<br /> * E as multidões respondiam; “Este é o<br /> profeta Jesus, de Nazaré da Galiléia”,<br />que acabou a chegar”.<br /> * Alguns dos fariseus do meio da multidão,<br /> * foram-lhe disser:<br /> “Mestre, repreende teus discípulos!”<br /> * Mas Jesus lhes foi responder:<br />
  63. 63. “Eu lhes digo que,<br /> * caso que eles se calarão,<br /> * até as pedras,<br /> * gritarão”.<br />Contudo queria nos <br />mostrar, <br />que humilde como Ele <br />devemos ser.<br />Mas quem nem liga para<br />isso não adianta, <br />no final da sua vida vai <br />mesmo descer.<br />
  64. 64. Obs.: * O primeiro verso <br /> * e as duas primeiras linhas do segundo verso<br /> são um resumo do trecho do inicio deste capitulo.<br /> * Isso aconteceu para que se cumprisse o que disse o profeta <br />(50).<br /> Quando se aproximaram de Jerusalém e chegaram a Betfagé,<br /> junto ao monte das Oliveiras, Jesus mandou dois discípulos, <br /> dizendo-lhes: “Vão até aquela aldeia que está ali diante, e<br /> vocês encontrarão logo uma jumenta amarrada e com ele a um<br /> jumentinho. <br /> Soltem-nos e tragam-nos para mim. E se alguém perguntar<br /> alguma coisa, respondam que o Senhor está precisando deles,<br /> mas os devolverá quanto antes”. <br /> A numerosa multidão começou a cobrir o caminho com<br /> suas vestes; outros cortavam ramos das árvores e os<br /> espalhavam por onde ele ia passar.<br />
  65. 65. * As multidões que iam à frente e os que seguiam atrás <br /> começaram a gritar:<br /> * “Viva o Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do<br /> Senhor! <br /> * Quando Jesus<br /> * entrou em Jerusalém,<br /> * a cidade toda<br /> * se agitou.<br />
  66. 66. * e o povo começou a perguntar:<br /> * “Quem é este?”<br /> * e as multidões responderam: “Este <br /> é o profeta Jesus, de Nazaré da Galiléia”.<br /> * Alguns dos fariseus<br /> * disseram-lhe do meio da multidão:<br /> * Mas Jesus lhes respondeu:<br /> * Eu lhes digo que se eles calarem,<br /> * as pedras<br /> * gritarão.<br />
  67. 67. J E S U S<br /> E X P U L S A D O T E M P L O O S C O M E R C I A N T E S <br />* s que estavam vendendo e comprando num Templo onde <br /> Jesus entrou,<br />não queriam o respeitar.<br />Deu bronca minha gente!<br /> * Jesus conseguiu todos espantar.<br /> * Não sei quantas mesas e cadeiras dos cambistas e vendedores<br /> de pombas,<br /> * foram por Ele derrubadas neste lugar sagrado de orações.<br /> * Sem vergonha na cara profanaram a casa de Deus, <br /> * num esconderijo de ladrões!”(51).<br /> O<br /> Mt 21<br />
  68. 68. Obs.: * Entrou Jesus no Templo <br /> * e expulsou de lá <br /> * os que estavam vendendo e comprando; <br /> * derrubou as mesas dos cambistas e as <br /> cadeiras dos que vendiam pombas.<br /> * E disse: “Está escrito na Bíblia: minha<br /> casa deve ser um lugar de oração,<br /> * mas vocês a transformaram num es-<br /> conderijo de ladrões!” (51).<br />
  69. 69. O L O U V O R D A S C R I A N Ç A S <br /> Mt 21<br /> N<br />* o Templo, cegos e coxos,<br /> * dele se aproximaram.<br /> * Ele os curou<br /> * e os sumos sacerdotes e escribas <br /> indignados ficaram,<br /> vendo os milagres que fazia<br /> * e as crianças que no Templo gritaram:<br /> “Viva o Filho de Davi!”<br /> * e a Jesus perguntaram:<br />
  70. 70. “Estas ouvindo o que dizem?”<br /> “Sim”. respondeu Jesus com rigor.<br /> “Nunca leram na Bíblia que da boca das crianças<br /> * e dos que ainda mama obtiveste o teu louvor?” (52).<br /> Depois saiu da cidade<br /> * e os deixou.<br /> * Foi para Betânia,<br /> * onde a noite passou.<br />
  71. 71. Obs.: * Aproximaram-se dele no Templo,<br /> * cegos e coxos<br /> * e ele os curou.<br /> * Os sumos sacerdotes e escribas,<br /> * e as crianças que gritavam no Templo:<br /> ficaram indignados<br /> * e perguntaram a Jesus:<br /> * “Nunca leram na Bíblia que da boca<br />* das crianças e dos que ainda mamam o obtiveste <br /> o teu louvor?” ( 52 )<br /> * Depois deixou-os,<br /> * saiu da cidade<br /> * e foi para Betânia,<br /> * onde passou a noite.<br />
