ANALISE EPIDEMIOLÓGICA       DENGUE PERÍODO EPIDÊMICO  JAN-JULHO DE 2012
   Guaratinguetá vivenciou uma epidemia de    Dengue neste inicio de 2012, com um número    bastante significativo de cas...
ANO    CASOS CONF                                  2008       6                                  2009       0             ...
3000   2500                                                                       2828   2000   1500    1000     500      ...
ANO    ÓBITOS                                  2008     0                                  2009     0                     ...
< 01 ANO 01 A 04      05 A 09   10 A 14 15 A 19 20 A 34 35 A 49 50 A 64 65 A 79 80 E +   TOTALMASC     15      17         ...
450                                                                                    393         409            400     ...
   Febre: entre 37,5º c a 39º C   Boca amarga   Cefaleia   Mialgia   Prostração   Dor na perna   Calafrios   Dor r...
500450                                                         438                                                        ...
400                                                        367350                                                         ...
MÊS DA NOTIF       AGUARDANDO   CONFIRMADO   DESCARTADO   TOTAL         JAN                  0        83           45     ...
   REGIÃO DO PEDREGULHO   COHAB/ NOVA GUARÁ   TAMANDARÉ   PEDREIRA   REGIÃO CENTRAL   VILA PARAÍBA   REGIÃO DO PARQ...
Os primeiros casos começaram a ser notificados em Janeiro de 2012 e omaior pico de notificações e casos confirmados foi na...
   - Fechamos uma parceria com a Escola de Especialistas da Aeronáutica, que    nos cedeu 15 soldados para atuarem diaria...
- Realizamos ações nos bairros com maior número de casos, aossábados, sendo feito BCC, nebulização e mutirão para retirada...
    Realizamos telagem de caixas dágua com aplicação de larvicida,    cedido pela SUCEN, nos bairros do Tamandaré e Pedre...
O município realizou a ADL em Julho de 2012;Iniciou, em agosto, a visita casa a casa, mantendo a estratégia de ter os Agen...
EQUIPE DE VIGILÂNCIA EM SAÚDESECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE GUARATINGUETÁ
AVALIAÇÃO DE DENSIDADE LARVÁRIA        GUARATINGUETÁ         JULHO DE 2012
OBJETIVOSTem como objetivos principais, avaliar os níveis de infestação das váriasáreas do município e identificar os reci...
ÍNDICES DE INFESTAÇÃOa) IP - Índice Predial: É a relação expressa em porcentagem, entre o nº de imóveis positivos, isto é,...
AVALIAÇÃO DE DENSIDADE LARVÁRIA   RECIPIENTES PESQUISADOS EM      GUARATINGUETÁ - 2012             ÁREA 01
RECIPIENTES       PESQ.   C/ÁGUA   C/LARVA   A. AEG.   A. ALB.   TOTAL AED.LIGADO A REDE                       7       5  ...
RECIPIENTES QUE POSITIVARAM PARA AEDES                                    ÁREA 01                                         ...
RECIPIENTES       PESQUISADOS    C/ ÁGUA   C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                                   ...
RECIPIENTES        PESQUISADOS   C/ ÁGUA   C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                                   ...
RECIPIENTES                  PESQUISADOS    C/ ÁGUA    C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                       ...
RECIPIENTES            PESQUISADOS      C/ ÁGUA   C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                            ...
RECIPIENTES    PESQUISADOS   C/ ÁGUA    C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                                      ...
RECIPIENTES             PESQUISADOS   C/ ÁGUA      C/ LARVA      A. AEG.   A. ALB.                                        ...
RECIPIENTES       PESQUISADOS    C/ ÁGUA       C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                               ...
RECIPIENTES QUE POSITIVARAM PARA A. AEGYPTI                        ÁREA 01                                                ...
AVALIAÇÃO DE DENSIDADE LARVÁRIA   RECIPIENTES PESQUISADOS EM      GUARATINGUETÁ - 2012             ÁREA 02
RECIPIENTES   PESQ.   C/ÁGUA   C/LARVA   A. AEG.   A. ALB.   TOTAL AED.LIGADO A REDE                                8     ...
RECIPIENTES QUE POSITIVARAM PARA AEDES                                     ÁREA 02                                        ...
RECIPIENTES       PESQUISADOS    C/ ÁGUA   C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                                   ...
RECIPIENTES        PESQUISADOS   C/ ÁGUA   C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                                   ...
