Tainá, camila e catarina! favor não mexer

828 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
828
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tainá, camila e catarina! favor não mexer

  1. 2. <ul><li>A crise financeira de 2008 foi a maior da história do capitalismo desde a grande depressão de 1929. Começou nos Estados Unidos após o colapso da bolha especulativa no mercado imobiliário, alimentada pela enorme expansão de crédito bancário e potencializada pelo uso de novos instrumentos financeiros, a crise financeira se espalhou pelo mundo todo em poucos meses. </li></ul>
  2. 3. <ul><li>A crise econômica de 2008-2011 é um desdobramento da crise financeira internacional, precipitada pela falência do tradicional banco de investimentos estadunidense Lehman Brothers, fundado em 1850. Em efeito dominó, outras grandes instituições financeiras quebraram, no processo também conhecido como “crise dos subpirmes”. </li></ul>
  3. 4. <ul><li>A situação econômica dos Estados Unidos inspira muitos cuidados. Como desdobramento da crise financeira que se arrasta desde 2008, quando bancos quebraram, empresas de grande porte faliram ou tiveram sua falência evitada pelo governo, a dívida que o país ostenta atingiu seu limite. A solução imediata proposta pelo governo de Barack Obama para evitar o default, ou seja, o calote aos seus credores, foi aumentar o teto do endividamento do governo de 14,3 trilhões de dólares para até 16,7 trilhões. Contrair mais empréstimos para pagar no futuro as dívidas que estão vencendo agora. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>A formação de uma crise financeira na zona do euro deu-se, fundamentalmente, por problemas fiscais. Alguns países, como a Grécia, gastaram mais dinheiro do conseguiram arrecadar por meio de impostos nos últimos anos. Para se financiar, passaram a acumular dívidas. . A desconfiança de que os governos da região teriam dificuldade para honrar suas dívidas fez com que os investidores passassem a temer possuir ações, bem como títulos públicos e privados europeus. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>Dívida soberana dos países da Zona do Euro: </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Dívida dos Estado Unidos equivale ao PIB de 166 países: </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Eu sei, crise econômica não é fácil </li></ul><ul><li>Estados Unidos lá embaixo </li></ul><ul><li>E já foi parar na Europa </li></ul><ul><li>Até na Europa </li></ul><ul><li>Eu sei, que os bancos estão falindo, </li></ul><ul><li>E o nosso dinheiro está sumindo </li></ul><ul><li>Mas o que faremos pra acabar, </li></ul><ul><li>Pra crise terminar? </li></ul><ul><li>Estamos sem sorte </li></ul><ul><li>Oh my god </li></ul><ul><li>Tomaremos atitude </li></ul><ul><li>Vou te pagar </li></ul><ul><li>Te quitar </li></ul><ul><li>E me livrar pra vida inteira </li></ul><ul><li>Quero descanso dessa crise financeira </li></ul><ul><li>Vou te pagar </li></ul><ul><li>Te quitar </li></ul><ul><li>E me livrar pra vida inteira </li></ul><ul><li>Não é só econômica, também é politiqueira </li></ul>
  8. 9. <ul><li>1-Já ocorreu outras crises nos EUA? </li></ul><ul><li>2.Por que o bloco europeu não consegue regular sua política fiscal como os Estados Unidos, por exemplo? </li></ul><ul><li>3. O que há de errado com o mercado imobiliário dos EUA? </li></ul><ul><li>4. Por que a Europa passa por uma crise? </li></ul><ul><li>5. Por que o euro se desvaloriza? </li></ul>
  9. 10. <ul><li>1- Outra crise econômica nos Estados Unidos foi a grande depressão (uma recessão intensificada), que provocou uma catástrofe na economia mundial entre 1929 e 1934. No começo da segunda metade da década de 20 do século passado, a economia norte-americana estava em franca ascensão e o país recebia muitos investimentos estrangeiros. </li></ul><ul><li>2- Apesar de ter um órgão responsável pela política monetária, o Banco Central Europeu (BCE), que estabelece metas de inflação e controla a emissão de euros, a União Européia não dispõe de uma instituição única que monitora e regula os gastos públicos dos 16 países-membro. Dessa maneira, demora a descobrir os desleixos governamentais e, quando isso acontece, inexistem mecanismos austeros de punição. Em 1999, os países da região encerraram um ciclo de discussões chamado Pacto de Estabilidade e Crescimento. Em resumo, as nações comprometeram-se com a questão do equilíbrio fiscal. Àquelas altamente endividadas ficou a imposição de apresentar ‘planos de convergência’ para patamares de dívida mais aceitáveis. As sanções seriam recolhimentos compulsórios e multas. Contudo, sua aplicação não seria automática, ficando na dependência de uma avaliação pelo Conselho Europeu. A política mostrou-se insuficiente para controlar os gastos públicos dos PIIGS. </li></ul><ul><li>3- Os seguidos anos de crescimento econômico fizeram com que os bancos e instituições financeiras americanas abrissem a carteira para todo tipo de gente e empresas... </li></ul>
