O ECO - edição 56

322 visualizações

Publicada em

Jornal do curso de Economia da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O ECO - edição 56

  1. 1. Edição nº 56 Março 2010 O ECO0 ecoutad@gmail.com
  2. 2. Edição nº 56 O ECO Março 2010Editorial por Vítor Santos; Caros Colegas; Ficha TécnicaC om alguma nostalgia escrevo o meu último “O Eco” editorial desse grande jornal que é “O Jornal Oficial do Núcleo de Alunos de Economia ECO”. Parece mentira, mas este mandato da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douroestá prestes a terminar!!! Foi com muito prazer que NAEC – UTAD Departamento de Economia, Sociologia e Gestãotodos os meses editei as linhas deste jornal, dando Avª Almeida Lucena, nº1 5000-660 Vila Realassim a conhecer as actividades em que Economia E-mail: ecoutad@gmail.commarcou presença e afirmou o seu peso na academia.Agradeço a todos aqueles que contribuíram com Propriedade: NAEC – UTADas suas opiniões enviando os seus artigos para o Editores: Vítor Santos; João Victor Santosjornal, só graças a vocês é possível ter-mos “O Conselho Editorial: NAEC – UTADECO”. Produção: Departamento de Informação É altura de debruçar sobre as últimas Redactores: Hélder Morais, Rui Ramos, Vítor Santos, André Martins; Mariona Nogué Quintanaactividades desde a anterior edição, desta feita,neste mês economia voltou a mostra-se à academia. Colaboradores: Bruna Mendes, Isabel Vieira~ Este mês marcou também pela realização de Impressão: Triplé Onlinevários torneios e outras actividades, tal como oPaddy Paper, o PES, POKER e o Futsal, pena algumas destas actividades não teremrecebido aderência por parte dos estudantes. Ainda assim, à frente nesta edição,publicamos os vencedores do nosso mandato. Outra actividade organizada por alunos de Economia, foi um Workshopdenominado “Prepara-te para a vida activa” que obteve uma boa aderência por parte dosalunos e se tornou uma satisfação para a organização, compensando assim o trabalhoque dá organizar um evento destes, e nós sabemos o que custa organizar qualquercoisa, sabe bem no fim ser reconhecido. Recentemente tivemos mais uma Patuscada, mais uma noite de convívio à volta dofogareiro  num espírito muito familiar. Despeço-me, com o desejo de que este mandato tenha sido do agrado de toda agente, pelo menos fizemos por isso. Fica então um sentimento de missão cumprida.Parabéns Equipa e obrigado aos que desde sempre nos apoiaram, é graças a vocês quetudo isto foi possível. Acompanha o teu núcleo através dos vários meios que dispomos:  O nosso site: home.utad.pt/~nae/  O nosso blog: naecutad.blogspot.com  No twitter: twitter.com/naecutad Vítor Santosecoutad@gmail.com 1
  3. 3. Edição nº 56 Março 2010 O ECO Artigo da Presidência do NAEC-UTAD Caros colegas; screvo este artigo no terminar de mais um ciclo deste mui nobre NAEC-UTAD,E um ciclo repleto de alegrias, sorrisos e amizade. Embora tendo a plena noção que nem tudo foi perfeito, que nem tudo o que fizemos correu da melhor forma, o sentimento é de dever cumprido, demos o nosso melhor e sempre defendemosbem alto o nome do nosso Curso. Posto isto queria agradecer a todos quantos nas passadas eleições nos deram aconfiança, e também a todos quantos ao longo deste período passaram a confiar nonosso trabalho e se juntaram a esta grande equipa que é o nosso mui nobre Curso. Não posso contudo olvidar o trabalho individual feito por cada membro destaequipa que sempre esteve ao serviço de todos, sabendo de ante mão o quão difícil que édeixar as nossas coisas para ir tratar de assuntos de todos, deixo-vos aqui o meu muitoobrigado. Cada vez são mais e difíceis os desafios que nos são colocados no mundo quandoabandonamos as paredes deste nosso ex-Drm, e para respondermos a esses obstáculos émeu entender que deveremos continuar a primar pela qualidade que nos marca. Alunosde universidades sem identidade individual