RECIPIENTES            PESQUISADOS      C/ ÁGUA    C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                           ...
RECIPIENTES             PESQUISADOS   C/ ÁGUA   C/ LARVA    A. AEG.    A. ALB.                                            ...
RECIPIENTES    PESQUISADOS   C/ ÁGUA   C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                                       ...
RECIPIENTES             PESQUISADOS   C/ ÁGUA   C/ LARVA    A. AEG.   A. ALB.                                             ...
RECIPIENTES       PESQUISADOS   C/ ÁGUA   C/ LARVA   A. AEG.   A. ALB.                                                    ...
RECIPIENTES QUE POSITIVARAM PARA A. AEGYPTI                  ÁREA 02                                                     R...
TOTAL GERALÁREA   QUART.   TRAB.   FECH.   RECUSA   PESQ.   ÁGUA    LARVA   AEG   ALB  1      38       608    265      20 ...
Q - quadra trabalhada                                             PE- ponto estratégico                                   ...
Q - quadra trabalhada                                                 PE- ponto estratégico                               ...
Q - quadra trabalhada                                              PE- ponto estratégico                                  ...
Q - quadra trabalhada                                            PE- ponto estratégico                                    ...
AVALIAÇÃO DE DENSIDADE LARVÁRIA           EQUIPE DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE  SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE GUARATINGUETÁ
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Visa guara dengue jan-julho 2012

225 visualizações

Publicada em

Trabalhos realizados entre janeiro e julho de 2012.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
225
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Visa guara dengue jan-julho 2012

  1. 1. ANALISE EPIDEMIOLÓGICA DENGUE PERÍODO EPIDÊMICO JAN-JULHO DE 2012
  2. 2.  Guaratinguetá vivenciou uma epidemia de Dengue neste inicio de 2012, com um número bastante significativo de casos. Até julho foram registrados 3.979 casos e 2.220 casos confirmados.  O município enfrentou algumas dificuldades que explicam esta epidemia, de modo especial:1- Adoção de estratégia pouco adequada, com a nãorealização de ADL e de visita Casa a Casa em 2011;2- RH insuficiente para a adequada realização dasações de enfrentamento.
  3. 3. ANO CASOS CONF 2008 6 2009 0 2010 36 2011 579 2012 (até julho) 2828Fonte: SINAN – VE GUARATINGUETÁ
  4. 4. 3000 2500 2828 2000 1500 1000 500 6 579 0 0 36 2008 2009 CASOS 2010 CONFIRMADOS 2011 2012 (até julho)Fonte: SINAN – VE GUARATINGUETÁ
  5. 5. ANO ÓBITOS 2008 0 2009 0 2010 0 2011 2 2012 1Fonte: SINAN – VE GUARATINGUETÁ
  6. 6. < 01 ANO 01 A 04 05 A 09 10 A 14 15 A 19 20 A 34 35 A 49 50 A 64 65 A 79 80 E + TOTALMASC 15 17 31 66 134 399 295 205 96 15 1273 FEM 13 9 33 63 120 393 409 319 166 30 1555TOTAL 28 26 64 129 254 792 704 524 262 45 2828Fonte: SINAN – VE GUARATINGUETÁ
  7. 7. 450 393 409 400 399 350 300 319 250 295 200 150 120 205 166 MASC 63 134 100 13 33 9 FEM 50 15 66 17 31 0 96 30 < 01 ANO 01 A 04 05 A 09 15 FEM 10 A 14 15 A 19 20 A 34 MASC 35 A 49 50 A 64 65 A 79 80 E +Fonte: SINAN – VE GUARATINGUETÁ
  8. 8.  Febre: entre 37,5º c a 39º C Boca amarga Cefaleia Mialgia Prostração Dor na perna Calafrios Dor retro-orbital Falta de apetite Foram relatados ainda, em 7 casos, queda de cabelo no período após a doença.