  72. 72. M A L D I Ç Ã O D A F I G U E I R A<br /> A<br /> * o voltar à cidade de manhã,<br /> * a fome atacou.<br /> E vendo uma figueira à beira do caminho,<br /> * só folhas encontrou.<br /> * Nunca mais,<br /> * frutos vai dar!”<br /> * E a figueira na mesma hora,<br /> * começou a secar (53).<br /> =========================<br />Obs.: * De manhã, ao volta à cidade,<br /> * sentiu fome.<br /> * Foi até ela, mas só encontrou folhas.<br /> * Nunca mais<br /> * frutos vai dar!”<br /> * E a figueira na mesma hora<br /> começou a secar (53).<br /> Mt 21<br />
  73. 73. O P O D E R D A F É<br /> O<br />* s discípulos que ficaram admirados vendo isso,<br /> * começaram exclamar:<br /> * “Como é possível,<br /> que a figueira de repente chegou secar?”<br /> Respondendo, disse-lhes Jesus:<br /> * “Com toda certeza afirmo que acontecerá,<br /> * se vocês não duvidarem, farão não só o que fiz com <br /> a figueira,<br /> * também este monte se mechará.<br />Mt 21<br />
  74. 74. * Bastará a ele somente dizer:<br /> * “Sai daqui e lança-te ao mar”.<br /> E tudo quanto pediram com<br /> fé na oração,<br /> * eu vou dar.<br />Estava afirmando,<br />que a fé move montanhas.<br />Se oras com fé,<br />então tu ganhas!<br />
  75. 75. Obs.: * Vendo isso, os discípulos ficaram admirados<br /> e exclamaram:<br /> * “Como a figueira<br /> * secou de repente?”<br /> * Eu lhes afirmo com toda certeza:<br /> * “Se vocês tiveram fé e não duvidarem,<br /> farão não só o que eu fiz com a figueira,<br /> * mas até mesmo se disseram a este monte: <br /> * ´sai daqui e lança-te no mar´, isso acontecerá.<br /> * hão de receber”.<br />
  76. 76. A A U T O R I D A D E D E J E S U S <br /> Mt 21<br /> J<br />* esus entrou no Templo<br /> * e começou a ensinar.<br /> Aí chegaram os sumos sacerdotes e os anciãos<br /> do povo,<br /> * que resolveram perguntar:<br /> ”Com que direito você faz estas coisas?<br /> * Quem lhe deu para isso autorização?”<br /> * Jesus também fez uma pergunta:<br /> * “De onde vinha o batismo de João?<br />
  77. 77. * Será do céu ou dos homens?” <br /> * Começaram entre eles refletir.<br />O resultado foi que repararam,<br /> * que nenhumas resposta deles <br /> chegaria servir.<br /> * E Jesus depois,<br /> * por sua vez falou:<br /> * “Com que direito faço estas coisas,<br /> * pois eu também dizer não vou ”.<br />
  78. 78. Obs.: * Entrando no Templo,<br /> * começou a ensinar.<br /> * perguntando:<br /> * Quem lhe deu autorização para isto?”<br /> * Em resposta, Jesus lhes disse:<br /> Eu também vou lhes fazer uma pergunta e, <br /> se me responderam, vou dizer com que <br /> direito faça estas coisas.<br /> * De onde vinha o batismo de João;<br />
  79. 79. * do céu ou dos homens?”<br /> * Começaram a refletir entre eles.<br /> Se dissermos que é do céu, ele nos dirá:<br /> ´Então, por que não creram nele?´ Se <br /> dissermos que é dos homens, termos medo <br /> do povo, porque todos consideram João <br /> como profeta”.<br /> * Por isso, responderam: “Não sabemos”.<br /> * E Jesus,<br /> * Por sua vez disse:<br /> * Pois eu também não vou dizer<br /> * com que direito faço estas coisas”.<br />
  80. 80. ( 54 )<br /> O S D O I S F I L H O S<br />ue vocês odeiam disto?<br /> * Um homem que tinha dois filhos começou <br /> o primeiro avisar:<br /> * “Filho, vá hoje na vinha trabalhar”.<br /> * O primeiro não queria logo, achou depois <br /> que seria melhor se empenhar.<br /> * O segundo falou a mesma coisa<br /> * e este respondeu: “ Sim, Senhor, eu iria”.<br /> * Mas não foi,<br />porque não queria.<br /> Q<br /> Mt 21<br />
  81. 81. Qual dos dois fez a vontade do pai?”<br /> * “O primeiro” foi lhe responder.<br /> * E Jesus afirmou com toda certeza:<br /> * Os publicanos e meretrizes a vocês <br /> no Reino de Deus chegaram preceder.<br /> * Porque João veio, indicando o ca-<br /> minho de Deus,<br /> * e vocês nele não creram;<br /> * E vocês, nem vendo isto,<br /> * para crerem nele se arrependeram.<br />
  82. 82. Obs.: * Um homem tinha dois filhos.<br /> Dirigindo-se ao primeiro, disse-lhe:<br /> * “Filho, vá hoje trabalhar na vinha”.<br /> * O filho respondeu: ´Não quero´. Mas depois, <br /> refletindo melhor foi trabalhar.<br /> * Dirigindo-se ao segundo, falou a mesma coisa.<br /> * Este respondeu:”Eu irei, sim Senhor”.<br /> * Mas não foi.<br />
