Artigo elizabete

741 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
741
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
489
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo elizabete

  1. 1. 1O tratamento da informação nas séries iniciais:Leitura e criação de gráficos e tabelasElizabete Zandonadi Meneguelli1, Sidnei Pereira dos Santos2Resumo - A experiência relatada foi realizada com alunos de 4º e 5º ano da Escola Paraná, localizadana área rural do município de Presidente Médici – RO. A escola apresenta classe multisseriada de 1º ao5º ano do Ensino Fundamental, a mesma participa do Programa de Educação no Campo Escola Ativa;de forma atrativa, interessante proporcionando aos educando forma de buscar o real sentido dainformação, tornando-os mais críticos e pensantes. As entrevistas e pesquisas realizadas nacomunidade, tabulações e análises dos dados, representações, análises gráficas e uso de planilhaseletrônicas representaram um reforço, uma atividade complementar na resolução de problemasapresentados no âmbito escolar. Este trabalho tem como objetivo discutir como pensar o trabalhopedagógico do Tratamento da Informação de forma significativa aos nossos educando.Palavras-chave: Tratamento da informação; Informática; Impresso; Realidade do aluno;Comunidade escolar.IntroduçãoA cada dia que passa, aumenta a necessidade de as pessoas estarem preparadas pararefletir a respeito das informações, para analisar, interpretar e tratar dados oriundos dediferentes modalidades de publicações, pesquisas e estudos. No passado, não tínhamos umvolume tão significativo de informações. Poucas pessoas tinham acesso aos meios decomunicação, como televisão, jornais, revistas e, principalmente, Internet.Para conseguirmos compreender bem todas as informações em que somos envolvidos,precisamos de mecanismos que nos auxiliem a coletar, organizar e interpretar dados utilizandodiversos tipos de registros, tais como gráficos e tabelas. Por isso, é tão importante que acriança, desde o início do processo de letramento, esteja em contato com instrumentos que aajudem a fazer uma boa leitura do mundo que a cerca. Ao propor esses conteúdos, espera-seque o aluno possa recolher dados sobre fatos e fenômenos do cotidiano e, utilizando-se deprocedimentos de organização, possa expressá-los com instrumentos que representem aorganização dos dados e facilitem sua visualização. Espera-se, ainda, que o aluno inicie oprocesso de fazer previsões das informações que possui.O Tratamento da Informação é um dos blocos de conteúdos propostos pelos ParâmetrosCurriculares Nacionais. Assim, a Estatística, que é um ramo da Matemática Aplicada, estádiretamente relacionada ao ensino de Matemática no Ensino Fundamental, inclusive para asséries iniciais. Juntamente com a evolução da humanidade, vem a necessidade da investigaçãode fenômenos não apenas sociais, mas também políticos, econômicos, financeiros e outrosmais. Assim a Estatística apresenta-se como um método ou uma ferramenta no auxílio dessesfenômenos.Para o segundo ciclo, os Parâmetros avançam ainda mais em suas metas e propõem parao 1º ciclo (1ª e 2ª séries) e 2º ciclo que é atribuído as turmas de 3ª e 4ª séries, a coleta, aorganização e a análise de informações, a construção e interpretação de tabelas e gráficos1betzandonadi@hotmail.com; Fundação Universidade Federal de Rondônia.2sidps2608@yahoo.com.br ; Fundação Universidade Federal de Rondônia.
