December 29th, 2009                                                                                                  Publi...
December 29th, 2009                                                                                                  Publi...
December 29th, 2009                                                                                                    Pub...
December 29th, 2009                                                                                                  Publi...
December 29th, 2009                                                                                                    Pub...
December 29th, 2009                                                                                                  Publi...
December 29th, 2009                                                                                                  Publi...
December 29th, 2009                                                                                         Published by: ...
December 29th, 2009                                                                                                  Publi...
December 29th, 2009                                                                                                 Publis...
December 29th, 2009                                                                                                 Publis...
December 29th, 2009                                                                                                    Pub...
December 29th, 2009                                                                                                   Publ...
December 29th, 2009                                                                                                Publish...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resenha

2.664 visualizações

Publicada em

Resenha & Art

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.664
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resenha

  1. 1. December 29th, 2009 Published by: vozlivre Resenha & Poesia Da morte das antigas fantasias, Existem pessoas raras, Somente algum espectro de promessa... difíceis de se encontrar Elas são lindas por fora... Mas REGISTRO principalmente, são … By Roldão Aires on December 27th, 2009 By rosemeire leme on December 28th, 2009 REGISTRO Existem pessoas raras, difíceis de se encontrar Enquanto não te vejo, te recordo Elas são lindas por fora... cada passo, cada jeito, cada riso, Mas principalmente, são lindas por dentro os caminhos que abraçados andamos, São feitas de carinho... de mãos dadas,beijos? Quantos precisos. E recheio de verdade! Costumam chegar de mansinho... A nossa mente, ajeita tudo, E te conquistam dia a dia... como um album, que fazendo estamos. Conquistam com verdades e muito amor! A máquina do cérebro registrou, Elas ñ têm medo de competição com clareza, cada momento em que ficamos. Valorizam qualidades... Não defeitos! Nessa fita ou album, que o cérebro congela. Querem te ver crescer Coisa há, que ao registro escapa. Querem te ver feliz uma volta, outra esquecida é, Querem, te ver sorrir talvez nós não precisássemos, vela. Estão sempre perto... Não te deixam só Melhor,mas muito melhor é te ver, Mesmo quando você não percebe... do que pelo album do pensamento recordar. Estão cuidando de você! Te sentir, beijar, olhar. Se você teve a sorte, como eu tive... De encontrar uma dessas pessoas... Prá te lembrar, é necessário o pensamento, Não se esqueça de dizer... te ver, a cada momento é uma nova emoção. Vc é ESPECIAL e ESSÊNCIAL em minha VIDA!!! Melhor, é ter-te bem perto, dentro do coração. E eu encontrei VOCÊ...... Obrigado pelo carinho d'sempre! (Roldão Aires) DEUS ilumine seu caminhar, hj e sempre!!!BEIJOS,TE ADORO Dizer-lhes: bravo! Pensamentos sem sentido, By MARCOS LOURES on December 28th, 2009 Dizer-lhes: bravo! Pensamentos sem sentido, Vasculho meus caminhos e não tendo Sequer onde pousar, sigo vivendo, Embora sem razão, em vão, perdido... No quanto ainda resto; não duvido Que o verso mais audaz; inda pretendo, As mãos em pura súplica eu estendo, Mas sei que no final, serei vencido. Erguendo o meu olhar, busco o vazio, Aonde imaginara algum estio, Apenas este inverno que não cessa. Mal pude acreditar quando dizias Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 1