  83. 83. * Responderarm-lhe: “O primeiro”.<br /> Então Jesus lhes disse:<br /> * “Eu lhes afirmo com toda certeza:<br /> * Os publicanos e os meretrizes<br /> precedem a vocês no Reino de Deus.<br /> * Porque João veio, indicou o ca-<br /> minho de Deus<br /> * e vocês não creram nele,<br /> ao passo que os publicanos e <br /> as meretrizes creram nele.<br /> * E vocês, nem vendo isto<br /> * se arrependeram para crerem nele”.<br />
  84. 84. O S L A V R A D O R E S H O M I C I D A S<br /> ( 55 )<br /> O<br />uçam mais uma parábola:<br /> * Um fazendeiro uma vinha plantou.<br /> * Rodeou-a com cerca onde nela um lugar construiu.<br /> * Depois que ergueu uma terra de vigia e arrendou-a uns <br /> lavradores viajou.<br /> * Mandou seus empregados para receberem dos lavrado-<br /> res a parte deles, <br /> * quando o tempo da colheita chegou.<br />Mas por causa disso,<br />a maldade deles se manifestou.<br /> Mt 21<br />
  85. 85. * Estes, porém, agarraram os empregados, bateram num, <br /> * e outro mataram.<br />Estiveram tão enfurecidos,<br /> * que o outro apedrejavam.<br /> O fazendeiro mandou novamente outros empregados,<br /> * em número que da primeira vez maior,<br /> mas eles os tratavam do mesmo modo,<br />como anterior.<br />
  86. 86. * Finalmente enviou Mt 21 – 22 seu próprio filho<br /> * e pensou que vão respeitar.<br /> * Os lavradores com olhos grandes,<br /> * queriam o herdeiro matar para poderiam com sua herança ficar.<br />Realmente isto com ele fizeram<br /> * e o dono da vinha com esses lavradores na volta, o que fará?<br /> “Vai punir com uma morte terrível esses criminosos<br /> * e a vinha a outros lavradores que dão os frutos no tempo certo a <br />arrendará”.<br />
  87. 87. Jesus disse-lhes então:<br /> “Vocês nunca leram na Bíblia estas palavras se for:<br />A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra<br /> principal;<br /> * e admirável aos nossos olhos é esta obra do Senhor ? (56).<br /> Por isso, eu lhes afirmo:<br /> * o Reino de Deus seria de vocês tirado<br /> * e a um povo que o fará produzir,<br /> * seus frutos será dado”(57).<br />
  88. 88. Ouvindo isto,<br /> * os sumos sacerdotes e os fariseus chegaram <br />entender,<br /> * que Jesus se referia a eles<br /> * foi a gota da água e procuraram ele prender.<br /> * Somente tinham medo do povo,<br /> * que como profeta considerava,<br />e por esta razão,<br />esta intenção não realizava.<br />
  89. 89. Obs.: * Um fazendeiro plantou uma vinha.<br /> * Rodeou-a com certeza, construiu nela um lugar e<br /> ergueu uma torre de vigia.<br /> * Arrendou-a a uns lavradores e depois viajou para<br /> longe.<br /> * Quando chegou o tempo da colheita,<br /> * mandou seus empregados para receberem dos <br /> lavradores a parte que lhe pertencia. <br /> * Estes, porém, agarraram os empregados, bateram<br /> num,<br /> * mataram outro,<br /> * e apedrejavam o outro.<br /> * em número maior que da primeira vez,<br />
  90. 90. * Finalmente enviou Mt 21 – 22 seu próprio filho, pensando:<br /> * “A meu filho eles vão respeitar”.<br /> * Os lavradores entretanto, quando viram o filho, disseram uns<br /> aos outros:<br /> * “E o herdeiro, vamos matá-lo e ficaremos com sua herança.<br /> * Então agarraram-no, arrastaram-no para fora da vinha e o<br /> mataram.<br /> E quando o dono da vinha voltar, que fará com esses <br /> lavradores?” <br /> * Responderam eles: “Vai partir com uma morte terrível esses<br /> criminosos<br /> e arrendará a vinha a outros lavradores, que lhe entreguem os<br /> frutos no tempo certo”.<br />
  91. 91. * isto é obra do Senhor,<br /> * e é admirável aos nossos olhos? (56).<br /> * o Reino de Deus será tirado de vocês<br /> * e será dado a um povo que o fará<br /> * produzir seus frutos” (57).<br /> * Os sumos sacerdotes e os fariseus <br /> entenderam<br /> * que Jesus se referia a eles.<br /> * Procuravam prendê-lo,<br /> * mas tinham medo do povo,<br /> * que o considerava como profeta.<br />
  92. 92. A O F E R T A D A V I Ú V A<br />evantando os olhos,<br /> * Jesus viu gente rica depositando,<br /> * no cofre do Templo suas ofertas<br /> * e também uma pobre viúva ali duas moedas <br />colocando.<br /> * E disse então:<br /> * “Eu lhes digo em verdade:<br /> * Esta pobre viúva deu mais que todos os outros,<br />com muita generosidade. <br /> L<br /> Mt 21<br />