  9. 9. 500450 438 399400 389 380350300 245 237 244250 236 221 193200 166 171150 131 103100 75 70 54 42 44 42 50 14 12 21 17 14 8 9 1 3 0 0 Fonte: SINAN – VE GUARATINGUETÁ
  10. 10. 400 367350 311 299 301300250200 182 168 171150 138 114 119 118100 91 83 72 55 4950 40 31 34 34 14 9 10 4 5 3 4 1 1 0 Fonte: SINAN – VE GUARATINGUETÁ
  11. 11. MÊS DA NOTIF AGUARDANDO CONFIRMADO DESCARTADO TOTAL JAN 0 83 45 128 FEV 0 499 137 636 MAR 0 1353 353 1706 ABR 0 545 426 971 MAI 0 302 157 459 JUN 0 40 26 66 JUL 0 6 7 13 TOTAL 0 2828 1151 3979Fonte: SINAN – VE GUARATINGUETÁ
  12. 12.  REGIÃO DO PEDREGULHO COHAB/ NOVA GUARÁ TAMANDARÉ PEDREIRA REGIÃO CENTRAL VILA PARAÍBA REGIÃO DO PARQUE SÃO FRANCISCO
  13. 13. Os primeiros casos começaram a ser notificados em Janeiro de 2012 e omaior pico de notificações e casos confirmados foi na semana 11,caracterizando o mês de março como o mês com maior número de casos.A partir de março, o município investe numa estratégia de MobilizaçãoSocial, envolvendo escolas, associações de bairro, instituições , igrejas euniversidades com a criação do movimento Guaratinguetá Unida contra aDengue;Criamos um sistema de mala direta para comunicação com a população,atualizando os dados e levando mensagens de prevenção da doença eorientações;Mobilizamos os voluntários da comunidade para participar das ações decombate à doença;
  14. 14.  - Fechamos uma parceria com a Escola de Especialistas da Aeronáutica, que nos cedeu 15 soldados para atuarem diariamente nas ações de controle da doença, inclusive na aplicação do larvicida; Convocamos todos os agentes comunitários dos PACs para atuarem como agentes de controle de vetores, centralizados na Vigilância; Realizamos ações de Vigilância Sanitária , com aplicação de multas e penalidades (inclusive de prestação de serviços), quando necessário; - Realizamos vistorias em imóveis fechados e desocupados, com abertura destes imóveis, retirada de criadouros e aplicação de penalidades;
  15. 15. - Realizamos ações nos bairros com maior número de casos, aossábados, sendo feito BCC, nebulização e mutirão para retirada decriadouros. Para esta estratégia eram convocados todos os agentescomunitários e outros funcionários da SMS . Com a participaçãodos voluntários e soldados da EEAR tivemos 120 agentes decontrole da dengue, todos treinados e aptos a fazer a aplicação delarvicida, atuando todos os sábados dos meses de março e abril,períodos de pico da doença. Este contingente permitia que otrabalho fosse iniciado e encerrado no mesmo dia, com baixapendência. Esta ação foi desenvolvida em parceria com Secretaria de Serviços Urbanos, Obras, Educação, Assistência Social e SAAEG.Uma outra estratégia utilizada para reduzir as pendências foi aampliação do horário de trabalho dos agentes. Ao final do dia elesretornavam nas residências fechadas ou com recusa, trabalhandoaté as 20h . Foram adquiridas lanternas para este trabalho.
  16. 16.  Realizamos telagem de caixas dágua com aplicação de larvicida, cedido pela SUCEN, nos bairros do Tamandaré e Pedreira; Reorganizamos a rede assistencial, com otimização de recursos, liberação de exames em 24h, treinamento das equipes, criação da sala de situação da dengue municipal, autorização para solicitação de hemograma por Enfermeiras,criação de uma sala de observação da dengue no Pronto Socorro Municipal, destinação de vagas livre demanda para casos suspeitos de dengue nas Unidades, organização das Unidades para soro EV; Reorganizamos a equipe da Vigilância em Saúde (Total de 52 pessoas) atuando exclusivamente na dengue) criando: Equipe de campo (BCC e Nebulização/ PE e IE/Busca Ativa ) Equipe de analise e digitação das FE Equipe de vistoria (ações de VISA) Equipe de Monitoramento dos pacientes e Orientação da Assistência, Equipe de Mobilização Social
  17. 17. O município realizou a ADL em Julho de 2012;Iniciou, em agosto, a visita casa a casa, mantendo a estratégia de ter os AgentesComunitários do PACs na Vigilância e retomando a parceria com a EEAR;Manutenção das ações de mobilização social, com intensificação de mensagens,outdoors, reunião com voluntários, envolvimento da mídia, reuniões emassociações de bairro, escolas e universidades;Mutirão de remoção de criadouros;Sala de Situação da Dengue Municipal – reunião mensal com toda a rede desaúde particular e pública;Treinamento de 100% dos profissionais de saúde envolvidos no manejo clínicoda dengue.
