Cultura medieval e formação das Monarquias nacionais
O SISTEMA FEUDAL   Conceito: modo de produção no qual asrelações sociais de produção estão baseadasna servidão; os meios d...
1. Origens do feudalismo * O feudalismo resultou da fusão de instituições   romanas e germânicas;• Para fugir dos saques d...
2. Características do feudalismo• Relações servis de produção: o servo devia  produzir um excedente ao senhor;• Atividade ...
3. Organização política• Poder descentralizado (pouco poder dos  reis);• Suserano: senhor que doava o feudo (a  terra) a o...
4. A Igreja• Era o poder ideológico: “é vontade de Deus que uns  nasçam servos, outros, senhores”;• Tribunal da Inquisição...
5. Os servos e suas obrigações    Os servos recebiam a terra à qual ficavam    presos e tinham como obrigações:•   Corvéia...
A BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI     a XV) E AS CRUZADAS• Baixa Idade Média: período de transição  para a Idade Moderna;• Cara...
1. O fim das invasões e o       crescimento populacional• Término do séc. X:  ** fim das invasões =>  ** melhoria nas colh...
AS CRUZADAS
1. Conceito• Cruzadas foram expedições militares  organizadas pelos cristãos do Ocidente  para libertar a Terra Santa dos ...
2. Causas econômicas• A busca de riquezas pelos que não  tinham direito à herança;• O desejo de acesso às especiarias;• A ...
3. Causas religiosas• Costume de peregrinação à Terra Santa;• A proibição dos turcos seldjúcidas de os  cristãos visitarem...
4. As principais cruzadas• 1ª : a Cruzada dos Cavaleiros (1096-99):  tomou Jerusalém e fundou vários reinos  cristãos no O...
5. Conseqüências das Cruzadas• Terra Santa continuou em mãos dos  turcos;• Aumento do comércio do Oriente com o  Ocidente ...
RENASCIMENTO COMERCIAL• Reconquista do comércio do Mediterrâneo com as  cruzadas;• Desenvolvimento do comércio na região d...
RENASCIMENTO URBANO• Na Baixa Idade Média surgiram os burgos  (cidades) em redor dos castelos dos  senhores feudais e outr...
As corporações de mercadores e             de ofício• As Corporações de mercadores (guildas) visavam: **o   monopólio do c...
A CULTURA MEDIEVAL• Filosofia ** influenciada pelo Cristianismo;            ** confunde-se com a teologia;            ** S...
• Arquitetura: manifestada nas igrejas.• Estilos arquitetônicos:  ** românico (romano): maciço, pesado, de  linhas simples...
AS CRISES DO SÉC. XIV NA            EUROPA• A Grande Fome (1315-17) provocada pelas más   colheitas e pelo aumento da popu...
• Rebelião dos servos (Jacqueries): levou à  substituição da servidão feudal pelo  arrendamento da terra com base no pagam...
FORMAÇÃO DOS ESTADOS     NACIONAIS
- FATORES DETERMINANTES  . As Cruzadas  . Renascimento Comercial  . Renascimento Urbano  . Surgimento da burguesia  . Cris...
- PRINCIPAIS MONARQUIAS NACIONAIS EUROPÉIAS  > PORTUGAL    . Fim da Guerra da Reconquista  > ESPANHA    . Fim da Guerra da...
- ABSOLUTISMO MONÁRQUICO  . Concentração total dos poderes nas mãos do rei.   . O rei era visto como grande árbitro das qu...
JUSTIFICATIVAS PARA O ABSOLUTISMO• Nicolau Maquiavel: na obra “O Príncipe”, afirma que os  poderes do rei são ilimitados, ...
FORMAÇÃO DOS ESTADOS         NACIONAIS• Centralização progressiva do poder real com a  aliança entre reis e burguesia => s...
O ESTADO NACIONAL MODERNO E O ABSOLUTISMO• Burguesia e reis interessados em destruir  poder descentralizado feudal;• Objet...
• Características dos Estados Nacionais  Modernos:  ** formação de um exército nacional;  ** imposição da justiça real;  *...
Teóricos do Absolutismo• Maquiavel: em O Príncipe defende que o  absolutismo é necessário para a  manutenção de um Estado ...
