Portfólio artigos publicados

244 visualizações

Publicada em

Acesso rápído aos Meus artigos publicados, com resumos. Fonte informativa e provocativa para gestores ambientais, jornalistas, administradores, estudantes.
. Além do seu celular, o que mais tem entre o céu e a terra?
Entendendo o apelo moral do Papa Francisco com a encíclica do Meio Ambiente. E, ó, não se trata de cuidar de plantinhas e proteger bichinhos. Resumindo... O que nos move? A economia. Qual nosso Deus? O dinheiro. O que é importante para nós? Comprar, ostentar, acumular bens materiais. O que é ético sob essa moral mercantil? Lucrar, explorar, fazer de conta que não há limites, criar a ilusão da inclusão pelo consumo, forjar a sociedade de consumo alienada, mantê-la ativada e distante da natureza.

. O que o meio ambiente tem a ver com a sua saúde?
Para produtores e consumidores de alimentos com agrotóxicos, qualquer um de nós. Apresentando a árvore Neem e seus produtos naturais e atóxicos para uso no campo e na cidade, na agropecuária, em casa, animais domésticos. Divulgando o Circuito Carioca de Feiras Orgânicas, um sucesso no Rio de Janeiro.

. Negócio da China de obrar aqui é um risco desgraçado
Porque ninguém merece ser quintal dos chineses. Além da visão obtusa de "salvação" dos releases oficiais reproduzidos pela imprensa, os investimentos da China no Brasil refletem o modelo econômico insustentável, custe o que custar, decidido em nosso nome e sem nosso pleno conhecimento ou interesse.

. O incêndio, o rescaldo e os resíduos
O olhar técnico sobre o desastre ambiental causado pela UltraCargo, em Santos, e um alerta para todos que moram perto de indústrias. O tempo que durou o incêndio e as dificuldades em conter e apagar indicam mais que dias e recursos, como o gerenciamento de riscos e o diálogo com a comunidade.

Publicada em: Meio ambiente
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Além do seu celular, o que mais tem entre o céu e a terra? Entendendo o apelo moral do Papa Francisco com a encíclica do Meio Ambiente. E, ó, não se trata de cuidar de plantinhas e proteger bichinhos. Resumindo... O que nos move? A economia. Qual nosso Deus? O dinheiro. O que é importante para nós? Comprar, ostentar, acumular bens materiais. O que é ético sob essa moral mercantil? Lucrar, explorar, fazer de conta que não há limites, criar a ilusão da inclusão pelo consumo, forjar a sociedade de consumo alienada, mantê-la ativada e distante da natureza. Acesse aqui!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
244
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portfólio artigos publicados