  2. 2. December 29th, 2009 Published by: vozlivre Se não o acompanhamos Novo Tempo nos encaixamos no surto. By MARIA VALÉRIA REVOREDO on December 26th, 2009 Se nada ouvirmos a respeito somos chamados de surdos. Seria esta a roda do tempo? Fora da roda estariam as vidas paralelas? E as simultâneas? Todas giram sobre o mesmo eixo? Tempo... Sinceramente não me queixo por não ter tempo a pensar... Prefiro o tempo perdido. Não no passado, nem esquecido. O de que mais gosto é aquele que não consigo encontrar. Maria Valéria Revoredo Erguendo as fortalezas que inda possam By MARCOS LOURES on December 25th, 2009 Erguendo as fortalezas que inda possam Trazer para os meus dias, segurança, Enquanto houver um resto de esperança Imensas fantasias inda acossam, Desposo a solidão, vital amiga, Segredo virtual que inda carrego, E mesmo o caminhar de um velho cego No mar das emoções, não desabriga. Se tudo é questão de tempo seria qual a resposta para todas as questões? Resisto bravamente e tento ainda Se Einstein já dizia Vencer as corredeiras, ir em frente, que o tempo não existia Por mais que uma alegria ainda tente então não deveria A tarde imersa em nuvens se deslinda haver questões nem senões. Mas se o matemático Descartes Decifro os teus sinais, ó grande amor, deixou à Filosofia E perco sem saber, espinho e flor... o seu “Penso, logo existo” então deveria o homem pensar sem questionar? SAUDADES Mas se pensa e não questiona By Roldão Aires on December 25th, 2009 é um alguém que se deixa levar. SAUDADES E se alguém assim caminha tão leve, tão absorto Saudades, que não se mata aparece Freud a rotular. certamente, mata quem a sente. E se o encaixe é no surto Saudades, não passa nunca. e se o surto é um absurdo Nem lenta, nem derrepente. melhor seria ser surdo? Questões... Saudades de quem se ama. Que geram angústias, ansiedade, A ausência de quem não se ve. depressões, euforia, saudade... Saudades de um grande amor, Mas e o tempo? que não vemos, mas nos chama. Se tudo é questão de tempo seria ele então Nos chama em voz alta, o culpado de tudo? aperta o peito só em ouvir. Mas se não temos tempo O pensamento se exalta. achamos um absurdo. Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 2
  3. 3. December 29th, 2009 Published by: vozlivre AO SEMEAR Saudades, porque machucas? Um coração que suplíca POESIA a presença de quem lhe falta. SONHO !!! (Roldão Aires) COM A FELI--CIDADE NO NATAL !!! FELI--CIDADE É NATAL !!! PARA DAR By CLAUDINHA POETA LONDRINA BRASIL on December 24th, 2009 O SUCESSO DEUS NECESSÁRIO SEJA NOSSA LUZ PARA 2010 !!! NOSSO CORAÇÃO BEIJO DE VIDA MANJEDOURA CLAUDINHA POETA LONDRINA BRASIL DO NASCIMENTO 24/12/2009 DO MENINO JESUS DEPOIS DA MEIA NOITE By MARCOS LOURES on December 24th, 2009 QUE SEJA VERDADE SUA MENSAGEM Depois da meia noite? Gatos pardos... A bebida em excesso é um perigo... EM NOSSA ALMA Tu pensas que é de pêssego, são cardos... EM NOSSA SOCIEDADE Um buraco qualquer serve de abrigo. EM NOSSO PLANETA TERRA Aquela te parece um avião? PERDÃO Um tosco teco-teco, com certeza, PELAS MAZELAS Melhor deixar fazer arribação, Mas levas com carinho para a mesa... GRATIDÃO PELA SOBREVIVÊNCIA Pior é que parece que são gêmeas, Na certa; o que tu vês é duplicado COM AMOR Importa, meu amigo é que são fêmeas, NA NOSSA ALMA Melhor do que encarar troço trocado... TECENDO Porém, digo a verdade: vá na fé, POESIA VIVA !!! É carne de segunda e não filé... ENTÃO A vida que nos traz tantas É NATAL ??? surpresas, By MARCOS LOURES on December 23rd, 2009 MOMENTO DE APREENSÃO DA COMPREENSÃO A vida que nos traz tantas surpresas, Comigo foi deveras generosa, DA NECESSIDADE Em meio a tantos males e tristezas, DO AMOR Encontro em meu jardim, suprema rosa, PELA PRESERVAÇÃO E dela se gerou a bela flor DO MEIO AMBIENTE Que um dia trouxe à vida mais perfumes, Agradecendo aqui ao Meu Senhor, PELA PRESERVAÇÃO Pela visão sublime destes lumes DA VIDA HUMANA Apascentando assim um coração POR MEIO DA Deveras machucado pela vida, CONS--CIÊNCIA O amor de geração em geração, DA PAZ E DO AMOR Numa viagem bela a ser cumprida. NO MUNDO !!! E tendo a grande sorte de te amar, Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 3