• Bossuet, defensor do Direito Divino dos  Reis: “o poder do rei é sagrado porque  vem de Deus e só a Ele presta conta dos...
Formação de Portugal• Séc. V – Península Ibérica invadida por  bárbaros, principalmente visigodos;• Séc. VIII – invasão do...
A Formação da Espanha• Fatores da formação da monarquia nacional   espanhola:  ** guerras de reconquista;  ** casamento de...
Cultura Medieval e Formação das Monarquias Nacionais
Cultura Medieval e Formação das Monarquias Nacionais
Cultura Medieval e Formação das Monarquias Nacionais
Cultura Medieval e Formação das Monarquias Nacionais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cultura Medieval e Formação das Monarquias Nacionais

9.742 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.742
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.006
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
158
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura Medieval e Formação das Monarquias Nacionais

  1. 1. Cultura medieval e formação das Monarquias nacionais
  2. 2. O SISTEMA FEUDAL Conceito: modo de produção no qual asrelações sociais de produção estão baseadasna servidão; os meios de produção estão nas mãos da classe dominante (nobreza feudal); o trabalho era feito basicamente por servos.
  3. 3. 1. Origens do feudalismo * O feudalismo resultou da fusão de instituições romanas e germânicas;• Para fugir dos saques dos bárbaros, muitos migraram da cidade para o campo;• Antigos escravos ou camponeses dependentes foram transformados em colonos (colonato);
  4. 4. 2. Características do feudalismo• Relações servis de produção: o servo devia produzir um excedente ao senhor;• Atividade econômica básica: agricultura de subsistência; feudo era auto-suficiente;• Fragmentação do poder• Sociedade estamental, rígida, sem mobilidade social,dividida em Clero (rezava), Nobres (combatiam) e servos (trabalhavam) e vilões (camponeses semi-livres,não presos à terra);• Predomínio do teocentrismo.
  5. 5. 3. Organização política• Poder descentralizado (pouco poder dos reis);• Suserano: senhor que doava o feudo (a terra) a outro senhor ou a um servo, estabelecendo-se relações de vassalagem (obrigações recíprocas de direitos e deveres);• Vassalo: quem recebia o feudo;• O rei era o suserano-mor.
  6. 6. 4. A Igreja• Era o poder ideológico: “é vontade de Deus que uns nasçam servos, outros, senhores”;• Tribunal da Inquisição (S. Ofício) para os hereges ou inimigos da fé;• Pregação do “preço justo”, para inibir a usura e a ganância;• “Paz de Deus”: punição para os que violassem igrejas, roubassem os pobres ou injuriassem sacerdotes;• “Trégua de Deus”: proibição de lutar de 6ª-feira até o amanhecer de 2ª f. e em época de plantio e de colheita.
  7. 7. 5. Os servos e suas obrigações Os servos recebiam a terra à qual ficavam presos e tinham como obrigações:• Corvéia: trabalho gratuito nas terras do senhor em alguns dias da semana;• Talha: porcentagem da produção;• Banalidades: tributo para usar moinho, celeiro, pontes, forno...• Capitação: imposto por membro da família;• Tostão de Pedro: para manutenção da capela;• Mão-morta: na transferência do lote de um servo falecido a seus herdeiros.
  8. 8. A BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI a XV) E AS CRUZADAS• Baixa Idade Média: período de transição para a Idade Moderna;• Característica mais importante: declínio e desagregação gradual do feudalismo devido: ** às Cruzadas ** ao Renascimento Comercial e Urbano
  9. 9. 1. O fim das invasões e o crescimento populacional• Término do séc. X: ** fim das invasões => ** melhoria nas colheitas => ** crescimento da população ** excedente econômico => comércio ** novas técnicas de produção => ** revolução agrícola => ** mais aumento populacional
  10. 10. AS CRUZADAS
  11. 11. 1. Conceito• Cruzadas foram expedições militares organizadas pelos cristãos do Ocidente para libertar a Terra Santa dos infiéis (muçulmanos)
  12. 12. 2. Causas econômicas• A busca de riquezas pelos que não tinham direito à herança;• O desejo de acesso às especiarias;• A intenção das cidades (Gênova, Veneza, Pisa e outras) de dominar o Mediterrâneo Oriental.