  18. 18. EQUIPE DE VIGILÂNCIA EM SAÚDESECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE GUARATINGUETÁ
  19. 19. AVALIAÇÃO DE DENSIDADE LARVÁRIA GUARATINGUETÁ JULHO DE 2012
  20. 20. OBJETIVOSTem como objetivos principais, avaliar os níveis de infestação das váriasáreas do município e identificar os recipientes existentes, pesquisados epositivos que predominam em dois momentos diferentes na sazonalidade do vetor.
  21. 21. ÍNDICES DE INFESTAÇÃOa) IP - Índice Predial: É a relação expressa em porcentagem, entre o nº de imóveis positivos, isto é, onde foram encontrados larvas e/ou pupas da espécie em avaliação, e o nº de imóveis pesquisados.b) IR - Índice de Recipiente: É a relação expressa em porcentagem, entre o nº de recipientes com água e positivos, isto é, com a presença de larvas e/ou pupas do vetor e o nº de recipientes com água pesquisados.c) IB - Índice de Breteau: É a relação entre o nº de recipientes positivos e o nº de imóveis pesquisados. ÍNDICES EM ADL – JULHO DE 2012 MÊS ÁREA QUADRAS TRAB. IB A. aeg. IB A. alb. IP A. aeg. IP A. alb. IR A. aeg. IR A. alb. 7 1 38 608 1.3 1.8 1.2 1.6 0.6 0.9 7 2 42 630 1.0 0.6 0.6 0.6 0.4 0.3 7 999 80 1238 1.1 1.1 0.8 1.0 0.5 0.5
  22. 22. AVALIAÇÃO DE DENSIDADE LARVÁRIA RECIPIENTES PESQUISADOS EM GUARATINGUETÁ - 2012 ÁREA 01
  23. 23. RECIPIENTES PESQ. C/ÁGUA C/LARVA A. AEG. A. ALB. TOTAL AED.LIGADO A REDE 7 5 0 0 0 0 DEPÓSITONÃO LIGADO A REDE 7 1 0 0 0 0 ELEVADOLIGADO A REDE 2 2 0 0 0 0 DEPÓSITO NÃONÃO LIGADO A REDE 11 7 1 1 0 1 ELEVADOVASO DE PLANTA NA ÁGUA 46 29 0 0 0 0VASO DE PLANTA (DIVERSOS) 833 10 0 0 0 0PRATO PINGADEIRA 880 96 0 0 0 0CONSUMO ANIMAL 384 306 7 0 1 1DEPÓSITO P/ CONSTRUÇÃO 22 2 0 0 0 0 MÓVEISPISCINA DESMONTÁVEL 4 1 0 0 0 0LATA, FRASCO, PLÁST. UTILIZÁVEL 742 23 1 1 1 2GARRAFAS RETORNÁVEIS 929 94 1 0 1 1BALDE/REGADOR 132 25 0 0 0 0BANDEJA GELADEIRA, AR COND.MATERIAL DE CONSTRUÇÃOOUTROS 62 50 46 33 6 7 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 ÁREA 01RALO INTERNO 97 59 0 0 0 0RALO EXTERNO 607 254 4 1 0 1LAJE 31 3 0 0 0 0CALHA 284 7 0 0 0 0VASO SAN. C/ CAIXA DE DESCARGA 18 14 0 0 0 0 FIXOSPISCINA 19 15 0 0 0 0DEPÓSITO P/ CONSTRUÇÃO 6 5 0 0 0 0CONSUMO ANIMAL 4 4 0 0 0 0OUTROS 97 8 1 1 0 1PNEU 105 5 4 2 3 5OUTROS CORRELATOS 1 1 0 0 0 0 PNEUSLATA, FRASCO, PLÁSTICO 560 31 4 2 4 6GARRAFA DESCARTÁVEL 188 12 0 0 0 0LONA, ENCERADO, PLÁSTICO 35 7 1 0 0 0 PASSÍVEIS DEENTULHO DE CONSTRUÇÃO 379 3 0 0 0 0 REMOÇÃOPEÇAS / SUCATAS 89 4 0 0 0 0MASSEIRA 55 8 1 0 1 1OUTROS 193 41 0 0 0 0OCO DE ÁRVORE E BAMBU 5 2 0 0 0 0BROMÉLIAS 132 101 0 0 0 0 NATURAISOUTROS 18 0 0 0 0 0 Total 7080 1231 25 8 11 19