  2. 2. 2dando destaque especial para o tratamento da informação pelo fato de o aluno ter melhorescondições de desenvolver pesquisas de acordo com sua realidade.A Estatística destacou-se na Inglaterra, no século XVII, a partir das tábuas demortalidade.Hoje, pode-se contemplar a Estatística em três áreas: Descritiva, Probabilidade eInferência. A Estatística Descritiva é a que usa números para descrever fatos e compreender aorganização, o resumo e, de modo geral, a simplificação de informações. A Probabilidadeenquadra-se nas situações que envolvem o acaso, ou seja, para exprimir uma chance deocorrência de determinado evento. Já a Inferência diz respeito à análise e interpretação dedados de uma amostra. Pelo fato de que atualmente é muito frequente a apresentação dasinformações fornecidas pelos meios de comunicação por meio de dados estatísticosorganizados em tabelas, gráficos, medidas espaciais etc., é imprescindível o tratamento daEstatística.O projeto em execução, por meio de implementação e intervenção pedagógica, ofereceuaos alunos oportunidades de reflexão, interpretação, organização e análises dos dadosexplorando a estatística em situações do mundo real do aluno, por meio da leitura de diferentesformas de apresentação da informações que circulam socialmente, objetivando: identificar o uso de tabelas e gráficos para facilitar a leitura e a interpretação deinformações e construir formas pessoais de registros para comunicar informaçõescoletadas; Coletar e organizar informações; interpretar e elaborar listas, tabelas simples, diagramas, gráficos de barras paracomunicar a informação obtida; resolver situações desafiadoras envolvendo o raciocino com as quatro operações; observar o uso de gráficos e tabelas nos jornais e revistas; construir corretamente uma tabela a partir de um levantamento de dados; construir e analisar, com os dados estatísticos, gráficos de barras, colunas e setores,manualmente e através de planilhas eletrônicas e demais softwares da informática.1. Metodologia: desenvolvimento das atividadesA implementação ocorreu na Escola Municipal de Ensino Fundamental Paraná, dePresidente Médici, um dos municípios que margeiam a BR 364, em Rondônia, durante osmeses de abril, maio e junho do corrente ano, nas turmas do 4º e 5º ano do EnsinoFundamental, num total de 16 alunos, oriundos da área rural do Município, onde há poucoacesso a jornais, revistas e outros meios de comunicação social. Pensando nesta realidade,foram desenvolvidos vários trabalhos para levá-los a obter informações referentes ao seucotidiano.O desenvolvimento do trabalho iniciou com uma conversa sobre nosso dia-a-dia e ocontato com as diferentes formas de organizar informações, a partir do ambiente escolar,considerado como oportunidade de aprender a observar e analisar esses instrumentos. Foi
  3. 3. 3proposta à turma uma pesquisa sobre gráficos em jornais e revistas, em grupos de quatroalunos, a partir da distribuição de materiais que contenham vários tipos de gráficos de barras,colunas, linhas, pizza e suas respectivas funções.Já familiarizados com os conteúdos, realizaram uma pesquisa nas certidões denascimento, sobre os meses de aniversário de cada aluno, calendário de 2012, apostilas de datascomemorativas e outros documentos. Em seguida, realizaram a montagem de um calendáriomarcando o recesso escolar, datas comemorativas, reuniões de pais e aniversariante do mês.Apresentaram as informações com gráfico de colunas.São apresentados, a seguir, exemplos de atividades desenvolvidas pelos alunos:Fig 1JUNHO/2012Dom Seg Ter Quar Quin Sex Sáb1 33 4 5 6 7 8 910 11 12 13 14 1516- niverda cidade1718-Dia doEvangélico 1920 - niver daElen 21 22 2324-Padroeiro 25 26 27 2829- Reuniãode Pais 30Fig 2Os alunos realizaram essa pesquisa e apresentaram as informações da figura 1 e 2, nocaderno e a transposição, logo em seguida, para a planilha eletrônica Excel.Os estudos sobre a comunidade foram assim realizados:Em uma roda de conversa, os alunos foram questionados sobre quantidade demoradores da comunidade e, para obter essa informação, deveriam fazer uma pesquisa parasaber ao certo qual população do lugar onde vivem, além de conhecer também, produção