  93. 93. * Pois todos esses,<br /> * tiraram o que tinham de sobra para <br /> podem a Deus ofertar,<br /> mas esta, na sua prenuncia,<br /> * tudo o que tinha para sobreviver <br /> foi entregar.<br />Mas não acredite,<br />que poderias ser mais generoso do <br />que Deus para ajudar.<br />Ele se deixa em nada<br />e por ninguém ultrapassar.<br />
  94. 94. Obs.: * Jesus viu gente rica depositando<br /> * no cofre do Templo suas ofertas.<br /> * Viu também uma pobre viúva colocando ali<br /> duas moedas pequeninhas<br /> * e disse então:<br /> * Eu lhes digo em verdade:<br /> * Esta pobre viúva deu mais que todos os <br /> outros.<br /> * Pois todos esses<br /> * tiraram para dar a Deus o que tinham de sobra,<br /> * deu tudo o que tinha para sobreviver”.<br />
  95. 95. R U I N A D E J E R U S A L É M<br /> Lc 21<br />uando vocês virem Jerusalém,<br /> * de exércitos cercada,<br /> saibam que sua ruína está iminente<br />e tudo estará arrasada.<br /> Então, os que se acharem na Judéia<br /> fujam para os montes;<br /> * quem estiver dentro da cidade preciso<br />retirar,<br /> e os que se acharem nos campos,<br /> * não podem para a cidade voltar.<br /> Q<br />
  96. 96. Porque estes serão dias de castigo,<br /> * para que se cumprir tudo quanto foi na<br /> Bíblia escrito.<br /> * Aí das mulheres grávidas ou amamentando<br /> naqueles dias!<br />Tudo isso era para este povo previsto.<br /> * Também haverá, com efeito, grande<br /> calamidade na terra<br /> e flagelos contra este povo acontecerão.<br /> Cairão ao fio da espada<br /> * e levados cativos para todas as nações<br /> serão.<br />
  97. 97. * Aos pés pelos pagãos,<br /> * Jerusalém será calada,<br /> * até se completarem os tempos <br /> nas nações, <br />onde vai sobrar quase mais<br />nada.<br /> ===================<br />Obs.: * cercada de exércitos,<br /> * quem estiver dentro da cidade,<br /> retire-se;<br /> * não voltem para a cidade.<br />
  98. 98. * para se cumprir tudo quanto foi <br /> escrito na Bíblia.<br /> * Aí das mulheres que naqueles dias <br /> estiverem grávidas ou amamentando!<br /> * Haverá, com efeito, grande calamidade na<br /> terra<br /> * e serão levados cativos para todas as<br /> nações,<br /> * e Jerusalém será colocada<br /> * aos pés pelos pagãos,<br /> * até se completarem os tempos nas nações.<br />
  99. 99. O S Ú L T I M O S D I A S D E <br />J E S U S Lc 21 - 22<br /> D<br />urante o dia,<br /> * Jesus no Templo ensinava,<br /> * mas as noites ao relento,<br /> * no monte “das Oliveiras” passava.<br /> * E todo o povo,<br /> * cedo se levantou,<br /> * para ir ouvi-lo no Templo,<br />onde se encontrou.<br /> =======================<br />
  100. 100. Obs.: * Jesus ensinava no Templo,<br /> * mas passava as noites ao relento.<br /> * na monte chamada “das Oliveiras”.<br /> * E todo o povo<br /> * se levantava cedo<br /> para ir ouvi-lo no Templo.<br />
  101. 101. O S C O N V I D A D O S D O<br /> B A N Q U E T E <br /> ( 58 )<br /> Mt 22<br />oltando a ensinar em parábolas, Jesus disse:<br /> * “O Reino dos Céus é como um rei que fez um banquete para <br />festejar,<br /> * o casamento de seu filho”<br /> * e mandou novamente outros empregados as pessoas para a<br /> festa convidar.<br /> * Digam aos convidados,<br /> * que meu banquete já preparei.<br /> * Tudo está pronto,<br /> * Bois e animais cavados por isso matei.<br /> V<br />
  102. 102. Venham para a festa!<br /> * Mas eles não queriam participar.<br /> e saíram,<br /> um para seu sitio, o outro para poder seus negócios tratar;<br /> * os demais,<br /> * pegaram os empregados.<br /> * Depois de os insultaram vão nos matar.<br /> * Para acabar com aqueles assassinos, o rei furioso enviou <br /> seus soldados.<br />
  103. 103. * A cidade deles,<br /> * sem faltaincendiou;<br /> o banquete está pronto,<br /> mas os convidados não foram dignos dele <br />constatou.<br /> * Saiam, pois, pelas esquinas das ruas,<br /> * para convidar,<br /> * todos para o banquete,<br /> * que vocês vão encontrar”.<br /> * Saíram pelas ruas,<br /> * os empregados<br /> e reuniram todos os que encontraram, maus e bons,<br /> * e a sala do banquete ficou cheio de convidados.<br />Certo é:<br />Aquele que um convite do Senhor rejeitará,<br />deveria se lembrar antes,<br />que prejuízo ele mesmo ganhará!<br />
