SlideShare uma empresa Scribd logo

Apresentação def.

1 de 16
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
ALUNA: Roberta Garrido Fernandes
HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA
DE ENFERMAGEM:
uma realidade tangível
Profª. Luisa Maria da Silva de Barcelos
Rio de Janeiro
2011
1. INTRODUÇÃO
Linha de pesquisa e área predominante: Relacionamento e
Comunicação em Enfermagem.
Temática : a Sistematização da Assistência de Enfermagem
(SAE) como ferramenta para um cuidado humanizado.
Objeto de estudo: adota a importância da utilização da SAE
como fator primordial na prática de um cuidado
humanizado.
Motivação
Problematização: em que contexto a SAE vem a
corroborar para um cuidado mais humanizado?
Objetivo: evidenciar que a SAE, uma vez bem
aplicada, torna o cuidado dispensado ao paciente mais
individualizado e portanto humanizado.
A pesquisa se justifica pela necessidade do desenvolvimento
do cuidar humanizado, visando a individualidade do
paciente baseado não em pressupostos empíricos, mas no
conhecimento científico, visando uma assistência além de
humanizada, pautada em alicerces fortes e pouco
contestáveis. Daí a necessidade do desenvolvimento da SAE
como ferramenta norteadora nessa busca do cuidado
humanizado, sem o qual o mesmo não seria possível.
Justificativa
Ambiciona-se que o presente estudo, enquanto fonte de
pesquisa e aprimoramento, venha a servir como fonte de
crescimento profissional para os que o adotarem no decorrer
de suas vidas. E ainda contribuir como material motivador aos
acadêmicos de enfermagem, que ao articular a SAE com a
humanização do cuidar, visem uma assistência por parte do
enfermeiro, que deverá ater-se não só à enfermidade presente
no paciente, como também, de seu bem estar como indivíduo.
Relevância Acadêmica
Relevância Social
Este estudo buscará dirigir seu olhar para a valorização do
cuidado no processo saúde-doença, atentar para que o
enfermeiro reflita sobre o cuidar e as necessidades de cada
paciente em sua individualidade frente a sua patologia.
Desta forma espera-se que seja de grande relevância social, pois
utilizando como ferramenta a SAE, o enfermeiro exerce um
cuidar humanizado, que vai além de procedimentos, com isso
obtendo-se um cuidado no qual o cliente é apreciado e observado
como um todo, e não por partes.
Anúncio

Recomendados

Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de EnfermagemCharles Lima
 
Humanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na EmergênciaHumanização da assistência de enfermagem na Emergência
Humanização da assistência de enfermagem na EmergênciaNayaneQuirino
 
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI Slides
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI SlidesHumanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI Slides
Humanização em Unidade de Terapia Intensiva UTI SlidesCleiton Ribeiro Alves
 
Aula de humanização plt
Aula de humanização pltAula de humanização plt
Aula de humanização pltenfanhanguera
 
Trabalho de humanização slides
Trabalho de humanização slidesTrabalho de humanização slides
Trabalho de humanização slidesenfanhanguera
 
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuida
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuidaHumanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuida
Humanização na assistência em enfermagem: é preciso cuidar de quem cuidaIranildo Ribeiro
 
A humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalarA humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalarEugenio Rocha
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no AtendimentoPalestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no AtendimentoFabiano Ladislau
 
Humanização Intensiva: Eu humanizo, Tu humanizas... Ele melhora!
Humanização Intensiva: Eu humanizo, Tu humanizas... Ele melhora!Humanização Intensiva: Eu humanizo, Tu humanizas... Ele melhora!
Humanização Intensiva: Eu humanizo, Tu humanizas... Ele melhora!Associação Viva e Deixe Viver
 
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEMHUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEMGabriela Montargil
 
Humanização na Unidade de terapia intensiva (UTI)
Humanização na Unidade de terapia intensiva (UTI)Humanização na Unidade de terapia intensiva (UTI)
Humanização na Unidade de terapia intensiva (UTI)Tezin Maciel
 
Apostila de humanização atendimento 2
Apostila de  humanização  atendimento 2Apostila de  humanização  atendimento 2
Apostila de humanização atendimento 2MariaBritodosSantos
 
1189894295 2805.humanizacao da_relacao_nos_servicos_de_saude
1189894295 2805.humanizacao da_relacao_nos_servicos_de_saude1189894295 2805.humanizacao da_relacao_nos_servicos_de_saude
1189894295 2805.humanizacao da_relacao_nos_servicos_de_saudePelo Siro
 