  4. 4. 4agrícola e pecuária, faixa etária dos moradores, sexo, tipo de moradia, meios de transporte emeios de comunicação mais usados. As turmas fizeram o levantamento das famílias e adistribuição entre eles para visita e coleta de dados. Com o questionário em mãos e o auxíliodos pais, os alunos realizaram a pesquisa e destacaram como ponto forte a acolhida e o apoiodos moradores para realização das atividades. Ao término da pesquisa, foi realizada a tabulaçãodos dados, usando a planilha eletrônica e demais softwares, construíram tabelas e gráficos paraapresentação das informações coletadas. Inicialmente, os alunos não tinham nenhumconhecimento com o Software Excel, mas realizaram as tarefas sem muita dificuldade e commuito entusiasmo.O Município foi estudado e comparado com a comunidade da seguinte forma:Para conhecer melhor o Município de Presidente Médici, foi realizado um estudo noslivros do IBGE disponibilizados para as escolas e pela a rede mundial de computadores paracoletarmos dados referentes à população, por gênero, raça ou cor e residência. As informaçõesforam apresentadas em tabelas e em gráficos de colunas, e disco. Durante as aulas, surgiramdúvidas sobre as diferentes raças ou cores existentes no Brasil, como a raça negra, branca,indígena e amarela, destacando-se, por isso, o interesse pela definição de cada raça ou cor epela análise da tipologia em que cada uma se enquadrava; foi verificado que, no texto, apareciaa palavra preto no lugar de negro, o que proporcionou a discussão sobre o preconceito racial ouracismo.São representados, por meio de gráficos, exemplos de atividades realizadas com asturmas:Gráfico AO gráfico A, apresenta a população do Município de Presidente Médici do sexomasculino e feminino, segundo dados do IBGE/2010.Tabela ANEGRA BRANCA AMARELA INDÍGENA PARDA1066 8687 261 27 12278
  5. 5. 5.Gráfico BA tabela A e o gráfico B indicam a raça ou cor dos habitantes de Presidente Médici- RO,conforme pesquisas feitas pelos alunos nos livretos e no site do IBGE/2010.2. Referencial TeóricoO Bloco Tratamento da Informação aparece pelo fato de que ao se lançar olhares para asociedade atual, percebe-se que muitas informações chegam até as pessoas ao mesmo tempo e,assim, é necessário que elas aprendam selecionar, analisar e interpretar estas informações paraque possam tomar suas decisões. Nessa perspectiva, os Parâmetros Curriculares Nacionais(1997, p. 25) apontam que a compreensão e a tomada de decisões, diante de questões políticas esociais, também dependem da leitura e interpretação de informações complexas, muitas vezescontraditórias, que incluem dados estatísticos e índices divulgados pelos meios decomunicação. Essa importância atribuída ao tratamento da informação é justificada, pela fortedemanda social:É cada vez mais frequente a necessidade de se compreender asinformações veiculadas, especialmente pelos meios de comunicação, paratomar decisões e fazer previsões que terão influência não apenas na vidapessoal, como na de toda a comunidade.Estar alfabetizado, neste de século supõe saber ler e interpretar dadosapresentados de maneira organizada e construir representações, para formulare resolver problemas que impliquem o recolhimento de dados e a análise deinformações.Essa característica da vida contemporânea traz ao currículo deMatemática uma demanda em abordar elementos da estatística, dacombinatória e da probabilidade, desde os ciclos iniciais. (BRASIL, 1997, p.131, 132)O texto acima reflete opções metodológicas adotadas nos PCN, que são influenciadaspelas teorias mais recentes de ensino e de aprendizagem. Nessas teorias, preconiza-se que sedirecione o ensino escolar para a aquisição de competências básicas necessárias à participaçãoativa e consciente do cidadão na sociedade em que vive e não apenas para o preparar paraetapas posteriores de sua escolarização. A proposta de se abordar o tratamento da informaçãodesde os anos iniciais resulta da concepção, hoje advogada por muitos, de que ao longo daaprendizagem escolar, os conteúdos devem ser abordados e retomados, de forma gradualmentemais extensa e aprofundada. Defende-se, também, que o aluno desempenhe um papel ativo na
  6. 6. 6construção de seu conhecimento; que se dê ênfase à resolução de problemas vinculados aocontexto social; e que sejam valorizadas as conexões entre os vários ramos do saber abordadosna escola.Como diz Paro (1997, p. 30),Nessa perspectiva, a escola por sua maior aproximação às famíliasconstitui-se em instituição social importante na busca de mecanismos quefavoreça um trabalho avançado em favor de uma atuação que mobilize osintegrantes tanto da escola, quanto da família, em direção a uma maiorcapacidade de dar respostas aos desafios que impõe a essa sociedade.A escola deve utilizar todas as oportunidades de contato com os pais,para passar informações relevantes sobre seus objetivos, recursos, problemas etambém sobre as questões pedagógicas. Só assim, a família irá se sentircomprometida com a melhoria da qualidade escolar e com o desenvolvimentode seu filho como ser humano.Ou seja, a família exerce um importante