CARLOS BENJOINO Bidu
 Escravidão:  é uma forma de trabalho compulsório, isto é, ao qual o trabalhador está obrigado, mesmo contra a sua vontad...
O uso de mão de obra escrava vemsendo usado pelo homem desde ostempos mais remotos. Desde os gregos,até os nazistas do séc...
 Na Grécia e na Roma Antiga, a escravidão era a  base da economia. Podiam ser escravos prisioneiros de guerra,  filhos d...
Existem diversos tipos de escravidão mais os              três principais são:          3.    Escravidão por raça;        ...
O trabalho escravo indígena foi usadosobretudo na exploração do pau-brasil,já queo trabalho nos engenhos de açúcar era mui...
O tráfico de escravos foi, durante séculos, uma     das atividades mais lucrativas do comércio    internacional, com a Áfr...
 CASTRO   ALVESEm 18 de abril de 1868o jovem poeta CastroAlves eternizou oSofrimento dos africanosnos porões dos navios.
 NÃO   APENAS MÃO DE OBRA BRUTA:
Na África, os escravos eram adquiridos por  traficantes a preços baixos e revendido a   preços altos na América. Muitas ve...
A maioria dos africanos trazidos à colônia  portuguesa como escravos pertencia a doisgrandes grupos étnicos: os bantos, or...
Os escravos começavam o trabalho ao raiar o dia e só paravam ao escurecer. Seu principalalimento era a mandioca. Os escrav...
Os principais castigos físicos sofridos pelos escravos eram:   Tronco – Os escravos ficavam presos imobilizados por  hora...
As principais mudanças culturais impostas aos escravos                 negros africanos eram:                          PPP...
Grande parte do escravos negros fugitivos reuniram-se em  comunidades chamadas de quilombos. A maior parte dos  quilombos ...
 Século XVIII: Quilombo do Quariterê ou do Piolho. Características: Localização: Guaporé. População: negros, índios c...
 Forma  de Governo: Monarquia ( Rainha  Teresa de Benguela) Economia: Agricultura de subsistência. Existência de um sin...
Evolução das leisLei Eusébio de Queirós (1850) – Proibia o tráfico de                  escravos no Brasil;  Lei do Ventre ...
A escravidão marcou a sociedade brasileira atual.Os negros e mulatos, que descendem dos antigosescravos, são a maioria dos...
Os direitos humanos são os direitos e liberdadesbásicos de todos os seres humanos. Normalmenteo conceito de direitos human...
A escravatura permanece nos nossos dias...
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Discutindo a Escravidão
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Discutindo a Escravidão

8.670 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.670
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.728
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
375
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Discutindo a Escravidão