Humanização Na Radiologia
Humanização Na RadiologiaHumanização Na Radiologia
Humanização Na RadiologiaUiliam Santos
 
Caminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saudeCaminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saudejccbf
 
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPiaConflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPiagalegoo
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na SaúdeYlla Cohim
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importânciaCélia Costa
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem resenfe2013
 
História da unidade de terapia intensiva no brasil
História da unidade de terapia intensiva no brasilHistória da unidade de terapia intensiva no brasil
História da unidade de terapia intensiva no brasiljudicleia silva
 

Mais procurados (20)

Palestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no AtendimentoPalestra de Humanização no Atendimento
Palestra de Humanização no Atendimento
 
Humanização Intensiva: Eu humanizo, Tu humanizas... Ele melhora!
Humanização Intensiva: Eu humanizo, Tu humanizas... Ele melhora!Humanização Intensiva: Eu humanizo, Tu humanizas... Ele melhora!
Humanização Intensiva: Eu humanizo, Tu humanizas... Ele melhora!
 
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEMHUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
 
Humanização na Unidade de terapia intensiva (UTI)
Humanização na Unidade de terapia intensiva (UTI)Humanização na Unidade de terapia intensiva (UTI)
Humanização na Unidade de terapia intensiva (UTI)
 
Apostila de humanização atendimento 2
Apostila de  humanização  atendimento 2Apostila de  humanização  atendimento 2
Apostila de humanização atendimento 2
 
(Re)Humanização na Saúde
(Re)Humanização na Saúde(Re)Humanização na Saúde
(Re)Humanização na Saúde
 
1189894295 2805.humanizacao da_relacao_nos_servicos_de_saude
1189894295 2805.humanizacao da_relacao_nos_servicos_de_saude1189894295 2805.humanizacao da_relacao_nos_servicos_de_saude
1189894295 2805.humanizacao da_relacao_nos_servicos_de_saude
 
Você faz a diferença!
Você faz a diferença!Você faz a diferença!
Você faz a diferença!
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
 
Humanização ações fazem a diferença
Humanização  ações fazem a diferençaHumanização  ações fazem a diferença
Humanização ações fazem a diferença
 
humanização saúde
humanização saúdehumanização saúde
humanização saúde
 
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
A HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) NA FUNDAÇÃO CENTRO DE CON...
 
Humanização na saude
Humanização na saudeHumanização na saude
Humanização na saude
 
Humanização Na Radiologia
Humanização Na RadiologiaHumanização Na Radiologia
Humanização Na Radiologia
 
Caminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saudeCaminhos da humanizacao_na_saude
Caminhos da humanizacao_na_saude
 
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPiaConflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importância
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
 
História da unidade de terapia intensiva no brasil
História da unidade de terapia intensiva no brasilHistória da unidade de terapia intensiva no brasil
História da unidade de terapia intensiva no brasil
 

Destaque

Foto-foto Komponis (SBK VIII)
Foto-foto Komponis (SBK VIII)Foto-foto Komponis (SBK VIII)
Foto-foto Komponis (SBK VIII)Azizahluthfi
 
Csapó Endre - zsidó világkongresszus volt Budapesten
Csapó Endre -  zsidó világkongresszus volt Budapesten Csapó Endre -  zsidó világkongresszus volt Budapesten
Csapó Endre - zsidó világkongresszus volt Budapesten Arany Tibor
 
The leading skills project (lsp), 0.001 [intro]
The leading skills project (lsp), 0.001 [intro]The leading skills project (lsp), 0.001 [intro]
The leading skills project (lsp), 0.001 [intro]TheLeadingSkills
 
Performance Testing: Eliminate System Outages and Save Millions
Performance Testing: Eliminate System Outages and Save MillionsPerformance Testing: Eliminate System Outages and Save Millions
Performance Testing: Eliminate System Outages and Save MillionsMethod360
 
Investigacion de mercados
Investigacion de mercadosInvestigacion de mercados
Investigacion de mercadosErnesto Cote
 

Destaque (6)

Sukatan bmm3105
Sukatan bmm3105Sukatan bmm3105
Sukatan bmm3105
 
Foto-foto Komponis (SBK VIII)
Foto-foto Komponis (SBK VIII)Foto-foto Komponis (SBK VIII)
Foto-foto Komponis (SBK VIII)
 