  13. 13. 3. Causas religiosas• Costume de peregrinação à Terra Santa;• A proibição dos turcos seldjúcidas de os cristãos visitarem a Terra Santa;• A convocação do Papa Urbano II, no Concílio de Clermont, de retomada da Palestina;
  14. 14. 4. As principais cruzadas• 1ª : a Cruzada dos Cavaleiros (1096-99): tomou Jerusalém e fundou vários reinos cristãos no Oriente;• 3ª : a Cruzada dos Reis: resultou na paz com o sultão Saladino pela qual os cristãos poderiam visitar Jerusalém;• 8ª : organizada pelo rei da França Luís IX
  15. 15. 5. Conseqüências das Cruzadas• Terra Santa continuou em mãos dos turcos;• Aumento do comércio do Oriente com o Ocidente =>• Renascimento comercial e urbano =>• Extinção do sistema feudal• Surgimento da burguesia
  16. 16. RENASCIMENTO COMERCIAL• Reconquista do comércio do Mediterrâneo com as cruzadas;• Desenvolvimento do comércio na região de Flandres, nos mares do Norte e Báltico• Surgimento de rotas terrestres e fluviais ligando o sul e norte da Europa. Nos pontos de encontro criaram-se as Feiras (Champagne (França) e Colônia (Alem.)• Reaparecimento da moeda, bancos...• Séc. XII: surgimento das hansas ou ligas: (associações de cidades do N Europeu; ex.: Liga Hanseática (Alem.)
  17. 17. RENASCIMENTO URBANO• Na Baixa Idade Média surgiram os burgos (cidades) em redor dos castelos dos senhores feudais e outras formas;• Seus habitantes: a burguesia;• Precárias condições de saúde e higiene;• Cobrança de tributos pelo senhor feudal;• A luta pela independência das cidades conhecido como movimento comunal;• Comunas: cidades com carta de franquia
  18. 18. As corporações de mercadores e de ofício• As Corporações de mercadores (guildas) visavam: **o monopólio do comércio local; ** limite ao comércio estrangeiro; **controle dos preços dos produtos;• As Corporações de ofício visavam: ** monopólio de seus ramos de atividade; ** evitar concorrência; ** controlar a qualidade do produto; ** dar assistência social aos associados.• Hierarquia na corporação: mestre, jornaleiro e aprendiz
  19. 19. A CULTURA MEDIEVAL• Filosofia ** influenciada pelo Cristianismo; ** confunde-se com a teologia; ** S. Agostinho: visão pessimista em relação à natureza humana ** Escolástica: conciliação entre a razão e da fé; ** S. Tomás de Aquino, o maior escolástico; condena usura;
  20. 20. • Arquitetura: manifestada nas igrejas.• Estilos arquitetônicos: ** românico (romano): maciço, pesado, de linhas simples, com arcos horizontais, sombrio; ** gótico: leve, gracioso, decorado com pinturas e esculturas, colorido, com altas torres se projetando para o céu.
  21. 21. AS CRISES DO SÉC. XIV NA EUROPA• A Grande Fome (1315-17) provocada pelas más colheitas e pelo aumento da população; desorganizou a vida urbana;• A Peste Negra ou Bubônica (1347-50): trazida do Oriente, disseminada pelas más condições de higiene e alimentação.• A Guerra dos Cem Anos (1337-1453): confronto entre França e Inglaterra. ** causas: disputas pelo trono francês e pela região de Flandres, rica na produção de tecidos; ** efeitos: destruição da agricultura, das feiras e do comércio centro-europeu (ex.: rota de Champagne).
  22. 22. • Rebelião dos servos (Jacqueries): levou à substituição da servidão feudal pelo arrendamento da terra com base no pagamento em dinheiro.• Crise do escambo (comércio de troca): motivado pelo afluxo de mercadorias do Oriente, pagos com metais preciosos => escassez de metais preciosos para confeccionar as moedas =>necessidade da expansão marítima.