papel no desenvolvimento da aprendizagem. Aparceria da família com a escola e comunidade sempre será fundamental para o sucesso daeducação de todo indivíduo.Quando se fala em vida escolar e sociedade, não há como não citar o mestre PauloFreire (1999 p. 18), quando diz que:A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco asociedade muda. Se opção é progressista, se não se está a favor da vida e nãoda morte, da equidade e não da injustiça, do direito e não do arbítrio, daconvivência com o diferente e não de sua negação, não se tem outro caminhose não viver a opção que se escolheu. Encarná-la, diminuindo, assim, adistância entre o que se diz e o que se faz.Sabe-se que fenômenos e acontecimentos podem ser observados e descritos de váriasmaneiras, conforme Nazareth (2003), “ [...] para tal, necessitamos de meios de comunicaçãoclaros, sintéticos, objetivos”. Sendo assim, a estatística serve de ferramenta fundamental paracompreendermos tantas informações presentes no nosso dia-a-dia.3. Considerações finaisQuanto à leitura e interpretação de gráficos, os depoimentos dos discentes evidenciamque os conteúdos referentes ao bloco Tratamento da Informação integram o processo ensino-aprendizagem de Matemática e demais disciplinas e os levaram a demonstrar interesse pelotratamento e leitura da informação sobre fatos do cotidiano. Observamos também que, duranteo desenvolvimento das atividades, na fase de intervenção, os alunos demonstraram maiorfacilidade para compreender que os dados representados no gráfico relacionavam-se com os databela.O trabalho com Tratamento da Informação, incluindo-se o uso do ambientecomputacional para a organização e análise de informações, foi uma experiência inovadora.Muitas foram as atividades realizadas no computador no desenvolvimento de conceitosestatísticos, podendo-se observar que os alunos acabaram por ter mais acesso à ferramentacomputador, uma vez que o projeto também tinha esse direcionamento.
  7. 7. 7Valente (2004), em uma análise dos diferentes tipos de softwares utilizados naeducação, discutiu a forma como muitos educadores vêem o uso do computador na sala de aula.O autor afirma que muitos professores entendem que o computador, na educação, serve paramotivar o aluno e é uma ferramenta da atualidade que resulta em facilidade para a práticaeducativa. A educação está intimamente ligada à generalização do fato de que o computadorentrou em nossas vidas para facilitar as atividades desenvolvidas em sala de aula, além deintroduzir os conceitos básicos do tratamento da Informação, proporcionando-nos a inclusãodigital.Para verificar se os alunos são capazes de ler informações contidas em gráficos etabelas, foram propostas diversas atividades que os levavam a obter as informações quenecessitavam para realização das tarefas. Os procedimentos de avaliação dos pontos positivos enegativos ocorreram durante as atividades realizadas, que, depois que aprenderam a realizar asatividades com a tecnologia, o interesse pelo caderno diminuiu, principalmente na construçãodos gráficos. O computador é mais atraente e rápido por ser uma ferramenta de auxíliomatemático, o que era desconhecido pelos mesmos.Com a realização dessa experiência pedagógica, verificou-se que os jornais, revistas,televisão e livros didáticos serviram para relacionar o eixo temático com as atividades docotidiano dos alunos. Este projeto foi realizado de modo interdisciplinar, envolvendoMatemática e demais disciplinas como: Geografia, História e Informática.5. ReferênciasLivro Pró Letramento- Fascículo:Tratamento da InformaçãoMatemática orientação para o professor - SAEB/Prova BrasilBRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. (3º e 4ºciclo) Matemática/ Secretaria de Educação Fundamental: Brasília MEC/SEF. 1998o DiárioCENSO 2010: http://www.censo2010.ibge.gov.br/dados_divulgados/index.php?uf=11 Acessoem: 30 de abril 201BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. 1ª a 4 ª s é r i e , Ministério Educação,SecretariadeEducaçãoFundamental–Brasília:MEC/SEF,1997.CAZORLA, I. M.COSTA, N. & MAGINA, S. “Interpretação de Diagramas em Ambiente Computacional porProfessoras das Séries Iniciais do ensino Fundamental” ANAL:Livro de Resumos do I SIPEM - Vol 1, pp.46. Serra Negra, São Paulo, Brasil. Novembro deVALENTE, J. A. Análise dos diferentes tipos de software usados na educação. Disponível em<http://www.educacao.rr.gov.br/valente.htm> Acesso em 05 de abril. 2012CAZORLA, I. M. A relação entre a habilidade viso-pictórica e o domínio de conceitosestatísticos na leitura de gráficos. Campinas, 2002. Tese (Doutorado em Educação),Universidade Estadual de Campinas.
