Isoladas de HISTÓRIA

2.419 visualizações

Publicada em

REVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO INDÚSTRIAL
REVOLUÇÃO MEIJI

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Isoladas de HISTÓRIA

  1. 1. ISOLADAS DE HISTÓRIA Prof. Bidu REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO INDÚSTRIAL REVOLUÇÃO MEIJI
  2. 2. 1789-1799 ´
  3. 3. Luís XIV ordenou a construção do Palácio de Versalhes, o símbolo da era absolutista, "simultaneamente incomensurável e harmônico".
  4. 4. O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO FOI UM MOVIMENTO LIDERADO PELA BURGUESIA CONTRA O REGIME ABSOLUTISTA.
  5. 5. • 1º ESTADO – CLERO: 25,6% • 2º ESTADO - NOBREZA: 23,7% • 3º ESTADO - PLEBE: 50,7% • Burguesia; • Sans-culottes (trabalhadores e marginalizados urbanos); • Camponeses (muitos submetidos à servidão)
  6. 6. • A NOBREZA NÃO ACEITAVA AS MUDANÇAS E A PERDA DE SEUS PRIVILÉGIOS; • TAL SITUAÇÃO LEVOU O TERCEIRO ESTADO A SE ARTICULAR E A DECLARAR A ASSEMBLÉIA NACIONAL , EM SUBSTITUIÇÃO À ASSEMBLÉIA DOS ESTADOS GERAIS;
  7. 7. A BURGUESIA CONSEGUIU APOIO POPULAR PARA TRANSFORMAR A ASSEMBLÉIA NACIONAL EM UMA ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE; A ASSEMBLÉIA PASSARIA A TER COMO OBJETIVO A ELABORAÇÃO DE UMA CONSTITUIÇÃO PARA A FRANÇA; A CONSTITUIÇÃO IMPLICARIA NO FIM DO ABSOLUTISTMO MONÁRQUICO; LUÍZ XVI TENTOU DISSOLVER A ASSEMBLÉIA, MAS A POPULAÇÃO ERA A FAVOR DA QUEDA DO REGIME MONÁRQUICO.
  8. 8. • A REVOLUÇÃO SE PROPAGOU POR TODA A FRANÇA. • AS REVOLTAS CAMPONESAS FORAM TOMANDO UMA DIMENSÃO TÃO SIGNIFICATIVA QUE PASSARAM A SER TEMIDAS ATÉ MESMO PELA BURGUESIA REVOLUCIONÁRIA. • AS CONSTANTES ONDAS DE VIOLÊNCIA NAS PROPRIEDADES FEUDAIS GERARAM UM SENTIMENTO DE INSTABILIDADE.
  9. 9. OS BURGUESES, REUNIDOS NA ASSEMBLÉIA, APROVARAM REFORMAS REINVIDICADAS PELOS CAMPONESES. A ABOLIÇÃO DOS PRIVILÉGIOS FEUDAIS, COMO A COBRANÇA DE IMPOSTOS, GARANTIA A TÃO SONHADA IGUALDADE JURÍDICA AOS TRABALHADORES CAMPONESES.
  10. 10. • NO DIA 26 DE AGOSTO, OCORREU UM PASSO DECISIVO EM DIREÇÃO À CONQUISTA DAS LIBERDADES INDIVIDUAIS. • PRIMEIRO DOCUMENTO ESCRITO QUE GARANTIA IGUALDADE DE CONDIÇÕES A TODOS OS FRANCESES.
  11. 11. O PODER FICOU COM OS JACOBINOS REPRESENTANTES DA PEQUENA BURGUESIA, ERA O GRUPO MAIS RADICAL, QUE EXIGIA PROFUNDAS REFORMAS POLÍTICAS E SOCIAIS, ENTRE ELAS A PRÓPRIA DEPOSIÇÃO DO REI. O PARTIDO DE CENTRO ERA A PLANÍCIE, QUE REPRESENTAVA A ALTA BURGUESIA. OS GIRONDINOS, REPRESENTANTES DA ALTA BURGUESIA, TINHAM TENDÊNCIA MODERADA, EVITAVAM AS CONQUISTAS POPULARES E DEFENDIAM A MANUTENÇÃO DO REGIME MONÁRQUICO.
  12. 12. O LIDER MAXIMILIEN ROBESPIERRE FOI DOMINANDO O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO, INAUGURANDO O CHAMADO PERÍODO DE TERROR, MARCADO PELA VIOLÊNCIA.
  13. 13. CONDENAÇÕE S À MORTE NA GUILHOTINA TORNARAM-SE CORRIQUEIRAS NA FASE DO TERROR
  14. 14. LUÍS XVI FOI PRESO E CONDENADO A MORTE EM 1793.
  15. 15. DIANTE DA AMEAÇA DE MUDANÇA POR PARTE DOS JACOBINOS, RESTAVA AOS GIRONDINOS RETOMAR O CONTROLE DO PROCESSO E DETER AS CONQUISTAS POPULARES. EM 1795, A REVOLUÇÃO TOMOU OUTRO RUMO: INICIOU-SE A REAÇÃO BURGUESA, RESPONSÁVEL PELO GOLPE QUE DERRUBOU ROBESPIERRE E PÔS FIM AO PREDOMÍNIO DOS JACOBINOS.
  16. 16. ROBESPIERRE FOI VÍTIMA TAMBÉM DA GUILHOTINA, INSTRUMENTO QUE ELE DEFENDIA PARA PUNIR OS TRAIDORES DA REVOLUÇÃO.
  17. 17. • FOI MARCADO PELA REPRESSÃO AOS MOVIMENTOS DE CARÁTER POPULAR. • A ALTA BURGUESIA FOI CONDUZINDO A FASE FINAL DO PROCESSO REVOLUCIONÁRIO GARANTINDO SEUS INTERESSES. • ENTRETANTO, A INSTABILIDADE POLÍTICA E SOCIOECONÔMICA CONTINUAVA. • OS GIRONDINOS BUSCAM ALIANÇA COM OS MILITARES.