  1. 1. Alerta para os pais: seus filhos comem veneno! Agrotóxicos são venenos que contaminam as pessoas, os solos, as águas e os alimentos. É o que mais se usa na produção de alimentos no Brasil, tanto que somos campeões mundiais de consumo de agrotóxicos. E é o seu poder de escolha que põe ou tira da comida esse “tempero” ruim para nossa saúde. Saiba mais sobre o alerta dos especialistas com a Beatriz Diniz, consultora de comunicação e sustentabilidade. E conheça alternativas para produtores e consumidores com a Fabia Fujimoto da Preserva Mundi e com o Marcos Melo do Circuito Carioca de Feiras Orgânicas. O programa Nosso Ambiente é produzido para as emissoras de rádio EBC e apresentado por Rejane Limaverde. Leia em Revista EcoLÓGICA [14/01/2016] { http://bit.ly/AlertaparaospaisSeusfilhoscomemveneno
  2. 2. A intransferível responsabilidade pelo #madeinbrazil Não tem como certificar sustentabilidade da carne de boi que pasta em Terra Indígena invadida e desmatada. A responsabilidade por manter essa situação irregular implica em assumir o risco de afetar negativamente a imagem do país e comprometer o avanço de um modelo de economia que pressupõe ética e respeito, é uma prerrogativa de gestão. Leia em Revista EcoLÓGICA [07/01/2016] { http://bit.ly/AinstransferivelResponsabilidade
  3. 3. Que a gente tenha sorte em 2016 Depois do Natal o que sobra são montanhas de lixos. Papelões, isopores, plásticos, fitas, papéis de embrulho, sacolas viram decoração nas calçadas até que seja recolhido o lixo que não é lixo, é reciclável. Como temos no mundo o péssimo hábito de desperdiçar muitos alimentos, quanta comida vai para o lixo! E na passagem de ano é garantido festar espalhando toneladas de lixos nos ambientes de comemoração. Passa ano, entra ano, e continuamos nessa enganação de parecermos bonzinhos no período de festas e de que a mudança no calendário se tornará o advento que, por milagre, vai mudar tudo que cabe a nós mudar com nossas escolhas cotidianas. Somos folgados. Leia em Revista EcoLÓGICA [29/12/2015] { http://bit.ly/Queagentetenhasorte
  4. 4. Além do seu celular, o que mais tem entre o céu e a terra?
  5. 5. Precisamos ver com os olhos da fé a ligação entre o ambiente natural e a dignidade da pessoa humana, nos diz o Papa Francisco. E por quê? Porque vivemos um momento sem precedentes de ameaça real à vida, ao futuro, às pessoas. Não é mais possível fechar os olhos para o nosso distanciamento da natureza e para o modo de viver adorando bens materiais. É da natureza que tiramos todos os recursos para produzir objetos que tanto achamos que desejamos ter. É poluindo e degradando a natureza que produzimos coisas que rendem dinheiros para alguns e status ilusório de inclusão para muitos. É assim que aumentamos a temperatura do planeta em que vivemos, ano após ano, sem sequer darmos atenção a essa insanidade de destruir tudo que necessitamos para estarmos vivos. Leia em Portal EcoDebate [30/06/2015] { http://bit.ly/BDAlémdoseucelularEcoDebate
  6. 6. O que o meio ambiente tem a ver com a sua saúde? Estamos acostumados a ouvir que comer frutas, legumes e verduras faz bem para a saúde. É verdade. E até em talos, folhas e cascas tem vários nutrientes que precisamos botar para dentro do nosso organismo. O problema é que achamos que não gostamos de alimentos naturais, afinal, somos bombardeados pela publicidade dos produtos industrializados e convencidos de que consumir marcas é o que importa. Comemos muitas porcarias disfarçadas com corantes, saborizantes e aromatizantes, que nem são nutritivas, e não damos lá tantos exemplos para as crianças curtirem o crocante da maçã da Branca de Neve, o espinafre do Popeye ou a cenoura do Pernalonga. Mas, além desse costume torto que depende das nossas escolhas, ainda temos o grave problema do uso exagerado de agrotóxicos nas lavouras brasileiras, permitido exatamente porque não gastamos nosso poder de escolher. Leia em Portal EcoDebate [09/06/2015] { http://bit.ly/BDMeioambienteSaúde
  7. 7. Negócio da China de obrar aqui é um risco desgraçado Leia em Portal EcoDebate [20/05/2015] { http://bit.ly/oquevcprecisasabersobreonegóciodachinanobrasil