  8. 8. 8APÊNDICEPrimeira etapa: Leitura de Gráficos e TabelasPropor à turma uma pesquisa sobre gráficos em jornais e revistas. Dividir os alunos emgrupos de quatro e distribuir materiais que contenham vários tipos de gráficos - barras, linhas,pizza etc. Certificar-se de que os gráficos escolhidos tratam de temas que os alunos têmfamiliaridade, como número de alunos na escola, dados sobre desmatamento, população etc.Colocar no quadro algumas perguntas norteadoras, como:- Que tipo de informação cada gráfico apresenta?- Qual deles vocês julgam mais fácil de ler? Por quê?Pedir que os alunos registrem as informações no caderno e, em seguida, abrir adiscussão sobre as características e a adequação de cada formato às informações nele contidas.Pedir que os alunos elejam o formato que lhes parece mais fácil. É bem provável que sejamescolhidos os gráficos de barras verticais.Segunda etapa: trabalhando o calendário.Explorar com os alunos como o tempo é medido (horas, dias, meses, ano, etc.). Logoapós divida a turma em pequenos grupos e entregue a cada grupo um calendário do anocompleto, visitar o laboratório de informática e preparar um modelo do calendário do mês embranco. O grupo deve preencher o calendário, identificar e registrar, se houver, os feriados domês. Em seguida, organizar um calendário anual, utilizando os calendários mensais que forampreenchidos por eles. Nesse calendário, cada aluno deve registrar o seu aniversário, os dias deprovas, reuniões de pais, férias e as datas comemorativas da escola.Exemplo:MAIO/2012Domingo Segunda-feiraTerça -feiraQuartafeiraQuinta -feiraSexta -feiraSábado1-dia dotrabalho2 3 4 5 – niverda Elen6 7 8 9 10 11 1213 14 15 16 17 18 1920 21 22 23 24 25 2627 28 29 30Terceira etapa:Os alunos devem fazer uma tabela no caderno com os meses e o aniversario de cadaaluno e transpor para um cartaz.Exemplo:
  9. 9. 9ANIVERSARINATES DA CLASSENOME Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Agos Set Out Nov dezVitorTaianeBiancaBrunoMª.EduardaEllenDiogoMateusLeonardoJoanaCarlosPauloGustavoLiviaGeovanaLuanaAlexandreQuarta etapa: Com organizar:- Um gráfico com a quantia de aniversariante em cada mês.- Um gráfico por idade.- Um gráfico com o ano de nascimento dos alunosQuinta etapa: Pesquisa de campoOs alunos deverão pesquisar, junto a sua família, quais os produtos agrícolas quecultivam em sua propriedade e fazer um comparativo de preços dos anos de 2011 e 2012.Organizar tabela com os dados colhidos.ExemploPRODUTOS AGRÍCOLA VALOR DO PRODUTO2011 2012CaféTomateSexta etapa:Os alunos deverão pesquisar, junto a sua família, quantidade de animais criados em suapropriedade com coleta de dados.Sexta etapa:
  10. 10. 10ANIMAISQUANTIDADETOTALMACHO FÊMEABovinosSuínosEquinosBufalinosCaprinosAvesOrganizar um gráfico de barras para representar o tipo e a quantidade de animais.Sétima etapa:Apresentar aos alunos os diferentes tipos de leitura infográfica e suas respectivasfunções. Solicitar que pesquisem em jornais, revistas ou livros didáticos três tipos de textosinfográficos (tabela, gráficos e mapas). Descrever:- Tipo de texto.- Assunto:- Fonte de pesquisa:- Legenda:- Símbolos/coresOitava etapa:Fazer uma pesquisa para saber a qual a população da comunidade São Tiago porgênero, economia, faixa etária, meios de transporte e comunicação mais utilizados. Coletar etabular os dados. Apresentar as informações com diferentes tipos de gráficos (barras, colunas,disco ou pizza).Organizar uma tabela e um gráfico para tabulação dos dados.Nona etapa:Organizar uma tabela com a produção leiteira do mês de abril de 2012, com aquantidade de leite produzida por dia e o preço total no respectivo mês. Após a coleta dosdados, digitar essa atividade usando o Excel.Décima etapa: Pesquisar:- População de Presidente Médici, IBGE 2010.- Preencher a tabela.
