Des encontros Tradução, a partir da edição em espanhol, da responsabilidade da professora bibliotecária.
6 de Outubro  Céu limpo. Ela vive num velho prédio, num bairro nos arredores da cidade. Sempre que sai, segue pela esquerd...
15 de Outubro  Nebulosidade variável, alternando momentos de luz com céu encoberto. Ele  nunca a vê.
28 de Outubro  Céu limpo. À noite, ele toca violino num restaurante de luxo para ganhar algum dinheiro.
19 de Novembro  Sol de inverno. Ela costuma ir para a esquerda e  ele vai para a direita. É completamente impossível encon...
23 de Novembro  Anoitece muito cedo. Ainda não são cinco horas e o céu já está escuro. Ela está a traduzir uma novela trág...
2 de Dezembro  Nuvens pesadas deslocam-se lentamente para longe. Quando não trabalha, ela gosta de ir ao centro tomar café...
7 de Dezembro  Céu sem nuvens. Ela costuma ir para a esquerda e  ele vai para a direita. É completamente impossível encont...
20 de Dezembro  Parece que vai chover outra vez. São como a maioria das pessoas que vivem na cidade, que nunca se chegam a...
Mas na vida produzem-se  sempre felizes coincidências e duas linhas paralelas podem acabar por se encontrar um dia.
22 de Dezembro  O sol brilha palidamente. Assim, encontram-se um dia no parque, junto ao lago.
Era como se fossem amantes que não se viam há mais de um ano.
Ao anoitecer cai uma forte chuvada. Trocam números de telefone e separam-se correndo.
Ele, como de costume, para a direita... Ela, como de costume, para a esquerda...
A chuva deixou-os ensopados, mas o seu coração transborda...
Mas a vida, por vezes,  traz-nos surpresas inesperadas e o fio que segura o nosso papagaio de papel também se pode romper.
23 de Dezembro  As temperaturas da madrugada descem abaixo dos mínimos.
24 de Dezembro  Chove sem parar até à noite de consoada. Ela não se atreve a ir a lado nenhum, com medo de perder o telefo...
31 de Dezembro  A temperatura desceu aos mínimos. A chuva cai sem parar. Estão tão tristes que nem conseguem dormir. A rád...
30 de Março  Chegou a estação das chuvas. Nos dias de chuva, ela pensa nele. Como pôde ela desaparecer sem deixar rasto?
19 de Agosto  É véspera de temporal. As pessoas queixam-se da contaminação, dos semáforos, dos autocarros sempre atrasados…
24 de Setembro  Nevoeiro matinal. As folhas das árvores começaram a ficar avermelhadas. Contemplam a mesma vista, cheiram ...
8 de Novembro  É véspera de temporal. Ele recorda que é a data de aniversário dela, mas não sabe onde estará. No apartamen...
22 de Dezembro  Parece que a chuva e a neve nunca mais acabam. e ir para algum lugar onde o sol brilhe.  Decidem sair da c...
 
23 de Dezembro  Começa a nevar. Há muitos anos que não nevava na cidade. Ele, como de costume, vai pela direita. Ela, como...
A neve cai lentamente…
 
24 de Dezembro  Cai um grande nevão. Ao longe ouve-se a agradável melodia de um violino.
6 de Março  Algumas nuvens brancas no céu. A primavera chegou ao fim.
FIM Música : Tom Jobim,  Amor em Paz  (instrumental) Novo Millenium, Brasil Edição :  BE/CRE da EB Soares dos Reis. (Apres...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Desencontros

1.504 visualizações

Publicada em

Desencontros, Jimmy Liao

Publicada em: Educação, Negócios, Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.504
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
152
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desencontros