  24. 24. RECIPIENTES QUE POSITIVARAM PARA AEDES ÁREA 01 C/ RECIPIENTES PESQUISAD. ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. TOTAL AED.NÃO LIGADO A REDE 11 7 1 1 0 1 DEPÓSITO NÃO ELEVADOCONSUMO ANIMAL 384 306 7 0 1 1LATA, FRASCO, PLÁST. UTILIZÁVEL 742 23 1 1 1 2 MÓVEISGARRAFAS RETORNÁVEIS 929 94 1 0 1 1RALO EXTERNO 607 254 4 1 0 1 FIXOSOUTROS 97 8 1 1 0 1PNEU 105 5 4 2 3 5 PNEUSLATA, FRASCO, PLÁSTICO 560 31 4 2 4 6 PASSÍVEIS DEMASSEIRA 55 8 1 0 1 1 REMOÇÃO Total 3490 736 24 8 11 19
  25. 25. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Armazenamento de água para oLIGADO A REDE 7 5 0 0 0NÃO LIGADO A REDE 7 1 0 0 0 DEPÓSITO ELEVADO consumo humano em posição elevada ao solo. 7 7 7 GRUPO 6 A 5 5 PESQUISADOS 4 C/ ÁGUA 3 C/ LARVA A. AEG. 2 A. ALB. 1 1 0 0 0 0 0 0 LIGADO A REDE 0 NÃO LIGADO A REDE
  26. 26. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Armazenamento de água para oLIGADO A REDE 2 2 0 0 0NÃO LIGADO A REDE 11 7 1 1 0 DEPÓSITO NÃO ELEVADO consumo humano posicionado junto ao solo. 12 11 GRUPO 10 B 8 PESQUISADOS 7 6 C/ ÁGUA C/ LARVA 4 A. AEG. 2 A. ALB. 2 2 0 0 1 0 0 1 LIGADO A REDE 0 NÃO LIGADO A REDE
  27. 27. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Recipientes que apresentemVASO DE PLANTA NA ÁGUA 46 29 0 0 0VASO DE PLANTA (DIVERSOS) 833 10 0 0 0 MÓVEIS alguma utilidade para o morador ePRATO PINGADEIRA 880 96 0 0 0 que possam sofrer alteração naCONSUMO ANIMAL 384 306 7 0 1 sua posição.DEPÓSITO P/ CONSTRUÇÃO 22 2 0 0 0PISCINA DESMONTÁVEL 4 1 0 0 0LATA, FRASCO, PLÁST. UTILIZÁVEL 742 23 1 1 1GARRAFAS RETORNÁVEISBALDE/REGADOR 929 132 94 25 1 0 0 0 1 0 GRUPOBANDEJA GELADEIRA, AR COND. 62 33 0 0 0MATERIAL DE CONSTRUÇÃOOUTROS 50 46 6 7 0 0 0 0 0 0 C 1000 880 929 900 833 800 742 700 PESQUISADOS 600 500 C/ ÁGUA 400 384 300 306 C/ LARVA 200 100 46 96 A. AEG. 29 000 10 00 0 132 0 00 0 701 22 0 94 2 00 410 231 00 11 62 101 25 0 0 0 330 0 50 A. ALB. 0 6 0 0 0 467 000
  28. 28. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Recipientes que fazem parte daRALO INTERNO 97 59 0 0 0RALO EXTERNO 607 254 4 1 0 FIXOS construção ou estão fixados a ela.LAJE 31 3 0 0 0CALHA 284 7 0 0 0VASO SAN. C/ CAIXA DE DESCARGA 18 14 0 0 0PISCINA 19 15 0 0 0DEPÓSITO P/ CONSTRUÇÃO 6 5 0 0 1CONSUMO ANIMALOUTROS 4 97 4 8 0 1 0 1 0 0 GRUPO 700 D 607 600 500 400 PESQUISADOS 300 C/ ÁGUA 254 284 200 C/ LARVA 97 100 59 A. AEG. 000 410 31 0 3000 700 0 1814 97 000 1915 A. ALB. 000 650 01 4400 0 811 0