  104. 104. Obs.: * “O Reino dos Céus é como um rei que fez um banquete para <br /> festejar,<br /> * o casamento de seu filho.<br /> * Mandou novamente outros empregados, com esta ordem: <br /> * ‘Digam aos convidados,<br /> * que já preparei o meu banquete.<br /> * Matei bois e animais cevados.<br /> * Tudo está pronto. <br /> * Venham para a festa!’<br /> * Eles, porém, fizeram pouco caso<br /> * um para seu sitio, outro para r seus negócios ;<br /> * os demais,<br /> * pegaram os empregados e,<br /> * depois de os insultarem, mataram-nos.<br /> * O rei ao saber disso, ficou furioso e enviou seus soldados.<br />para acabar com aqueles assassinos<br />
  105. 105. * e incendiar<br /> * a cidade deles.<br /> Disse em seguida aos empregados:<br /> * ‘o banquete está pronto,<br /> mas os convidados não foram dignos dele.<br /> * Saiam, pois, pelas esquinas das ruas<br /> * e convidem<br /> * para o banquete<br /> * todos que vocês encontrarem’.<br /> * Os empregados<br /> * saíram pelas ruas<br /> * e a sala do banquete fiou cheia de convidados.<br />
  106. 106. A V E S T E N U P C I A L Mt 22<br /> P<br /> * ara ver os que estavam à mesa,<br /> * o rei viu lá um homem vestido inadequado<br /> para um casamento.<br />Achou ridículo,<br />seu comportamento.<br /> Perguntou-lhe:<br /> * ´Amigo, como foi que deste jeito aqui entrou?´<br /> Ele, porém,<br /> * calado ficou.<br />
  107. 107. “Amarrem os pés e as mãos dele,<br /> * e joguem-no lá fora na escuridão.<br /> Lá ele há de chorar, rangendo os dentes´, <br />onde não tem mais nenhuma salvação.<br /> * Pois muitos são os chamados,<br /> * mas poucos os escolhidos”,<br />que serão aqueles que tinham os mandamentos <br />seguidos.<br />
  108. 108. Obs.: * O rei entrou para ver os que estavam à mesa,<br /> * e viu lá um homem que não trajava roupas adequada <br /> para casamento <br /> * ´Amigo, como foi que entrou aqui, sem a roupa de<br /> casamento?´<br /> * ficou calado.<br /> * e joguem-no lá fora na escuridão.<br /> * Pois muitos<br /> * são os chamados,<br /> * mas poucos os escolhidos”.<br />
  109. 109. O I M P O S T O D E V I D O A C É S A R<br /> Mt 22<br /> E<br />* ntão os fariseus se reuniram,<br /> * para planejar,<br /> * como podem apanhá-lo em alguma palavra (59),<br />estavam pronto para-lhe acusar.<br /> * Enviaram-lhe seus discípulos com alguns herodianos,<br /> que lhe disseram: “Mestre que és sincero já fomos saber<br /> e ensinas com franqueza o caminho de Deus, sem dar <br /> preferência a ninguém,<br />chegaram perceber.<br />
  110. 110. * Pois, não julgas as pessoas pela aparência<br /> * e dize-nos, então, o que te parece será permitido,<br /> pagar imposto a César ou não?”<br /> * Jesus, portanto, tinha a malicia deles percebido.<br />e respondeu: “Hipócrita!<br /> * Por que estão querendo me tentar?<br /> * Mostrem-me a moeda,<br /> * que se usa para poder o imposto pagar”. <br />
  111. 111. Jesus ensinou eles que também uma cobrança <br />do Templo<br />e o imposto de César deve ser dado.<br /> * Um denário,<br /> * foi lhe apresentado.<br /> Disse ele: “De quem é a figueira<br /> * e desta moeda a inscrição?”<br /> * Quando “de César” responderam, Jesus mandou<br /> devolver a César o que é dele,<br />sem exceção.<br /> * Mas dêem a Deus o que é de Deus”,<br />porque cada um tem seus direitos!<br /> * Ouvindo esta resposta, foram ir embora,<br /> * ficaram maravilhados e satisfeitos<br />
  112. 112. Obs.: * Então se reuniram os fariseus<br /> * e fizeram um plano,<br /> * para apanhá-lo em alguma palavra (59).<br /> * Enviaram-lhe, pois, seus discípulos com alguns<br /> herodianos,<br /> * sem dar preferência a ninguém <br /> * pois não julgas as pessoas pelas aparências.<br /> * “Dize-nos, então, o que te parece: é permitido<br /> * Jesus,porém, percebendo a malicia deles,<br /> * Por que estão querendo me tentar? <br /> * Mostrem-me a moeda<br /> * com que e paga o imposto”.<br />
  113. 113. * Apresentaram-lhe<br /> * um denário.<br /> * e a inscrição desta moeda?”<br /> * E Jesus concluiu: “Devolvem a César o que <br /> dele, <br /> * mas dêem a Deus o que é de Deus”.<br /> * Ouvindo esta resposta ficaram maravilhados e,<br /> * deixando-o, foram-se embora.<br />