  18. 18. SURGE NESSA FASE A FIGURA DO GENERAL AUSTRÍACO NAPOLEÃO BONAPARTE, ALIADO DOS GIRONDINOS.
  19. 19. • Napoleão Bonaparte foi um importante líder do exército nacional. • Napoleão passou a controlar o poder executivo. • No âmbito político, as aspirações das classes populares foram afastadas. • Criava-se uma verdadeira República burguesa.
  20. 20. • Em 1804, ocorreu mais uma fase importante da história política francesa. • A modificação da Constituição resultou no restabelecimento do regime monárquico e Napoleão assumiu o poder como imperador da França.
  21. 21. • A FRANÇA PROMOVEU DIVERSAS CAMPANHAS MILITARES DE CARÁTER EXPANSIONISTA NO PERÍODO NAPOLEÔNICO. • ALGUMAS BEM SUCEDIDAS, RESULTARAM NA ANEXAÇÃO DE ALGUNS TERRITÓRIOS NA ITÁLIA, NA ESPANHA E NO LESTE EUROPEU (REINOS GERMÂNICOS E AUSTRIÁCO)
  22. 22. • O ÚNICO RIVAL QUE PODIA RESISTIR A EXÉRCITO DE NAPOLEÃO ERA A INGLATERRA. • NAPOLEÃO DECRETA O BLOQUEIO CONTINENTAL. • A IDÉIA ERA SIMPLES: O PAÍS EUROPEU QUE OUSASSE FAZER COMÉRCIO COM A INGLATERRA SOFRERIA NA CARNE A VIGANÇA DE NAPOLEÃO.
  23. 23. • O BLOQUEIO CONTINENTAL NÃO DEU CERTO. • A CAMPANHA MILITAR NA RUSSIA FOI UM DESASTRE.
  24. 24. NAPOLEÃO FOI PRESO E MANDADO PARA A ILHA DE ELBA. http://professorajack.blogspot.co m
  25. 25. • Os vencedores impuseram um novo rei: Luís XVIII, irmão do rei guilhotinado. • Os camponeses se agitaram e a burguesia rejeitou o retorno do antigo regime. • Napoleão voltou,mas governou apenas por 100 dias. • Em junho de 1815 e foi enviado como prisioneiro para ilha de Santa Helena. • Em 1821 morreu doente. http://professorajack.blogspot.com
  26. 26. "Invocando o direito natural, tal qual os americanos, a Revolução Francesa conferiu à sua obra um caráter universal que a liberdade britânica não possuía, e afirmou esse caráter com muito mais força. Ela não proclamou apenas a república: instituiu o sufrágio universal. Ela não liberou apenas os brancos: aboliu a escravidão. Ela não se contentou com a tolerância: mas reconheceu a liberdade de consciência, admitiu os protestantes e os judeus na cidade e, criando um estado civil, reconheceu a cada um o direito de não aderir a nenhuma religião." Georges Lefebvre, "La Place de la Révolution Française dans l'Histoire du Monde," Annales. Économies, Sociétés, Civilisations. 3ème année, 3 (Juillet - Septembre 1948), p 264.
  27. 27. O pioneirismo inglês Entre as condições que explicam o pioneirismo inglês, podemos citar: •capitais acumulados ( pirataria e comércio internacional, incluindo o tráfico negreiro) •a mão-de-obra em abundância e barata (cercamentos) •a existência de minas de carvão e ferro (necessários para a indústria) •a força do calvinismo(puritanismo), que não condenava o lucro e pregava uma vida disciplinada e voltada para o trabalho •a posição geográfica privilegiada (industria naval, comércio naval, preservada das guerras) •as conquistas conseguidas com a Revolução Inglesa, o fim do absolutismo e o mercantilismo, portanto a consolidação do poder da burguesia
  28. 28. Transformações no mundo do trabalho Artesanato: nesse sistema de produção o artesão trabalha por conta própria, possuía seus instrumentos de trabalho, dominando todas as etapas de produção. Manufatura:esse sistema de produção caracteriza-se pela divisão de trabalho, os trabalhadores são reunidos num mesmo local de trabalho e cada um desempenha uma atividade específica, aumentando a produtividade. Maquinofatura: nesse sistema de produção existe a divisão de trabalho,as ferramentas são substituídas pelas máquinas, que são acionadas pelos trabalhadores. As pessoas não trabalham mais em suas casas ou em oficinas, mas em fábricas