  4. 4. December 29th, 2009 Published by: vozlivre A rosa que aprendi a cultivar... (Pedro Casaldáliga) http://www.chicoalencar.com.br/ A morte anunciada deste amor, By MARCOS LOURES on December 23rd, 2009 A morte anunciada deste amor, Que um dia se fez âncora e naufraga, Causando estardalhaço, os sonhos draga, Matando as esperanças, perde a cor... Outrora num altar ou neste andor, Porém não resistindo à dura chaga, Apenas a saudade ainda afaga, Nem mesmo algum prazer; imerso em dor, Estatuto do Natal Resisto, mas não posso combater Sozinhos as tempestades, vendavais, Art. I: Sabendo que; meu rumo, irei perder, Que a estrela que guiou ou Reis Magos para o caminho de Andando pelas ruas da cidade, Belém guie-nos também nos caminhos difíceis da vida. Procuro quem deixei pra nunca mais, Enquanto a chuva cai e o frio invade... Art. II: Que o Natal não seja somente um dia,mas 365 dias. Feliz Natal e Feliz Ano Novo By Vivi PSOL MES SP on December 23rd, 2009 Art. III: Que o Natal seja um nascer de esperança,de fé e de fraternidade. Parágrafo único: Fica decretado que o Natal não é comercial e sim espiritual. Art. IV: Que os homens,ao falarem de crise,lembrem-se de uma manjedoura e uma estrela,que como bússola,apontem para o Norte da Salvação. Deus em miúda versão humana. Verbo feito choro de criança, Art. V: impotência total frente aos poderes... Que no Natal,os homens façam como as CRIANÇAS:dêem-se as mãos e tentem promover a Paz. Falaremos por Ele? Art. VI: Acolheremos o pranto dos que clamam Que haja menos desânimos,desamores,tristezas.E mais contra a fome e o sofrimento? confiança no menino Jesus. Empunharemos a Paz, Parágrafo único: amanhecida na noite do Deus Fica decretado que o nascimento de Deus Menino é para todos:pobres e ricos,negros e brancos. que veio ínfimo? Art. VII: Serão nossas vidas manjedouras solidárias? Que os homens não sigam a corrida consumista de "ter",mas voltem-se para o "ser", louvando o Seu Criador. Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 4
  5. 5. December 29th, 2009 Published by: vozlivre Dê uma ajuda, um abrigo e verás todo poder do amor. Art.VIII: Que os canhões silenciem,que as bombas fiquem eternamente guardadas nos arsenais, que se ouça os ANJOS cantarem Glória a Deus no mais alto dos céus. Parágrafo único: Fica decretado que todos devem poder dizer,ao se darem as mãos: Boas Festas!!! Os Pinheiros, Conto de Natal Nada se perde, tudo se transforma. Havia em uma linda floresta de pinheiros. Alguns que conversavam entre si. Um pinheiro dizia ao outro: Estou cansado da floresta. Gostaria que um lenhador me cortasse e me levasse para ser um majestoso mastro de navio. Como adoro o mar! Como queria conhecer outros lugares, estar em LEMBRANÇAS DE NATAL cada porto. Deve ser emocionante! Lembranças antigas de natal, Outro pinheiro já pensava assim: sonhos, fantasias de criança. Eu gostaria de ser levado para uma serraria e de que minha madeira fosse transformada em um bonito móvel. Um piano Passar a noite sem dormir, por exemplo... onde um pianista sensível fizesse vibrar as harmoniosas sonoridade que sairiam do meu interior. Como esperando Papai Noel chegar. eu gostaria de ser um piano. Havia ainda, um lindo e pequenino pinheiro que suspirando Belas cantigas, noite magistral, dizia: Ah! Quem me dera ser uma árvore de Natal, em uma residência com grandes salas, ricos tapetes e lustres, espelhos que sempre nos traz paz e esperança, e quadros. Finos cristais de festa. Muitas crianças a minha volta, e entre meus ramos ricos presentinhos, bolas coloridas, e que nos ensina a dividir, velas multicores, balas doces e bombons. Que alegria, que felicidade! Nada poderia ser igual. a espalhar o bem sem hesitar. No entanto na floresta a beleza da natureza não era apreciada pelos pinheiros