Csapó Endre - zsidó világkongresszus volt Budapesten
Csapó Endre -  zsidó világkongresszus volt Budapesten Csapó Endre -  zsidó világkongresszus volt Budapesten
Csapó Endre - zsidó világkongresszus volt Budapesten
 
The leading skills project (lsp), 0.001 [intro]
The leading skills project (lsp), 0.001 [intro]The leading skills project (lsp), 0.001 [intro]
The leading skills project (lsp), 0.001 [intro]
 
Performance Testing: Eliminate System Outages and Save Millions
Performance Testing: Eliminate System Outages and Save MillionsPerformance Testing: Eliminate System Outages and Save Millions
Performance Testing: Eliminate System Outages and Save Millions
 
Investigacion de mercados
Investigacion de mercadosInvestigacion de mercados
Investigacion de mercados
 

Semelhante a Apresentação def.

Texto 5 psicologia e humanização
Texto 5   psicologia e humanizaçãoTexto 5   psicologia e humanização
Texto 5 psicologia e humanizaçãoPsicologia_2015
 
1702201605295700000099
17022016052957000000991702201605295700000099
1702201605295700000099jakemarques
 
Educação em Saúde Baseado nas necessidades da clientela atendida pelo Program...
Educação em Saúde Baseado nas necessidades da clientela atendida pelo Program...Educação em Saúde Baseado nas necessidades da clientela atendida pelo Program...
Educação em Saúde Baseado nas necessidades da clientela atendida pelo Program...Jessica Mendes
 
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalPrincípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalAssociação Viva e Deixe Viver
 
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...AndressonSimplicio
 
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptxSocorro Carneiro
 
HUMANIZAÇÃO.pptx
HUMANIZAÇÃO.pptxHUMANIZAÇÃO.pptx
HUMANIZAÇÃO.pptxtuttitutti1
 
Conteúdo_teórico_MODULO_3_Bioética_e_Atribuições
Conteúdo_teórico_MODULO_3_Bioética_e_AtribuiçõesConteúdo_teórico_MODULO_3_Bioética_e_Atribuições
Conteúdo_teórico_MODULO_3_Bioética_e_Atribuiçõesaagapesantamarcelina
 
15629 53695-1-pb
15629 53695-1-pb15629 53695-1-pb
15629 53695-1-pbRikhardo Rk
 
Capacitação dos profissionais da rede: transformação com as PICs
Capacitação dos profissionais da rede: transformação com as PICsCapacitação dos profissionais da rede: transformação com as PICs
Capacitação dos profissionais da rede: transformação com as PICscomunidadedepraticas
 
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasServiço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasPedro Paulo Martins SCremin
 
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasServiço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasPedro Paulo Martins SCremin
 
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasServiço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasPedro Paulo Martins SCremin
 

Semelhante a Apresentação def. (20)

Texto 5 psicologia e humanização
Texto 5   psicologia e humanizaçãoTexto 5   psicologia e humanização
Texto 5 psicologia e humanização
 
1702201605295700000099
17022016052957000000991702201605295700000099
1702201605295700000099
 
Educação em Saúde Baseado nas necessidades da clientela atendida pelo Program...
Educação em Saúde Baseado nas necessidades da clientela atendida pelo Program...Educação em Saúde Baseado nas necessidades da clientela atendida pelo Program...
Educação em Saúde Baseado nas necessidades da clientela atendida pelo Program...
 
Visitadomic
VisitadomicVisitadomic
Visitadomic
 
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalPrincípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
 
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
CUIDADO EM ENFERMAGEM E SAÚDE: OS DESAFIOS DO ENFERMEIRO FRENTE AOS CUIDADOS ...
 
Mostra de monitoria
Mostra de monitoriaMostra de monitoria
Mostra de monitoria
 
B1103031217
B1103031217B1103031217
B1103031217
 
Tcd finalizado
Tcd finalizadoTcd finalizado
Tcd finalizado
 
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
 
HUMANIZAÇÃO.pptx
HUMANIZAÇÃO.pptxHUMANIZAÇÃO.pptx
HUMANIZAÇÃO.pptx
 
O Cuidado à Saúde na Atenção Primária
O Cuidado à Saúde na Atenção PrimáriaO Cuidado à Saúde na Atenção Primária
O Cuidado à Saúde na Atenção Primária
 
Apresentação teoria transcultural
Apresentação teoria transculturalApresentação teoria transcultural
Apresentação teoria transcultural
 
Anais Open Meeting In Congress
Anais Open Meeting In CongressAnais Open Meeting In Congress
Anais Open Meeting In Congress
 