existem aos milhares, mas alunos que paraalém de uma relação professor-aluno conseguem construir uma relação de amizade comcada professor é sem duvida o que nos marca e distingue no ensino da Economia emPortugal. Assim é meu entender que o futuro do nosso curso passará essencialmente poreste vector, porque é o que nos faz ser diferentes e valorizados. È assim com esta ideia que gostaria de me despedir, endereçando um forte abraço atodos os que tive a honra de representar enquanto Presidente do NAEC-UTAD mandato2009-2010 e desejando um óptimo trabalho à equipa que se seguirá. Até à AGC! Hélder Morais2 ecoutad@gmail.com
  4. 4. Edição nº 56 O ECO Março 2010 Os vencedores do nosso mandato Nome: André MartinsActividade: Jogo da Bolsa Prémio: Livro “Investir e Ganhar em Bolsa” Nome: Sandra DinizActividade: Sorteio de rifas do Jantar de Curso da Semana do Caloiro. Prémio: Máquina Fotográfica Nome: Márcio CardosoActividade: Poker Prémio: Monetário Nome: 1º Pegadores; 2º Paulo Bento 4 Ever; 3º Amigos do Lipa S02Actividade: Futsal Prémio: 3 grades de minis para o primeiro classificado, 2 grades de minis para o segundo classificado, uma grade de minis para o terceiro classificado e respectivas taças Agradecemos a todos os que participaram nas actividades que o NAEC-UTAD propôs neste mandato. Obrigado por fazerem valer a pena a dedicação desta equipa!!!!ecoutad@gmail.com 3
  5. 5. Edição nº 56 Março 2010 O ECO Nostalgia… Mas ainda não se vêem livres de mim!!!! Ao escrever estes pequenos paragrafos, acompanha-me um triplo sentido denostalgia, senão mais. Nestes três anos por terras transmontanas, muitas foram as pessoas com quem mecruzei, as amizades que criei, os cargos e as responsabilidades que assumi. Chegou a hora da despedida. Como tive a oportunidade de referir no editorial,despeço-me da edição deste jornal que tanto orgulho e prazer me deu fazer neste últimoano. Deixo aqui também uma palavra à equipa do NAEC da qual tive oportunidade defazer parte este ano, agradecendo toda a união, o empenho e dedicação que mostrarampelo curso, foi com muito orgulho que mais uma vez fiz parte desta grande equipa.OBRIGADO a todos os que confiaram em nós, espero não os termos desiludido.Despeço-me assim com um sentimento de missão cumprida. Outra das duras despedidas, é a todas aquelas pessoas com quem tive o prazer deme cruzar nesta vida académica, foram tantas que nem me atrevo a começar amencionar. Por essa UTAD fora, sintam-se incluidos nestas minhas palavras. Obrigadoa todos por me aturarem… Mas vá, tenham calma ainda vem aí a semana académica  Aproveito esta oportunidade para agradecer o convite da Lista T para fazer parteda AAUTAD, é um prazer fazer parte desta grande equipa. Não menos importante, era obrigatório deixar uma palavar aos “meus” caloiros.Foram uns caloiros únicos, sempre fizeram honra ao nome do curso. Conseguiram deforma inédita estar presentes na maioria das actividades que proporcionamos para vocêsnas casas da noite da cidade, quase sempre garantindo lugar na final. Sei que nemsempre foi facil, mas ainda bem que fizeram o esforço, deixaram orgulhosos os doutorese o curso. E a mim então, fizeram valer a pena estar na frente da comissão de praxe, ejustificaram todo o trabalho que eu e os restantes membros tivemos para vos arranjar-mos todas essas actividade, e as noites mal durmidas para que a praxe corresseminimamente bem, dentro do possível. Foi duro, mas valeu a pena!!! Aproveitem a vidaacadémica. Como vêm há tempo para tudo, nunca me arrependi de estar em tudo o queestive, as responsabilidades que tive e tenho, muito pelo contrário!!! E todas as festasque fui, voltava a ir. Não mudava uma vírgula na minha passagem pelo velhinho ex-DRM. Nestes três anos de licenciatura muitos foram os professores que se cruzaramconnosco, deixo aqui também uma palavra de apreço por toda a ajuda que nos deram nanossa formação. Tenho a certeza que daqui a uns tempos nos iremos lembrar de todosvocês. Aproveito também para deixar uma palavra de apreço aos funcionários do ex-drm,que todos os dias se cruzam connosco pelos corredores. Devemos a Funcionários e Professores o funcionamento deste departamento,tendo noção das dificuldades que o DESG se depara. Ainda assim, obrigado a todospela dedicação aos alunos.4 ecoutad@gmail.com
