FIM DA REPÚBLICA VELHA

15.383 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

FIM DA REPÚBLICA VELHA

  1. 1. Fim da República Velha PROF. CARLOS BENJOINO
  2. 2. CARACTERÍSTICAS
  3. 3. CoronelismoAcordo entre o governo estatal e os grandes proprietários de terras
  4. 4. O termo coronel significava chefe político de um determinado local quegeralmente era dono de terras. Da forma com que prestavam serviços ao PoderExecutivo os coronéis ganhavam prestígio e força. O coronelismo foi um períodode práticas autoritárias e violentas comandadas pelos coronéis, fato que ocorreuaté aproximadamente 1960. Os coronéis controlavam as pessoas da região e asobrigava a realizar fatos e tomar decisões segundo sua vontade. Aproveitavam ofato de que as pessoas eram desinformadas e pouco educadas para motivá-las afazer segundo o que lhes era proposto. Os coronéis conseguiam formar regimes etributos em sua região assim como estipular impostos e promover a candidaturade seu elegido. Como possuíam grande quantidade de colonos em suas terras e havia respeitoseguido de “medo” por grande parte da população rural da região, os coronéisabusavam do seu prestígio para manipular as pessoas e até obrigá-las sob formabrutal a fazer sua vontade. Essa situação começou a mudar quando as famíliascomeçaram a migrar para os centros urbanos, o que lhes proporcionou acesso àeducação, aos direitos que possuíam e aos meios de comunicação. Por causa dessamigração, os coronéis começaram a impor seus desejos através da força e daameaça, as famílias obedeciam ao seu desejo com medo da violência que poderiamsofrer e temiam que o seu sustento fosse tomado.
  5. 5. Voto de Cabresto
  6. 6. Voto de CabrestoNa República Velha, o sistema eleitoral era muito frágil e fácil de sermanipulado. Os coronéis compravam votos para seus candidatos ou trocavamvotos por bens matérias (pares de sapatos, óculos, alimentos, etc.). Como ovoto era aberto, os coronéis mandavam capangas para os locais de votação,com objetivo de intimidar os eleitores e ganhar votos. As regiões controladaspoliticamente pelos coronéis eram conhecidas como currais eleitorais.
  7. 7. 03/13/12 7
  8. 8. O CANGAÇO• Nordeste Brasileiro• Banditismo Social• Forma de Contestação Social• Lampião• 1938: Fim do Cangaço03/13/12 8
  9. 9. 03/13/12 9
  10. 10. 03/13/12 10
  11. 11. – Os cangaceiros foram perseguidos pela polícia volante e exterminados um a um. Eram os únicos que despertavam medo nos coronéis, justamente por não terem perspectiva de melhorar sua condição e portanto não precisar temer o desrespeito das leis vigentes LAMPIÃO
  12. 12. Semana da Arte ModernaQuadro de Tarsila do Amaral, o Abaporu
  13. 13. Final do séc. XIX e início do séc. XX,o pensamento e a tradição européiaestavam se esgotando, os novosartistas e pensadores estavamsurgindo para mudar radicalmente oque seus mestres do passado tinhamexecutado e idealizado. A artemoderna surgiu em forma de pintura eescultura. Os artistas na virada doséculo queriam algo que não fosseparecido com o clássico e nem quecopiasse a natureza, queriam umasimplicidade diferente da Renascençae do Barroco. Os impressionistas,primeiros pintores modernos,geralmente escolhiam cenas deexteriores como temas para suasobras: paisagens, pessoas humildes,etc. 
  14. 14. • A Semana de Arte Moderna (SP – fev/1922): – Crítica aos padrões artísticos e literários formais (métrica, rima, saudosismo, sentimentalismo). – Criação de uma nova estética sem fórmulas fixas e limitadoras da criatividade. – “Paulicéia Desvairada” – MÁRIO DE ANDRADE: primeira obra modernista. – Principais representantes: Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Manuel Bandeira, Menotti del Picchia (literatura), Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti (pintura), Villa-Lobos (música),