  114. 114. O S S A D U C E U S E A R E S S U R R E I Ç Ã O<br /> Mt 22<br /> A<br />* proximaram-se dele alguns saduceus naquele dia,<br /> * que na ressurreição não quiseram acreditar.<br /> * Interrogaram ele: “Mestre, Moisés disse: Se alguém<br /> morre sem ter filhos,<br /> * deve-se seu irmão com a viúva casar.<br /> * Isto para dar filhos ao irão morto (60) <br /> * e dos sete irmãos que moravam aqui, o mais velho<br /> casou-se a parir daí.<br />Não tinha sorte,<br />porque partiu desta terra aqui.<br />
  115. 115. * Sem filhos deixou a viúva,<br /> para o irmão quando morreu,<br /> * O mesmo aconteceu com o segundo, com o <br /> terceiro, até o último<br /> * e ao final a mulher também faleceu.<br /> No dia da ressurreição,<br /> * de qual dos sete ela será?<br /> Pois todos se casaram com ela...”<br />Jesus notou que isso nenhum deles sem sua <br />explicação entenderá.<br />
  116. 116. Jesus respondeu-lhes:<br /> * “Vocês estão enganados!<br /> Não compreendem a mensagem da Bíblia e o poder de Deus.<br /> * Porque, homens e mulheres não se casarão na vida de<br />ressuscitados;<br /> * serão como os anjos no céu<br /> * e a respeito da ressurreição dos mortos não leram na Bíblia o <br /> que Deus falou:<br /> * O Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó,<br /> * Eu sou?(61)<br /> Ele não é Deus de mortos,<br /> * mas de vivos”, puderam ouvir.<br /> * As multidões ficaram admiradas com sua doutrina,<br />que na vida deles antes não existir.<br />
  117. 117. Obs.: * Naquele dia, aproximaram-se dele alguns saduceus,<br /> * que não acreditavam na ressurreição,<br /> * e o interrogaram: “Mestre, Moisés disse: Se alguém morrer<br /> sem deixar filhos,<br /> * seu irmão deve casar-se com a cunhada viúva,<br /> * para dar filhos ao irmão morto (60).<br /> * Ora, aqui moravam sete irmãos. O mais velho casou-se,<br /> * mas morrendo,<br /> * sem filhos, deixou a viúva para o irmão.<br /> * O mesmo aconteceu com o segundo, com o terceiro, até o <br /> último. <br /> * Por último, morreu também a mulher.<br /> * de qual dos sete ela será esposa? <br />
  118. 118. * “Vocês estão enganados!<br /> * Porque na vida de ressuscitados, homens e <br /> mulheres não se casarão;<br /> * serão como os anjos do céu.<br /> * E a respeito da ressurreição dos mortos, não leram<br /> na Bíblia o que Deus falou:<br />* Eu sou<br /> * O Deus de Abraão, o Deus de Isaac, e o Deus de<br /> Jacó? (61)<br /> * Mas de vivos”. Ao ouvir isso,<br /> * As multidões ficaram admiradas com sua doutrina.<br />
  119. 119. O M A I O R M A N D A M E N T O Mt 22 <br /> Q<br />* uando os fariseus ficaram sabendo,<br /> * que João fez os saduceus calar,<br /> formaram um grupo<br /> * e chegaram-no rodear.<br /> * E um deles, doutor da Lei, perguntou Ele,<br /> * para conseguir em dificuldades colocar.<br />Por isso foi depois,<br />uma resposta aguardar.<br />
  120. 120. “Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?”<br />Perguntou este de repente:<br /> * Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu <br /> coração,<br /> * de toda alma e com a tua mente (62);<br /> * este é o maior e o primeiro dos mandamentos<br /> * e o segundo é semelhante ao primeiro:<br /> * Amarás o teu próximo como a ti mesmo (63),<br />dizia o mensageiro.<br />
  121. 121. * Destes dois mandamentos,<br /> * toda a lei e os Profetas dependem”.<br />Infelizmente não são poucos,<br />que isso não compreendem.<br /> ========================= <br />Obs.: * Quando os fariseus ficaram sabendo<br /> * que Jesus fizera calar os saduceus,<br /> * e rodearam-no.<br /> * E um deles, doutor da Lei, perguntou-lhe,<br /> * para colocá-lo em dificuldade:<br />
  122. 122. Jesus respondeu: <br />* “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu <br /> coração,<br /> * de toda alma e com toda a tua mente<br /> (62);<br /> * este é o maior e o primeiro dos<br /> mandamentos.<br /> * E o segundo é semelhante ao primeiro:<br />* “Amarás o teu próximo como a ti mesmo<br /> (63).<br /> * Destes dois mandamentos<br /> * Dependem toda a Lei e os Profetas”.<br />
  123. 123. O M E S S I A S, F I L H O D E D A V I Mt 22<br /> J<br /> J<br />* esus perguntou os fariseus reunidos <br /> que acham a respeito do Messias?<br /> * “Ele é o filho de quem?”<br /> “Filho de Davi”,<br /> responderam porém.<br /> “Mas como é que Davi,<br /> * inspirado pelo Espírito Santo,<br /> * o chama de Senhor, dizendo,<br />para seu encanto:<br />