  6. 6. Edição nº 56 O ECO Março 2010 Apesar de tudo, este ano não correu todo na perfeição, prova disso são as cadeirasque ficaram pra trás, e que lá terei de ir outra vez para o ano… paciência, para o ano hámais… lá terão de me aguentar por cá mais um ano. Bem, o que seriam uns pequenos parágrafos, já vai num longo texto, sendo assimdespeço-me com saudade destes anos. FOI UM PRAZER FAZER PARTE DO NAEC E TRABALHAR COM TODASAS PESSOAS ENVOLVIDAS NESTE DEPARTAMENTO, PARA VOCÊS. Obrigado por tudo; “Mas ainda não se vêem livres de mim” Até Sempre Vítor Santos “Batalhinha”ecoutad@gmail.com 5
  7. 7. Edição nº 56 Março 2010 O ECO Experiência erasmus…Ahoj caros colegas em terras lusas/UTADinas, oi-me pedido para relatar um pouquinho desta experiência chamada “Erasmus”F (a.k.a. ainda melhor boa vida do que na UTAD, mas em terras estrangeiras). Como devem imaginar, a primeira dificuldade é passar 24/7 num espaço de 12 m2 comdois marmanjões, que diga-se de passagem, não têm os melhores hábitos de higiene quese conhecem (só a brincar, porque até é aceitável, not!). Tirando esse pequenocontratempo, há o frio constante no exterior e o calor intenso constante nos interiores detudo o que é fechado, seja edifícios, autocarros, metros, eléctricos, etc, portanto até nemse está mal de todo. A maior parte dos checos não fala outra língua senão o checo, o quepor vezes torna as coisas um pouco complicadas na comunicação, mas nós cá nosarranjamos, nem que seja a cacarejar para a mulher do talho do BILLA (tipo Mini-Preçode cá) para pedirmos frango assado. Agora o que interessa à maior parte da população estudantil do EX-DRM: aNOITE!!! Isto é o autêntico paraíso para aqueles que querem passar a noite acordados aCÓRTIR! e emborracharem-se até às tantas para no dia seguinte não fazerem nenhumporque estão a dormir e de ressaca, para nessa mesma noite irem desbundar à grandepara as grandes casas da cidade onde os cursos (incluindo economia) marcam presençanovamente e passarem assim 4 meses a fio. E o que não falta são anúncios e e-mailspara não nos queixarmos que não sabíamos que havia festarola da boa. Só tenho pena de não poder estar aí quando forem as eleições para esse lugar tãocobiçado que é o NAEC-UTAD para ver se a agitação e euforias democráticas de anosanteriores se repetem, o que certamente acontecerá, e esse momento épico da AGC, queme deixa nostálgico só de imaginar. Mas por vezes temos que fazer opções difíceisentre uma experiência Erasmus e umas eleições e consequente AGC, mas espero terfeito a opção correcta e não me arrepender disso… O pessoal daqui não sabe cozinhar, porque eles fazem arroz/massa desenxabidacom carne desenxabida e depois metem 2 litros de molho (nem sei bem do quê) para darum toque de sabor àquilo. Mas o pior são mesmo as sopas: aquilo é na maior parte dasvezes intragável e quando é aceitável prefiro nem pensar o que eles põem lá paradentro… Mas este sistema horário não funciona para os latinos, porque os checoslevantam-se às 6h da manhã (são malucos os gajos), almoçam ao meio-dia e às 17h jáestão a jantar, o que é um pouco estranho para nós, mas como se costuma dizer: “EmRoma, sê romano” e lá nos temos que adaptar. Como estamos aqui para o meio da Europa de Leste é acessível para nós viajarmospara estas capitais aqui perto por preços relativamente baixos, pelo menos comparando6 ecoutad@gmail.com