Conteúdo_teórico_MODULO_3_Bioética_e_Atribuições
Conteúdo_teórico_MODULO_3_Bioética_e_AtribuiçõesConteúdo_teórico_MODULO_3_Bioética_e_Atribuições
Conteúdo_teórico_MODULO_3_Bioética_e_Atribuições
 
15629 53695-1-pb
15629 53695-1-pb15629 53695-1-pb
15629 53695-1-pb
 
Capacitação dos profissionais da rede: transformação com as PICs
Capacitação dos profissionais da rede: transformação com as PICsCapacitação dos profissionais da rede: transformação com as PICs
Capacitação dos profissionais da rede: transformação com as PICs
 
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasServiço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
 
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasServiço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
 
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivasServiço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
Serviço de atendimento pré hospitalar caminhos e perspectivas
 

Apresentação def.

  • 1. UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ALUNA: Roberta Garrido Fernandes HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: uma realidade tangível Profª. Luisa Maria da Silva de Barcelos Rio de Janeiro 2011
  • 2. 1. INTRODUÇÃO Linha de pesquisa e área predominante: Relacionamento e Comunicação em Enfermagem. Temática : a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) como ferramenta para um cuidado humanizado. Objeto de estudo: adota a importância da utilização da SAE como fator primordial na prática de um cuidado humanizado.
  • 3. Motivação Problematização: em que contexto a SAE vem a corroborar para um cuidado mais humanizado? Objetivo: evidenciar que a SAE, uma vez bem aplicada, torna o cuidado dispensado ao paciente mais individualizado e portanto humanizado.
  • 4. A pesquisa se justifica pela necessidade do desenvolvimento do cuidar humanizado, visando a individualidade do paciente baseado não em pressupostos empíricos, mas no conhecimento científico, visando uma assistência além de humanizada, pautada em alicerces fortes e pouco contestáveis. Daí a necessidade do desenvolvimento da SAE como ferramenta norteadora nessa busca do cuidado humanizado, sem o qual o mesmo não seria possível. Justificativa
  • 5. Ambiciona-se que o presente estudo, enquanto fonte de pesquisa e aprimoramento, venha a servir como fonte de crescimento profissional para os que o adotarem no decorrer de suas vidas. E ainda contribuir como material motivador aos acadêmicos de enfermagem, que ao articular a SAE com a humanização do cuidar, visem uma assistência por parte do enfermeiro, que deverá ater-se não só à enfermidade presente no paciente, como também, de seu bem estar como indivíduo. Relevância Acadêmica
  • 6. Relevância Social Este estudo buscará dirigir seu olhar para a valorização do cuidado no processo saúde-doença, atentar para que o enfermeiro reflita sobre o cuidar e as necessidades de cada paciente em sua individualidade frente a sua patologia. Desta forma espera-se que seja de grande relevância social, pois utilizando como ferramenta a SAE, o enfermeiro exerce um cuidar humanizado, que vai além de procedimentos, com isso obtendo-se um cuidado no qual o cliente é apreciado e observado como um todo, e não por partes.
  • 7. 2. METODOLOGIA: Abordagem Qualitativa: Minayo (2003) e Richardson (1999) Método Descritivo: Gil ( 1996) Tipo Bibliográfico: Cervo e Bervian (2002) e Vergara (2003) Cenários: acervos de Bibliotecas públicas e privadas do Estado do Rio de Janeiro. Sujeitos: livros, revistas especializadas, monografias entre outros. A análise de dados será realizada a partir de material bibliográfico já existentes.
  • 8. 3. REVISÃO DE LITERATURA 3. 1 Comunicação Humana Comunicação é um processo de compreender e compartilhar mensagens enviadas e recebidas. A história da humanidade constitui um esforço permanente de comunicação, e a sua evolução ao longo dos séculos está ligada ao seu poder. No encontro comunicativo descobrimos quem somos, nos compreendemos, crescemos em humanidade, mudamos para melhor e nos tornamos fator de transformação da realidade em que vivemos. O sucesso das relações interpessoais está ligado ao poder da comunicação, ou seja, é a conseqüência da boa compreensão da comunicação dos indivíduos uns com os outros. A percepção é muito importante durante todo o processo da comunicação. Sendo um dos principais determinantes de como e por que um indivíduo assume e mantém certas posições no momento exato da comunicação. Respaldado em: Silva (1996) e Delgalarrondo (2008)