  1. 1. Des encontros Tradução, a partir da edição em espanhol, da responsabilidade da professora bibliotecária.
  2. 2. 6 de Outubro Céu limpo. Ela vive num velho prédio, num bairro nos arredores da cidade. Sempre que sai, segue pela esquerda. Ele vive num velho prédio, num bairro nos arredores da cidade. Sempre que sai, segue pela direita.
  3. 3. 15 de Outubro Nebulosidade variável, alternando momentos de luz com céu encoberto. Ele nunca a vê.
  4. 4. 28 de Outubro Céu limpo. À noite, ele toca violino num restaurante de luxo para ganhar algum dinheiro.
  5. 5. 19 de Novembro Sol de inverno. Ela costuma ir para a esquerda e ele vai para a direita. É completamente impossível encontrarem-se.
  6. 6. 23 de Novembro Anoitece muito cedo. Ainda não são cinco horas e o céu já está escuro. Ela está a traduzir uma novela trágica. Por isso, muitas vezes tem a sensação de que o mundo é um lugar sombrio.
  7. 7. 2 de Dezembro Nuvens pesadas deslocam-se lentamente para longe. Quando não trabalha, ela gosta de ir ao centro tomar café, passear pela rua, observar as pessoas e brincar com os gatos vadios.
  8. 8. 7 de Dezembro Céu sem nuvens. Ela costuma ir para a esquerda e ele vai para a direita. É completamente impossível encontrarem-se.
  9. 9. 20 de Dezembro Parece que vai chover outra vez. São como a maioria das pessoas que vivem na cidade, que nunca se chegam a conhecer, apesar de viverem todos no mesmo sítio.
  10. 10. Mas na vida produzem-se sempre felizes coincidências e duas linhas paralelas podem acabar por se encontrar um dia.
  11. 11. 22 de Dezembro O sol brilha palidamente. Assim, encontram-se um dia no parque, junto ao lago.
  12. 12. Era como se fossem amantes que não se viam há mais de um ano.
  13. 13. Ao anoitecer cai uma forte chuvada. Trocam números de telefone e separam-se correndo.
  14. 14. Ele, como de costume, para a direita... Ela, como de costume, para a esquerda...
  15. 15. A chuva deixou-os ensopados, mas o seu coração transborda...
  16. 16. Mas a vida, por vezes, traz-nos surpresas inesperadas e o fio que segura o nosso papagaio de papel também se pode romper.
  17. 17. 23 de Dezembro As temperaturas da madrugada descem abaixo dos mínimos.
  18. 18. 24 de Dezembro Chove sem parar até à noite de consoada. Ela não se atreve a ir a lado nenhum, com medo de perder o telefonema. Ele olha para os algarismos borratados e tenta marcar os números uma e outra vez.
  19. 19. 31 de Dezembro A temperatura desceu aos mínimos. A chuva cai sem parar. Estão tão tristes que nem conseguem dormir. A rádio transmite as badaladas do novo ano.
  20. 20. 30 de Março Chegou a estação das chuvas. Nos dias de chuva, ela pensa nele. Como pôde ela desaparecer sem deixar rasto?
  21. 21. 19 de Agosto É véspera de temporal. As pessoas queixam-se da contaminação, dos semáforos, dos autocarros sempre atrasados…
  22. 22. 24 de Setembro Nevoeiro matinal. As folhas das árvores começaram a ficar avermelhadas. Contemplam a mesma vista, cheiram os mesmos aromas, ouvem a mesma música.
  23. 23. 8 de Novembro É véspera de temporal. Ele recorda que é a data de aniversário dela, mas não sabe onde estará. No apartamento do lado tocam, no violino, uma melodia tristíssima.
  24. 24. 22 de Dezembro Parece que a chuva e a neve nunca mais acabam. e ir para algum lugar onde o sol brilhe. Decidem sair da cidade fria e inóspita
  25. 26. 23 de Dezembro Começa a nevar. Há muitos anos que não nevava na cidade. Ele, como de costume, vai pela direita. Ela, como de costume, vai pela esquerda.
  26. 27. A neve cai lentamente…
  27. 29. 24 de Dezembro Cai um grande nevão. Ao longe ouve-se a agradável melodia de um violino.
  28. 30. 6 de Março Algumas nuvens brancas no céu. A primavera chegou ao fim.
  29. 31. FIM Música : Tom Jobim, Amor em Paz (instrumental) Novo Millenium, Brasil Edição : BE/CRE da EB Soares dos Reis. (Apresentação criada a partir de excertos da obra de Jimmy Liao, Des encuentros , Barbara Fiore Editora. Tradução, a partir da edição em espanhol, da responsabilidade da professora bibliotecária).

×