  15. 15. • O Tenentismo: – Movimento da baixa oficialidade do exército (tenentes e capitães). – Classe média urbana e letrada. – Contra o poder central das oligarquias. – Objetivos: moralização política (voto secreto, fim das fraudes, afastamento do controle oligárquico), ensino obrigatório, centralização positivista. – Programa elitista – para o povo, mas sem o povo. – Consideravam-se a “salvação nacional”.
  16. 16. – Revolta do Forte de Copacabana ou os 18 do Forte (RJ 1922): • Contra a posse do presidente Arthur Bernardes (1922). • Episódio das “Cartas Falsas”. • Movimento fracassou, mas 18 integrantes (sendo um civil) marcharam em Copacabana contra uma tropa do governo de mais de 3 mil homens. Sobreviveram ao gesto suicida dois tenentes: Siqueira Campos e Eduardo Gomes.
  17. 17. – Rebelião Paulista (1924): • Tenentes tomam o poder de São Paulo, liderados por Isidoro Dias Lopes, por 22 dias, até a reorganização das tropas federais. Fogem para o Paraná onde se encontram com outro grupo de tenentes vindos do RS, liderados por Luís Carlos Prestes.
  18. 18. – Coluna Prestes (1924 – 1927): • Líder: Luís Carlos Prestes (“o Cavaleiro da Esperança”). • Marcha pelo interior do Brasil tentando debilitar o governo de Arthur Bernardes e conseguindo mais adeptos para a causa tenentista. • Caráter social mais amplo: alguns mencionavam o desejo pelo voto feminino e pela reforma agrária. • Fracassou. Seus integrantes se exilaram na Bolívia. Alguns retornaram ao Brasil posteriormente.
  19. 19. A COLUNA PRESTES:
  20. 20. A revolução de 1930 – O fim da República Velha
  21. 21. A 1930 se iniciou em 3 de outubro 1930 e que deu fim na republica velha. Acausa dessa revolução foi a quebra do acordo da política do café-com-leitepelo presidente Washington Luis. Um grupo de oligarquias insatisfeitos,principalmente de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraíba criaram umachapa eleitoral contra a candidatura de Júlio Prestes. Essa chapa eraconhecida como Aliança Liberal, e essa chapa prometia um conjunto demedidas reformistas. Os liberais defendiam a instituição do voto secreto, oestabelecimento de uma legislação trabalhista e o desenvolvimento daindústria nacional. Washington Luis que sendo paulista indicou outropaulista pra substituir ele. Derrotado nas eleições, que foi considerada comofraude, o candidato da oposição Getulio Vargas aproveitou-se da morte deJoão Pessoa e liderou o movimento armado contra Washington Luis. O fimda revolução de 1930 foi em 24 de outubro com a deposição de WashingtonLuis pelos chefes militares. A revolução de 1930 foi vitoriosa, e em 3 denovembro foi a posse de Getulio Vargas como chefe de governo provisório.
  22. 22. 4. O fim da República Velha:• Manifestações de diversos setores abalam o poder do governo. – Movimento operário. – Movimento tenentista.• A Revolução de 30: – Crise de 29 abala poder econômico dos cafeicultores. – Governo não tem como valorizar artificialmente o café. – Rompimento do pacto do café-com-leite: era a vez de MG indicar o candidato, porém, SP indica o paulista Júlio Prestes para a sucessão do presidente Washington Luís.
  23. 23. – MG + RS + PB formam a ALIANÇA LIBERAL com os candidatos Getúlio Vargas (RS) e João Pessoa (PB) para presidente e vice, respectivamente.– Aliança liberal recebe apoio de alguns tenentes e classe média urbana, além de várias outras oligarquias dissidentes.– Júlio Prestes vence eleição fraudulenta.– Protestos contra o resultado das urnas tomam conta do país.
  24. 24. – João Pessoa é assassinado na PB.– Agitação popular aumenta.– Exército resolve depor o então presidente Washington Luís antes mesmo da posse de Júlio Prestes e entregar a presidência ao comandante em chefe da revolta, Getúlio Vargas.
  25. 25. 03/13/12 25

×