  29. 29. Nasce o mundo das máquinas: as fábricas A máquina a vapor é usada na indústria têxtil
  30. 30. A necessidade é a mãe das invenções Nos teares manuais os trabalhadores só produziam tecidos do tamanho de seus braços, é inventada a lançadeira volante, que adaptada aos teares, acabava com esses limites Lançadeira volante Com a falta de fios, que até então eram produzidos na roca de fiar, foi inventada a spinning jenny, que permitia ao trabalhador produzir até 80 fios de uma só vez A necessidade de produzir fios mais resistentes levou a invenção de water-frame.
  31. 31. A revolução nos meios de transportes The Rocket atingia 25 Km por hora Barcos a vapor A primeira viagem transoceânica durou 21 dias Locomotiva 47 Km por hora
  32. 32. E as cidades cresceram...
  33. 33. A exploração dos trabalhadores
  34. 34. A exploração do trabalhador: o trabalho feminino e infantil
  35. 35. Exploração do trabalho infantil: herança da revolução industrial
  36. 36. As péssimas condições de vida e moradia dos operários Surgem os cortiços
  37. 37. Consequências da Revolução Industrial •Surgimento de um novo grupo social, o operariado •Crescimento das cidades, da urbanização e o despovoamento das áreas rurais •Aumento da produção de mercadorias e consequentemente a necessidade de busca de novos mercados consumidores (neocolonialismo – colonização da África e Ásia) •Consolidação do sistema capitalista e sua consequente expansão para o mundo •Desenvolvimento dos meios de transportes •Aumento da degradação da natureza (exploração das matérias-primas e da poluição) •A grande exploração dos trabalhadores provocarão os protestos operários e a formação dos primeiros sindicatos.
  38. 38. Evolução do Processo Produtivo PPrrooffeessssoorr HHiiggoorr LLooppeess PPrruuccoollii Antes da Revolução Industrial Depois da Revolução Industrial Forma de Produção Artesanato Manufatura Mecanização Unidade Produtora Doméstica Grande oficina Fábrica Relação entre o produtor e o produto final Trabalho realizado por uma única pessoa Divisão do trabalho / linha de produção. Aumento da divisão do trabalho / crescimento das linhas de produção.
  39. 39. O Japão na Era Moderna Revolução Meiji
  40. 40. Modernização • O ingresso do país na Era Moderna ocorre na segunda metade do século XIX, com a abertura dos portos ao comércio com o Ocidente. Em 1868 começa a Era Meiji: assume o Imperador Mutsuhito, que abole o feudalismo. • No final do século XIX, tendo resistido ao imperialismo ocidental, dá início à sua própria expansão...
  41. 41. Antecedentes • Japão se fechou ao Ocidente, permanecendo dessa forma até 1859, quando foram restabelecidas as relações comerciais com o Ocidente. • Na época, o governo japonês era representado pelo shogunato. Os shoguns ou bakufu eram chefes militares e representavam os senhores feudais.
  42. 42. Revolução Meiji (1867--1868) • ocasionou o fim do shogunato, com a restauração do poder do imperador, assumindo o trono a dinastia Meiji.
  43. 43. • Esta dinastia unificou o país, retirando dos senhores feudais seus privilégios políticos e econômicos, modernizou-o, dando início à industrialização, e em pouco tempo transformou-o na maior potência do Oriente.
  44. 44. • A partir de 1876, o porte de espada passou a ser proibido. A espada para o samurai representava a própria alma do guerreiro.
  45. 45. O imperador Meiji – governo iluminado – aos 25 anos, em uniforme ocidental. Foi o responsável pela modernização e ocidentalização do país.
  46. 46. CONSEQUÊNCIAS • IMPERIALISMO E DOMINAÇÃO DO JAPÃO NO ORIENTE • A 2ª GUERRA MUNDIAL • O JAPÃO HOJE
  47. 47. RESUMO
  48. 48. PARA SABER MAIS ASSISTA OS FILMES:

×