  8. 8. Edição nº 56 O ECO Março 2010com o que se gastava se estivéssemos em Portugal. Para já apenas viajamos até Viena,porque nem sempre estamos disponíveis nos fins-de-semana por causa dasapresentações para os Seminars, trabalhos entre Lectures e estudos para os StudyBlocks. Mas do que pudemos ver da única viagem que fizemos até agora é que é umaexperiência única ir para outro país durante uns dias, sem saber falar a língua deles (sóresta ter esperança que alguém fale inglês XD), sem conhecer os transportes deles,quase nada, e fazer a viagem pela cidade pelo nosso próprio pé a conhecermos aquiloque nos aparece à frente sem qualquer tipo de guia ou mapa e comermos uma belasandocha que levamos na mochila numa praça histórica em frente a um edifício que estáali à 300 ou 400 anos. De Viena só posso dizer que é uma cidade lindíssima e que tenhopena de não ter ficado lá muito mais tempo para aproveitar ao máximo todo o que Viename poderia ter dado. Mas isso só me deixou com vontade de voltar lá um dia mais tardecom alguém especial para conhecermos aquilo em condições. O que noto aqui é que existe uma grande amplitude entre homens e mulheres, ouseja, os homens são feios que nem uns jumentos e as mulheres relativamente bonitas, oque é óptimo para os latinos, aliás, os espanhóis e italianos causam furor cá entre ogénero feminino, portanto, quem tiver com “a traça” à muito tempo é só vir cá e falarcom o Luís, a.k.a. Gajo Do Porto, que ele arranja-vos qualquer coisa, nem que seja emúltimo caso na cabeleireira que leva 600 CZK por um corte de cabelo e mais qualquercoisita… Ah!, e podem estar descansados que eu não me esqueço das 6 checas quealguém por esses lados me pediu para levar (não vou referir nomes para não ferirsusceptibilidades XD), aliás, quem quiser também é sófazer a reserva que eu vouver o que se pode fazer… De qualquer formaaconselho qualquer pessoa ater esta experiência, seja pelanoite, seja pela vontade deconhecer algo novo e diferente,agora cada um é que sabe aquiloque gosta…Nashledanou…Rui Ramosecoutad@gmail.com 7
  9. 9. Edição nº 56 Março 2010 O ECO Aventura Erasmus en PortugalO brigada es lo primero que aprendes cuando llegas a Portugal; antes de cualquier de los saludos denominados de educación como Bom dia, boa tarda, boa noite. Llegas a Porto, ciudad del caos y de las cuestas pesadas sin final a la vista, y noparas de decir obrigada por todo; porque no te han atropellado todavía o porque teindican un sitio y seguramente te lo han dicho mal. Si eres un poco más atrevido yllevas unas semanas de estudio te atreves con el obrigadinha para caer en gracia a losportugueses (siempre va bien causar buena impresión, sobre todo cuando te hacen lapregunta de la muerte: ¿de dónde eres?). Encuentras Rodonorte y caes de culo al suelo cuando te das cuenta que unautocarro de esas dimensiones puede maniobrar (aparentando calma y sin problema)por aquellas calles estrechas y sin ningún tipo de orden ni estructura. Vila Real te sorprende por la gran cantidad de calles levantadas que tiene; cada unade ellas le están arrancando sus entrañas buscando sabe Dios qué! Pero todo esto quedaen segundo plano cuando consigues encontrar un sitio donde vivir y te dicen: nâocalefacción, naô lavaroupa, nâo televisâo… Se te cae el mundo encima. Lo primero quepiensas es en volver para casa y aceptar que esto del Erasmus en Portugal era y es unalocura (tal y como te decía tu madre, que todo lo sabe), pero de repente chocas con unpar de chicos, con cara despistados y con rasgos no portugueses y vuelves a ver la luz.Tres siempre son mejor que uno, no? Seamos sinceros y reconozcamos que las relaciones públicas funcionan en elmundo nocturno. De fiesta en fiesta y entre cerveza y cerveza la gente se abre y pierdela vergüenza. Al cabo de dos horas las sonrisas se han apoderado de nuestras caras y laamistad que nos une parece más fuerte que la correa de un doberman. El día siguiente,está claro, todo parece menos