  1. 1. CARLOS BENJOINO Bidu
  2. 2.  Escravidão: é uma forma de trabalho compulsório, isto é, ao qual o trabalhador está obrigado, mesmo contra a sua vontade. O que caracteriza a escravidão, no conjunto das formas de trabalho compulsório, é o fato de que o trabalhador é uma propriedade de seu patrão.
  3. 3. O uso de mão de obra escrava vemsendo usado pelo homem desde ostempos mais remotos. Desde os gregos,até os nazistas do século XX, o uso de talforma de exploração sempre foijustificado, entretanto somente com acolonização européia nas Américas é queeste sistema encontrou sua forma maiscruel.
  4. 4.  Na Grécia e na Roma Antiga, a escravidão era a base da economia. Podiam ser escravos prisioneiros de guerra, filhos de escravos e pessoas que contraíam dívidas e não conseguiam pagá-las. Na Grécia , com exceção da Ática após a legislação de Sólon, o pai podia vender seus filhos como escravos. As mulheres são destinadas aos trabalhos domésticos. Aos escravos do sexo masculino são distribuídos, trabalhos pesados como a agricultura, pastoreio e obras públicas.
  5. 5. Existem diversos tipos de escravidão mais os três principais são: 3. Escravidão por raça; 4. Escravidão por dívida; 5. Escravidão por guerra.
  6. 6. O trabalho escravo indígena foi usadosobretudo na exploração do pau-brasil,já queo trabalho nos engenhos de açúcar era muito diferente daquele que os indígenas estavam acostumados e ao governo português interessava mais que os indígenas continuassem a se dedicar à coleta dasriquezas naturais da terra, como o pau-brasil.
  7. 7. O tráfico de escravos foi, durante séculos, uma das atividades mais lucrativas do comércio internacional, com a África sendo duramente disputadas pelas principais potências da Europa.Os primeiros escravos negroschegaram ao Brasil com a expediçãode Martim Afonso de Souza em 1530,vindos da Guiné. A partir da décadade 1550, o tráfico negreirointensificou-se, sendo oficializado em1568 pelo governador-geral SalvadorCorrea de Sá.
  8. 8.  CASTRO ALVESEm 18 de abril de 1868o jovem poeta CastroAlves eternizou oSofrimento dos africanosnos porões dos navios.
  9. 9.  NÃO APENAS MÃO DE OBRA BRUTA:
  10. 10. Na África, os escravos eram adquiridos por traficantes a preços baixos e revendido a preços altos na América. Muitas vezes, o açúcar, o tabaco, a aguardente e outrosprodutos serviam de moeda de troca. Quando chegavam à América portuguesa, os escravoseram colocados à venda em mercados. Ficavam a mostra em exposição sendo tratados como mercadorias.
  11. 11. A maioria dos africanos trazidos à colônia portuguesa como escravos pertencia a doisgrandes grupos étnicos: os bantos, originários de Angola, Moçambique e Congo, e que se tornaram mais numerosos no centro-sul e no Nordeste; e os sudaneses, provenientes da Guiné, da Nigéria e da Costa do Ouro, e queforam levados principalmente para a região da Bahia.
  12. 12. Os escravos começavam o trabalho ao raiar o dia e só paravam ao escurecer. Seu principalalimento era a mandioca. Os escravos viviam e trabalhavam vigiados por capatazes e feitores. Quando fugiam, eram perseguidos pelos capitães-do-mato, que recebiam certa quantia por escravo capturado e devolvido ao senhor.
  13. 13. Os principais castigos físicos sofridos pelos escravos eram:  Tronco – Os escravos ficavam presos imobilizados por horas e as vezes dias, o que provocava inchaço das pernas, formigamento e forte dores; Bacalhau – Espécie de chicote de couro cru, que rasgava a pele; muitas vezes os feitores passavam sal nos ferimentos, tornando a dor ainda maior;  Vira-mundo – Instrumento de ferro que prendia mãos e pés; Gargalheira – Colar de ferro com várias hastes em forma de gancho.
  14. 14. As principais mudanças culturais impostas aos escravos negros africanos eram: PPP Alimentação – Eles comiam o que o senhor lhes dava;  Roupas – Eram obrigados a vestir grossos panos de algodão; Língua – Eram obrigados a aprender a língua local dos portugueses;  Religião – Eram obrigados a adotarem o catolicismo como religião.
  15. 15. Grande parte do escravos negros fugitivos reuniram-se em comunidades chamadas de quilombos. A maior parte dos quilombos organizaram-se no Nordeste (Sergipe, Alagoas e Bahia). Os habitantes do quilombos eram chamados de quilombolas.Dentre os quilombos mais conhecidos, destacam-se os da Serra da Barriga, região situada entre os atuais estados de Alagoas e Pernambuco. Eram cerca de dez quilombos, unidos sob o nome de Palmares, que resistiram durante quase todo o século XVII aos ataques do governo e dos senhores de escravos. Palmares chegou a ter entre 20 mil e 30 mil habitantes e seu líder mais importante foi Zumbi.
  16. 16.  Século XVIII: Quilombo do Quariterê ou do Piolho. Características: Localização: Guaporé. População: negros, índios cabixis e caburés (mestiços)
  17. 17.  Forma de Governo: Monarquia ( Rainha Teresa de Benguela) Economia: Agricultura de subsistência. Existência de um sincretismo religioso. Destruição: Capitão-General João de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres.
  18. 18. Evolução das leisLei Eusébio de Queirós (1850) – Proibia o tráfico de escravos no Brasil; Lei do Ventre Livre (1871) – Determinava que os filhos de mulher escrava nascidos a partir daquela data seriam livres, mas continuariam na condição de propriedade do senhor até os 21 anos de idade; Lei do Sexagenário (1885) – Declarava livres os escravos com mais de 65 anos de idade;Lei Áurea (1888) – Declarava extinta a escravidão no Brasil.
  19. 19. A escravidão marcou a sociedade brasileira atual.Os negros e mulatos, que descendem dos antigosescravos, são a maioria dos pobres. Os descendentesdos índios também não estão em melhor situação. Ossentimentos racistas e a discriminação contra apopulação negra continuam existindo no Brasil. Semdúvida, são uma cruel herança do tempo daescravatura e mostra que o passado morto ainda podeser um pesadelo para os vivos do presente.
  20. 20. Os direitos humanos são os direitos e liberdadesbásicos de todos os seres humanos. Normalmenteo conceito de direitos humanos tem a ideiatambém de liberdade de pensamento e deexpressão, e a igualdade perante a lei.A Declaração Universal dos Direitos Humanos daOrganização das Nações Unidas afirma:Todos os seres humanos nascem livres e iguais emdignidade e em direitos. Dotados de razão e deconsciência, devem agir uns para com os outros emespírito de fraternidade. — Artigo 1º
  21. 21. A escravatura permanece nos nossos dias...

×