  10. 11. <ul><li>...Empréstimos foram concedidos até a pessoas em má situação financeira (no setor imobiliário, o crédito às famílias de baixa renda chama-se subprime). Como os juros eram extremamente baixos, muitos americanos financiaram ou refinanciaram o pagamento de alguns bens – especialmente o dos imóveis. Depois, porém, não conseguiram cumprir os compromissos. Embora a taxa de inadimplência não tenha aumentado significativamente, o temor de um calote em massa contaminou o mercado financeiro. </li></ul><ul><li>4- A formação de uma crise financeira na zona do euro deu-se, fundamentalmente, por problemas fiscais. Alguns países, como a Grécia, gastaram mais dinheiro do conseguiram arrecadar por meio de impostos nos últimos anos. Para se financiar, passaram a acumular dívidas. Assim, a relação do endividamento sobre PIB de muitas nações do continente ultrapassou significativamente o limite de 60% estabelecido no Tratado de Maastricht, de 1992, que criou a zona do euro. No caso da economia grega, exemplo mais grave de descontrole das contas públicas, a razão dívida/PIB é mais que o dobro deste limite. A desconfiança de que os governos da região teriam dificuldade para honrar suas dívidas fez com que os investidores passassem a temer possuir ações, bem como títulos públicos e privados </li></ul><ul><li>5- A possibilidade de que governos e empresas da região tornem-se insolventes faz com boa parte dos investidores simplesmente não queira ficar exposta ao risco de ações e títulos europeus. Na primeira metade do ano, o que se viu foi um movimento de venda destes papéis e fuga para ativos considerados seguros, como os títulos do Tesouro norte-americano. Tal movimento, de procura por dólares e abandono do euro, fez com que a cotação da moeda européia atingisse valores historicamente baixos. As moedas também refletem o vigor das economias. Assim, argumentam os analistas, a tendência de longo prazo é de fortalecimento do dólar e das moedas dos países emergentes (real inclusive), enquanto a Europa não conseguir resolver seus problemas fiscais e criar condições para um crescimento econômico mais acentuado. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>http://www.youtube.com/watch?v=Nio8uaLbyTc </li></ul>
  12. 13. <ul><li>Colégio Antônio Vieira </li></ul><ul><li>8ª série Turma H </li></ul><ul><li>Alunas: Camila Oliveira – nº 05 </li></ul><ul><li>Catarina Noronha – nº 06 </li></ul><ul><li>Tainá Reis – nº 25 </li></ul><ul><li>Professores: Luiz Parente </li></ul><ul><li>Isabela </li></ul>
  13. 14. <ul><li>http://jlcoreiro.wordpress.com/2011/09/13/origem-causas-e-impacto-da-crise-valor-economico-13092011/ </li></ul><ul><li>http://conceitosetemas.blogspot.com/2011/08/crise-economica-dos-estados-unidos.html </li></ul><ul><li>http://www.google.com.br/imgres?q=bandeira+dos+estados+unidos&hl=pt-BR&biw=1066&bih=749&gbv=2&tbm=isch&tbnid=tmuUU-xfpFlrPM:&imgrefurl=http://estremozrevisited.blogspot.com/2009/01/casa-branca-do-alentejo-hasteou.html&docid=ye4SbSowX1Cv4M&w=400&h=300&ei=xUd7TuGSHImEtgeJqaHtDw&zoom=1&iact=hc&vpx=604&vpy=200&dur=6718&hovh=194&hovw=259&tx=77&ty=132&page=1&tbnh=159&tbnw=197&start=0&ndsp=12&ved=1t:429,r:6,s:0 </li></ul><ul><li>http://www.google.com.br/imgres?q=crise+economica+dos+eua&hl=pt-BR&gbv=2&biw=1066&bih=749&tbm=isch&tbnid=lFOIU6LPOmGFrM:&imgrefurl=http://mesquita.blog.br/crise-usa-pro-dia-nascer-melhor-humor-cartuns&docid=OGWkwWzhP53O2M&w=480&h=360&ei=y0h7TvjIB4qitgfb6rHuDw&zoom=1&iact=hc&vpx=380&vpy=179&dur=501&hovh=183&hovw=247&tx=100&ty=110&page=9&tbnh=160&tbnw=223&start=106&ndsp=12&ved=1t:429,r:1,s:106 </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Crise_econ%C3%B4mica_de_2008-2011 </li></ul><ul><li>http://www.google.com.br/imgres?q=euro+dolar&um=1&hl=pt-BR&biw=1066&bih=749&tbm=isch&tbnid=kQY69iZyQx3PnM:&imgrefurl=http://jptraders.wordpress.com/nossa-carteira/imagem-euro-dolarjpg/&docid=Xy8_xNqjfuvFoM&w=490&h=332&ei=UuOBTqXsFJGitgeA5N3yAQ&zoom=1&iact=hc&vpx=509&vpy=148&dur=2213&hovh=185&hovw=273&tx=166&ty=89&page=1&tbnh=124&tbnw=150&start=0&ndsp=20&ved=1t:429,r:2,s:0 </li></ul><ul><li>http://veja.abril.com.br/perguntas-respostas/crise-europa.shtml </li></ul>

×