  23. 23. FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS
  24. 24. - FATORES DETERMINANTES . As Cruzadas . Renascimento Comercial . Renascimento Urbano . Surgimento da burguesia . Crise do feudalismo e o enfraquecimento dos senhores feudais . Desintegração da servidão, que sustentava o feudalismo . Progressos técnicos nos armamentos militares, provocando a decadência da cavalaria . Surgimento dos exércitos reais ou profissionais
  25. 25. - PRINCIPAIS MONARQUIAS NACIONAIS EUROPÉIAS > PORTUGAL . Fim da Guerra da Reconquista > ESPANHA . Fim da Guerra da Reconquista . Casamento de Isabel e Fernando(Castela e Aragão) > FRANÇA . Guerra dos Cem Anos . Peste Negra > INGLATERRA . Guerra das Duas Rosas (Lancaster x York)
  26. 26. - ABSOLUTISMO MONÁRQUICO . Concentração total dos poderes nas mãos do rei. . O rei era visto como grande árbitro das questões nacionais. . Luxo e ostentação reforçavam a imagem do rei diante das massas miseráveis. . Cobrança cada vez maior de tributos, irritando burguesia e povão. . “casamento” da monarquia com a Igreja Católica.
  27. 27. JUSTIFICATIVAS PARA O ABSOLUTISMO• Nicolau Maquiavel: na obra “O Príncipe”, afirma que os poderes do rei são ilimitados, desde que seus objetivos sejam a grandeza do Estado. Os fins justificam os meios.• Thomas Hobbes: na obra “Leviatã”, menciona que é necessário o poder ilimitado do soberano para uma melhor organização e defesa da sociedade. Sem essa autoridade, a sociedade tende ao caos.• Jacques Bossuet: na obra “Política Segundo a Sagrada Família”, o rei é um representante de Deus na Terra e todos os súditos devem respeitá-lo.
  28. 28. FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS• Centralização progressiva do poder real com a aliança entre reis e burguesia => surgimento dos Estados Absolutistas Modernos.• Burguesia tinha interesses mercantis;• Reis tinham interesses políticos;• Equilíbrio instável entre interesses da burguesia e nobreza. REI + BURGUESIA = ESTADO NACIONAL + NOBRES
  29. 29. O ESTADO NACIONAL MODERNO E O ABSOLUTISMO• Burguesia e reis interessados em destruir poder descentralizado feudal;• Objetivo: unificar moedas, impostos, leis... visando o Estado Nacional Moderno;• Conseqüência da centralização: o absolutismo monárquico; rei todo- poderoso confundido com o Estado.
  30. 30. • Características dos Estados Nacionais Modernos: ** formação de um exército nacional; ** imposição da justiça real; ** centralização administrativa; ** unificação das moedas, pesos e medidas e tributos reais; ** instalação de máquina administrativa.
  31. 31. Teóricos do Absolutismo• Maquiavel: em O Príncipe defende que o absolutismo é necessário para a manutenção de um Estado forte;• Hobbes: no Leviatã: para terem paz, os homens fizeram contrato: cederam direitos a um soberano em troca de proteção;• Grotius: tratados internacionais têm mais valor se firmados por monarcas absolutos;
  32. 32. • Bossuet, defensor do Direito Divino dos Reis: “o poder do rei é sagrado porque vem de Deus e só a Ele presta conta dos seus atos”;• Bodin: a soberania deve ser considerada absoluta.
  33. 33. Formação de Portugal• Séc. V – Península Ibérica invadida por bárbaros, principalmente visigodos;• Séc. VIII – invasão dos mouros (árabes);• Reconquista – luta dos ibéricos por 7 séc. para expulsar invasores;• Condado Portucalense embrião do reino de Portugal, que se libertou de Castela (1385): surge 1ª monarquia nacional européia;• Dinastias reais: Borgonha, Avis e Bragança.
  34. 34. A Formação da Espanha• Fatores da formação da monarquia nacional espanhola: ** guerras de reconquista; ** casamento de Fernando, de Aragão com Isabel, de Castela (reis católicos); ** imposição do catolicismo à população; não- convertidos => confisco dos bens; ** formação do exército nacional;* 1492: conquista de Granada, último reduto mouro na Espanha => início das navegações.

×