descontentes. O sol todas as E você que está aí escondido, manhãs vinha beijar-lhes a copa esverdeada. Os pássaros cantavam em seus ramos e os insetos zumbiam, zumbiam. que fechou os ouvidos as dores do mundo, O aroma das pequenas flores silvestres não os pra qualquer ruído, do povo sofrido, cheio de dor. sensibilizavam. Os esquilos brincavam a sua volta e de vez em quando algumas lebres saltitantes apareciam para conversar, uma com as outras. Mas os pinheiros tinham Deixe a magia te levar amigo, outros sonhos. A claridade da lua, o frescor das madrugadas, não os enterneciam. Sonhavam com uma felicidade distante. abra esse seu coração por um só segundo. Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 5
  6. 6. December 29th, 2009 Published by: vozlivre Um dia, um lenhador, cortou-os e foram levados separadamente. Não sabemos para onde todos foram, porem acompanhamos o mais pequenino que desejava ser árvore de Natal. Vamos encontra-lo, engalanado de enfeites e guloseimas, assim mesmo como houvera sonhado. Estava radiante! Que alegria, como estava bonito! As crianças brincavam ao seu redor. Tantos presentes em caixas estavam colocados aos eus pés. A festa foi maravilhosa: porem o contentamento não durou muito. Lá pela meia noite todos queriam os presentes e as crianças, arrancaram-lhe todas as bolas e uma vela caiu acesa e começou a queimar-lhe um galho - ai, ai, ai, gemeu o pobre pinheiro. A fábrica dos brinquedos No outro dia, puseram-no em um porão junto a outras coisas Há muito, muito tempo, viveu um homem muito grande e velhas, e ali ficou , esquecido de todos. Seus ramos e folhas forte mas também muito velhinho. As barbas brancas quase antes tão verdes e viçosos estavam agora amarelecidos e lhe tocavam no peito e o seu cabelo comprido estava em murchos. Estava triste e infeliz, arrependido de seu sonho. desalinho. Sentia saudades da floresta agora. O sol, os pássaros as borboletas, os coelhos e os esquilos pulando e brincando ao Um dia, Nicolau - assim se chamava ele - sentou-se ao pé da seu redor distraiam-no tanto! Que saudades! Só os ratinhos janela a meditar. A certa altura, olhou através da vidraça: visitavam-no, casualmente. Um dia um passou e perguntou- lá fora nevava. Era Inverno! Os vários pinheiros do seu lhe: jardim estavam cobertos de um manto espesso e branco. Porém, umas pegadas na neve despertaram-lhe a atenção. Sabe onde fica a cozinha? Estou com tanta fome, com Um pouco mais adiante, estava um mendigo. Esse pobre vontade de comer um naco de toucinho ou de queijo. Não sei homem, que era um sem-abrigo, estava mal agasalhado, respondeu o pinheiro, mas estou tão só, não me deixes, descalço e sozinho. Noel, que tinha um coração de ouro, abriu a janela e chamou-o: Fique aqui comigo. - Vem cá, homem! Onde é a tua casa? Não, não disse o ratinho tenho que correr, correr... Lá se foi e aqui ficou o pobre pinheiro, chorando a sua solidão. - Ah! A minha casa?! Eu não tenho casa. Passou o tempo, foi-se o verão outono e já vinha o inverno - E a tua família? e o nosso pinheiro estava velho e seco. Um dia o dono da casa resolveu fazer uma limpeza no porão e tirou o pobre - Oh! Esses…nunca os conheci. Vivia com a minha avó, mas pinheiro para o quintal, mandando o jardineiro cortá-lo ontem ela morreu, não aguentou o frio deste Inverno… para o fogo. As crianças ainda acharam uma estrela que servira-lhe de enfeite, quando estivera na sala como árvore - Meu Deus! Mas, que vida tão triste a tua! E agora?! Com de Natal. É minha disse o menino, e arrancou-lhe a peça, quem vives? Sozinho? cheio de alegria. - Sim, agora vivo sozinho. As últimas lágrimas, fluíram para a infeliz árvore. - Mas… e ... e não tens frio, mal agasalhado e descalço? Bem Feita em pedaços foi aproveitada para uma fogueira, e de que precisas de um par de sapatos, de uma camisola e de um seu tronco e poucas ramagens, restou apenas um punhado casaco! Vou pedir à minha mulher que te faça uma camisola e de cinzas. vou fazer-te eu próprio um par de sapatos! E sabes que mais? Se quiseres colaborar comigo! As crianças estiveram ao seu redor, aproveitando