  29. 29. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Pneus e outros materiais rodantes.PNEU 105 5 4 2 3OUTROS CORRELATOS 1 1 0 0 0 PNEUS 120 105 GRUPO 100 E 80 PESQUISADOS 60 C/ ÁGUA C/ LARVA 40 A. AEG. A. ALB. 20 5 4 2 3 0 1 1 0 0 PNEU 0 OUTROS CORRELATOS
  30. 30. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Recipientes que podem serLATA, FRASCO, PLÁSTICO 560 31 4 2 4GARRAFA DESCARTÁVEL 188 12 0 0 0 PASSÍVEIS DE REMOÇÃO eliminados ou sofrer algum tipo deLONA, ENCERADO, PLÁSTICO 35 7 1 0 0 alteração em sua forma.ENTULHO DE CONSTRUÇÃO 379 3 0 0 0 ALTERAÇÃOPEÇAS / SUCATAS 89 4 0 0 0MASSEIRA 55 8 1 0 1OUTROS 193 41 0 0 0 600 GRUPO 560 F 500 400 379 PESQUISADOS 300 C/ ÁGUA C/ LARVA 200 188 A. AEG. 193 100 A. ALB. 31 89 4 2 4 12 35 0 0 0 0 7 1 55 0 0 3 0 0 0 4 0 0 41 LATA, FRASCO, 0 8 PLÁSTICO GARRAFA 1 0 1 DESCARTÁVEL LONA, 0 0 0 ENCERADO, ENTULHO DE CONSTRUÇÃO PEÇAS / PLÁSTICO SUCATAS MASSEIRA OUTROS
  31. 31. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Recipientes não produzidos ouOCO DE ÁRVORE E BAMBU 5 2 0 0 0BROMÉLIAS 132 101 0 0 0 NATURAIS modificados pelo homem.OUTROS 18 0 0 0 0 140 132 GRUPO 120 G 100 101 80 PESQUISADOS C/ ÁGUA 60 C/ LARVA 40 A. AEG. 20 A. ALB. 5 2 18 0 0 0 0 0 0 0 OCO DE ÁRVORE E BAMBU 0 0 0 0 BROMÉLIAS OUTROS
  32. 32. RECIPIENTES QUE POSITIVARAM PARA A. AEGYPTI ÁREA 01 RECIPIENTES POSITIVOS C/ LARVA LATA, FRASCO, PLÁSTICO INSERVÍVEIS 2 4 RALO EXTERNO 1 4 OUTROS-BOMBA DE PISCINA DEPÓSITO NÃO ELEVADO (NÃO LIGADO A REDE) 1 1 12,50% PNEU 2 4 LATA, FRASCO, PLÁSTICO UTILIZÁVEIS 1 1 OUTROS-BOMBA DE PISCINA 1 1 LATA, FRASCO, PLÁSTICOLATA, FRASCO, PLÁSTICO INSERVÍVEIS UTILIZÁVEIS 25,00% 12,50% RALO EXTERNO 12,50% PNEU 25,00% DEPÓSITO NÃO ELEVADO (NÃO LIGADO A REDE) 12,50%
  33. 33. AVALIAÇÃO DE DENSIDADE LARVÁRIA RECIPIENTES PESQUISADOS EM GUARATINGUETÁ - 2012 ÁREA 02
  34. 34. RECIPIENTES PESQ. C/ÁGUA C/LARVA A. AEG. A. ALB. TOTAL AED.LIGADO A REDE 8 7 1 0 1 1NÃO LIGADO A REDE 4 1 0 0 0 0 DEPÓSITO ELEVADOLIGADO A REDE 7 4 0 0 0 0NÃO LIGADO A REDE 11 8 0 0 0 0 DEPÓSITO NÃO ELEVADOVASO DE PLANTA NA ÁGUA 16 16 0 0 0 0VASO DE PLANTA (DIVERSOS) 1239 8 0 0 0 0PRATO PINGADEIRA 687 113 0 0 0 0CONSUMO ANIMAL 423 385 2 0 1 1DEPÓSITO P/ CONSTRUÇÃO 2 0 0 0 0 0 MÓVEISPISCINA DESMONTÁVEL 1 0 0 0 0 0LATA, FRASCO, PLÁST. UTILIZÁVEL 288 53 0 0 0 0GARRAFAS RETORNÁVEIS 1026 35 0 0 0 0BALDE/REGADOR 154 38 0 0 0 0 ÁREA 02BANDEJA GELADEIRA, AR COND. 42 15 1 0 0 0MATERIAL DE CONSTRUÇÃO 131 14 0 0 0 0OUTROS 106 6 0 0 0 0RALO INTERNO 79 46 0 0 0 0RALO EXTERNO 774 296 5 2 2 4LAJE 15 2 0 0 0 0CALHA 277 9 0 0 0 0VASO SAN. C/ CAIXA DE DESCARGA 52 51 0 0 0 0 FIXOSPISCINA 24 22 1 0 0 0DEPÓSITO P/ CONSTRUÇÃO 6 0 0 