  • 9. 3.2 A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM COMO INSTRUMENTO BÁSICO DO CUIDADO HUMANIZADO Surgiu com Florence Nighthingale a preocupação de que a enfermagem requeria conhecimentos próprios. Desde então muitas mudanças sucederam nas instituições de saúde. É claro que a tecnologia é necessária à modernização da assistência prestada. O que há é uma necessidade de ter instrumentos que visem atender as necessidades para orientar as ações que devem ser desenvolvidas pelo enfermeiro. Está aí inserida a SAE, que compreende um conjunto de ações que possibilitam aplicar o método científico na prática assistencial, ao criar ligações entre o problema de saúde, a intervenção do enfermeiro e os resultados da assistência de enfermagem oferecida. É condição sine qua non que o enfermeiro entenda que para proficiência do cuidar a SAE e o cuidado humanizado são conceitos indissociáveis quando a finalidade é dispensar ao paciente um cuidado com a individualidade e respeito que lhe conferem sua humanidade. Respaldado em Waldow (1998) e Tannure e Gonçalves (2008)
  • 10. “Quem cuida e se deixa tocar pelo sofrimento humano torna-se um radar de alta sensibilidade, se humaniza no processo e, para além do conhecimento científico, tem a preciosa chance e o privilégio de crescer em sabedoria.” Pessini
  • 11. REFERÊNCIAS: ALEXANDRE, M. J. de O. Construção do trabalho científico: um guia para projetos, pesquisas e relatórios científicos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003. ATKINSON, L. D.; MURRAY, M.E. Fundamentos de Enfermagem: introdução ao processo de enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989. BOFF L. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela terra. 11 ed. Petrópolis (RJ): Vozes; 2004. BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem. Decreto Lei nº 94.406, de 8 de junho de 1987. Regulamentação da Lei do Exercício Profissional de Enfermagem. Julho 1987. _______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar. Brasília: Ministério da Saúde. 2001.
  • 12. CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Prentice-Hall, 2002. CIANCIARULLO, T. I. Instrumentos básicos para o cuidar: um desafio para a qualidade da assistência. São Paulo: Atheneu, 2003. CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução 358/09. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem. Brasil. 2009. DELGALARRONDO, P. Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008. FERREIRA A.B.H. Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 2009. FRIEDLANDER M.R. O processo de enfermagem ontem, hoje e amanhã. São Paulo: Revista da Escola de Enfermagem, USP, Brasília, v. 34, n. 2, p.123-137, 1981.
  • 13. FRIEDLANDER M.R. O processo de enfermagem ontem, hoje e amanhã. São Paulo: Revista da Escola de Enfermagem, USP, Brasília, v. 34, n. 2, p.123-137, 1981. GARCIA, T. R. Cuidando de adolescentes grávidas solteiras. Ribeirão Preto, 1996. 256p. Tese (Doutorado) – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. 1996. GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1996 . HILGARD, E; ATKINSON, R. Introdução à Psicologia. 13. ed. São Paulo: Nacional, 2002. HORTA W.A. Processo de enfermagem. São Paulo: EPU, 1979. MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.
  • 14. NIGHTNGALE, F. Notas sobre enfermagem. São Paulo: Cortez. 1989. PESSINI, L. A filosofia dos cuidados paliativos: uma resposta diante da obstinação terapêutica. São Paulo: Loyola; 2004. RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999. RIZZOTTO, M. L. F. As políticas de saúde e a humanização da assistência. Revista Brasileira de Enfermagem, São Paulo, v. 55, n. 2, p. 196-199, 2002. RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis: Vozes, 2002. SILVA, M. J. P. Comunicação tem remédio: a comunicação nas relações interpessoais em saúde. São Paulo: Gente, 1996. SOUZA, M.F. de - Referencial Teórico. Revista Escola de Enfermagem USP, São Paulo, v.18, n.03, p. 223-234, 1984.
  • 15. STEFANELLI, M. C. Comunicação com paciente teoria e ensino. São Paulo: Robe editorial, 1993. TANNURE, M.C; GONÇALVES, A.M.P. SAE: Sistematização da Assistência de Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2003. WALDOW, V.R. Cuidado humano: o resgate necessário. Porto Alegre: Sagra Luzzatto; 1998. ________. Definições de cuidar e assistir: uma mera questão de semântica? Revista Gaúcha de Enfermagem. Rio Grande do Sul, v.19, n.01, p. 20-32, 1998. WEIL, Pierre; TOPAKOW, Roland. O Corpo Fala: a linguagem silenciosa da comunicação não-verbal. – Petrópolis: Vozes, 1986.