o calor das chamas para o aquecimento de suas de suas mãos. O pinheiro - Oh! Muito obrigado, senhor. Que devo fazer para colaborar era matéria que se transformou em energia, disse o menino consigo? maior que já conhecia ciência. - Eu vou explicar tudo: a minha mulher andava a dizer- me que eu precisava de um trabalho para me entreter. Eu fiquei um bocado confuso: como poderia eu arranjar um emprego de um dia para o outro? E então, quando te vi, lembrei-me imediatamente de um bom passatempo para nós os dois! E até fazíamos uma boa acção e tudo! A minha ideia era construirmos uma fábrica de brinquedos onde trabalharíamos todo o ano para obtermos os melhores e mais bonitos presentes para oferecermos aos meninos bem Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 6
  7. 7. December 29th, 2009 Published by: vozlivre comportados no final do ano. Podíamos também dar um nome à data de entregar as prendas. Hummm, pode ser NATAL, em honra da minha mulher Natália. - O senhor, isto é, o Nicolau tem ideias fabulosas! Para mim o senhor é um verdadeiro santo! - Oh! Oh! Oh! Não sou nada! Sou apenas o Pai Natal! É um bom nome para quem inventa o NATAL! No NATAL, todas as prendas devem estar prontas. Treinarei as minhas renas para grandes viagens, prepararei o meu trenó e… já me estou a ver a cruzar os céus!!!!! Só tu poderás estar comigo no trenó, para levares o saco com as prendas! - Mas, Pai Natal, quando é que vai ser o NATAL? - Oh! Meu Deus! Não tinha pensado nisso! Mas, até pode ser no dia em que nasceu Jesus! Ele ficaria orgulhoso de nós! Portanto o NATAL é no dia 25 de Dezembro! É verdade, como te chamas meu amigo? - Chamo-me Cristóvão. - Muito bem, Cristóvão, vamos já contar tudo à minha mulher! Natália ficou encantada com a ideia do marido e prontificou- O PINHEIRINHO HUMILDE se logo a chamar todos os duendes empregados para ajudarem na construção da fábrica. Estes adoraram a ideia Conta-se que, quando os pastores foram adorar o Divino de passar a trabalhar numa fábrica e empenharam-se mais Infante, decidiram levar-lhe frutos e flores produzidos pelas que nunca na sua construção. Em menos de cinco dias a árvores. Depois dessa colheita, houve uma conversa entre fábrica estava pronta! as plantas, num bosque. Regozijavam-se elas de ter podido oferecer algo ao seu Criador recém-nascido: uma, as suas Naquele ano todos os duendes tiveram de trabalhar em tâmaras; outra, as nozes; uma terceira, as amêndoas; outras velocidade máxima, pois o NATAL estava à porta! Todos os ainda, como a cerejeira e a laranjeira, que haviam oferecido dias a fábrica de brinquedos do Pai Natal recebia dezenas tanto flores quanto frutos. Do pinheiro, porém, ninguém de cartas de todos os meninos e meninas do mundo, a colheu nada. Pontiagudas folhas, ásperas pinhas, não eram encomendarem os seus presentes de NATAL. dons apresentáveis. A todas as cartas o Pai Natal respondia dizendo que se O pinheiro reconheceu a sua nulidade e, não se sentindo à portassem bem. altura da conversa, rezou em silêncio: “Meu Deus recém- nascido, o que Vos vou oferecer? Minha pobre e nula E o prometido é devido: os duendes carregaram as prendas existência. Esta, alegremente Vo-la dedico, com grande até ao trenó e Cristóvão pô-las no grande saco do Pai Natal. agradecimento por me terdes criado na vossa sabedoria e bondade”. À meia-noite em ponto, o trenó cruzava o céu puxado pelas renas, carregando o saco dos presentes, o Pai Natal, e, claro, Deus ficou comovido com a humildade do pinheiro e, em Cristóvão! recompensa, fez descer do céu uma multidão de estrelinhas, que pousaram nele. Eram de todos os matizes que existem Ainda hoje, sempre que é a noite de Natal, podemos ver o no firmamento: douradas, prateadas, vermelhas, azuis.. grande trenó com o Pai Natal e Cristóvão, se olharmos para Quando o outro grupo de pastores passou, levou não apenas o céu à meia-noite em ponto … os frutos das demais árvores, mas o pinheiro inteirinho, a árvore de tal forma maravilhosa, da qual nunca se ouvira falar. E lá foi o pinheiro ornar a gruta de Belém, sendo colocado bem junto do Menino Jesus, de Nossa Senhora e de São José. Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 7