0 0 0CONSUMO ANIMAL 0 0 0 0 0 0OUTROS 29 13 0 0 0 0PNEU 304 28 0 0 0 0OUTROS CORRELATOS 21 0 0 0 0 0 PNEUSLATA, FRASCO, PLÁSTICO 975 66 0 0 0 0GARRAFA DESCARTÁVEL 359 22 0 0 0 0LONA, ENCERADO, PLÁSTICO 55 18 0 0 0 0 PASSÍVEIS DEENTULHO DE CONSTRUÇÃO 77 4 0 0 0 0 REMOÇÃOPEÇAS / SUCATAS 542 21 2 2 0 2MASSEIRA 57 17 0 0 0 0OUTROS 218 17 0 0 0 0OCO DE ÁRVORE E BAMBU 64 13 0 0 0 0BROMÉLIAS 196 118 2 2 0 2 NATURAISOUTROS 0 0 0 0 0 0 Total 8269 1466 14 6 4 10
  35. 35. RECIPIENTES QUE POSITIVARAM PARA AEDES ÁREA 02 C/ TOTAL RECIPIENTES PESQUISAD. ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. AED.LIGADO A REDE 8 7 1 0 1 1 DEPÓSITO ELEVADOCONSUMO ANIMAL 423 385 2 0 1 1 MÓVEISBANDEJA GELADEIRA, AR COND. 42 15 1 0 0 0RALO EXTERNO 774 296 5 2 2 4 FIXOSPISCINA 24 22 1 0 0 0PEÇAS / SUCATAS 542 21 2 2 0 2 PASSÍVEIS DE REMOÇÃOBROMÉLIAS 196 118 2 2 0 2 NATURAIS Total 2009 864 14 6 4
  36. 36. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Armazenamento de água para oLIGADO A REDE 8 7 1 0 1NÃO LIGADO A REDE 4 1 0 0 0 DEPÓSITO ELEVADO consumo humano em posição elevada ao solo. 8 8 7 GRUPO 7 A 6 5 PESQUISADOS 4 C/ ÁGUA 4 C/ LARVA 3 A. AEG. 2 A. ALB. 1 1 1 1 0 0 0 0 LIGADO A REDE 0 NÃO LIGADO A REDE
  37. 37. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Armazenamento de água para oLIGADO A REDE 7 4 0 0 0NÃO LIGADO A REDE 11 8 0 0 0 DEPÓSITO NÃO ELEVADO consumo humano posicionado junto ao solo. 12 11 GRUPO 10 B 8 8 7 PESQUISADOS 6 C/ ÁGUA C/ LARVA 4 4 A. AEG. A. ALB. 2 0 0 0 0 0 0 LIGADO A REDE 0 NÃO LIGADO A REDE
  38. 38. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Recipientes que apresentemVASO DE PLANTA NA ÁGUA 16 16 0 0 0VASO DE PLANTA (DIVERSOS) 1239 8 0 0 0 MÓVEIS alguma utilidade para o morador ePRATO PINGADEIRA 687 113 0 0 0 que possam sofrer alteração naCONSUMO ANIMAL 423 385 2 0 1 sua posição.DEPÓSITO P/ CONSTRUÇÃO 2 0 0 0 0PISCINA DESMONTÁVEL 1 0 0 0 0LATA, FRASCO, PLÁST. UTILIZÁVEL 288 53 0 0 0GARRAFAS RETORNÁVEISBALDE/REGADOR 1026 154 35 38 0 0 0 0 0 0 GRUPOBANDEJA GELADEIRA, AR COND. 42 15 1 0 0MATERIAL DE CONSTRUÇÃOOUTROS 131 106 14 6 0 0 0 0 0 0 C 1400 1239 1200 PESQUISADOS 1000 1026 800 687 C/ ÁGUA 600 400 423 385 C/ LARVA 200 288 16 000 16 113 8000 A. AEG. 0 000 201 2000 0 10 0 0 0 53 154 000 350 0 0 38 131 0 0 0 42 1 15 0 0 14 106 A. ALB. 000 6000
  39. 39. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Recipientes que fazem parte daRALO INTERNO 79 46 0 0 0RALO EXTERNO 774 296 5 2 2 FIXOS construção ou estão fixados a ela.LAJE 15 2 0 0 0CALHA 277 9 0 0 0VASO SAN. C/ CAIXA DE DESCARGA 52 51 0 0 0PISCINA 24 22 1 0 0DEPÓSITO P/ CONSTRUÇÃO 6 0 0 0 0OUTROS 800 29 774 13 0 0 0 GRUPO 700 D 600 500 PESQUISADOS 400 C/ ÁGUA 300 296 277 C/ LARVA 200 79 A. AEG. 100 46 000 0 522 15 2 5251 000 900 A. ALB. 0 2422 00 0 1 0 0 6 0 0 29 0 0 13 0 0 0