eufórico y un poco borroso. Todos los problemas aparecen cuando te enfrentas al montón de papeles que tienesencima de la mesa, la mayoría en portugués, y te tiras a la aventura de coger unCorgobus sin equivocarte ni perderte. Llegar a la UTAD y decidir ir a clase sin quedarteen el intento, es todo un logro. Si no te falta un papel, te falta otro; si has ido a la clasecorrecta, no sales a la lista de asistencia. Es en ese momento que te sale el “animal” quellevas dentro y empiezas a criticarlo todo, sin dejarte nada ni nadie. En unos días, lacalma ha llegado (también en el tiempo) y veslas cosas de otro color. Parece que la gente teempieza a conocer y te saludan por la calle; latarjeta del Corgobus funciona a la perfección yno “pita” cada dos por tres; te has aclimatado alclima y aprendes a ir con tres jerséis encima…cosas cotidianas que parecen pequeños detallessin importancia pero que en la vida Erasmus-portuguesa son detalles enormes.8 ecoutad@gmail.com
  10. 10. Edição nº 56 O ECO Março 2010 A los meses de haber empezado la aventura miras atrás y te das cuenta que te llevastantas cosas para tu casa, todas ellas positivas. Por lo tanto, solo te queda ir a los“chinos” y comprar otra maleta, tantos recuerdos no caben dentro de los bolsillos de lachaqueta. Mariona Nogué Quintana. Erasmus Catalana (Cataluña) Vai deixar saudades…. arece que chegou a hora da despedida…Ao olhar para trás dá a impressão que foiP ontem, e no entanto já passaram três anos. Ficam tantas recordações!! O receio do primeiro dia de aulas em que os Doutores nos esperavam à porta do ex-Drm, ondeo negro dominava, os olhares tímidos com as pessoas que nos eram completamentedesconhecidas e que algumas delas (poucas, é certo) viriam a ser fundamentais nestapassagem por esta terra que nos acolheu. E depois, a terrível praxe que tanto medocausava, mas que acabou por ser dos melhores momentos que aqui vivi… Tantas vezesa rastejar para a cantina, tantas vezes de quatro porque não conseguíamos conter o riso,tantos berros porque simplesmente não cantávamos… Tudo valeu a pena, porque nosajudou na integração, na adaptação a uma terra desconhecida e nos permitiu construiralgumas amizades que, com força de vontade irão permanecer para sempre. Ser caloiro é sem dúvida das melhores experiências que se pode viver na vidaacadémica. Ficarão na memória todas as saídas, todas as directas malucas que fazíamos(incluindo para estudar - aquela famosa directa para a frequência de Economia I ) e osono que dava nas aulas (desculpem senhores professores, era só de vez em quando).E claro que será sempre lembrado o dia da Latada em que conquistamos um honroso 2ºlugar, em que demos o nosso melhor para que o nome de Economia soasse mais alto.Um obrigado a todos os Doutores que nos incutiram um sentido de união (sim, porquenaquela altura éramos unidos) e a todos os colegas de praxe, foram momentos únicos. De realçar também, é a organização da Latada no 2º ano, em que depois de muitotempo perdido a escrever letras de músicas, inventar coreografias, preparar os fatos e demuitos ensaios, os caloiros (os actuais animais) conquistaram o 1º lugar. Foi arecompensa de todo o esforço envolvido pela parte daqueles que trabalharam e queajudaram na conquista do pódio. E como não poderia deixar de ser tenho que referir os meus caloiros. Adorei ter-voscomo colheita de caça , proporcionaram-nos momentos muito divertidos. Aproveitembem a vossa vida académica, porque são sem dúvida dos momentos mais marcantes. Equando forem vocês os praxadores, tentem praxar um bocadinho mais que nós, senãoqualquer dia destes a praxe acaba. E claro felicitar-vos pelo 3º lugar na latada, porquecom os poucos ensaios que vocês tiveram portaram-se muito bem e deixaram-nosorgulhosos. Quanto às críticas, não liguem, é que “só fala quem tem que se lhe diga”.ecoutad@gmail.com 9