  8. 8. December 29th, 2009 Published by: vozlivre Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 8
  9. 9. December 29th, 2009 Published by: vozlivre Tu andas por estradas que passei... NATAL By Roldão Aires on December 22nd, 2009 NATAL Boas festas. Mas que festas? Aonde são as festas? Quem as promove? Os convidados, quem são? A lista com seus nomes, é divulgada? Onde? As festas dizem que é, o natalício de Jesus. Mas nós o crucificamos, então o que comemoramos? A manjedoura, ou a cruz? Não dou razão a ninguém, talvez também não a tenha. Sei que Jesus vivo está, seus aniversários, sempre são comemorados. Dentro dos corações daqueles, por ele amados. (Roldão Aires) VAMOS HERRAR ENQUANTO É TEMPO By Rubens Jardim on December 22nd, 2009 Meus caros: Herrar é umano e pode fazer bem. Por isso, herrem muuuuuuuuuuuito a partir desse 2010, que deve ser de paz e amor para todos nós. Se às vezes eu me perco de teus braços, Abração fraterno By MARCOS LOURES on December 22nd, 2009 Rubens Se às vezes eu me perco de teus braços, Tentando em outros braços me aquecer, www.rubensjardim.com Não culpe tão somente os frágeis laços Que tanto persistimos em perder. Enquanto tu caminhas com teus passos, Distância gigantesca a percorrer, Meus dias já cansados; seguem lassos, Na minha vida estou no anoitecer Estás na plenitude; eu me acabando, O tempo sem perdão irá passando E cada vez mais longe te verei. Ninguém escapa; amada, desta sorte, Ao tempo em que vislumbro minha morte, Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 9
  10. 10. December 29th, 2009 Published by: vozlivre Rosto,onde impera o encanto, lábios,que parecem fruta que é proibido comer. Mas de alguma forma, maneira, há de os ter. Ah! Ter-te é um sonho, pobre coitado sou eu. Penso que aja algo que eu faça, e que notes, GUARDA O MEU CORAÇÃO By Roldão Aires on December 22nd, 2009 ao menos eu posso ter GUARDA O MEU CORAÇÃO a migalha do olhar teu. Toma. Guarda o meu coração (Roldão Aires) em teu peito,bem apertado. Que perto do teu ele fique. Não permitas que ele sáia. DOCE MENINA Vigia-o bem, tem-no guardado. By Roldão Aires on December 21st, 2009 DOCE MENINA Quero que o guardes bem não porque dele, eu nao cuide, Bom dia encanto. é que junto a tí, ele ficando estarás mais ocupada, e assim Menina linda que eu amo tanto, não terás tempo para um outro coração, ficares olhando. te queria bem pertinho, Bem ves, que pensei bem. pra nos teus braços Se só ao meu coração olhares, não serás de mais ninguém. fazer o meu ninho, (Roldão Aires) dali sair, quando deixasses. Amarte-ia o dia todo, ESCULTURA By Roldão Aires on December 21st, 2009 o dia todo te beijaria, ESCULTURA serias o meu brinquedo Que rosto lindo o seu, aquele que é o preferido. parece ser de verdade. Seria a tua sombra, Aparência de boneca, estaria aonde estivesses, delicadeza, doçura. e dessa maneira Porém, tudo é real, viveria, até quando saíamos da fantasia Deus quisesse. voltemos à realidade. Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 10
  11. 11. December 29th, 2009 Published by: vozlivre (Roldão Aires) as rosas, que deu à mim (Roldão Aires) Untitled By Arthur Jaak Wilfrid Bosmans on December 20th, 2009 NOITE By Roldão Aires on December 19th, 2009 NOITE Noite, final de uma jornada, início de outra, o descanso. Ao amanhecer, recomeçamos, e assim o ser humano, vai em sua caminhada Noite, descanso do corpo, relaxamos os músculos, renovamos as forças físicas. O cérebro, esse não dorme. Sem o corpo mais leve fica. E em nosso descanso físico busca ele projetar, espaços novos, onde o nosso espírito, visita, caminhos que já viú, ou verá. Noite. A saudades tuas dobram, te busco em toda a parte, só o cérebro te acha, FALA O TEU CORAÇÃO enquanto os músculos descansam. By Roldão Aires on December 20th, 2009 (Roldão Aires) FALA O TEU CORAÇÃO. Visito o teu coração e o vejo alegre e feliz, TE VÍ By Roldão Aires on December 18th, 2009 ao me ver, dá-me um sorriso que só eu sei o que diz. TE VÍ Bate rápido,acelerado como quem quer