  124. 124. * “O Senhor disse ao meu Senhor:<br /> * à minha direita vais te sentar,<br /> * até que eu os teus inimigos,<br /> * debaixo dos teus pés vai ponhar?<br />(64).<br /> Se Davi o chama do Senhor,<br /> * como Mt 22 - 23 pode ser filho seu?”<br /> * E por ser não capaz,<br /> * ninguém uma resposta lhe deu. <br />
  125. 125. Daí em diante,<br /> * para lhe perguntar ninguém mais teve <br />coragem.<br />Provavelmente ficaram perplexo,<br />com esta mensagem.<br /> ========================<br />Obs.: * Estando os fariseus reunidos, Jesus lhes <br /> perguntou:<br /> “Que acham vocês a respeito de Messias?<br /> * Ele é o filho de quem?”<br /> * E Jesus continuou: <br /> * inspirado pelo Espírito Santo,<br />
  126. 126. * “O Senhor disse ao meu Senhor:<br /> * senta-se à minha direita,<br /> * até que eu ponha<br /> * os teus inimigos debaixo dos teus pés? (64).<br /> * como Mt 22 – 23 pode ser seu filho?<br /> * E ninguém foi capaz<br /> * de dar-lhe uma resposta. <br /> * ninguém mais teve coragem de lhe fazer <br /> perguntas.<br />
  127. 127. I N S T U I Ç Ã O D A E U C A R I S T I A <br /> Lc 22<br />epois, tomando um pão,<br /> * graças a Deus foi dando.<br />Seu amor a nós levou Ele,<br />Completamente se entregando.<br />Na hora que partiu-o deu a eles, <br /> dizendo:<br /> * “Isto é o meu corpo que é dado <br /> por vocês;<br /> * façam isto para celebrar,<br /> a minha memória cada vez”.<br /> D<br />
  128. 128. * Do mesmo modo passou lhes o cálice e <br /> dizendo,<br /> * depois de haver ceado:<br /> “Este cálice é a Nova Aliança em meu <br /> sangue,<br /> * que é por vocês derramado (66).<br />
  129. 129. Obs.: * E dando graças a Deus,<br /> * “Isto é o meu corpo, que é<br /> dado por vocês;<br /> * façam isto para celebrar <br /> * Do mesmo modo,<br /> * depois de haver ceado, passou-lhes<br /> o cálice, dizendo:<br /> * que é derramado por vocês (66).<br />
  130. 130. A U T O R I D A D E É S E R V I Ç O Lc 22<br /> P<br />* ara saber qual deles seria o maior,<br /> * surgiu também uma discussão entre destes Senhores.<br /> Jesus lhes disse: “Os reis das nações os dominam<br /> * e os que exercem autoridade sobre elas são chamados <br />benfeitores.<br /> * Jesus pregou,<br /> * a igualdade nesta instancia.<br />Para Ele o menor tem como o maior, <br />a mesmo importância.<br />
  131. 131. * Vocês são os que perseveraram comigo nas minhas<br /> provações<br /> * e por isso vou lhes o reino entregar,<br /> * assim como meu Pai me entregou<br />e foi acrescentar;<br /> para que vocês comam e bebam à minha mesa no meu<br /> reino,<br /> * onde vão se sentar,<br /> * sobre tronos,<br /> * para os doze tribos de Israel a julgar.<br />
  132. 132. Obs.: * Surgiu também entre deles uma discussão<br /> * para saber qual deles seria o maior.<br /> * e o que exercem autoridade sobre elas são <br /> chamadas benfeitores. <br /> * Mas entre vocês deve ser assim, ao contrário,<br /> * o maior entre vocês<br /> * se torne igual ao menor.<br /> * Vocês são os que perseveraram comigo nas<br /> minhas provações.<br /> * e Por isso, vou entregar-lhes o reino,<br /> * assim como meu Pai me entregou,<br /> * se sentem<br /> * sobre tronos<br /> * para julgar as doze tribos de Israel.<br />
  133. 133. I N S U L T O S A<br /> J E S U S<br /> O<br />s homens que guardavam Jesus,<br /> * zombavam dele e o espancavam;<br /> cobriam-lhe o rosto<br /> * e perguntavam:<br /> “Advinha!<br /> * quem é que te bateu?”<br /> * E diziam muitos outros insultos contra Ele;<br />tanto nas mãos deles sofreu.<br /> =================<br /> Lc 22 - 23<br />
  134. 134. Obs.: * zombavam dele e o<br /> espancavam;<br /> * e perguntavam:<br /> * quem é que te bateu?” <br /> * E diziam muitos outros<br /> insultos contra ele;<br />
  135. 135. P R O C E S S O D I A N T E D O S I N É D R I O Lc 22 - 23<br /> Q<br />uando amanheceu,<br /> * reuniu-se o conselho dos anciãos do povo,<br /> Os sumos sacerdotes<br /> e os escribas de novo.<br /> * Conduziram-no diante do seu tribunal,<br /> * para descobrir se trata do Messias diante deles.<br /> * Mesmo se confirmasse,<br /> * não convenceria eles.<br />