  8. 8. A China quer construir uma estrada de ferro através da floresta amazônica. O percurso proposto é de 5.300 quilômetros no Brasil e Peru, começando perto do Porto do Açu, no estado do Rio de Janeiro, passando por Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Acre. A ferrovia cortaria florestas de maior biodiversidade no mundo, ligando a costa atlântica brasileira com a costa peruana do Pacífico, para reduzir custos de transporte de petróleo, minério de ferro, soja e outras commodities que a China importa. É de chorar de joelhos só de pensar no insustentável modo chinês de obrar seus megaempreendimentos para viabilizar o estúpido crescimento econômico custe o que custar. Publicado também em Instituto Humanitas Unisinos { http://bit.ly/BDNegóciodaChinaUnisinos
  9. 9. O incêndio, o rescaldo e os resíduos Durou 9 dias o incêndio na Ultracargo [na área industrial da Alemoa, em Santos]. Os impactos ambientais e sociais começaram a ser noticiados quando completou 1 semana. Peixes morrendo, combustível vazado, fumaça, fumaça, fumaça, chuva ácida se chover. A empresa foi multada em 22 milhões de reais e terá de cumprir 5 exigências, entre elas a revisão de seu Plano de Ação de Emergência e de seu Plano de Gerenciamento de Riscos. As dificuldades para apagar o fogaréu indicam como a empresa deveria lidar com riscos para evitar a ocorrência, para não alastrar, para conter e para se relacionar com moradores, órgãos e imprensa. E a conduta protagonista seria o adequado pela gravidade da situação e pela grandeza dos impactos negativos, com prejuízos econômicos, ambientais e sociais que, no final das contas, são compartilhados com a sociedade. Leia em Portal EcoDebate [17/04/2015] { http://bit.ly/BDIncêncioUltracargo
  10. 10. Quantas pessoas que moram nas ruas você não viu hoje? O menino deve ter uns cinco anos de idade, tem na mão um chocolate ainda fechado. Está passeando com o pai por uma rua do Leblon [bairro chique, de gente rica, IPTU alto, metro quadrado caríssimo], na zona Sul da cidade do Rio de Janeiro. E enxerga na calçada um homem que ninguém vê, ou melhor, que a maioria das pessoas costuma fazer de conta que não está ali. É alguém com quem poucos falam, para quem muitos nem sequer dirigem o olhar, um pedinte, um mendigo, um morador de rua, sentado na calçada com a mão estendida, como faz todos os dias. A criança olha para o pai, estende a mão e oferece o chocolate para o homem. Leia em Eco Rede Social [05/11/2014] { http://bit.ly/invisíveisnascidades
  11. 11. A água, o calor, a governança, a Agenda 21 e o seu protagonismo Se você acha que faltar água é problema do Nordeste e agora de São Paulo, ah, está de inocente na história do nosso país. Estamos em plena crise de água e saneamento, acumulando ralos de desperdício e gargalos de degradação. Somos 77 milhões sem abastecimento de água regular e de qualidade. Somos 114 milhões sem uma solução sanitária apropriada [60% da população]. Somos 8 milhões de brasileiros fazendo necessidades ao ar livre todos os dias. Leia em Portal EcoDebate [05/11/2014] { http://bit.ly/ÁguaeAgenda21
  12. 12. Meio ambiente no Brasil, na perspectiva da Economia, representa um potencial fenomenal de liderarmos a transição para o Desenvolvimento Sustentável. Só que não... Seguir com o modelo econômico insustentável não nos dá um pingo sequer de "mudança" ou de "ideias novas", é mais do mesmo. E o que é pior, nos atola na cultura da sociedade de consumo com poder aquisitivo e sem poder de escolha, com parcelas no cartão e futilidade na cachola. Publicado também em Instituto Humanitas Unisinos [06/11/2014] { http://bit.ly/ÁguaeAgenda21Unisinos Boletim da Rede Ibero-Americana de Agroecologia para o Desenvolvimento de Sistemas Agrícolas Resistentes ao Cambio Climático [REDAGRES-BRASIL], divulgado no site da Rede Atlântico Sul [REMA] { http://bit.ly/ÁguaeAgenda21RemaBrasil
  13. 13. Dia Mundial do Meio Ambiente no Brasil: e aí, vai comemorar? A jornalista e gestora ambiental Marcia Pimenta pensou em fazer uma lista com o que não temos a comemorar no Brasil no Dia Mundial do Meio Ambiente. E fez, só não achou que seria tão difícil. Para quem escreve sobre sustentabilidade, basta sentar um bocadinho, puxar da memória, consultar os arquivos. A dificuldade é ter muitas questões a listar, opções demais. A lista da Pimenta é também o cardápio do dia no que se refere a governança ambiental em nosso país. Leia em Envolverde [05/06/2014] { http://bit.ly/ArtigoDiaMeioAmbiente2014Envolverde
  14. 14. Publicado também em Portal EcoDebate [05/06/2014] { http://bit.ly/ArtigoDiaMeioAmbiente2014EcoDebate Associação Mineira de Defesa do Meio Ambiente [AMDA] { http://bit.ly/ArtigoDiaMeioAmbiente2014AMDA

×