  11. 11. Edição nº 56 Março 2010 O ECOVocês deram o vosso melhor e nós, os Doutores, sabemos disso e temos orgulho emvocês. E por último, mas não menos importante, quero referir que foi um prazer fazer partedo NAEC-UTAD. Foram dois anos de mandato, com muito trabalho, em que demos onosso melhor na tentativa de organizar festas e outras actividades. Há uma frase que diz:“os que não fazem nada, estão sempre dispostos a criticar os que fazem algo”,coloco aqui esta frase pois fomos sempre criticados em tudo o que fazíamos e semprepor pessoas que não têm a mínima noção do que é fazer parte de um núcleo, sem teremnoção que as coisas não aprecem feitas sozinhas, é necessário muito trabalho e muitadedicação para que as coisas corram minimamente bem. É que fazer parte do núcleo nãoé só a semana académica, trabalhamos o ano todo. É fácil criticar que as festas nãodão lucro, mas a verdade é que quase ninguém lá aparecia para que isso fosse possível,ou então que não cumpríamos as actividades a que nos propusemos. Sim, isso éverdade, é que sabem, é difícil organizar alguma actividade quando os únicos inscritossão os membros do NAEC. Para confirmar o que eu disse, basta ver a lista de pessoasque apareceram na Patuscada, mas é bem capaz de aparecer alguém a criticar, quandonem sequer lá estava. Por isso em vez de criticarem, sejam inteligentes e contribuamrealmente para o bem do curso e deixem-se dessas “guerrinhas” parvas que não levam alado nenhum. Foi um prazer trabalhar com todos os elementos do núcleo e… serei A até morrer.  Para finalizar quero dizer que vou sentir muitas saudades de algumas pessoas queconheci cá, das saídas, das jantaradas, das risadas, de algumas lágrimas, de todas asmaluqueiras e momentos únicos que vivi nesta terra fantástica. Vila Real – UTAD -Economia sempre no coração. Até sempre… Saudações académicas Isabel Vieira10 ecoutad@gmail.com
  12. 12. Edição nº 56 O ECO Março 2010 WorkshopCaros Colegas: com enorme contentamento que escrevo pela primeira vez para o nosso jornal deÉ economia. É, também por um bom motivo que o faço, para demonstrar em nome daUSC uma sincera gratidão a todas as pessoas que participaram no Workshop –“Prepara-te para a vida activa”. Em nome da USC, um MUITO OBRIGADO ATODOS!!! Após longas horas de preparação deste pequeno grande evento, toda a nossa equipaestava com um nervoso miudinho, para que tudo corresse bem. O nosso objectivo erapreparar um Workshop alargado a várias áreas ou cursos, com o segundo dia a darespecial atenção à área da economia e gestão. Começava então o primeiro dia do nosso workshop com a Dra. Núria Mendoza, daempresa LIFETRAINING. Com temas que nos ajudam à inserção na vida activa, commuita diversão e magia de cartas à mistura , tivemos sala cheia no auditório do CIFOPcom cerca de 120 pessoas. Posso dizer que, tanto como membro da organização oumesmo como participante deste workshop, a Dra. Núria fez do nosso dia 3 de Março de2010 um dia UAU!!!! Um dia mesmo especial! O segundo dia deste workshop foi realizado no auditório do IPJ, por questões deespaço. Começamos a palestra com os oradores da empresa Fiducial, passando tambémpelo Millenium BCP e, da parte da tarde, o projecto Colibri (com este último admiroque fiquei impressionado pela positiva). Gostaria também de agradecer (e provavelmente todos pensam o mesmo) àpastelaria Pãozinho do Céu pela ajuda dada no “excelente” coffe break disponibilizado(as miniaturas eram muito boas ). Sem me alongar mais, gostaria de apenas dizer a todos que não participaram ou nãoquiseram participar, que o Workshop organizado foi meramente com a finalidade deAJUDAR TODOS OS ALUNOS, elevando também um pouco o nome da nossa UTAD. Abraço; André Martinsecoutad@gmail.com 11
  13. 13. Edição nº 56 Março 2010 O ECO PassatemposNível: Fácil Nível: Médio Nível: Difícil12 ecoutad@gmail.com
  14. 14. Edição nº 56 O ECO Março 2010ecoutad@gmail.com 13

×