  136. 136. * Então, tu és o Filho de Deus?”<br /> * Eles falaram.<br /> Respondeu-lhes: “Isso mesmo eu sou”. –<br /> * “Que necessidade ainda temos de testemunhar? – <br />Exclamaram. -<br /> * Da sua boca,<br /> * nós mesmo o ouvimos!”<br />Estes maldosos pensaram:<br />Condenar Ele ainda conseguimos.<br />
  137. 137. Obs.: * reuniu-se o conselho dos anciãos do povo,<br /> * Conduziram-no diante do seu tribunal e lhe <br /> disseram:<br /> * “Se tu és o Messias, dize-nos!”<br /> * Ele respondeu: “Se eu lhes disser,<br /> * vocês não vão acreditar; <br /> * Todos disseram:<br /> * “Então, tu és o Filho de Davi”.<br /> * “Que necessidade ainda temos de<br /> testemunho? – Exclamaram –<br /> * Nós mesmo o ouvimos<br /> da sua boca!”<br />
  138. 138. O S P E C A D O S D O S E S C R I B A S E D O S F A R I S E U S<br /> Mt 23<br /> J<br />* esus disse,<br /> * aos seus discípulos e multidões:<br /> “Os escribas e os fariseus ocupam a cátedra de Moisés;<br /> * portanto, façam e observem tudo o que disseram sem imitar<br /> suas ações,<br /> porque eles não praticam o que ensinam<br /> * e amarram pesados fardos que às costas dos outros foram<br />colocar,<br /> * mas eles mesmo não os querem mover nem com o dedo,<br />jamais gostam estes fardo usar.<br />
  139. 139. * Em tudo o que fazem e buscam é serem vistos pelos <br /> outros<br /> * e por isso trajem filactérios (65),<br /> * bem largos com franjas bem compridas nos mantos,<br />para que todos acham que são mais sérios.<br /> Gostam dos primeiros lugares nos banquetes<br /> * e nas primeiras cadeiras nas sinagogas se sentar.<br /> * Adoram, de serem chamados de Mestres pelos <br /> outros,<br />só para se valorizar.<br />
  140. 140. Quanto a vocês,<br /> * não deixem que os outros de mestres vão chamar.<br /> * Pois um só é Mestre e vocês todos são irmãos,<br /> e que alguém chamem de pai devem aqui na terra evitar.<br /> * Pois o Pai, <br /> * aquele que está nos céus é só um.<br /> * Permitam que os outros os chamem de chefes,<br /> * de jeito nenhum.<br />
  141. 141. * Porque um só é chefe de vocês,<br /> * o Cristo.<br /> * O maior entre vocês,<br /> se faça o servo de todos por isto.<br /> * Quem se exalta,<br /> será humilhado<br /> * e quem se humilha,<br /> * será exaltado.<br />
  142. 142. Infelizes de vocês, escribas e fariseus <br /> hipócritas,<br /> * porque estão a porta do Reino dos Céus para os<br /> outros fechando!<br /> Pois nem vocês entram,<br /> * e os que desejam nem deixam entrando(66).<br /> * Para converter alguém vocês percorrem a terra<br /> * e o mar.<br /> * Depois que o conseguem,<br /> * merecedores do inferno duas vezes mais que vocês<br /> mesmo vão se tornar.<br />
  143. 143. Infelizes de vocês, guias de cegos, que dizem:<br /> * ´Se alguém jura pelo Templo anula o juramento<br /> conseqüentemente;<br /> mas se jura pelo ouro do Templo,<br /> o juramento precisa ser cumprido rigorosamente´.<br /> Tolos e cegos!<br /> * Que é mais importante:<br /> o ouro ou o Templo,<br /> que santifica o ouro bastante?<br />
  144. 144. Vocês dizem também:<br /> * “Se alguém jura pelo altar,<br /> * o juramento não vale<br />e pode nem reclamar.<br /> * Mas se jura pela oferta que está sobre o altar,<br /> * Cumprir o juramento vão precisar”.<br /> Estão cegos ?<br /> * Que é mais importante: a oferta ou o altar que<br /> a oferta vai santificar?<br />
  145. 145. Portanto, quem jura pelo altar, jura por ele<br /> * e por tudo que está sobre ele.<br /> E quem jura pelo Templo jura por ele<br /> * e que o habita por Aquele.<br /> * E quem pelo céu,<br /> * está jurando,<br /> jura pelo Trono de Deus<br /> * e por Aquele que nele está se sentando.<br />
  146. 146. Infelizes de vocês, escribas e fariseus hipócritas!<br /> * Vocês estão o dizimo até mesmo da hortelã pagando,<br /> da erva doce e do cominho,<br /> * mas os mandamentos mais importantes da Lei estão <br />desprezando,<br /> como a justiça, a misericórdia<br /> * e a fidelidade.<br /> Isso é que é preciso praticar, sem deixar de lado aquilo,<br />na verdade.<br />
  147. 147. Guias cegos! <br /> * Coam um mosquito,<br /> mas engolem um camelo,<br />que já é muito esquecito.<br /> Infelizes de vocês, escribas <br /> e fariseus hipócritas!<br /> * Vocês limpam do copo a<br /> parte externa<br />e esqueçam de limpar,<br />também a parte interna.<br />~~~~0~~~~0~~~~0~~~~<br />

×