alcançar Te ví pessoalmente, os caminhos do seu amor, para não permitir,a quem passe os sonhos se realizaram. e que porventura tenha, a intenção de a mim buscar Tens mais beleza e graça e o meu coração, lhe tirar. Sei que não permitiria, do que as fotos mostravam trocar o amor que tem, por coisa menos querida. Teu sorriso,mais lindo é, Dirá ele com certeza, nunca ninguém fará isso. teus olhos falam, O meu amor por ele é tanto, que jamais sairá do meu peito, tua boca, um riso guarda, é como se fosse parte minha, habita em meu coração tuas mão suaves, brancas, permanece ali no jardim, como a mais bela das flores, em carinhos,a nada se compara. é um eterno amor. Como eternas sempre serão A suavidade da pele, Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 11
  12. 12. December 29th, 2009 Published by: vozlivre com as mão e os dedos, indicas. os dedos curtos e ágeis. Mesmo que eu explique,ninguém acredita. Pequeno esboço, de alguém Mulher de beleza infinda. Para mim és o amor primeiro que a mim, de há muito me encanta. nada a ti se compara. Única és e o serás, ainda. Ver-me feliz, é o que mais quer. Se preciso fosse encontrar alguém, E eu , pro resto dos dias, de encanto e beleza tantas,agora, melhor desisitir, esse tesouro é meu, quero ler , este Poema de Mulher. de mais ninguém. De mim, és a senhora. (Roldão Aires) (Roldão Aires) ESPERO VIAGEM By Roldão Aires on December 16th, 2009 By Roldão Aires on December 15th, 2009 ESPERO VIAGEM Espero por tí. Quem dera o coração pudesse partir sózinho, e quando quisesse, Espero e não canso, para o lugar que gostasse de estar, levando consigo a quantidade de amor é como se fosses brinquedo, que coubesse,no bagageiro que ele tivesse que todo menino quer. Chegar bem antes,analisar o ambiente, tirar de lá, tudo que dalí não fosse. A ansiedade é grande, Manter sómente o interessante, o agradável, o doce e apaixonante, o amor por ti, maior ainda, tornando la bem melhor,alegre, diferente. se não existisses, Poderíamos nós, que dele somos donos, acompanhá-lo sempre por inteiro, logo eu faria algo, viver o amor, em silêncio, mudo. para te tornar real, Passar pela vida,amando muito deixar amor alí, lá, onde estivéssemos, ou, teria te inventado mostrando ao mundo, que o amor é tudo para seres o que és, (Roldão Aires) diferente. JÓIAS A tí, nada é igual. By Roldão Aires on December 13th, 2009 JÓIAS (Roldão Aires) Que bom, se eu fosse o teu anel ASSIM, ÉS junto a tí sempre estaria, dormiria ao teu lado By Roldão Aires on December 16th, 2009 do teu dedo, não sairia. ASSIM ÉS E se eu fosse o teu brinco? Do feminino és o exemplo vivo. melhor que anel seria. Encanto de mulher,que mora em meu peito, Ficaria preso à tua orelha, saudades de tudo que é teu, eu tenho, quantas coisas ao teu ouvido falaria. do riso,da fala,dos olhos do jeito. Ah! Um colar; ficaria em teu pescoço Quando falas a boca mexe, os olhos dizem, perto do teu peito com o meneio da cabeça, te explicas, balançando, entre teus seios. Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 12
  13. 13. December 29th, 2009 Published by: vozlivre E quando , com tuas mãos ajeitasses, os brincos e o colar, bem mais perto do coração eu ia estar. (Roldão Aires) Alvaro Sertano"VIAGEM SONHO"! By Alvaro Sertano on December 13th, 2009 ART-*S* Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons . Alvaro Sertano"TRANSFIGURAÇÃO"! By Alvaro Sertano on December 13th, 2009 ART-*S* Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons . Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons . Alvaro Sertano"VELEIRO"! By Alvaro Sertano on December 13th, 2009 Alvaro ART-*S* Sertano"SUBLIMAÇÃO"! By Alvaro Sertano on December 13th, 2009 ART-*S* Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 13
  14. 14. December 29th, 2009 Published by: vozlivre Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons . Alvaro Sertano"ÊXTASE"! By Alvaro Sertano on December 13th, 2009 ART-*S* Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons . Created using zinepal.com. Go online to create your own zines or read what others have already published. 14

×