  11. 11. 11População de Presidente Médici, IBGE 2010.Zona rural Masculino FemininoZona urbana Masculino FemininoTotal1- Há quantas mulheres em Presidente Médici?2- Há quantas mulheres em Presidente Médici?3- Qual é a população de nosso município?Apresentar gráficos de discos com as contendo informações acima.Décima primeira etapa: Análise combinatória.Distribuir tabelas com figuras e solicitar que façam as combinações possíveis. Taiscomo sabores de sorvete, pecas de e cores de roupas, etc.Décima segunda etapa:Solicitar que façam um levantamento das notas de Matemática no 1º bimestre dasturmas do 2º, 4º e 5º ano, da Escola, e organizem estes dados em uma tabela. A partir dos dadosdessa tabela, construir um gráfico de linhas.Décima terceira etapa:Fazer uma pesquisa para saber a qual a população do Município de Presidente Médicipor gênero, zona rural e urbana, alfabetizados e não alfabetizados. Coletar os dados eapresentar as informações com diferentes tipos de gráficos (barras, colunas, disco ou pizza).
  12. 12. 12ANEXOSCada aluno digitou um mês e montaram calendário do ano, marcando o recesso escolar,datas comemorativas, reunião de pais e aniversariante do mês.Para realização dessa atividade, foram distribuídos aos alunos calendários do respectivoano e foi realizada a pesquisa nas certidões de nascimento de cada um para descobrir osaniversariantes de cada mês; com dados dos livros de datas comemorativas e no calendárioescolar, onde estão previstas as aulas e as reunião de pais e mestres, foram elaboradas tabelascom os dias e os meses. Após, apresentaram as informações com gráfico de colunas.
  13. 13. 13Tabulação dos dados da pesquisa de campo realizada na ComunidadePesquisa sobre a população da Comunidade São Tiago. Em uma roda de conversa, osalunos foram questionados sobre quantas pessoas residiam na sua comunidade, arriscaramalguns palpites e foram instigados a realizar uma pesquisa para saber ao certo qual era a realpopulação do lugar onde moram, além de conhecer também. Foi feita a contagem das famílias ea distribuição entre eles para visita e coleta de dados a serem levantados por meio dequestionário. Com auxílio dos pais, realizaram a pesquisa, cuja boa receptividade das famíliasinfluenciou de forma positiva a realização das atividades. Ao término da pesquisa, forramtabulados os dados. Usando a planilha eletrônica, apresentaram o trabalho com tabelas egráficos. Os mesmos não tinham nenhum conhecimento com o Software Excel, mas nãotiveram dificuldade no decorrer das atividades.
  14. 14. 14Construção da tabelas e gráficos sobre o meses dos aniversários dos alunosFicha de frequência escolar: tabela em planilha eletrônica.
  15. 15. 15Pesquisa realizada na Internet IBGE/2010 sobre a população rural e urbana dePresidente Médici.

×