Projeto curso

1.123 visualizações

Publicada em

Projetopara utilização d

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.123
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
41
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto curso

  1. 1. Educação de qualidade <br />Saber... Saber fazer e saber ser.<br />
  2. 2. ENCANTO NO APRENDER<br />
  3. 3. Descrição e justificativa<br /><ul><li>A ação pedagógica da interdisciplinaridade aponta para a construção de uma escola participativa onde o professor tem um papel fundamental no avanço construtivo do aluno. </li></ul> É ele quem pode perceber as necessidades do estudante e o que a educação pode proporcionar ao mesmo. <br /> A interdisciplinaridade do professor pode envolver e instigar o educando a mudanças na busca do saber. <br /> Nesse sentido, este projeto tem por objetivo trabalhar um tema sobre diversos olhares, buscando o desenvolvimento da motivação e oportunizando o trabalho com autonomia. <br />
  4. 4. Este projeto tem um caráter teórico-prático que visa explorar a curiosidade, a criatividade, o jogo e a brincadeira, enquanto estratégia de aprendizagem, favorecendo a construção de conhecimentos por meio de reflexões e práticas lúdicas no contexto escolar. Onde o descobrir, a curiosidade e a pesquisa, fazem do dia-a-dia uma fonte inesgotável de conhecimento. <br />
  5. 5. Objetivos<br /><ul><li>Objetivo Geral</li></ul>Proporcionar a construção de conhecimentos por meio de fundamentações teóricas, vivências, confecção de materiais e brincadeiras nas séries iniciais, com base na ludicidade como estratégia de aprendizagem.<br />A  proposta é proporcionar a estas crianças a motivação do aprender, a vontade de descobrir, transformando assim seu cotidiano<br />
  6. 6. <ul><li>Objetivo específico</li></ul>Proporcionar às crianças a integração e participação em geral, com oportunidade de vivenciar novas formas de aprendizagem.<br />Desenvolver técnicas e estilos próprios na criação das pesquisas efetuadas pelos alunos.<br />Despertar a criatividade e dinamismo do grupo.<br />Desenvolver a potencialidade artística de cada participante, aumentando assim a auto-estima e inclusão social.<br />Propiciar a estes alunos a aprendizagem em matérias extracurriculares como: Filosofia, Inglês, Música, Artes e Educação Ambiental.<br /> Desenvolver a compreensão do lúdico como aspecto fundamental da aprendizagem e do desenvolvimento humano, reconhecendo suas interações com as várias esferas deste desenvolvimento e estabelecendo suas implicações educacionais. <br />Incentivar o estudo e a reflexão teórico-crítica em torno do lúdico como tema presente direta ou indiretamente nas pesquisas recentes em Educação. <br />Propiciar momento vivencial, experimentação (práticas) e avaliação das possibilidades e limites do jogo como promotor do desenvolvimento humano e como recurso pedagógico.<br />Confecção de materiais lúdicos pedagógico para a utilização nas atividades práticas do projeto.<br />
  7. 7. Metodologia<br />Sua idéia central é articular os saberes escolares com os saberes sociais de maneira, que, ao estudar o aluno não sinta a aprendizagem como algo abstrato ou fragmentado. proporcionar experiências de contato, de uso e de análise das informações; partir de situações propostas pela prática questioná-la e ampliá-la à luz da teoria e retornar á prática a fim de intervir na realidade, transformando-a; trabalhar objetivos relativos ao saber, ao saber fazer e ao saber ser.<br /> Como tema propulsor ARGILA, O BARRO DA VIDA, será realizada uma experiência pedagógica interdisciplinar (artes, ciências, história, geografia, química e informática educacional), onde os alunos pesquisarão sobre a argila no que diz respeito a propriedades químicas e físicas, fins medicinais, aspectos geológicos, fatos históricos, o barro na arte popular brasileira, técnicas de modelagem de cerâmica, o torno (tecnologia pré-histórica, ferramenta-chave de trabalho para o oleiro). <br />
  8. 8. Será trabalhada a visão humanística, pois o barro é citado várias vezes na Bíblia como, por exemplo, no Gênesis (2,7): “Então, formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego da vida, e o homem passou a ser alma vivente”, corroborando com a filosofia cristã da escola.<br />Em um segundo momento, os alunos, no laboratório de informática, desenvolverão atividades com a poesia de Avaniel Marinho O oleiro e os vasos. <br />O terceiro momento será marcado pela apresentação do vídeo Aprender a aprender. que apresenta a metáfora do oleiro e seus vasos, transmitindo a idéia da Criação Divina. Deus criou o homem e lhe deu o poder também de criar na vida. O homem, como oleiro próprio, vai nascendo, crescendo, madurecendo e, com ânimo no conhecimento de si mesmo, consegue, com esforços, polir os erros, os defeitos mais importantes, na tentativa de melhorar a si mesmo. E, na sua impotência, descobre-se capaz de moldar com perfeição desde que realize sua tarefa com amor e dedicação.<br />E fechando os trabalhos, o quarto momento com o: Mão na massa!!!!!!!!!!!!!! OBA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! UFA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!, onde os alunos utilizarão argila para moldar diferentes objetos. <br />
  9. 9. Avaliação<br /><ul><li>     O desenvolvimento do projeto busca envolver os educandos nas brincadeiras, jogos, desafios e atividades apresentados e construídos e levá-los a se perceberem como responsáveis por sua aprendizagem. </li></li></ul><li>ANEXOS<br />O OLEIRO E OS VASOSTu estás, ó Deus, no centro do Universo, Não há limites para o Teu poder e glória. Tu és o Arquiteto de toda a criação;O Oleiro competente de todos os vasos. Eu desejo ser barro nas Tuas mãos, - Até cantei este coro, dias atrás! Um dia eu mesmo me fiz oleiro: Procurei barro para fazer um vaso. Certa manhã não coletara o material. É que o barro estava endurecido! Dias depois me foi possível colhê-lo. Comecei, então, a trabalhá-lo. Primeiro passo, limpar o barro (retirar as pedras, os paus, as impurezas). Segundo passo, bater no barro!Quanto mais batia, mais mole ficara! <br />
  10. 10. A moldagem foi a terceira etapa,E o barro não expunha desejo algum! Quarta etapa, deixar o vaso na prateleira: Era necessário amadurecer o barro moldado! Mas houve o quinto passo, no processo:O polimento (igualmente trabalhoso). O fogo foi a última etapa, E eu levei o vaso ao forno - última prova! Os que resistiram ao calor, foram aprovados; Houve os que racharam e quebraram! Os vasos aprovados seguiram para a vitrine; Os quebrados destinaram-se ao lixo! Aí eu compreendi o que é ser vasoNas mãos do Oleiro (Deus, o Oleiro eficaz)! Há, porém, um detalhe final:Na olaria de Deus não existe lixo! Os vasos quebrados (reprovados)Ele junta os cacos e faz um vaso novo! <br /> <br /> *****************************************<br />Avaniel Marinho<br />
  11. 11. Vídeo – Aprender a aprender<br />
  12. 12. Maria Elizabete Pereira de Almeida2011CURSO: Coordenando as Tecnologias Educacionais <br />Formatação<br />

×