  40. 40. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Pneus e outros materiais rodantes.PNEU 304 28 0 0 0OUTROS CORRELATOS 21 0 0 0 0 PNEUS 350 304 GRUPO 300 E 250 200 PESQUISADOS C/ ÁGUA 150 C/ LARVA A. AEG. 100 A. ALB. 50 28 0 21 0 0 0 0 0 PNEU 0 0 OUTROS CORRELATOS
  41. 41. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Recipientes que podem serLATA, FRASCO, PLÁSTICO 975 66 0 0 0GARRAFA DESCARTÁVEL 359 22 0 0 0 PASSÍVEIS DE REMOÇÃO eliminados ou sofrer algum tipo deLONA, ENCERADO, PLÁSTICO 55 18 0 0 0 alteração em sua forma.ENTULHO DE CONSTRUÇÃO 77 4 0 0 0 ALTERAÇÃOPEÇAS / SUCATAS 542 21 2 2 0MASSEIRA 57 17 0 0 0OUTROS 218 17 0 0 0 1000 975 GRUPO 900 F 800 700 PESQUISADOS 600 C/ ÁGUA 500 542 400 C/ LARVA 359 300 A. AEG. 200 A. ALB. 100 66 218 0 0 0 22 55 77 0 0 0 0 18 0 0 0 4 0 0 21 57 0 LATA, FRASCO, 2 2 0 17 PLÁSTICO GARRAFA 0 0 0 17 DESCARTÁVEL LONA, 0 0 0 ENCERADO, ENTULHO DE CONSTRUÇÃO PEÇAS / PLÁSTICO SUCATAS MASSEIRA OUTROS
  42. 42. RECIPIENTES PESQUISADOS C/ ÁGUA C/ LARVA A. AEG. A. ALB. Recipientes não produzidos ouOCO DE ÁRVORE E BAMBU 64 13 0 0 0BROMÉLIAS 196 118 2 2 0 NATURAIS modificados pelo homem. 200 196 180 GRUPO 160 G 140 120 118 PESQUISADOS 100 C/ ÁGUA 80 64 C/ LARVA 60 A. AEG. 40 A. ALB. 20 13 0 0 0 0 2 2 0 OCO DE ÁRVORE E BAMBU BROMÉLIAS
  43. 43. RECIPIENTES QUE POSITIVARAM PARA A. AEGYPTI ÁREA 02 RECIPIENTES POSITIVOS C/ LARVA RALO EXTERNO 2 5 PEÇAS, SUCATAS PASSÍVEIS DE REMOÇÃO 2 2 BROMÉLIA NATURAIS 2 2 RALO EXTERNO BROMÉLIA NATURAIS 33,33% 33,33% PEÇAS, SUCATAS PASSÍVEIS DE REMOÇÃO 33,33%
  44. 44. TOTAL GERALÁREA QUART. TRAB. FECH. RECUSA PESQ. ÁGUA LARVA AEG ALB 1 38 608 265 20 7080 1231 25 7 10 2 42 630 265 22 8269 1466 14 4 4 80 1238 530 42 15349 2697 39 11 14
  45. 45. Q - quadra trabalhada PE- ponto estratégico IE - imóvel especialPanorama geral de parte de área trabalhada
  46. 46. Q - quadra trabalhada PE- ponto estratégico IE - imóvel especialQuadras trabalhadas próximas ao PE – CEMITÉRIO
  47. 47. Q - quadra trabalhada PE- ponto estratégico IE - imóvel especialADL’s positivas mais próximas ao PE – CEMITÉRIO
  48. 48. Q - quadra trabalhada PE- ponto estratégico IE - imóvel especialEndereço e recipiente positivado para ADL
  49. 49. AVALIAÇÃO DE DENSIDADE LARVÁRIA EQUIPE DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE GUARATINGUETÁ

×